Você está na página 1de 50

A Europa Medieval e

o Sistema Feudal.

Credibilidade e CompromissoProf. Fabrício Ferreira2008


Caixa de texto: História do Direito
História do Direito
Contextualização
O Império Romano encontra-se em franco
declínio.
Após a divisãoentre o Império Romano do Oriente e
Império Romano do Ocidente o poderdo imperador é
nitidamente abaladoem razão das constantes
invasõespromovidas pelos povos bárbaros;
Os valores sociais e morais, outrora cultivados pelos
romanos passam a ser influenciados pelos
estrangeiros, pelas novas culturas e pela onda de
corrupção que assola o Império.
Os romanos anseiampelas invasões, na esperança
de que, sob o domínio dos bárbaros, a sua situação
possa mudar.
Contextualização
As invasõesacontecem de forma mais
freqüente e violenta e terminam por acabar
com o que se convencionou chamar de Império
Romano, dando início a um novo período
histórico: A IDADE MÉDIA.
É o período que se estende do Século Vaté o Século
XV, ou seja da queda do Império Romano do
Ocidente (Roma) em 476, para Odoarco, rei dos
godos, até a queda do Império Romano do Oriente
(Constantinopla), em 1453, para os turcos
otomanos.
Os Direitos da Idade Média
A Idade Média nasceu, então, da uniãodo que
restou do Império Romano, mais os povosgermânicosque invadiram a Europa romana, mais
a
Igreja Católicaque sobreviveu à queda do Império e
se fortaleceu durante o período medieval;
Compondo o Direito Medieval como um todo podem
ser vistos os Direitos:
Romano;
Germânico e;
Canônico (relativo à Igreja).

4
Os povos que invadiram o Império Romano
viviam de forma bastante simples, sem
cidades ou aldeias.
Eram ligados a terra;
Não utilizavam a escrita;
Seu direito era oral (consuetudinário) e muito
influenciado por esta oralidade;
A principal instituição destes povos é a família,
baseada no poder absoluto do pai;
O termo germânico engloba uma série de povos, é forçoso
falar em direitos germânicos, pois cada tribo tinha sua
própria tradição.

6
Direito Germânico
Quando estes povos invadiram o Império Romano,
algumas tribos estabeleceram-se como reinose,
algumas delas perceberam a necessidade de
confeccionar um direito escrito, outros reinos optaram
por manter seus costumes e, portanto a sua legislação.
Estes são chamados de Direitos das Monarquias
Germânicas. É o início do Direito Medieval, a entrada do
elemento germânico na feitura do direito deste período.
A maior parte das tribos germânicas, mesmo
escrevendo suas leis, não vai procurar impô-las aos
romanos, o burgúndio será julgado segundo a tradição
burgúndia, o visigodo segundo sua legislação, o romano
pela Lex Romana.
Isto é chamado Personalidade das Leis .
Observar o princípio da territorialidade atualmente utilizado.

7
Direito Germânico:
A personalidade das Leis.
A Idade Média
A Idade Média pode ser divididaem dois grandes períodos:
A AltaIdade Média: que vai do século
V ao século IX;
A BaixaIdade Média: que vai do
século IX até o século XV.
Digitalizar0001
A Alta Idade Média
Período turbulento caracterizado pelo
fim do mundo conhecido, o mundo
romano e, ao mesmo tempo, com a
construção de um novo, agora tendo
como elementos as culturas germânicas
e a Igreja (Católica) *
Período que se inicia com as invasões das
tribos germânicas e a queda de Roma;
Os germanos não possuíam os mesmos
hábitos que os romanos, seja no vestir ou
nos tipos de moradia, em razão de sua
cultura rústica e seminômade.

Fonte: *(CASTRO, 2008 -adaptado)


A Alta Idade Média
Sua economia era baseada no sistema de
trocas (escambo);
O sistema produtivo combinava a
propriedade coletiva e a propriedade
individual e, principalmente, a guerra era
primordial para a economia destes povos *.
A dinâmica social foi alterada:
Os homens livres perdem sua independência e
submetem-se à autoridade de uma elite que
nascia os proprietários de terra formada por
chefes guerreiros e grupos armados ;
Colonato.

