Você está na página 1de 12

GEOGRAFIA DO MARANHÃO

Situa-se no oeste da região Nordeste, tendo como limites o Oceano Atlântico a norte, o Piauí a
leste, Tocantins ao sul e sudoeste e e o Pará a Oeste. É o único estado da região com parte de
sua área coberta pela floresta Amazônica, apresentando importantes áreas de proteção
ambiental. Em 1997, a capital São Luis foi declarada patrimônio histórico da humanidade pela
Unesco.

A economia do Maranhão se baseia na indústria (transformação de alumínio), nos serviços, no


extrativismo, na agricultura (soja, mandioca, arroz, milho) e na pecuária. Existem várias teorias
para a origem do nome do estado. Porém, a mais aceita é que Maranhão era o nome dado ao Rio
Amazonas pelos nativos da região antes dos navegantes europeus chegarem.

O Maranhão destaca-se também no turismo (ecológico, cultural, religioso), apresentando aos


visitantes uma mescla de ecossistemas somente comparada, no Brasil, com a do Pantanal Mato-
Grossense. Possui o 2º maior litoral brasileiro, superado apenas pela Bahia.

Bandeira Brasão Mapa

Hino Capital Área Total


Entre o rumor das selvas São Luís 331.983,293 km²
seculares...[+]
Sigla Região População
MA Nordeste 7 035 055 hab

O Maranhão é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está localizado no oeste da região No
como limites o Oceano Atlântico (N), o Piauí (L), Tocantins (S e SO) e o Pará (O). Um pouco Maio
um pouco menor que a Alemanha, o estado ocupa uma área de 331.983,293 km². A capital é São
cidades importantes são Açailândia, Imperatriz, Timon, Caxias, Codó, Bacabal, Balsas e Santa In
Localização: Região Nordeste.
Ponto mais alto: localizado na Chapada das Mangabeiras (804 metros)

Região Nordeste
- Estados limítrofes Piauí, Tocantins e Pará
- Mesorregiões 5
- Microrregiões 21
- Municípios 217
Capital São Luís
Área
- Total 331.983,293 km² (8º)
População
- 2006 estim. 6.184.538 hab. (10º)
- Densidade 18,6 hab./km² (16º)
PIB 2004 Bandeira do Maranhão
- Total R$16.547.000 (17º) Brasão do
- Per capita R$2.748,00 (27º)
IDH (2000) 0,636 (27º) – médio
- Esper. de vida 66,4 anos (26º)
- Mort. infantil 46,3/mil nasc. (26º)
- Analfabetismo 23,8% (24º)

Habitante: maranhense
Principais Municípios: São Luís, Imperatriz, Caxias, Codó, Santa Luzia, Bacabal.
Atividades Econômicas: extração de babaçu e cera de carnaúba, pecuária (bovinos, suínos), avic
(milho, arroz, mandioca, feijão, algodão, cana-de-açúcar, laranja), pesca (camarões, lagosta) e m
gás natural, gipsita, petróleo e sal marinho).

Geografia
Estado referente à região do Nordeste brasileiro. O Maranhão tem fronteiras estaduais com os se
Piauí (ao leste), Tocantins (ao sudoeste) e Pará (ao oeste). Ao norte, o Estado é limitado pelo Oc
São Luís é a capital do Estado e sua cidade mais populosa, situada na região da costa atlântica,
litoral bastante recortado.

Hidrografia
A rede hidrográfica maranhense é, em sua maior parte, pertencente à bacia do Norte e Nordeste.
principais rios do Estado se encontra o Paranaíba, dividido com o Piauí na região fronteiriça entre
Outros rios que banham o território do Maranhão são o Gurupi (zona de fronteira com o Pará), o T
de fronteira do Maranhão com Tocantins), Turiaçu, Itapecuru, Pindaré, Grajaú e Mearim.

