Você está na página 1de 130

Maria Teresinha Debatin

Os números organizam
o caos da vida e
direcionam a caminhada
rumo ao sucesso, de
acordo com a revelação
dos talentos de cada
um. Desejo que esta
leitura desperte sua
sabedoria oculta e
desafie sua vontade de
conhecer cada vez mais!

Volume 1
Maria Teresinha Debatin

Maria Teresinha Debatin é uma estudiosa da Numerologia e


da Cabala há mais de dez anos.

Conta em seus registros com mais de 5.500 atendimentos


personalizados, 5.000 mapas completos, criação de inúmeros
nomes para novas empresas e a análise de nomes de futuros
bebês. Ministra seminários e realiza palestras sobre o assunto.

Amante da leitura e da escrita, tem quatro outras obras


publicadas: As muitas faces de um sujeito chamado Eu
(crônicas e poesias), Depois de ontem – A vida sem meias
verdades (crônicas e poesias), Gestão do ser (administração da
vida, do tempo e da carreira), Três reis e um mago (romance
que reconta pelo viés da Cabala a trajetória dos Reis Magos).
Além destes livros, lançou também um Bloco com Mensagens
para todas as datas.
Sua incursão pela música resultou na gravação de um CD com
sua própria versão para a música Feliz Aniversário.

Contatos:

Rua 500, no 93, sala 01


Balneário Camboriú - SC
Cep: 88330-635

Telefone: (47) 3366 6336


Celular: (47) 9131 1030

Blog: http://numerologiaecabala.blogspot.com.br/

Facebook: facebook.com/mariateresinha.debatin.5

Fan Page: facebook.com/MariaTeresinhaDebatin

Twitter: twitter.com/dhebatin

Canal do YouTube: youtube.com/dhebatin


AGRADECIMENTOS Meus agradecimentos seguem esta ordem:

A Deus - Pai em sabedoria, que desenhou minha rota terrena no eixo


sete (7), número da espiritualidade, que traz o dom da escrita, do pensa-
mento que se traduz em palavras, da criatividade, da curiosidade pelas
coisas ainda não reveladas, do silêncio criador, da determinada teimo-
sia que me leva à ação, que me leva a tomar contato com os acertos, com
os enganos, e a fazer deles um atalho para o grande aprendizado.

Aos Anjos e Arcanjos, meus guias e socorro de todas as horas; recorro a


eles mais do que recorro aos amigos visíveis; Lehaiah, o Anjo que acom-
panhou meu nascimento, guardião do meu sono e das horas em que,
arrogante, penso que estou vencendo só. Ao Arcanjo Kamael, que co-
manda minha sephira, o degrau cinco na árvore da vida e que não tolera
injustiças, meu agradecimento especial; ele é meu cúmplice e conse-
lheiro, e por vezes meu escudo. Kamael é conhecido como o delegado
divino que influência as ações de quem nasceu sob sua tutela; por isso,
por vezes, perco a paciência e a diplomacia, encaro a luta, vou para a
linha de frente, hasteio a bandeira, desembainho a espada e, ainda que
use apenas as palavras, declaro guerra. Nestas horas recorro a Gabriel,
o Arcanjo da paciência, das boas novas, aquele que coloca em nossa
boca as palavras corretas num tom ameno, capaz de alegrar um par de
olhos que clama por luz, direção e um pouco de paz.

2 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Em cada ocasião e para cada necessidade clamo por um Arcanjo, um
Anjo, pois eles são companheiros inseparáveis que se materializam, tro-
cam de identidade para ajudar em minha evolução. Isto, no entanto,
não é privilégio meu, ou de alguns poucos humanos, mas de todos aqueles
que acreditam e abrem as portas da vida, e convidam estes seres de luz
a entrar.

Aos Grandes Mestres Cabalistas, também conhecidos como Reis Magos


– Gaspar, Baltazar e Melchior –, que habitam a tenda da minha criação,
me fazem instrumento, canção, melodia no acolhimento; sem eles, a
caminhada seria mais árdua e o aprendizado ainda mais lento. Nutro
uma paixão especial por estes seres que me acompanham já há tantas
jornadas terrenas.

Aos Anjos sem asas visíveis que escolheram meu útero para renascer e
a quem eu me refiro como as filhas bem amadas do meu coração, péro-
las que se lapidam no despertar de cada manhã; e ao companheiro na
aliança da paixão. Estes me substituíram em tarefas cotidianas para
que este livro se tornasse realidade. A todos que na minha criteriosa
escolha chamo de amigo, e que com seu trabalho, profissionalismo e
boa vontade contribuíram para a realização desta obra.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 3


PREFÁCIO Nos caminhos percorridos na busca incessante por mais conhecimento
escolhi a Cabala por acreditar nela como ciência, terapia que auxilia a
travessia quando as dúvidas se fazem companheiras, e mais precisa-
mente escolhi esta ciência como fonte de estudo por acreditar na Cabala
como cura.

Não tenho dúvida de que a Cabala de hoje revela o que os homens deste
século estão preparados para ouvir; a de amanhã, falará de coisas sobre
as quais os homens gerados a partir daquele momento estarão prontos
para dela se servir, e assim, acredito, será, de geração em geração, infi-
nitamente.

O espírito é um corpo sem forma que habita nosso corpo físico; já a


alma, um corpo sem forma que toma forma quando nosso corpo físico
fi n d a.

O conhecimento proporcionado pela Árvore da Vida sacia a sede e a


fome, e o milagre da multiplicação faz sentido na mente e no coração
daqueles que não exigem ver para acreditar.

A série “De Zero a Dez” será composta de 10 volumes, um compromisso


de continuar a alimentar o leitor interessado no autoconhecimento e no
tema; de forma gradual e intensa desbravar as trilhas na encruzilhada
do saber. Sem presunção, torço por você, leitor, mas desconfio que o
maior ganho neste contrato bilateral será meu, pois este compromisso
me fará intensificar a busca, melhorar o conhecimento, para só e então
doar. Ninguém doa o que não possui, nem transmite o que não sabe –
não será diferente comigo. Sem pressa e sem demora, vou preparar nos-
so próximo encontro.

Maria Teresinha Debatin


Mem Rarie Maggid Therá
Filha de Deus, protegida dos Anjos

4 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


ÍNDICE INTRODUÇÃO 6

CAPITULO I
TABELA BASE DE CONVERSÃO QUE SERÁ USADA NESTE LIVRO 18

CAPITULO II
MODELO/EXEMPLO PRÁTICO DE CÁLCULOS 20

CAPITULO III
MODELO-BASE DE CADASTRO PESSOAL 24

CAPITULO IV
DIA/MÊS/ANO DE NASCIMENTO 26

CAPITULO V
NÚMEROS RÉGIOS 28

CAPITULO VI
NÚMERO DE ALMA – SOMA DAS VOGAIS 68

CAPITULO VII
NÚMERO DE TALENTO/ SOMA DAS VOGAIS 74

CAPITULO VIII
ANÁLISE DO NOSSO DIA DE NASCIMENTO 80

CAPITULO IX
MÊS DE NASCIMENTO 94

CAPITULO X
ANO DE NASCIMENTO 98

CAPITULO XI
LIÇÃO DE VIDA/DESTINO 104

CAPITULO XII
ANO PESSOAL X ANO DA HUMANIDADE 114

CURIOSIDADE SOBRE O TÍTULO DA SÉRIE 126

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 5


INTRODUÇÃO CABALA PRÁTICA AO ALCANCE DE TODOS
Este é um livro despretensioso, leve como eu entendo que deva ser um
livro que tem por objetivo falar do lado prático da Cabala, a numerologia
cabalística, mas nem por isso menos profundo como exige que seja seu
estudo. Não tem propósito dogmático, educativo; não tem a pretensão
de formar, e sim, tão somente, informar proporcionando conhecimento
e desenvolvimento pessoal. O objetivo é permitir a qualquer pessoa,
mesmo aquelas que jamais tomaram contato com a teoria ou a prática
da numerologia cabalística, obter respostas efetuando cálculos mate-
máticos simples.

Você pode ir direto aos cálculos e esquecer esta introdução teórica. O


livre-arbítrio lhe concede este direito e isso não vai alterar o resultado
dos cálculos. Ainda e assim entendo ser necessário um mínimo de
informação teórica sobre a Cabala, sem me alongar demasiadamente
cutucando a impaciência de quem deseja tão somente fazer os cálcu-
los e saber um pouco sobre si mesmo. Faço-o por entender que a leitu-
ra e compreensão da teoria altera, sem dúvida, o entendimento do
resultado.

Evitando que seja uma viagem sem muito sentido para os iniciantes,
procurei trazer exemplos práticos da vida e suas trilhas, da nossa cami-
nhada, explicando, ainda que de forma bastante reduzida, a filosofia
cabalística, desejando que esta metodologia desperte sua sabedoria oculta
e desafie sua vontade de conhecer mais sobre esta ciência milenar, sem
nada impor, porque acredito que cada indivíduo, à sua livre escolha,
encontra seu jeito próprio de se religar com o Amor, justiça, verdade,
respeito; e quando isso acontece, não importa a denominação que dê à
sua descoberta, se torna filho de Deus.

Acredito no Deus-Homem e no Homem-Deus, e cada nascer e pôr do sol,


cada nova descoberta da ciência, cada nova e bela canção, tudo fortale-
ce esta minha crença. Creio piamente que a inteligência humana tem

6 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


lastro na sabedoria divina. Por isso, busquei lastro na criação do Uni-
verso do Deus-Homem tão bem relatada pela Cabala, e acolhida pelo A Cabala nos ensina que
meu coração para explicar a criação dos números pelo Homem-Deus
neste livro.
temos à nossa disposição,
A Cabala nos ensina que temos à nossa disposição, para aprender e
descobrir quem somos e como funcionamos, 10 números e 22 letras.
Uma légua de vida em que, vencidos os 10 degraus, abertas as 10 portas
para aprender e descobrir
e percorridas as 22 trilhas, podemos falar de nós com mais propriedade,
caminhar com mais leveza, julgar com mais serenidade, sentir como um quem somos e como
anjo e perdoar como um ser terreno o que pode e deve ser perdoado.
Esta evolução pode demorar toda uma vida – uma vida de 100 anos de
existência terrena ser insuficiente – ou acontecer num espaço determi- funcionamos, 10 números
nado de tempo escolhido de forma consciente como meta evolutiva.

Nossa evolução acontece sempre a partir do décimo degrau, ou seja,


e 22 letras.
depois de percorrer todo o trajeto, transpor a décima porta da nossa
Árvore da Vida. É deste ponto em diante que se amplia a consciência do
Ser que somos. A partir desta linha, aprendemos, compreendemos e
despertamos para o poder da construção.

A Cabala explica que assim como o zero a direita do número 1 desfaz


sua unidade ampliando seu poder, transformando a busca e colheita,
ou seja, o 1 num 10, vencer os 10 degraus da Árvore da Vida permite
que, enfim, a matéria (corpo) faça parceria com a inteligência (mente),
porta que conduz à tão almejada sabedoria.

As vinte e duas letras do alfabeto hebraico então é a base, os chamados


caminhos da Árvore da Vida usados como fundamento para o estudo e a
criação da Cabala. Por isso, quando nos valemos dos cálculos da
numerologia cabalística para leitura, só reduzimos à unidade os núme-
ros que se formam a partir do 23, ou seja, reduzimos os números que
não encontram equivalência no alfabeto hebraico de 22 letras, base para
todos os demais que conhecemos.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 7


Como, porém, o propósito deste livro é facilitar o entendimento do
iniciante, vamos nesta obra somar todos os números, os resultados
matemáticos, até reduzir à unidade, a um único número, ou seja, de 01
a 09. Abrindo exceção para o 10; quem encontrar um 10 como resultado
dos seus cálculos vai reduzir a 1, mas terá à sua disposição a tradução
também para o número 10.

Os dez números são representados na Árvore da Vida como sephira ou


sephirot, palavra que tem origem no hebraico e várias traduções nas
literaturas disponíveis. Significa receptáculos, degraus, portas. Uso as
duas últimas por acreditar que são mais fáceis de ser assimiladas na
leitura com exemplos práticos da escalada humana. Voltaremos a Árvo-
re da Vida que liga o Universo a Deus, aos Anjos e Arcanjos aos huma-
nos, em volume próprio dentro da série “De Zero a Dez”.

Falando de Cabala prática, entre as muitas possibilidades de aplicação


a Guematria é a mais conhecida, e nosso foco neste primeiro livro con-
siste em trocar uma letra por um número, abrindo assim as portas para
o novo, para o desconhecido. Na aplicação desta equação matemática,
as letras que tiverem a mesma tradução numérica possuem uma essên-
cia parecida, são coirmãs. Embora algumas letras, como no exemplo
abaixo, quando reduzidas para conhecer a unidade, pareçam iguais,
não o são, pois as fontes são diferentes e conhecê-las, considerá-las na
leitura de uma Cabala, é que permite o respeito pela individualidade de
cada SER, como único que é.

E x e mpl o :

A Letra D tem valor numérico = 4, com fonte em si mesmo.


A Letra M tem valor numérico = 13, que quando reduzido é igual a 4,
mas a fonte é 13, e isso requer uma leitura diferente.
A Letra V tem seu valor numérico igual a 22; reduzido à unidade é = 4,
mas a fonte é 22, a leitura é diferente.

8 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Como pode observar, a soma das fontes resulta numa mesma unidade,
e é esta última unidade que aqui vamos usar, pois o iniciático na Cabala
não é diferente de um aluno primário. É preciso tomar contato com o
ABC básico e ir evoluindo com a escala de evolução do entendimento.
Um cabalista vai se valer de cada número, de cada fonte, de cada unida-
de, das regras e das exceções para fazer sua leitura e interpretação; leva
em conta estas diferenças – o mesmo não se pode pedir ao leitor.

A evolução do caminhante, daquele que trilha a vida em busca do co-


nhecimento e o faz auxiliado pelo estudo da milenar ciência da Cabala,
tem na Árvore da Vida uma excelente ferramenta, um mundo a ser esca-
lado, descoberto, reconhecido. Cada sephira estudada é um degrau ven-
cido, é uma porta que se abre; o conhecimento então vai acontecendo
com profundidade e calma.

Aqui, “a pressa, é amiga da superficialidade”.

O profundo conhecimento de cada porta e de cada caminho que liga


uma porta a outra é que nos permite amadurecer, encontrar a luz da
sabedoria, a prosperidade, a cura, o Eu.

É esta escalada que nos coloca diante do espelho, revelando-nos o ver-


dadeiro D“EU”S que buscamos e o “deus” que somos. Sem esta desco-
berta a felicidade não passa de uma palavra de difícil entendimento,
raro sentir; e a alegria, vento que não faz morada em nossas vidas.
Queria lhe dizer isso antes da escalada.

Na sequência, as perguntas mais comuns feitas em entrevistas, pales-


tras e seminários.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 9


O que está oculto ou 1. O que é Cabala?
Cabala ou Kabbalah (QBLL do hebraico) significa RECEBER. Particular-
parece distante de seu mente, gosto de traduzir Cabala como: Receber por Merecimento a Cura,
pois é isso que sinto ser a busca de quem nos procura para uma consul-

entendimento, hoje, pode


ta; vem em busca da cura para algum ponto de insatisfação.

Dentre tantas, gosto especialmente de três descobertas ou entendimen-

amanhecer no seu tos que o estudo contínuo da Cabala nos permite:

A Que a Cabala é uma ferramenta eficaz na construção do nosso


pensamento como algo tão manual de funcionamento pessoal.
B Que a Cabala nos faz descobrir que a Prosperidade não é privilé-

transparente quanto a
gio da área financeira, não está condicionada à nossa conta ban-
cária: acontece e deve ser buscada em todas as áreas da vida:
Espiritual, Emocional, Afetiva, Social, Profissional, Corpórea.

brisa leve da manhã... C Que a Cabala é a ciência que opera a cura em todas as áreas
citadas acima, pois não limita a enfermidade ao corpo físico.

Se isso lhe soar novo demais para ser aceito como mais uma verdade,
deixe que esta leitura durma com você algumas noites, volte a ler, sem
pressa. O que está oculto ou parece distante de seu entendimento, hoje,
pode amanhecer no seu pensamento como algo tão transparente quan-
to a brisa leve da manhã diante do Sol amanhã. Ouso dizer isso e suge-
rir que você fique atento à sabedoria oculta que habita nosso corpo –
sem estímulo, dorme em berço esplêndido, fica no mais absoluto anoni-
mato.

Nossa sabedoria oculta é acionada pela primeira vez no choro que abre
o pulmão, traz a respiração, fonte de vida, e até o desembarque na linha
final da vida terrena esta sabedoria precisa ser desafiada para dar o
melhor de si para o melhor de nós.

10 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


2. O que um estudioso da Cabala pode esperar desta busca? Não adianta sermos um
A Cabala é fonte de sabedoria, ainda que por vezes oculta, revela que a
Cura e a Prosperidade acontecem enquanto vamos construindo o nosso SER última geração, com
Manual de Funcionamento.

Inicialmente, vai tomando corpo como quem levanta paredes, sem mui- informações privilegiadas,
ta noção de onde isso vai dar, como um discípulo iniciante, que vai
tateando na leitura dos Grandes Mestres. O estudo diário da Cabala é
liga entre tijolos, vai dando forma a paredes e solidez para erguer a casa
se não nos valemos desta
do saber.
condição.
A morada de um cabalista é o conhecimento; suas paredes se susten-
tam com o estudo. E esta é uma casa sem telhado, pois na morada do
conhecimento o desconforto é que estimula a busca.

Não adianta comprar um aparelho moderno, última geração, se não for


para tirar dele todo e o melhor proveito. Não adianta sermos um SER
última geração, com informações privilegiadas, se não nos valemos des-
ta condição. Em ambos os casos o conhecimento é a chave das possibi-
lidades, e o que torna isso possível é o nosso manual de funcionamento
in dividu al.

A doutrina cabalística nos estimula a acreditarmos que cada Ser, cada


geração, assim como toda a criação, necessariamente precisa tirar o
melhor proveito da sua existência.

Sem a pretensão de direcionar sua busca, preciso confessar que é uma


maravilha falar da colheita que o privilégio de estudar Cabala me dá.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 11


Um leão caça hoje usando 3. Como a Cabala acompanha a Evolução Humana?
De forma dinâmica. A Cabala defende que nasce com cada um de nós
o mesmo método “instinto” um “manual básico” que norteia o funcionamento dos humanos desde a
criação do primeiro homem. Esta doutrina humana é como uma heran-

que usava o leão de 100


ça passada de forma verbal de mãe para filha. No entanto, é preciso
aceitar que, para cada novo Ser, se fazem necessárias adaptações, pois,
como tudo no grande Universo, o homem também foi se tornando mais

anos atrás; já o caçador complexo. Nascer, o movimento primeiro para a vida terrena, sofreu
profundas mudanças. Como negar a evolução?

de leões usa hoje técnicas Que bom que seja assim, pois se cada nova geração aprendesse apenas
seguindo exemplos dos que já estavam aqui na sua chegada, não have-

mais aprimoradas do que


ria EVOLUÇÃO, seria tão somente um adestramento, uma chata repeti-
ção de fatos.

usava há um ano atrás. É isso que acontece com os animais: um leão caça hoje usando o mesmo
método “instinto” que usava o leão de 100 anos atrás; já o caçador de
leões usa hoje técnicas mais aprimoradas do que as que ele usava um
ano atrás.

A filosofia cabalística nos convida a valorizarmos tudo o que encontra-


mos pronto e agradecermos à geração que talhou este berço, mas enten-
de que é preciso agregarmos valor, ampliarmos, melhorarmos tudo o
que for possível usando a ferramenta do conhecimento, e na herança
evolutiva deixarmos um berço ainda mais moderno e apropriado para
aqueles que estão programando o retorno à Terra, preparando-se para
nos suceder. O sentido maior de nascer e renascer muitas vezes está na
oportunidade de EVOLUIR.

Ser expulso do Paraíso é só o primeiro passo; o caminho é longo e o


caminhante, mesmo sem ter asas, precisa ousar se almeja vencer o tra-
jeto quando a porta divina se abrir anunciando seu regresso.

12 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


4. A Cabala é uma religião? A Cabala é uma filosofia de
A Cabala não é – nem pode ser confundida – considerada uma religião.
Embora seus símbolos e rituais encontrem eco fundamentalista na mís- vida que desafia a
tica do Judaísmo, do Cristianismo, é uma filosofia de vida que desafia a

inteligência em busca do
inteligência em busca do Saber eterno.

A Cabala gera debates a respeito da compreensão de DEUS, do Univer-


so, da natureza, da alma humana, do homem e sua tarefa neste mundo
criado. Pensada deste jeito, religa o ser humano à fonte divina.
Saber eterno.

5. Onde e como começou a tradição da Cabala?


Sem poder precisar, algumas literaturas defendem que seu início se dera
no Século I a.C.; outras, que teria surgido na época de Moisés, com ele
próprio, enquanto outras ainda defendem que teria seu início com o
patriarca Abraão. E há ainda aqueles que acreditam ser a Cabala uma
sabedoria divina, um conhecimento que nasceu com a chegada do pri-
meiro Ser criado à sua imagem e semelhança – Adão, e continuaria a
evoluir e repassar ensinamentos a todas as gerações que se seguiram
sem interrupção até os dias de hoje. Zoroastro, Pitágoras, Os Reis Ma-
gos, Jesus de Nazaré, o apóstolo João em O Apocalipse, apenas para
citar os mais antigos e grandes cabalistas.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 13


É impossível não respeitar 6. Quais as evidências de que Jesus de Nazaré
tenha sido um grande cabalista?
Jesus como um Grande Os métodos que utilizava na pregação.

Sábio-Cabalista, que coloca O grande Mestre apreciava a mágica dos números: 12 Apóstolos + ele
próprio = 13 = 4.

nas mãos de cada discípulo DEUS, também chamado de Grande Arquiteto, o Grande Matemático.
DEUS é um nome de 4 letras e as letras traduzidas transformadas em
números resultam num 13 = 1 + 3 = 4.
a tarefa da qual dará conta
Deus nomeia 4 anjos para darem sustentação ao mundo, as colunas

com maestria, segundo a da fé.

Jesus, Filho do Homem, assim reconhecido pela sabedoria e fé, se dirige


tradução dos números. a Simão (3) nestes termos: Simão tu és Pedro (4), e sobre esta Pedra
edificarei minha Igreja. Quatro é o número da matéria, do fundamen-
to, por isso para um cabalista é impossível não respeitar Jesus como
um Grande Sábio-Cabalista, que coloca nas mãos de cada discípulo a
tarefa da qual dará conta com maestria, segundo a tradução dos núme-
ros. Saulo (5), o forasteiro, é recebido e passa a fazer parte do grupo,
passando a ser chamado de Paulo (2), o doador, compreensivo.

A Igreja Católica ainda hoje pratica as lições, herança do Mestre Jesus


de Nazaré, e aqueles que ocupam cargos hierárquicos, como os papas,
padres e freiras, são rebatizados e adotam nomes diferentes daqueles
recebidos na pia batismal ou registro de nascimento.

14 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


7. Como todas as tradições, é possível afirmar que a Como tudo no universo, a
Cabala passou por períodos de estagnação e evolução?
Certamente. Nos últimos dois mil anos muitos altos e baixos marcaram Cabala também obedece a
o estudo e os estudiosos da Cabala, como muitas outras tradições e
filosofias.
ciclos: ressurge, divina e
Por exemplo: na Alemanha, entre os anos 1150 e 1250, praticava-se a
meditação para a serenidade da mente; renunciavam-se as coisas mun- atual, pronta para ser
danas; criou-se Golem, fruto de uma alucinação coletiva em êxtase mís-
t ic a .
absorvida pelos que tem
Depois de 1250 até o fim do século XIII e início do século XIV, na mesma
Alemanha manifesta-se com muita força a Cabala profética, cujo maior
representante é Abraão Abuláfia. Nesse período ganha força a parte prá-
fome de saber.
tica da Cabala, a numerologia cabalística, que ensina os métodos de
interpretações por meio de regras específicas para sua compreensão.
Aqui se começa a estudar e a aplicar a combinação das letras hebraicas
e dos 72 nomes de Deus.

Séculos depois, já em 1492, quando certamente se esperava evolução e


entendimento, aconteceu a expulsão dos judeus da Espanha, marcando
uma nova fase no místico judaico. A Cabala passou a ser falada então
em voz baixa, para não perturbar o Universo de homens que, ameaça-
dos pela doutrina de liberdade que a Cabala pregava, só viam ganho na
ignorância e medo que popularizavam.

Durante esta reviravolta e com toda a repressão imposta pelas autorida-


des da época, a Cabala teve como seu maior representante Isaac de
Luria, que, vivendo em Sadef, na Galileia, defendeu e difundiu a ideia da
encarnação e da tarefa do homem como parceiro de Deus. Um silêncio
se fez durante um longo tempo por aqueles que estudavam Cabala, mas
a semente estava sendo germinada, que, como tudo no Universo, obede-
ce a ciclos. Ressurgiu divina e atual, pronta para ser absorvida pelos
que têm fome de saber.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 15


A numerologia cabalística 8. O que é Numerologia?
Conhecida como a parte prática da Cabala, resulta em equações mate-
é uma ciência, com a qual máticas, que estudam o significado de cada letra e cada número na vida
de cada um de nós.

podemos efetuar equações Temos como fundamento de estudo 10 números, 22 letras que formam
os 32 caminhos a serem percorridos por cada um de nós, representados

matemáticas muito simbolicamente na Árvore da Vida.

A numerologia cabalística faz parte da crença popular como algo místi-


precisas. co, misterioso. No entanto, quem a estuda sabe ser tão mística ou mági-
ca quanto a engenharia ou a medicina, para citar poucos exemplos.
É certo que os mistérios de hoje podem ser de domínio popular amanhã
– isso é mágico sem necessariamente ser magia.

Na verdade, a numerologia cabalística é uma ciência, com a qual pode-


mos efetuar equações matemáticas muito precisas.

9. Quem se beneficia do estudo da Cabala prática?


Todos que acreditam nesta ciência milenar, no potencial dos números e
se valem disso, buscando a ajuda de um bom profissional, sejam pes-
soas físicas ou jurídicas.

