Você está na página 1de 1

Está definido: o certo é para-raios

Desde 1º de janeiro, as regras próxima dos gaúchos. Um dos Alguns professores de portu-
da língua portuguesa mudaram. principais cartões-postais da Ca- guês chegaram a imaginar que o
A alteração foi feita para que as pital, o Guaíba corria o risco de correto passaria a ser pararraios,
pessoas dos oito países no mun- passar a ser escrito sem acento. com dois erres.
do que falam o nosso idioma pas- O livro lançado ontem – chamado O livro lançado pela Academia
sassem a escrever as palavras de pelas pessoas que estudam o nos- Brasileira de Letras tem 349.737
uma maneira mais parecida. so idioma de Vocabulário Ortográfi- palavras em suas 887 páginas.
Desde então, havia dúvida so- co da Língua Portuguesa, carinho- Embora ajude a entender a mu-
bre como algumas das novas re- samente conhecido pela sua sigla, dança na língua falada no nosso
gras seriam aplicadas no Brasil. Volp – diz que devemos continuar país, o Volp não é um dicionário,
Desde ontem, quando a Academia colocando acento em Guaíba. com o significado das palavras.
Brasileira de Letras lançou um li- O Volp também define que para- Ele apenas traz uma lista com
vro sobre como os brasileiros de- raios deve ser escrito com hífen e a grafia correta e a indicação de
vem escrever as palavras, estas sem acento, ao contrário de “pá- como as palavras devem ser pro-
dúvidas foram desfeitas. ra-raios”, como havíamos apren- nunciadas. Somente no final do
Uma das incertezas estava bem dido. mês ele chegarás às livrarias.

Saiba como escrever


Para-raios
Antes do acordo ortográfico,
o correto era escrever “pára-
pois o acordo diz que o sinal de-
ve ser retirado quando se perde
Guaíba
A regra diz que perdem o Como as letras U e A de Gua-
acento o I e o U tônicos que íba formam um ditongo crescen-
raios” e “pára-lama”. a noção de palavra composta. vêm depois de um ditongo de- te, o acento permanece.
Com as novas regras, ficou Foi o que aconteceu em para- crescente, como feiura.
definido que a palavra “para” quedas e girassol. Mas a equipe

Coerdeiro
deve perder o acento, chamado que elaborou o vocabulário não
de diferencial. A dúvida que ha- pensou assim para o caso de
via era quanto ao uso do hífen, para-raios, mantendo o hífen.

Sub-regra
O Volp não traz essa palavra. de Oliveira Neto, presidente do
Antes da reforma, o correto
era “co-herdeiro”.
O texto do acordo, contudo,
diz que nas palavras compos-
tas, sendo o segundo elemento
iniciado por H, o hífen deve ser
nência do H.
A Academia Brasileira de Le-
tras achou que sem hífen e sem
o H seria a melhor grafia. Desse
modo, coabitação e coabilidade,
por exemplo, são escritos desta
O livro indica, no entanto, que o Instituto Internacional de Lín- utilizado, bem como a perma- maneira.
vocábulo SUB-REGULAR deve gua Portuguesa (IILP), explica

Blá-blá-blá
ser escrito com hífen. Dessa que sub-regra segue o mesmo
forma, o professor Godofredo conceito.

Abrupto
Era escrito de duas maneiras, rupto. A equipe comandada pelo
Pelo acordo, usa-se hífen nas
palavras compostas por justa-
posição, que mantêm acento
próprio e formam uma única
unidade de sentido. Os exem-
plos não contemplavam expres-
sões em que a mesma palavra
se repetia, como reco-reco.
O Volp determina que levem
hífen.
ab-rupto e abrupto. Inicialmen- professor Evanildo Bechara, que
te, chegou-se a pensar que o escreveu o Volp, decidiu que as

Não fumante
certo passaria a ser apenas ab- duas formas de grafia valem.

Reeditar
A regra determina o uso do hí-
fen quando o prefixo termina em
vogal e o segundo elemento inicia
com a mesma vogal. A regra não Quando o “não” e o “quase” mão, o Volp vai determinar que
não vale para os prefixos re, pre e valem como prefixo, como em não se use o hífen.
pro. Portanto, é reeditar. não agressão e em quase ir- O certo é não fumante.