Lista de Rios do Maranhão


Rio Gurupi
Rio Itapecuru
Rio Mearim
Rio Munim
Rio Parnaíba
Rio Pindaré
Rio Tocantins
Rio Turiaçu

Clima e Vegetação
A característica climática predominante no Maranhão é configurada como tropical. As temperatura
são superiores a 24°C, enquanto os índices pluviométricos variam entre 1500 e 2500mm anuais.
território do Maranhão caracterizam duas áreas distintas: no litoral as chuvas são mais abundante
interior são mais escassas. Outro fator condicionante do clima no Estado é sua posição geográfic
área situada no complexo amazônico, ao noroeste, onde o clima tende à caracterização como eq
situada na região semi-árida do Nordeste brasileiro. O fator condicionante do clima é responsável
entre algumas áreas de vegetação: ao noroeste há a presença da Floresta Amazônica ou Hiléia B
esta região também conhecida como Amazônia Maranhense; nas regiões de clima caracterizado
predomina o cerrado, ao sul do território estadual; no litoral, há a presença do mangue; ao leste, n
transição entre o cerrado e a floresta equatorial, há a Mata dos Cocais, de vegetação relativamen
onde predomina o babaçu (Orbignya martiana), de grande importância econômica para o Estado.
Relevo

O relevo maranhense é basicamente dividido em duas grandes áreas: a região de planície no lito
planalto nas demais áreas do Estado. A planície caracteriza-se pela presença de tabuleiros (pequ
baixadas alagadiças. Esta região de planície chega a avançar, a partir de sua região central, em d
do território. Quanto ao planalto, com forma tabular e de formação basáltica a partir do mesozóico
de áreas de chapadas, com escarpas que constituem, por exemplo,as serras da Desordem, da C
Alpercatas.

A população indígena do Maranhão está entre as mais significativas do país do ponto de vista nu
estimada em pouco mais de 12,2 mil habitantes. Está dividida em dezesseis grupos, sendo que q
vivem em áreas demarcadas para si pela FUNAI (Fundação Nacional do Índio).

Como nos demais Estados nordestinos, a população maranhense também enfrenta problemas in
como a rede hospitalar insatisfatória, em que grande parte dos estabelecimentos são mantidos po
privadas. Outro grave problema social trata-se dos conflitos rurais resultados da baixa condição e
trabalhadores rurais, destituídos de terras próprias para o cultivo e a subsistência.

Economia

As atividades econômicas predominantes no Estado do Maranhão são a agropecuária e o extrativ


arroz é o principal produto agrícola, em conjunto com o milho, a mandioca, o feijão e a cana-de-a
o produto de extração de extrema importância para a economia do Estado, seguido da carnaúba.
A pecuária regional tem os bovinos, caprinos, asininos e suínos entre seus principais rebanhos.

O cultivo agrícola é desenvolvido sobretudo nas regiões dos vales do Pindaré e do Mearim.

No período entre os anos de 1949 e 1953, a pesca maranhense esteve no primeiro lugar em term
nacional. Já as atividades industriais são restritas; há no Estado a participação dos setores indust
madeireiros e de processamento de alumínio.

Etnias

O Maranhão é um dos estados mais miscigenados do país, o que pode ser demonstrado pelo núm
pardos auto-declarados ao IBGE, resultado da grande concentração de escravos indígenas e afri
lavouras de cana, arroz e algodão; os grupos indígenas remanescentes e predominantes são dos
linguísticos Jê e Tupi. No tronco Macro-Jê destaca-se a família Jê, com povos falantes da língua
Kanela (Apanyekra e Ramkokamekra), Krikati, Gavião (Pukobyê), Kokuiregatejê, Timbira do Pind
Tronco Tupi a família tupi-guarani, com os povos falantes das línguas Tenetehára: Guajajara, Tem
Kaapor, além dos Awá-Guajá e e um pequeno grupo Guarani. concentrados principalmente na pr
Alto Mearim e na região de Barra do Corda e Grajaú.

Os afro-descendentes são maioria da população, devido ao forte tráfico negreiro entre os séculos
trouxe milhares de negros da Costa da Mina e da Guiné. Muitas das tradições maranhenses tem
culturas africanas: culinária (Arroz de Cuxá), religião (Tambor de Mina e Terecô), festas (Bumba-M
de Crioula) e músicas (Reggae). Atualmente, o Maranhão conta com mais de 700 comunidades q
toda região da baixada, rio Itapecuru e Mearim.

A população branca, 24,9% é quase exclusivamente descendentes de portugueses, dada a pequ


outros europeus para a região. Ainda no início do século XX a maior parte dos imigrantes portugu
dos Açores e da região de Trás-os-Montes. Também no século XX vieram contigentes significativ
libaneses, refugiados do desmonte do Império Otomano e que hoje têm grande e tradicional pres
proximidade com a cultura portuguesa e o isolamento do estado até a metade do século XX gero
próprio e ainda bastante similar ao português falado em Portugal, praticando os maranhenses um
verbal e pronominal vizinha àquela lusitana.

