Você está na página 1de 10

O QUE É A ONU?

Quando terminava a Segunda Guerra Mundial, até mesmo antes disso, os três líderes das
principais potências aliadas – Reino Unido, Estados Unidos e União Soviética – e algumas
conferências internacionais representativas do conjunto das nações vencedoras reuniam-se para
debater. Era necessário pensar como seria o mundo da paz, distante do nazismo alemão que
engendrara o conflito. Desses encontros resultaram dois sistemas de ordenamento: o econômico,
chamado de sistema Bretton Woods, constituído por três instituições, GATT (Acordo de Tarifas e
Comércio), FMI e Banco Mundial, e o político, essencialmente a Organização das Nações Unidas.

A Organização das Nações Unidas, também conhecida pela sigla ONU,


é uma organização internacional formada por países que se reuniram
voluntariamente para trabalhar pela paz e o desenvolvimento mundiais.

O preâmbulo da Carta das Nações Unidas – documento de fundação da


Organização - expressa os ideais e os propósitos dos povos cujos
governos se uniram para constituir as Nações Unidas:

“Nós, os povos das Nações Unidas, resolvidos a preservar as gerações


vindouras do flagelo da guerra, que, por duas vezes no espaço da nossa
vida, trouxe sofrimentos indizíveis à humanidade, e a reafirmar a fé nos direitos fundamentais do
homem, na dignidade e no valor do ser humano, na igualdade de direitos dos homens e das
mulheres, assim como das nações grandes e pequenas, e a estabelecer condições sob as quais a
justiça e o respeito às obrigações decorrentes de tratados e de outras fontes de direito internacional
possam ser mantidos, e a promover o progresso social e melhores condições de vida dentro de uma
liberdade mais ampla.”

“E para tais fins praticar a tolerância e viver em paz uns com os outros, como bons vizinhos, unir
nossas forças para manter a paz e a segurança internacionais, garantir, pela aceitação de princípios
e a instituição de métodos, que a força armada não será usada a não ser no interesse comum, e
empregar um mecanismo internacional para promover o progresso econômico e social de todos os
povos.”

“Resolvemos conjugar nossos esforços para a consecução desses objetivos. Em vista disso, nossos
respectivos governos, por intermédio de representantes reunidos na cidade de São Francisco,
depois de exibirem seus plenos poderes, que foram achados em boa e devida forma, concordaram
com a presente Carta das Nações Unidas e estabelecem, por meio dela, uma organização
internacional que será conhecida pelo nome de 'Organização das Nações Unidas.”

Página 1 de 10
A HISTÓRIA DA ORGANIZAÇÃO

Depois da II Guerra Mundial, que devastou dezenas de países e tomou a


vida de milhares de seres humanos, existia na comunidade internacional
um sentimento generalizado de que era necessário encontrar uma forma
de manter a paz entre os países. Porém a idéia de criar a ONU não
surgiu de uma hora para outra. Foram necessários anos de
planejamento e dezenas de horas de discussões antes do surgimento da
Organização.

O nome Nações Unidas, foi concebido pelo Presidente Norte-Americano


Franklin Roosevelt e utilizado pela primeira vez na Declaração das Nações Unidas de 12 de Janeiro
de 1942, quando os representantes de 26 países assumiram o compromisso de que seus governos
continuariam a lutar contra as potências do Eixo.

A Carta das Nações Unidas foi elaborada pelos representantes de 50 países presentes à
Conferência sobre Organização Internacional, que se reuniu em São Francisco de 25 de abril a 26
de junho de 1945.

As Nações Unidas, entretanto, começaram a existir oficialmente em 24


de outubro de 1945, após a ratificação da Carta pela China, Estados
Unidos, França, Reino Unido e a ex-União Soviética, bem como pela
maioria dos signatários. 0 24 de outubro é comemorado em todo o
mundo como o "Dia das Nações Unidas".

Durante a primeira reunião da Assembléia Geral que aconteceu na


capital do Reino Unido, Londres, em 1946, ficou decidido que a sede
permanente da Organização seria nos Estados Unidos. Em dezembro
de 1946, John D. Rockefeller Jr. ofereceu cerca de oito milhões de
dólares para a compra de parte dos terrenos na margem do East River,
na ilha de Manhattan em Nova York (EUA). A cidade de NY ofereceu o
resto dos terrenos para possibilitar a construção da sede da
Organização.

Hoje em dia, a ONU possui, além da sede central em Nova York, sedes em Genebra (Suíça), Viena
(Áustria), Nairóbi (Quênia) e escritórios espalhados em grande parte dos países do planeta.

ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS QUE PRECEDERAM A ONU

No final do século XIX países começaram a criar organismos internacionais para cooperar em
assuntos específicos. Por exemplo, já em 1865 foi fundada a União Telegráfica Internacional,
conhecida hoje como União Internacional de Telecomunicações (ITU) e em 1874 surgiu a União
Postal Universal (UPU). Hoje ambas são agências especializadas do Sistema das Nações Unidas.