A numerologia cabalística ajuda na escolha de nomes que os pais dese-


jam para o futuro bebê, revelando a tradução, vibração e origem; a deci-
dir usar ou não vários sobrenomes; utilizar, por exemplo, i ou y, regis-
trar um nome com ou sem H, por exemplo. Também ajuda mulheres a
decidirem se adotam ou não o sobrenome do futuro marido, a criar no-
mes artísticos com foco na área de atuação, e, sem dúvida, aplicar a
Árvore da Vida na empresa para conhecer as potencialidades do grupo
que ali atua é muito eficaz e recompensador.

16 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


10. Que dados são considerados no estudo da numerologia cabalística? A numerologia cabalística
Dia, hora, mês e ano de nascimento, nome de batismo, apelidos, nomes
artísticos, quando estudamos o mapa de pessoas físicas; data da aber- ajuda na escolha de nomes
tura, nome de registro e fantasia, quando se trata de empresas. É muito

que os pais desejam para o


interessante a criação de nomes para futuras empresas levando em conta
o produto/serviço que se vai comercializar.

Estes dados permitem uma leitura dinâmica sobre as fazes do homem,


suas fragilidades, ausências, ilusões, pontos fortes, momento atual, tra-
futuro bebê; a criar nomes
jetória.
artísticos com foco na

área de atuação; a aplicar


Muito bem! Feitas as exposições teóricas, partimos para os capítulos
práticos onde você encontrará:

— a tabela que servirá de base para conversão das letras em núme-


ros;
a árvore da vida na
— um formulário (modelo) para ser preenchido com seus dados pes- empresa para conhecer as
soais;

— as coordenadas que vão permitir que você faça os cálculos de potencialidades do grupo.
forma simples;

— e, na sequência, os capítulos com respostas objetivas para cada


número encontrado.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 17


TABELA BASE DE CONVERSÃO
CAPITULO I

QUE SERÁ USADA NESTE LIVRO

1 2 3 4 5 6 7 8 9
A B C D E F G H I
J K L M N O P Q R
S T U V W X Y Z

Nota — Esta é a tabela que se vai utilizar para transformar seu nome numa equação matemática. Como se
pode observar, cada letra tem um número que a define. É se valendo desta tabela que você encontrará:

1. Número Régio ou Número Social;


2. Número de Alma ou Interno;
3. Número de Talento ou Externo;

Embora todas as vogais e consoantes obedeçam à regra de ter um peso


numérico, é preciso prestar atenção para aqueles que ora são vogais e
ora consoantes, dependendo da posição que ocupam no nome e das
letras adjacentes. São elas: y e w.

18 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


O Y no nosso idioma quase sempre é vogal com som de i, mas para
conhecimento, a regra é considerar vogal quando for a única vogal da
sílaba, quando estiver iniciando nome, quando precedido de uma vogal
e pronunciados conjuntamente: Exemplo: Mary, Yolanda, Ygor, Taylor.

Y como consoante: Yale, Yang, Young

W aparece como vogal: quando pronunciado conjuntamente com a vo-


gal que o antecede com um único som considere vogal.
Exemplos: Mathew, Lawreci, Stwuart.

W como consoante: quando inicia um nome ou vem precedido de uma


consoante. Exemplos: Walter, Willian, Wilson, Schwartz, Edward, Irwin.

Observadas as exceções da regra, hora de seguir adiante no próximo


capítulo modelos de cálculos.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 19


MODELO/EXEMPLO PRÁTICO DE CÁLCULOS
CAPITULO II

Nome de Batismo: MARIA DE NAZARÉ


Data de Nascimento: 26/11/1969
Nome de casada: MARIA DE NAZARÉ (BACERSSO)

Vogais = 23 = 2 + 3 = 5
Consoantes = 39 = 3 + 9 = 12 = 1 + 2 = 3
Total de vogais + consoantes = 8
Régio: 8
Nº de Alma ou vogais: 5
Nº de Talento ou consoantes: 3

Estes são os dados básicos do nome: Maria de Nazaré, nome de nasci-


mento (registro), e lembrando, são sempre estes dados que devem ser
considerados para a primeira e grande análise.

Se, por acaso, ouve inclusão ou alteração no seu nome de batismo (re-
gistro), não considere neste primeiro momento.

Ainda que tenha sido adotado (a) e houve mudança no seu registro de
nascimento, considere sempre que possível e tiver conhecimento o pri-
meiro registro. Depois e na sequência, você pode fazer quantos ensaios
desejar, mas neste que vamos considerar seu mapa original, vamos nos
valer dos primeiros dados completo.

20 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Efetuados os cálculos, preenchido o seu Mapa, é hora de fazer a leitura
dos capítulos correspondentes. Esta leitura não pode ser considerada
uma fotografia, uma radiografia, porque nem todas as possibilidades de
interpretações estão sendo utilizadas neste primeiro volume, nem nes-
tes primeiros capítulos. Cada novo cálculo lhe trará novas descobertas,
mas tenha certeza: já é uma parte interessante da biografia de sua per-
sonalidade. Facetas do seu cotidiano, saúde, trabalho, lazer, espirituali-
dade, família, amizades, qualidades, defeitos serão encontrados a partir
daqui.

Outras Possibilidades
Para novas descobertas podemos efetuar novos cálculos, matando a
curiosidade natural que temos de saber qual a vibração do nome pelo
qual somos reconhecidos, do nome artístico adotado quando for o caso,
do apelido, do nome de casada, e demais variantes que assim desejar.
É comum pessoas relatarem mudanças de comportamento depois de
adotarem um nome artístico, casarem e agregarem o sobrenome do
marido, assumirem um apelido ou escolherem um dentre seus nomes
para serem reconhecidos.

Para saber qual a vibração que alguém passa a contar quando adota um
nome diferente do recebido na pia batismal, damos abaixo exemplo,
usando Maria de Nazaré, agora acrescido de Barcesso:

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 21


Nome de casada: Maria de Nazaré Bacersso
Data de nascimento: 26/11/1969

11 + 5 + 7 + 12 = 35
1 9 1 5 1 1 5 1 5 6 (Vogais)
M A R I A DE NAZARÉ BARCESSO
4 9 4 5 8 9 2 9 3 1 1 (Consoantes)
13 + 4 + 22 + 15 = 55

Vogais = 35 = 3 + 5 = 8
Consoantes= 55 = 5 + 5 = 10 (1) = 1 0
––––
Total de vogais + consoantes = 18 =1+8=9

1- Régio: 9 (18)
2- Número de alma: 8 (35)
3- Número de talento: 10 (55)
4- Dia de nascimento: 26
5- Mês de nascimento: 11
6- Ano de nascimento: 1969
7- Lição de vida/destino: 10

Dia de Nascimento + Mês de Nascimento + Ano de Nascimento=


26 + 11 + 1969=(25)
8 + 2 + 7 = 17 = 8

Maria de Nazaré não perdeu a energia do seu nome de batismo – nin-


guém perde a energia do nome por adotar, fazer modificações. Ganhou
mais uma e nova energia agora do número 9 com fonte no 18; se este é
seu caso, adotou sobrenome em virtude do casamento, ou pretende ado-
tar, tem dúvidas se deve ou não fazê-lo, faça os cálculos e reflita sobre o
assunto depois de conhecer as diversas vibrações, consulte um profis-
si o n al .

22 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Outro exemplo
Digamos que Maria de Nazaré tem outra curiosidade: saber qual a vi-
bração individual do sobrenome BARCESSO que adotou ao casar. É só
c al cu l ar :

1 5 6 = 12 = 3
BARCESSO
2 9 3 1 1 = 16 = 7
3 + 7= 10 = 1 + 0 = 1
Barcesso=
Nº Régio= 1 (10)
Nº de alma= 3
Nº de talento=7

A curiosidade de Maria de Nazaré agora é com o apelido que recebeu da


família, MANA; quer saber o que pensavam e esperavam da MANA seus
familiares.

1 9 1 = 11 =2
MANI NHA
4 5 5 8 = 22 =4
2+4 = 6
Nº Régio= 6
Nº de alma= 3
Nº de talento=7

Como o leitor pode observar, são infinitas as possibilidades de cálculos,


e todos nos fornecem dados importantes.
* Curiosidade
Observados os exercícios feitos como modelo, é hora de trabalhar com São muitas as famílias que dão este
seus dados pessoais. apelido a filha mais velha e dela esperam,
cuidado e dedicação com os irmãos, uma
espécie de segunda mãe.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 23


MODELO-BASE DE CADASTRO PESSOAL
CAPITULO III

= . . . vogais
Nome:
= . . . consoantes
Total de vogais + consoantes = . . . Nº Régio

1. Régio
2. Nº de Alma ou vogais
3. Nº de Talento ou consoantes
4. Dia de nascimento
5. Mês de nascimento
6. Ano de nascimento
7. Destino ou Lição de Vida
8. Nome de casada
9. Sobrenome de casada
10. Apelido ou nome artístico

Dia de nascimento
+ Mês de nascimento
+ Ano de nascimento
= Destino/lição

24 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Importante
1. Antes de fazer seu cálculo pessoal, entendo ser pru-
dente que observe o exemplo dado com atenção e
faça um cálculo usando os dados do exemplo para ir
tomando contato com a metodologia que, embora
muito simples, requer atenção, pois um erro de cál-
culo resulta numa leitura totalmente equivocada.

2. Leia e releia com muita atenção os dados que regis-


trar no cadastro, garantindo que preencheu correta-
mente, que deu a cada vogal e a cada consoante o
valor citado na tabela. Refaça uma, duas vezes ou
tantas quantas forem necessárias a operação antes
de dar como certo o cálculo encontrado, pois se dei- Perguntas e Respostas
xar faltar uma letra, ou repetir uma inadvertidamen- que facilitam o entendimento
te, o resultado estará incorreto, e a leitura, a tradu- dos cálculos
ção que você vai obter, também.
1. Como encontramos o nosso Número de
3. Minha sugestão é que faça a lápis ou num caderno à Alma?
parte, pois é preciso refazer, tantas vezes quantas Resposta: Somando todas as vogais do nosso
forem necessárias, até garantir que os resultados en- nome e reduzindo até encontrarmos uma
unidade.
contrados estejam corretos. Deles depende a correta
interpretação que você vai encontrar nos capítulos
2. Como encontramos o nosso Número de
correspondentes. Talento?
Resposta: Somando todas as consoantes do
4. Não vou cansar de repetir: erro no preenchimento nosso nome reduzindo até encontrarmos uma
dos seus dados ou erro de cálculos = erro de inter- unidade.
pretação. Para os que ainda estão em dúvida de como
encontrar o número régio, número de alma e núme- 3. Como encontramos o nosso Número
Régio ou Social?
ro de talento, vejam na coluna ao lado perguntas e
Resposta: Somando o total de vogais com o
respostas que ajudam a elucidar.
total de consoantes reduzindo até encontrarmos
uma unidade.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 25


DIA/MÊS/ANO DE NASCIMENTO
CAPITULO IV

O exemplo abaixo explica como encontrar dados necessários para seu


Mapa, agora considerando a data de nascimento:

Segunda parte dos cálculos


1. Dia de nascimento: 26 2+6 =8
2. Mês de nascimento: 11 1+1 =2
3. Ano de nascimento: 1969 1 + 9 + 6 + 9 = 25 2 + 5 =7
4. Total: 8 + 2 + 7 = 17 = 1 + 7 =8

Como resultado da equação acima, encontramos:

1. Como age? 8
2. Como sente? 2
3. Como pensa? 7
4. Destino/Lição de Vida/Degrau de aprendizado: 8

26 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Importante
Caso seu registro de nascimento fosse efetuado com dia, mês e ano
diferente da sua real data de nascimento, então hipoteticamente você
teria duas datas de nascimento: o dia em que realmente nasceu, e a
data em que foi registrado.

Para o cálculo deve ser considerado sempre o dia em que efetivamente


nasceu. Um registro com data de nascimento diferente do dia em que
realmente nasceu pode ter mil explicações, ainda e assim não retrata a
ve r d a d e .

É também na data em que você nasceu e não na de registro, quando


estas diferem, que deve festejar, abrir o champanhe, agradecer pelo seu
Ano Novo que nasce em cada aniversário e tem doze meses para nos
revelar sua face, disponibilizar sua energia.

Terminada a etapa de cálculos na sequência, os capítulos correspon-


dentes trazem a tradução dos números encontrados no seu Mapa onde
há respostas que vão ajudar você a encontrar partes de si mesmo.

Boa viagem e bons encontros.

Dica
Como encontramos o nosso Número de
Destino e/ou Lição de Vida?
Resposta: Somando o dia, o mês e o ano de
nascimento.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 27


NÚMEROS RÉGIOS
CAPITULO V

Introdução
Número régio ou social é a soma de todas as vogais e consoantes do
nome. É o estudo do nosso ABC particular. É o resultado da união das
letras que compõem nosso nome. Fala da nossa personalidade, da nos-
sa saúde física e mental, da energia, vontade, determinação, das fragili-
dades, dos medos, das tendências profissionais, do jeito de lidar com
temas como o amor, espiritualidade, amigos, trabalho, grupos sociais.

Revela, por exemplo, como maquiamos os sentimentos revelados pelo


nosso mês de nascimento, quando não desejamos confrontos com o as-
sunto. Como preparamos uma cama de gato, surpreendendo aqueles
que acreditam nos conhecer tão bem como a palma da mão (ditado po-
pular). Unir atitudes do régio + ação do dia de nascimento revela ainda
nossa capacidade artística de pensar sim e responder não. Todos nós
fazemos isso, mas cada um se valendo de uma forma de pensar única,
uma linguagem especulativa e sem tradução.

Nota
Embora nossas respostas estejam como acordadas, concentradas entre
o número 01 e o 10, abre este capítulo uma explanação sobre o Zero,
pois sem ele não é possível entender a existência dos demais. É como
pensar no homem sem Universo. O Zero é o Universo que cria e acolhe
todos os demais números. Veja:

28 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


E Deus tomou o zero. . .
O vazio, o nada absoluto, a possibilidade do todo, o útero ainda não
fecundado, o Universo infinito de possibilidades e profetizou: “haja luz”.
E assim Deus habitou o zero, Universo dos Números, e o vazio; o Nada
Absoluto se torna o celeiro de infinitas possibilidades, um celeiro onde a
inteligência humana seria desafiada e Deus começa a contar os dias de
sua criação, e assim... o Planeta dos Números estava criado!

Repito: embora neste volume da série “De Zero a Dez” vamos falar ape-
nas dos números 01 a 10, não é possível falar dos habitantes sem falar
do Universo que os acolhe. Por isso dedico um espaço especial ao zero.

Para habitar o Universo ou povoar o Planeta dos Números se fez neces-


sário tomar o vazio fértil, e de posse de si mesmo como primeiro habi-
tante, somar, multiplicar, ousar nas equações matemáticas para diver-
sificar os resultados.

Este raciocínio faz da Matemática uma ciência exata, descoberta pelo


homem, que se permite brincar de Deus. O zero é luz que se materializa
nos encontros, e nesses encontros, cada número soprando o zero passi-
vo o faz ativo. O zero posicionado atrás de um número potencializa seu
valor; posicionado à frente, garante e fortalece a unidade, mas sem in-
terferir no valor desta unidade, como acontece quando vem depois. O
zero, embora tenha personalidade própria, tem seu valor reconhecido
quando se torna companheiro de um número.

Co nfira:

0 – 01 – 02 – 03 – 04 – 05 – 06 – 07 – 08 – 09 – 10

O zero é um bom companheiro como abre-alas dos números de 01 a 09,


mas é depois do 09, como 10, que ele estreia numa cadeia evolutiva.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 29


Admirando esta criação, Admirando esta criação, Deus profetiza:
“Eu sou o Início e o Fim, e tudo que há em mim.”

Deus profetiza: O mágico sinal de Mais (+), que eu chamo de dedo de Deus, permite que
a primeira unidade, um número impar, repetindo seu valor, conquiste

“Eu sou o Início e o Fim, e


um par, para sua caminhada; a soma das suas faces o transforma em
um 2. Sem interferência divina, usando a matemática dos encontros, a
vontade compartilhada por esses dois primeiros números faz nascer a

tudo que há em mim.” trindade humana, um útero para a criação do 3, e assim, sucessiva-
mente, os encontros vão acontecendo, e as equações resultantes desses
encontros vão povoando o Planeta do Números.

Como primeira lição a Cabala nos ensina que a vida é a arte de nos
abrirmos para receber, e que aqui deve haver cuidado, pois somos in-
fluenciados, tocados e transformados por tudo o que aceitamos, assim
como na troca transformamos e passamos adiante parte de nós.

Em Gênesis, referência para o estudo e entendimento da Cabala, está


registrado que, na primeira etapa da criação, Adão e Eva eram seres
espirituais, um ser único de duas faces, reproduzido à imagem do seu
criador e possuindo as energias masculina e feminina, só separados ao
se tornarem humanos.

Esta unidade divina volta a acontecer cada vez que um encontro de


números/seres acontece, unindo partes separadas na criação, reprodu-
zindo semelhantes.

Vejo cada corpo como um templo e assim deve ser sentido e cuidado.
Um santuário que só pode ser compartilhado com aqueles que assim
também o considera, sob pena de violação, pois cada encontro pode ser
visto como o reencontro da unidade depois de uma longa separação.

Nas páginas seguintes, vamos estudar cada número de forma separada


e, unindo-os, vamos evoluir na compreensão do todo.

30 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Vamos ainda nos deparar com os extremos que cada indivíduo atinge,
conquista, produz de acordo com a leitura, tradução dos números. Por
vezes, pode parecer contraditório, mas antes que alguém se antecipe em
conclusões infundadas, é preciso explicar que, se os números são a
tradução da nossa personalidade, não pode haver perfeição.

Não há número perfeito, porque nem Deus nem o homem o são. Se


Deus criou o Mundo e suas imperfeições, que resultam em catástrofes
naturais, o homem cria homens com seus instintos de destruição e
maldades, capazes de reproduzir com maestria a capacidade de destrui-
ção de grandes tufões; e ainda assim, no coração deste mesmo Ser com
sede do mal, pode haver espaço para o Amor, um degrau frágil que der-
ruba guerreiros.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 31


RÉGIO 1
Cor correspondente: Vermelha
E assim... Deus Criou o Homem/Mulher (1).

E Deus disse: Façamos o homem humano à “nossa” imagem e seme-


lhança...

Façamos! Isto quer dizer que Deus falava com sua alma gêmea. Com
seu par. A imagem e semelhança, pois sua sabedoria suplantou o ego de
criar alguém igual a Ele mesmo. A beleza não está no pintor, mas na
pintura.

“Façamos” reforça a crença num deus andrógino, indiferenciado, e não


um ser assexuado, como acreditam ou querem nos fazer acreditar al-
guns. Deixa claro que é a moldura que talha na medida exata sua cria-
ção, homem e mulher; no reflexo deste espelho são vistos como seme-
lhantes ao Criador, a imagem de Deus, encaixe na medida da moldura.
Quando Deus-Homem, Arquiteto Divino, expulsa de dentro de si (do
vazio que habitava seu Ser) a solidão do Ser-Único, e abre mão do poder
absoluto, vê-se no espelho como um ser humano com duas faces, e
experimenta o êxtase, alívio, por ver seu Universo novamente inteiro e
pronto para novas criações.

Este mesmo sentimento Deus sabia que seria manifestado por sua face
feminina, pelas mulheres do mundo terreno. Cada ser expulso do útero,
paraíso do Ser gerado, traz alegria e um alívio por ter de volta o universo
que lhe pertence, pronto para novas gestações.

O 1 divino pode ser entendido como a reprodução que Deus fez de si


mesmo, o 1 humano como a arte de reproduzir de forma espetacular o
feito divino. O 1 é conhecido como a unidade, vitória, homem, virilidade,
agressividade, ego, sol, fogo, Pai, liderança, tirania, autoritarismo, ego-
í s mo .

32 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Um número que detém as forças positivas e negativas combina inteli- A grande virtude do 1 está
gência criativa e capacidade de destruição; a vontade determina a rota.

Assim como o criador primeiro, a grande virtude do 1 está na sua capa- na sua capacidade de
cidade de tomar iniciativa, trazer para si a responsabilidade de fazer o
que todos sabem que deve ser feito, mas temem. É capaz de atrair cola-
boradores e cativar seguidores, pois coloca entusiasmo e transmite con-
tomar iniciativa, trazer
fiança em seus projetos. O ego e o gosto pelo poder são seus maiores
adversários; pode se tornar um deslumbrado consigo mesmo, e este para si a responsabilidade
exagero o cegar a ponto de se tornar autoritário, injusto, tirano, odiado
na mesma proporção da admiração que gera sua capacidade de decidir
o rumo das coisas. de fazer o que todos sabem
A espiritualidade de uma pessoa 1 e a forma como conduz e pratica sua
crença, sempre podem servir de doutrina para seus admiradores, pois
que deve ser feito, mas
mesmo que não seja ligado a uma religião, ou seja, mesmo do tipo ateu,
a pessoa que tem personalidade 1 busca um caminho que o leve ao temem.
encontro do mundo espiritual. Essa busca é muito parecida com todas
as demais que ele faz para preencher suas lacunas e a necessidade de
independência, questionando sempre, abrindo portas para as dúvidas,
pois é com elas que faz a construção da própria da crença.

O número 1 costuma ter personalidade que fascina os menos seguros e


determinados, e isso tem um charme que torna uma pessoa atraente
pela forma de ser, agir; geralmente é pessoa de bom humor, mas quando
dá para viver dias ou ciclos de poucos amigos, pode ser vista como insu-
portável, pois pode sem nenhuma cerimônia agir de forma grosseira. A
necessidade de estar sempre criando, decidindo, pode levá-la a enfure-
cer com certa constância e também de se sentir única, e isso cria um
muro de egoísmo que inviabiliza as relações. A solidão de um tipo um, o
vazio fora de hora é remédio amargo, mas necessário à sua evolução.
Quando o 1 aprende e tira lição deste momento, aumenta a chance de
acreditar que merece ser amado pelo que dá. É comum encontrar gran-
des líderes em todas as áreas profissionais com personalidade 1, justa-

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 33


Quando a emoção tomar mente pela capacidade de conduzir e de se antecipar nas decisões, de
gostar do comando e não se incomodar com os comentários alheios. Por
gostar da própria companhia e assim se sentir bem trabalhando sozi-
conta do ambiente, seja o nho, o 1, muitas vezes, prefere ser profissional liberal, ou dono de um
pequeno negócio, a ser empregado de grandes empresas e receber or-

primeiro a liberar as dens. Aliás, esta é uma grande dificuldade do 1: é muito bom dando
ordens, mas nem sempre consegue recebê-las e absorvê-las. Seu suces-
so está na capacidade de começar e recomeçar tantas vezes quanto fo-
lágrimas, seja o exemplo rem necessárias, sem se sentir coitadinho. Deixa o passado no seu devi-
do lugar e inicia o velho com cara de novo.

para os que lhe seguem. O 1 é um número ímpar, masculino e traduz a energia das letras: A = 01
J = 1com fonte no 10, e S = 1 com fonte no 19.

E assim como os demais números, a fonte diferencia um três de outro.


Entre o zero e o 100 há fontes que reduzidas resultam em 1. São elas:
10; 19, 28, 37, 46, 55, 64, 73, 82, 91.

A saúde de uma personalidade 1 depende de sua atividade mental e,


principalmente, física. Quem nasceu com a vibração 1 e leva uma vida
sedentária está caminhando dentro do contrassenso. Isso leva a uma
deformação da sua essência, pois ele possui sob seus cuidados uma
máquina que precisa estar em constante movimento para criar e repro-
duzir com eficiência. Se quiser ter saúde mental, pratique atividade físi-
ca – esse é um conselho que pode e deve ser testado na prática.

Quando a emoção tomar conta do ambiente, seja o primeiro a liberar as


lágrimas, seja o exemplo para os que lhe seguem; afinal, não só de razão
é feito um número impar: bem trabalhado, deixa-se dividir e até lapidar-
se.

34 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


RÉGIO 2
Cor correspondente: Laranja
E assim... Deus criou o 2.

Deus nominou suas partes. Separou a luz das trevas, chamou à luz Dia
e às trevas Noite. Contemplou sua obra e disse:

“Não é bom que o homem esteja só; vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja
adequada” (Gênesis 2-18-). E assim Deus criou a mulher, companheira
da sua face humana, e abençoou sua criação nestes termos: Multiplicai-
vos, enchei a terra e submetei-a. (Gênesis 1 – 28).

Deus, percebendo que não era conveniente que Adão, seu lado masculi-
no humano, sua criação ficasse só, revelou sua face humana feminina,
Eva, a primeira mulher, e com esse gesto começa a povoar a Arca/Terra
com os pares perfeitos.

Luz ou Espírito Santo, terceira pessoa da Divina Trindade, é o sopro


primordial da vida, possibilidade que habita as entranhas femininas,
terra fértil que acolhe a semente e a faz germinar.

A primeira noção de divisão e de compartilhamento nasce com o dois,


com a mulher.

O homem toma a mulher como esposa, a mulher doa a si mesma como


mãe e entrega sua cria para formar outros pares.

O 2 é reconhecido como o primeiro número feminino, a dualidade, a


diplomacia, o diálogo.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 35


A mulher, símbolo do Número Régio 2
Chamado de a grande dualidade universal, o primeiro a ser criado que
número 2 na criação do aceita a divisão. Veio para aprender a desenvolver tato e diplomacia; ser
um ser gentil, sociável, político por natureza da criação, a mulher, sím-

Universo, negocia sem bolo do número 2 na criação do Universo, negocia sem agredir, sem
usar a força física, e sem exigir (exige), conquista seu espaço, quebra a
unidade do 1 e o leva a querer mais, a se disponibilizar, contribuir efeti-
agredir, sem usar a força vamente na criação do 3.

Os olhos de um 2 é o coração, por isso é um pacificador, um líder comu-


física. nitário que conquista sua liderança se disponibilizando, pois que se
preocupa com a comunidade e aprende com ela a ser persuasivo, idea-
lista determinado sem demonstrar teimosia, encontrar o meio numa
discussão. O 2 é também o intelecto, a percepção e a consciência do
tempo e espaço.