Gentílico
Maranhense

Hora local
A mesma em relação a Brasília.

Hino do Maranhão
I
"Entre o rumor das selvas seculares,
Ouviste um dia no espaço azul, vibrando, Hino do estado do Maranhão
O troar das bombardas nos combates, Letra por Antônio Baptista Barbosa de
E, após, um hino festival, soando. Melodia por Antônio dos Reis Raiol

Estribilho
Salve Pátria, Pátria amada!
Maranhão, Maranhão, berço de heróis,
Por divisa tens a glória
Por nome, nossos avós.

II
Era a guerra, a vitória, a morte e a vida
E, com a vitória, a glória entrelaçada,
Caía do invasor a audácia estranha,
Surgia do direito a luz dourada.

III
Quando às irmãs os braços estendeste,
Foi com a glória a fulgir no teu semblante
E foi sempre envolta na tua luz celeste,
Pátria de heróis, tens caminhado avante.

IV
Reprimiste o flamengo aventureiro,
E o forçaste a no mar buscar guarida
Dois séculos depois, disseste ao luso:
- A liberdade é o sol que nos dá vida.

V
E na estrada esplendente do futuro,
Fitas o olhar, altiva e sobranceira,
Dê-te o porvir as glórias do passado
Seja de glória tua existência inteira."
Referências
Wikipédia
Ache Tudo e Região

Não estamos sozinhos', ou dividimos espaço com outras criaturas ou morremos junto com o
planeta, tenha consciência disso. Proteger as árvores, animais, rios e mares é um dever cívico.
Faça sua parte, todos seremos responsabilizados pelo que estamos fazendo de mal a natureza.

Conheça o Ache Tudo e Região o portal de todos Brasileiros. Cultive o hábito de ler,
temos diversidade de informações úteis ao seu dispor. Seja bem vindo, gostamos de suas críticas
e sugestões, elas nos ajudam a melhorar a cada ano.

Frequentemente as matérias de história e geografia estão presentes em editais de concursos


públicos e processos seletivos. Esta realidade não é diferente no estado do Maranhão, onde
os temas são recorrentes nos conteúdos programáticos disponibilizados nos editais.

Um dos primeiros territórios a serem ocupados no Brasil, o estado tem uma história longa e
repleta de acontecimentos marcantes, a exemplo da revolta que ficou conhecida como Balaiada e
a Revolta de Beckman.
Abaixo, disponibilizamos uma síntese completa sobre todos os pontos a respeito de geografia
do Maranhão para concursos.
Formação do território e contexto histórico
Em 1534 o Brasil foi dividido em Capitanias Hereditárias, com a finalidade tanto de colonizar o
território, quanto de protegê-lo de outros países, que interessados no local recém-descoberto,
tentaram invadi-lo para fins exploratórios.

Assim como os outros territórios, aquele que compreende o local onde hoje está o Maranhão
também foi fragmentado. Dentro de pouco tempo ele foi invadido por franceses, que comandando
uma missão, fundaram o povoado da França Equinocial, onde construíram o Fourt de Saint-Louis,
célula embrionária da atual capital, São Luís.

Os portugueses reivindicaram o território, e em 1615 os franceses foram expulsos. Em 1621, com


o objetivo de defender a costa marítima e facilitar a interação com a então capital, Salvador, a
Coroa Portuguesa definiu os territórios do Maranhão e do Grão-Pará.

Ainda no século XVII, o território novamente foi invadido por outras nações europeias, em
especial, a Holanda. Estas, por sua vez, estavam interessadas no cultivo de cana-de-açúcar e na
expansão da produção açucareira. Em 1644, depois de dois anos de enfrentamentos, foram
expulsos pelos portugueses.

Posteriormente o Marquês de Pombal foi nomeado como Primeiro-Ministro português, e o


território maranhense foi dividido em quatro capitanias, Maranhão, Piauí, São José do Rio Negro
e Grão-Pará.

O ministro fundou a Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, colaborando com a


migração de vários nordestinos para aqueles locais, principalmente para trabalhar com os
produtos econômicos que estavam no auge, o algodão e o arroz.