Em 1899 aconteceu a primeira Conferência Internacional para a Paz, em Haia (Holanda) que visava
elaborar instrumentos para a resolução de conflitos de maneira pacífica, prevenir as guerras e
codificar as regras de guerra.

Página 2 de 10
A Organização que podemos chamar de predecessora da
ONU é a Liga das Nações, uma instituição criada em
circunstâncias similares durante a I Guerra Mundial em
1919 sob o Tratado de Versailles. A Liga das Nações
deixou de existir devido à impossibilidade de evitar a II
Guerra Mundial.

COMO FUNCIONA A ONU?

Quando a ONU foi fundada, em 24 de outubro de 1945, ficou definido, na Carta da ONU que para
seu melhor funcionamento seus membros, vindos de todos os cantos do planeta se comunicariam
em seis idiomas oficiais: inglês, francês, espanhol, árabe, chinês e russo.

De acordo com a Carta, a ONU, para que pudesse atender seus múltiplos mandatos, teria seis
órgãos principais:

 Assembléia Geral,
 Conselho Econômico e Social,

 Conselho de Segurança,

 Conselho de Tutela,

 Secretariado, e

 Corte Internacional de Justiça.

Os cinco primeiros tem sede em Nova York, EUA, e o último na Haia, Países Baixos. Na estrutura
organizacional desses órgãos, encontram-se os diversos programas, fundos, comissões e agências
especializadas, dentre outros, que compõem o sistema ONU.

Página 3 de 10
A ASSEMBLÉIA-GERAL

A Assembléia Geral da ONU é o principal órgão deliberativo da ONU. É lá que todos os Estados-
Membros da Organização (192 países) se reúnem para discutir os assuntos que afetam a vida de
todos os habitantes do planeta. Na Assembléia Geral, todos os países têm direito a um voto, ou seja,
existe total igualdade entre todos seus membros.

Assuntos em pauta: paz e segurança, aprovação de novos membros, questões de orçamento,


desarmamento, cooperação internacional em todas as áreas, direitos humanos, etc.

As resoluções – votadas e aprovadas – da Assembléia Geral funcionam como recomendações e não


são obrigatórias.

Sessão especial da Assembléia Geral para discutir os direitos das crianças.

As principais funções da Assembléia são:

 Discutir e fazer recomendações sobre todos os assuntos em pauta na ONU;


 Discutir questões ligadas a conflitos militares – com exceção daqueles na pauta do Conselho
de Segurança;

 Discutir formas e meios para melhorar as condições de vida das crianças, dos jovens e das
mulheres;

 Discutir assuntos ligados ao desenvolvimento sustentável, meio ambiente e direitos humanos;

 Decidir as contribuições dos Estados-Membros e como estas contribuições devem ser gastas;

 Eleger os novos Secretários-Gerais da Organização.

Página 4 de 10
O CONSELHO DE SEGURANÇA

O Conselho de Segurança é o órgão da ONU responsável pela paz e segurança internacionais.

Ele é formado por 15 membros: cinco permanentes, que possuem o direito a veto - Estados Unidos,
Rússia, Grã-Bretanha, França e China - e dez membros não-permanentes, eleitos pela Assembléia
Geral por dois anos.

Este é o único órgão da ONU que tem poder decisório, isto é, todos os membros das Nações Unidas
devem aceitar e cumprir as decisões do Conselho.

Membros do Conselho de Segurança discutem a situação em Darfur (Sudão)

Suas principais funções e atribuições são:

 Manter a paz e a segurança internacional;


 Determinar a criação, continuação e encerramento das Missões de Paz, de acordo com os
Capítulos VI, VII e VIII da Carta;

 Investigar toda situação que possa vir a se transformar em um conflito internacional;

 Recomendar métodos de diálogo entre os países;

 Elaborar planos de regulamentação de armamentos;

 Determinar se existe uma ameaça para o paz;

 Solicitar aos países que apliquem sanções econômicas e outras medidas para impedir ou
deter alguma agressão;

 Recomendar o ingresso de novos membros na ONU;

 Recomendar para a Assembléia-Geral a eleição de um novo Secretário-Geral.

Página 5 de 10
O CONSELHO ECONÔMICO E SOCIAL

O Conselho Econômico e Social (ECOSOC) é o órgão


coordenador do trabalho econômico e social da ONU, das
Agências Especializadas e das demais instituições
integrantes do Sistema das Nações Unidas. O Conselho
formula recomendações e inicia atividades relacionadas
com o desenvolvimento, comércio internacional,
industrialização, recursos naturais, direitos humanos,
condição da mulher, população, ciência e tecnologia,
prevenção do crime, bem-estar social e muitas outras
questões econômicas e sociais.
Representantes do povos indígenas reunidos no ECOSOC.

