Você está na página 1de 28

DIVERSIFICAÇÃO

DA CARTEIRA DE
INVESTIMENTOS:
UM GUIA PARA
INVESTIR NAS
DIFERENTES FASES
DA VIDA
Introdução 03

Entendendo a diversificação de investimentos 05

Como diversificar a carteira de investimentos 07

Investindo em diferentes fases da vida 19

Escolhendo os ativos 11

Conclusão 25

Sobre a Claritas 28
3

Grande parte dos investidores já


escutou, em algum momento, a
importância de diversificar a carteira
de investimentos para alcançar a
segurança financeira e construir um
patrimônio de longo prazo. Muitos, no
entanto, não sabem exatamente o que
isso quer dizer na prática, como dar
Introdução os primeiros passos na diversificação
e, ainda, a importância de mudar os
investimentos da carteira de acordo
com as fases da vida.

Se você faz parte do grupo que não sabe


por onde começar a diversificar seus
investimentos e como escolher as melhores
aplicações de acordo com sua idade, siga com
a gente neste e-book.
4

Nos próximos tópicos, vamos abordar


a diversificação de investimentos,
seus benefícios para a manutenção
da saúde financeira e sugestões
para diversificar sua carteira.

Por fim, aqui você aprenderá, de forma prática


e rápida, como investir de acordo com a
sua idade. Dessa maneira, saberá em que
momentos e situações da vida cada tipo de
investimento se encaixa melhor. Confira!
5

Fato é que a imprevisibilidade é uma


característica do mercado financeiro.
Um investimento que apresenta boa
rentabilidade hoje pode levar a perdas
amanhã e vice-versa. Nesse sentido,
apostar todas as fichas em apenas
Entendendo a uma aplicação, por melhor que ela
pareça, não é uma atitude inteligente.
diversificação de
Já dizia o velho ditado, não coloque todos os
investimentos seus ovos na mesma cesta. O ideal é montar
sua carteira com diversas classes de ativos,
levando em consideração alguns fatores,
como perfil de investidor, rentabilidade que
deseja alcançar, riscos que está disposto
a correr, objetivos de vida e tempo em que
gostaria de atingi-los.
6

Na prática, isso quer dizer que, ter uma


carteira formada apenas por investimentos
de renda fixa, com aplicações como Letra de
Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito do
Agronegócio (LCA) e Certificado de Depósito
Bancário (CDB) pode representar correr
menos riscos. No entanto, a rentabilidade
pode não ser tão competitiva, o que prejudica
o jovem investidor que quer aumentar seu
patrimônio a longo prazo.

Concentrar todos os investimentos em ativos


de renda variável, por outro lado, é uma forma
de buscar alta rentabilidade. Mas ao optar
apenas por essa modalidade o investidor se
expõe ainda mais à volatilidade do mercado
financeiro, o que pode levar a grandes perdas.

ENTENDENDO A DIVERSIFICAÇÃO DE INVESTIMENTOS


7

Como diversificar
a carteira de
investimentos Optar pela diversificação da carteira
de investimentos é o ideal para
combinar o controle do risco com a
busca de uma melhor rentabilidade.
Dessa forma, o investidor compensa
perdas que possam acontecer
em determinado mercado com
desempenho satisfatório em outro.
8

Confira o passo a passo para diversificar a


carteira de investimentos.

CONSIDERE FATORES COMO


PERFIL, IDADE E OBJETIVOS

O primeiro passo da diversificação da carteira


de investimentos é considerar alguns fatores
importantes. Perfil, objetivos de vida, idade e
tempo até a aposentadoria, por exemplo, são
pontos que não podem deixar de serem avaliados
na hora de montar seu portfólio de ativos.

O planejamento de cada investidor deve


ser personalizado, mas é possível se ter
uma ideia de acordo com a fase da vida
em que a pessoa se encontra e, assim,
traçar um plano para montar uma carteira
de ativos inteligente e promissora.