Fonte: *(CASTRO, 2008)


ROMANOS
GERMÂNICOS
Clientela(dependência
entre servos e senhores)
Comitatus(dependência
entre nobres base da
suseraniae vassalagem)
Colonato(fixação na terra
origem da servidão)
Subsistência(ausência de
comércio e moeda)
Vilas(grandes propriedades
rurais origem dos feudos)
Economia agropastoril
Igreja
Direito consuetudinário(tradição oral)

Caixa de texto: ORIGENS DO FEUDALISMO:


ORIGENS DO FEUDALISMO:
O SISTEMA FEUDAL
A palavra feudalismoou sistema feudalfoi o modo de
organizaçãoda vida em sociedadeque caracterizou a Europadurante grande parte
da Idade Média.
Ele não foi igualem todas as regiões
européias, variando
muito de acordo com
a época e o local.
FEUDO
Um feudo podia ser:
uma área de terra;
um cargo;
uma função
eclesiástica;
o direito de receber
alguma vantagem.
A palavra feudo
significa propriedade.
É o direito de usufruto de
determinado bem, geralmente uma
porção de terra, que o senhor
concedia a um vassalo. Ao receber o
feudo, o vassalo ficava ligado ao
senhor (suserano), por laços de
fidelidade, comprometendo-se a
pagar-lhe certos tributos e a prestar-
lhe colaboração militar em caso de
guerra.

Feudalismo
Periodização:
1.Séc. III -VIII -formação do
Feudalismo, tem início com as
primeiras invasões bárbaras;
2.Séc. VIII -XI -apogeu do
Feudalismo;
3.Séc. XI -XV -decadência.

Feudalismo
O surgimento do feudalismo está associado à
decadência do Império Romano e à formação dos
reinos bárbaros.
Essas transformações deram origem aos traços
marcantes do sistema feudal:
Declínio das atividades comerciais, artesanais e
urbanas;
Hierarquização social;
Descentralização do poder político em torno dos
senhores feudais;
Importância do trabalho dos servos, cujos ombros
suportavam quase todos os serviços responsáveis pela
subsistência material da sociedade.
Estado monárquico feudal (base: relação de
subsistência e vassalagem entre a nobreza e o Rei);
Igreja Católica (formadora de idéias).

Origens
Entre as contribuições dos romanospara o
sistema feudal, podemos citar:
o conceito de vila;
o colonato:sistema de trabalho servil;
a fragmentação do poder político.

Entre as contribuições dos bárbaros ou


germânicospara o feudalismo citamos:
a economia agropastoril;
o comitatus, relação de fidelidade
unindo o chefe militar e seus
guerreiros;
o beneficium, recompensa que os
chefes militares davam aos seus
soldados após obter alguma conquista.

Colonato
A união social era garantida pelos
laços de vassalagem = de um
lado, o suserano (proprietário que
concedia feudos a seus protegidos)
e, de outro, o vassalo (pessoa que
recebia feudos do suserano,
prometendo-lhe fidelidade).
investid.jpg (82043 bytes)
Cerimônia de Investidura.
Cultura eminentemente teocêntrica: considerava-se
Deus como o centro de todas as coisas;
A Igreja Católica possuía o monopólioda cultura
letrada;
Cristãos contrários à doutrina eram conhecidos como
hereges, e a pior punição para um herege era a
excomunhão (condenação ao inferno);
Na Baixa Idade Média o herege era julgado pela
Inquisição;
A Igreja determinava o modo de pensar e de viver das
pessoas.
Fenômenos naturais explicados pela fé.
Era comum a celebração de ritos religiosos par fazer as
plantas crescerem, para se obter boas colheitas, para
provocar chuvas, etc.