Entre suas principais funções destacam-se:

 Coordenar o trabalho econômico e social da ONU e das instituições e organismos


especializados do Sistema;
 Colaborar com os programas da ONU;

 Desenvolver pesquisas e relatórios sobre questões econômicas e sociais;

 Promover o respeito aos direitos humanos e as liberdades fundamentais.

A Carta da ONU dispõe sobre a estrutura e as atribuições de cada um dos órgãos. O décimo capítulo
da Carta é dedicado ao Conselho Econômico e Social. O ECOSOC é composto por 54 (cinqüenta e
quatro) Membros das Nações Unidas, eleitos pela Assembléia Geral. Dentre suas principais funções
está a de preparar projetos de convenções a serem submetidos à Assembléia Geral e a de realizar
ou iniciar estudos e relatórios sobre temas internacionais de caráter econômico, social, cultural,
educacional, sanitário e conexos, formular recomendações sobre tais temas à Assembléia Geral,
Membros da ONU e entidades interessadas. Adicionalmente, ao ECOSOC é atribuída a função de
fazer recomendações destinadas a promover o respeito e a observância dos direitos humanos e das
liberdades fundamentais.

Para cumprir com estas funções, a Carta prevê a criação de comissões, dentro da estrutura do
ECOSOC, para tratarem dos diversos temas de seu domínio. Estas comissões são de caráter
funcional ou regional. As comissões funcionais que compõem o ECOSOC são:

 Comissão de Estatística
 Comissão sobre População e Desenvolvimento

 Comissão para o Desenvolvimento Social

 Comissão de Direitos Humanos

 Comissão sobre a Situação da Mulher

 Comissão sobre Drogas Narcóticas

 Comissão de Prevenção de Crimes e Justiça Criminal

Página 6 de 10
 Comissão de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento

 Comissão de Desenvolvimento Sustentável

 Fórum das Nações Unidas sobre Florestas

Página 7 de 10
O CONSELHO DE TUTELA

Segundo a Carta, cabia ao Conselho de Tutela a supervisão da administração dos territórios sob
regime de tutela internacional. As principais metas desse regime de tutela consistiam em promover o
progresso dos habitantes dos territórios e desenvolver condições para a progressiva independência
e estabelecimento de um governo próprio.

Última reunião do Conselho de Tutela, em 1994

Os objetivos do Conselho de Tutela foram tão amplamente atingidos que os territórios inicialmente
sob esse regime - em sua maioria países da África - alcançaram, ao longo dos últimos anos, sua
independência. Tanto assim que em 19 de novembro de 1994, o Conselho de Tutela suspendeu suas
atividades, após quase meio século de luta em favor da autodeterminação dos povos. A decisão foi
tomada após o encerramento do acordo de tutela sobre o território de Palau, no Pacífico. Palau,
último território do mundo que ainda era tutelado pela ONU, tornou-se então um Estado soberano,
membro das Nações Unidas.

Página 8 de 10
A CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA

A Corte Internacional de Justiça, com sede em Haia (Holanda), é o principal órgão judiciário das
Nações Unidas. Todos os países que fazem parte do Estatuto da Corte – que é parte da Carta das
Nações Unidas - podem recorrer a ela. Somente países, nunca indivíduos, podem pedir pareceres à
Corte Internacional de Justiça.

Além disso, a Assembléia Geral e o Conselho de Segurança podem solicitar à Corte pareceres sobre
quaisquer questões jurídicas, assim como os outros órgãos das Nações Unidas.

Os juizes da Corte, em coletiva de imprensa, em Haia (Holanda).

A Corte Internacional de Justiça se compõe de quinze juízes chamados "membros" da Corte. São
eleitos pela Assembléia Geral e pelo Conselho de Segurança em escrutínios separados.

Página 9 de 10
O SECRETARIADO

Sede do Secretariado da ONU, em Nova York (EUA).

O Secretariado presta serviço a outros órgãos das Nações Unidas e administra os programas e
políticas que elaboram. Seu chefe é o Secretário-Geral, que é nomeado pela Assembléia Geral,
seguindo recomendação do Conselho de Segurança. Cerca de 16 mil pessoas trabalham para o
Secretariado nos mais diversos lugares do mundo.

Entre suas principais funções, destacam-se:

 Administrar as forças de paz;


 Analisar problemas econômicos e sociais;

 Preparar relatórios sobre meio ambiente ou direitos humanos;

 Sensibilizar a opinião pública internacional sobre o trabalho da ONU;

 Organizar conferências internacionais;

 Traduzir todos os documentos oficiais da ONU nas seis línguas oficiais da Organização.

Página 10 de 10