COMO DIVERSIFICAR A CARTEIRA DE INVESTIMENTOS


9

SAIBA SUAS OPÇÕES DE ATIVOS

Além de considerar fatores como fase


da vida e objetivos, entender quais
são as opções de ativos disponíveis
é um passo importante para ter
sucesso com a diversificação da
carteira. Conheça os principais:

• Renda fixa: opção sempre


considerada por quem busca maior
segurança. Neste caso você já sabe
qual o valor da rentabilidade no inicio
da aplicação ou o percentual de
um indicador que ele te entregará,
um exemplo disso é o CDI. Dentro
dessa categoria de ativos há, ainda,
subcategorias, como pós-fixada,
atrelada à inflação e prefixada;

COMO DIVERSIFICAR A CARTEIRA DE INVESTIMENTOS


10

• Fundos multimercados: são fundos


que podem combinar, dependendo
da categoria, investimentos em
vários ativos, como ações, renda
fixa, investimento no exterior
e câmbio. Neste caso não há
rentabilidade garantida no momento
da aplicação.

• Renda variável: ao contrário


de renda fixa, são ativos em
que o investidor no momento
da aplicação, não sabe a
remuneração que terá ao final do
investimento. Os produtos dessa
categoria costumam oferecer
mais riscos que os de renda
fixa. No entanto, a rentabilidade
competitiva pode compensar.

COMO DIVERSIFICAR A CARTEIRA DE INVESTIMENTOS


11

Quando o assunto é investimento, não


há certo e errado. O que funciona para
um investidor pode não funcionar para
outro. Tudo depende de fatores como
Investindo em tolerância ao risco e objetivos de vida.

diferentes fases Cada caso é um caso, mas é possível


seguir um roteiro sugerido para compor
da vida uma carteira, com as perspectivas da
economia atual, de acordo com a fase da
vida em que a pessoa se encontra. Aprenda
como investir de acordo com o cenário
econômico atual e com sua idade:
12

ATÉ OS 35 ANOS

Pessoas até os 35 anos têm muito mais


possibilidade de arriscar do que as pessoas
com mais idade. Afinal, caso seus ativos
não deem o retorno esperado ou sofram
alguma perda, têm muito mais tempo para se
recuperar do que alguém que está próximo da
aposentadoria.

Normalmente pessoas até essa idade buscam


investimentos de longo prazo, ou seja, podem
deixar o dinheiro aplicado por bastante tempo.
Quem tem até 35 anos, está em início de
carreira e está iniciando o foco na acumulação
de capital, pode ter uma menor aversão ao
risco, optando por uma carteira mais agressiva
com maior volatilidade, focando numa maior
rentabilidade no longo prazo.

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


13

COMPOSIÇÃO SUGERIDA:

0% • renda fixa pós-fixada

15% • renda fixa atrelada à inflação

15% • renda fixa privada

10% • renda fixa prefixada

35% • fundos multimercados

25% • renda variável

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


14

COMPOSIÇÃO SUGERIDA:
ENTRE 35 E 50 ANOS
10% • renda fixa pós-fixada
Nessa fase da vida, as pessoas
costumam estar no topo da sua
15% • renda fixa atrelada à inflação
carreira. Por isso, mais do que
apenas acumular capital, nesse
momento pensam também em 15% • renda fixa privada
preservar aquilo que já conquistaram.

15% • renda fixa prefixada


O horizonte de tempo para os
investimentos desse grupo ainda é
longo prazo, focando no acúmulo de
recursos para a sua aposentadoria. A
25% • fundos multimercados
aversão ao risco, no entanto, passa
de pouca a moderada, pois aqui as
pessoas já têm que se preocupar
mais com a sua segurança financeira 20% • renda variável
e estabilidade da família.

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


15

ENTRE 50 E 65 ANOS

Para o grupo que já está próximo da


aposentadoria, o horizonte de tempo é
limitado, já que em breve a ideia é usar
pelo menos parte do dinheiro investido
durante a vida. A aversão ao risco
cresce ao longo dos anos.

Uma das características mais marcantes


dessa fase da vida é maior ênfase em
preservar o capital e proteger seus
investimentos da inflação. Outro ponto
importante que começa ser evidente é a
liquidez. Nesta fase da vida as pessoas
não querem travar seus investimentos
por longos períodos.

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


16

COMPOSIÇÃO SUGERIDA:

25% • renda fixa pós-fixada

15% • renda fixa atrelada à inflação

15% • renda fixa privada

15% • renda fixa prefixada

20% • fundos multimercados

10% • renda variável

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


17

DEPOIS DOS 65 ANOS

É provável que, nessa fase, a pessoa já esteja


aposentada ou em vias de se aposentar.
Nesse momento, na hora de diversificar
os investimentos, é preciso considerar a
liquidez de sua carteira. A ênfase deve ser em
distribuir a riqueza e preservar a renda que
acumulou ao longo da vida.