Características Econômicas
e Sociais:
A terraé o maior símbolo de riqueza e poder;
Economia Agrícola de auto-abastecimento
(subsistência): não produziam excedentes,
devido, principalmente, à instabilidade
política, fruto das invasões bárbaras.
A quase inexistência de comércioimpedia
que houvesse um abastecimento externo fora
do feudo. Assim, as principais atividades
econômicas estavam associadas à
manutenção das pessoas.
Escambo;
Relações servis de produção (reguladas
pelas obrigações servis, fixadas pela tradição
e pelos costumes).

Características Econômicas
e Sociais:
Surgem mais tarde as primeiras Indústrias .
transformação de matéria prima em produto com
valor de mercado: azeite, vinho, lanífera,
cerâmica, metalurgia (armas e armaduras);
Economia amonetária (economia não se baseia
na moeda);
Condenação da igreja do empréstimo a jurus (usura) e do
lucro.
Sociedade Estamental : sem mobilidade social.
A sociedade era dividida em estamentos;
O princípio da estratificação social era privilégio de
nascimento, que consagrava um regime de
desigualdade e impedia a mobilidade social;

Características Econômicas
e Sociais:
Relações sociais -verticais ou
horizontais;
Relações sociais de servidão entre o Senhor
das terras e o Camponês (servo) -não
possuidor de terras-o servo deve obrigações
ao senhor feudal. É uma relação vertical;
Relações jurídico-políticasde Vassalagem: é
a relação entre dois nobres. É uma relação
horizontal.
Os dois senhores feudais juram fidelidade e
trocam benefícios e homenagens recíprocas;
Pirâmide social "de baixo p/ cima":
Servos, Nobreza, Clero;

Características Econômicas
e Sociais:
Pirâmide Social
CLERO: terra + poder
político + poder ideológico
(salvação)
NOBREZA: terra + poder
político (defesa)
SERVOS: obrigações
(corvéia, talha, banalidades,
tostão de Pedro, dízimo,
mão-morta, capitação,
formariage...) e VILÕES:
quase servos, porém com
menos obrigações
MULHERS FEUDAIS
Absoluta inferioridade em relação
aos homens;
Devia fidelidade e lealdade ao
marido;
O não cumprimento das obrigações
era punida com a morte;
O marido era escolhido pelo pai,
muitas vezes como moeda de troca
de alianças políticas;
A sociedade medieval era
dividida em estamentos.
Os três principais grupos
eram:
nobreza, clero e servos.
Outros grupos sociais :
Comerciantes;
Burguesia ;
Na sociedade feudal cada grupo detinha uma função.
Clero = salvação da alma;
Nobreza = proteção;
Servos = trabalho para o sustento de todos.
Ao lado, observe a penosa
realidade servil. O servo
vivia uma grande exploração
que permitia o sustento do
restante da população.
meses.jpg (42009 bytes)
..Quanto aos servos é
necessário reafirmar que
estes não eram livres, não
eram escravos tampouco.
Estavam presos á terra e se
esta mudasse de mãos por
qualquer motivo os servos
daquela terra teriam um outro
senhor. Eles não poderiam
mudar de feudo quando
achassem pertinente.
Divisão das terras no feudo:

Caixa de texto: Campos abertos: terras de uso comum.


