Você está na página 1de 16

16/10/2013

Ciclo Brayton

Fábio Santos Nascimento 1

CICLO BRAYTON
•O ciclo Brayton foi proposto e patenteado pelo inglês John Baber em
1791, porém o desenvolvedor do motor utilizando este ciclo foi o
americano George Brayton em 1874;

•O ciclo Brayton é um ciclo termodinâmico utilizado no estudo


das turbinas a gás.

•Ele é um ciclo ideal, uma aproximação dos processos térmicos que


ocorrem nas turbinas a gás, descrevendo variações de estado (pressão e
temperatura) dos gases.

•O conceito é usado como base didática e para análise dos ciclos reais, que
se desviam de modelo ideal, devido a limitações tecnológicas e fenômenos
de irreversibilidade, como o atrito.

•Os valores encontrados nos cálculos do ciclo Brayton fornece apenas


indicações qualitativa do desempenho da instalação de potência.

•Os componentes básicos do ciclo Brayton são: compressor, câmara de


combustão (combustor) e turbina. 2

1
16/10/2013

CICLO-PADRÃO DE AR BRAYTON (TURBINA A GÁS)


Devido a sua alta relação de potência de saída/peso, é aplicável à:
• Propulsão de aeronaves;
• Instalação de potência marítimas;
• Geração de potência estacionária (Usinas termoelétricas).

Ciclo Simples (ideal)

(a) Aberta para a atmosfera. (b) Fechada. 3

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás


O ciclo Brayton é um ciclo termodinâmico utilizado para estudo das turbinas a gás.

• Considerações:

a) O fluido de trabalho é um gás


ideal e é o mesmo em todo o
ciclo;
b) Os processos em todo o ciclo
são ideais;
c) O regime é permanente;
d) Não há perda de pressão;
e) Os calores específicos são
constantes;
f) A variação da energia cinética e
potencial é desprezada.
4

2
16/10/2013

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás


Ciclo de ar-padrão Brayton, diagramas P-v e T-s.

Diagrama T-s: área 2-3-a-b-2 → Qad [J/kg]


área 1-4-a-b-1 → Qrej [J/kg]

Diagrama P-v: área 1-2-a-b-1 → Wc [J/kg]


área 3-4-b-a-3 → Wt [J/kg]
5

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás


&
Q &
W  V2 − V2  Eq. da energia
m &
vc
&
m
( )
− vc = h s − h e +  s
2
e
 − g z s − z e ( ) para V.C.
 
•Compressor: Considera-se: Q=0, Ec=0, Ep=0, Δs=0.
w& c
= − (h 2 − h 1 )
m&
• Turbina: Considera-se: Q=0, Ec=0, Ep=0, Δs=0.
w& t
= − (h 4 − h3 ) = h3 − h 4
m&
• Calor Adicionado: W=0, Ec=0, Ep=0
Q& AD
= h3 − h 2
m&

• Calor Rejeitado: W=0, Ec=0, Ep=0


Q& REJ
= h 4 − h1
m&
6

3
16/10/2013

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás

• Eficiência Térmica do Ciclo:


w& Ciclo (w & +w & c )/ m
&
η= = t
&
Q Q& &
entrada entrada / m

h3 − h4 − (h2 − h1 ) h −h
η= =1 − 4 1
h3 − h2 h3 − h2

• Razão de trabalho reverso para o ciclo


w& c / m& h1 − h 2
bwr = =
w& t / m& h3 − h 4
Bwr para a turbina a gás varia entre 40 a 80%, ou seja,
grande parte do trabalho produzido na turbina é requerido
pelo compressor
7

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás


Efeito de Relação de Compressão sobre o Desempenho
Considerando o ar como o fluido de trabalho e que o calor específico
é constante ao longo do ciclo, tem-se:
C p ⋅ (T3 − T4 ) − C p ⋅ (T2 − T1 ) T4 − T1
η= = 1−
C p ⋅ (T3 − T2 ) T3 − T2
 T4 
T1  T1 − 1 
η =1− ⋅ 
T2  T3 −1
 T2 

1 p2
η =1 − k −1
π=
p1
(π) k

Aumento da razão de pressão → Aumento da eficiência térmica


8

4
16/10/2013

Exemplo: Ciclo Brayton simples ideal


Ar entra no compressor de um ciclo de ar-padrão ideal Brayton
a 100 kPa, 300 K, com uma vazão volumétrica de 5 m3/s. A
relação de compressão do compressor é 10. A temperatura
na entrada da turbina é 1400 K. Determinar (a) A eficiência
térmica do ciclo, (b) a razão de trabalho reverso, (c) a potência
líquida produzida, em kW.