Após os 65 anos, é comum não ter mais uma


fonte geradora de renda, mas sim usufruir
dos recursos poupados.

Desta forma, a preservação do capital e a


liquidez da carteira são pontos fundamentais.
Por isso, na hora de alocar os ativos na
carteira, especialistas indicam colocar metade
do patrimônio em Letras Financeiras do
Tesouro Direto e apenas 5% em ações.
COMPOSIÇÃO SUGERIDA:

45% • renda fixa pós-fixada

10% • renda fixa atrelada à inflação


15% • renda fixa privada
10% • renda fixa prefixada

20% • fundos multimercados

5% • renda variável

INVESTINDO EM DIFERENTES FASES DA VIDA


19

Agora que você entendeu a


importância da diversificação da
carteira de investimentos, e sabe como
investir nas diferentes fases da vida, é
importante escolher os ativos certos
para o seu portfólio.

Nunca é demais reforçar que o perfil


Escolhendo de investidor não pode deixar de ser
considerado, assim como os objetivos
os ativos de vida de cada um. Uma pessoa de 30
anos, que tem como prioridade quitar a
casa própria, pode montar um portfólio
diferente de uma pessoa da mesma idade
que mora com os pais e pensa apenas
em acumular reservas financeiras.

Com a composição sugerida em


mãos, veja as melhores aplicações
em cada classe de ativos:
20

Renda fixa prefixada:

• Tesouro Prefixado (LTN): a taxa de


rentabilidade contratada é definida
previamente (prefixada).

Renda fixa pós-fixada:

• Tesouro Selic (LFT): rende de acordo


com a taxa de juros básica da economia.

• LCI e LCA: são títulos com lastro no


setor imobiliário e do agronegócio,
respectivamente emitidos por bancos,
que possuem isenção de IR.

• CDB: são certificados de depósito


bancário, emitidos por bancos

CONCLUSÃO
21

Crédito privado (renda fixa privada):


Renda fixa atrelada aos juros da inflação:
• Fundos de crédito privado: que
• Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal): diversificam com a compra de títulos de
seu rendimento é composto por duas dívida de empresas:
parcelas – a variação da inflação e
• Debêntures: são títulos de dívidas
uma taxa de juros prefixada.
de empresas, que são públicas ou
privadas. São prefixadas ou atreladas
• Tesouro IPCA+ com juros
ao CDI ou à inflação. Cada empresa
semestrais (NTN-B): o rendimento
determina o valor a ser pago por seus
é composto da mesma forma do
títulos e as mais seguras, em geral,
título anterior (variação do IPCA pagam um pouco menos do que as
e uma taxa de juros prefixada). menores ou em dificuldades.
Porém neste, o pagamento de
juros é feito a cada semestre. • CRI e CRA: são certificados emitidos
por empresas do setor imobiliário
e do agronegócio, que possuem
isenção de IR.

CONCLUSÃO
22

Fundos multimercados: envolvem diversas modalidades de investimento. Neste caso, delegamos a um


gestor e sua equipe altamente capacitada para fazer as melhores alocações de acordo com o momento.

• Fundos Multimercados • Fundos Multimercados de


Estratégias Diversas: os recursos investimento no exterior:
podem ser aplicados em várias Caso você seja um investidor
qualificado, opte por ter ao menos
classes de ativos, como ações
parte de suas aplicações em
moedas, juros e renda fixa. Em
fundos multimercados dessa
um próprio fundo já há uma certa
modalidade. São uma boa opção
diversificação desses ativos ou
de diversificação já que eles
você poderá compor com fundos investem 100% do seu patrimônio
multimercados focados em em fundos geridos por gestores no
estratégias distintas. exterior, ou seja, é uma boa forma
de diversificar os investimentos
protegendo sua carteira dos riscos
do cenário nacional.

CONCLUSÃO
23

Renda variável: investidores


familiarizados com o mercado e que
sabem analisar os diversos setores da
economia, podem investir na compra
direta de ações. Já investidores
que não acompanham o mercado
constantemente e ainda não se
sentem seguros para investir em ações
diretamente devem optar por fundos de
ações ou fundos de índices.