Reserva senhorial: terras que pertenciam exclusivamente ao senhor feudal.
Manso servil ou tenência: terras utilizadas pelos servos, das quais eles retiravam
seu próprio sustento e recursos para
Campos abertos:terras de uso
comum.
Reserva senhorial:terras que
pertenciam exclusivamente ao
senhor feudal.
Manso servil ou tenência:terras
utilizadas pelos servos, das quais
eles retiravam seu próprio sustento
e recursos para cumprir as
obrigações feudais.
Os servos deviam aos senhores um conjunto de
obrigações servis.
Analisemos cada uma dessas obrigações:
Caixa de texto: Corvéia: O servo deveria prestar trabalho gratuito ao senhor feuda
l.
Banalidade: Pagamento de uma taxa por utilizar os instrumentos do senhor feudal.
Capitação: Imposto anual pago por cada indivíduo ao senhor feudal.
Talha: Parte da pro
1.Corvéia:O servo deveria prestar trabalho gratuito ao senhor feudal.
2.Banalidade: Pagamento de uma taxa por utilizar os instrumentos do senhor
feudal.
3.Capitação: Imposto anual pago por cada indivíduo ao senhor feudal.
4.Talha: Parte da produção do servo deveria ser entregue ao nobre.
5.Heriot: Taxa paga pelo servo ao assumir o feudo no lugar de seu pai quando
este viesse a morrer.
6.Dízimo: taxa paga à Igreja Católica pelo fato do servo respeitar a Igreja e ainda
comprar um terreno no céu ;
7.Taxa de casamento: era paga pelo servo ao senhor feudal, quando aquele
fosse se casar com uma mulher pertencente a outro feudo;
8.Taxa de nascimento: taxa paga pelo servo, quando o seu filho nasce;
9.Taxa de justiça: é a taxa que o servo pagava ao senhor feudal para que se
fizesse justiça dentro do feudo;
10.Censo: dinheiro anual pelo uso da terra.
Entre suseranos e vassalos estabelecia-se um contrato
de vassalagem, que tinha início com a transmissão do
feudo e que compreendia três atos solenes:
Homenagem é um ato de auto-entrega; um juramento
solene de fidelidade do vassalo perante seu suserano.
Segundo a Prof. Flávia Lages:
Sem armas, o homem, de cabeça descoberta, na maioria
dos casos de joelhos, coloca suas mãos juntas nas do
senhor, que fecha as suas sobre as do vassalo. Este ato
material, consistindo em um contato físico, é rito
indispensável numa civilização em que os sistemas
jurídicos foram primeiro pouco evoluídos e que, pelo
menos no século XI, a escrita ocupava um lugar ainda
restrito.
Fé: era necessário que o vassalo fizesse um juramento de
fidelidade, razão da concessão do feudo para ele. Ato que
deveria ser realizado logo após a homenagem. Era um
juramento perante uma relíquia ou o Evangelho
Investidura -entrega do feudo feita pelo suserano ao
vassalo. Poderia se dar de forma simbólica.

O Contrato Feudo-Vassálico
Efeitos do Contrato Feudo-
Vassálico
Uma série de direitos e de deveres
competia a suseranos e vassalos:
Suserano:
Havia um poder sobre o vassalo e uma obrigação
de fidelidade, normalmente entendida como o
dever de não prejudicar o subordinado;
Dar proteção militar e prestar assistência
judiciária aos seus vassalos;
Sustento obrigação entendida como o
fornecimento de elementos para que o vassalo
pudesse prover a sua alimentação; ou, o próprio
fornecimento de gêneros para aquele;
Receber de volta o feudo, caso o vassalo morresse
sem deixar herdeiros;
Proibir casamento entre seus vassalos e pessoas
que não lhe fossem fiéis.
Efeitos do Contrato Feudo-
Vassálico
Vassalo:
Dever de fidelidade a seu suserano abstenção de
atos hostis ou perigosos);
Prestar serviço militar, durante certo tempo ou
alguma ajuda material obrigações também
conhecidas como auxilium;
Libertar o suserano, caso ele fosse aprisionado;
Comparecer ao tribunal presidido pelo suserano
toda vez que fosse convocado, ou auxiliá-lo com
conselhos obrigação também conhecida por
consilium.
Um vassalo poderia ter seus próprios vassalos,
sendo que estes, não necessariamente estariam
vinculados ao senhor de seu senhor;
Inovações tecnológicas
surgidas na Idade Média:
CHARRUA: Máquina de
remexer a terra (arado)
puxada por bois ou cavalos
Ferradura
Instrumento
utilizado para
proteger o casco
do cavalo em
terrenos ásperos.
Moinho d água
Equipamento usado
para moer cereais e
azeitonas, acionar
foles, quebrar
minérios etc. Milhares
de moinhos d água
foram construídos na
Europa, substituindo,
assim, a força
humana pela força
hidráulica
Outras Inovações Técnicas
Sistema de rotação de culturas em
três campos;
Adubação da terra com esterco de
animais;
Extração mineral;
Armas de guerra;
A decadência do feudalismo:
Primeira fase(séculos XI a XIII) caracterizada pelo
processo de expansão de diversos setores da vida da Europa
Ocidental. Entre as transformações que revelam essa
expansão, podemos citar:
ampliação das culturas agrícolas;
renascimento comercial e urbano;
surgimento e fortalecimento da burguesia.
A partir do século XI, a Europa passou a viver um período
de relativa tranqüilidade social e crescimento populacional;
A expansão econômica tornou-se inevitável. Os limites
impostos pelo sistema feudal começaram a ser rompidos;
Houve uma superpopulação nos feudos e os alimentos não
eram suficientes;
Com o fim das invasões e o surgimento de novas técnicas
agrícolas, foi possível a comercialização do excedente de
produção.

