Você está na página 1de 87

hops

um guia para novos produtores


FirstEdition 2 0 1 7

Autor: Kevin Dodds

www.dpi.nsw.gov.au
hops
um guia para novos produtores
Kevin Dodds
Diretor de Desenvolvimento - frutas de clima temperado
Departamento de indústrias primárias NSW
© Departamento de Indústrias Primárias de 2017 NSW
Publicado pelo Departamento de Indústrias Primárias, uma parte
da Department of Industry, Habilidades e Desenvolvimento
Regional NSW NSW
Você pode copiar, distribuir, exibir, fazer download e de outra
forma livremente lidar com esta publicação para qualquer
finalidade, desde que você atribui Departamento de Indústria,
Habilidades e Desenvolvimento Regional NSW como o
proprietário. No entanto, você deve obter permissão se quiser
cobrar os outros para o acesso à publicação (que não seja a
custo); incluem a publicidade publicação ou um produto para
venda; modificar a publicação; ou republicar a publicação em
um site. Você pode ligar gratuitamente para a publicação em
um site do departamento.
Publicado pela primeira vez março 2017 Sempre leia o rótulo
ISBN de impressão: 978-1- Usuários de produtos químicos agrícolas devem sempre ler
76058-007-0 o rótulo e qualquer licença antes de usar o produto e
web: 978-1-76058-008-7 cumprir rigorosamente as instruções no rótulo e as
condições de qualquer licença. Os usuários não são
número de trabalho 14293 absolvidos de qualquer conformidade com as instruções do
rótulo ou as condições da licença por motivo de qualquer
Autor declaração feita ou omitida a ser feito nesta publicação.
Kevin Dodds, Desenvolvimento Oficial temperadas
Frutas Departamento de Indústrias Primárias NSW Agradecimentos
64 Fitzroy Street Tumut NSW 2720 Telefone 02 Eu reconheço o apoio financeiro prestado pelo governo
6941 1400 australiano através do Programa de Diversificação Econômica
Regional Murray Darling (MDBREDP). Agradeço ao Batlow Fruit
Disclaimer (NSW DPI) Co-operatório limitada por convidar-me e o Departamento de
A informação contida nesta publicação é baseada no NSW de Indústrias Primárias (NSW DPI) para se juntar à equipe
conhecimento e compreensão no momento da escrita de investigação para o 'Projeto de Diversificação Batlow Hops'.
(Março de 2017). No entanto, por causa de avanços no
conhecimento, os usuários são alertados para a necessidade de Fotografia
garantir que as informações de que dependem é até à data e para imagens de terceiros utilizados nesta publicação são
verificar a atualidade das informações com o funcionário do reconhecidos em conformidade. Todas as outras imagens
Departamento de Indústrias Primárias NSW ou o usuário do foram tiradas pelo autor Sr. Kevin Dodds (NSW DPI).
independente conselheiro.
Os nomes comerciais de produtos nesta publicação são Financiamento
fornecidos no entendimento de que nenhuma preferência Este manual é um produto da 'projeto de diversificação
entre produtos equivalentes se destina e que a inclusão de Batlow Hops', que foi financiado pelo Departamento do
um nome do produto não implica o endosso pelo Governo Australiano de Infra-estrutura e Desenvolvimento
departamento sobre qualquer produto equivalente de outro Regional, através do Programa de Diversificação Econômica
fabricante. Regional Murray Darling (MDBREDP).
Reconhecendo que algumas das informações contidas neste
documento é fornecido por terceiros, o Estado de New South
Wales, o autor ea editora não assumimos qualquer
responsabilidade pela exatidão, moeda, confiabilidade ou
exatidão de qualquer informação incluída no documento
fornecido por terceiros .
ii | AUTOR:KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Conteúdo
23 gerenciamento de pátios Hop
23 etapas e atividades de crescimento calendário
crescimento da mola 24 Managing
1Preface
27 Pest, gerenciamento de doenças e plantas
3 Sobre lúpulo daninhas
3 Origens e espécies 30 Irrigação
3 Uma breve história do cultivo hop 30 Nutrição e fertilizantes
3 Botany 31 O azoto (N)
5 photoperiodism - comprimento dias, o 32 O potássio (K)
crescimento vegetativo e indução floral 32 Fósforo (P)
32 Oligoelementos
7 escolha do local
quintal Hop 7 Latitude 33 Colheita, transformação e comercialização
8 Winter frio 33 Pré-manutenção da colheita e planejamento da
8 Terrain colheita
9 Soil 33 Os meus saltos pronto para escolher?
9 Abrigo do vento 34 de colheita
disponibilidade 10 Água 36 Shed-picking e limpeza base
36 A secagem, condicionamento e enfardamento
11 variedades de lúpulo e
38 Armazenamento
propagação 11 lúpulo amargo
38 peletização
11 lúpulo Aroma
39 Comercialização de seus saltos
11 lúpulo propósito duplo
39 profiling Analítica de saltos
11 variedades populares crescido
internacionalmente 41 Hop recursos
12 variedades cultivadas na Austrália crescentes 41 Livros
13 Qual variedade para plantar? 41 sites
13 Status do vírus de planta 41 sites lúpulo australianos
13 pragas e doenças exóticas 41 As redes sociais
14 Trazendo plantas de lúpulo em NSW de outros
estados 43 Referências
14 Propagação

16 Hop projeto quintal e


estabelecimento 16 Trellis e
densidade de plantação
Preparação 19 Solo
19 Os sistemas de irrigação
20 Planting
20 Gerenciamento Precoce
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | iii
iv | AUTOR:KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Prefácio

A indústria Hops em todo o mundo está passando Referências sobre a produção de lúpulo na
por um período de expansão sustentada, em Austrália são difíceis de encontrar. Há uma série
grande parte como resultado do forte crescimento de excelentes livros e outras referências
no sector do artesanato cerveja. Mudanças nas internacionais já publicada em lúpulo e seu cultivo
preferências dos consumidores para cervejas em todo o mundo. Por isso, grande parte da
mais cheios com sabores, aromáticos, tem visto informação apresentada aqui é adaptado a partir
uma mudança no foco da produção de ácido alfa de fontes internacionais e de observações feitas
altamente competitivo para a criação de animais durante visitas de estudo dos EUA (agosto de
e produção de uma grande variedade de lúpulo 2015) e Nova Zelândia (Fevereiro de 2016), como
de aroma. parte deste projeto.
lúpulo de aroma estão desempenhando um papel Publicações utilizadas no desenvolvimento deste guia
fundamental no desenvolvimento de novos sabores são listadas na seção de referência. O objectivo deste
e os consumidores também estão impulsionando a guia é proporcionar aos potenciais produtores de
demanda por cerveja local usando ingredientes lúpulo no sul da Nova Gales do Sul, com algumas
produzidos localmente. Como a demanda do informações de nível de entrada para os ajudar a
consumidor e fabricação de cerveja artesanal começar nesta safra.
continuar a crescer nos próximos anos, o aumento Este é um primeiro guia de edição. Como
da demanda por aroma produzido localmente lúpulo nosso conhecimento e experiência de cultivo
deverá continuar. hop no sul NSW desenvolve, as edições
subsequentes do guia irá fornecer produtores
com as informações mais disponíveis
atualmente.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | 1
2 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Sobre lúpulo

Origens e espécies Um ex-presidiário, James Squires, conseguiu


produzir lúpulo em Kissing Point em Rio Parramatta
O lúpulo é um membro da família Cannabaceae. O
de Sydney no início de 1800. Squires disse ter
principal hop comercial (Humulus lupulus) é originário
das regiões temperadas do Hemisfério Norte e é uma
selecionado um ou mais bem-sucedidas plantas de
das três espécies no género Humulus. As espécies
lúpulo da descendência sementes importadas e
Humulus Japonicas menos conhecidas e H.
propagada vegetativamente a partir destes para
yunnanensis não são cultivadas comercialmente,
estabelecer uma bem sucedida de cinco-quintal hop
embora a primeira seja, por vezes, crescido como uma
acre (Pearce, 1976). Squires também foi creditado
instalação de triagem jardim. Pouco se sabe sobre a
com o estabelecimento primeira cervejaria da
espécie
Austrália no mesmo local em Sydney.
H. yunnanesis excepto que cresce a alta altitude e a O ano de 1822 marca o mais antigo registro
partir da latitude 25 ° N em partes da China. Esta confirmado de material vegetal vegetativo sendo
espécie pode ser de interesse para os criadores de trazido com sucesso para a Austrália a partir de
plantas no futuro para o desenvolvimento de Inglaterra. Estas plantas foram estabelecidas na
variedades que podem crescer produtivamente Tasmânia por emigrantes e experiente hop produtor
sobre uma ampla gama de latitudes. William Shoobridge. Na década de 1840, a indústria
O Humulus lupulus espécies engloba cinco do hop na Tasmânia foi bem estabelecida em torno
variedades conhecidas: 1. 2. Neomexicanus, e do vale de Derwent River.
Lupuloides
3. Pubescens, que são nativas para várias partes Botânica
da América do Norte, e 4. H. lupulus var. cordifolius A planta hop consiste de uma coroa de rizomas
que se origina da Ásia Oriental. abaixo do solo, bina escalada anuais acima do solo, e
O quinto variedade, H.lupulus var. lupulus, origina de flores que são colhidas como cones verdes.
Europa e Ásia Ocidental e representa a maioria dos A coroa rizoma
saltos comerciais cultivadas em todo o mundo. O
cultivo desta variedade é o foco principal desta O rizoma é o órgão de armazenamento perene
publicação. da planta. Alimenta-se o crescimento da copa
produtivo e garante a sobrevivência da planta de
Uma breve história do cultivo hop uma época para a outra. coroas maduros
normalmente têm algumas raízes penetram muito
cultivo Hop para uso na produção de cerveja, profunda e um sistema de alimentação radicular
originada no hemisfério norte e é relatado para voltar superficial. plantas de lúpulo pode permanecer
para a meados 700s AD na região de Hallertau da produtivo por muitos anos.
Alemanha. Na Inglaterra, a produção em escala
Um rizoma é essencialmente uma haste
comercial não ocorreu até o início do século 16.
subterrâneo com gomos e raízes. Como a coroa
Embora lúpulo europeus foram introduzidos na
hop amadurece e se desenvolve, alguns dos caules
América do Norte em torno de 1629, porque não
subterrâneos (rizomas) pode ser colhido e usado
estavam crescidos lá em escala comercial até o
como fonte de material de propagação clonal (veja
início dos anos 1800 (Neve, 1991).
as variedades seção hop e propagação na página
De acordo com Pearce (1976), depois de várias 11).
tentativas falhadas para enviar plantas vivas para
a Austrália do Reino Unido logo após a
colonização, as primeiras plantas de sucesso
foram produzidos a partir de sementes em Nova
Gales do Sul em 1803. Estas plantas iniciais não
impressionou, provavelmente porque o aberto-
sementes de polinização foram muito variáveis em
caráter e adequação dos locais de crescimento,
em termos de solo, água e clima, foram
questionável.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | 3
nível do solo

novo rebento

-tronco velho

nova raiz

Figura 1. Um exemplo de um jovem rizoma hop. A planta


hop sobrevive mais-inverno como um rizoma dormente.
Aqui está um exemplo de um rizoma de uma planta hop
jovem (Williams, Roberts e Coley-Smith 1961).

os bina
O termo bine é usado em vez de videira, porque,
(ao contrário de videiras que usam gavinhas a
subir) rebentos de lúpulo têm os cabelos em forma
de gancho que permitem a planta para juntar-se a
suportes verticais. Na primavera, novos brotos Figura 2. Quando visto de cima, hop bina crescer no
surgem de gemas dormentes sobre os rizomas, sentido horário e precisam ser treinados para as cordas
logo abaixo da superfície do solo. em sentido horário na primavera.

Quando visto de cima, bina crescer no sentido


horário em torno de seu suporte escolhido. Isso é As flores: masculino vs feminino
importante quando se trata de treinar o crescimento Lúpulo são dióicas, ou seja flores masculinas e
da nova temporada, como cada novo bine deve ser femininas são suportados em plantas separadas.
envolto em sentido horário para a string. Os bina Na produção comercial lúpulo, única (não
escalada fornecer a capacidade de copa e fertilizados sem sementes) cones de flores
fotossintética para apoiar a floração. femininas são desejado como estes produzir o
maior rendimento de lupulina (resina). plantas
masculinas são utilizados apenas quando os
criadores de plantas deseja hibridizam e
desenvolver novas variedades.
plantas masculinas são facilmente distinguidos das
fêmeas; os primeiros são rotineiramente abatidos a
partir do estaleiro hop para assegurar que os cones
(fêmeas) são colhidas un-polinizadas e as sementes
livre.
4 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
strig

bracteole

glândulas de lupulina

Figura 4. Cruz-seção de um cone hop fêmea madura


mostrando as glândulas de lupulina amarelas. Imagem
do cone hop (Var Krakanup.) Fornecido pela C & B
Butler - Lúpulo Ocidente.

Fotoperiodismo -
comprimento do dia,
crescimento vegetativo e
flor de indução
Fotoperiodismo refere-se a propensão de uma
planta para crescer e florescer em resposta a dia ou
da noite comprimento. O hop é uma foto-período -
planta sensível, o que é mais produtiva quando a
duração do dia assegura um bom crescimento
vegetativo e desenvolvimento dossel, então a
indução floral oportuna. A duração do dia é uma
função da latitude, e para o lúpulo, a gama de
Figura 3. As flores da planta fêmea (acima) e do latitude geralmente aceite para uma boa produção
macho (abaixo) são facilmente distinguidos no comercial é de 35 ° a 55 ° norte ou sul do Equador.
campo.
Quanto mais se mover para fora da gama óptima,
o mais provável que o crescimento da copa e / ou
O cone (strobile) da floração irá ser reduzida, tornando a colheita
menos comercialmente viável. Mais informações
Sobre
lúpulo

O cone hop é a flor fêmea madura que é


suportado no crescimento lateral atual temporada sobre latitude e lúpulo produção na NSW é
produziu ao longo das bina. O cone contém as fornecido na escolha do local quintal seção Hop na
gldulas de lupulina que produzem os ácidos alfa, página 7.
beta ácidos e óleos essenciais que as cervejeiras
valor para o seu amargor e propriedades
aromáticas. A maior parte da lupulina é produzido
em torno da base dos bractéolas dentro do cone
hop.