Tem senso de justiça, pois sempre teve de negociar seu lugar no Univer-
so. Chegou ocupando o segundo lugar e chegou ao topo da pirâmide
negociando; é imparcial, compreensivo e tem uma capacidade incompa-
rável de entender os outros; gosta de ouvir todos os envolvidos antes de
dar uma opinião. Criativo e romântico, adora receber flores, dengos,
cartas de amor, elogios, e também se dá em troca, podendo ser conside-
rado por muito, independentemente do sexo, uma mãe. Gosta da com-
panhia dos amigos, de preservar amizades, que podem perdurar por
toda a vida.

O 2 é quase sempre o número das pessoas passivas, e que precisam do


apoio dos outros. Por isso gostam que tudo seja realizado num espírito
de união e harmonia.

Por outro lado, o espírito pacífico muitas vezes prejudica quem vive a
vibração do 2, pois pode se tornar submisso e indeciso, e a dúvida levá-
lo a ter desejos eternos que nunca se realizam. Timidez excessiva e uma

36 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


dose considerável de insegurança podem ser os companheiros
inseparáveis, por isso muda de humor com facilidade e não gosta de ser
O 2 tem como símbolo a
criticado, pois se vê como ser de bondade e tolerância. O problema é
quando todos ao seu redor têm a mesma visão, e se valem disso para Lua, volátil, espirituosa,
tirar proveito, ele se sente inferior e coitadinho, sentimentos que não
acrescentam valor nem acolhem o crescimento.
imaginativa, louca, delicada
Pode nascer em família barulhenta, encrenqueira, para ter a oportuni-
dade de usar seu dom de apaziguar os ânimos e as disputas, por preci-
sar de companhia ainda e aquelas que não são necessariamente agra-
passional, instável por sua
dáveis. O negocio é ter companhia. Por temer cometer erros, pode deixar
num lugar seguro e esquecido a dádiva da coragem. Isso pode levar um própria natureza.
2 a manter um casamento de conveniência afetiva ou financeira; a pro-
teção, ainda que ilusória, o atraí.

Profissionalmente, também busca ter parceiros, sócios, pela necessida-


de de partilhar ou por não sentir segurança para tomar todas as deci-
sões. É um bom político; portanto, pode fazer carreira nesta área, e
também como diplomata, assistente social, negociador, terapias alter-
nativas, e tudo e qualquer profissão que lhe permita a doação de si
mesmo, das ideias e de colocar em prática seus ideais de paz.

O 2 tem como símbolo a Lua, volátil, espirituosa, imaginativa, louca,


delicada passional, instável por sua própria natureza.

O 2 é o primeiro número par feminino, e no alfabeto traduz a energia


das letras: B = 2, K = 2 com fonte no (11) e T = 2 com fonte no 20; tem
como fonte numérica entre o zero 0 e o 100 as seguintes fontes: ele
mesmo, e os números 11, 20, 29, 38, 47, 56, 65, 74, 83, 92.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 37


RÉGIO 3
Cor correspondente: Amarela

E assim. . . Deus Criou o 3.

Deus, agora, tinha como ampliar o diálogo! Fechara-se o Triângulo: Pai,


Mãe natureza, filho/Luz da expansão.

Resposta do “Crescei e multiplicai-vos, preenchendo as águas dos ma-


res e o espaço vazio entre a terra e o firmamento”.

Por isso o 3 é conhecido como o número da Comunicação, dos filhos, do


amor; simboliza o mito desta criação; é a expansão, a energia, o culto, o
riso, também visto pelos numerólogos como a representação perfeita do
Sol.

No evento da criação o triângulo se faz e se desfaz continuamente. E o


homem, assim como a mulher adulta, deixa pai e mãe (aqui se desfaz
um triângulo) para se unir e ser uma só carne (dá-se aqui o reencontro,
a Unidade). Cada vez que deste encontro um filho for gerado, um novo
triângulo se forma. No tempo, o futuro, naturalmente ou não, irá desfa-
zer, transformar.

Quando o diálogo começou a acontecer entre as criaturas, Deus sinali-


zou o futuro profetizando:

Aqui está o homem que, pelo conhecimento do bem e do mal, se


tornou um de nós.

Deus provoca o tempo todo com palavras a preguiça do homem, pois


sabe que proibir, criar uma aura de mistério, é a única forma de tirar o
3 do jardim do Éden e colocá-lo no Universo terreno. A fala solta e, por
vezes, incompreensível de Deus anuncia o nascimento do 3.

38 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


O número 3 pode ser visto como a primeira noção de vida em sociedade,
pois vem para expandir o diálogo. Ao mesmo tempo em que o 3 volta a
O número 3 é o número da
abrir a casa dos números primos, que trazem certa individualidade e
timidez, a duplicação de si mesmo traz o 6, um número par, ampliando comunicação, ou a falta
o conceito de sociedade. O número 3 é o número da comunicação, ou a
falta dele, representando o triângulo conhecido como princípio familiar:
pai, mãe, filho. É também reconhecido como a casa do amor, da fé e da dela, representando o
esperança. Um 3 tímido nunca perde a esperança de se transformar
num conquistador, um locutor que declama poesias em vez de apenas
escrevê-las, admirá-las.
triângulo conhecido como
Quase sempre o 3 tem o dom da palavra, escrevendo, representando, princípio familiar: pai,
falando, por isso deve procurar utilizar-se desta arma (da boa expres-
são) para desenvolver e expressar seus talentos, pois tem qualidades
intuitivas e bom humor, o que o ajuda na comunicação com o Universo mãe, filho. É também
que o cerca. Na outra curva de sua personalidade estão a impaciência, a
intolerância e a crítica, muitas vezes sem muito juízo dos fatos, e esses
rompantes trazem desconforto, perdas e muitos pedidos de desculpas,
reconhecido como a casa
por vezes desnecessários se usasse o bom senso e dominasse a impulsi-
vidade da língua. do amor, da fé e da
Se há um conselho que o 3 deveria seguir para não colecionar micos e
prejuízos é a humildade. Não seja otimista com dados sem fundamento, esperança.
que estão no ar, nem acredite que tudo pode por ser mais capaz que a
grande maioria dos mortais. Ser confiante é diferente de ser arrogante,
mas a linha que separa esses comportamentos é muito sutil, e para os
mais deslumbrados com o sucesso, ainda que seja tão somente uma
possibilidade, é imperceptível. Portanto, o otimismo sem fronteiras não
é sadio e pode tirar dos mais afoitos o senso de responsabilidade e con-
tato com o lado real da vida.

O equilíbrio e a maturidade de um 3 vão definir a próspera felicidade na


sua escolha profissional, pois, embora ele fale muito, o muito que os
mais próximos dizem atinge mais que seus ouvidos, influenciam sua
vo n t a d e .

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 39


Profissionalmente, o Assim, a família que o acolhe pode reprimir seus talentos, forçando-o a
seguir profissão com tarefas de rotina e trabalhos mais que manuais.
Quando isso acontece, seus talentos criativos, a iniciativa e o talento
sucesso do 3 está para as artes podem ficar adormecidos.

diretamente ligado com a Quando e se momentaneamente não tiver forças para lutar contra isso,
pense que nada é ou tem de ser definitivo. Lembre-se de que, se perde-
mos o controle sobre a copa de uma árvore que cresce, a família também
liberdade que encontra um dia perderá este controle sobre você. Embora sabendo que um 3 é
muito ligado à família, a recomendação é: lute para colocar em prática o
melhor de si mesmo.
para exercer suas
Se usar do dom do convencimento, que traz o calor e tem a cor do ouro,

atividades – precisa de do poder, poderá ser um vencedor, e não se transformar por vingança
num tirano que esquece a família de onde veio. Quando não é com-
preendido e aceito, pode-se transformar em alguém amargo, distante o
espaço. suficiente para, embora estando perto, sentir o frio da solidão daqueles
que o rodeiam, sem aparentemente se deixar tocar. Use o dom da pala-
vra para pedir apoio e carinho – ninguém, afinal, adivinha suas carênci-
as. Poucos têm sua capacidade de falar tudo o que sentem; portanto,
não acredite que todos os tímidos são insensíveis.

Como acha natural falar, fala muitas vezes sem nenhuma censura das
suas dificuldades pessoais, até das mais íntimas, com naturalidade.
Também fala e dá opinião a outros sem se preocupar ou se dar conta
dos constrangimentos, mas se constrange e magoa com as críticas
alheias.

A numerologia diz que um 3 bem treinado é um excelente orador. Sem


treino e freio, um falastrão incurável cansa os ouvintes e faz intrigas
com facilidade, no degrau da inocência ou deliberadamente. Popular-
mente é possível identificar um 3 sem que se tenha conhecimento de
numerologia. Observe os comentários: não fala nem recebendo em ouro,
ou fala até pelos cotovelos. Ali está o dono de um número Régio 3 ou

40 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


alguém que tem ausência de 3 no nome e/ou na data de nascimento.
Por necessidade de construir este degrau (alicerce), fala pelos cotovelos.
Mas o 3, de um modo geral, é comunicativo, tem preocupação com suas
formas físicas e também com a moda; gosta do que o dinheiro pode
comprar. Aqui devemos sempre considerar o todo, por isso sem genera-
lizar, pois o conhecimento nos convida a não tirarmos conclusões preci-
pitadas nem sentenciarmos o comportamento de alguém pela tradução
de um único número.

Mas algumas personalidades 3, não poucas vezes, compram muito além


do que seu dinheiro pode pagar. Sua vaidade os coloca numa saia justa
na hora de fechar a contabilidade pessoal, por isso a coluna de despesas
pode se mostrar bem superior à de rendas. As festas em sociedade,
coisa que apreciam muito, assim como as festas entre amigos, onde
gostam de comparecer trajando e exibindo peças de grife, podem ser um
motivo para desequilibrar as finanças. Têm sempre desejo e disposição
para experimentar as coisas prazerosas que a vida oferece. Gostam muito
de estar rodeados de gente, de afinar os relacionamentos entre os mem-
bros da família e, com raras exceções, são do tipo que adora crianças.

Profissionalmente, o sucesso do 3 está diretamente ligado com a liber-


dade que encontra para exercer suas atividades – precisa de espaço –, e
mesmo que tenha uma especialidade, vai sempre colocar uma pitada de
gosto próprio, dar opinião sobre tudo que o cerca. Conselho
Um 3 precisa cultivar a tolerância, a paciência, a
Qualquer ramo de atividade em que as palavras escritas ou verbais pos- concentração, e precisa ainda aprender a não
sam ser utilizadas – palco (ator, cantor), representação, vendas, advoca- dispersar talentos. Seus interesses por muitas
cia, jornalismo, marketing, etc. – o favorece, além daquelas sinalizadas áreas ao mesmo tempo o deixam sem saber
onde e como agir de forma prática e eficaz. Ou
pela hora de sua chegada à Terra e pelo seu dia de nascimento. É im-
seriam as múltiplas possibilidades que dificultam
portante lembrar que nenhum número por si só define uma personali-
a escolha de uma única? O 3 é o terceiro
dade e suas possibilidades de sucesso. Agregue o máximo de informa-
número da série unidade, impar, masculino e no
ções disponíveis através dos números que o traduzem, e só depois faça alfabeto traduz as letras: C = 3, L = 3 com fonte
sua lista de prioridades. no 12, U = 3 com fonte no 21. Fontes numéricas
entre 0 e 100: 3, 12, 21, 30, 48, 57, 66, 75, 84,
93.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 41


RÉGIO 4
Cor correspondente: Verde

E assim Deus criou o 4...

O Quarto Anjo fez soar a trombeta!

O gesto do Anjo atingiu uma terça parte do Sol, da Lua, das estrelas,
desfez o triângulo e, por consequência, o dia e a noite perderam um
terço de sua claridade. Estava instalada a necessidade do construtor.
Depois, vi quatro anjos que se conservavam em pé nos quatro cantos da
Terra, detendo os quatro ventos para que nenhum vento soprasse sobre
a terra, sobre o mar ou sobre árvore alguma. Vi, ainda, outro anjo subir
do Oriente trazendo o selo de Deus vivo e clamava com voz retumbante
aos quatro anjos:

“Não danifiqueis a terra, o mar ou as árvores, antes que tenhamos


assinalado os servos de Deus em suas frontes.”

Ordenou ainda Deus:

“Seja preservado sempre um quarto dos quatro cantos do Mundo.”


(Gênesis 1: 11 – As origens)

Esta citação nos faz acreditar que o Universo jamais será instinto. A
simbólica arca de Noé, que sobreviveu ao dilúvio com um casal de cada
espécie que havia sobre a terra, é uma das quatro partes da terra citada
pelo criador. A história da criação é uma tela inacabada pelos séculos
dos séculos; a geração que parte deixa tinta e a que chega renova os
pi n céi s.

O quatro é a resignação, a construção, a reconstrução, a terra que ali-


menta, faz a semente germinar, o trabalho que prospera.

42 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Depois de termos passeado pela história da criação do Mundo, da cria- O 4 é conservador e
ção do Homem, visto de outro ângulo a multiplicação da espécie pelo
homem; de termos caminhado pela casa da comunicação, do amor e dos
filhos, e assim fechado o primeiro triângulo, chegamos ao Planeta Terra. prefere fazer as coisas
Finalmente começamos a organizar o Universo.

São quatro estações no ano: primavera, verão, outono, inverno; quatro


como sempre foram feitas.
pontos cardeais: norte, sul, leste, oeste; organizados, os elementos são:
fogo, água, terra e ar, e prosseguindo enquadramos as operações mate-
máticas: adição, subtração, divisão e multiplicação; temos no corpo hu-
mano quatro partes fundamentais: sanguínea, linfática, biliosa e nervo-
sa; e na Cabala temos quatro mundos:

— Mundo Divino;
— Mundo Astral;
— Mundo Mental;
— Mundo Físico.

Todo este rodeio é para finalmente revelar que o número 4 representa a


Terra, traduz a personalidade de uma pessoa racional, pé no chão, de
temperamento estável, mas esta mesma pessoa racional e previsível pode
tornar-se violenta quando perde o controle das emoções.

O 4 é conservador e prefere fazer as coisas como sempre foram feitas;


não é dado a fazer grandes mudanças; prefere caminhar por trilhas já
desbravadas, conhecidas. Por isso pode ser visto como uma pessoa ex-
tremamente normal, mesmo previsível, mas tende a guardar segredos e
mantém uma aura de mistérios quando isso lhe convém. Não é dado a
falar sobre suas dores e fragilidades, não gosta de comentários a respei-
to de sua vida; prefere o anonimato ao palco, mesmo com seus feitos,
com sua bondade e doação.

O 4 veio para aprender a ser prático, ter os pés na terra. É responsável,


conservador, mas precisa aprender a receber ordens para entender o que

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 43


O 4 não teme em usar a os demais sentem quando são comandados por ele. Deve exigir de si mes-
mo o que exige dos outros. Quando as palavras, ainda que duras, não
funcionam, o 4 não teme em usar a força, por isso ele é também conhecido
força, por isso ele é como o número militar, que dificilmente muda de opinião e não teme o
confronto. Saiba, porém, que esta postura tira espaço para inspiração,

também conhecido como o mesmo sendo ilimitado seu campo de atuação quando se pensa em organi-
zação e ordens. Esta rigidez de pensamento e ações traz, às vezes, a falta
da crença, falta de espiritualidade criativa, e muitos veem o Ser regido pelo
número militar, que 4 como alguém que convive vida afora com a inexperiência jovem. A certeza
de estar sempre certo não cede lugar para o crescimento, aprendizado.
Julgando tudo saber, o jovem se rebela e nada mais aprende, conhecendo
dificilmente muda de apenas sua própria repetição de atitudes – o 4 corre esse risco.

opinião e não teme o É representado pela carta do Imperador, o poder sobre a terra. O
tetragramaton: ar, fogo, terra, água, que são os quatro elementos indis-
pensáveis à vida do planeta Terra.
confronto.
É o número do homem, do planeta Marte, eterno guerreiro e amante das
lutas como fonte de poder.

Autoritário, por vezes exageradamente rígido, perde o controle quando


as coisas não são do jeitinho que quer.

Meticuloso e perfeccionista, vê tudo e critica tudo. É implacável; concen-


tra-se demais em pormenores e pode assim negligenciar coisas maiores.

O ramo dos negócios quase sempre lhe traz o sucesso. Se puder ter seu
próprio negócio, vai trabalhar com mais afinco e disposição, mas preci-
sa ter cuidado para não virar um tirano na visão daqueles que emprega
e comanda.

Eficiência, organização, disciplina, honestidade, lealdade, segurança,


trabalhador, “pé no chão”, atenção e praticidade são alguns dos muitos
valores que habitam no 4.

44 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Conselho de amigo? Tenha mais “jogo de cintura” e menos obsessão
pelo trabalho, e seja menos perfeccionista: isso vai melhorar sua fama
de chato, exigente.

Sabe que é um excelente trabalhador, construtor e, por isso mesmo,


normalmente as tarefas confiadas a um 4 são executadas de forma cor-
reta e dentro do prazo previsto. Honestidade é outra de suas caracterís-
ticas; gosta de tudo “muito certinho” por ser muito conservador. Mas é
também considerado o Sal da Terra, o artesão, pois é quem constrói, dá
forma ao Universo.

O lado positivo do 4, portanto, é seu jeito trabalhador, construtor. O 4


literalmente põe a mão na massa; é ele que domina e manuseia as má-
quinas. É o 4 que ara a terra, semeia, colhe, transporta. É o símbolo da
produção.

Mas como nem tudo são flores, um 4 pode esquecer-se de si mesmo e


dos que ama em função do trabalho. Por isso pode se tornar o cara do
contra, o chato que nunca tem tempo para o lazer.

Um 4, quando está no papel do pai, mãe, marido ou esposa, é sempre o


último a saber, pois todos retardam seu saber por temer a sua reação.
Nos relacionamentos, um 4 pode ser o pilar de sustentação, pode mes-
mo ter relacionamentos longos, sólidos, desde que o outro entenda que
as horas dedicadas ao trabalho são declarações de amor, pois um 4 não
tem tempo para amenidades e poucas vezes lembra que os bilhetes,
flores, pequenos presentes, jantares são necessários para alegrar o rela-
c i o n a me n t o .

Alguns 4 acreditam que podem, com seu jeito reto, consertar personali-
dades, pessoas que estão perdidas nos trilhos da vida, o que dificilmen-
te acontece, pois logo se cansam da lentidão de mudança dos outros.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 45


O 4 tem um grau de exigência enorme consigo mesmo e com os que o
rodeiam ou estão a ele subordinados. Por isso sugiro que o 4 lembre-se
de que: “Nós viemos ao mundo como seres humanos, e não como seres
divinos”. E como seres humanos, temos o direito de errar, assim como o
dever de crescer por meio do aprendizado.

Portanto, não deve cobrar de si mesmo nem dos demais a perfeição


divina, uma vez que habita o planeta Terra.

As fontes que resultam em um 4, entre o zero e o 100, são: 13, 22, 31,
40, 49, 58, 67, 76, 85 e 94.

Segundo número feminino no degrau evolutivo, mais que germinar, cons-


trói; traduz a energia das letras D, M = 4 com fonte 13, e V = 4 com fonte
22.

46 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


RÉGIO 5
Cor correspondente: Azul-Clara

E assim Deus criou o 5. . .

Deus, depois de criar o homem (1), a mulher (2), o amor, os filhos, a


comunicação (3), de dar-lhes a terra e tudo o que há nela representada
pelo 4, deu-lhes a coragem de correrem risco, de viajarem para terras
distantes, de desejarem o próximo, de amarem o desconhecido, de sal-
tarem sobre o proibido, de errarem por excesso, de mudarem por amor
ao novo, de apostarem tudo o que têm nas mãos pela possibilidade de
possuírem o que voa além das colinas, da estrada conhecida; quando
esta personalidade respirou vida, Deus tinha presenteado a Terra com
o 5.

A estrela de cinco pontas, também conhecida como símbolo de proteção,


que é representado pelo Pentagrama, é o símbolo do homem, representa
os cinco sentidos.

O 5 é um número masculino, negativo na representação numérica e


traduz a energia das letras E, N e W. Refugia-se nas fontes 05, 14, 23,
32, 41, 50, 68, 77, 86, 95. O 5 é o cidadão do mundo, a superação da
matéria, o movimento, a transformação; traz o prazer de viver por viver.

O 5 é visto como a tradução da inquietude, volúvel em pensamento e,


por isso mesmo, manifesta interesse por tudo o que é desconhecido, que
está oculto, e essa curiosidade lhe traz conhecimento, o risco, os peri-
gos. Sua lei é quebrar regras e desobedecer a padrões de comportamen-
to coletivo.

Tem dificuldade de se submeter a ordens, à rigidez das regras. O 5 traz


a inconstância, que vai dos pensamentos à ação. Curioso e por vezes
aventureiro, deve aprender a ser versátil, para poder seguir mais de

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 47


O 5 é um número uma linha de atividade, como é de sua natureza e desejo. Gosta da
liberdade, das viagens, das novidades, dos caminhos pouco explorados,
de tudo o que pode ser modificado com certa constância, pois a rotina
masculino, é o cidadão do de tarefas e coisas o angustia; nunca se instalará voluntariamente nes-
sas tarefas, a não ser o 5 que traz medos pela combinação de outros

mundo, a superação da números, e então poder ser demasiadamente quieto e passar a vida
fazendo as mesmas coisas, por puro medo de provocar mudanças, e
com elas experimentar perdas.
matéria, o movimento, a
Observando o 5 é muitas vezes possível concluir-se que, ao mesmo tem-
po em que parece precisar e querer segurança, não luta com afinco para
transformação; traz o isso, ou quando ela chega, não sabe identificá-la, e seu desejo de segu-
rança se torna apenas imaginário. É no mundo das conquistas que exer-

prazer de viver por viver. cita o símbolo dos cinco sentidos básicos do homem, e é nesse aspecto
que a sensualidade tende a imperar, gerando os rompantes que deter-
minam a aventura da vida. Deve tomar cuidado para não ingressar no
mundo das drogas, sexo que vira vício, porque não será fácil se afastar
deles, desperdiçando vida e talentos. Deve levar uma vida saudável e de
exemplos, conselhos, pois isso faz acumular bônus de felicidade.

Para conhecer o Sucesso deve aprender a ficar firme nas tarefas que
assume, até que se completem.

O 5 está relacionado ao casamento, pois sai com facilidade da zona de


segurança, a família, para formar novas parcerias – isso possibilita as
uniões, felicidade ainda que, às vezes, mundana. É a aventura nas es-
trelas incontáveis do firmamento. Quando alguma coisa o priva disso,
perde o humor. Não vê nada de errado em viver uma aventura, desde
que isso não coloque em risco o ninho construído; quer juntar prazer e
segurança, o que poucas vezes é possível.

O tarô o descreve como o papa: o homem repleto de prazeres repreendi-


do pelos dogmas da instituição; quer viver as aventuras sem deixar de
ser respeitado como cumpridor das leis do homem – pura ilusão. Quan-
do o homem comum se deixa privar das alegrias da vida, comporta-se

48 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


como um castrador de si mesmo; quando se liberta e machuca o ninho
construído, pode ficar sem lugar para pousar; por isso é comparado ao
O 5 tem o poder de mudar
planeta Júpiter, o belo cometa errante. Como estação do ano, represen-
ta a primavera, alegria e despojamento; desapega-se de tudo o que já o curso da história,
possui se este for o preço da liberdade.

Por isso, muitos o veem como aventureiro, quando, na verdade, o que porque a rota que lhe
tem é giro rápido em tudo, dos pensamentos às ações.

Conselho: procure encontrar o centro da balança – o equilíbrio continua


parecia viável um segundo
a ter seu charme.
atrás pode ser substituída
Temos alguns 5, sem generalizar, que são um típico beija-flor: são atra-
ídos pelo aroma, pela cor, pelas formas, pelo paladar, e, uma vez atraí-
dos, chegam mansos, rodeiam, se mostram e demonstram toda sensua- por outra nova e
lidade na dança da conquista, e fazem isso com a competência que um
5 tem quando o assunto é sensualidade, sexualidade. O 5 sabe, como
nenhum outro, separar sexo e amor, por isso é comum encontrar-se um
desconhecida.
5 vivendo duas vidas simultaneamente.

Sem culpa, mantém um relacionamento afetivo com alguém e outro


apenas de sexo, que pode ser com uma, duas ou mais pessoas. Os de
tipo 5 se enquadram bem no papel do caixeiro-viajante, do marinheiro,
uma aventura em cada porto, sem se ligarem verdadeiramente a nin-
guém. Mesmo quando este 5 se apaixona tem dificuldade de envolver-
se, tem dificuldade na entrega, por falta de confiança no outro; e esse
comportamento está diretamente ligado ao seu próprio jeito de ser.

Diz-se que julgamos o outro por nós mesmos, ou seja, acreditamos sem-
pre que o outro é capaz de fazer o que fazemos ou temos uma vontade
louca de fazer e faríamos não fosse a falta de coragem. Mas, como
vimos, temos aqui outro tipo de personalidade 5, que não faz, não se
expõe, pois a falta de coragem é tempero abundante na sua dispensa. A
maioria, porém, como diz o ditado popular, não pode ver um “rabo de
saia”, ou não rejeita nem sapo.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 49


O 5 gosta de viver fora dos Convive bem em relacionamentos em que o parceiro também tem outro
envolvimento, pois aqui acredita não ter de assumir compromisso, e
quanto maior o risco e a coisa do proibido, melhor.
limites (casamento,
Ainda que a influência de outros números lhe traga certa culpa, vai
sempre encontrar um responsável pelas suas atitudes: é a esposa que
namoro). O proibido é o não o entende, é o namorado que não a completa, etc., etc., e pode
conferir: essas reclamações podem durar toda a existência sem que tome

sal; quando não precisa uma iniciativa de separar. É que a aventura é necessária. O 5 gosta de
viver fora dos limites (casamento, namoro). O proibido é o sal; quando
não precisa mais esconder nem correr risco, fica sem graça, precisa
mais esconder nem correr mudar outra e outra vez.