Modelagem Térmica do Ciclo de uma Turbina a Gás


Principais Irreversibilidades e perdas
a) Devido ao atrito no compressor e na turbina, há aumento de entropia;
b) Perda de carga nos trocadores de calor são fontes com menos significância;
c) Os calores específicos variam com a temperatura.

10

5
16/10/2013

Eficiência isentrópica do compressor e da turbina

Compressor

Turbina

11

Ciclo Regenerativo

Q& ad Wciclo
Calor adicionado ao ciclo Brayton com regenerador: = h3 − hx ↓ ⇒ η = Q ↑
m& ad

Vantagem:
Como a temperatura de saída de exaustão está acima da atmosférica se aproveita
este potencial (exergia), que irá ser perdido, para aquecer o ar que sai do
compressor, através de regenerador, assim necessitando de
menos combustível para ser queimado. Consequentemente, a eficiência aumenta. 12

6
16/10/2013

Trocador de calor para ciclo regenerativo

Distribuição de Temperatura em um Trocador de Calor de concorrente. (a) Real (b) Ideal.


13

Efetividade do trocador de calor (regenerador)

hx −h2
ε reg =
h4 −h2

•Os valores de ε típicos na prática estão entre 60 a 80%;


•O aumento de ε está relacionado com o custo do equipamento;
•A maior área de troca de calor pode resultar em perda de carga
do escoamento, assim afetando o desempenho do ciclo.
14

7
16/10/2013

Exemplo: Ciclo Brayton com Regeneração


Um regenerador é incorporado ao ciclo Brayton do 1° Exemplo.
Determine a temperatura na entrada da câmara de combustão, Tx,
eficiência térmica para uma efetividade do regenerador de 80%.

15

Turbinas a Gás com reaquecimento

Há aumento do trabalho útil, Wliq, da turbina a gás.


O aumento da eficiência não é certo, devido a adição de calor, Qin.
A temperatura na saída da turbina é maior com reaquecimento do que sem este,
portanto o potencial para regeneração é aumentado.
16

8
16/10/2013

Compressão com inter-resfriamento (intercooler)

O ciclo é atrativo para aplicações navais, pois o oceano faz


o papel de água de refrigeração. O ciclo pode apresentar
uma eficiência térmica maior do que 40%
A utilização do regenerador em conjunto com o inter-resfriamento, ocasiona um
aumento da eficiência térmica, pois a temperatura de saída de um compressor com
inter-resfriamento é menor do que um compressor simples. Com temperatura
menor aumenta o potencial para a regeneração. 17

Ciclo Regenerativo com intercooler e Reaquecimento

Este sistema fornece duas


vantagens: Wciclo é
aumentado e o potencial
para regeneração também.

18

9
16/10/2013

Ciclo de Potência Combinado de Turbina a Gás e a Vapor


• Acopla dois ciclos de potência
• O ciclo da turbina a gás é chamado de ciclo superior e o ciclo de potência a vapor de
ciclo inferior
• O ciclo combinado tem rendimento maior do que o rendimento dos ciclos
individualmente
• A sua utilização para a geração elétrica vem sendo cada vez mais usado por razões
econômicas.

19

Ciclo superior Eficiência térmica do ciclo


combinado

Balanço de massa e energia para


o trocador de calor

Vazão mássica do gás


Vazão mássica do vapor
Ciclo inferior

20

10
16/10/2013

Exemplo de ciclo combinado

Dado:
W&ciclo = 45MW
Determinar:
W& gás = ?
W&vap = ?
m& gás = ?
m& vap = ?

21

Turbina a gás para a propulsão de aeronaves


As turbinas a gás são particularmente adequadas para a utilização em aeronaves
devido à sua razão potência líquida/peso.

Análise Termodinâmico
•Fluido de trabalho é o ar modelado como gás ideal.
•Processos do difusor, compressor, turbina e bocal são isentrópico.
•Não há perda de carga no compressor, assim pressão constante.

Turbo jato

22

11
16/10/2013

Equação do empuxo para tubo jato


Da 2ª Lei de Newton, a variação da quantidade de movimento do fluido, na entrada e saída
da turbina a gás, fornece o empuxo da máquina, que é dada por:
Fq = [ m& 5V5 − m& aVa ] = m& (V5 − Va )

onde se desconsidera a quantidade de combustível queimado.