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS


PRODUTORES | 5
6 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
escolha do local quintal Hop

Estabelecer uma jarda hop é um investimento de A indústria em George, África do Sul está localizado
capital muito significativo. Há o custo da terra, fora da faixa de latitude máxima geralmente aceite.
criação de zonas infra-estrutura (incluindo postes, figura 1 mostra a localização das fazendas escala
fios e irrigação) e, claro, o seu tempo. Vale a pena hop comerciais existentes no sul-leste da Austrália.
tomar o tempo para selecionar um site que vai lhe Nos primeiros anos neste local, a produção
dar as melhores chances de fazer um retorno bem comercialmente aceitável só foi possível através da
sucedido do seu investimento. Alguns dos aplicação de iluminação suplementar, para
principais factores que determinam um local completar os níveis de luz do dia marginais. Mais
adequado para a produção comercial de lúpulo recentemente, um programa hop reprodução na
incluem (sem nenhuma ordem em particular): África do Sul selecionou uma série de novas
» latitude variedades que são mais adaptados a esta latitude,
ea produção comercial é agora possível sem
» frio do inverno
iluminação suplementar.
» terreno
» tipo de solo
35 ° S
» abrigo do vento
» Disponibilidade de água. Batlow

Latitude
Latitude é importante na produção de lúpulo, pois Melbourne
determina a duração do dia sazonal, que, em parte,
impulsiona os padrões de crescimento dossel e
tempo de indução de florescimento. A maioria dos
40 ° S
saltos comerciais do mundo são cultivados entre as
latitudes 35 ° e 55 ° norte. Hallertau na Alemanha e
Yakima nos EUA são as duas maiores regiões para
a produção mundial lúpulo, localizadas a 48 ° e 46 °
N N respectivamente.
produção hemisfério sul está centrado em torno Hobart
de Nelson, Nova Zelândia em 41,2 ° S; Myrtleford,
Victoria a 36,5 ° S; Vale Derwent, Tasmânia em
42,7 ° S, e George, África do Sul (SAF) em 33,9 °
Figura 1. Os centros de produção existentes hop
S. Há relatos de aumento da produção em partes
comercial no sul-leste da Austrália (indicado por
da América do Sul (Chile e Argentina), no entanto, círculos verdes).
os dados sobre a localização atual e nível de
produção não está prontamente disponível. Batlow, New South Wales (35,5 ° S) é um foco desta
publicação, como uma potencial nova área de
produção de lúpulo na Austrália. Em termos de latitude
e comprimento do dia, Batlow compara favoravelmente
com o Vale de Fornos em Myrtleford (Victoria), onde o
cultivo hop comercial tem sido bem sucedida desde a
década de 1890. Batlow é apenas um grau de latitude
norte do vale fornos e tem um horário de verão curva
anual que quase espelha o distrito de Vitoriana
produzir (verFigura 2).
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | 7
16.0 horas do dia Sem refrigeração adequada a quebra de dormência
Parque espesso pode ser insuficiente, resultando em crescimento da
42,7 ° S mola fraco e errático. o crescimento da Primavera
Myrtleford 36,6 ° vigorosa e sincronizado é vital para o bom
S desenvolvimento do dossel que,-por sua vez, irá
Batlow 35,5 ° S afectar a uniformidade de floração, rendimento e
maturidade cone. O requisito para a acumulação de
frio do inverno é amplamente aceito na indústria, no
entanto, os dados sobre temperatura limite e
12,0 requisitos mínimos de frio para a quebra de
dormência no sector do lúpulo publicada é difícil de
encontrar. Nos EUA, o lúpulo fontes de extensão
sugerem um limiar de temperatura de cerca de 40-
43 ° F (4,4-6 ° C) por um período mínimo cumulativo
de 30-60 dias.
8 Vale a pena notar que fatores como a resposta das
julho outubro Jan abril plantas à duração do dia e exigência frio do inverno,
Dia do ano são parcialmente determinada pela genética. Isto
significa que algumas variedades de lúpulo
Figura 2. Plano de horário de verão em três locais em (genótipos) vai crescer e produzir comercialmente
sul-leste da Austrália. Note-se a semelhança entre as curvas onde outros não podem, portanto,
para Myrtleford e Batlow, que são separadas por 1 ° de
vale a pena trialling uma seleção de variedades
latitude. (Fonte:
aa.usno.navy.mil/data/docs/Dur_OneYear.php) em seu site para encontrar aqueles que melhor se
adaptem à sua latitude e condições sazonais.

inverno frio Terreno


frio de inverno adequada é outro fator importante na A maioria dos mundo lúpulo produção ocorre em
escolha do local para o lúpulo. De acordo com plano a suavemente ondulado terreno. Isto é
Williams et al. (1961), dormência em lúpulo ocorre em porque os sites de nível simplificam a criação e
duas fases, o aparecimento de dormência e quebra de gestão da cultura para reduzir os custos
dormência. Em resposta ao encurtamento dias no fim operacionais. Há também é provável que seja um
do Verão e Outono, as plantas de lúpulo transição maior grau de uniformidade no tipo de solo,
para uma fase de repouso, que é caracterizada pela profundidade e drenagem em sites de nível em
morte gradual de rebentos e raízes finas e uma comparação com o terreno montanhoso. Em
transferência de reservas de alimentos para as raízes Yakima (EUA)Figura 3, Nelson (NZ), Victoria e
de armazenamento. Este é o início da dormência. Tasmânia, lúpulo são cultivadas principalmente em
apartamentos rio aluviais em vales abrigados,
enquanto a região Hallertau do Sul da Alemanha
seria melhor descrito como suavemente ondulada.

Figura 3. local quintal hop típica no Vale Yakima, EUA. A maioria dos saltos nesta área são plantadas em
profundidade, bem-solos arenosos drenados ao longo dos rios Columbia e Yakima.
8 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Solo
Lúpulo vai crescer com sucesso em uma
variedade de tipos de solo de solos arenosos de
luz para argila (Neve, 1991). No entanto, uma
textura leve, solos profundos, bem fornecido com
umidade, mas livre de alagamentos é considerado
ideal. Um solo fértil naturalmente também seria
preferível, no entanto, os níveis de nutrientes
inicial pode ser ajustada por meio de pré-
tratamentos de fertilizante de plantas, e no quintal
hop estabelecida, as aplicações de superfície ou
fertirrigação são empregadas para gerenciar
longo-nutrição prazo.
O pH do solo é importante, uma vez que pode afectar
significativamente a disponibilidade de nutrientes de
plantas; se não na faixa desejada, pode levar a
deficiências elementares ou toxicidade. É importante
saber o pH do solo e ajustar, se necessário, antes do
plantio. Mais informações sobre que altera o
pH e lúpulo fertilizantes é fornecido no Nutrition
Figura 4. Hops preferem um local protegido, longe de
seção e fertilizantes na página 30. ventos fortes. O vento pode causar cone-laterais tendo a
ser arrancada da bine afectar negativamente o
Abrigo do vento rendimento.
Lúpulo são sensíveis ao vento. A exposição ao
vento forte pode causar danos folha e alguma perda
de cone-tendo laterais, ambas as quais irão afectar
a saúde bine e rendimento (figuras 4 e 5). Do
florescimento à maturação, a exposição a ventos
quentes também pode afetar negativamente a
qualidade do cone. A preferência é para um site que
é protegido e relativamente livre de vento excessivo.
O lúpulo é comumente cultivada em vales de rios
onde a paisagem oferece a proteção necessária a
partir do vento. Serras ou montes situado entre o
local de produção e o clima predominante também
pode fornecer proteção. Se o seu site está propenso
a algum vento e não é naturalmente protegido,
considerar o uso de algum tipo de vento natural ou
construído-pausa. Isto pode assumir a forma de um
shelterbelt árvore ou um sistema de correios e mesh
(Figura 6).

escolha do local
quintal Hop

Figura 5. ventos quentes podem levar a queimada das flores de


lúpulo e
cones (Image: Shannon Silêncio).
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | 9
Figura 6. Um exemplo de um poste e malha shelterbelt num sítio que é de outro modo exposto ao vento.

Disponibilidade de água
O lúpulo é um profundo-planta enraizada, no entanto, a maior parte do sistema radicular alimentador
está localizado na parte superior da camada superficial do solo. Para um rendimento óptimo e
qualidade do cone, este sistema de raízes de alimentação tem de ser mantido húmido (mas não
saturado) durante períodos críticos de crescimento. Em áreas de moderada a baixa precipitação
anual, irrigações primavera / verão são essenciais para manter a umidade do solo adequada.
No sul do NSW, chuvas de primavera / verão é imprevisível e, como em muitas outras culturas
perenes, será necessária a irrigação suplementar no quintal hop. Acesso a um fornecimento confiável e
abundante de água para irrigação é, portanto, um fator muito importante é escolher um local para
crescer seus lúpulo (Figura 7).
Mais informações sobre irrigação set-up e aplicação é fornecida nas seções Hop projeto quintal e
estabelecimento (página 16) e gestão quintal Hop (página 23).

Figura 7. Uma fonte fiável de água para a irrigação é um factor vital na selecção do local.

10 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


variedades de lúpulo e
propagação
suas propriedades de aroma. A
variedade Cascade é um dos lúpulo
de aroma mais amplamente produzido
no mundo, o que resultou de um
variedades de lúpulo para fins de produção de programa de melhoramento público
mosto são frouxamente agrupados de acordo com executado pelo Departamento de
a sua percentagem de ácido alfa (amargor) e o Agricultura dos Estados Unidos.
teor de óleo essencial (aroma). Os termos usados
para identificar os principais grupos varietais são
amargas, aroma e dupla finalidade.

lúpulo amargo
É o ácido alfa contido no lupulina do cone de lúpulo
que dá cerveja sua amargura. Variedades
classificadas como lúpulo amargo, tipicamente têm
níveis de ácido alfa de
pelo menos 8-10% de seco-peso. Alguns lúpulo
amargo são classificados como lúpulo alta alfa,
porque eles têm níveis de ácido alfa tão
elevadas quanto 18%.
As variedades Columbus, Tomahawk® e Zeus,
referidos coletivamente como CTZ, são três dos
lúpulo amargo chave cultivados amplamente nos
EUA. The Pride variedade de Ringwood é a
variedade de amargor mais reconhecidas da
Austrália.

lúpulo de aroma
Um crescimento rápido e sustentado da indústria
cervejeira da cerveja artesanal no exterior e aqui na
Austrália está conduzindo uma forte demanda para
o lúpulo com sabores novos e interessantes. Aroma
lúpulo geralmente têm um teor de ácido alfa inferior
em comparação com variedades amargas. Os perfis
de óleo essencial dessas variedades significa que o
hop dá mais aromas e sabores à cerveja. lúpulo
sabor é um novo termo que está sendo usado para
descrever certas variedades que são semelhantes
em muitos aspectos, ao lúpulo de aroma, mas são
conhecidos para entregar um sabor particularmente
negrito.
Hop empresas produtoras e agências
governamentais de todo o mundo identificaram a
oportunidade para novos aroma e sabor lúpulo a
ser desenvolvido através do investimento em
programas de melhoramento de plantas. Tais
programas têm levado a algumas variedades de
muito sucesso protegidos por patentes, direitos de
marca registrada ou de plantas de variedades
(PVR).
O norte-americano variedade Citra® e variedade
New Zealand Motueka® são exemplos de
variedades criados privada e selecionados por
O corpo de pico para a produção de lúpulo nos
Estados Unidos da América é USA Hops. Esta
organização prepara um relatório estatístico anual
que contém dados sobre US produção doméstica
lúpulo dupla finalidade e lúpulo internacionais. Os EUA Hops relatório
Como o nome sugere, dual purpose lúpulo têm ácido alfa e estatístico 2016 é uma fonte útil de dados sobre
perfis de óleo essencial que os tornam ideal tanto para fins variedades produzidas nos EUA. É acessível
de amargor e aroma. Alguns exemplos populares de lúpulo através daEUA Lúpulo web site
dupla finalidade incluem Nelson Sauvin® (NZ), Centennial, (Www.usahops.org).
Chinook e Simcoe® (todo o EUA). tabela 1 lista as 10 principais variedades
atualmente plantadas em os Estados Unidos. Esta
variedades populares lista nos dá uma visão para a gama de tipos de
variedades principais cultivadas pelo maior nação
crescido produtora. É claro que, para atender a demanda da
internacionalmente indústria cervejeira e os seus consumidores, uma
A Convenção Growers Internacional Hop (CICL) mantém mistura de amargor, aroma e lúpulo dupla
uma lista abrangente de variedades de lúpulo cultivadas no finalidade são cultivadas.
mundo. O CICL é um membro-organização baseada com o
principal objetivo de salvaguardar os interesses comuns dos
produtores de lúpulo e comerciantes hop. Suas atividades
não são-política e se concentrar principalmente sobre o
reforço dos aspectos econômicos e técnicos de produção
hop.
2016 lista completa variedade CICL Hop inclui detalhes
para 247 variedades cultivadas pelas organizações
membros de 20 nações. A lista é muito grande para
reproduzir aqui, no entanto, ele pode ser acessado através
doweb site CICL (www.hmelj-giz.si/ihgc).