CONCLUSÃO
24

• Fundo de Investimento em Ações (FIA): tem


como principal fator de risco a variação dos
preços de ações, geralmente atuam de forma
ativa buscando as melhores oportunidades do
mercado.

• Fundo de Ações de gestão passiva: objetivo


é obter uma rentabilidade mais próxima do
seu índice de referência, seja ele um índice ou
mesmo um ativo ou setor específico.

É importante que na hora de diversificar sua carteira


de investimentos, sempre tenha em mente o
rebalanceamento, considerando a fase da vida, seus
objetivos de curto, médio e longo prazo e os dados
e históricos dos ativos. Reavalie-a periodicamente,
uma vez que as sugestões de hoje podem mudar no
futuro, de acordo com as alterações da economia
mundial e da evolução dos mercados.

CONCLUSÃO
25

Apostar na diversificação da
carteira de investimentos e saber
exatamente em que classe de
ativos investir nas diferentes fases
da vida é um passo essencial para
garantir a segurança financeira,
independentemente da idade.
Conclusão
Ao realizar seus investimentos, é importante
saber quando você necessitará do recurso
investido e, mesmo assim, é aconselhável
ter uma reserva para gastos emergenciais.
Assim, caso tenho alguma despesa que não
foi prevista, você pode quitá-la sem mexer na
sua carteira de investimentos.
26

Por fim, para fazer os melhores


investimentos e diversificar seu
portfólio com sucesso, dedique um
tempo lendo sobre o mercado e
aprimorando seus conhecimentos
nessa área. Se necessário, peça o
apoio de uma assessoria especializada.
Dessa forma, você garante que está
escolhendo os melhores ativos para
seu perfil e momento econômico. A
rentabilidade ficará mais próxima da
sua realidade. Bons investimentos!

Em seguida, você encontra uma tabela


resumida com todas as informações que
aprendeu neste e-book para visualizar
sempre que necessário.

CONCLUSÃO
OS INVESTIMENTOS SUGERIDOS EM CADA FASE DA VIDA
Veja como investir de acordo com a sua idade

Renda fixa
Renda fixa Renda Fundos
Renda fixa privada Renda
atrelada à fixa multi-
pós-fixada (crédito variável
inflação pré-fixada mercados
privado)
Tesouro IPCA Diversificação Ações, fundos
Tesouro Selic (NTNB Principal) Fundos de Tesouro em diferentes de investimentos
OPÇÕES DE ATIVOS (LFT), LCI e Tesouro IPCA + Crédito
Privado
Prefixado
(LTN)
estratégias de
fundos
em ações (FIA),
Fundo de Ações
LCA, CDB com juros
semestrais (NTN-B) multimercados de gestão passiva

ATÉ OS 35 ANOS
Carcaterísticas: horizonte de
tempo muito longo, pouca 0% 15% 15% 10% 35% 25%
aversão arisco e ênfase em
acumulação de capital.

ENTRE 35 E 50 ANOS
Características: horizonte de
tempo longo, aversão a risco 10% 15% 15% 15% 25% 20%
moderada e ênfase em
acumulação e preservação
de capital.

ENTRE 50 E 65 ANOS
Características: horizonte de
tempo limitado, maior aversão 25% 15% 15% 15% 10% 10%
a risco, ênfase na preservação
do capital e na proteção
contra a inflação.

DEPOIS DOS 65 ANOS


Características: horizonte de
tempo curto, foco em 45% 10% 15% 10% 20% 5%
distribuição da riqueza e
ênfase na preservação de renda.
Fonte: Claritas Investimentos - considerando o mercado atual (maio/2018). Informações sujeitas
à alteração em caso de qualquer mudança de mercado ou surgimento de novos produtos, entre outros.
rockcontent.com

Fundada em 1999, a Claritas oferece aos clientes


alternativas diferenciadas e de alto valor agregado,
alcançando consistentes resultados na gestão de fundos
de investimento.

Desde 2012, a Claritas faz parte da Principal Financial


Group, líder global na administração de investimentos,
incluindo serviços de previdência, soluções de seguros e
gestão de recursos financeiros.

Se você quiser saber mais sobre a Claritas e descobrir


muitas dicas sobre o mundo das finanças, acesse o site, o
blog e as páginas no Facebook e no LinkedIn.