Estes produtos possibilitaram que o estado experimentasse um amplo crescimento da economia,


o que por consequência, gerou um grande salto de desenvolvimento no estado. Porém, a
abolição da escravidão em 1888 abalou profundamente as estruturas econômicas, que foram
consolidadas pela produção rural, onde a maioria da mão de obra escrava era empregada.

Foi somente no século XX, mais precisamente a partir de 1910, com o aumento da
industrialização do algodão é que o crescimento da economia pôde ser retomado.

Sobre o estado do Maranhão


O nome que deu origem ao estado faz referência ao Rio Marañón do Peru, que na linguagem tupi
significa “mar”, “corrente”. O Maranhão, cuja sigla é MA, é um estado brasileiro que faz parte da
região nordeste e está localizado na área de transição entre o nordeste e a Amazônia.

Com uma área de 331.936.948 km², o estado ocupa a posição de oitavo maior em extensão
territorial. Sua capital é São Luís e o gentílico é o maranhense.

A sudoeste e a sul, o estado faz divisa com o Tocantins, enquanto a leste com o Piauí, a oeste
com o Pará e ao norte com o oceano Atlântico. O território está dividido em 217 municípios, e
estes, em cinco mesorregiões e 22 microrregiões.

A capital, São Luís, a única cidade do país fundada por franceses, é o principal centro urbano e
econômico do Maranhão. Além dela, outras cidades importantes são Imperatriz, São José de
Ribamar, Timon, Balsas e Caxias.

Bandeira do Maranhão
A bandeira do maranhão foi oficialmente adotada em 29 de dezembro de 1889. Ela é formada
pelas cores vermelho, preto e branco, que representam a mistura de raças que formou o povo
maranhense.

O quadrado azul no canto superior esquer significa o céu, e a estrela ao centro dele representa o
estado enquanto unidade federativa integrante do território brasileiro.

População
No decorrer do século XX, duas correntes migratórias significativas foram registradas no território.
Primeiro, foi a chegada dos sírio-libaneses, e depois, dos cearenses, que foram para o estado em
busca de melhores condições de trabalho nas lavouras.

Atualmente, a população do estado é de 7.000.229 habitantes. Ele ocupa a 16º posição no


ranking de unidades federativas mais populosas, com densidade demográfica de 21,09 hab/km².
A densidade não é uniforme por todo o território, inclusive, com grandes discrepâncias. Enquanto
nas regiões em torno do golfão maranhense a densidade populacional é alta, os demais locais do
território são pouco povoados.
Em relação a formação populacional, há ainda, muitos remanescentes indígenas. As outras
parcelas que a compõe, majoritariamente, são os negros e pardos.

O índice de urbanização é baixo, apenas um terço da população vive em áreas urbanas. A


expectativa de vida é a menor entre todas as unidades federativas. O Maranhão ocupa a 27º
posição, com expectativa de vida média de 70,6 anos.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é 0,678, valor considerado médio.

Economia
A economia do Maranhão é bastante diversificada, há atividades de destaque na agropecuária,
indústria e mineração. A principal região econômica é o centro-norte. Neste local estão os rios
Mearim, Pindaré e Itapecuru, o que o torna mais propício para tanto para as práticas
agropecuárias, quanto paras as práticas extrativistas.

Nos séculos XVIII e XIX o algodão foi o produto de maior destaque da região do vale do
Itapecuru, sendo o principal responsável pelo desenvolvimento da economia do estado naquele
período.

Com o declínio da atividade, no século XX emergiram outros produtos economicamente


importantes, sendo que o maior destaque foi o arroz, além dele milho, mandioca, feijão e coco de
babaçu se consolidaram na agricultura maranhense.

Essas atividades, ainda hoje, estão presentes por todo o território do estado, porém em menores
escalas. O babaçu tornou-se o principal produto vegetal, principalmente pelos diversos usos do
óleo e dos resíduos de sua produção.

Nas atividades extrativistas o Maranhão se sobressai na extração de sal marinho e garimpo de


ouro e diamantes. Em 1980 foi inaugurado o Distrito Industrial de São Luís, que opera com a
bauxita das margens do rio Trombetas, no Pará. Outro ponto importante é a produção de
celulose.

Relevo
O relevo do Maranhão é regular e praticamente todo plano. Aproximadamente 75% de todo o
território possui altitudes inferiores aos 200 metros. Somente 10% ultrapassa os 300 metros.