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS


PRODUTORES | 11
Tabela 1. Principais 10 variedades de área plantada nos EUA em 2016. Fonte: Convenção Internacional Hop Growers
(2016).
protecção das
Variedade ou marca Tipo Origem variedades vegetais
Cascata aroma EUA - USDA pública
Centenário dual EUA - WSU pública
programa de melhoramento
Citra®, HBC 394 aroma privada EUA Patente US
programa de melhoramento
Simcoe®, YCR 14 dual privada EUA Patente US
programa de melhoramento
Zeus amargo privada EUA
programa de melhoramento
Mosaic®, HBC 369 aroma privada EUA Patente US
Chinook dual EUA - WSU pública
programa de melhoramento Patentes dos EUA,
Summit ™ amargo privada EUA PVR UE
Pepita amargo EUA - USDA pública
Willamette aroma EUA - USDA pública

Variedades cultivadas na Austrália


Não existe uma lista abrangente de todas as variedades de lúpulo disponíveis para crescer na
Austrália. Somente aqueles que são cultivadas em escala comercial são identificados na lista
variedade mundo hop CICL (vermesa 2).

Tabela 2. variedades cultivadas comercialmente na Austrália, em 2016 (Fonte: www.hmelj-giz.si/ihgc/obj.htm)


protecção das
Variedade ou marca Tipo Origem variedades vegetais
Astra ™ sabor Austrália θ Ellerslie
Cascata aroma EUA ω
Centenário dual EUA ε
Grupo dual EUA ω
Ella sabor Austrália θ HPA *
Enigma sabor Austrália θ HPA
Galáxia sabor Austrália θ HPA
Helga aroma Austrália θ HPA
Melba ™ sabor Austrália θ Ellerslie
Pandora ™ sabor Austrália θ Ellerslie
Pride of Ringwood amargo Austrália
Spalter Select aroma Alemanha
verão sabor Austrália θ HPA
Super orgulho amargo Austrália θ HPA
Topázio sabor Austrália θ HPA
Victoria Secret sabor Austrália θ HPA
Willamette aroma EUA ω
θ programa privado de criação, variedade proprietry, ω USDA Pública, ε WSU Pública, * HPA = Hop Produtos Australia Limited

Existem actualmente dois grandes produtores de lúpulo em


Austrália, com a área total plantada estimada em
cerca de 600 hectares. Hop Produtos Australia Limited
(HPA) produz lúpulo em rio Derwent da Tasmânia
vale e no distrito de Fornos perto Myrtleford em
norte-leste Victoria, enquanto Ellerslie Hops tem a sua
hop jardas em Myrrhee perto de King Valley em Victoria.
Ambos HPA e Ellerslie Lúpulo executar reprodução privada /
programas de seleção que produziram alguns localmente
e internacionalmente reconhecido e registrado hop
variedades. Estas empresas controlar de perto a produção
de suas variedades.
12 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Existem mais variedades na Austrália do que aqueles Status do vírus de planta
listados pelo CICL em mesa 2. No entanto, não existe
Lúpulo são susceptíveis a uma série de vírus de
actualmente nenhum sistema no lugar para certificar a
plantas e viróides, incluindo viróide Hop duplos, Hip
origem ou a identificação dessas variedades, nem há
viróide latente e o vírus do mosaico da maçã mais
qualquer exigência para os fornecedores de material
comuns, alguns dos quais estão presentes na
de plantio hop para certificar o estado de saúde de
Austrália (Crowle 2010; Crowle et ai 2003;.
seus plantas. variedades de código aberto listados por
Pethybridge 2000). Estes vírus podem afectar
vários fornecedores (pequena escala) para venda na
significativamente o crescimento e rendimento das
Austrália incluem, mas não estão necessariamente
plantas.
limitados a, o seguinte:
Nos EUA, a fonte de produtores de vírus
» Desafiador
certificadas-material de plantio hop livre através de
» Chinook programas como a Rede Limpo Planta Nacional da
» Grupo Universidade Estadual de Washington, Prosser.
» East Kent Golding Nenhum desses programas públicos de lúpulo
» Fuggle existem atualmente na Austrália e no Estado do
vírus de aberta-fonte hop material de plantio no
» Cluster de ouro país é em grande parte desconhecido. Até um
» Goldings vírus certificada-fornecimento gratuito de plantas é
» Hallertau estabelecida, a propagação deve apenas
» Hersbrucker ser feito a partir de plantas parentais conhecidas
por terem um bom crescimento, produtividade e
» Kracanup
para ser livre de sintomas de vírus. Os
» Mount Hood compradores devem discutir o estado de saúde
» Pepita da planta com o seu fornecedor de berçário e, se
» Perle possível, inspecionar as plantas de origem no
campo.
» Precoce d'Bourgogne
O serviço de diagnóstico fitossanitário NSW
» Pride of Ringwood
DPI (PhDs) oferece um serviço de teste de
» Red Earth vírus para o lúpulo. Para mais informações
» Saaz contacte Atendimento ao Cliente no número
» Alvo 1800 675 623.
» Cascade Tasmânia
» Tettnanger
pragas e doenças exóticas
Na Austrália, temos a sorte de ser livre de algumas
» Viena ouro
das principais pragas e doenças hop do mundo,
» Willamette incluindo mofo hop downy e bolor hop em pó (figura
» Wuerttemberger 1). Estas pragas e doenças custar no exterior
No cenário mundial, algumas dessas variedades produtores milhões de dólares por ano em perda da
são considerados antigos e não mais colheita e as despesas de protecção das culturas.

variedades de lúpulo e
amplamente produzido, tendo sido substituída O Governo australiano Departamento de Agricultura
por novas variedades com características e Recursos Hídricos (goo.gl/jqbxr6) Regula e
preferidas pelos fabricantes de cerveja. administra material vegetal importação para a
Austrália. existem protocolos para importação legal propagação
Qual variedade plantar? e processamento de quarentena de rizomas
A demanda do mercado e desempenho cultivar em dormentes, estacas dormentes, sementes e
seu site irá conduzir a seleção variedade. Lúpulo tecidos-lúpulo cultivadas. Em 2010, o departamento
têm uma utilização final muito específico na concluiu uma revisão da política sobre a importação
fabricação de cerveja e usos alternativos são de Humulus material propagativo gênero em
menores, portanto, a demanda cerveja para seus Austrália: oRevisão da política: importação de hop
saltos é essencial. Aproveite o tempo para falar com (Espécies Humulus) de material de propagação
fabricantes de cerveja em sua área local e para para a Austrália (goo.gl/LHP8e7).
além de determinar quais variedades e hop É vital para o futuro da indústria na Austrália que as
características que eles estão procurando. pragas e doenças exóticas são impedidos de entrar no
variedades de lúpulo pode ser altamente variável país. O Governo australianobiossegurança Importação
no crescimento e produtividade em locais Condições website (goo.gl/bHiR5c) É um bom lugar
diferentes e nosso conhecimento do desempenho para começar se você deseja importar material vegetal
varietal no sul da Nova Gales do Sul está hop.
actualmente limitada a uma pequena plantação de
julgamento em um site em Batlow (estabelecida
2013). Recomendamos que novos produtores
avaliar variedades em seu próprio site antes de
empreender qualquer grande-investimento escala.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 13
Trazendo plantas de lúpulo em
NSW de outros estados
Movendo-se determinado material de plantas de
outros estados e territórios em NSW está sujeito a
regulamentações de biossegurança estaduais.
regulamentos semelhantes se aplicam ao movimento
de NSW para outras jurisdições. Dependendo da fonte
e natureza do material vegetal hop, certificação e pré-
tratamento pode ser necessária. Importadores e seus
fornecedores interestaduais precisam estar cientes e
respeitar, quaisquer regulamentos relevantes. Visite
abiossegurança NSW site ou ligue para 1800 084
881 para aconselhamento sobre trazendo material
vegetal hop em NSW.

Propagação
Com a excepção dos grandes produtores comerciais
mencionados anteriormente, propagação lúpulo na
Austrália parece ser em grande parte descoordenados.
Encontrar uma oferta, bom material vegetal de
qualidade limpa em quantidade comercial é um desafio
significativo para o novo produtor. Depois de identificar
a variedade correta para o seu mercado e localização
em crescimento, em-propagação fazenda é uma
maneira prática de upscale sua produção,
particularmente na ausência de um custo alternativo-
fornecimento eficaz.
Lúpulo não produzem verdadeiro para escrever a
partir da semente de modo que este método é
usado somente no melhoramento de plantas em que
a variabilidade genética seja valorizado. A
propagação vegetativa é essencial para garantir que
as plantas resultantes são clones da matriz
escolhido. As plantas novas são produzidos
principalmente por rizomas dormentes recolhidos a
partir da coroa madura nos meses mais frios (Figura
2) Ou estacas verdes de crescimento estações atual
na primavera / verão (Figura 3 e 4).

Figura 1. É vital que as doenças das plantas exóticas


tais como Hop Oídio são impedidas de entrar na
Austrália. Na foto é folhagem com sintomas da doença
(acima) e danos aos cones de lúpulo (abaixo) causada
por macular Hop Oídio de Podosphaera (Imagens: David
Gent, USDA Agricultural Research
Service,Bugwood.org).

Figura 2. estacas rizoma dormentes permitir que o


cultivador, em
meses mais frios, para se propagar de coroas estabelecidos
de alta
plantas-mãe desempenho (Image: Haydn Smith).

14 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


Rizomas são brotos subterrâneos que podem ser
podadas da coroa, cortados em seções e plantadas
diretamente no quintal hop, ou encapsulados e
adultos-na na estufa. estacas de rizomas, como a
mostrada naFigura 2 são idealmente 110-160 mm
de comprimento com um diâmetro de 15-20 mm e
um mínimo de 2 nós (Rybáček 1991). A propagação
por rizomas é um tanto limitado pela quantidade de
material de fonte adequada à disposição do
cultivador ou viveiro.
propagação de madeira macia por corte verde é um
método eficaz para multiplicar-se rapidamente as
plantas de lúpulo (Figura 3):
1. tome única-estacas bud na primavera e verão
uma vez o crescimento da nova temporada tem
desenvolvido o suficiente para ter gemas
axilares viáveis em cada um dos nós folha.
2. Definir as mudas em bandejas ou tubos com uma
media de propagação adequada e levar em casa
de vegetação sob nebulização até que
Figura 3. estacas verdes tiradas na primavera e início do desenvolvam raízes.
verão pode ser um método eficaz de propagar um grande 3. Transferência enraizada estacas em potes para
número de novas plantas durante a estação de ser cultivadas em no berçário.
crescimento.
4. estacas rizoma da planta ou novas plantas
na primavera seguinte, uma vez que o risco
de geada severa já passou.

variedades de lúpulo e
propagação

Figura 4. início de temporada estacas verdes pode ser definido em bandejas em uma casa de propagação sob
nebulização, em seguida, transferidas para vasos individuais a ser cultivada-em.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 15
Hop projeto
quintal e
estabelecimento
Principais decisões e atividades no estabelecimento sistemas de cultivo pode variar em altura
de um novo pátio hop, além do local e variedades superior, o espaçamento, espaçamento, número
(já cobertas), são: de cordas e espaçamento bine de acordo com a
»» sistema de treliça localização, a variedade e método pretendido de
»» densidade de plantação (espaçamento de linhas e planta) colheita.
»» preparação do site vigor variedade e condições de crescimento determinar
o quão alto as suas lúpulo vai crescer e,
»» sistema de irrigação
consequentemente, ditar o que a altura superior de
»» plantio
seus treliça precisa ser. plantas de lúpulo precisa altura
»» tratamento precoce. treliça suficiente para permitir que os bina para
completar o seu crescimento anual de extensão e
Trellis e densidade de plantação terminar sem crescer muito além do fio superior. O
conhecimento local / experiência será necessária para
O sistema de formação mais comum usado para a
determinar a altura ideal para as suas treliça. As
produção hop em todo o mundo é a V- treliça (As
primeiras indicações para o distrito Batlow de NSW
Figuras 1 e 2). Outros sistemas, tais como os baixos
para as variedades de Cascade e Chinkook em um V-
(treliçaFigura 3), Foram testadas, mas não são
treliça com duas cadeias por planta, são que uma
amplamente adoptados devido aos menores
altura treliça de aproximadamente 5 m pode ser
rendimentos por acre plantado ou hectare. Trellis e
apropriada. Contudo, a experiência mais local é
necessário para confirmar isso com certeza.
Figura 1. Na Nova Zelândia, V-espaçamento entre linhas treliça é geralmente mais estreita do que nos EUA
e a altura do fio de topo está reduzida a cerca de 5 m.

16 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


Topo altura em todo o mundo varia tipicamente O V-treliça também é comum em jardas hop comercial
entre 4 m e 6 m para V-treliça, ou 3 a 4 m para um australianos existente com a altura superior e
baixo treliça. O comprimento do cone-tendo laterais espaçamento similar ao da Nova Zelândia. Algumas
difere também por variedade e isso, em parte, jardas hop comerciais na Austrália utilizar uma única
determina o espaçamento apropriado entre as corda sistema de plantio retangular pensado para ser
estabelecida em uma linha 2 m× 1,8 m de
plantas e os talos flexíveis.
espaçamento planta. Como todos os sistemas de
No Estado de Washington (EUA), os produtores treliça, esta abordagem necessita de validação local
comerciais usam principalmente a V-treliça ( Figura antes de estabelecer plantações em larga escala deste
2 ) Com uma altura máxima de cerca de 6 m e um projeto.
espaçamento de 3,5-4,0 m, enquanto que na Nova
Zelândia a V-treliça (figura 1) Altura máxima é cerca
de 5 m e espaçamento das linhas é de cerca de 2,5
m.

Figura 2. A 6 m V-treliça em copa cheia imediatamente antes da colheita (Yakima, EUA).


Os fios transversais que ligam as linhas fortalecer a treliça e apoiar fios folhagem ao longo
da linha.

