Você está na página 1de 2

Artigo I.

Um breve histórico da psicologia jurídica no brasil e


seus campos de atuação.
- Inexistência de marco histórico que defina o início da psicologia jurídica.

- Existem documentos que evidenciam o início da psicologia jurídica.

- A história da atuação da psicologia jurídica tem seu início na década de 1960. (coincide com o
período de regulamentação da profissão de psicólogo)

- Inserção do psicólogo, de maneira lenta e gradual, muitas vezes de maneira informal


(Trabalhos voluntários-não remunerados)

- Os primeiros trabalhos foram na área criminal, enfocando estudos sobre adultos criminosos
e adolescentes infratores.

- LEP (Lei de Execução Penal) - Lei Nº 7210/84: O psicólogo passou a ser reconhecido
legalmente pela instituição penitenciária.

- A avaliação do criminoso, principalmente do que apresenta doença mental, bem anterior a


década de 1960.

- Na antiguidade e na idade média a loucura era um fenômeno bastante privado. Ao “louco”


era permitido circular com certa liberdade.

*O atendimento médico era apenas para abastados (ricos ou com boas condições financeiras).

- A partir de meados do século XVII houve a necessidade de exclusão dos doentes mentais,
criando-se estabelecimentos para internação (Asilos) na Europa, para que não ameaçassem a
ordem da razão e da moral da sociedade.

- A partir do século XVIII PINEL liberou os doentes das cadeias e deu assistência médica a esses
seres segregados da vida em sociedade. Após esse período, os psicólogos começaram a
colaborar com os psiquiatras nos exames psicológicos legais e em sistemas de justiça juvenil.

- Ao final do século XIX tem-se a chegada da psicanalise onde o psicodiagnóstico ganha força.
Nesse período a medicina perde foco dando mais destaque a saúde mental (pisque).

- O psicodiagnóstico fornecia dados comprováveis para a orientação dos operadores de


direito.

- Inicialmente, a Psicologia era identificada como uma prática voltada para a realização de
exames e avaliações (por certo tempo os psicólogos ficaram conhecidos apenas como
“testologos”)

- Havendo assim a aproximação da psicologia e do direito através da área criminal e a


importância da avaliação psicológica.

- Outro campo de ascensão é a participação do psicólogo nos processos de direito civil,


trabalhando ( de forma voluntária ) com famílias carentes no TJ/SP em 1979.

- Em 1985 houve o 1º concurso público para admissão de psicólogos no TJ. Psicólogo vai
trabalhar no Juizado de menores (Realizando pericias no processo de adoção), realizava
também perícia em crimes e perícia no direito cívil
- Com a criação do ECA (1990) – ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, o trabalho do
psicólogo foi ampliado, envolvendo trabalhos na área pericial, acompanhamentos e aplicação
de medidas protetivas e socioeducativas.

- Criação do NAF (1997) – NÚCLEO DE ATENDIMENTO A FAMÍLIA, é o espaço terapêutico para a


resolução de conflitos conjugais e familiares.

- Surgimento de psicologia jurídica na área acadêmica (década de 80) era de uma formação
deficiente e precisava-se de cursos de pós-graduação para possuir conceitos básicos.

- Em 1992 CFP (Conselho Federal de Psicologia) contribuiu com o ministério do trabalho para
integrar o catálogo brasileiro de ocupação (Atribuições profissionais do psicólogo no Brasil).
Atribuições do Psicólogo segundo CFP :

*Assessorar (Prestar Assistência) na formulação, revisão e execução de leis.

*Colaborar na formulação e implantação das políticas de cidadania e direitos humanos.(no


presido, CENAN..)

*Realizar pesquisas visando a construção e ampliação do conhecimento psicológico aplicado


ao campo de Direito.

- Elaborar petições sempre que solicitar alguma providência, ou haja necessidade de


comunicar-se com o juiz durante a execução da perícia.

*Petição: é a documentação física da solicitação feita. *

- Participa de audiência para esclarecer aspectos técnicos sobre o trabalho pericial psicológico.

- Realiza atendimento psicológico com a busca de decisões próprias na organização familiar


dos que recorrem a Varas de famílias para resolução de questões.

* Atendimento Psicológico é diferente de Tratamento Psicológico*

- Realiza Atendimento a Crianças que chegam às instituições de Direito, visando a preservação


de sua saúde mental, bem como presta atendimento e orientação a detentos e seus familiares.

- Participa da elaboração e execução de programas sócio educativos destinados a criança de


rua, abandonadas ou infratoras.

- Assessora (Colabora) autoridades Judiciais no encaminhamento a terapias psicológicas,


quando necessário

- Orienta a administração e os colegiados do sistema penitenciário, sob o ponto de vista


psicológico, quanto às tarefas educativas e profissionais que os internos possam exercer nos
estabelecimentos penais.

- Assessora a administração dos estabelecimentos penais quanto a formulação da política


penal e no treinamento de pessoal para aplicá-la.