Para vazão de massa constante ao longo do motor.
onde
m& V5 é o empuxo bruto e m& Va é o arrasto aerodinâmico.
Quando os gases não são completamente expandidos no bocal de saída haverá uma força
adicional
FP = A5 ( P5 − Pa )
onde
A5 é a área de saída do bocal propulsor.
O empuxo total será portanto,
F = Fq + FP = [m& 5V5 − m& aVa ] + A5 ( P5 − Pa )

Turbo jato com pós-queimador

• Este tipo de turbina possui um componente que injeta combustível na


saída da turbina, reaquecendo o ar-padrão pela sua queima no duto
adicional ao turbo jato. Com isso, a temperatura é elevado na entrada do
bocal, sendo esta energia térmica convertido em aumento de velocidade,
no bocal. Assim havendo um aumento de empuxo.
F = Fq + FP = [m& 7V7 − m& aVa ] + A7 ( P7 − Pa )

24

12
16/10/2013

Turbofan

•O turbofan surgiu de maneira a melhorar a eficiência de propulsão do motor


aeronáutico para velocidades subsônicas;
•Devido a uma menor velocidade de jato, o turbofan é mais silencioso do que os turbo
jatos;
•São utilizados em alta escala como turbinas de aviões comerciais;
•O empuxo é dado por 2 corrente de ar;
•Corrente fria: o ar escoa pelo Fan;
•Corrente quente: o ar escoa pelo compressor, combustor, turbina e bocal (Turbo
jato);
•As correntes quente e fria podem sair da turbina sendo misturados ou não;
•Correntes misturando-se na saída faz o papel de um pós-queimador,
aumentando a velocidade de saída (empuxo) sem a necessidade de um segundo
combustor.
25

Equação do empuxo para tubofan

Turbinas turbofan são usualmente descritos em termos da razão de bypass, B, que é


dado por:
m
B= c
mh
Assim,
mB , m , m = mc + m h
mc = mh =
B +1 B +1
Portanto, o empuxo é dado por

F = (mcV8 + mhV6 ) − mV1

26

13
16/10/2013

Turbofan pós-queimador

•A mistura das correntes de ar frio e


quente antes de escoar pelo bocal tem
a função de um pós-queimador
(aquecendo a corrente de ar fria)
aumentando o empuxo do turbofan

As equações necessárias para nos fornecer o empuxo de um turbofan pós-queimador


Do balanço de entalpia:
m& c c pcT02 + m& h c phT06 = m& c pT07
Conservação da massa:
m& = m& h + m& c
Balanço de momento
(mcV2 + p2 A2 ) + (mhV6 + p6 A6 ) = (mV7 + p7 A7 )
Assim o empuxo será,
F = [m& 7V7 − m& aVa ] + A7 ( P7 − Pa )
27

Turboélice (turboprop)

• As turboélice são semelhantes as configurações de turbinas com potência


de eixo;
• As turbinas não possuem bocais na saída do componente turbina;
• O compressor aciona o gerador de gás e a hélice, em qual a hélice é
acionado por um sistema de redução mecânico com uma variação
automático da relação de rotações;
• A força motriz deste motor é produzido 90% pela hélice e 10% pelos gases
de expansão.

TP = ( SP)η pr + FCa

em que: TP: Potência de empuxo, SP: Potência de eixo, F: Empuxo e


Ca: Velocidade ambiental, η pr = rendimento da hélice.
28

14
16/10/2013

Ramjet

• Pode ser particularmente bem utilizado em aplicações que requeiram motores


simples e pequenos, mas com grande velocidade (como mísseis);
• Para o operar aeronave já deve estar em vôo à alta velocidade, Mach > 3;
• Num motor ramjet, que é utilizado em velocidades de vôo elevadas, a pressão
do ar na entrada de ar é suficiente para dispensar o compressor e a turbina
utilizadas no motor a jato;
• Um ramjet é basicamente um dispositivo muito simples que compreende uma
entrada de ar, um combustor, e um bocal;

29

Ramjet

• Na entrada do ramjet ocorre ondas de choque, que são acumulo de ondas


de pressão, devido a velocidade do ramjet ser maior que a do som.
• Na entrada do ramjet, após a onda de choque, há um aumento de
pressão uma redução da velocidade até a parte mais estreita do cone,
posteriormente havendo um aumento de temperatura e pressão devido a
combustão. Por último essa energia é convertida em aumento de
velocidade no bocal possibilitando um alto empuxo.

30

15
16/10/2013

Regime de operação das turbinas


A figura abaixo indica o regime de trabalho das turbinas para aviões civis e
militares.
Em que:
V
Ma =
Vsom
Ma: Número de Mach
V: Velocidade do avião
Vsom: Velocidade do som

A velocidade do som varia com a


temperatura do ar pela seguinte
equação:
Vsom = 331,4 + 0,607 ⋅ T
Para T entre -30°C e +30°C
Onde a Vsom em m/s e T em °C

31

16