Hop projeto quintal e


estabelecimento

Figura 3. Um exemplo de um 3 m baixa treliça (sebes vivas) sob teste nos EUA.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 17
espaçamento ideal ao longo da linha depende do A V-treliça incorpora pólos de apoio ao longo da
número de cordas de treinamento usados para cada fileira plantada. Estes pólos também alinhar nas
coroa e comprimento crescimento lateral da variedade. linhas. Os cabos são ligados aos topos dos postes e
Não existe uma regra difícil determinar espaçamento correr ao longo e através do pátio hop. Todos os
entre plantas na linha; experiência local irá cabos são tensionados e ancorado nas
desempenhar um papel significativo nesta decisão. O extremidades de linha e os lados do quintal hop.
espaçamento das plantas em V-blocos treliça na Para cada linha plantada, dois fios folhagem estão
grande hop-países produtores varia de cerca de 0,8 m ligados aos cabos de extremidade da fileira, com
a 1,5 m. O objectivo é fazer crescer um dossel que uma colocada em cada lado da linha plantada. talos
maximiza o espaço disponível, permitindo alguma flexíveis de lúpulo são cultivadas em cordas que
penetração da luz em torno dos talos flexíveis.tabela 1 estão ligados aos fios de folhagem e ancorados na
mostra típica linha e espaçamento entre plantas para linha plantadas formando o dossel V.figuras 4 e 5
vários países, regiões e sistemas de treliça. mostrar o layout típico de um comercial-V escala-
treliça.
Tabela 1. linha típica e espaçamento em vários lúpulo-regiões produtoras do mundo (Oldham 2016; Koren 2007; Rybáček 1991).
crescimento
País Região dominante espaçamento típico espaçamento típico
ao longo da linha
sistema* entre as linhas (m) (m)
Alemanha Hallertau V-latada 3.2 1,3-1,7
EUA Estado de Washington V-latada 4.0 0,9
República
Checa Saaz, Trschitz e Auscha V-latada 3,0 1.0
Reino Unido West Midlands e sul-leste treliça 2D baixos 2,5 0,6-0,9
Nova Zelândia Nelson V-latada 2,5 1,2

Nota: A abertura do V-sistemas de latada varia consideravelmente de país para país, com diferenças de espaçamento entre
linhas.
V-copa treliça no estado de Washington, EUA são muito mais amplas do que aqueles na Alemanha ou Nova Zelândia.

direção fileira

Figura 4. Uma possível quintal hop plano de projeto que mostra a distribuição de mensagens, cabos, fios, fica e
âncoras.
Postagens âncoras de solo fio cabo
18 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Figura 5. Imagem de um recém-criada 6 m V-quintal hop trellised mostrando a distribuição pólo, cabos, fios
folhagem e montagens finais (Yakima, EUA).

Para o produtor hop novato, uma escala comercial Hops preferem um solto, bem-solo drenado. Cultivo
V-trellised quintal hop como a mostrada na Figura antes do plantio irá garantir que as plantas de
5, Podem aparecer mais-manipulado. No entanto, a lúpulo que desfrutar do melhor estrutura do solo
postes, cabos e âncoras são todas as possível para um bom crescimento e
características essenciais de design que garantam estabelecimento. cultivo profundo, ou rasgando, é
a estrutura é capaz de suportar o peso significativo recomendado em solos com um sub-camada de
do dossel e de culturas, especialmente durante argila do solo, ou pan duro, pois isso irá ajudar a
condições de vento ou de tempestade. drenagem e a penetração das raízes. Amontoando
Durante a fase de planejamento, os novos a linha plantada também pode ajudar a melhorar a
produtores de lúpulo deve visitar plantações de drenagem, se necessário em seu site. Esta prática
lúpulo em vigor na sua área para obter uma é comum em sites de solo aluvial plana em todo o
compreensão prática dos componentes e treliça mundo.
layout. Há também inúmeras fontes na internet
Sistemas de irrigação

Hop projeto quintal e


com instruções para projetar e construir hop-
treliças quintal. No sul de NSW, a irrigação será essencial. Os dois

estabelecimento
sistemas de irrigação mais comuns atualmente em
preparação do solo uso em jardas hop comerciais são de gotejamento e
Um teste de solo deve ser o primeiro passo na sistemas aéreos. Cada tipo tem suas vantagens e
preparating seu site. Um teste do solo completo, desvantagens ea escolha vai depender do seu
incluindo pH, carbono orgânico e análise elementar terreno pretendido-gestão baseada quintal hop.
irá fornecer informações vitais para fazer os ajustes sistemas aéreos montado sobre os postes de
necessários durante o cultivo. O lúpulo é latada (Figura 6) São comuns na Nova Zelândia,
profundamente enraizada, por isso é que vale a onde produtores de lúpulo gostam de pastar as
pena superior separado-solo (0-15 cm) e sub-solo ovelhas entre os bina.
(15-90 cm) para amostras de teste. A amostra de Definir a irrigação acima da cultura remove o risco
solo irá dar uma boa indicação da fertilidade do solo dos animais causando danos aos tubos e
em geral; a amostra subsolo ajudará a identificar emissores. Esta abordagem também mantém a
potenciais problemas como acidez e possíveis linha plantado clara de tubos de irrigação,
toxicidades. simplificando as atividades de gerenciamento de
solos sul NSW muitas vezes pode ser ácido e rotina, como poda de primavera.
naturalmente pobres em fósforo. Estes problemas são
melhor corrigida antes de plantar quando você tem a
oportunidade de incorporar as alterações como a cal e
superfosfato. Pré-plantio é também um bom momento
para adicionar e incorporar matéria orgânica, se
necessário. Mais informações sobre a alteração do pH
é fornecido na gestão quintal seção Hop na página 23.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 19
plantio
Na primavera, planta lúpulo como estacas rizoma,
ou estacas enraizadas da anterior primavera /
verão. Para estacas rizoma, é usual para colocar
mais do que um corte em cada cova de plantio
para maximizar a taxa de greve, produção precoce
e minimizar lacunas improdutivas no quintal hop.
estacas rizomas podem ser plantadas verticalmente
ou horizontalmente assegurar que quaisquer botões
existentes estão voltadas para cima. plantio manual
é de trabalho-intensivo, mas prático quando se
trabalha entre os postes de latada estabelecidos.
Adicione um sulco, através da inserção de uma pá
para a tira ou montículo cultivado e fazendo rodar a
pá para trás e para a frente. Inserir as estacas no
sulco e substituir o solo circundante, que cobre a
parte superior das estacas com aproximadamente
50 mm de solo. Firme o solo sobre as estacas,
usando seu pé.
Planta mudas em vasos dormentes ou menos ao
mesmo tempo como estacas rizoma. Se você está
plantando crescendo ativamente mudas em
vasos, tomar cuidado para evitar geadas da
Primavera.

tratamento precoce
crescimento saudável encorajador é a prioridade na
primeira temporada após o plantio. gerenciamento de
umidade do solo, nutrição, pragas / manejo de plantas
daninhas e formação bine todos contribuem para
estabelecer com sucesso o quintal hop.
Monitorar a umidade do solo, pelo menos
diariamente, e ter certeza que seu sistema de
irrigação está pronto para ser executado desde o
primeiro dia após o plantio. É melhor para regar
freqüentemente com períodos mais curtos, mantendo
o solo úmido, mas não saturado.
Pré-resultados do teste do solo fábrica vai ajudar a
orientar suas necessidades iniciais de fertilizantes.
Figura 6. sistemas aéreos (acima) e sistemas de azoto (N) é um nutriente essencial para o
irrigação por gotejamento chão (abaixo) tem suas crescimento vegetativo forte. Fontes nos EUA
próprias vantagens e desvantagens. recomendar primeiras adições ano, totalizando 85
kg
sistemas de irrigação por gotejamento são mais
de N real por hectare (Gingrich et al., 2000). Se
eficientes do que os sistemas de água gerais e
fertirrigação é uma opção, dividir a quantidade total
permitir a aplicação orientada de fertilizantes
de azoto através de uma série de ciclos de
solúveis ou líquidas por fertigação. Utilizando
irrigação sobre a primavera e início do verão.
irrigação por gotejamento, de preferência a
irrigação por aspersão é cada vez mais comum Se fósforo no solo (P) foi alterado durante a
em, por exemplo, nos EUA, em que as doenças preparação do solo, ele não precisa ser
tais como oídio do lúpulo felpudo e míldio adicionado após o plantio na primeira temporada
pulverulento hop estão presentes. Austrália não de crescimento. Considere o estado ea
tem esses patógenos, mas a eficiência e necessidade de adições de outra chave de
fertirrigação vantagens de irrigação por crescimento-nutrientes limitantes incluindo
gotejamento significa que é provável a ser adotada potássio, zinco e boro.
em NSW lúpulo em detrimento de sistemas gerais. manejo de plantas daninhas reduz a competição
Independentemente de qual sistema de por umidade do solo e nutrientes disponíveis.
irrigação que você escolher, ele deve ser Para pequenos estaleiros hop, remoção manual
instalado e pronto para uso a partir do dia da de ervas daninhas (chipping) poderia ser uma
plantação. opção. Considere mulching as plantas de lúpulo
jovens, que não só irá suprimir o crescimento de
ervas daninhas, mas também irá ajudar a manter
a umidade do solo e construir carbono orgânico
do solo.
O controle químico é o custo mais-meios eficazes registrados ou permitidos para uso em NSW lúpulo.
de controlar as ervas daninhas. No entanto,
existem atualmente muito poucos herbicidas

20 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


Simazina é um pré-herbicida emergente com o
registo de etiqueta para o lúpulo em New South
Wales. Aplicar simazina (de acordo com as
instruções do rótulo) logo após o plantio para
reduzir nova emergência de plantas daninhas.
Outros herbicidas com registro em NSW são de
amplo espectro e não devem entrar em contato
com ativamente-o cultivo de plantas de lúpulo. Por
esta razão, abordar o seu uso com extrema
cautela.
Mais informações sobre produtos fitossanitários
registrados em NSW podem ser encontrados na
gestão quintal seção Hop na página 23.
Recém-hops plantadas levará 2-3 estações para
produzir um dossel comercial completa. Na
primeira temporada, treinar mais fortes bina hop
para apenas uma única string (Figura 7). Treinar
bina por envolvê-los para a corda no sentido
horário uma vez que atingem 60-90 cm de
comprimento. Reter lado mais fraco-atira a fim de
maximizar o dossel fotossintética das plantas
novas.

Figura 7. Na primeira temporada ou dois, uma única corda por planta


vai
ser suficiente para apoiar e incentivar o crescimento novo.

Hop projeto quintal e


estabelecimento
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 21
22 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
gerenciamento de pátios Hop

Crescimento calendário Nota: O crescimento BBCH fases 2 e 3 (a formação


de rebentos laterais e alongamento de talos
estágios e atividades flexíveis) ter sido comutado no nosso diagrama. Isto
Sabendo ciclo de crescimento anual de uma cultura é porque rebentos laterais ou laterais geralmente
nos ajuda a entender o timing das atividades de crescer após o alongamento de talos flexíveis,
gerenciamento de chaves sazonais. A planta hop é quando os rebentos alcançar os melhores fios e
acima do solo anuais e perenes abaixo. No outono e dominância apical é reduzida.
inverno, bina atual temporada morrer de volta ao Por graficamente relativo principais atividades de
nível do solo, enquanto a coroa permanece viável e produção de lúpulo a época do ano e crescimento
vai voltar-atirar na primavera. primário da planta estágios, podemos visualizar um
De acordo com a escala BBCH alemão publicado ano cheio de atividades na fazenda hop em uma
em Meier (2001), o crescimento anual da hop tem tabela look-up (tabela 1). Porque é possível armazenar
nove etapas. A seguinte lista e diagrama de fase lúpulo secas inteiras e lúpulo transformado embalados
de crescimento primário (figura 1) Foram por longos períodos, atividades como armazenamento,
adaptados para esta publicação, a partir da escala peletização, embalagem e comercialização podem se
BBCH. Nota: O estágio numeração crescimento estender por todo o ano. Outras atividades, como corte
primário e fim estágio foram alteradas a partir do primavera e formação de bina têm horários muito
original para refletir nossa compreensão atual do específicos no ciclo de produção anual conforme
ciclo de crescimento hop. identificado notabela 1.
1. brotando No quintal hop, o período entre o final de dormência
2. desenvolvimento da folha (agosto-setembro) para primavera (meados-Outubro) é
3. alongamento de talos flexíveis um tempo de preparação e renovação. o mid-
temporada período de outubro a janeiro centra-se na
4. formação de rebentos laterais
manutenção do crescimento bine ideal para apoiar a
5. flor surgimento produção de floração e cone. A última parte da
6. floração temporada a partir do final da colheita (mid-Março) à
7. desenvolvimento de cones dormência completa (julho)
é o momento menos ocupado no quintal hop, com
8. maturidade dos cones
atividades focado principalmente na manutenção,
9. senescência (início de dormência). propagação e alguns manejo de plantas daninhas
A escala BBCH completo para hop (não reproduzida em curso.
aqui) inclui sub-fases que permitem que os
produtores e pesquisadores para identificar com
mais precisão estádio fenológico da cultura.
Recomendamos que os leitores obter uma cópia da
escala BBCH completo para o lúpulo e considerar a
usá-lo em sua gestão e manutenção de registros.
Isto irá assegurar a consistência dos registos da
colheita a partir de uma estação para a outra de
acordo com a fase de crescimento da cultura.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS
PRODUTORES | 23
Figura 1. crescimento primário fases do lúpulo adaptado a partir do sistema BBCH.