Deve cuidar com a moda, e o modismo, comprar o que não pode pagar e
risco, fica sem graça, viver para sustentar futilidades.

precisa mudar outra e Escolhe e acolhe o diferente, novo, pois vive tudo sem muita culpa – esta
é sempre do outro. E olha que essa história de o 5 arrumar um culpado
vem de longe.
outra vez.
É um indivíduo que se declara apaixonado com rapidez e facilidade e
com a mesma rapidez se desencanta.

O 5 tem o poder de mudar o curso da história, porque a rota que lhe


parecia viável um segundo atrás pode ser substituída por outra nova e
desconhecida.

Alguns 5 vêm ao mundo para quebrar regras. Adora chocar com suas
tiradas, aprecia a liberdade, a independência e, por isso, pode ser visto
como um eterno adolescente, um rebelde com ou sem causa. É o con-
trário do 4, que deseja desesperadamente estabilidade.

Por isso se diz que o 5 não tem uma personalidade definida: chegou
pelas mãos da segurança e se lançou ao ar. Passa da alegria para a
tristeza e vice-versa em questão de segundos. Com a mesma rapidez

50 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


desdiz o que acabou de dizer; tem a capacidade de esquecer um assunto
sério em questão de dias, não tocando mais na questão – é como se
nada tivesse acontecido – e pode ser visto por isso como pessoa pouco
confiável, ator que muda de roupagem e texto com a mesma facilidade
com que respira. Mas como todas as regras, aqui também há as exce-
ções.

Profissões que condizem com um 5: comissário de bordo, modelo, ma-


nequim, estilista, guia turístico, importador, exportador, piloto, negoci-
ante, psicólogo, sexólogo, esportista, vendedor, detetive. Tudo o que traz
glamour é bem-vindo e desejável.

Aprende tudo com facilidade e, uma vez aprendido, perde o interesse,


não quer mais; com a mesma facilidade que muda de parceiro muda de
pro fissão .

Com relação à saúde, é vulnerável a vírus e intoxicação; se leva vida


desregrada e alimentação à base de fast-food, pode aumentar a pré-
disposição, pode ainda ter problemas ligados aos órgãos sexuais, bebi-
das. Vantagem: tem grande capacidade de regeneração.

O 5 é o quinto número da série unidade, impar, metade exata do 10,


número par, no alfabeto traduz as letras: E = 5, N = 5 com fonte no 14,
W = 5 com fonte no 23.

Fontes numéricas entre 0 e 100: 5, 14, 23, 32, 41, 50, 68, 77, 86, 95.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 51


RÉGIO 6
Cor correspondente: Azul Forte

E assim Deus criou o 6. . .

“Eis que vos dou toda erva que dá semente sobre a terra e todas as
árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para
que vos sirvam de alimento. E a todos os animais da terra, a todas
as aves dos céus, a tudo que se arrasta sobre a terra, e em que haja
sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento.” (Gênesis 1: 29-
31).

O 6 na Cabala é representado pela Estrela de Seis Pontas, conhecida


como o símbolo de Salomão.

O triângulo superior é o macrocosmo de luz, o triângulo inferior e o


microcosmo sombra. Assim, quando dois triângulos primordiais se en-
contram em equilíbrio, a Grande Obra está realizada. O signo de Salomão
significa equilíbrio do macrocosmo e do microcosmo, da sombra e da
luz. É o emblema dos sábios, dotado de poderes fabulosos, reconhecido
e venerado por certos magos brancos (aqueles que se dedicam ao bem) e
que dele sabem se servir.

Qualidades que saltam aos olhos numa personalidade 6


Depois das aventuras do 5, o Criador entendeu ser necessário trazer o
retorno de um pouco de constância. Para equilibrar este meio, fez sur-
gir novamente um número feminino capaz de frear a busca incessante
do 5.

O 6 chegou para restabelecer o sentido da criação, através do equilíbrio,


o retorno do pensamento voltado para a associação, para o homem que

52 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


gera a família; traz as convenções, as leis, a vida organizada através das O 6 tem responsabilidade
doutrinas, os métodos que norteiam a Universalidade; enfim, o contrato
de casamento. E ninguém mais apropriado para viver e difundir a ideia
de família do que o 6. Aliás, veio para reatar as alianças desfeitas na social, bom senso, gosto
família carnal e na espiritual.

O 6 é quase sempre muito atencioso com seus filhos e se não conseguir


em servir, respeito às
tê-los de sangue, será pai ou mãe de muitos adultos, crianças ou idosos,
que adota de coração. Por isso, quando se identifica um filho com perso- diferenças, senso de
nalidade 6, deve-se sempre insistir para que busque formação acadêmi-
ca e cultural, pois pode acomodar-se por acreditar que uma família e
um lar são tudo do que precisa para ser feliz. justiça e compromisso com
O 6 é número feminino e traduz a energia das letras F, O e X. Os núme-
ros que servem como fontes do 6, de 0 a 100, são: 06, 15, 24, 33, 42, 51,
a família de onde veio e
60, 78, 87 e 96.
com aquela que constituiu
Ele tem responsabilidade social, bom senso, gosto em servir, respeito às
diferenças, senso de justiça e compromisso com a família de onde veio e
com aquela que constituiu e com as demais, composta por amigos, cole- e com as demais,
gas de trabalho, etc. Geralmente se interessa por moda, decoração, não
é extravagante, mas gosta da harmonia e combinação de cores. Tem
preocupação com a aparência física, com sua roupagem, adornos, e
composta por amigos,
nessa visão preocupa-se com os demais, auxiliando para que todos te-
nham o que vestir com dignidade, pois sua preocupação com os irmãos colegas de trabalho, etc.
vai além daqueles com os quais têm laços de sangue.

É comparado ao planeta Vênus, exuberante em beleza, possui a dupla


habilidade criativa do 3, o que o credencia a usar a comunicação e o
mundo das artes. O 3 pode passar horas diante do espelho, arrumando
mechas de cabelo ou acertando maquiagem, e quando vai às compras
pode irritar vendedores com inúmeras escolhas e muitas dúvidas sobre
o que lhe cai bem, pois, embora aprecie a boa roupagem, é Maria vai
com as outras, não inova fazendo rearranjo.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 53


O 6 é também conhecido O ideal a ser conquistado por um 6 é a paz, o conforto da família, o bem-
estar social para todos que o rodeiam. Por isso se diz que sua família
espiritual vem da falange materna, pois é assim que muitas vezes um 6
como o número da besta, se comporta, como a mãe do mundo. Diz-se que um 6 quando está
emocionalmente envolvido perde o juízo e corre o risco de se anular para

da irracionalidade. No que o outro seja feliz.

Atencioso, está sempre de braços abertos querendo agradar, e aqui, aos


tarô, esta carta olhos de muitos, está seu grande defeito, pois força o contato físico e
com frequência se intromete na vida alheia, exagera na dose quando
gosta. Faz tudo pelo outro, mas pode e sabe também ser vingativo, de-
representa os volvendo na mesma moeda o que recebe.

apaixonados, o bem e o Perfeição é uma de suas ânsias, mas não chega a ser determinado e tão
severo nessa busca quanto seu vizinho 7.

mal e as tentações O 6 é também conhecido como o número da besta, da irracionalidade.


No tarô, esta carta representa os apaixonados, o bem e o mal e as tenta-
ções terrenas. O 6 pode ser ciumento, indeciso, vingativo, distanciar-se
terrenas. da realidade e ter falta de espírito prático.

O que normalmente um 6 busca como profissão o realiza; isso não quer


dizer sucesso financeiro, pois valoriza mais o prazer que a recompensa.
Como gosta de cuidar de pessoas e nutri-las, algumas profissões lhe são
propícias – médico, enfermeiro, cozinheiro ou qualquer outra atividade
ligada a hospitais e clínicas. Também o favorece a profissão de assisten-
te social e trabalho em restaurante e casas do gênero; é ainda favorecido
em atividades artísticas e como veterinário, botânico, decorador, locu-
tor, artista.

O 6 é o sexto número da série unidade, par, feminino e no alfabeto


traduz as letras: F = 6, O = 6 com fonte no 15, X = 6 com fonte no 24.
Fontes numéricas entre 0 e 100: 6, 15, 24, 33, 44, 51, 60, 78, 87, 96.

54 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


RÉGIO 7
Cor correspondente: Púrpura

E assim Deus criou o 7...

E no sétimo dia, DEUS medita sobre o que já havia criado e vê que nada
do que já habita a Terra faz sentido, se não for tocado pela fé.

Sete é Espiritualidade aplicada à matéria; logo, Deus se faz homem-


matéria, conhecido como o Filho do Homem, e prega a fé.

O 7 é então a crença em si mesmo, pois, para ele, um ser humano


agrega matéria e espírito. A religião nasce para religar o retorno da hu-
manidade à Terra, permite que o indivíduo se sinta ligado a certa região,
certa doutrina, uma forma de cultura espiritual; traz o conforto, o sen-
timento de pertencimento, mas não traz a fé.

O 7 inaugura um novo pensamento, por isso é conhecido também como


o “Pensador”; conjuga o verbo pensar e dele extrai a fé em si mesma,
sem necessidade primária de seguir e se vincular à religião ou a seitas.
Dono de personalidade e pensamentos próprios, mesmo quando segue
uma doutrina, passa esta pela peneira da sua crença pessoal e só aplica
aquilo que lhe convém.

O 7 é o retorno do 1 espiritualizado. O 7, como o 1, gosta da sua própria


companhia, da liderança, do poder, mas como tem mais que apenas um
interesse e seu pensamento é seu ninho de criação e fuga, o mundo dos
negócios, partir para a ação não é para todos que nascem com esta
vibração. Depois de seis dias produzindo, Deus medita sobre sua obra,
com fé, e então abençoa o que havia criado. Ele não diz tenha uma
religião, ele diz tenha fé. Isso cai como uma luva para o prazer que traz
a individualidade para um 7.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 55


O 7 inaugura um novo O 7 é o mistério, sabe fazer mistério e valoriza o mistério. Um segredo
contado a um 7 será guardado a sete chaves, e nenhum mágico o fará
revelar. Em apocalipse de São João encontramos a mística face do 7; ali
pensamento, por isso é encontramos referências claras de que o 7 representa o coletivo que
preserva a unidade.

conhecido também como o Vejamos alguns exemplos: sete dias da semana, sete cores do arco-íris,
sete casais para a arca de Noé, sete taças, sete candelabros, sete trom-
“Pensador”. O 7 é o betas, sete cavaleiros. A sétima sephira que, em hebraico, é Netzah –
traduzindo quer dizer vitória –, é também a sephira que ilumina o pen-
samento. Por isso, quem nasceu sob a influência do 7 pode escrever,
retorno do 1 compor, materializar o que produz sem muito esforço, pensamentos.

espiritualizado. Chegamos para morar em Netzah, a sétima sephira, quando as lições


feitas em reencarnações anteriores já nos habilitam a conhecermos o
degrau da vitória, pois a prioridade não é material.

Régio 7
O 7 é conhecido como o número do mágico e, por isso, representa o poder
sobrenatural atuante na terra. Relaciona-se com a verdade da dor do
mundo e por vezes sofre em demasia por não agir e auxiliar no que sabe
que lhe seria possível; por vezes seus quereres não vão além do discurso.
É o número da genialidade, mas para isso quem o traz tatuado deve esco-
lher um campo de ação especializado e firmar a determinação para obter
o conhecimento. É um pensador, cientista, perfeccionista, analista, por
isso nada deve aceitar como verdade antes da veracidade dos fatos, mes-
mo que aos olhos dos demais isso seja exagero, arrogância, tirania.

Considerado um número sagrado, é visto como um sábio, solitário, que


precisa de muito silêncio para criar e recarregar suas baterias, pois
sonha sem parar. Sonha com as sete cores do arco-íris, com as sete
maravilhas que o mundo já tem e com aquelas que gostaria de construir
para deixar, pois não quer que sua visita à Terra seja em vão. Quem tem
o 7 dentro de si tem um mundo infinito, cheio de oportunidades, espiri-
tualidade e energia psíquica, que nem sempre se materializa.

56 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Introspectivo e muitas vezes inatingível, assim é o 7. Discreto, sabe guar-
dar segredo, gosta de ajudar para a melhoria de vida da humanidade,
mas, se resolve criar um atrito, conta o que sabe e o que não sabe,
causa um rombo emocional nos que o rodeiam.

Possui um magnetismo pessoal que chega a incomodar alguns, quando,


é claro, consegue superar a timidez natural. Diz-se que o 7 tem tatuado
em seu peito essas qualidades, independentemente de idade; portanto,
deve sempre tomar cuidado quando dá conselhos, pois quem ouve difi-
cilmente coloca em dúvidas suas orientações. Abomina falsas profecias.

Pitágoras cita o número 7 como a meta final do homem, o descanso, a


liberdade almejada, o caminho da luz. É comparado a Saturno, o plane-
ta dos mistérios, da verdadeira prosperidade, ou da profunda decadên-
cia espiritual. Conhecer verdadeiramente um 7 é tarefa difícil até para
ele mesmo. Por sua natureza de número primo mais elevado da dezena,
é considerado o símbolo de um conflito irredutível. A divisão por sete é
quase impossível de ser feita sob os rigores de uma construção euclidiana.
Este aspecto foi descoberto somente no início do século passado, por
Gauss.

“Muitos serão os chamados, poucos os escolhidos.”


Conselho
O 7 tem, em si mesmo, disposição para a luta e perfil para sentir-se um Os ambientes artísticos o capacitam para fazer
escolhido. o bem à humanidade, e é também nesta área
que encontra mais prazer profissional; e
também escritor, compositor, pintor ou talhador
Tem dificuldade de lidar com as críticas, com a necessária sociabilida-
de obras sacras, tarólogo, clarividente, e ainda
de, com a introspecção e o individualismo. Precisa fazer esforço para
educador, cientista, administrador de empresas,
trabalhar em equipe sem dominar ou abandonar o projeto. Gosta de
pois sua liderança e poder de comando o
trabalhar só, tendo o domínio. Tem originalidade, personalidade mag- credenciam. O 7 é o sétimo degrau evolutivo,
nética, caráter místico, aprecia o silêncio e precisa deste para recarregar número na série unidade, impar, indivisível pela
as baterias físicas e emocionais. É teimoso, dominador, exigente e pou- matemática racional, e no alfabeto traduz as
co razoável, impondo suas ideias e desejos. letras: G = 7, P = 7 com fonte no 16, Y = 7 com
fonte no 25. Fontes numéricas entre 0 e 100: 7,
16, 25, 34, 43, 52, 61, 70, 88, 97.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 57


RÉGIO 8
Cor correspondente: Violeta
E assim nasceu o 8...

E Deus concluiu: “Aquele que pratica a fé colhe”.

Aliança e circuncisão. “Eu sou o Deus Todo-Poderoso. Anda em minha


presença e sê integro; quero fazer aliança contigo e multiplicarei ao in-
finito a tua descendência. Este é o pacto que faço contigo, serás o pai de
uma multidão. Todo homem que nascer entre vós, gerado em tua casa
ou que for comprado, mesmo não sendo de tua raça, será circuncidado
no oitavo dia do seu nascimento. Assim será marcado em tua carne o
sinal de minha aliança.” (Gênesis 17: 1-8)

Assim chega ao planeta Terra o 8, um ser que pratica a fé, muito mais
movido pelo medo da justiça divina do que pela confiança no Deus de
sua crença. Um 8 sabe fazer alianças, firmar parcerias e tirar proveito
delas. Olho de gato para ver no escuro uma boa oportunidade, pode
seguir uma religião, ou participar de seitas, grupos que praticam algum
tipo fé, muito mais pelas oportunidades de colheita vistas ali do que pelo
interesse na doutrina.

O 8 é o 4 sociabilizado, lapidado, o número perfeito na multiplicação


das sementes; paiol que garante colheitas vindouras. É a uva e o vinhe-
do, o senhor que guarda sua melhor safra para barganhar na troca, que
emprega e com justiça remunera o bom trabalhador, lhe dá terra e se-
mente e divide com ele a colheita.

O 8 reabre as portas da criação, depois do sétimo dia, reservado para a


contemplação, o pensamento e o pensador. O Grande Arquiteto volta à
olaria e toca o barro sovado pelo 4, então desenha o Ser que vai garantir
a fabricação em série, gerar o lucro, dobrar as medidas de terra semeadas
da próxima vez.

58 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Depois da vitória espiritual do 7, o 8 vem como o número da Glória, da
necessidade material do homem incomum, do empreendedor, da fé que
Um 8 sabe fazer alianças,
se move pelo medo, da colheita oriunda da insegurança, do desejo de se
mostrar e parecer forte. firmar parcerias e tirar
O 8 é conhecido como o número do infinito. E aqueles que nascem sob
sua influência trazem nas mãos do Saber um infinito de oportunidades, proveito delas.
grandes plantios, secas colheitas.

Número Régio 8
O 8 então representa o Universo, a união dos mundos no silêncio do
infinito. Ambição é coisa que não lhe falta, sobra; é semente germinada
em bom laboratório. O 8 quase sempre acaba chegando aonde sonha,
pois sonho para ele é compromisso que deve ser cumprido, promessa
paga. Tem capacidade executiva latente, praticidade; é também conhe-
cido como o número da franchising, das viagens internacionais, e de
tudo o que está relacionado com a comunicação, com o comércio. Aliás,
seu tino comercial é muito aguçado. Sua coragem ou o excesso de medo
de se tornar um fracasso fazem multiplicar sua força de vontade, o que
torna a carreira de um 8 quase sempre muito bem-sucedida.

Em virtude da ambição que, algumas vezes, pode se tornar exagerada,


impõe a si mesmo longas horas de trabalho exaustivo, sempre de olho
nos mais altos cargos e posições, pois lugar comum não lhe agrada; a
forma como lida com o senso de justiça determina a boa ou má fortuna.
Dizia Pitágoras que um 8 recebe proteção superior quando pratica o
bem e anda no caminho da retidão. E é castigado pela sua própria
consciência quando pratica o mal, pois sua inteligência não lhe permite
justificar ignorância.

Pode ser instável emocionalmente e mostrar uma paz apenas aparente,


pois em certos momentos perde o equilíbrio abaixo do aceitável social-
mente. Isso quer dizer que pode ter rompantes inesperados que tornam
seu humor insuportável aos olhos dos demais.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 59


O ditado popular “oito ou Tem pensamento analítico, faro comercial, persistência, organização,
ambição, autoridade, mas deve atentar para a ética, um fio de navalha
quando o lucro é o fiel da balança. Deve aproveitar as oportunidades
oitenta” se aplica aqui. que surgirem como administrador de empresas, na área financeira, no
comércio, no comércio exterior, nas vendas, nas empresas públicas, nos

Assim como tem talento bancos e hospitais.

Não deve se deixar levar de maneira excessiva pelo poder que o dinheiro
para acumular grandes pode proporcionar, pois corre o risco de tornar-se obsessivo no acúmulo
de bens, e a felicidade que mora ao lado ficar esquecida, assim como seu
lado romântico. O 8 acredita que uma casa nova, uma carro, um terreno
fortunas, pode perdê-la do são declarações de amor. O problema é que a maioria dos números que
o rodeiam não sentem assim.

dia para a noite. O ditado popular “oito ou oitenta” se aplica aqui. Assim como tem talen-
to para acumular grandes fortunas, pode perdê-la do dia para a noite.
Ter cuidado com as cartadas dadas sob o efeito do orgulho é sempre
recomendado.

Algumas pessoas com a vibração 8 podem tornar-se atletas profissio-


nais extraordinários, pois gostam da competitividade e são perseveran-
tes. Assim, quando deixam suas carreiras esportivas, tornam-se execu-
tivos ou comerciantes. Aqueles que nascem sob esta influência devem
lapidar o coração para não se tornarem vingativos, teimosos, “pavios
curtos”, intolerantes, cruéis, arrogantes, radicais. Como nunca estão
satisfeitos, poderão encarar uma depressão.

O 8 é o oitavo degrau evolutivo, oitavo número da série unidade, par, e


no alfabeto traduz as letras: H = 8, Q= 8 com fonte no 17, Z = 8 com
fonte no 26.

As fontes que o acolhem entre 0 e 100 são: 8, 17, 26, 35, 44, 53, 62, 71,
80 e 98.

60 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


RÉGIO 9
Cor correspondente: Magenta/Jacinto/Carmim
E assim Deus criou o 9...

O fim e o recomeço. Quando tudo parecia ter sido criado, Deus se apai-
xona pela beleza do Universo já semi-habitado e deseja mais cor, mais
forma, mais beleza, mais sabedoria banhando a terra; outras raças,
outros idiomas. E o que parecia ter sido terminado cria um lastro para o
início sem fim.

“O Senhor Deus moldou então um homem com o barro da terra, e inspi-


rou-lhe nas narinas um sopro de vida e o homem se tornou um ser
vivente” (Gênesis 2-7). Assim a terra é habitada também por aqueles
que gostam da beleza, sabem apreciá-la, multiplicá-la, reproduzi-la.

O 9 traz também o dom da cura necessária à sua nobre criação, os seres


que respiram e que, portanto, nascem avistando a morte.

O 9 representa o primeiro desafio. Aos nove meses, quando o fim de


uma gestação é anunciado, nossa coragem é desafiada: morrer para a
vida uterina, nascer para a vida terrena. Isso significa deixar o paraíso
(útero) e atravessar o túnel estreito e escuro para encontrar a luz, o
sopro da vida.

A Cabala ensina que os ciclos de 7 trazem o amadurecimento e os desa-


fios espirituais, os de 9, materiais. Vejamos:

Aos nove meses estamos prontos para nascer; aos nove anos está defini-
da nossa forma física; aos 18 = (9) estão maduros nossos valores, cren-
ças, e aqui uma atitude irresponsável resulta na perda da liberdade, já
julgamos e somos julgados; aos 27 = (9) finda a primeira gestação terrena,
do tempo chamado de laboratório.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 61


E como o 9 é fim e começo, este abre a segunda gestação terrena que se
prolonga até os 54 = (9), chamado de gestação do plantio; representa
ainda a possibilidade de, enfim, encontrar a maturidade emocional.
Completada a travessia, nos aguarda a terceira gestação terrena, que se
estende até os 81= (9), conhecida como período de colheita – aqui o
espelho da verdade mostra o resultado do nosso esforço de toda a traje-
tó ri a.

RÉGIO 9
Sabedoria – Cor correspondente: Magenta/Carmim/Jacinto
A Cabala traduz o 9 como sendo a sensatez. Por isso, a maioria dos
nascidos sob esta influência gosta de dinheiro, não para guardar, fazer
fortuna, mas para usufruir de tudo o que o Universo disponibiliza, e
para disponibilizar, deixar fluir o amor pelo próximo, compaixão, espiri-
tualidade. O apego ou desapego aos bens materiais dependem do grau
de espiritualidade que um 9 desenvolve, da família que o influencia,
pois naturalmente o 9 é solidário.

Representa o poder planejador do Universo. Tem a perfeição como meta,


embora raramente a alcance. Quando enfrenta contrariedades e provas
que se colocam como teste na sua vida, pode recuar e assim achar que
tudo demora muito a acontecer, ou não acontece. Nesses testes torna-se
impaciente, amargo, sombrio, mal-humorado, desregrado, e quando fica
magoado se isola. Porém, deve entender que, sendo um 9, seus ciclos
são longos e os resultados dependem desses ciclos.

O 9 é idealista, teórico, filósofo, lutador. Aprende através do tempo e


com o tempo. Tem problemas com o mundo material, dificuldades nos
negócios e, por isso, aposta em projetos pensando em retorno, mas o
dinheiro nem sempre chega. Seus relacionamentos amorosos podem
ser inconsistentes. Dependendo da fonte e da origem do seu 9, as difi-
culdades serão maiores ou menos sentidas.

62 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Quase sempre faltam ao 9 objetivos claros, espírito prático de realização
e autocontrole; por isso, pode tornar-se agressivo. Como o tempo se
O 9 é idealista, teórico,
arrasta e o retorno não chega, fica amargurado, arredio.
filósofo, lutador. Aprende
Romântico, quando está amando se entrega sem muitas reservas, pois
seu lema é ter e fazer tudo sentindo profundamente.
através do tempo e com o
A maioria dos que nascem sob a influência do 9 é um artista, com dons
para todo tipo de arte, habilidades com as mãos; quando se afasta desse
caminho como atividade principal ou como esporte, não se sente reali-
tempo.
zado. Como a arte exige determinação e paciência no aprendizado, pode
deixar que seus dons morram na casca. Mesmo assim, sempre será um
apreciador da criação, do que é belo, das obras, dos artistas. Tem capa-
cidade para diversificar em atividades ligadas ao humanitarismo – aqui
as possibilidades são múltiplas: dramaturgo, humorista, humanista,
médico, tradutor, diplomata, dono de antiquários, do comércio de obras
de artes, que vão de peças de decoração a comidas decoradas, belas
vitrines de guloseimas.

Quando o 9 se deixa levar pelo lado mais frágil, pode ser visto como
alguém que aprecia uma fofoca. Por não saber lidar com o dinheiro,
cuidar e acumular para o futuro, pode, no caminhar dos dias, se sentir
incapaz, e isso pode representar cobrança para com a vida, fugindo da
responsabilidade, que é sua, de pensar no amanhã.

O 9 é o penúltimo degrau evolutivo chamado por isso de fundamento, de


onde se parte para um novo ciclo, nono número da série unidade, impar;
no alfabeto traduz as letras: I = 9, R = 9 com fonte no 18.

As fontes do número 9 são: 09, 18, 27, 36, 45, 54, 63, 72, 81 e 90.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 63


DEZ!
Com ele Deus finaliza a criação, multiplica a unidade por infinitas pos-
sibilidades...

Olhou a Árvore da Vida humana e sentiu que podia, enfim, proferir:

Eu sou o início e sou o fim. Sou o que sou! A Luz e tudo o que estiver
contido nela, o espírito criador, o Pai e o Filho, a alma e o útero, a
criação e o criador, a noite e o dia, o céu e a terra, o fogo e a água, o vento
que espalha as sementes.

Eu sou o semeador de gente!