A Baixa Idade Média


Renascimento do comércio e
do artesanato
Nesse cenário de expansão, houve
crescimento demográfico por toda a
Europa. Observemos na tabela a
seguir o crescimento da população
européia entre os século XI e XIII
na área que hoje compreende
Itália, Alemanha, Bélgica,
Luxemburgo, Suiça, Holanda,
França, Inglaterra, Espanha e
Portugal.
avila.jpg (56825 bytes)
Cidade Medieval de ÁvilaO aumento do comércio
promoveu o
desenvolvimento das
cidades medievais.
Grande parte dessas antigas
cidades tinha um núcleo
fortificado com muralhas,
chamado burgo.
Cruzadas: guerras religiosas, também conhecidas como
Guerras Santas, criadas pelo papa Urbano II e incentivadas por
Pedro, o Eremita;
As cruzadas reabriram o Mediterrâneo aos europeus, o
comércio ganhou impulso e as cidades cresceram;
Fatores que explicam a
melhoria do comércio
Melhoria dos meios de
transportes;
Desenvolvimento do
artesanato urbano;
Maior contato com os povos
europeus;
As grandes rotas do comércio
internacional
Rota comercial do Norte realizada através do mar do
norte, passava em cidades como Dantzig, Lubeck,
Hamburgo, Bremen, Bugres, Londres e Bordéus. O
comércio dessa rota era comandado pela Liga
Hanseática, associalde comerciantes alemães
constituída no século XIII;
Rota Comercial do Sul: Realizada principalmente
através do Mar mediterrâneo, tendo como portos mais
importantes os de Barcelona, marselha, Gênova,
Veneza, Túnis, Trípoli e Constantinopla. Os
comerciantes mais atuantes eram os de Gênova e
venezaque se dedicavam principalmente à importação
de especiarias e artigos de luxo do Oriente.
PRINCIPAIS FATORES RESPONSÁVEIS PELAS CRUZADAS
Caixa de texto: O MOVIMENTO CRUZADISTA (séc. XI XIII):
O MOVIMENTO CRUZADISTA (séc. XI XIII):
Movimento religioso e militar dos cristãos para retomar a
Terra Santa (Jerusalém), em poder dos muçulmanos.
Caixa de texto: Acomodação de excedentes populacionais.
Busca de terras (nobreza).
Busca de aventura ou enriquecimento (pilhagens).
Absolvição dos pecados ou cura de enfermidades.
Interesse comercial (mercadores italianos).
Igreja: Necessidade de reafirma
Acomodação de excedentes populacionais.
Busca de terras (nobreza).
Busca de aventura ou enriquecimento (pilhagens).
Absolvição dos pecados ou cura de enfermidades.
Interesse comercial (mercadores italianos).
Igreja: Necessidade de reafirmação e reagrupamento.
Ideologia: Libertar o Santo Sepulcro 8 cruzadas oficiais e 2 extra oficiais.
Fracasso militar.
Caixa de texto: Ocorreram ao longo de 200 anos. Oito expedições foram organizadas ne
sse período.
Ocorreram ao longo de 200 anos. Oito expediOcorreram ao longo de 200 anos. Oito
expediçções ões
foram organizadas nesse perforam organizadas nesse perííodo.odo.
cruzadas
Caixa de texto: CONSEQÜÊNCIAS DAS CRUZADAS
CONSEQÜÊNCIAS DAS
CRUZADAS
Caixa de texto: Desgaste político e econômico da nobreza.
Intensificação da vida urbana.
Controle das rotas do Mediterrâneo ao comércio internacional.
Aumento do consumo de especiarias e de produtos de luxo.
Transferência da renda da nobreza para a burgue
Desgaste polDesgaste políítico e econômico da nobreza.tico e econômico da nobreza.
IntensificaIntensificaçção da vida urbana.ão da vida urbana.
Controle das rotas do Mediterrâneo ao Controle das rotas do Mediterrâneo ao
comcoméércio internacional.rcio internacional.
Aumento do consumo de especiarias e de Aumento do consumo de especiarias e de
produtos de luxo.produtos de luxo.
Transferência da renda da nobreza para a Transferência da renda da nobreza para a
burguesia.burguesia.
InIníício da decadência do sistema feudal.cio da decadência do sistema feudal.
Com o crescimento da população, o progresso do comércio e das
cidades foi tornando a burguesia (os moradores dos Burgos)
mais rica e poderosa, passando a disputar interesses com a
nobreza feudal.
Expansão do comércio = influenciou a mentalidade da população
camponesa, contribuindo para desorganizar o feudalismo.
(Grande número deles migravam para as cidades em busca de
melhores condições de vida. As cidades tornaram-se locais
seguros para aqueles que desejavam romper com a rigidez da
sociedade feudal. Por isso, um antigo provérbio alemão dizia:
O ar da cidade torna o homem livre.
A burguesia comerciante
DESDOBRAMENTOS...
Revoltas contra a opressão dos senhores;
Contratos de arrendamento da terra entre camponeses e proprietários;
Contratos de salário para pagamento do trabalho dos camponeses.

