Você está na página 1de 19

Trabalho realizado por: diogo_lopes

História da Música
Ocidental
Período Medieval

(até 1450)
Período Renascentista

(1450 – 1600)
Período Barroco

(1600 – 1750)
O período Barroco ocupou uma época importante
na história da humanidade. Galileu e Newton
estavam descobrindo novas formas de explicar o
universo.

Durante o período Barroco os compositores


escreviam sobretudo para a igreja e para membros
da nobreza.

A música vivia sobretudo do mecenato. Os


mecenas pagavam ao compositores por cada
trabalho e decidiam que tipo de música ele deveria
compor. Este sistema limitou muito a criatividade e
liberdade dos artistas.

A música deste período caracteriza-se por ser


muito ornamentada. Algo que foi comum em todas
as artes.
A música instrumental foi tão importante como a música
vocal. Exemplos: A nível vocal desenvolveu-se muito a
Cantata e a nível instrumental a Suite e a Fuga .

No período Barroco floresceu muito a música para


violino, órgão e cravo. Não se usavam os instrumentos
de percussão que hoje conhecemos.

Alguns dos compositores mais importantes desta época


foram:
A. Vivaldi - 1678/1741
G. Telemann - 1681/1767
J. F. Haendel - 1685/1759
J. S. Bach - 1685/1750
José António Carlos Seixas - 1704/1742
Período Clássico

(1750 – 1810)
Os anos do período clássico passaram-se numa
época de grandes mudanças no mundo. A
Revolução Francesa e as Guerras Napoleónicas
mudaram a face da Europa.

Durante este período o povo em geral teve mais


acesso a cultura e participação nas atividades
artísticas.

Na música, o sistema de mecenato começou a


desaparecer e foi substituído pelos primeiros
concertos públicos onde as pessoas tinham que
pagar para assistir. A música deixou de servir
apenas a Igreja e a Nobreza.
Ao contrário do período Barroco, a música no período
Clássico caracterizou-se por ser simples, pouco
ornamentada e menos emocional.

Conhecida como “música absoluta”, as obras clássicas


não eram escritas para dançar nem para celebrações
especiais, mas sim para o ouvite ter o prazer de
desfrutar da sua beleza enquanto arte.

As obras musicais eram apresentadas em salas


proprias para concertos ou recitais.

3 novas formas instrumentais foram desenvolvidas:


o Concerto para instrumento solo , a Sinfonia e a
Sonata .
Viena (Austria) era o centro musical da Europa e a
maioria dos grandes compositores viviam boa parte
da sua vida nessa cidade.

Os compositores mais importantes desta época


foram:

J. Haydn - 1732/1809
W. A. Mozart - 1756/1791
L. Van Beethoven - 1770/1827
(1ª fase da vida)
Período Romântico

(1810 – 1910)
A música sofreu grandes mudanças durante a época
romântica, os compositores expandiram as formas
musicais existentes e desenvolveram novas formas
para expressar sua própria personalidade.

Foram eliminadas as restrições sobre a duração da


obra, o número de andamentos, o número de
instrumentos ou vozes usadas, etc.

Havia um ambiente de liberdade criativa no qual


floresciam uma grande quantidade e variedade de
obras tanto instrumentais como vocais.

Foi neste período que se introduziram a maioria dos


instrumentos da orquestra tal como conhecemos na
atualidade. A dimensão da orquestra cresceu muito
em função da grandiosidade das obras.
O desenvolvimento mecânico dos instrumentos
(pistons nos metais e chaves nas madeiras),
tornaram os mesmos mais fáceis de tocar,
permitindo aos compositores compor mais
facilmente e sem limites.

A Sinfonia Romântica converteu-se numa versão


expandida da Sinfonia Clássica. É mais longa, tem
maior instrumentação e normalmente tem mais de
quatro andamentos.

Os compositores Românticos fizeram questão de


reunir a poesia com a música. A ópera, que atinge o
seu auge neste período, expoe mais os dramas
humanos do dia-a-dia do que os mitológicos e
platonicos.
Apareceu uma nova tendência de “Nacionalismo”
que inspirou os compositores a incluirem na sua
música canções e estilos populares dos seus
países.

A música do período romântico foi a que teve a


maior aceitação e difusão para o público em geral
e cruzou as fronteiras de todos os países para se
converter em música universal.

Hoje em dia, as valsas de Strauss e Tchaikovsky,


os noturnos de Chopin, as óperas de Verdi ou as
Danças Húngaras de Brahms fazem parte da
cultura de todos os países.
É no Período Romântico que surge a figura do
maestro tal como conhecemos hoje. Até então era o
proprio compositor que dirigia as suas obras.

Alguns dos grandes compositores mais importantes


desta época foram:

L. van Beethoven,
F. Schubert,
J. Strauss,
F. Liszt,
S. Rachmaninov,
R. Schumann,
R. Wagner,
J. Brahms,
C. Chopin
G. Verdi,
P. Tchaikovsky,
Período Pós-Romântico
Período Contemporâneo

(1910 - )
Impressionismo
A música impressionista derivada da música
romântica mas não segue padrões definidos,
expressa a melodia de forma mais dispersa e
abstracta.

Numa obra musical impressionista, é comum a


melodia principal repetir-se ao longo da obra mas
mudando a dinâmica e a instrumentação.

Os compositores mas importantes deste estilo de


música foram Debussy e Ravel.
Neoclassicismo
O estilo Neo-Clássico caracteriza-se por ser similar ao
que se fazia no período clássico, usa sons e
instrumentos mais modernos mas segue os ideais e os
formatos do período clássico original.

O mais famoso compositor deste estilo é Stravinsky e


um exemplo músical é a sua obra: “ Sagração da
Primavera” .

Expressionismo
Surgem novos estilos de composição musical sendo
que o mais importante foi desenvolvido pelo compositor
Schoenberg, que usa uma escala de 12 notas
cromáticas. Ritmo e utilização das notas é irregular e
imprevisível. Harmonicamente a música diz-se atonal.
Foram desenvolvidos mais tipos/estilos e
escreveram-se mais músicas no Século XX que
durante todos os séculos anteriores, o único
limite do compositor tem sido a sua imaginação.

Alguns dos compositores mais famosos do


período pós-romântico e contemporâneo são:

C. Debussy - 1862/1918
M. Ravel - 1875/1937
I. Stravinsky - 1882/1971
S. Prokofiev - 1891/1953
D. Shostakovich - 1906/1975
Joly Braga Santos - 1924/1988
Emmanuel Nunes - 1941/2012
P. Boulez - 1951/

Você também pode gostar