Você está na página 1de 37
ZONAS DE PROTEÇÃO E ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA
ZONAS DE PROTEÇÃO E ÁREA DE SEGURANÇA
AEROPORTUÁRIA
Profª Janaína Araújo
Profª Janaína Araújo
PORTARIA Nº 1.141/GM5, de 8/12/1987
PORTARIA Nº 1.141/GM5, de 8/12/1987

Plano de Zona de Proteção de Aeródromos;

Plano de Zoneamento de Ruído;

Plano de Zona de Proteção de Helipontos.

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

Tem por finalidade regulamentar e organizar o uso

do solo nas áreas circunvizinhas aos aeródromos; estabelece as restrições impostas ao aproveitamento das propriedades localizadas dentro da Zona de Proteção de um aeródromo.

Plano Básico de Zona de Proteção de Aeroportos (PBZPA) Plano Específico de Zona de Proteção de Aeródromos (PEZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

limites quanto à presença de

edificações e outros objetos que venham a representar perigo ou risco às operações aéreas.

O

PBZPA

impõe

de edificações e outros objetos que venham a representar perigo ou risco às operações aéreas. O

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE AEROPORTOS (PZPA)

PLANO DE ZONEAMENTO DE RUÍDO (PZR)

Composto por duas curvas:

Curvas de Nível de Ruído 1 e 2

Área I, Área II e Área III.

O ruído aeronáutico está diretamente relacionado à distância da fonte emissora e à intensidade da emissão,

são estabelecidas restrições ao uso do solo nas

proximidades dos aeroportos (Áreas I e II);

Na Área III, normalmente não são registrados níveis de

incômodo mais significativos e, portanto, não são

estabelecidas restrições ao seu uso.

PLANO DE ZONEAMENTO DE RUÍDO (PZR)

Área I (mais próxima da pista) - ruído aeronáutico é mais intenso. Nesta área, a maioria das atividades urbanas é proibida; Área II, os níveis de ruído e o incômodo são

menores, o que torna possível o estabelecimento de

algumas atividades urbanas.

Estão proibidas atividades ligadas à saúde, educação e

cultura. No caso das edificações residenciais, estas

poderão ser permitidas em situações especiais, mediante elaboração de tratamento acústico.

PLANO DE ZONEAMENTO DE RUÍDO (PZR)

PLANO DE ZONEAMENTO DE RUÍDO (PZR)
PLANO DE ZONEAMENTO DE RUÍDO (PZR)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

Disciplinar a ocupação do solo nas áreas de entorno dos

aeroportos; Estabelece restrições à implantação de algumas

atividades, consideradas de natureza perigosa, por se

constituírem focos de atração de aves, que poderiam vir a colidir com as aeronaves;

Não é permitida a implantação de atividades de natureza

perigosa, isto é, aquelas classificadas como foco de atração de

pássaros, tais como matadouros, curtumes, vazadouro de lixo e culturas agrícolas que atraiam pássaros, assim como quais- quer outras atividades que possam proporcionar riscos

semelhantes à navegação aérea.

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

O CONAMA define, no Art. 1º da Resolução nº 4, de

09/10/1995, a ASA como sendo a extensão abrangida por um raio preestabelecido, em função do tipo de operação do aeroporto e traçado a partir do “centro geométrico do aeródromo”;

Esta dimensão varia de um raio de 20 km, para

aeródromos que operam de acordo com as regras de vôo por instrumento (IFR), a um raio de 13 km,

para os demais aeródromos.

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

ÁREA DE SEGURANÇA AEROPORTUÁRIA (ASA)

PLANO BÁSICO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE HELIPONTOS

Área de Segurança;

Área de Aproximação e Decolagem;

Áreas de Transição.

PLANO BÁSICO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE HELIPONTOS

O Gabarito da Área de Segurança estende-se para fora da área de pouso e decolagem do heliponto,

onde apenas são permitidos aproveitamentos

frágeis de no máximo 35cm de altura.

de pouso e decolagem do heliponto, onde apenas são permitidos aproveitamentos frágeis de no máximo 35cm
de pouso e decolagem do heliponto, onde apenas são permitidos aproveitamentos frágeis de no máximo 35cm

PLANO BÁSICO DE ZONA DE PROTEÇÃO DE HELIPONTOS

O Gabarito da área de Aproximação e Decolagem estende-se em rampa a partir da área de pouso e

decolagem.

O Gabarito da área de Aproximação e Decolagem estende-se em rampa a partir da área de
O Gabarito da área de Aproximação e Decolagem estende-se em rampa a partir da área de
PISTAS DE POUSO E DECOLAGEM • ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA – A orientação depende

PISTAS DE POUSO E DECOLAGEM

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

A orientação depende das condições de vento, do relevo,

das aeronaves, da demanda e da geometria da área

disponível, entre outros.

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

Anemograma

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA • Anemograma

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

Não devem acontecer operações de pouso e

decolagem, se o valor da componente transversal do vento for superior a:

20 nós (37 km/h): para aeronaves cujo comprimento de

pista de referência seja superior ou igual a 1.500 m;

13 nós (24 km/h): para aeronaves cujo comprimento de

pista de referência esteja entre 1.200 m e 1.500 m;

10 nós (19 km/h): para comprimentos inferiores a 1.200 m (aeronaves mais leves).

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

ORIENTAÇÃO E NÚMERO DE PISTA

As pistas de um aeródromo (RWY), são construídas

de acordo com os ventos predominantes da região;

A orientação, é feita em relação ao Norte Magnético

e, a numeração das cabeceiras, é dada em rumos de

10 em 10 graus subtraindo-se o último zero.

Proa Magnética

Arredondamento

Cabeceira

237

240

24

013

010

01

CAPACIDADE HORÁRIA

CAPACIDADE HORÁRIA

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

Área (dimensões ideais para a implantação do aeroporto);

Área recomendada (incluir curva 1 de ruído);

Relacionamento urbano (fora da área urbana e contrária aos

vetores de expansão);

Distância ao centro urbano (10 a 30 km);

Acesso viário (próximo à rodovias);

Infraestrutura (energia elétrica, esgotos, água e telecomunicações);

Topografia (livre de obstáculos, área plana);

Geologia (solo de bom suporte);

Meteorologia (vento, temperatura e chuva);

Viabilidade econômica (custos monetários, sociais e ambientais).

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO

CRITÉRIO DE LOCALIZAÇÃO