Em relação ao quadro geomorfológico, há predominância de duas unidades, o planalto e a


baixada litorânea. Nesta última, predomina um relevo composto principalmente por tabuleiros e
colinas.

O ponto mais de maior altitude do Maranhão é a chapada das Mangabeiras, com 804 metros.

Clima
É possível encontrar três climas distintos do Maranhão: tropical com chuvas de verão, tropical
super úmido de monção e o tropical com chuvas de outono. Todos eles apresentam
características semelhantes em relação a temperatura, e distintas na pluviosidade.

As temperaturas médias anuais são elevadas, e ficam em torno de 26ºC. Enquanto os índices
pluviométricos do tropical super úmido de monção ultrapassa os 2.000mm, os demais variam de
1.250mm a 1.500mm anuais.

Vegetação
O território do estado é composto principalmente por vegetação de florestas, campos e cerrados.
A primeira é a responsável por cobrir a maior parte do noroeste do estado. A principal planta é a
palmeira do babaçu, que é o produto básico do extrativismo maranhense.

No golfão maranhense e no litoral ocidental a predominância é dos campos. Enquanto o cerrado


é a vegetação das regiões oriental e meridional. Já no litoral, a vegetação possui inúmeros tipos,
sendo que os principais são manguezais e campos inundáveis.

Entre as principais espécies encontradas na flora, estão:


 Oiticica
 Cajueiro
 Palmeira do babaçu
 Vassoura amarela
 Capim-de-areia
 Murici
 Tucum
 Camandaíba
 Campainha-branca

Hidrografia
O estado do Maranhão, possui, ao todo, 12 bacias hidrográficas, espalhadas por quatro regiões
hidrográficas. Alguns exemplos são as bacias: Parnaíba, Tocantins, Gurupi, Mearim, Munim,
Itapecuru, Turiaçu e Preguiças.

Essas bacias ocupam uma área de 202.203,50 km², o que equivale a 0,90% da área total do
Estado do Maranhão.

Praticamente toda a rede de drenagem do Maranhão corre no sentido sul – norte. Existem
diversos rios independentes, cujo curso vai para o oceano Atlântico. A exceção é um pequena
parte do território, a sudoeste, os de os rios correm na direção oeste.

Entre os principais rios do estado, estão os rios Anil, Bacanga, Corda, Gurupi, Grajaú, Itapecuru,
Mearim, Munim, Parnaíba, Pindaré, Tocantins e Turiaçu.

Fauna
Abaixo, listamos alguns dos principais representantes da fauna maranhense, alguns, bastante
específicos da região, como aqueles encontrados no bioma cerrado, por exemplo:
 Paturi
 Ariranha
 Jaguatirica
 Anta
 Ararajuba
 Peixe-boi-marinho
 Gato-maracajá
 Quero-quero
 Garça
 Onça-pintada
 Gaivota
 Tamanduá-bandeira
Comidas típicas do Maranhão
A base da cozinha maranhense são os frutos do mar. Além disso, uma características
interessante, é que dificilmente os pratos são encontrados em locais fora do estado. Então, para
provar o melhor que a culinária maranhense tem a oferecer, é necessário visitar o estado.

Algumas das comidas típicas do Maranhão são arroz de cuxá, carne de sol, peixada maranhense,
arroz Maria Isabel, caranguejo, caldeirada maranhense, juçara, arroz do mar, beiju e ostras.

Situação atual e principais problemas do estado


Um problema recorrente no estados brasileiros, são os altos índices de violência. Em alguns dos
estados do norte e nordeste, como é o caso do Maranhão, a situação se agrava ainda mais por
conta das frequentes crises no sistema penitenciário.

Quando a população maranhense é questionada a respeito dos principais problemas do estado,


a violência urbana está entre os problemas mais lembrados. Seguido de perto pela infraestrutura,
transporte público, saúde e trânsito. Estes dados foram levantados pela Pesquisa Escutec, do
Jornal O Estado.

Outros problemas, envolvem alguns dos principais indicadores socioeconômicos, o índice de


mortalidade infantil e a expectativa de vida, que é a menor entre todas as unidades federativas do
Brasil.

Localizado no oeste da Região Nordeste, o estado do Maranhão é o único da região que


tem parte do território coberto pela floresta Amazônica. Possui a segunda maior costa
litorânea brasileira, com extensão de 640 Km.