Gerenciando o crescimento da Amarrando o quintal hop ocorre na primavera antes


que haja um crescimento significativo nova temporada,
Primavera ou imediatamente após a primeira descarga é aparado.
Na primavera, os primeiros brotos emergir da No período de estabelecimento (temporadas 1-3), o
coroa hop, tendem a produzir crescimento desigual produtor deve decidir quantas cordas para implantar
que, se treinados para as cordas, irá resultar em per coroa, a fim de otimizar o uso do espaço dossel
um dossel inconsistente. aparamento da Primavera disponível. Em novas áreas de produção, como Batlow,
da primeira onda de crescimento irá encorajar uma NSW esta decisão se tornará mais fácil, pois os
segunda onda de fortes brotos mais uniformes. produtores construir em seu conhecimento local.
Em todo o mundo, o aparamento da mola é Uma vez completamente estabelecida (4 ª
conseguida quer manualmente (com um terror) ou temporada em diante), o número de vagens por
com um herbicida dessecante tal como o paraquat + coroa será o mesmo de uma época para a outra.
diquat. Há, no momento, nenhum herbicida jardas hop maduros no estado de Washington, EUA,
registrado em NSW para esta finalidade, de modo tipicamente, têm três a quatro cordas por coroa,
corte manual é atualmente a única opção neste enquanto duas cordas por coroa parece ser mais
estado. comum na Nova Zelândia e Austrália.
plataformas trator desenhado (Figura 2) São
essenciais para os estaleiros hop maiores à
medida que aumentam a eficiência do trabalho
durante amarrando.
24 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Tabela 1: o tempo aproximado de chave actividades de gestão hop Sudeste Austrália
O tempo aproximado do ano - NSW sul *
out dez
agost sete ubr nove em fever estra abr
Mês o mbro o mbro bro Jan eiro gar il Maio junho julho
Semana
fase de crescimento BBCH

Leafdevelopm

Developmentof

Maturityofco

Senescência
Dormência

Dormência
cones
brotando

Floração
(aprox.)

nes
ent
Formação

flores
de bina do lado
brotos
Alongament
o

actividades de gestão
manutenção de irrigação
Propagação RC RC RC RC RC RC GC GC GC GC RC RC
manutenção Trellis
amostragem de solo
amostragem de tecidos
vegetais
controle de plantas
daninhas PE KD KD KD M M M M M M KD KD KD KD KD KD KD PE PE PE
Apare primeiros rebentos
Irrigação
fertilizar S S F F F F F F F F F F F F F
amarrando
bina treinamento
Pragas / monitorização + Controlo
de Doenças
PRODUTORES | 25
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS

Preparação para a colheita


Colheita
Processing / Limpeza / secagem /
enfardamento
armazenamento frio
Peletização / Embalagem
Marketing / Vendas
final Hop Yard of temporada
limpo-acima
Época em revista e um plano
para a frente
* sincronismo fase de crescimento com base no conhecimento atual de variedades de Cascade e Chinook no Batlow, NSW. Outras variedades podem ser mais cedo
ou mais tarde em seu desenvolvimento. estacas RC = rizoma, GC = estacas verdes, PE = pré-emergentes, KD = Knockdown, M = poda manual incluindo cultivo, F =
Fertigation, S = Superfície aplicada
gerenciamento de pátios Hop
Amarrar cordas hop ao fio superior e ancorá-los na
linha plantada ao lado da coroa. Nos EUA, os
produtores de usar um produto chamado o grampo W
(Figura 4), Que ancora a cadeia de lúpulo no interior do
monte usando um aplicador especial. Este método
mantém a área do monte claro de qualquer fio que
poderia interferir com pondo fim mecânico. Na Nova
Zelândia, onde primavera aparar
é feito quimicamente, os produtores de usar pinos de
arame Pigtail 'inseridos perto da coroa como âncoras
de corda (Figura 5).
peso da cobertura completa e cones. multi-cadeia coco ou corda
de sisal são opções adequadas.

Figura 2. Os produtores de lúpulo no uso tractor EUA-


plataformas desenhadas para reduzir os custos do
trabalho durante amarrando.

O tipo de cadeia utilizada é importante e encontrar o


produto certo nem sempre é fácil. Durante uma recente
visita de estudo da indústria do lúpulo na Nova
Zelândia, os produtores relataram dificuldade
terceirização de uma corda de fibra natural adequado e
foram em vez disso, usar um produto plástico, o que
causou alguns problemas devido à sua persistência no
quintal hop e interferência com máquinas.
Coir corda, feita de casca de sementes de coco, é o
produto de cordas tradicional favorecido por
produtores de lúpulo nas principais regiões
produtoras do mundo. Coir é forte, durável (ainda
biodegradáveis) e proporciona uma boa superfície
de escalada para os talos flexíveis de lúpulo (Eyck
& Gehring 2015). Podridão-corda de sisal prova
é mais comumente disponíveis na Austrália do
que fibra de coco e é uma alternativa viável
(Figura 3).

Figura 3. cordas de fibras naturais são preferidos, no entanto,


que eles devem ser suficientemente resistente para suportar o
Figura 4. grampo W e aplicador utilizado comumente no
EUA para ancorar cordas de lúpulo. Este método é Figura 5. Pigtail pinos são adequados para ancoragem cordas
preferido em jardas hop que usam arrasador mecanizada em situações onde o aparamento mola é feito à mão ou
para a guarnição da primavera, porque não deixa nada na pulverização.
linha que pode interferir com o equipamento.

26 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


formação Bine começa quando a segunda onda de
novo crescimento atinge cerca de 60 cm de LINHA
comprimento. Quando uma maioria de coroas PLANT DIRETA
PEST
desenvolveram brotos de um comprimento EXÓTIC AR
adequado, os trabalhadores passam por O 881
084
treinamento quintal hop dois ou três dos brotos
mais fortes em cada corda, envolvendo-os em
sentido horário. Se o novo crescimento temporada 1800
não é uniforme, múltiplas passagens podem ser
necessárias para completar a formação. Uma vez É vital que qualquer pessoa que pretenda importar
treinados, bina normalmente irá crescer ao longo da material propagativo hop (incluindo solos-rizomas
corda sem ajuda para o resto do período de gratuitos dormentes, estacas, culturas de tecidos ou
alongamento (Figura 6). semente), visita o governo australiano
Biossegurança condições de importação local na
rede Internet (goo.gl/cvQD2w).

Tabela 2. pragas de quarentena para o material de


propagação Humulus (extraída a partir de:
www.agriculture.gov.au/biosecurity/ risco-Análise /
planta / lúpulo / final_hops_review)

ARTRÓPODOS
Coleoptera
Prionus californicus (Motschulsky): prionus Califórnia
Lepidoptera
Grapholita delineana Walker: broca do cânhamo
hydraecia micacea Esper: traça rústica Rosy
immanis Hydraecia Guenée: Hop broca videira
Ostrinia nubilalis (Hubner): broca do milho Europeia
PATÓGENOS
fungos
macular de Podosphaera (. Wallr) U. S. Braun & Takam:
Hop oídio
Pseudoperonospora humuli (Miyabe & Takah.) GW Wilson:
Hop míldio
albo Verticillium-atrum Reinke & Berthold (cepa hop):
Hop murcha
Verticillium dahliae Kleb: (estirpe hop)
fitoplasmas
Candidatus Fitoplasma asteris: doença proliferação shoot Hop
viróides
Figura 6. Stringing e formação bine são duas das Fruta de Apple dobra apscaviroid (AFCVd) (cepa
operações mais intensivas de trabalho realizadas na hop): doença dobra fruta maçã

gerenciamento de
primavera. Hop golpe hostuviroid (HpSVd) (cepa hop): doença golpe Hop
vírus
vírus do mosaico de alfafa (AMV) (estirpe hop): mosaico pátios Hop
Pragas, doenças e manejo de plantas alfalfa
daninhas hop americano vírus latente (AHLV): doença latente Hop
vírus do mosaico Arabis (ArMV) (cepa hop): Hop nua-
Pragas e doenças pressão em jardas hop
madressilva
australiano é muito baixa, em comparação com
leaf roll virus da cereja (CLRV): folha de cereja vírus rolo
países como os EUA. A maioria dos prejudiciais hop
Humulus vírus latente japonicus (HJLV):
pragas, doenças e vírus do mundo atualmente não
Humulus doença latente japonicus
existe aqui. Não há agentes patogénicos
Petunia asteróide vírus do mosaico (PetAMV):
significativos ou generalizados folha que afetam Petunia doença do mosaico do esteróide
atualmente lúpulo na Austrália. Assim, também não ringspot virus latente morango (SLRSV):
há fungicidas registrados ou permitidos para uso em ringspot virus latente morango
lúpulo em qualquer lugar na Austrália. vus da necrose do tabaco (Isolado de lúpulo): doença de
necrose Tabaco
Em 2010, o governo australiano realizou uma
revisão da política sobre a importação de material nematóides
propagativo hop. mesa 2, Extraído do documento de Ditylenchus destructor Thorne: nematóide batata
revisão, lista as pragas quarentenárias-chave para tubérculo
lúpulo cultivadas na Austrália. Novos e existentes Heterodera humuli Filipjev: nematóide de cisto Hop
produtores de lúpulo devem familiarizar-se, tanto
quanto possível com estas pragas quarentenárias,
ser vigilante e relatar quaisquer incursões suspeitos
à planta exótica Pest Hotline, 1800 084 881.
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 27
Pulverização para controlar doenças e pragas é uma
atividade de gerenciamento regular em jardas hop
EUA. produtores maiores têm frotas de ar-
pulverizadores explosão pronto para aplicar
fungicidas e inseticidas durante todo o período de
crescimento (Figura 7). Culturas despesas de
proteção e culturas perdas de danos causados por
agentes patogénicos, tais como hop em pó custo
mofo norte produtores do hemisfério milhões de
dólares todos os anos.

Figura 8. Dois-adultos de ácaros manchado.

Figura 7. ar típica-pulverizadores explosão usados nos


EUA para aplicar fungicidas e inseticidas. pulverizadores
dossel não são comuns em jardas hop Austrália e Nova
Zelândia devido a pragas mínimos e doenças.

Dois-ácaro rajado (Figura 8) (TSM) e várias


lagartas (incluindo traça maçã marrom claro e
Heliothis) são as pragas mais provável de ocorrer
em lúpulo cultivadas em NSW e outras partes da
Austrália. Atualmente não há substâncias químicas
registadas ou autorizadas em NSW para controlar
essas pragas.
No caso de TSM, controle biológico é, por vezes,
possível com populações residentes de predador Figura 9. Phytoseiulis persimilis predadores que se alimentam de
adultos TSM.
ácaros e outros insectos benéficos. o predatória
mite persimilis Phytoseuilis (Figura 9) está
disponível
para compra e liberação contra TSM. Consultar
sua biografia-fornecedor de controle para mais
informações sobre o uso
P. persimilis no sector do lúpulo. Os produtores
devem monitorar seu
hop jardas semanais durante a estação de
crescimento para
determinar se, e quando, a intervir para controlar
dois-ácaro manchado. Não há atualmente apenas
um acaricida
ingrediente ativo registrado para uso em jardas hop
em
NSW - Abamectina.
TSM alimentam-se principalmente na parte
inferior da folha de lúpulo, causando um
bronzeamento visível na superfície superior
(Figura 10).
sintomas Figura 10. Folha de dois-infestação de ácaros
manchado
(Imagem: David Gent, USDA Agricultural Research Service,
Bugwood.org).

28 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


maçã castanho claro traça (LBAM) é uma folha
nativa-lagarta rolo que ocasionalmente se alimenta
de folhas de lúpulo. Danos causados por LBAM
geralmente é esporádica e pode não valer a pena
tentar controlar. Atualmente não há opções de
pulverização registrados para o controle de LBAM
em NSW lúpulo.

Figura 13. discos de cultivo nos EUA para aparar indesejado


hop corredores e controle de ervas daninhas durante a
estação de crescimento.
manejo de plantas daninhas química é um custo-
eficaz
alternativas de métodos físicos, no entanto, opções
em
NSW são muito limitados. Tabela 3 lista o herbicida
ativa
ingredientes atualmente registrados para uso em
New South
Wales lúpulo jardas, de que há apenas três são.
Tabela 3. herbicida ingredientes ativos atualmente
registrados para
uso em NSW lúpulo e seus modos de ação (Fonte: Australian
Pesticidas e medicamentos veterinários Autoridade, novembro
de 2016).
Ativo: tipo de produto
Figura 11. castanho claro lagartas da traça da maçã. Simazina: pre-emergente
O glifosato (várias formulações): knockdown
carfentrazona-acetato: knockdown potenciador

simazina pre-herbicida emergente é aplicada a nu


do solo para evitar a germinação de sementes de
ervas daninhas. A maioria
momento adequado para este produto é durante a
tarde
período de dormência. Tome cuidado ao aplicar
simazina
para garantir que ele não entra em contato ou lixiviar
para baixo para afetar
hop brotos e brotos. recomendações do rótulo para
Estado simazina que as plantas de lúpulo deve ser
coberta por pelo
pelo menos 50 mm do solo no momento da aplicação.
gestão de
estaleiro

Figura 12. Um alado pupas LBAM.


plantada. Mulching após o plantio também é uma or
opção para reter a umidade e suprimir o g
Weeds competir com plantas de lúpulo para crescimento de ervas daninhas, dando assim as â
água e nutrientes e, se não for controlada, plantas jovens as melhores condições para ni
afetar o crescimento e rendimento. estabelecimento. c
esteiras de plantas daninhas e coberturas naturais a.
manejo de plantas daninhas na primavera
dormente-início é destinado a estabelecer e manter representam uma opção viável em pequenos E
uma erva daninha-tira livre ao longo da linha estaleiros hop e os que operam sob certificação m
algumas partes do mundo, os produtores de lúpulo

Pul
também usam o cultivo de gerenciar as ervas

o
daninhas (Figura 13).

Figura 14. Exemplo de lesão herbicida em rebentos de


lúpulo. Siga sempre as instruções do rótulo de perto ao
aplicar herbicidas perto de lúpulo, particularmente quando
crescendo ativamente.

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES


| 29
Certos herbicidas knockdown contendo o glifosato
ingrediente activo, estão registados para utilização
em lúpulos durante o período de dormência
quando há pouco risco de dispersão da
pulverização causando danos. carfentrazona-
acetato de (holofote Plus®) é registado em NSW
para aplicação com herbicidas knockdown para
melhorar a gestão de ervas daninhas de folha
larga e de aumentar a velocidade com que estas
ervas daninhas mostrar sintomas de controlo. Se
usado incorretamente, herbicidas podem causar
sérios danos para hop plantas (Figura 14). Use
herbicidas somente para a finalidade registrada e
conforme indicado no rótulo do produto.