Dez é o 1 depois de uma longa jornada de aprendizado. O símbolo do


número 1 é um jovem, do 10 é um homem maduro. O que sugere que o
número 1, com fonte no 10, pode encontrar características, e até mesmo
se ver retratado no 10, depois de dominar o ego, de controlar a impulsi-
vidade, de dar ordens com suavidade, de liderar sem chantagem ou
suborno, de abrir mão do Eu, e falar do Nós.

A Cabala traduz o 10 como um número matematicamente perfeito. A


soma do zero, do nada absoluto com a primeira unidade, encerra a pri-
meira etapa da Criação e abre o universo de infinitas possibilidades. O
zero posicionado depois de qualquer unidade potencializa o valor do
número, concede-lhe referência, respeito. Na Árvore da Vida o 10 é co-
nhecido como a sephira Malkuth que, traduzindo, quer dizer Reino. É o
único número que não faz parte dos triângulos. Ele fica no pé da árvore,
como se fosse a raiz e a terra que a acolhe e sustenta. O Pai terreno.

64 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


RÉGIO 10
Cor correspondente: ausência de cor ou preto O 9 traz bondade com os
O 10 é traduzido como um número que traz bons resultados, uma pro-
messa de sucesso, a semente e a colheita, mas que não garante que o
menos favorecidos,
dinheiro dessa colheita tenha estabilidade. Criatividade, liderança,
pioneirismo, força, coragem, espírito de liberdade, iniciativa que pode desprovido de mesquinhez
vir acompanhada de rompantes.

Bondade com os menos favorecidos, desprovido de mesquinhez com o com o que possui. Pode
que possui. Pode começar muitos negócios durante a vida e se livrar
deles por falta de persistência e fé em si mesmo. Para não deixar que
percebam seu desencanto, pode se fazer de rogado vendendo a ideia que
começar muitos negócios
o negócio ficou pequeno demais para o tamanho de sua capacidade e
sonhos. durante a vida e se livrar
Quando muito jovem, o 10 pode apresentar características de imaturi-
dade bem definidas. O defeito do 10 é pensar em si mesmo como o reino deles por falta de
e o reinado, acreditar que está acima de qualquer crítica, ainda quando
venha como uma bênção. Para não dar o braço a torcer, normalmente
faz exatamente o contrário do que for sugerido, ou modifica a embala-
persistência e fé em si
gem e vende o peixe como criação sua. Só faz o que é bom para si mes-
mo, pois gosta e quer projeção e sua autoconfiança lhe permite. Em mesmo.
qualquer projeto ou conversa, busca ser o centro de tudo.

Temos muitas fontes que, reduzidas, resultam num 10. Vou apenas
mencionar algumas. Por exemplo, o 19. Quando ele aparece traz sorte,
promete sucesso, proteção, prestígio, fama e felicidade. Mas é preciso
tomar cuidado, pois sua teimosia e ego não cedem espaço para a dúvida
e o talvez, sinônimo de diálogo, negociação, tradução do ceder para com-
partilhar, conviver; traz a dificuldade de voltar atrás, admitir o erro, dar
o braço a torcer, pois quem vive esta vibração não se incomoda com o
que os outros pensam ou falam dele. Mesmo assim, quando acha que
passaram dos limites pode ser vingativo.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 65


É uma excelente vibração do 1, por isso se diz que é um número quase
perfeito, que traz intrínsecas a espiritualidade e a materialidade. É um
número que agrega e amplia – aqui mora a cautela, pois faz isso com as
qualidades e os defeitos.

Mas de todas as fontes o 55 é considerado o número potência máxima


que, decomposto, resulta num 10 e depois em um. Traduz-se como:
criatividade ampla e genial, inovador, que leva quem o possui a altos
voos, ampliando o horizonte criativo, fazendo nascer o novo, as inven-
ções, possibilitando como resultado o sucesso almejado. Aqui a unidade
fica restabelecida.

Quando um aluno faz o correto merece dez; quando faz o correto com
criatividade de forma genial aos olhos de quem julga, recebe dez com
estrelinhas. Isso é um exemplo perfeito do 1 maduro, que passa a agir e
se parecer com um 10.

Fontes do 10 entre 0 e 100: 10, 19, 28, 37, 46, 55, 64, 73, 82, 91.

66 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 67
NÚMERO DE ALMA – SOMA DAS VOGAIS
CAPITULO VI

A soma das vogais do nosso nome traduz o nosso jeito mais íntimo de ser.
Pode-se dizer que nosso número de alma revela os segredos guardados
feito tesouro no fundo da alma, e que poucos ou ninguém jamais saiba.

Vamos a um exemplo prático: você conhece alguém socialmente e o


traduz como extrovertido. Tendo uma chance resolve elogiar esta qua-
lidade, e a pessoa responde: “Sou extremamente tímida, ou preciso
beber algo para me soltar, ou ainda crio um personagem para frequen-
tar festas”.

Você fica sem acreditar, perplexo. Não é possível, pensa.

Pois acredite, nosso número de alma esconde um Ser que muitas vezes
não é revelado no convívio social, profissional e até familiar, quando o
número que o traduz é avesso a palavras, a falar de si mesmo. Também
quando o Régio traz ao mundo um artista, o Ser atrás da maquiagem
pode ser exatamente o oposto dos personagens aos quais dá vida, in-
cluindo ele mesmo. Ficou curioso? Divirta-se com as revelações abaixo.

Número de Alma 1 – Cor correspondente: Vermelha


Quem tem o número 1 como energia de alma considera amigos apenas
alguns poucos que normalmente se podem contar nos dedos de uma
mão. Faz seleção, casta, seleta, para cada finalidade específica, e assim
forma a rede de escolhidos, daqueles aos quais pode confiar suas ideias,
confidências, ou dividir tarefas. Quando se trata de tarefas, gosta de
centralizar, pois assim se sente mais seguro quanto ao resultado. Sua
individualidade é tratada como algo sagrado: precisa ficar preservada e
garantida, para estar bem consigo mesmo e com o meio. Por não ter
medo de solidão, pois gosta da sua própria companhia, não é dado a
abrir as portas da sua casa todos os dias, nem mesmo aos que mais

68 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


gosta. Por centrar demais as coisas em si mesmo, ser seguro nas toma-
das de decisão, tomar iniciativa e frente nas coisas, deve ficar atento
para não cair na tentação de achar que tudo sabe, tornando-se, sem
admitir, egoísta, dominador, intransigente. Tem dificuldade de aceitar
as críticas.

Número de Alma 2 – Cor Correspondente: Laranja


Quem tem o número 2 como energia de alma traz a experiência acumu-
lada ao longo de suas vidas passadas, nas quais aprendeu a procurar
sempre uma solução para os problemas, garantindo assim a harmonia
no lar, no trabalho ou mesmo nos seus relacionamentos pessoais. Este
número de alma faz de quem o conduz um amante da paz, alguém capaz
de trabalhar em grupo e, normalmente, sob o comando de um líder. Sua
alma lhe confere uma excepcional capacidade de discernimento, por
meio da qual consegue separar o joio do trigo sem dificuldade. Sabe
guardar segredos e dar conselhos como ninguém. Sua gentileza e sua
amabilidade atraem, principalmente, aqueles que nos momentos difí-
ceis procuram um ombro amigo. Deve tirar proveito desse seu potencial
de companheirismo e diplomacia para obter sucesso em tudo aquilo que
faz, evitando assim que a indecisão e a insegurança atrapalhem a con-
cretização de seus planos.

Número de Alma 3 – Cor correspondente: Amarela


Quem tem o número 3 como energia de alma pode tirar proveito da
comunicação e usá-la como uma ferramenta eficaz. O 3 como número
de alma pode levar a extremos quando o assunto é amizade. Por ter
convicções morais das quais não abre mão e que norteiam muitas das
suas ações, atrai pequenos grupos para fazerem parte de seu universo e
seu mundo mais íntimo e para os quais revela angústia, compartilha
segredos. Outro grupo mais amplo e sem vínculo busca para curtir fes-

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 69


tas, viagens, esportes. O 3 tem boa comunicação, é criativo e indepen-
dente, e quando sua independência é ameaçada, sente frustração. O 3
nesta casa íntima, que é a alma, traz as conquistas amorosas, que po-
dem nascer de palavras comuns, mas que encantam quem ouve.

Número de Alma 4 – Cor correspondente: Verde


Quem tem o número 4 como energia de alma se mostra sisudo, assíduo
nos compromissos sociais. O 4 tem muita exigência para com seus atos
e exigência extrema para com os demais. O mundo o vê como alguém
muito responsável, eficiente e meticuloso com seu trabalho, por isso
entrega a parte pesada das tarefas a ele, o que gera ciúmes e, por vezes,
acusações, que não lhe devem causar preocupação para não enveredar
pelo caminho da improdutividade, negligência e medo. Cuidado com o
excesso de exigências pessoais: elas podem ocupar horas preciosas de
lazer e descanso.

Número de Alma 5 – Cor correspondente: Azul-Clara


Quem tem o número 5 como energia de alma traz a sabedoria e a justiça
desenvolvidas ao longo das vidas passadas. Procura sempre analisar os
fatos com profundidade para então chegar a uma conclusão que o leve a
ações seguras. Não gosta que pairem dúvidas sobre suas atitudes. Atra-
vés da busca da espiritualidade encontra a forma de iluminar seus ca-
minhos. A retidão na conduta é mais importante que o prazer. Prefere as
companhias que gostem de filosofar sobre a vida e, muitas vezes, gosta
de ficar só: é quando encontra na introspecção a oportunidade de ques-
tionar e analisar tudo o que o cerca. É neste estado de espírito que
aprende a fazer contato, entrar em sintonia consigo mesmo desenvol-
vendo seus próprios recursos. Deve valer-se de sua espiritualidade e de
seu senso de justiça para conquistar seu espaço. Não pode descuidar
com a tendência a sentir-se melancólico.

70 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Número de Alma 6 – Cor correspondente: Azul Forte
Quem tem o número 6 como energia de alma ama o lar e a família, quer
o ambiente familiar e necessita dele. É responsável e inclinado à
domesticidade; gosta das artes, da harmonia, da beleza; tende a ser
emotivo; deseja melhorar o padrão de vida; é bondoso e deseja ajudar os
outros; gosta de receber elogios e ser apreciado. Encontra sempre argu-
mentos para defender suas ideias e crenças, por isso pode trabalhar
com a persuasão de grandes massas, comércio, pois convencer é um
dos seus dons. A propaganda, marketing, que faz de si mesmo gera
movimento, traz resultados. Sua capacidade de persuasão é ferramenta
profissional e agrada a quem se beneficia de seu trabalho.

Número de Alma 7 – Cor correspondente: Púrpura


Quem tem o número 7 como energia de alma tem um desejo ardente de
obter poder em tudo o que realiza, pois seu desejo de controle fala alto.
Não gosta que pairem dúvidas sobre suas atitudes. Prefere as compa-
nhias que gostem de filosofar sobre a vida, e também gosta de ficar só.
Traz desenvolvido de outras vidas o senso de justiça e sabedoria. Suas
análises são profundas, pois deseja estar bem fundamentado para to-
mar decisões seguras. Gosta do poder e de vencer, mas é preciso saber
que nem todas as vitórias trazem poder. Todo exército que faz uso do
poder gera uma guerra, e toda guerra desperta tristeza e dor. Deve apro-
veitar sua espiritualidade e senso refinado de justiça para conquistar
seu espaço. Tem tendência, com o passar dos anos, à melancolia, com a
qual deve sempre tomar cuidado.

Número de Alma 8 – Cor correspondente: Violeta


Quem tem o número 8 como energia de alma tem ambição e perspicácia
que o habilitam a organizar empreendimentos de vulto e abraçar gran-

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 71


des causas. Determinação e vitalidade física contribuem para que exer-
ça liderança nas atividades das quais participa. Desejo de ocupar altas
posições e obter prosperidade material. É dotado de muita energia, e o
grande aprendizado é aceitar que sendo humano também erra, e não
exigir tanto de si mesmo. Tem muito controle do lado material, intole-
rância e, em especial, a sede de poder. Para encontrar o sucesso saudá-
vel deve exercitar a espiritualidade.

Número de alma 9 – Cor correspondente: Magenta/Jacinto/Carmim


Quem tem o número 9 como energia de alma traz a generosidade e o
espírito humanitário desenvolvido ao longo das vidas passadas. Fica
sempre à disposição dos outros, colocando seus próprios assuntos em
segundo plano. Aprendeu a se doar em favor da comunidade ou daque-
les que mais estima. Abraça causas humanitárias, dando não só seu
afeto, mas também seu conhecimento e experiência. Amigo dedicado,
bom amante, consegue manter relacionamentos por muito tempo. Deve
controlar as emoções para ajudar a atingir seus objetivos. É preciso ter
cuidado para não ser evasivo na vida daqueles que só deseja ajudar.

72 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 73
NÚMERO DE TALENTO
CAPITULO VII

Número de talento revela como eu me mostro, venço e convenço sem


necessariamente assim por inteiro me sentir, me ver, me traduzir, mas
como as pessoas me compram.

As pessoas normalmente nos veem da forma que lhes interessa. Os mais


afoitos e carentes, ao conhecerem alguém que lhes dê atenção, ainda
que apenas no social e seguindo as regras sociais de educação, vão logo
rotulando de simpático, boa gente, calmo, inteligente, culto, amigo, e
por aí afora. Seria possível tomar um caso real e cobrir uma folha de
formato A4 com as qualidades vista por estes afoitos, e que na realidade
nem 10% corresponderiam à real personalidade do envolvido.

Então nos mostramos como uma mentira? Sim e não.

Dependendo dos demais números, o talento pode revelar um mentiroso


contumaz que o tempo, porém, vai desmascarar.

Mas o que ocorre é que, mesmo sendo transparente, dizendo o que sen-
te, sem lapidar, doa em quem doer, cada interlocutor vai traduzir esta
mensagem do seu jeito bem particular.

São nossas atitudes baseadas na casa do talento que geram especula-


ções.

Por exemplo, alguém extremamente educado nas relações sociais e pro-


fissionais que, em família, solta o verbo, agride, magoa.
Esta pessoa, na verdade, cumpre as regras, pois conhece as consequên-
cias de quebrá-las; não é educado, mas se mostra como tal.
Portanto, a soma de nossas consoantes revela nosso talento de driblar o
verbo ser.

74 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Número de Talento 1 – Cor correspondente: Vermelha
De estreita relação com o Sol, quem tem o número 1 como talento, soma
das consoantes, pode ser traduzido como o símbolo da necessidade, um
princípio, comportamento que adota para que as coisas aconteçam. No
plano mental esta casa representa a unidade de pensamento; no plano
espiritual, traz a inspiração que projeta e o torna o indivíduo indepen-
dente, original, interessado no novo, aberto a iniciativas; no físico repre-
senta e é a ação. O progresso de quem tem o 1 como número de talento
dependerá sempre da forma como aplicar seus dons, criar no plano
material. Deve tomar cuidado com o autoritarismo e com o egoísmo.
Quem tem este número deve procurar ser diplomático, exercitar a pa-
ciência – isso fará bem à sua saúde física e mental e, de quebra, agrada
os demais. Conselho: procurar contribuir para que o necessário seja
possível agrega valor no julgamento que as pessoas fazem de você. Lem-
brar que não subimos sozinhos ao pódio.

Número de Talento 2 – Cor correspondente: Laranja


De estreita relação com a Lua, quem nasce com o talento na casa 2 traz
tatuado o símbolo da possibilidade, da instabilidade, sempre trabalhan-
do para harmonizar os opostos e colocá-los num mesmo projeto. Sua
espiritualidade é que dá equilíbrio às emoções. Sem esse ajuste é difícil
encontrar-se, pois as emoções têm o poder de fazer com o 2 o que o
vento faz com as nuvens. No plano mental, o 2 ordena e faz associação
de ideias, esta capacidade que lhe concede tato, compreensão das coi-
sas, espírito analítico, praticidade, capacidade de servir com eficiência
reconhecida pelo esforço na realização das tarefas. Seu progresso de-
penderá sempre de sua vontade de se adaptar ao meio. Esta é sua natu-
reza e, por isso, quase sempre quando resolve adotar a rebeldia colhe
desamor e críticas. Conselho: deve usar seus talentos para tornar o que
é possível em fácil e acessível. Seus pares e parceiros agradecem.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 75


Número de Talento 3 – Cor correspondente: Amarela
A relação do 3 é com o planeta Vênus, planeta que recebeu este nome
em homenagem à deusa romana do amor. Por isso os que nascem com o
talento no número 3 transmitem uma imagem de alegria, afeto e otimis-
mo. Não gostam de perder festas, em especial aquelas em que podem
dar vazão ao seu talento, mostrar seu espírito comunicativo e derramar
seu charme. O mundo os vê como pessoas descontraídas e de senso de
humor. O relacionamento familiar é sempre voltado para a segurança, e
é esta casa que rege seu humor, o qual oscila com a Lua e suas influên-
cias, considerando seu signo lunar em conjunção com a água. O talento
na casa 3 traz o poder da comunicação, que vem ou chega com a matu-
ridade; traz a segurança de falar o que seu pensamento constrói e que é
sua melhor verdade ou crença. Deve sempre procurar conhecer o as-
sunto para ter segurança na hora de soltar o verbo. Deve exercitar com
perseverança suas atitudes para que não seja visto como uma pessoa de
fala fácil, imatura e que age de maneira pouco responsável.

Número de Talento 4 – Cor correspondente: Verde


O planeta Terra é irmão do 4. Firmes em seus propósitos, nem sempre o
são para manterem-se sobre o próprio eixo. Os que nascem com o talen-
to no número 4 são céticos sobre muitos assuntos e das mudanças
possíveis à maior parte dos humanos. É preciso mais que ver: é neces-
sário examinar com cautela para se convencerem de que isto ou aquilo
vai valer a pena. Preferem sempre adquirir o que não vai ser descartado
com o modismo. Têm visão do que é bom, têm senso administrativo e
sabem comprar e apreciar trabalhos criativos. O sucesso para adminis-
trar está diretamente ligado ao apreço pela organização e regras, e o
exemplo que dão, pois executam com afinco suas tarefas e cobram na
mesma medida. O cansaço e desânimo por não conseguirem colocar em
prática as regras militares que impõem a outrem e a si mesmo podem
levá-los a fugir da responsabilidade, indo a outro extremo se sentem

76 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


que as coisas saem do seu controle. O 4 tem muita rigidez no julgar, e
isso pode gerar solidão.

Número de Talento 5 – Cor correspondente: Azul-Clara


De estreita relação com Plutão, quem nasce com o talento no número 5
tem sempre aparência juvenil, seja fisicamente, seja em atitudes; com
frequência e facilidade vai a extremos, como usar casaco de pele no
verão, e transparência no inverno – provocação pura e simplesmente.
Não é dado a regras. De personalidade interessante e magnética, gosta
do sexo oposto e é apreciado por ele; tem boa conversa e bom humor,
mas é impulsivo. A impulsividade é um atributo que pode ser considera-
do um talento quando uma medida precisa ser tomada com urgência,
mas um defeito quando o que deve ser feito pede conhecimento de causa
suficiente para tomar a decisão mais acertada. Para se proteger deve
evitar a impulsividade nas tomadas de decisão corriqueiras, principal-
mente com aqueles que chegam à sua vida cheios de mistérios e/ou
histórias para lá de macabras. Os que vendem a autopiedade pedem
colo como crianças indefesas e por impulso ele os acolhe sem perceber
que são cobras em pele de cordeiro. Aconselha-se uma noite entre dois
dias quando o assunto é investimento, dinheiro.

Número de Talento 6 – Cor correspondente: Azul Forte


Talento 6 tem amizade estreita com Saturno. Quem nasce com o talento
no número 6, se coubesse em si mesmo uma grande incubadora, certa-
mente mandaria instalar para receber todos aqueles que precisam de
ajuda, de uma palavra, do silêncio, de ser ouvidos. Tem jeito para lidar
com massas e confortá-las. Sua atitude social é forte e ao mesmo tempo
suave. É um ser institucional. Não por acaso os romanos festejavam o
Natal no período conhecido como saturnália, o frio que unia. Quem tem
o 6 como talento demonstra, desde criança, afeto, preocupação com o

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 77


lado justo das coisas e a verdade. É bondoso, amigável e até mesmo
protetor. Tem apego à família, ao lar, e é dedicado ao casamento; é bom
anfitrião. Quando manifesta seu lado frágil, pode ser visto como uma
pessoa orgulhosa, que precisa aprender a perdoar.

Número de Talento 7 – Cor correspondente: Púrpura


Misterioso como Júpiter, pai do deus Marte, filho de Saturno, avô de
Remo e Rômulo, os lendários fundadores de Roma, o mistério é o que
envolve Júpiter, e quem nasce com o talento no número 7 pode, por
vezes, velar a clareza de pensamento. Tem capacidade de falar exata-
mente o oposto do que está sentindo e não ser traído pelas palavras.
Tem poder para exercer o trabalho que escolher, pois sua capacidade de
aprender é inata, além do magnetismo que traz as parcerias, sem estrei-
tar amizades. A cor púrpura que o 7 preconiza traz a transmutação dos
desejos, das escolhas, a mudança de interesses. É preciso exercitar a
vontade para vencer e tranquilidade para encontrar e manter seu eixo.
Querer é poder para quem nasce com o talento no 7; no entanto, não
adianta se iludir e exigir isso dos outros.

Número de Talento 8 – Cor Correspondente: Violeta


O planeta Marte, o deus da guerra, representa o símbolo dos que nas-
cem com o talento no número 8. Têm capacidade para exercer cargos
executivos, ir à luta para vencer no mundo dos negócios, transações
internacionais, comércio exterior, tudo o que se relaciona com a área
de negócios. Destemidos, buscam o sucesso, não esperam que oportu-
nidades batam à porta. Por isso fazem pessoalmente o papel de
divulgador, negociador, vendedor, e todo lugar e toda hora são uma
oportunidade de vender, fechar negócios. Como a guerra também tem
seu lado menos belo, com o 8 mora a casa da instabilidade emocional;
por isso é preciso cuidado com os rompantes. O 8 trabalha melhor a

78 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


razão. É bom comerciante, mas as emoções fazem parte da vida e são
seu telhado de vidro.

Número de Talento 9 – Cor correspondente: Magenta/Jacinto/Carmim


Se estivéssemos falando de amizade de Urano, que na mitologia grega
personificava o céu, criação sem limite, seria um bom amigo para os que
nasceram com o talento 9, Urano, gerado por Mai – casou-se com sua
mãe e lhe deu por filhos (os irmãos) titãs. Quem nasce com o talento no
número 9 é a representação do começo sem fim e do fim que se reinventa.
É generoso, amistoso e bom companheiro. Tem personalidade magnéti-
ca, mas, às vezes, carece de energia para levar em frente projetos, para
colocar em prática sonhos que exigem tarefas árduas. É um irmão mais
velho para todos, inclusive para aqueles bem mais velhos que ele em
idade e experiência. É romântico, encantador e bondoso. Deve evitar a
cor preta; não descuidar nos trajes, uma dúvida sempre na hora de
abrir o guarda-roupa, já que gosta de se sentir à vontade.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 79


ANÁLISE DO NOSSO DIA DE NASCIMENTO
CAPITULO VIII

Nosso dia de nascimento conjuga o verbo AGIR.

Num parto normal, o dia e a hora de nascimento são segredos bem


guardados e os últimos a ser revelados pelo viajante que se prepara
para aterrissar no planeta Terra.

E assim é pela vida toda. Dizer que agimos sem pensar é o jargão das
desculpas. Às vezes agimos sem análise das consequências, jamais sem
pensar. Ainda que o pensamento não leve mais que apenas segundos,
pensamos na ação; damos comando para a mente e o corpo entrarem
em ação.

A ação é, portanto, a última revelação, resposta manifesta por um indi-


víduo .

O que confunde e surpreende o adversário é a ação de quem o confron-


te, não os pensamentos, pois sabemos que muitos pensamentos mor-
rem ainda em formação, outros não têm nenhuma ação prática, são
apenas pensamentos a entulhar gavetas do cérebro.

Cada um tem uma forma muito particular de agir, e quase sempre obe-
dece a um padrão que chamamos de normalidade. É quando alguém
quebra esta previsível forma de agir que surpreende. E a Cabala é capaz
de revelar estas possibilidades analisando uma data de nascimento.

O dia de nascimento pode ser comparado à porta de entrada no mundo


das novas tarefas, e revela o modo como a pessoa age diante delas e
para cumpri-las.

80 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Análise para os nascidos nos dias 01, 10, 19 e 28
Confiança – Incorpore esta palavra à sua vida e ela tornará fácil o que
parece tão difícil.

Personalidade – A originalidade é sua marca no criar. A independência


lhe é tão cara que prefere ser dono de uma pequena quitanda a ser
empregado em grande empresa e não ter liberdade para criar, definir,
mandar. Seu senso prático leva à perseverança e seriedade nas ações.
Tem propósito em cada passo sem medir esforços, sendo assim difícil
desviar você dos seus objetivos.

Sucesso – Confie, há uma trajetória claramente definida desde sua che-


gada, porém à medida que a vida avança e dúvidas visitam seu pensa-
mento, pode perder a confiança na sua capacidade de abrir seu próprio
caminho para progredir na vida. É preciso concentrar-se no que deseja,
mantendo-se firme. A determinação e o esforço para concretizar as ações
são o que permitirá alcançar suas metas. Regra geral: aqueles que nas-
cem nesses dias ocupam posições de destaque, sobressaindo-se mais
do que seus irmãos ou membros da família.
Finanças – Estes nativos são de natureza feudal no quesito dinheiro. A
melhora financeira acontece quando há a inversão de valores, empreen-
dendo em negócios ligados à indústria, principalmente quando favorece
o progresso das artes e das ciências ou em postos que exijam capacida-
de de persuadir os demais.

Saúde – Para conservar o rico arsenal de vitalidade herdado desde o


nascimento, é preciso evitar bebidas, estimulantes, drogas de qualquer
natureza. Tendência a reumatismo, dores causadas pelo atrito dos mem-
bros. Com a passagem dos anos poderá sentir o desgaste de órgãos,
como estômago e fígado.

Curiosidade – A fama e a calúnia habitam a mesma estrada: a primeira


poderá vir por meio da caridade, doação, dar mais do que recebe sem

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 81


esperar proveito próprio. Mesmo assim deve precaver-se sempre da ca-
lúnia e estar preparado para ela.