Os espanhóis foram os primeiros a chegarem à região, que atualmente corresponde ao


Maranhão. Posteriormente o território foi disputado por franceses, portugueses e
holandeses no início da colonização brasileira.

O Maranhão possui extensão territorial de 331.935,507 km², divididos em 217 municípios,


conforme dados do Censo Demográfico de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística (IBGE), totaliza 6.574.789 habitantes.

O relevo apresenta costa recortada e planície litorânea com dunas e planaltos no interior.
O ponto mais elevado é a chapada das Mangabeiras, com 804 metros de altitude. A
vegetação do Maranhão é caracterizada por mata de cocais a leste, mangues no litoral,
floresta Amazônica a oeste, cerrado ao sul. O clima é tropical.
Uma importante área de proteção ambiental é o Parque Nacional dos Lençóis
Maranhenses, por onde se espalham dunas de até 50 metros de altura.

A capital do estado é a cidade de São Luís, outras cidades importantes são: Imperatriz,
Caxias, Timon, São José de Ribamar, Codó, Açailândia, Bacabal, Paço do Lumiar, Barra
do Corda.

Os principais rios são: das Balsas, Gurupi, Itapecuru, Mearim, Parnaíba, Pindaré,
Tocantins, Turiaçu.

Até a década de 1960, o Maranhão era um estado brasileiro praticamente isolado, sem
acessos por terra, que impossibilitava avanço em sua economia, tímida, quase inexistente
perante o restante do país. A partir deste período, com a implantação de linhas férreas e
rodovias, o estado foi interligado a outras regiões do Brasil.

O comércio e os serviços respondem por mais da metade da economia do estado, que


não chega a 1% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. O complexo portuário integrado
pelos terminais de Itaqui (possui 420 metros), Ponta da Madeira e Alumar é responsável
por mais de 50% da movimentação de cargas portuárias do Norte e do Nordeste. São
exportados principalmente alumínio, ferro, soja e manganês. A indústria se apoia nos
setores metalúrgico, alimentício e madeireiro. A pesca é outra atividade econômica
importante para o estado.

Está sendo construída no Maranhão a maior refinaria da América Latina e uma das
maiores do mundo. A Refinaria Premium será instalada no município de Bacabeira,
localizado a 60 km da capital, São Luís. Sua instalação proporcionará um novo ciclo
industrial no estado. Serão gerados aproximadamente 130 mil empregos diretos e
indiretos.
Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Bandeira do Maranhão
Significado da bandeira: brancos, negros e índios estão representados pelas faixas
brancas, pretas e vermelhas. A estrela sobre fundo azul simboliza o estado do Maranhão
no céu do Brasil.

O Maranhão revela em sua culinária a mistura dos colonizadores com os índios e os


negros trazidos da África. Os doces portugueses dividem a mesa com os de frutas
nativas, como maracujá, bacuri, jenipapo e tamarindo. No litoral são consumidos marisco,
siri, caranguejo, e peixes.

A principal manifestação cultural do estado é a festa do bumba meu boi, mas também se
destacam o tambor de crioula e o tambor de menina.
Bumba meu boi é uma brincadeira que mistura lendas indígenas, dança e música. Ocorre
na temporada junina, onde centenas de grupos se apresentam nos arraiais.
O tambor de crioula é considerado Patrimônio Imaterial do Brasil, é uma manifestação
cultural de matriz afro-brasileira em louvor a São Benedito ou associado a outras festas. É
uma mistura de dança, canto e percussão de tambores. Não tem data específica e pode
ocorrer ao longo do ano.
O tambor de menina faz parte dos rituais da umbanda, religião afro-brasileira. O culto é
realizado nos terreiros, onde os iniciados cultuam, invocam e incorporam entidades
espirituais. Com roupas especiais para a ocasião, os integrantes cantam e tocam
instrumentos como tambores, cabaças, triângulos e agogôs.

O estado maranhense possui alguns problemas sociais. O índice de mortalidade infantil


apresenta taxas elevadas – 36,5 por mil nascidos vivos. Embora tenha melhorado muito, é
a segunda pior taxa do Brasil, só superada pela de Alagoas.
O Maranhão, apesar do desenvolvimento alcançado em alguns setores econômicos,
permanece como um dos mais pobres e carentes estados do país, ocupando a penúltima
posição no ranking nacional de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).