Irrigação
Irrigação é essencial na maioria das regiões de
cultivo de lúpulo do mundo para apoiar um bom
crescimento e produtividade. Este será certamente
o caso no sul do NSW. Rega frequência e prazo-
tempo depende de fatores incluindo a concepção
do sistema, tipo de solo e condições sazonais.
Monitorar a humidade do solo a uma profundidade
de pelo menos 60 cm e irrigar como necessário a Figura 15. Fertigation pode ser tão simples
partir de brotação através de colheita. como uma unidade Dosatron® em linha.
Independentemente do sistema que está sendo
usado (por gotejamento ou em cima), o objectivo é
manter um bom nível de humidade do solo ao longo
do ciclo de crescimento, sem excesso de irrigação
(encharcamento) e lixiviação os nutrientes do solo.
manutenção de irrigação é feito pre-temporada e
envolve a manutenção da bomba, rubor linhas de
irrigação e verificar emissores de bloqueios. Este
também é um bom momento para verificar o
funcionamento do seu sistema de fertirrigação. O
Departamento de NSW de Indústrias Primárias (DPI)
Primefact No. 1358Manter uma irrigação por
gotejamento sistema para a horticultura perene
fornece indicações úteis sobre o assunto (Giddings et
al. 2016).
Figure16. Um sistema básico de injecção fertigação.
Nutrição e fertilizantes
Fertilizante momentos-chave de aplicação está
atrasado-dormência de produtos sólidos e meados da
Primavera de pré-colheita de fertilizantes líquidos ou
solúveis aplicadas através do sistema de irrigação
(fertirrigação). A NSW DPI PrimefactFertirrigação:
entrega de fertilizantes na água de irrigação por
Treeby, Falivene e Skewes (2011) é uma grande
referência introdutória sobre como configurar e usar
um sistema de fertirrigação horticultura. As
Figuras 15, 16 e 17 ilustrar algumas das
opções simples e mais complexos.

Figura 17. Um sistema mais complicado capaz de


fornecer vários produtos fertilizantes, ao mesmo
tempo.

30 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


IMPORTANTE: Diretrizes de aplicação de nutrientes As amostras de tecidos de plantas deve ser
estão ainda a ser desenvolvido para produção de recolhida quando talos flexíveis atingir cerca de
lúpulo no sul do NSW. Por enquanto, meia altura do dossel. Reuter e Robinson (1997)
recomendações publicadas em países como os publicou padrões de análise de tecido para saltos
EUA são a nossa melhor referência disponível. com base na folha mais jovem maduro. Em
Estes precisam ser emparelhado com o algumas regiões produtores de lúpulo do mundo,
conhecimento do seu site, incluindo resultados pecíolos (folha caules) são amostrados em vez de
locais de solo e teste de tecidos para ajudar a folhas, embora seja difícil encontrar padrões
orientar sua decisão de fertilizantes-fazer. nutricionais publicadas para este método.
Estimativa da colheita e remoção de nutrientes de
plantas podem ajudar a determinar as necessidades Azoto (N)
de fertilizantes de substituição. lúpulos maduros Bom azoto solo (N) é vital para um crescimento
produzir muito mais do dossel e da cultura, comparado robusto copa em lúpulo; entradas deste nutriente
com jovens plantações e, portanto, eles removem são necessários anualmente. deficiência de
mais nutrientes do solo. Estimar a remoção de azoto será expressa como folhagem pálido ou
nutrientes por utilização de uma percentagem de amarelecimento e taxa de crescimento reduzida.
matéria seca e conhecimento da biomassa produzida O melhor tempo para a entrada de azoto é rápida
pela cultura em totais kg por hectare. Browne (ano durante a fase vegetativa de crescimento
desconhecido) apresentou (alongamento bine e formação lateral) em torno
matéria seca (MS) percentagens de lúpulo de outubro de início de Dezembro no sul NSW.
cultivadas no estado de Michigan, EUA como 3,0% Evite aplicar nitrogênio após a floração começa
de DM para azoto, 2,0% de potássio e 0,50% de como isso pode resultar em crescimento
fósforo. Outros fatores que afetam exigências vegetativo indesejado durante a fase de
nutricionais de substituição incluem, os níveis de desenvolvimento cone.
matéria orgânica do solo, alterações orgânicas do
típica em-aplicação estação de N para as primeiras
solo e voltando bina passou para o quintal hop
lúpulo ano nos EUA é cerca de 85 kg de azoto real
como adubo. Esses fatores resultam em um retorno
por hectare dividida ao longo de um certo número de
de, ou além de, nutrientes para o solo e
aplicações (Darby 2013). Maduro lúpulo em solos
efetivamente descontar a reposição de nutrientes
com níveis moderados de matéria orgânica (OM) (2-
final necessária.
5%) nos EUA recebem tipicamente 120-170 kg / ha
Ensaios do solo e de tecidos ajudar a informar de real N como fertilizante complementar. Sugeridas
suas decisões de nutrição das culturas. Solo taxas de aplicação N são ajustadas em
testando a cada dois anos no final do inverno ao conformidade para solos com níveis mais baixos ou
início da Primavera é suficiente para identificar mais elevados OM, com N entradas anuais tão
mudanças no equilíbrio de nutrientes do solo ao elevadas como 230 kg, em solos de baixa OM.
longo do tempo em blocos estabelecidos. Pré-
a acidificação do solo ocorre naturalmente, mas a
testes de solo fábrica vai ajudar a identificar os
maioria dos fertilizantes de azoto acelerar ácido
problemas importantes relacionados com fatores
produzido no solo. fertilizantes de azoto, enquanto
como o pH do solo e fósforo, que são mais bem
caro, pode ter o efeito oposto e aumentar o pH a
corrigidas antes do plantio. De acordo com Darby
uma profundidade de 60 cm. manejo da adubação
(2011), o intervalo de pH do solo ideal para o
cuidado, calagem e aumento do teor de matéria
lúpulo é 6,0-6,5 como medido em cloreto de
orgânica no solo vai ajudar a retardar o processo
cálcio (CaCl2).
de acidificação.
Se o pH é abaixo de 6,0 (em CaCl2) E ajuste é
necessária a incorporação de um fino calcário
agrícola (carbonato de cálcio) irá fazer o trabalho, a
não ser que também é necessária de magnésio, em
que cal dolomítica caso (carbonato de cálcio e
magnésio) seria o produto de escolha. Se o pH é
acima de 6,5, não se aplicam de cal ou de dolomite.
gestão

Ideal para a produção de lúpulo


quintal
Hop

4 5 6 7 8 9 10
O pH do
solo
Figura 18. gama de pH óptima do solo para o lúpulo, como medidos em cloreto de cálcio (CaCl 2).
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 31
O potássio (K) Vestigios
O potássio é importante para o desenvolvimento oligoelementos essenciais para a saltos que são
saudável da folha, o crescimento bine, equilíbrio susceptíveis de ser deficiente no sul da NSW,
planta-água e desenvolvimento cone, e na maioria incluem o magnésio (Mg), zinco (Zn) e boro (B).
das situações vai exigir entradas anuais. deficiência A deficiência de magnésio pode ocorrer, devido à
de potássio em lúpulo é geralmente caracterizada baixa solo Mg, um desequilíbrio na razão cálcio:
pela queima de folhas marginais e crescimento magnésio do solo ou fertilização excessiva de
pobre. De acordo com Gingrich, Hart e Christensen potássio. Calagem com carbonato de cálcio em solos
(2000), a absorção sazonal de potássio em lúpulo é de baixa Mg pode induzir uma deficiência em
de cerca de 90-170 kg / ha com um quarto deste magnésio, devido ao seu impacto sobre a proporção
armazenado nos cones de lúpulo e os outros três- de cálcio para magnésio no solo. O Ca ideal
trimestres de bina e folhas. Se o material de planta geralmente aceite: Mg é de cerca de 2,5-5: 1.
vegetativo gasto é devolvido para o quintal hop
O principal sintoma da deficiência de Mg é clorose
como cobertura morta após a colheita, então a
foliar intervenal (amarelecimento), onde as próprias
maioria do K também é retornado. Nos EUA, as
veias permanecem verdes. cal dolomítica e sulfato
entradas de potássio típicos para um local com solo
de magnésio são os dois alterações mais comuns
moderada K são cerca de 90-115 kg / ha.
para baixo do solo Mg. Dolomite é aplicado pré-
plantação, enquanto o sulfato de magnésio pode
Fósforo (P) ser aplicado em-temporada para completar planta
Da chave macro nutrientes (N, P, K e S), fósforo disponíveis Mg.
(P) é o menos exigido pelos lúpulo. Com base numa A deficiência de zinco é caracterizado por
percentagem todo colheita P de matéria seca de pequenas, cloróticas, no sentido ascendente-folhas
0,5%, e uma produção total de matéria seca (cones em forma de concha, e crescimento lateral e bine
e copa) de, digamos, 4,000 kg / ha, de remoção de fraco. O sulfato de zinco é normalmente utilizado
fósforo seria cerca de 20 kg / ha. Ajustar a taxa real para corrigir a deficiência de zinco e pode ser
de adubo de fósforo de acordo com o estado P do aplicado como uma pulverização foliar ou por meio
solo. Questões relacionadas com a baixa do solo P da irrigação.
são melhor tratadas com o estabelecimento local
antes, pois o fósforo não é altamente móvel e pode níveis de boro baixo do solo produzir sintomas de
ser difícil de alterar a profundidade após o deficiência de plantas, incluindo atraso no
estabelecimento. desenvolvimento da parte aérea, crinkling e
folhagens distorcida (Neve 1991). análise de solo
ajudará a determinar se boro suplementar é
necessária. A deficiência de boro é facilmente
corrigido com o solo-aplicado fertilizante boro
solúvel. Quando necessário, uma taxa de aplicação
típica de boro real aplicada nos EUA é de cerca de
1-2 kg / ha.
Tome cuidado para não sobre-fertilizar com
boro como esse elemento pode rapidamente
tornar-se tóxico.
32 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Colheita,
transformação e
comercialização
mãos e cheirando o lúpulo esmagados. Calderwood
(2015) descreve lúpulo imaturos como tendo um grama
'verde' ou cheiro feno semelhante, enquanto que sobre-
maduras cones pode cheiro como cebola, alho ou
manutenção pré-colheita e enxofre. Porque eles são qualitativos, métodos
planejamento da colheita sensoriais, tais como os descritos, exigem um elevado
Preparação para a colheita inclui testes, manutenção e grau de experiência e interpretação especializada.
reparação de todos os equipamentos de colheita e
processamento. manutenção de equipamentos
geralmente ocorre na semana ou duas que
antecederam a cone maturidade, e ajuda a evitar
atrasos indesejados durante a colheita de falhas
mecânicas. De acordo com Rybáček (1991), o
processo de secagem hop determina o tempo e a
velocidade de colheita e as operações de
processamento pós-secos. Colheita está programado
de modo que o lúpulo são retiradas, limpas, secas,
embalado e / ou peletes, em
um processo contínuo, sem a necessidade de
estocar lúpulo verde, que é indesejável por razões de
qualidade.

São os meus saltos pronto para


escolher?
Cervejeiras valoriza os seus lúpulo para o amargor
e o potencial de conservação da sua alfa (α) e
ácidos (beta) beta, e para os seus óleos
essenciais, que conduzem aroma e sabor na
cerveja. De acordo com Lizotte (2015), o teor de
óleo essencial de lúpulo continua a aumentar para
além de datas de colheita tradicionais; cervejas
feitas com uma única variedade de lúpulo colhido
em épocas diferentes terão diferentes
características de sabor e aroma. Correctamente
temporização colheita vai optimizar estas
características no produto final lúpulo e, em última
análise, a cerveja.
Os dois métodos mais comuns utilizados para
determinar a maturidade cone hop na fazenda são:
1. olhar, sentir e cheirar (sensorial)
2. percentagem de matéria seca (medido).
cultivadores experientes podem se tornar bastante
experiente em estimar a maturidade hop usando as
teclas sensoriais. Como cones amadurecem, eles
normalmente passam por uma mudança de cor sutil
de verde para amarelo. Tornam-se papery ao toque
ea cor amarela dos intensifica glândulas de
lupulina.
Monitoramento de mudanças no aroma também ajuda
a identificar a melhor hora de colher. Isso é feito por
fricção vários cones de lúpulo entre as palmas das
2. Escolher os cones num recipiente, misturar a
amostra e tomar uma sub-amostra de 100-150
cones.
Como cones de lúpulo crescer e amadurecer, a 3. Usando um conjunto de escalas capazes de
percentagem de matéria seca a aumentos de medir a pelo menos uma casa decimal, pesar um
peso verdes em cerca de 1% a cada 4-7 dias recipiente vazio suficientemente grande para
dependendo da variedade. A seco de teste conter o sub-amostra. Registar o peso do
percentagem matéria é quantitativo (mensurável) recipiente vazio.
e, relativamente a padrões conhecidos. O alvo 4. Coloque o seu 100-150 cone sub-amostra no
colheita de matéria seca mais comum recipiente e voltar a pesar. Gravar o peso total
referenciada na literatura é de cerca de 23%, e subtrair o peso do recipiente. Este é o seu
embora isto possa variar entre 20% e 23%, 'peso cone verde'.
dependendo da variedade (Madden e Darby 5. Usando um desidratador de alimentos, ou um
2012). forno de microondas de humidade Tester
testes de matéria seca são fáceis de fazer e Koster (utilizado em testes de humidade
realizada utilizando alguns equipamentos básicos, forragem) secar os cones verdes até atingirem
como um secador / desidratador ou microondas e 0% de humidade. Se estiver usando um
um conjunto preciso de escalas. O seguinte é um desidratador de alimentos, este pode ser deixado
procedimento simples de seis etapas para fazer os durante a noite. Se você usar um Moisture Tester
seus próprios testes de matéria seca em lúpulo ou microondas Koster para a secagem, você
(Madden e Darby 2012). precisará monitorar constantemente a perda de
1. Recolha uma amostra aleatória que representa o umidade durante todo o período de secagem por
bloco e variedade. Como um exemplo, isto poderia re-pesagem da amostra. Uma vez que a amostra
ser todos os saltos de 10 laterais seleccionadas a atinge peso constante, toda a humidade tiver sido
partir de um número de talos flexíveis em toda a removido e que esteja pronto para calcular a
área do alvo. Certifique-se a altura na bine ea percentagem de matéria seca. Registar o peso
localização no quintal hop representa a maioria. final da amostra e subtrair o peso do recipiente.
Evite amostragem quando os bina molhadas ou Este é o seu 'peso cone seco'.
durante um evento de chuva.