Análise para os nascidos nos dias 02, 11, 20 e 29


Constância é a marca a ser tatuada em seu pensamento e em suas
ações.

Personalidade – Deseja harmonia, paz interior e o bem-estar de todos.


De natureza sensível e introspectiva, está sempre disposto a encerrar-
se em si mesmo para lastimar o que julga indelicadeza ou quando se
sente vítima de alguma injustiça, principalmente se quem o ofende per-
tence ao grupo de pessoas que ama, pois estes nativos têm capacidade
para amar muitos e de forma leal ao mesmo tempo. Em condições favo-
ráveis é provável que o poder criador que tem sua imaginação torne real
boa parte de seus sonhos.

Sucesso – Parte real, parte imaginária, os trechos que formam seu ca-
minho estão calçados por espinhos, às vezes colocados pela incompre-
ensão dos demais, outras pela excessiva sensibilidade de ver coisas onde
não existe. Há duas coisas que podem ajudar você a alcançar as metas:
a ajuda de pessoas que o cercam, ou os esforços que fizer para merecer
a colheita. Seu sucesso, às vezes, é alcançado por meio da própria luta;
outras, tentando impor que lhe deem atenção e ajuda. Neste último,
quase sempre, amarga desgosto.

Finanças – Ainda que em regra geral o dinheiro para você seja um meio
para chegar aos fins, muitas vezes realiza grandes esforços para conse-
gui-lo, quase sempre levado por um desejo e intuição de lucros. Assim
exercita administrar e converter numerários em bens. Seu sucesso nesta
área pode vir também de um casamento que lhe proporcione segurança,
ainda que seja irreal. Todas as profissões que exijam mais esforço mental
que físico lhe são recomendadas para ter uma vida relativamente feliz.

82 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Saúde – O esgotamento nervoso causado pelo excesso de trabalho men-
tal pode exigir de você um descanso consciente para uma boa recupera-
ção. Tem tendência a problemas com a coluna vertebral, gota, reumatis-
mo e cansaço do órgão vital, o coração. A medicina espiritual pode fazer
muito por você.

Curiosidade – Diz-se que os nativos destes dias são ricos sem dinheiro,
o que significa dizer que são mais ricos de fama do que no saldo real.

Análise para os nascidos nos dias 03, 12, 21 e 30


Condescendência é e sempre será de suma importância para o êxito da
sua vida.

Personalidade – Os nativos destes dias possuem um desejo ardente de


expandir e inclinação para conseguir o que desejam, sempre observan-
do a aplicação das leis, com mais aptidão para transpô-las do que para
obedecê-las, usando como arma o convencimento. São empreendedo-
res, decididos; na mesma intensidade são impulsivos, buscam crescer
pelo próprio esforço, e quando se sentem seguros, seguem a passos
largos, pois desejam ser o primeiro a alcançar o sucesso quando se
fazem acompanhar de sócios ou pessoas em cargos semelhantes.

Sucesso – Ambiciosos e donos de opinião própria, o caminho está cal-


çado de e por uma série de obstáculos e de concorrentes. Esses obstá-
culos, às vezes, incluem pessoas da família. Por isso, embora possuam
qualidades para vencer, a vitória por vezes não é total ou como plane-
jam. Isso ocorre para que possam descobrir que ainda precisam ultra-
passar barreiras e contrariar opiniões de pessoas muito ligadas. Os
trechos da rodovia da vida que mais lhes proporcionam vantagens são
aqueles nos quais percorrem acompanhados por pessoas que os consi-
deram capazes, dignos, e se submetem voluntariamente à sua autori-
dade.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 83


Finanças – O espírito empreendedor e sua aptidão para alcançar objeti-
vos ambiciosos têm motivação clara nas posições que desejam ocupar.
Os cargos de liderança e comando sobre os demais em instituições pú-
blicas, empresas particulares ou negócios próprios são os mais indica-
dos e propícios para garantir sua ascensão econômica. Devem preca-
ver-se contra o impulso de querer o poder a todo custo, sem analisar as
adversidades e capacidade daqueles com os quais disputam o pódio.

Saúde – Têm boa reserva de energia e boa constituição orgânica. Sua


saúde se fragiliza pelo excesso de atividade mental e física, devendo
tomar cuidado com paralisias e problemas do coração.

Curiosidade – Os aplausos quase sempre virão de um público generali-


zado, o que significa que pode esperar a glória advinda daqueles que
estão mais longe de você e as vaias dos que estão mais perto.

Análise para os nascidos nos dias 04, 13, 22 e 31


Persistência, esta é a forma de manter seu ânimo, vencer os obstácu-
lo s.

Personalidade – Precisa da independência como precisa do ar que res-


pira para viver, e este desejo ardente de independência com frequência
torna difícil a adaptação ao meio, o convívio e, principalmente, receber
ordens. É tão zeloso com sua independência que tem dificuldade de
submeter-se, ainda que voluntariamente, a algum regime que o ameace
dessa condição. Para se proteger, muitas vezes ousa ao extremo, tor-
nando-se uma alma solitária, incompreendida em suas ideias, lastimando
a falta de afeto e tendo de vencer uma série de obstáculos em cada
passo.

Sucesso – Seu objetivo fundamental será conquistar o poder, seja mate-


rial, seja espiritual, sobre as pessoas ou circunstâncias. E, para atingir

84 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


seus objetivos, enfrenta qualquer sacrifício e se sente animado. Dedica-
se ao extremo, toma iniciativas. Sempre cumpre com a palavra dada:
serve-se para isso da escrita e, em último, se necessário, empenha a
espada. Os dois meios podem ser fatores decisivos para conseguir o que
deseja, porém cada um deles pode também se transformar em causa
para perder o que lhe interessa conservar.

Finanças – Tem capacidade para ganhar dinheiro e também para perdê-


lo, ambos por imprevistos e onde e quando menos espera. As ideias
novas, os negócios relacionados com a eletricidade, mecânica, trans-
porte, ciência, cura de enfermidades por procedimentos originais, usan-
do como base a crença, a espiritualidade, são bons campos de atuação.

Saúde – Tem vitalidade, organismo ativo e resistente, podendo dizer que


as enfermidades que venha a sofrer são causadas mais pelos percalços
do que por debilidade física. Cuidado, porém, com acidentes e ferimen-
tos nas pernas e pés.

Curiosidade – Diz uma antiga lenda que os nascidos nestes dias são
monumentos sem data, dando a entender que seu nome será lembrado
durante muito tempo e não esquecerão o lugar onde repousa seu corpo.

Análise para os nascidos nos dias 05, 14 e 23


Merecimento. Trate para que cicatrizem todas as feridas, esqueça-se
das mágoas, isto lhe abrirá as portas da alma, acenderá a esperança, e
isso ocorrerá por merecimento.

Personalidade – Os nascidos nestes dias possuem capacidade para adap-


tar-se ao meio conduzidos pelo desejo de ver, aprender e apreciar o
novo. Buscam sempre novas experiências, todas visando e tirando pro-
veito de alguma forma ou de outra, pois o fracasso em seus empreendi-
mentos ou perdas do que possuem trazem, a seu ver, conhecimento,

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 85


experiência para usar na construção do futuro. Para um condutor desta
energia o conhecimento é importante não só para não cometer mais
erros, mas para adquirir experiências na vida.

Sucesso – Quem nasce sob esta energia possui espírito de aventura,


adaptando-se a mudanças que quase sempre chegam para facilitar o
avanço, alargar os passos decisivos rumo às conquistas. Por isso se diz
que quem age focado nos valores de um cinco é rico em experiência, e
este será o caminho a percorrer, com trilhas de variadas oportunidades
e sucessivas mudanças – assim é o traçado de sua existência.

Finanças – É difícil definir, apostar numa vocação, pois conta com apti-
dão para diversas atividades com êxito nos resultados. A combinação do
seu dia de nascimento com seu número régio é que vai ajudar esses
nativos a peneirarem as inúmeras vontades, seus quereres para faze-
rem uma escolha. A diplomacia, literatura, química, descobertas cientí-
ficas e aplicações práticas das ciências espirituais são alguns dos meios
que podem favorecer suas finanças. Sua versatilidade e as viagens os
ocupam em boa parte do tempo, não permitindo que usufruam do que
seu trabalho produz. Regra geral, não sofrem com escassez de dinheiro,
ou porque o possuem, ou por não darem a ele mais que o valor nominal
que tem.

Saúde – Possuem físico de constituição saudável. A constante tensão


nervosa é que pode trazer constantes crises de depressão que atingem o
físico e o mental, levando-os a sofrerem dos órgãos digestivos, a terem
distúrbios sanguíneos, problemas nas articulações e ossos, com ênfase
nas panturrilhas. O repouso mental é um ótimo remédio para o domínio
das emoções e é a melhor forma de usarem a medicina a se favor.

Curiosidade – Cabeças velhas sobre ombros jovens é a lenda q ue de-


fine o s nativos destes dias. Só os maduro s de cabeça conseguem rir
de si mesmos e de seus fracassos – os que nascem com a unidade 5
são assim, capazes de fazer piadas das derrotas sem se sen tirem der-
rotados.

86 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Análise para os nascidos nos dias 06, 15 e 24
Agrado. Se incorporar esta atitude em sua vida, encontrará o ânimo
necessário para transformar tudo o que for preciso e desejado; cami-
nhos se abrirão.

Personalidade – Com ciclos definidos, a juventude é marcada por um


desejo ardente de experimentar o amor conjugal, de conhecer o matri-
mônio. Muitas lições podem ser aprendidas pela união ou pela falta
dela. O choque de afetos traz a necessidade de esforços para acertarem
o caminho e começarem a trilhá-lo o mais rápido possível, convencerem
a si mesmos de que até então não haviam feito a escolha certa. Das
muitas experiências vividas com o sexo oposto, certamente muitas os
fazem desviar da direção que desejavam seguir; outras, no entanto, os
ajudam a impulsionarem esta direção, a renovarem as esperanças. Po-
rém é bom que saibam que poucas são as chances de encontrarem sa-
tisfação mudando a direção que almejam, por conta da vida familiar,
casamento, parceiros. A maior parte de sua vida, até os 45 ou 50 anos,
passarão buscando as mesmas coisas, porém quanto mais se sentirem
maduros e preparados, mais terão vontade de lutar para conseguirem
seus objetivos.

Sucesso – Um 6 p ode p erseguir a fama por toda a vida e ter a sensa-


ção de nunca ter nem mesmo passado por ela e, por isso, passar a
vida buscando-a sem descan so. Por essa razão, é importante eternizar
uma ad vertência: a fama em sua vid a nu nca vem quando pensa mere-
cer, nem chegará para levá-lo ao p ódio sozinho. Se quiser experimen-
tar o sabor da coroa terá de d ivid ir com parceiros, amigos, sócios,
cônjuge, p esso as que trilham o mesmo apren dizado. Para facilitar
esta conquista, quase sempre su a união matrimon ial será um resga-
te e, possivelmente, terá de crescer com os desencon tros que virão
carregados de ensinamentos. É assimilando isso que o crescimen to
espiritual ocorrerá.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 87


Finanças – Em certas fases da vida, aproveita as oportunidades para
melhorar as finanças, mas não mostra interesse em acumular os frutos
colhidos; outras vezes se empenha por algum tempo para acumular,
mas faltam-lhe interesse e satisfação no desfrutar, e isso leva à estagna-
ção profissional e financeira. Geralmente esta oscilação e a indiferença
com as finanças são influenciadas por pessoas do sexo oposto, que tan-
to podem lhe trazer progresso quanto fracasso nesta área. O que mais
contribui para esta melhoria são atividades artísticas e a vida pública
em várias frentes.

Saúde – Geralmente tem boa saúde, mas é preciso cuidar com excessos
de velocidade e fogo – acidentes e queimaduras como resultado de com-
bustão de motores. A infância e adolescência são mais vulneráveis nes-
sa área, mesmo assim, observar as medidas de segurança é sempre
recomendável a qualquer tempo. A vida longa lhe proporcionará a opor-
tunidade de fazer e registrar histórias. Irritação e contrariedade são
somatizadas e interferem no seu humor; deve afastar o estresse, que é o
caminho para depressão.

Curiosidade – As emoções são o órgão vital, a tradução do seu dia de


nascimento. Independentemente da situação que estiver experimentan-
do, mesmo as menos doces não lhe tiram o gosto, o sabor, a alegria que
consegue ver no ato de viver. Tem verdadeira vocação, tendência a gostar
da vida e a torná-la mais atrativa por meio das conquistas amorosas.

Análise para os nascidos nos dias 7, 16 e 25


Devoção. Esta é sua senha para as conquistas e seu guia para vencer
os caminhos desconhecidos ou obscuros.
Personalidade – Você é movido por um desejo ardente de conhecer suas
próprias potencialidades internas e os mistérios que movem o externo.
De natureza romântica, elabora suas próprias ideias, exercita a intui-
ção, admira a criação divina e sente um profundo respeito pelo oculto.
Fechado em seu próprio mundo mental, trata de se adaptar ao mundo

88 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


da matéria e à realidade em que vive. Tem dificuldade de encontrar uma
religião que o satisfaça plenamente, por isso modifica o que havia apren-
dido e o que acreditava até ontem, de acordo com suas mudanças de
humor. Pensador nato, o gosto pela leitura e a fome de conhecimento
também contribuem para esta inquietude e mudança.

Sucesso – O caminho a percorrer começa dentro de você e percorre


terras distantes, normalmente muito longe do seu local de nascimento.
As viagens são formas de recarregar suas baterias e, se não pode realizá-
las efetivamente, faz isso por meio da narrativa de outros, e/ou do pen-
samento viajado, concluindo-se assim que, ainda que passe a vida sem-
pre no lugar onde nasceu, será um estrangeiro em suas próprias terras
e um peregrino em si mesmo.

Finanças – Há duas coisas que são de fundamental importância para


suas finanças: as parcerias com pessoas empreendedoras, que colo-
quem em prática suas ideias e criações, e a aplicação de suas convic-
ções políticas e religiosas. É possível que a primeira venha de socieda-
des que nascem de um casamento vantajoso, porém com mais aborreci-
mentos que prazeres. A segunda regra geral lhe trará popularidade e
prosperidade, ainda que não lhe dê uma conta bancária invejável.

Saúde – Quem nasce sob a energia do 7 quase nunca tem uma consti-
tuição tão forte quanto parece ou que deseja mostrar. Nos primeiros
anos, na infância, tende a ter uma saúde delicada, e no decorrer da vida
pode enfrentar enfermidades de difícil diagnóstico. Os órgãos digesti-
vos, pulmões e coração são órgãos vulneráveis. Deve ter cuidado com o
aumento gradativo de bebidas alcoólicas, pois a quantidade que num
momento traz prazer pode se transformar em dor.
Curiosidade – As inquietações, desassossegos da alma, serão supera-
das aceitando a fé e praticando-a com devoção: eis a chave para a evolu-
ção espiritual. Quando conseguir se equilibrar neste degrau por mereci-
mento, a prosperidade material e física permitirá você a gozar das mara-
vilhas que há no mundo. Abra seu coração com devoção, mostre e des-
perte ternura: isso para você é evolução.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 89


Análise para os nascidos nos dias 08, 17 e 26
Previsão. Planejar a trajetória, criar metas claras, determinar como se-
rão as ações e se dar dia e hora para a colheita: eis aí a receita do seu
sucesso.

Personalidade – Você já nasce desejando o poder, o controle, exercer


domínio sobre si mesmo, ser autossuficiente e controlar o mundo que o
rodeia, e suas riquezas são sonhos que viram pesadelos quando o tem-
po corre e você não as alcança. Ao mesmo tempo, para conseguir tudo o
que deseja demonstra, por vezes, uma paciência que não é nata, mas
conquistada por meio da perseverança e determinação. Busca sempre a
forma mais perfeita possível de fazer e ter sucesso e faz isso confiando
mais em você mesmo que nos outros, pois seu trabalho é feito sempre
de boa vontade, o que, por vezes, não encontra nos parceiros. A dor da
perda de entes queridos e as mágoas pelos desenganos purificam sua
alma. Quase sempre é na segunda etapa da sua vida que seu caminho
será mais prazeroso que a anterior.

Sucesso – Sua trajetória de sucessos é marcada por obstáculos às vezes


acidental, outras, bem identificadas, surgem da oposição de pessoas.
Nenhuma delas, porém, lhe tira o foco, pois se vale delas para aumentar
a vontade de vencer e para conhecer a si mesmo com mais propriedade
e, na mesma intensidade, o mundo e as pessoas com as quais convive
cheio de ambições materiais.

Finanças – Os atalhos que facilitam a vida financeira são, de forma resu-


mida, dois: o primeiro é o dos golpes de sorte, especulações e decisões
rápidas; o segundo, por meio do trabalho árduo, por vezes lento, mesmo
assim este segundo é mais seguro para acumular os valores desejados,
pisar no degrau almejado. Altos cargos de responsabilidade, negócios pró-
prios, explorações de minerais, agricultura modernizada, construções,
administração de edifícios, negócios com carvão, madeira e, em geral,
tudo o que tenha solidez, podem ajudá-lo a criar sua fortuna.

90 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Saúde – A ansiedade e a angústia podem levar você a deprimir-se e
comprometer sua saúde. Conservar a serenidade mental, cuidar da ali-
mentação, da forma física, dar atenção às evidências que o corpo dá
sendo seu próprio médico, tudo isso evitará doenças, pois, ainda que
haja indicação de longos períodos de boa saúde, as enfermidades ocor-
rem de forma repentina.

Curiosidade – “Profeta em terras estranhas”. Tem sempre uma solução


para melhorar a vida alheia, mas pode não ter quando se trata de en-
contrar respostas e soluções para problemas próprios.

Análise dos nascidos nos dias 09, 18 e 27


Benevolência. Pratique, incorpore, torne-a parte de sua rotina diária,
pois assim o triste lhe parecerá prazeroso, o impossível e inservível lhe
parecerá útil, a alma, luz necessária para compreender a si mesmo e os
demais.

Personalidade – Quem nasce em um destes dias possui um ardente


desejo de colocar à prova o próprio valor, revelar-se, elevar-se sobre o
que pensa ser e sobrepor-se aos seres e às circunstâncias. Há muita
energia e desejo que por sua natureza alimentam um fluxo constante de
energia: às vezes, canalizada para a realização; outras, para camuflar
com desculpas a inércia. Quando bem direcionada, sua energia é incan-
sável, alimenta e revigora os esforços que despende na busca do bem
próprio e ainda para facilitar que o mesmo ocorra com as pessoas que
são do seu agrado.

Sucesso – O caminho a percorrer está formado por uma trajetória as-


cendente: bruta algumas vezes, florida outras, cheia de surpresas qua-
se sempre, e cada vez mais em direção à subida. Antes dos 35 anos,
essa trajetória pode ter penosos obstáculos, muitos deles contrários ao
objetivo que persegue e ao desejo momentâneo que alimenta. Alcançada

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 91


essa idade, alguns nativos destes dias moderam as suas formas
combativas de lutar e buscam com mais cautela o sucesso almejado;
outros, ao contrário, intensificam suas aventuras e buscam o sucesso
no caminho do risco e da extravagância. Em ambos os casos irão con-
cluir, sem sombra de dúvida, que para conseguir o que desejam é preci-
so contar com mais do que simplesmente uma intuição: é preciso dispor
de persistência para alcançá-lo.

Finanças – Há mais interesse em exercerem o poder que concede o


dinheiro do que em desfrutarem das boas coisas que ele proporciona;
mais satisfação em se destacarem sobre os demais que venham a dispu-
tar a mesma posição que desejam alcançar do que fazerem suas as ga-
nâncias a que tal posição lhes dará direito. Possuem aptidão de organi-
zação e de dirigir postos efetivos de responsabilidade. Bons profissio-
nais dentro da área escolhida, se usarem da persistência é provável que
passem por suas mãos valores consideráveis. Os últimos anos não se-
rão somente bons e prósperos, serão também tempo de conservarem o
que durante a vida adquiriram.

Saúde – Há registro que indica longos anos de saúde resistente, talvez


interrompidos em ocasiões em que cometam excessos, porém sempre
serão passageiros. À medida que avancem em idade precisarão tomar
cuidado para que o coração não se canse de resistir, apesar das cargas
a que o submetem, e num dia qualquer deixe de funcionar sem aviso
prévio.

Curiosidade – Diz uma antiga lenda que os que nascem nestes dias são
faróis flutuantes; luzes que, de tanta claridade, quanto mais perto esti-
ver o perigo, mais úteis se farão, dando a entender que haverá marcas
deixadas no Universo por eles. Os motivos desse registro serão: seus
serviços prestados aos demais e sua forma peculiar de prestá-los.

92 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 93
MÊS DE NASCIMENTO
CAPITULO IX

Protegido entre o dia e o Ano de nascimento está o mês, que conjuga o


verbo SENTIR – é claro que cada um de nós sente de forma diferente, e
revela ou esconde este sentimento. O mês de nascimento é o que permi-
te a muitos guardarem segredo até de si mesmos. O que sentimos pode
ser expresso em palavras, atitudes, mas é também guardado a sete cha-
ves. Aliás, este é um ditado popular que define bem o sentir de quem
nasceu no mês 7. Poucos conhecem verdadeiramente o que um 7 sente,
pois fala sobre tudo, menos sobre o que realmente o incomoda de forma
mais íntima e intensa. É preciso sempre lembrar que não devemos con-
siderar um único item para definirmos alguém, mas que todos são im-
portantes e agregam conhecimento na análise final.

JANEIRO
Quem nasce neste mês sente A e fala B, ou não fala nada, pois não gosta de
revelar seus sentimentos, nem deixar transparecer que é tão sensível. Este
sentir se intensifica ou suaviza de acordo com seu dia de nascimento. Che-
gar num mês 1 significa gostar de ficar só com certa frequência, apreciar o
isolamento momentâneo, quando se reconstrói com ele para, em seguida,
chamar a atenção. Ensaia expor-se guardando certa reserva, mas o neces-
sário para satisfazer seu ego. Muitos podem traduzi-lo como extrovertido,
pois no palco da vida é um bom ator e faz um teatro de convencimento.
Mas, para algumas situações e diante de certo público, é tímido.

FEVEREIRO
Tem vontades próprias, mas quase sempre guardadas no baú do querer
para não magoar quem ama. Expõe seu ponto de vista para, na sequên-
cia, relativizar, caso implique em convencer os demais a aceitá-lo, evi-
tando magoar-se, pois a sensibilidade é a camada mais superficial da
sua pele; não ousa nem arrisca sem antes ter muita certeza de vitória,
sucesso, perdendo excelentes oportunidades de trabalho, financeiras,
de amores. Inseguro, entende a insegurança alheia e protege, ainda que
apenas com palavras, os fracos. Dependendo da combinação de núme-

94 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


ros que tem no seu Mapa, pode ser um incentivador e um crítico daque-
les que lhe revelam suas dúvidas, deixando a impressão que é a segu-
rança e a determinação em pessoa.

MARÇO
Sua grande virtude é também seu grande defeito: como se sente à von-
tade para dizer tudo o que sente e o que acha a respeito do outro, pode
afastar os mais tímidos e fracos do seu convívio, e sem perceber tornar-
se pavão sem plateia. De natureza prática, de forma objetiva, coloca sua
posição sem se preocupar em parecer racional demais; enfrenta seus
medos falando sobre eles; assume sem se sentir pior por isso. Assim,
não tem paciência com os que ficam cozinhando em banho-maria seus
tormentos e os considera fracos.

ABRIL
Quem nasce no mês de abril já chega construindo, é um joão-de-barro
sem asas e com dois braços dispostos para o trabalho. Os sentimentos
deste nativo só são percebidos por quem consegue ouvir “eu te amo” na
construção de um muro, por exemplo, pois ligado nas necessidades
materiais, pode presentear a amada com o muro da casa e nem se lem-
brar das flores. Mas quando gosta, ainda que seja desajeitado para di-
zer, é para sempre, pois a instabilidade não é a chave de sua trajetória,
nem gosta de dividir o que construiu. Tem sensibilidade? Sim, tem, mas
às vezes precisa ser entendida; outras, lapidada.

MAIO
Um otimista sem causa, vê possibilidade de alegria e ganho em tudo,
mesmo que, no fundo, saiba que os resultados não serão estes. Quer
distância de quem reclama e conta histórias que levam às lágrimas, pois
foge de tudo o que o faça chorar. É um ser sensível para as coisas que o
tocam, mas pode parecer insensível, pois não para a vida, o que estiver
fazendo para sofrer e não dá ombro para o sofrimento dos outros, doa
rápidas palavras de incentivo e segue em frente sem aguardar resposta.
Para se proteger, lida com tudo de forma superficial, ou nega o incômodo.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 95


JUNHO
É um camaleão: muda ao sabor da conversa, muda para agradar e ser
agradado por todos que o rodeiam. Seu verbo é mudar. O que era impos-
sível de se imaginar que aceitasse ontem pode ser completamente viável
hoje. Diante da mesma situação pode ser sensível numa hora e frio
noutra. Deixa-se influenciar por tudo o que acontece e por todos os
membros da sua família, nervo mais sensível da sua personalidade. Mas
pode desagradar muitos por não querer desagradar ninguém, embora
os sentimentos sejam altruístas.

JULHO
O ermitão nasce neste mês, precisa de uma caverna só sua, retirada
e silenciosa, para recarregar as baterias, para entend er o s próprios
pensamentos, para definir os sentimentos. É na quietude que sua
sensib ilidade, bem maior que a da maioria dos humanos, e sua capa-
cidade de traduzir o que o outro sente se ampliam. Poucos, se é q ue
existem, o conhecem, pois gosta de sua própria companhia e não
sente necessid ade de conselhos para resolver suas an gustias. O re-
colhimento é seu remédio, o silêncio, sua cura. Irrita-se com as espe-
culações dos q ue o rodeiam e p ensam que sabem o qu e está rolando
no seu peito.