Todos esses fatos mostram a crise e a decadência do sistema feudal,


marcada pela crescente implantação do modo de produção capitalista.
Banqueiros realizando troca de
moedas.
banque4.jpg (79056 bytes)
Paralelamente, importantes alterações do quadro natural
provocaram sérias conseqüências:
expansão das áreas agrícolas;

alterações climáticase chuvas torrenciais e contínuas;

baixa produtividade agrícola.

Com as péssimas colheitas que se verificaram, ocorreu uma alta


de preços dos produtos agrícolas.

Os europeus passaram a conviver com a fome.


Peste Negra
peste.jpg (21143 bytes)
enterro.jpg (69548 bytes)
Os índices de mortalidade
aumentaram sensivelmente e,
no século XIV, uma população
debilitada pela fome teve que
enfrentar uma epidemia de
extrema gravidade:
a Peste Negra, que chegou a
dizimar cerca de 1/3 dos
habitantes da Europa.
Vítimas da peste negra na região de Toumai(1349)
Dificuldades econômicas de toda ordem assolavam a Europa:
o esgotamento das fontes de minérios preciosos, necessários
para a cunhagem de moedas, gerou constantes desvalorizações
da moeda.
No plano social, importa verificar o crescimento de um novo
grupo: a burguesia comercial.
Politicamente, a crise se traduz pelofortalecimento da
autoridade real, considerado necessário pela nobreza, temerosa
do alcance das revoltas camponesas.
Isso só fazia agravar a crise...
Segunda fase(Séculos XIV e XV) marcada por um
processo de depressão (ou contração) na Europa
Ocidental, decorrente das crises econômicas, política e
religiosa;
Estas crises são o ponto de partida para se
compreender o processo de transição do Feudalismo
para o Capitalismo.

Mas essa é uma


outra história...