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS


PRODUTORES | 33
6. Utilizar a seguinte fórmula para calcular a
percentagem de matéria seca de sua amostra
usando os pesos verdes e secos recolhidos.
Hop% de matéria seca
= 100 x (peso seco do cone ÷ peso cone de
verde) Exemplo
= 100 × (25 g ÷ 110 g)
= 100 × (0,227 g) = 22,7%
Usando uma combinação de testes de matéria
seca e avaliação sensorial lhe dará a melhor
chance de identificar o momento certo para a
colheita.

Colheita
Colheita é o período mais intenso de atividade tanto
no quintal hop e processamento galpão. -picking mão
era prática comum antes de máquinas de colheita de
lúpulo foram inventadas. No entanto, os custos do
trabalho hoje significa que a colheita manual é
antieconômico para quem deseja vender seus saltos Figura 1. Vista frontal de uma máquina hop picking em
para o lucro. campo usado em grande escala jardas hop trellised-V
nos EUA.
cones maduras devem ser colhida, limpa e seca-se no
tempo o mais curto possível para assegurar uma
óptima qualidade e conservabilidade. Dependendo da
gama de variedades plantadas, um período de colheita
hop típico pode ser em torno de um mês. No sul NSW
esperamos hop maturidade irá ocorrer durante os
meses de fevereiro e março.
Em todo o mundo, existem duas abordagens
básicas para comercialmente lúpulo colheita.
1. No campo picking utilizando um colector
construído para o efeito que viaja ao longo das
linhas e remove os cones dos talos flexíveis in
situ (As figuras 1 e 2). Em um quintal hop baixo
treliça, a colhedora atravessa uma única linha de
saltos e retira os cones, deixando os bina trellised
no lugar. Em ambos os saltos baixos-trellised e v- Figura 2. Um grande escala típica colheita em campo-
trellised, cones despojado entrar em uma caixa set-up inclui debulhadora, compartimento de
de armazenamento móvel para transferência para armazenagem e o tractor.
o galpão para limpeza. bina gastos são
devolvidos ao solo como mulched recortes 2. In-derramado escolher envolve a colheita e a
durante ou após a colheita. Esta abordagem para transferência de talos flexíveis inteiros e
a colheita é bastante comum no estado de descarnar os cones na vertente usando uma
Washington, EUA. Há economia de trabalho máquina de colheita estacionário. Talos flexíveis
associados com este método de colheita. são cortados do fio superior e na base, quer
Desvantagens incluem os custos de capital de ter manualmente ou utilizando uma cabeça
máquinas suficientes para gerir a janela de combinar estilo e cortador (Figura 3). Em alguns
colheita e preocupações sobre a compactação do estaleiros hop média escala (ou seja, Nelson,
solo com máquinas pesadas operando no quintal Nova Zelândia e Austrália), talos flexíveis são
hop. removidos a partir do fio superior utilizando um
extractor bine montado tractor (figuras 4 e 5). Os
talos flexíveis são carregados em camiões ou
silos de armazenamento e transferido para o
abrigo. Uma vez na vertente, os talos flexíveis
são ligados a uma cadeia transportadora, que os
puxa (um de cada vez) através da máquina de
separação para remover os cones. Os bina
gastos são triturados e, na maioria dos casos,
seria mulched e voltou para o quintal hop.
34 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Os dedos de separação dentro do cabeçote de
corte que removem os cones mantiveram-se
relativamente inalterado desde o seu
desenvolvimento no início de 1900. Cada cabeça
de colheita consiste de dedos de arame colheita
dispostas em filas e ligados por correntes de
accionamento em cada extremidade para formar
uma correia circulante (Figura 6). Na maior parte
dos desenhos, duas correias são montadas de
frente um para o outro deixando um espaço
através do qual o passa bine lúpulo, permitindo
que os dedos da colheita para retirar os cones.
Fig
ur
a
7.
Os
EU
A
Figura 3. Combine estilo top-cortadores de separar todo o fiz
bina do fio e soltá-los em um caminhão para o transporte er
até o galpão para in-verter escolher. am
Ho
ps
Ha
rve
ste
r

Figura 6. As linhas de dedos de arame de mola foi
accionadas por corrente colheita na máquina de de
colheita lúpulo que arrancam os cones formar os talos se
flexíveis do lúpulo. nv
olv
crescimento mundial da demanda por cerveja ido
artesanal levou a um crescimento associado no pa
ra
número de pequenas e jardas hop de médio
ate
porte. Um dos maiores desafios para os novos
nd
produtores de lúpulo, é encontrar picking e er
equipamentos de processamento que é acessível a
e dimensionado adequadamente para o seu pe
puxadores Figura 4. Bine são usados como uma funcionamento. Posteriormente, uma série de qu
alternativa ao topo cortadores em jardas hop médio
designers e fabricantes desenvolveram en
porte, como os encontrados na Nova Zelândia e
equipamentos de menor escala para atender a a
Austrália.
este mercado. Estes incluem máquinas tais como pa
a HopsHarvester ™ (Figura 7) Feito nos EUA e ra
uma compilação -it-yourself desenho os
est
desenvolvido pela Universidade de Vermont
ale
(Darby e Madden 2012).
iro
s
ho
p

dia
es
cal
a.

puxadores Figura 5. Bine trabalhar ao longo de uma


única linha de talos flexíveis de cada vez arrastando-os
fora do fio superior e num compartimento de colheita
para transferência para o abrigo para a colheita de
máquina.
Colheita, transformação e
comercialização

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES


| 35
Escolhendo a produtividade da máquina é medida Secagem, condicionamento e
na velocidade de processamento (talos flexíveis /
hora) e a eficiência da colheita (percentagem de enfardamento
recuperação). Considere os dois fatores com Para armazenabilidade e óptima qualidade, lúpulo
cuidado ao decidir sobre a máquina apropriada para colhidas com um teor de cerca de 80% de humidade
sua empresa hop. campo são secas até 8-12% de humidade. Acima
desse teor de umidade alvo, lúpulo são propensos à
picking e limpeza derramado à ruptura, e abaixo deste nível, eles tornam-se frágeis
e sofrem de aumento da oxidação (Madden e Darby
base 2012).
Em derramou-colheita máquinas variar em tamanho e
Lúpulo são secas em salas de fornos construídos de
capacidade de processamento. O seu objectivo é o de
propósito. Figura 10mostra o nível superior de um
retirar os cartuchos a partir dos talos flexíveis e
forno de multi-camada em Nova Zelândia.
remover indesejada folha e caule de material a partir
ventiladores de grande porte (Figura 11) Forçar o ar
do produto final. Eles consistem geralmente de um
limpo aquecido para dentro de uma câmara por
transportador bine, cabeça escolha, máquina
baixo das camas de secagem. fontes de energia
desbastadora secundário, tela assistida por ar vertical
para aquecimento na maioria dos fornos modernos
(crivo rotativo) e cintos de gota. Lobo (Alemanha),
são combustíveis fósseis, como carvão ou gás. O ar
Dauenhauer (EUA) e Bruff (UK) catadores de marca
limpo é conseguido usando um sistema de caldeira
são três das máquinas de colheita e limpeza mais
e de transferência de calor para garantir que o
comumente utilizados para operações baseadas em
lúpulo não estão contaminados por fumo ou gases
galpão. O lobo (Figura 8) e Dauenhauer máquinas
de escape. O ar aquecido passa através dos leitos
ainda está em produção, enquanto que o seletor Bruff
de lúpulo tendo humidade para fora através do teto
(Figura 9) não é. Os fabricantes de catadores Lobo
do forno. Quando a camada inferior atinge o teor de
adquirir e recondicionamento usadas máquinas de
humidade correcto, ele é removido a partir do forno.
separação e distribuí-los em todo o mundo para
O piso persianas da camada seguinte é aberta
atender à demanda do crescente número de
permitindo que o lúpulo para cair para o fundo e
produtores. assim por as camadas restantes. A camada de topo
torna-se disponível e um novo lote de lúpulo verde é
trazido para dentro. O forno de multi-camadas
permite um processo de secagem contínua.

Figura 8. Um lobo Picker com uma capacidade de 80-120


talos flexíveis por hora; adequado para pequenas e médias
empresas hop.
Figura 10. O piso superior de um forno hop multi-nível
na Nova Zelândia. O ar aquecido é bombeado através
dos andares de persianas em que a temperatura e a
velocidade correcta para secar o lúpulo para baixo para
o conteúdo de humidade de aproximadamente 8-12%.

Figura 9. Este Bruff picker / líquido de limpeza na Nova


Zelândia, picaretas e processos de cerca de 12 ha de
lúpulo cada estação. No centro desta vista são os cintos
drible angulares que separam os cones de folha e
material do caule.
forno. A concepção da câmara assegura uma
Figura 11. grandes ventiladores forçam o ar limpo distribuição uniforme de ar e de secagem.
aquecido para dentro de uma câmara por baixo do
36 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Grande escala fornos modernos nos EUA, são
tipicamente único em camadas e utilizar caldeiras
a gás.
secagem correcta é uma ciência, por si só, envolvendo
factores, tais como tempo, temperatura, velocidade do
ar, e profundidade do leito de secagem. Considerar
todos esses fatores ao projetar suas instalações de
secagem. Neve (1991) fornece uma revisão útil de
estudos de secagem e práticas comerciais em todo o
mundo. temperaturas do ar típicos usados para o
lúpulo secagem variam de cerca de 55 ° C a 65 ° C.
Estudos têm mostrado que a secagem a temperaturas
superiores a esta gama pode levar a uma perda
significativa do conteúdo de ácido alfa. O objectivo de Figura 12. Antes de enfardamento, lúpulo seco de
qualquer forno é para fornecer o fluxo de ar e fresco são realizados em pisos de refrigeração para
temperatura correcta para assegurar lúpulo são secos um período de condicionamento para assegurar um
de forma eficiente e uniformemente. Remover a teor de humidade uniforme.
humidade a partir do lúpulo rapidamente e com
Após o condicionamento, lúpulo secas são transferidas
relativamente baixo calor vai minimizar o risco de
para uma prensa hidráulica e compactado em fardos
oxidação e ácido alfa associada e perdas de óleos
muito semelhantes aos utilizados para a lã. Pequenas
essenciais. Uma duração de secagem típico para um
janelas cortadas no lado do fardo permitir o controlo de
lote de saltos nos EUA é de cerca de 8-10 horas.
qualidade de amostragem e teste do conteúdo de
Monitorizar amostras de referência de perto ao
humidade usando uma sonda (Figura 13).
longo do período de secagem a fim de determinar
quando o teor de humidade correcta é atingida.
Utilizar a seguinte fórmula para calcular um peso
seco alvo para uma amostra de peso conhecido
verde.
Alvo de peso seco =
(% De matéria seca da colheita × peso da
amostra verde) ÷ alvo de matéria seca%
Por exemplo, o peso alvo para uma seco 100 g de
amostra verde colhido em matéria seca de 23%, e
uma matéria seca alvo de 90% (isto é, 10% de
humidade) seria calculada como se segue:
Alvo de peso seco =
(23% de matéria seca colheita × 100 g de peso de
amostra verde) ÷ matéria seca de 90%

Colheita, transformação e
= (23 x 100) ÷ 90 = 25,5 g
Neste exemplo, a secagem está completa quando
a sua amostra de referência atinge 25,5 g. Usando

comercialização
este método, a amostra de referência tem de estar
contida num saco de malha durante o processo de
secagem; o peso do saco precisa ser levado em
conta durante seus cálculos.
Quando os lúpulos secos emergem a partir do Figura 13. A Nova Zelândia hop bale típico
forno, continua a haver uma variação significativa embalado utilizando uma prensa de lã modificado.
no teor de humidade em todo o lote. Lúpulo que
estavam na parte inferior do leito tendem a ser mais
seca do que aqueles no topo. Para superar esta
variação e alcançar um teor de humidade uniforme,
lúpulos secos são condicionados antes de
enfardamento. lúpulo seco de fresco são
empilhados em pisos de arrefecimento e deixada
em repouso durante um período, o que permite a
humidade restante para redistribuir (Figura 12).
LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES
| 37
Armazenamento
lúpulo devidamente secas podem ser frio
armazenado por longos períodos, permitindo
transformação e comercialização de ocorrer
durante todo o ano. Lúpulo não armazenam bem
à temperatura ambiente. condições de
armazenamento recomendadas para lúpulo
embalado secas (AGAC 2008) são como se
segue:
Temperatura: -4,44 ° C até -2,22 ° C
humidade relativa: 70% a 85%
período de armazenamento: 12 meses.
A estabilidade em armazenamento varia por
variedade e é medido pela perda de ácidos alfa ao
longo do tempo a uma dada temperatura. Muitas
listas de variedades hop incluem um índice de lúpulo Figura 14. peletizado são selados a vácuo para minimizar
armazenamento ou de classificação para dar ao o risco de oxidação. corrente de azoto pode ser adicionado a
usuário final uma idéia do potencial de este processo para garantir que o oxigénio indesejável é
removido a partir do pacote.
armazenamento para cada variedade.
O mesmo método de embalagem pode ser utilizado
A humidade relativa (HR%) do armazenamento
para a comercialização de pequenas quantidades de,
de frio é importante, porque se for muito baixo, cones de lúpulo inteiros secos.
lúpulo perderá humidade e peso e se é
demasiado elevado, o lúpulo vai absorver
humidade e o risco de colapso é aumentada.

peletização
Vácuo selado, lúpulo (peletizadoFigura 14) São
populares entre os fabricantes de cerveja como
eles tendem a ter uma vida de armazenamento /
prateleira mais longa, ocupam menos espaço de
armazenamento e são mais fáceis de manusear
no processo de fermentação. Por esta razão,
muitos produtores de lúpulo investir em uma
máquina de peletização (As Figuras 15 e 16 ) E
equipamentos de embalagem a vácuo para
atender a demanda do mercado para este tipo de
produto.
Hop produtores ou empresas de transformação
produzir pelotas em dois formatos, T90 e T45. A
primeira, (T90) pelotas são feitas por moagem seca Figura 15. Um anel de T90 máquina de peletização típico.
integrais dos cones de lúpulo e colocando todo o pó
moído em
a -Pelete de formação da máquina, onde é forçada
através de uma fieira para produzir a forma típica
sedimento. A 90 em T90 refere-se ao rendimento
aproximado em pelotas a partir de processamento
de 100 kg de lúpulo secas (isto é, 100 kg de lúpulo
= 90 kg pelotas). Da mesma forma, peletes T45
resultar em 45 kg de produto por cada 100 kg de
lúpulo. O processo de T45 resulta num produto mais
concentrado com um maior lupulina: proporção em
peso, ou seja, menos do produto é necessária na
fermentação em comparação com pastilhas de T90.