AGOSTO
Há uma cortina que o que nasce neste mês gosta de usar para não
parecer insensível caminhando pelas trilhas do amor e nem demasia-
damente materialista visitando o mundo das oportunidades. Este es-
forço é para evitar o confronto, pois não gosta que críticas e conselhos
roubem seu equilíbrio. Nasce já adaptado ao mundo material, mas
sabe que isso não basta para conquistar a tão almejada prosperidade.
Gosta da casa e da rede, sem perder de vista a rua que deseja no
próximo quarteirão.

SETEMBRO
Por medo de ver chamuscada sua sensibilidade, pode escolher ficar só,

96 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


virar as costas para um parceiro, evitando assim, em sua análise, so-
frer, mesmo que sofra estando a sós. Gosta de receber, de ter gente para
lhe fazer companhia, mas pode manifestar o contrário se, para ter isso,
dependa de sua iniciativa sempre. Quase sempre quem nasce aqui é
delicado no trato com as pessoas e preocupado diante das necessidades
dos que o rodeiam, ainda que esconda o que sente. Dar é uma forma de
receber, então gosta de presentear.

OUTUBRO
Luta para não ferir os sentimentos alheios como uma forma de pedir
que não firam os seus. Deseja que todos ao seu redor fiquem bem, pois
acredita que, como ele próprio, todos precisam de paz, dependem de um
ambiente harmônico para viver bem. A Cabala o traduz como o mais
sensível na grade dos doze, por isso seus sentimentos e desejos oscilam
feito o tempo.

NOVEMBRO
Neste mês nascem aqueles que só mostram e demonstram o que que-
rem. São pessoas que podem estar experimentando um tsunami de
emoções sem deixarem que seja percebido nem pelos mais íntimos.
Mesmo se sentindo fragilizados, vão lutar para que todos acreditem que
estão bem, pois não suportam a ideia de parecerem fracos.São traduzi-
dos como os mais insensíveis, mas como podem não ser o que parecem.
Têm a intuição bastante desenvolvida e traduzem o que sentem antes de
agir, mas não são frios.

DEZEMBRO
Quem nasce neste mês adora um discurso para traduzir a si mesmo;
fala, fala, mas revela pouco, pois seus sentimentos não são práticos.
Assim, para explicar, vale-se de uma teoria pouco compreensível aos
demais. Sua sensibilidade pode dar lugar à apatia quando o que se apre-
senta demonstra algum grau de dificuldade. Vem com lições kármicas
para serem vivenciadas, o que pode atrasar a evolução da caminhada. A
arrogância e a teimosia são viseiras que afastam a porta da liberdade.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 97


ANO DE NASCIMENTO
CAPITULO X

Assim como o dia e o mês de nascimento, o ano revela uma faceta da


nossa personalidade e dá dicas de como conjugamos o verbo PENSAR.

Os mais afoitos diriam: “Mas espera, o dia de nascimento revela como


ajo, o mês como sinto e o ano como penso? O pensar não deveria vir
primeiro, não seria esta a lógica? Primeiro pensar, sentir os resultados
prováveis desta ação, e só depois partir para ação?”
Deve e segue esta ordem. A primeira informação que chega ao planeta,
quando anunciado o retorno de mais um SER, é o ano de nascimento,
depois o provável mês, e só nas horas que antecedem a chegada, conhe-
cemos o dia.

A modernidade mexeu um pouco nesta premissa, pois, para comodida-


de ora da mãe, ora dos envolvidos no parto, hoje é possível escolher o
dia e hora, o que no meu entendimento é uma agressão e muda a histó-
ria de vida do principal interessado, a criança.

Um parto sem dor, claro, agrada a maioria das mulheres, e por que não
nos utilizarmos do avanço da medicina? Isso não implica aceitar inter-
ferência ou imposição dos profissionais que não querem ser incomoda-
dos aos sábados, domingos, feriados e de madrugada.

A sugestão que dou a quem busca um mapa para o futuro bebê é, se não
for possível que este bebê escolha a hora de nascimento, deixe que ele
escolha pelo menos o dia, pois agimos e sentimos como resultado do que
pensamos, e o jeito tão particular de agir é ditado pelo nosso dia de
nascimento. Não é assunto para este livro, mas para aguçar sua curio-
sidade, a hora de nascimento revela muito sobre nosso sucesso profis-
si o n al .

98 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN


Anos e suas revelações
1. Visionário, desbravador, tem ideias inovadoras e práticas, não
cria só para si, mas para o mundo, que, às vezes, só vai valorizar
e se valer de suas criações muito tempo depois. Não se preocupa
com isso, pois quando um invento toma forma, outro já entra na
linha de produção do pensamento. A lógica é sua tônica.

2. A emoção é o volante da inteligência, por isso muda de direção


cada vez que uma sensação, uma intuição lhe chega ao pensa-
mento, dando outro rumo à direção dos fatos. Sua mente é emo-
cional e constantemente visitada por sensações que perturbam
seus quereres, e isso acontece sem que dê ordens de forma racio-
nal buscando respostas, mas através de uma energia desconhe-
cida e alheia à sua vontade.

3. O Pensador mora aqui e o pensamento é um operário vigoroso.


Capacidade de pensar enquanto fala, de ir ordenando as ideias ao
transmiti-las. A mente é muito ativa, rápida e o raciocínio, mate-
mático e forte. Pensa antes de comunicar, pensa enquanto fala,
pensa enquanto observa e muda o foco se sentir que não está
atingindo o alvo. Pode ter insônia, porque sua mente não para de
t r a b a l h a r.

4. Não há espaço para viagens; os pensamentos são concretos, pois


quem tem esta unidade como ano de nascimento nunca sonha,
nem tem devaneios. O pensamento tem foco. Trabalhar, produzir,
estruturar e construir, este é seu lema. Com a mesma disciplina
que direciona a vida, é capaz de direcionar os pensamentos para
obedecerem à sua vontade. Foco? Concretizá-los.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 99


5. Os pensamentos são um balão ao vento, leves e desordenados.
Não gasta energia mental para o convencimento, pois acredita
que cada um deve pensar do jeito que quiser; também não motiva
ninguém a pensar e concordar com suas ideias. É um navegador
de ideias e tê-las dispersas é uma característica de quem nasce
sob esta influência.

6. Embora seus pensamentos sejam rápidos e sensatos e tenha boa


capacidade mental, tem dificuldade de se concentrar, quando o
assunto não lhe interessa 100%. Embora tenha capacidade de
criar o que pensa e deseja, manter o foco carece de exercício rea-
cional. Estudar e memorizar a leitura depende do interesse pelo
assunto.

7. Os pensamentos são inevitavelmente analíticos, pois quem nasce


com esta combinação é quieto e meditativo, e direciona sua ener-
gia mental conforme seus desejos. Os pensamentos sob a influên-
cia do sete são elevados, mas podem sofrer interferências exterio-
res, pouco louváveis quando falta fé.

8. Quem nasce aqui tem uma capacidade nata para organizar tudo,
das coisas todas aos pensamentos, determinando o que merece
sua atenção e o que não compensa gastar tempo e energia mental
para resolver. Suas ideias são voltadas muito mais para o futuro
do que para o passado.

9. Seus pensamentos são direcionados para a evolução. Busca o


conhecimento. Nunca se contenta com o que já aprendeu, quer
sempre ir além. Sua mente sabe planejar; ajusta as experiências
passadas como base para o futuro. Lê muito, precisa do silêncio
para organizar suas ideias.

100 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
10. Sua mente é original e inquieta, assim pode mudar muito de ideia.
De um momento para o outro, muda o rumo do querer. Experi-
menta os extremos, tem pensamentos negativos e/ou muito posi-
tivos num piscar de olhos. Com o passar dos anos, temperado
pelo tempo, tende a estabilizar seus processos mentais.
11. Seu poder é mental. Capacidade de criar e controlar tudo por
meio dos pensamentos. Mais que os seus, domina também os
pensamentos dos outros, mas perde esta capacidade analítica
quando há envolvimento emocional com o assunto, ou com o ou-
tro, aumentando a possibilidade de errar.

12. Prefere calar a emitir, a dar a conhecer seus pensamentos. Inteli-


gência privilegiada, mas os bloqueios emocionais ou de educação
podem inibir sua capacidade de expressão, interferir nos seus
processos mentais, anulando a comunicação. Quem chega sob
esta influência quase sempre não fala o que pensa.

13. A mente é crítica e forte; seu desejo: transformar. Por isso os


pensamentos são direcionados para a ação; não gosta de plane-
jar, vê nisso uma perda de tempo. Executa tudo com rapidez e
não deixa uma ideia sem aplicação. Quase sempre seletivo, suas
escolhas podem gerar alguns transtornos.

14. Tem pensamentos que não consegue ordenar, disciplinar; a men-


te ativa produz ideias como estrelas, mas fluem desordenada-
mente. É capaz de captar os pensamentos alheios. Deve armaze-
nar, registrar tudo aquilo que vem à mente, pois muitos dos seus
pensamentos só são entendidos posteriormente.

15. Quem nasce com esta combinação deve e precisa aprender a se-
lecionar seus pensamentos, pois enquanto alguns são positivos e
úteis, outros são negativos e podem gerar confusão. Ao direcionar
sua energia mental adequadamente, torna-se magnético e influen-
cia as pessoas.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 101
16. Aqui está o mais pensativo e meditativo, que precisa aprender a
usar sua força mental. Quando não utiliza seu potencial, pode
ser perturbado por ideias estranhas, tem dores de cabeça fre-
quentes e não tem repouso enquanto dorme. Os pensamentos
são mais a respeito dos outros que de si mesmo.

17. A mente é clara e iluminada, assim fluem os pensamentos, sem


grande esforço, sem reter a energia mental. São abundantes as
inspirações e muitas as ideias criativas. Precisa aprender a apro-
veitar o que recebe, realizando ações concretas com base no que
a mente produz.

18. Suas ações são influenciadas por seus pensamentos. Como muda
muito de ideia e não tem segurança no que sua mente produz,
pode ficar no querer e nada realizar. Quando aprender a analisar
e for mais racional, poderá se transformar num planejador efi-
ciente, pois intuição e facilidade de comunicação não lhe faltam.
Cuidado para não falar tudo o que pensa sem perceber.

19. São muitos os pensamentos que surgem inesperadamente. Esta


agitada fábrica de ideias pode gerar cansaço mental. Sabe que
quando se organiza, canaliza a energia mental corretamente. Aque-
les que nascem nesta vibração costumam propagar seus pensa-
mentos por meio da escrita, como educadores, palestrantes, pois
são capazes de motivar os outros a pensarem por si mesmos.

20. Os nascidos neste ano precisam aprender a vencer alguns limi-


tes, pois seus pensamentos podem ser limitados ao que aprendeu
da família. Quando se libertam, são sensíveis e inspirados. As
ideias surgem de repente, são espontâneas. Muitas vezes perdem
o controle sobre a mente, divagando ou servindo de médium.

102 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
21. Pensamentos rápidos e inteligentes. Gosta de criar, dirigir e argu-
mentar, pois sua mente é abastecida por muita energia. A comu-
nicação é uma ferramenta que pode usar de forma a obter contro-
le sobre o outro, servindo de meio de conquista. É sempre difícil
vencer uma discussão com um 21, pois sua mente vai adiante
daquilo que está sendo dito.

22. É capaz de pensar além dos limites dos sentidos, pois capta mui-
tas vibrações que não controla. Saber disso é um avanço para
evoluir. Tem pensamentos idealistas e originais, pode saber o que
o outro pensa ou deseja, sem que lhe digam, mas não aproveita
sua energia mental.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 103
LIÇÃO DE VIDA/DESTINO
CAPITULO XI

Para ajudar você a efetuar as equações matemáticas, mostramos que


para conhecer seu Destino/Lição de vida seria necessário tão somente
somar o dia + mês + ano de nascimento. Traduzindo, significa dizer que
somando o verbo Agir + Sentir + Pensar, cada indivíduo tem uma radio-
grafia da sua trajetória. A vida não nos dá respostas, nem apresenta
uma conta que não esteja diretamente ligada a escolhas que deliberada-
mente fazemos.

Popularmente se diz que aprendemos de duas formas: pelo amor ou


pela dor. Isso significa que podemos escolher o como, mas não temos o
poder de escolher não vivenciar as lições que a vida nos impõe, o que
para muitos é coisa do destino.

A lição de vida ou destino do qual tratamos, aqui representada na Árvo-


re da Vida, não pode nem deve ser entendida como sentença, mas como
um número que traça uma linha de comportamento que, inevitavelmen-
te, é causa e efeito, abrindo possibilidades de aprendizado. Por isso,
alguns estudiosos traduzem este número como lição de vida.

Considerando o destino como uma oportunidade de colher lições, é im-


portante entender que, de livre escolha, não buscamos o aprendizado
senão para tirar proveito; dele nos valemos para ocupar degraus mais
altos que a grande massa. Quando temos noção das dificuldades que
teremos de transpor, seguimos em frente se estivermos convictos de
que, ao final, vai valer a pena, que há uma grande possibilidade de
experimentar a tal felicidade que as vitórias nos proporcionam.

Quem salta sobre um córrego tem como certa sua aterrissagem na mar-
gem que avista. O destino programado para o salto em questão é pisar em
terra firme, mas a lição pode estar no trajeto, longe do pensamento, que
já sente o sabor do sucesso, e muito perto do corpo, que não tem alcance
para vencer e evitar um banho de água fria. Literalmente um banho de
água fria, pela diferença de temperatura entre os corpos que se encon-

104 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
tram, no ego pela frustração do resultado. Se planto rosas, não tenho
como não conviver com os espinhos que fazem parte da natureza desta Popularmente se diz que
flor, mas posso escolher manuseá-las de forma a evitar ferimentos. A
colheita depende da minha escolha. Assim é a vida, você colhe o que
planta, e ainda que se negue a crescer, amadurecer com as experiências, aprendemos de duas
terá inevitavelmente que arcar com as consequências de suas ações.

Por isso, nosso Número de destino na Árvore da Vida sempre encontra a


formas: pelo amor ou pela
mão estendida de outro número que, como um amigo, apoia, encontra
fatos para justificar as vitórias e as derrotas e tem sempre um conselho dor. Isso significa que
usando a si mesmo como exemplo, sugerindo que se coloque em prática
da próxima vez, sugerindo que pratique mais e siga em frente.
podemos escolher o como,
Fugimos do fracasso, mas o destino tem suas artimanhas, nos conven-
ce, empurra, provoca certos encontros que são confrontos. Quando for-
nece a armadura esconde a espada. Não saímos ilesos; podemos até
mas não temos o poder de
esquecer o fato, mas a lição estará escrita na página da eternidade e,
normalmente, é esta que contamos com orgulho para gerações vindou- escolher não vivenciar as
ras, quando a vida é generosa e o espelho, companheiro.

O Número de Destino/Lição de Vida está representado na Árvore da Vida lições que a vida nos
cabalística como a sephira de nascimento, também chamada de degrau
permanente, porque nunca muda. Pela sua importância e complexidade,
teremos um volume dentro da série De Zero a Dez, dedicado exclusiva-
impõe, o que para muitos é
mente ao tema. Por ora vamos nos concentrar apenas neste degrau.
coisa do destino.
Relembrado, para conhecer este número some: seu dia + mês + ano de
nascimento, reduzindo até encontrar um número de 01 a 10, como no
exemplo a seguir.

Nascido no dia: 26/11/1969


26 + 11 + 1969 =
(25)
8 +2 + 7 = 17 = 8
Número de Destino ou Lição de Vida do exemplo dado: 8

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 105
O que vou fazer: Lição de vida no degrau 1
O que a vida espera de você é que seja independente e responsável por
seus atos, não se esconda atrás de erros, ainda que isso signifique pre-
juízo; tome a iniciativa; invista em si e no mundo em que vive; crie
oportunidades e não dispense oportunidades para comandar, adminis-
trar; que não abra mão da coragem e não faça o tipo coitadinho e
pechinchão, valendo-se de palavras de incentivo só em proveito próprio.
Veio com inteligência para vencer na vida, como os atletas de modalida-
des individuais o fazem, então não deixe de subir ao pódio esperando
companhia ou ajuda. E quando estiver lá, agradeça ao prêmio usando o
verbo nós.

Conselho dos números amigos: se deseja aprender nesta existência,


leve a sério estes desafios.

Lição: aprenda a ser só sem se sentir só.

Lição de vida no degrau 2


Sua lição nesta vida é a prender o sacerdócio da cooperação, da diplo-
macia, ser paciente, disponibilizar sua inteligência e vontade quando vir
seu semelhante necessitando de ajuda, cooperar para que o Universo
que o cerca ser melhor para todos. Unir-se a eles e unir pessoas, eis seu
aprendizado. Aprenda com as perdas, com os fracassos e os insucessos,
eles acontecem na vida de todos; portanto, não veja estes momentos
como um castigo dos céus que visitam isoladamente sua vida.

Conselho dos números amigos: largue a mala das dúvidas e o centro


da balança. Nem sempre é o mais justo, apenas mais confortável para
quem odeia tomar partido.

106 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Lição: ser parte do mundo não significa renunciar seu direito de querer, O que vou fazer:
desejar, vontade própria, individualidade.

Importante: Se ao somar seu dia, mês e ano de nascimento, encontrar 11 como fonte para o 2, leia a lição
11 (número mestre), que certamente terá mais a ver com você que o 2.

Lição de vida no degrau 11


Sua lição de vida traz como chave um número mestre, que não permite
redução. Seu aprendizado se concentra em atuar inspirando e liderando
pessoas, agindo com criatividade sem perder de vista os valores espiri-
tuais. O 11 é visto como um número favorável, destemido por uns, e
como um número maléfico por outros, inspira sempre cuidado, pois
lição é o que temos a aprender.

Conselho dos números amigos: aprenda a lição de liderar dividindo


ônus e bônus. Compartilhar sucesso, lucro e agir sem tirania eis o que
se espera de você. Que não seja tirano também e principalmente como
você mesmo se sobrecarregando de responsabilidades, enquanto os que
caminham à sua volta se valem disso sem colaborar.

Lição: quando ignora estes princípios, chora sobre leite derramado, pois
pensa, arquiteta, e coloca em ação os devaneios com o aval do ego.

Lição de vida no degrau 3


Sua lição de vida é comunicar ao Universo seus desejos sem utilizar-se
de outros para falar em seu lugar, mandar recados. Acreditar em si
mesmo, manter o otimismo mesmo diante dos inevitáveis obstáculos,
motivar ao invés de desmotivar com críticas aqueles que lhe procuram.
O mundo das artes quase sempre cruza o caminho daqueles que tem

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 107
O que vou fazer: lição no degrau 3, um universo competitivo onde o julgamento é o prato
do dia a dia. Não engavetar os sonhos por medo da rejeição é sua lição.

Conselho dos números amigos: traçar objetivos e ações para subir ao


pódio. Isto o universo espera de você; se as palavras valem prata, saber
silenciar sobre seus objetivos é ouro em pó.

Lição: Fale menos e aja mais, não aguarde que seus sonhos se realizem
no infinito do tempo ou que sejam realizados pelos que o rodeiam, mas
por sua vontade e determinação.

Lição de vida no degrau 4


A vida lhe reserva o desafio na casa do trabalho, dos bens materiais;
convida você a construir seu mundo sobre alicerces sólidos, em etapas,
planejando cada uma delas como faz um pedreiro para construir um
castelo ou um casebre. Começa pelo fundamento, e o sucesso ao final
está em não pular etapas, entendeu?

Conselho dos números amigos: o conselho para quem nasce neste


degrau é que produza, construa e usufrua, com responsabilidade e muita,
muita alegria. Por medo do futuro de mexer nas reservas. quem nasce
neste degrau tem tendência a trabalhar sem pensar no lazer, férias via-
gens, vai adiando estes desejos com a intenção de realizar no futuro...
aposentadoria. Será que o tempo vai esperar por esta lógica?

Lição: quando não aprende o desapego material por si mesmo, o desti-


no se encarrega disso colocando pessoas no seu caminho que lhe cau-
sam prejuízos financeiros: sócios, parceiros, fornecedores, família, en-
tre outros.

108 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Lição de vida no degrau 5 O que vou fazer:
A vida convida você, que tem lição no degrau 5, a largar o marasmo e as
desculpas para aceitar a vida como ela se apresenta e promover mu-
danças, aprender a ser livre e não apenas desejar ser, promovendo estas
mudanças e experimentando o gosto da liberdade com responsabilida-
de, risco calculado. Inovar, apresentar o velho, o antigo transformado.
Sair da caverna dos pensamentos cheios de tradição e mudá-la sem
d es re sp e it á- la .

Conselhos dos números amigos: não lute contra as mudanças nem


sofra além do necessário com elas, que sempre chegam como uma dádi-
va ou como uma grande lição.

Lição: é quando se apodera de algo e toma como eterno que o destino entra
em cena, e os ventos fazem uma devasta nos seus pequenos sonhos, ba-
gunça a organização, desfaz a hierarquia. A vida lhe oferece o mundo.
Como o destino pode aceitar que se esconda dele escolhendo a caverna?

Lição de vida no degrau 6


Você traz na lição de vida aprendizado na casa 6, o que significa, encon-
trar o meio-termo na vida, buscar o equilíbrio para coisas e ações, entre
o dar e receber, aprender e oferecer ajuda em vez de aguardar que lhe
peçam. A família de onde veio, a família que escolhe constituir, aquela
que vem como consequência deste ato, além daquelas que assume por
afinidade durante a vida, serão por toda a vida um excelente laborató-
rio, lugar que permite aprender em sociedade e a se valer dela.

Conselho dos números amigos: você precisa deste laboratório e de


estar rodeado por pessoas para ajudar e amparar, como um pai, uma
mãe, mas não deve fazer sem uma prévia análise, pois carregar nos

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 109
O que vou fazer: ombros quem pode andar e não o faz por manha e comodismo gera um
cansaço frustrante.

Lição: não se afaste demais do ninho que o acolheu na chegada. Ainda


que viva separado dos seus por quilômetros de distância, mantenha o
fio dos sentimentos conectado e faça com que eles saibam disso.

Lição de vida no degrau 7


Quando chegamos ao planeta Terra tendo como lição o 7, devemos aban-
donar pensamentos egoístas e aprender a dividir com a humanidade
nossas descobertas. Sua lição é: empenhar-se em conhecer tudo o que
puder sobre a alma humana, e não guardar para si mesmo as descober-
tas. Quanto mais falar sobre seus feitos, mais conhecimento lhe será
disponibilizado.

Conselho dos números amigos: aprenda ainda a administrar a própria


vida. Não gaste mais do que ganha, faça reservas, o degrau 7 traz uma
vontade de servir e a ilusão que o fazendo merecerá o maná dos seus
como recompensa, que nada lhe faltará. Isso é uma meia-verdade, pois
o maná deve ser recolhido antes de o Sol nascer, e tê-lo para o jantar
depende da porção recolhida e da forma como se administra seu consu-
mo durante o dia.

Lição: a vida, por vezes, impõe a quem nasce no degrau 7 tomar con-
tato com a separação, perda ou enfermidade de familiares geralmente
muito cedo. Para alguns estas ainda vêm acompanhadas de dificulda-
des financeiras; para outros, abundância que deve ser administrada.
Se tudo isso não lhe trouxer o aprendizado necessário, viver intensa-
mente a vida e não lesar ou causar danos a outros, seja com palavras,
seja materialmente. O destino se encarregar de fazer você repetir a
lição por tempo indeterminado. Aos sábios, o sabor das conquistas.

110 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Lição de vida no degrau 8 O que vou fazer:
Lição no degrau 8 significa que veio aprender a liderar, a exercer o poder
que tem, mas sem usar da tirania, controlando o desejo obsessivo de
demonstrar poder, isto é, aprender a destacar-se sem fazer uso exagera-
do da vaidade, ferramenta que anula os mais fracos. Quem nasce neste
degrau tem capacidade de fazer o dinheiro que administra se multipli-
car, assim como pode perder por simples tiro de soberania e vaidade.

Conselho dos números amigos: o Universo espera que sem egoísmo se


utilize desta condição para correr riscos calculados na matemática do
saber, para empreender, gerar empregos, dar exemplo de cidadania, criar
oportunidades, dividir lucros, investindo em ações sociais, obras de arte,
cultura, esporte, uma espécie de protetor e incentivador da sociedade
que produz, mas não sabe colocar nos seus feitos a dose de fermento
que faz crescer.

Lição: a grande lição de um 8 quase sempre acontece quando, como


voluntário, exercita a humildade sem querer parecer humilde.

Lição de vida no degrau 9


Os que nascem no degrau 9 trazem o desafio de agir, ainda que jovem,
com a tolerância de um ancião, exercitando a compreensão, aceitação
da vida e seus percalços. Cuidado, porém, para não se ver como um
coitado ou injustiçado, pois não é nada disso. Faça sua lição com boa
vontade e sem resmungos. Certamente em algum momento da vida terá
de cuidar de idosos, doentes, crianças que não as geradas por você, seja
da família ou não, para cumprir o aprendizado que veio buscar nesta
encarnação.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 111
O que vou fazer: Conselho dos números amigos: você tem o poder da cura, busque en-
tidades, seja voluntário onde possa exercer parte do destemido destino.

Lição: exercite a paciência, a tolerância e dê sem esperar troca ou agra-


decimentos, pois a espera pode gerar decepção.

Lição de vida no degrau 10


Pisar o planeta Terra no degrau 10 é ter como lição de vida a casa do
banqueiro, do dinheiro, das facilidades para lidar com papéis que agre-
gam valor, conhecer a vida próspera e ajudar a prosperar o meio em que
vive. Dinâmico dono de ideias e ideais próprios, o degrau 10 é o 1 liberto
do egocentrismo, depois de passar pelos demais degraus e amadurecer
com o aprendizado. Espera-se que não maquie, não esconda, nem se
valha dos seus erros para diminuir seus auxiliares hierárquicos: não
precisa mais disso para conquistar o pódio, nem deixou de ser humano
e suscetível a erros, por ter adquirido mais confiança em si mesmo.

Conselho dos números amigos: pense que perder é tão ou mais fácil
que ganhar, e nenhum humano, nem você, é imune à regra, não se sinta
Deus.

Lição: quando alguém com lição 10 exibe a coroa conquistada com mui-
to esforço, com desdém e soberbia, sobe ao pódio do fracasso desneces-
sariamente. Para manter os pés bem junto à terra, leia a lição de vida 1
e reflita. É possível que ainda tenha atitudes descritas lá.

112 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
O que vou fazer:

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 113
ANO PESSOAL X ANO DA HUMANIDADE
CAPITULO XII

ANO PESSOAL
No dia primeiro de janeiro de cada ano festejamos o Ano-Novo. É bom
lembrar que este é o Ano-Novo da Humanidade, contado pela crença no
início da nossa era, e embora tenha influência sobre nossa vida e, por
isso, levamos em conta, esta é indireta, muito menor que a energia do
nosso Ano-Novo pessoal.

Nosso Ano-Novo muda e se inicia em cada aniversário; por isso, este


deve ser um dia de festa, comemoração, recolhimento, reflexão e agra-
decimento às glórias alcançadas e de traçar metas para o ano vindouro.

Relembrando: para conhecer seu Ano Pessoal, somam-se o dia, o mês


de nascimento e o ano de seu último aniversário.

Exemplo de Ano Pessoal em 2010 para quem, como Maria de Nazaré,


nasceu em 26.11.1969:

Se você estiver efetuando o cálculo em 2010, mas ainda não fez aniver-
sário, vai considerar 2009 como ano para conhecer seu Ano Pessoal.
Quando apagar velinha em 2010, refaça os cálculos usando 2010.

Vamos aos exemplos:

114 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Maria de Nazaré olha o calendário em 2010. É março, portanto ainda
não aniversariou este ano. Quer saber qual seu Ano pessoal. Para os
cálculos vai considerar.

Dia de nascimento
+ Mês de nascimento
+ Último ano no qual aniversariou

26 + 11 + 2009 (11) =
8 + 2 + 2 = 12 = 1 + 2 = 3

Portanto, seu Ano Pessoal é 3 x 3, que é o Ano da Humanidade.


Quando seu aniversário chegar, Maria de Nazaré vai refazer as contas
para saber qual será seu Ano Pessoal a partir de 26 de novembro 2010:

26 + 11 + 2010 =
8 + 2 + 3 = 13 = 1 + 3 = 4

Então a partir de 26 de novembro, o Ano Pessoal de Maria de Nazaré


será 4 x 3 (2010) da Humanidade.

Ano da Humanidade
Para conhecer o Ano da Humanidade basta somar as unidades do ano
em curso:

Exemplo: 2010 = 2 + 0 + 1 + 0 = 3

Fazendo um confronto ou pensando na parceria dos números, usando o


exemplo acima a partir do aniversário, a equação é:

Ano Pessoal =4
Ano da Humanidade = 2

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 115
Temos na sequência uma tradução para estes números. Leia os dois
números encontrados, dando sempre maior peso ao seu ano pessoal.

NOTA: Pode acontecer de você ter sempre seu Ano Pessoal igual ao Ano da Humanidade, o que significa
que você precisa criar e buscar o que deseja para sua vida com mais afinco que os demais; ao mesmo
tempo, revela que você e o Universo vibram sempre na mesma frequência, o que pode levar você a entrar na
rotina e se cansar dela, ou se rebelar contra aquilo que o Universo oferece e que lhe parece sem surpresas.
O Criador é assim chamado porque criou, imite. Crie, renove, mude o que parece certo. Sempre haverá
ausência de cor na tela quando quem a aprecia é o próprio artista.

A seguir, apresentamos uma tabela que você pode deixar pronta para
conhecer o Ano Pessoal e Ano da Humanidade sem precisar refazer os
cál cu lo s.

Considerando o exemplo dos nascidos em 07.04.1965:

0 + 7 + 0 + 4 + 1 + 9 + 6 + 5 = 32 = 3+2 = 5 (Ano Pessoal)


1 + 9 + 6 + 5 = 21 = 2 + 1 = 3 (Ano da Humanidade)

Ano Idade Ano Pessoal x Ano da Humanidade


1965 Zero (0) ano: 5 x 3
1966 Um (1) ano: 6 x 4
1967 Dois (2) anos: 7 x 5
1968 Três (3) anos: 8 x 6
1969 Quatro (4) anos: 9 x 7
1970 Cinco (5) anos: 1 x 8
Importante! 1971 Seis (6) anos: 2 x 9
1972 Sete (7) anos: 3 x 1
Observe que, quando atingimos o 9, zera o cro-
nômetro e recomeçamos tendo como ponto de 1973 Oito (8) anos: 4 x 2
partida a mesma combinação de nove anos atrás. 1974 Nove (9) anos 5 x 3
Em 1965, ano de nascimento, a combinação era:
Ano Pessoal 5 x 3 Ano da Humanidade. Em 1974,
nove anos depois, tem a mesma combinação: 5 x
3. Então é só ir colocando os anos em ordem a
partir do nascimento e terá sua tabela de consul-
ta sempre pronta, mas se preferir, a cada aniver-
sário some as datas como no exemplo e chegará
ao mesmo número ou ao mesmo ano.

116 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Ano Pessoal 1 – Individualidade
O ano 1 marca o nascimento de um novo ciclo de nove, e assim como
acontece com nossa gestação que, completado o ciclo de nove, finda um
tipo de existência e outro se inicia, aqui é dada a largada para uma vida
nova. Deixar para trás um ano pessoal 9 significa o fim que permite o
início.

Portanto, este é um ano marcado por muitas atividades e oportunidades


na vida de quem souber tirar proveito, pois o ano 1 traz e fornece ener-
gia para se iniciar novos e grandes projetos. O 1, que tem como cor
correspondente a vermelha, é o símbolo da energia vital. Assim, todos
aqueles que estiverem dispostos a assumir responsabilidades e implan-
tar ações com criatividade e disposição para o trabalho necessário fará
esta vibração trabalhar a seu favor.

Este é um ano que não cede lugar para as dúvidas e as postergações;


por isso, o conselho para quem está usufruindo um ano 1 é: confie na
sua capacidade e tome iniciativa, exercite a coragem, sem deixar nada
nem ninguém influenciar em suas decisões. Tudo o que se planta neste
espaço de doze meses vai germinar e permitirá uma colheita duradoura,
que vai acompanhar você pelos nove anos seguintes. Escolha boas se-
mentes, pois a colheita terá sempre o sabor do que foi plantado. L e m -
bre-se de que quem semeia vento colhe tempestade. O 1 convida a exer-
cer a liderança, a aceitar ser visto e lembrado como pioneiro; para isso
necessário se faz agregar. É assim que se ampliam horizontes. Mesmo
que sinta vontade, não se isole. Agir assim durante um ano 1 é correr o
risco de experimentar a solidão. Avante! Não postergue nem duvide.
Siga destemido, mais que esperançoso. Aja de forma a obrigar quem
desejar alcançá-lo a correr atrás do seu bonde.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 117
Ano Pessoal 2 – Sensibilidades
O Ano Pessoal 2 é o ano da fertilidade, do laranja que estimula, abre o
apetite para o bom, belo, gostoso; é ainda o ano da duplicidade, da mul-
tiplicação e, por isso, um ano de muitas gravidezes que geram mulheres
e, por esta particularidade, também conhecido como o ano da feminili-
dade.

Depois de um ano 1, em que a urgência desafia a coragem e, portanto,


sem espaço para os melindres, o 2 chega referendado como o ano da
dualidade, pois quando estamos sob sua influência, o “talvez” é mais
usado que o “sim” e o “não”. Não pense nem veja isso como ruim, pois
é quando temos dúvidas de que temos a oportunidade de escolha. Ainda
que seja um ano em que situações de confrontos aconteçam e nossa
disposição para resolvê-las esteja tímida, movida pela falta de confian-
ça, é um ano que traz muito aprendizado, pois a paciência e equilíbrio
são testados aqui.

O convite num ano 2 é fazer associação com pessoas e interesses, pois


dela vai depender o sucesso profissional. Muito favorável para trabalhos
em grupo, um convite natural para a cooperação. Este é um ano que, às
vezes, nos convida a recuarmos, mas não se preocupe em demasia, pois
isso faz parte de toda caminhada. Muitos atletas caminham para trás,
ganhando assim impulso necessário para vencer o obstáculo.

Portanto, se sentir que seu ano 2 está andando de marcha a ré, lembre-
se de que isso pode lhe dar impulso e distância necessária para ver com
mais clareza os obstáculos que, uma vez conhecidos, devem ser estímu-
los para que siga em frente.

Bem aproveitado, é um ano que proporciona mesa farta o suficiente


para dividir com aqueles que, no momento, não estão trilhando um ca-
minho de facilidades.

118 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Ano Pessoal 3 – Comunicação/Amor/Filhos/Netos
Este é um ano para pisar no palco, expor seu talento, jovialidade. Mo-
mento para aproveitar oportunidades profissionais e financeiras. Propí-
cio para haver momentos de extensa emoção e instabilidade, pois é um
tempo de passividade mental se chocando com surpreendente sociabili-
dade, convites para reuniões, conversas, festas. Deve então aproveitar
para dar demonstração de maturidade, expor seus pontos de vista sem
imposição para o público que lhe interessa, pois desses encontros fluirá
a facilidade para conquistar seus objetivos. Como consequência, esses
resultados, quando positivos, trarão mais ânimo, mais confiança em si
mesmo, despertando para a vontade de conhecer ainda mais sua vida
interior; tomar contato com o que há de fundamental em sua essência.

Sendo o 3 um ano para exercitar a comunicação, as ideias, pensamen-


tos, até mesmo os mais íntimos, sentirão vontade de subir, atravessar
sua garganta, vir à tona. Amor, filhos, família, eles vão suplicar atenção,
conversa, permissão, elogio, presença. Então, tome cuidado com a for-
ma, os contornos que dará às palavras, pois uma vez proferidas, não
são esquecidas por quem ouvir, for ferido por elas.

O fortalecimento da vida espiritual estará favorecido, e é um atalho para


entender no silêncio o poder das palavras. A comunicação com o Uni-
verso estará no seu pico, portanto, não se esqueça de contar ao Grande
Macrocosmo suas metas e pedir uma mãozinha. Assim como você, to-
dos gostam de um dengo, inclusive os amigos divinos.

Quando um ano 3 está em curso, o ano 4 entra na fila. É preciso ficar


atento, pois a sequência dos anos tem o efeito dominó, e depois de um
período de muita conversa, muito palco, muita festa, música, vem um
ano de muito trabalho e nem tanto dinheiro. O conselho para quem está
avistando um ano 4 é, no presente, tomar cuidado com dívidas, pois
com a vida social intensa, é difícil resistir à vontade de presentear e
presentear-se, comprar o que é belo para casa, carro, adornos, mimos.
Regre os gastos e boas festas.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 119
Ano Pessoal 4 – Matéria/Terra
Uma pausa nas festas! Hora de descer do palco e colocar em prática o
discurso. Todo exercício mental é como projeto de arquiteto, mas para
deixar de apenas parecer, para ser belo precisa ser executado, materia-
lizar-se. Esse exemplo é perfeito para os anos 3 e 4: no primeiro se faz o
projeto, no segundo se executa; a diferença aqui é que ambos serão
realizados por você. No projeto de sua vida pessoal você ora é o arquite-
to, ora o pedreiro. E acredite, 4 é um ano perfeito para definitivamente
fazer o pilar sobre o qual a grande obra da sua vida será edificada. Seja
bem-vindo ao ano duro. Aqui é imprescindível construir bons alicerces.
Um ano que traz as alterações cíclicas, em que o imprevisível acontece.
Natural se deparar com escassez de empregos e oportunidades, tudo
caso pensado. O dono do tempo quer conhecer sua disposição física,
criatividade e a verdade que há ou não no seu discurso.

Por isso o sucesso, neste período, é mais favorecido aos ramos de atividade
manufatureira e educacional, e em tudo o que exigir mão na massa, cons-
trução, reforma, pois a economia do período surge para ter lucro com o
reaproveitamento, com o fim do desperdício mais que na linha do lucro,
pois o alerta foi dado no ano que passou quando deveria ter economizado
para garantir os investimentos presentes. Metas claras e criatividade são
fundamentais para o sucesso do ano. Mas não se preocupe: para cada ano
uma ajuda dos deuses se faz presente. O ano 4, por exemplo, fornece âni-
mo para a busca de tudo o que tenha comprovação científica, e para a
realização de coisas materiais. Quem está experimentando um ano 4 sente
disposição, cria regras de trabalho e não mede esforço para que tudo termi-
ne de forma ordenada. O conhecimento aplicado para gerar economia nes-
te período é bem-vindo. Confrontado com tantos afazeres e precisando con-
tar com ajuda de terceiros, deve tomar cuidado para não impor autoridade
– atitudes impensadas trazem o risco de ficar só para carregar o piano.
Tudo o que estiver relacionado a jogos de azar ou similar deve ser evitado:
correr riscos aqui só de brincadeira, sem envolver dinheiro. As asas estão
de férias esperando o ano que se aproxima para voltarem a bater.

120 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Ano Pessoal 5 – Ano de expansão de horizontes
Quem, no ano que finda, arrastou os pés, mantendo-os muito próximos
da terra, e a cabeça ancorada na realidade, tem um bilhete premiado
nas mãos que lhe dá o direito de viajar, sorrir, cantar, declarar-se leve
no ano que se anuncia.

Depois de tanto trabalho duro, de colocar sua disposição à prova, é hora


de se permitir, deixar-se desperta e tomar contato com mundos pouco
explorados; ler, desvendar os mistérios, por exemplo, estudando as ciên-
cias ocultas.

Mais suave, este é um período para sentir-se mais jovem, mais liberto
em pensamentos e no jeito de encarar situações.

A ajuda, o prêmio para usufruir deste ano novo, é o vigor, que supera os
quatro precedentes somados. Quem faz anotações sobre a rota em que
seguem os anos, notará que há diferença significativa entre um ano 5 e
seu antecessor, o 4, pois o 5 traz muitas e novas oportunidades.

O conselho, porém, é tomar cuidado e fazer uma seleção criteriosa, uma


investigação de causa e efeitos, pois aqui os enganos podem surgir na
mesma intensidade das oportunidades; são encontros e desencontros,
paixão, amor e desamor, tudo chega com muita rapidez e pode se despe-
dir sem muita cerimônia.

É que o 5 traça uma linha muito tênue entre a aventura e o aventureiro.


As novas experiências, a busca do oculto, o descobrimento do que esta-
va velado e a agradável sensação de decifrar aquilo que se ignorava
também acontecem aqui. Não se intimide, viva a alegria da vida, mas
sem perder de vista suas responsabilidades.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 121
Ano Pessoal 6 – Harmonia/Família/Trabalho
Assim como o dia e a noite, os anos também se alternam: depois de um
ano em que as asas ofereceram carona, vem um período de mais calma,
mais passional, mas não em todos os setores da vida, pois quanto às
paixões, período de muitas oportunidades, de conhecê-las e de vivenciá-
las de forma arrebatadora, é um ciclo que chega gerando os encontros,
e destes pode esperar um parceiro afetivo, casamento, construção de
um lar, família, pois num ano 6 também é possível que relacionamentos
e casamentos terminem, e aqui quase sempre o futuro; quando as lágri-
mas cessaram, se vê o ocorrido como uma dádiva.

O ano 6 é um ano centrado na casa do amor, do lar, tempo de cuidar da


beleza, da saúde, de sonhar e buscar novos empregos, serviço com e em
família.

Aqui o cuidado é de não perder de vista seus objetivos enquanto segue


algum modismo, pois num ano 6 é natural querer modernizar seu vi-
sual, estar em alta com a vida social.

Apenas um lembrete amigo: a moda passa e as contas a pagar ficam,


permanecem. Então, o sensato é gastar com responsabilidades e fazer
ajustes para tirar o melhor que a vida oferece sem comprometer as fi-
nanças, porque, em se tratando de economia, este é um ano para atrair
importantes oportunidades, que devem sempre merecer criteriosa aná-
lise, pois há perigo de ilusões, principalmente com os mais próximos,
que agem como se fossem íntimos, da família. Mas o concreto também
acontece, frutifica. Enfim, as coisas que visem a facilitar a vida comum
são favoráveis neste ano.

122 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Ano Pessoal 7 – Espiritualidade
Como as pessoas, os anos, considerando a evolução como numa escada
de nove degraus, vão amadurecendo e agregando valor. Chegamos ao
ano 7 mais preparados, talvez prontos a dedicar um tempo maior, focar
no crescimento, na evolução da vida espiritual.

Um ano 7 favorece a revisão de contingências do passado (boas e más),


e oportuniza selar um acordo, deixar cada coisa no seu lugar e no seu
tempo, pois quase sempre desprovido da emoção do ato, a solução fica
mais evidente. Depois dessa faxina fica mais fácil exercer domínio, re-
conhecer o esforço, elevar-se e dar valor àquilo que realmente tem, a
quem você é, e assim alcançar o que almeja ser, melhorar a convivência
social, ascender em dignidade e crescer em eficiência. Ufa! Parece mes-
mo ser um ano pra lá de movimentado!

Será. Sem sombra de dúvida, um ano 7 faz um redemoinho unindo ao


mesmo tempo em que separa, filtra e descarta e acolhe o que resistiu ao
filtro da espiritualidade aplicada à matéria.

E não acabou: o ano 7 nos convida ainda a fazer um balanço, organizar,


eleger prioridades e passar a administrar a vida como um todo, princi-
palmente na área das finanças e espiritualidade. Este pode ser um bom
ano financeiramente, pois é um período que traz mais facilidade de
associações, de sociedades e de superações.

O pensamento traz ideias realizáveis, o modelo para concretizar e a sa-


tisfação com os resultados. Faz compreender que as perdas são, por
vezes, previsíveis e inevitáveis, e que os obstáculos não foram feitos
para derrubar o caminhante, mas para ensinar o caminho, conhecer
atalhos.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 123
Ano Pessoal 8 – Organização
Como as contas de um rosário, os anos vão sendo contados, e cada um
traz e oferece uma oportunidade de evolução; neste, em particular, a
grande expansão poderá acontecer no mundo dos negócios, do progres-
so e prosperidade profissional e financeira.

Também possibilita as viagens, em especial para negócios, para expan-


dir, abrir filiais, fazer empreendimentos internacionais, seja como dono
do próprio negócio, seja representando a instituição onde atua. Tudo
neste Universo fica favorecido num ano 8, quando a necessidade de ter
e buscar ter pensamentos corretos são mais sentidos.

A mente se torna mais criativa, inventiva mesmo, aumentando a possi-


bilidade de se obter resultados positivos. Também ocorre neste ano uma
identificação pessoal maior pelos interesses globais, e facilidade para
tratar dos assuntos empresariais, vontade de expandir, de ter muitas
atividades ao mesmo tempo. Ano de planejamentos, de fazer cálculos
precisos, pois o 8 é a casa do futuro, tempo no qual se deve plantar para
bem colher. Como se colhe apenas o que se planta, o conselho é que
escolha bem as sementes e dedique-se com afinco para deixar a terra
ainda mais fértil.

Tato e diplomacia são bons meios para alcançar aquilo a que se propõe.
O 8 é considerado o número do infinito e tem infinita relação com o
tempo, e é para o tempo e confiando nele que você deve edificar este ano.
Se sentir curiosidade, leia seu próximo ano, o 9, e entenderá por que
deve valer-se do tempo e tirar proveito dele agora. Um ano 8 não acolhe
acomodados nem simpatiza com a ideia de deixar para manhã o que
pode ser feito hoje. Oito ou oitenta, o ditado popular, significa tudo ou
nada, quando o 8 está no palco da nossa vida. Então, ou lutamos para
comer caviar, ou comemos pão e manteiga, e sem acusar o Universo,
pois aqui a responsabilidade de fazer é nossa, e a colheita é sempre de
acordo com o plantio. Aqui sempre colhemos. Quem nada planta nada
colhe, é a lei da Justiça Divina.

124 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
Ano Pessoal 9 – Sabedoria
Este geralmente é um ano no qual nos sentimos mais fragilizados pelo
desgaste dos últimos períodos. Tempo que pede e força um balanço in-
terior.

O conselho então é: não vacile, corte todo e qualquer laço e tudo aquilo
que o escraviza. Como o fim de uma gestação, este é um tempo apro-
priado para renascer, recomeçar e pensar, planejar o futuro. Comece
fazendo um bom descarte, pois sem ele não haverá espaço para semear
a boa semente e festejar a boa colheita no período seguinte. Pense, dis-
pense, faça as podas necessárias sem sentimento de culpa – tudo o que
parte encontra outro abrigo. Seja prático, ninguém pode ser proprieda-
de de ninguém; logo, ninguém pertence a você, senão por laços de cari-
nho. Quando estes se rompem não é responsabilidade sua passar a vida
costurando, fazendo consertos, tentando segurar a curva da Lua. Cure-
se e se deixe curar. É tempo de nascer para uma vida nova, e o melhor é
chegar nela com energia revigorada, não acha?

Este é o ano de fechamento de ciclo, bom para rebobinar a fita das boas
lembranças, passar pela peneira dos seus valores, os anos vividos, des-
cartando tudo o que não lhe serve mais. Ano de colocar o passado em
seu devido lugar, de finalizar projetos em andamento e não iniciar nada
muito importante, pois o que se inicia neste período corre grande risco
de não ser duradouro. Embora possa dar um frio na barriga, isso não é
negativo, nem tudo nasce para envelhecer conosco. A renovação é ne-
cessária. Sem muita reclamação, deixe que cada coisa, assim como ocorre
com as vidas, siga seu destino. São os encontros e desencontros que
lapidam a pérola.

Depois deste, um novo ciclo se forma, e na continuidade dos dias a vida


se renova.

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 125
CURIOSIDADE SOBRE O TÍTULO DA SÉRIE “De Zero a Dez” foi o título de meu primeiro programa de TV sobre
numerologia e Cabala, na TV Brusque. Gostei tanto da sonoridade, que
ficou guardado o desejo de quando escrevesse meu primeiro livro – a
ideia era menos pretensiosa, não pensava numa série, mais num livro –
usaria o título de zero a dez.

Com parte do livro escrito e muita coisa para ser registrada, o livro
passou a me incomodar pelo número de páginas. Não era minha preten-
são escrever um primeiro livro extenso, cansativo do ponto de vista teó-
rico, para aqueles que queriam tão somente ter contato com respostas
ou iniciar conhecimento sobre esta ciência.

Imediatamente me ocorreu de fazer mais volumes. Mas quantos? – me


interroguei olhando os temas. Dez, é claro – respondeu minha intuição.
E pensei: estes anjos de luz passam trabalho com minha lerdeza.
E este título na visão da numerologia seria bom para um livro, uma
s é ri e ?

Veja o que revelaram os números para o título que tinha nascido da


in tui çã o:

5 + 11 + 1 + 5 = 22
---------------------------------------
5 5 6 1 5
DE ZERO A DEZ
4 8 9 4 8
4 + 17 + 12 = 33
-----------
55 5+ 5 = 10

Refiz os cálculos, incrédula com o que havia encontrado – mágico de-


mais. Eu estava diante de 3 séries de números mestres:
22 para as vogais, 33 para consoantes e 55 como régio que, reduzido,
resulta num 10.

126 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN
São 22 as letras do alfabeto hebraico, 22 os arcanos maiores, 22 é a
espiritualidade pregada na mansidão das palavras como fez Jesus de
Nazaré, como faz Gandhi, para citar apenas estes como exemplo. 22 é
um número essencialmente feminino, pois é composto de dois números
pares e sua soma resulta novamente num número par o quatro. Em
cada um dos 4 cantos do Universo um Anjo dá plantão como um pilar a
sustentar o mundo.

Na soma das consoantes encontrei um 33, o triplo 11. Conhecido como


a Santíssima Trindade entre os números mestres; para os cristão, um
número significativo: aos 33 anos Jesus, o Pacificador, é crucificado por
pregar o direito à igualdade. Seus discursos reuniam multidões. Dois
números ímpares, que representa a individualidade, mas que ao serem
somados se transformam num número par. Seis é a casa da grande
família, que não se restringe aos laços de sangue.

Como resultado da soma das vogais com as consoantes encontrei 55,


duas vezes o número do homem. Temos aqui a soma de 2 estrelas de
cinco pontas, a representação física do templo humano, o corpo. Por
isso o 5 é conhecido como o mais humano dos números, o número das
tentativas, dos erros e acertos, da severidade e da inconstância, das
mudanças, do novo, da magia que só o humano é capaz de criar na
velocidade do pensamento.

Reduzido, este número se transforma num 10, o verbo que representa


este número é “ser com competência”. O dez é representado na Árvore
da Vida como o reino, onde vivem os habitantes daquele império. Dez é
a versão do 1 maduro, que usa o passado e as experiências vividas como
base para julgar, decidir, construir, que passa a contestar, ainda que no
íntimo, a necessidade de ser único e ter o domínio. Podemos comparar
usando exemplo de pessoas normais com reações normais, o pai/mãe,
o filho. Os pais, por se transformam num 10, quando largam a condição
de filhos, condição individual e formando casais, se transformam em

DE ZERO A DEZ | QUAL É O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN | 127
famílias para abrigar o novo 1 (filho) que chega para iniciar seu processo
de amadurecimento, até se transformar num 10. Todos os seres con-
quistam esta condição, a resposta claro que é não. Este reino de paz
soberana é um título almejado pelas gerações, é o que justifica a guerra.
No título temos exatas 5 vogais e 5 consoantes num total de 10 letras:

E quanto à representação numérica?

01 + 02 + 03 + 04 + 05 + 06 + 07 + 08 + 09 + 10 = 55 = 10

Como não acreditar nos meus anjos guias? Como não acreditar na in-
tuição? Não fora caso pensado, palavras escolhidas, no entanto a mate-
mática dos números revela que a soma das palavras tem o mesmo re-
sultado da soma dos números de 0 a 10. Não dispense a intuição – eu a
chamo carinhosamente de inteligência sutil, e tem ao longo dos anos de
estudo se revelado uma luz sempre que meus olhos se perdem entre
pontos.

Um abraço do tamanho do Universo que nos acolhe.

Maria Teresinha Debatin


Mem Rarie Maggid Therá
Filha de Deus, protegida dos Anjos

128 | DE ZERO A DEZ | QUAL E O SEU NÚMERO? | O NÚMERO 1 | MARIA TERESINHA DHEBATIN