Figura 16. O molde interno de um granulador anel.

38 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


Comercialização de seus saltos profiling analítica de saltos
armazenamento cooperativa, transformação e
Kerry Pinchbeck, AWRI
comercialização vale a pena considerar,
especialmente quando vários produtores são Crescimento lúpulo na Austrália está se tornando mais
produtores de lúpulo na única região. Pooling comum - com isso vem uma maior necessidade de
produto pode trazer benefícios, incluindo eficiências analisar formalmente amostras de lúpulo no laboratório.
de escala, branding e a oportunidade de investir em Analiticamente profiling material de lúpulo dá
pesquisa e desenvolvimento. informações importantes sobre aroma e potencial de
cooperativa baseada em Nelson, NZ Hops Ltd, é amargura, e qualidade global. Cervejeiras são de maior
um exemplo de sucesso deste modelo de interesse para a α e p ácidos de lúpulo, óleos
transformação e comercialização. Uma chave essenciais totais e o perfil óleo hop.
importante para o sucesso recente de Hops NZ é o Os ácidos a e p são os principais precursores que
seu investimento em um programa de contribuem para atributos amargo na cerveja. Os
melhoramento privada em colaboração com o valores obtidos a partir dessa análise são usados
Governo da Nova Zelândia. Este programa levou ao para formular receitas de cerveja para obter os
desenvolvimento e selecção de um número níveis de amargura desejados, e também são um
significativo de novas variedades de lúpulo de indicador chave da qualidade de lúpulo.
marca registrada e geridos pela Hops NZ. O Os óleos essenciais em lúpulo são importantes
sucesso dessas variedades no mercado doméstico contribuintes para sabor cerveja e aroma. A medida
Nova Zelândia e internacionalmente é a chave para total de óleo essencial é a percentagem de óleo
o sucesso da cooperativa. variedades conhecidas contido dentro dos saltos (com base na massa) e dá
criados e detidos por NZ Hops Ltd incluem Nelson uma indicação do potencial global do aroma de
Sauvin, Motueka, Riwaka ea série Pacífico de lúpulo.
variedades. O perfil de óleo de lúpulo é uma extensão dessa
Se você não tem uma licença para cultivar e vender análise no sentido de que detalha as concentrações de
variedades de marca registrada, então você compostos específicos de sabor e aroma do óleo
provavelmente será crescente variedades de código
dentro do lúpulo. Isso fornece informações sobre o
aberto e competindo com todo mundo que tem estas
variedades. O mercado de ácido alfa nos EUA é um perfil de aroma do lúpulo vai dar. Esta combinação de
bom exemplo de produtores concorrentes em preço análise é útil na criação de um perfil de lúpulo,
para variedades comumente cultivados. produtores permitindo a comparação mais fácil entre variedades e
menores, com variedades não licenciadas, como dando uma indicação de que as propriedades podem
Cascade deve estabelecer relações estreitas com os influenciar o sabor e aroma da cerveja.
fabricantes de cerveja locais e procurar oportunidades AWRI serviços comerciais oferece análise de lúpulo,
para comercializar os seus saltos com foco em bem como muitos outros serviços para a indústria de
proveniência ou terroir. Entenda o seu mercado e cerveja. Para mais informações sobre qualquer
desenvolver uma gama de produtos (ou seja, lúpulo análise hops- ou relacionadas com a cerveja, entre
verdes, lúpulo secas inteiras, pellets) em uma em contato com a equipe em 08 8313 6600
variedade de tamanhos de embalagens para atender a oucommercialservices@awri.com.au.
demanda.

Colheita, transformação e
comercialização
Figura 17. Cromatografia Líquida de Alta Eficiência equipamento (HPLC), utilizados para a medição de alfa e beta lúpulo ácidos

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS PRODUTORES


| 39
40 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Hop recursos crescentes

livros sites lúpulo australianos


hops por RA Neve Hop produtos Austrália
produção Hop por V Rybáček www.hops.com.au
O manual produtores de lúpulo por LT Eyck e D Ellerslie Hops
Gehring Hop manual variedade por D Woodske www.ellersliehop.com.au
Para o amor de lúpulo por S Hieronymus Bintani Austrália
bintani.com.au
A indústria hop na Austrália por Pearce HR
Whitehouse Viveiros
sites whitehousenursery.com.au/hops

Hop Growers da América Hopco Pty Ltd


hopco.com.au
www.usahops.org
Internacional Hop Convenção
Growers www.hmelj-giz.si/ihgc
Rede social
Hop Comercial Independente australiano
Michigan State University Extension - Hops
growers Forum
msue.anr.msu.edu/topic/info/hops
www.facebook.com/groups/AustralianIndependent
Universidade de Vermont Extensão - HopGrowersForum
Hops
HopsWest
www.uvm.edu/extension/cropsoil/hops www.facebook.com/groups/963794440342334
North Carolina State University - Hops Projeto
Produtores de lúpulo Forum (Nationwide) EUA
www.ces.ncsu.edu/fletcher/programs/nchops
www.facebook.com/groups/387211704650588
Hops Limpo rede da fábrica
Aussie Hop Cabeça de bate-papo
nationalcleanplantnetwork.org/HOPS_CPN www.facebook.com/groups/1219747821411139
Governo australiano - Importação de
Biossegurança
condições
bicon.agriculture.gov.au/BiconWeb4.0
Yakima Chief - União Hop
ychhops.com
Nova Zelândia Hops
www.nzhops.co.nz
Cervejarias Sul-Africano (SAB)
www.sab.co.za/the-sab-story/proudly-
south-africano-hop-variedades

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS


PRODUTORES | 41
42 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado
Referências
Gent DH, Sirrine JR & Darby HM (2015).
manejo de nutrientes e desequilíbrios, pp.
98-100. Guia de campo para manejo
integrado de pragas no sector do lúpulo. 3a
Browne D (ano desconhecido.) Fertilizantes e ed. Hop Comité da Indústria de Protecção
gestão de nutrientes para o lúpulo. das Plantas, Pullman, WA: US
msue.anr.msu. edu / envios / 236/71505 /
Hop_fertilizer_and_
nutrient_requirements.pdf Michigan State
University Extension, Michigan, EUA.
Transferido 16 de fevereiro de 2017.
Calderwood G Post & J (2015). Hop período de
colheita no Nordeste. Universidade de Cultivos
Vermont Extensão do Noroeste e do Programa de
Solos e USD, Vermont,
EUA.www.uvm.edu/extension/cropsoil/ wp-
content / uploads / Hop-Harvest-Determination-
factsheet.pdf. Transferido fevereiro 2017 20.
Crowle DR (2010). variação molecular de vírus que
infectam lúpulo na Austrália e estudos associados,
(Tese de doutoramento). Universidade da Tasmânia,
Hobart, Austrália.
Crowle DR, Pethybridge SJ, Leggett GW, Sherriff LJ
& Wilson CR (2003). Diversidade da proteína de
revestimento-região codificadora entre Ilavirus isola
infectar hop na Austrália. Plant Pathology, 52: 5,
533-672. A Sociedade Britânica de Fitopatologia.
Darby H (2011). diretrizes de fertilidade de lúpulo na
região Nordeste. Universidade
www.uvm.edu/extension/cropsoil/hops de Vermont
Extensão, Vermont, EUA. Transferido 16 de fevereiro
de 2017.
Darby H (2013). gestão do azoto no sector do
lúpulo. Universidade
www.uvm.edu/extension/cropsoil/hops de
Vermont Extensão, Vermont, EUA. Transferido 16
de fevereiro de 2017.
Darby H & R Madden (2012). A UVM harvester
móvel hop.www.uvm.edu/extension/cropsoil/wp-
content / uploads / A -UVM-Hop -Harvester-
Projeto-Relatório-Drawings.pdf Universidade de
Vermont, EUA. Transferido 22 de fevereiro de
2017.
Eyck LT & D Gehring (2015). Do produtor hop
Manual: O guia essencial para o desenvolvimento
sustentável,
pequeno-produção em escala para casa e mercado.
Chelsea
Verde Publishing, White River Junction, Vermont,
EUA.
GCCA (2008). WFLO manual de armazenamento
Commodity: Hops. Organização Mundial Food
Logisticswww. gcca.org/wp-
content/uploads/2012/09/Hops.pdf Transferido 23
de fevereiro de 2017.
uploads / Hop_harvest_fact_sheet.pdf
Universidade de Cultivos Vermont Extensão do
Noroeste e do Programa de Solos e USD, Vermont,
EUA. Transferido fevereiro 2017 20.
Giddings J, Conash P, P & Henry Hoogers R (2016). A
Meier U (2001). estágios de crescimento em
manutenção de um sistema de irrigação por gotejamento para
mono e dicotiledôneas plantas - BBCH
a horticultura perene. Departamento de NSW de Indústrias
Monografia. Biological Research Center
Primárias, Primefact 1358 Primeira edição. Orange, New
Federal da Agricultura e Florestas. Bonn,
South Wales, Austrália.
Alemanha.
Gingrich C, Hart J & N Christensen (2000). Guia de
Neve RA (1991). Lúpulo. Chapman and Hall, Reino
fertilizantes - lúpulo. Serviço de Extensão da Universidade do Unido.
Estado de Oregon, Corvallis, Oregon, EUA
Oldham C (2016). Pers. comm, Visita de
Hop Growers of America (2017). 2016 Relatório estatístico. Moxee,
estudo da Nova Zelândia hops indústria -
Washington, EUA,www.usahops.org/ img / blog_pdf / 76.pdf.
fevereiro de 2016, Nova Hoplands, Tapawera,
Transferido 02 de fevereiro de 2017.
Nova Zelândia.
Convenção internacional Hop Growers (2016). Lista variedade hop
Pearce HR (1976). A indústria hop na Austrália.
CICL,www.hmelj-giz.si/ihgc/doc/2016%20 Novembro% 20-%
Melbourne University Press, Austrália.
20IHGC% 20hop% 20variety% 20list.
pdf. Transferido 02 de fevereiro de 2017. Pethybridge SJ (2000). Epidemiologia dos vírus que
infectam hop (Humulus lupulus L.) na Austrália,
Koren J (2007). Influência do espaçamento entre linhas
Volume 2. Universidade da Tasmânia, Hobart,
plantação em qualidade e rendimento de lúpulo. Planta, solo e
Austrália.
Meio Ambiente, 53, 276-282. Academia Tcheca de Ciências
Agrárias, República Checa. Reuter DJ & Robinson JB (1997). análise de
planta um manual de interpretação, Segunda
Lizotte E (2015). A arte ea ciência da colheita
edição. CSIRO Publishing, Collingwood, Victoria,
hop.msue.anr.msu.edu/news/harvest_time_
Austrália.
approaching_for_hop_growers_1 Michigan State University
Extension, Michigan EUA. Transferido 21 de fevereiro de 2017.
Madden R & Darby H (2012). Lúpulo colheita de determinação de
humidade.www.uvm.edu/extension/cropsoil/ wp-content /

LÚPULOS - UM GUIA PARA OS NOVOS


PRODUTORES | 43
V Rybáček (1991). Hop produção. Developments
em Crop Science 16. Elsevier Science, Amsterdam,
A Holanda.
Treeby M, Falivene S & Skewes M (2011). fertirrigação:
entrega de fertilizantes na água de irrigação.www.dpi.
nsw.gov.au/__data/assets/pdf_file/0006/378564/
-Fertirrigação entregando-fertiliser.pdf. Primefact 1089,
Departamento de Indústrias Primárias NSW, notícias do Sul
Wales, Austrália. Transferido 17 de fevereiro de 2017.
Desconhecido (1958). New South Wales poderia produzir
lúpulo. The Gazette Agrícola, fevereiro.
Williams IH, Roberts JB & Coley-Smith JR (1961).
Estudos da fase dormente do hop (Humulus
lupulus L.) Relatório Anual de 1960. Departamento de Hop
Research, Wye Colégio Inglaterra pp. 48-58.

44 | AUTOR: KEVIN DODDS: Desenvolvimento Officer - frutas de clima temperado


cultivadores 2017
Lúpulo - um guia para novos
Lúpulo - um guia para novos produtores
Primeira edição 2017

Kevin Dodds Diretor de Desenvolvimento de frutas de clima

2017
primeira edição
temperado, NSW DPI, Tumut www.dpi.nsw.gov.au