Você está na página 1de 3

Organograma da Odontologia

Quando o aluno se forma em odontologia, para que ele possa ser cirurgião-dentista, deve-se
encaminhar-se para o Conselho Regional de Odontologia para fazer sua inscrição como
cirurgião-dentista. O ideal é fazer a inscrição (fazer o CRO) no local onde se vai trabalhar, pois se
tiver mais inscrições, o profissional irá pagar a quantidade de inscrições feitas. Além disso, é
aconselhável que só se faça o CRO quando tiver trabalho. NÃO É OBRIGATÓRIO JÁ TER O CRO
assim que se forma.

Temos TRES OPÇÕES para atuar como CD, regularmente inscrito no conselho: trabalhar como
empregado, pessoa física e pessoa jurídica.

Trabalhar como empregado contratado por uma empresa com CNPJ (esse contrato do CNPJ
pode ser através do serviço militar. O emprego como militar é por oito anos, não completando
mais que oito anos. As mulheres antes de oito anos são dispensadas, pois caso engravidem, elas
irão ultrapassar os nove anos. Carreira Militar – ingressa como R2, se faz a prova para escola de
saúde e se entra na academia militar (onde se aprende a ser militar). General (formação
acadêmica muito boa). Outra forma de contrato por CNPJ é através do concurso público (para
isso, a QUALIFICAÇÃO É IMPRESCINDIVEL. Contrato de trabalho – onde se é contrato por
alguém que tenha uma clínica. Para isso, deve-se ter a carteira de trabalho (os empregados). O
dono da clínica não precisa da carteira de trabalho, pois ele não vai se empregar. Para ser
empregado de qualquer pessoa jurídica e qualquer CNPJ, é necessário que se tenha a carteira
de trabalho, que deve ser tirada em um PAC. Não se paga por ter uma carteira de trabalho. No
entanto, quando se tem a carteira de trabalho e se tem inscrição no INSS (que pode ser feito
pelo próprio CD ou pelo primeiro empregador).

CNPJ é a sigla para Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica. É necessário fazer o CNPJ antes do
início de qualquer atividade comercial. O CNPJ é o número que identifica uma empresa
mediante a Receita Federal. Empresas que não possuem CNPJ, estão atuando ilegalmente e
devem requerer a regularização o mais breve possível. Assim, evitam que suas atividades sejam
suspensas pelos órgãos competentes. Além disso, ter um CNPJ permite que a empresa pratique
todos os trâmites legais. Como emitir nota fiscal (física e eletrônica), faça compras técnicas e em
grandes escalas, contrate serviços, possibilite declarações e envio documentos fiscais, e
empregue outros profissionais dentro da lei.

PIS-PASEP – inscrição na Previdência Social. No momento que se gera o número, se faz depósitos
mensais, que depende do quanto se ganha em salário. São 35 anos de contribuição para poder
se aposentar

1. Autônomo – deve ter PIS/NITI (inscrição no INSS). Como autônomo, eu tenho que ter
minha inscrição no INSS. Só se pode fazer livro-caixa se eu tiver inscrição no INSS e se
eu pagar esse INSS (relativo ao valor que se declara no livro caixa). Quando o autônomo
deixa de pagar o INSS, demora mais a se aposentar e perde o direito de fazer o livro-
caixa.

SITUAÇÃO

O Autônomo (pessoa física) vai fazer uma clínica particular. Ele emite nota pelo CPF (todas as
despesas médicas, odontológicas, fono e fisioterapia são dedutíveis do imposto de renda – os
clientes querem a nota fiscal (NOTA FISCAL DE SERVIÇO NFS-e, que é emitida eletronicamente
pelo sistema da prefeitura da secretaria municipal de finanças), pois a finalidade desta é ser
apresentada como declaração no imposto de renda), diferentemente da pessoa jurídica que
emite a nota pelo CNPJ. Como autônomo, para que eu possa emitir uma nota fiscal, deve-se ter
um ALVARÁ, o qual é ANUAL, além da contribuição do ISSqn. Devem pagar ISS todas as empresas
prestadoras de serviços que se enquadram nas obrigações da lei 116/2003 e os profissionais
autônomos prestadores de serviços.

O ALVARÁ é uma licença para que se possa atuar como dentista. Geralmente, os contadores
colocam o endereço do alvará como endereço da residência. Com o ALVARÁ e contribuição com
o ISS, podemos ter acesso ao sistema de notas. O ISS (Imposto sobre Serviços) é uma
contribuição à prefeitura pelos serviços feitos por autônomos. Quando não se tem alvará e
quando não está inscrito no ISS, eu vou ter que recolher de cada nota emitida 5% do valor da
nota (28:00). Não se pode emitir nota fiscal retroativa. (ISS e ISSqn qual diferença)

No consultório particular o contador pode ser contratado para orientar no início da atividade. O
funcionário deverá ter carteira de trabalho e deve ser ASSINADA. Para se ter um funcionário
deve-se ter o e-Social, que é a contribuição do funcionário para o INSS.

Exemplo – vc que determina o valor. Porém, além do valor do salário, deve-se ter o valor que é
referente a todos os encargos que será pago a mais ao funcionário.

No consultório, se tem custos (materiais, conta de luz, água) etc.  LIVRO CAIXA (tem dois
campos, receitas e despesas dedutíveis). A receita é o dinheiro que se recebe do cliente e é
emitido a nota fiscal. As despesas dedutíveis são todas as despesas que o CD tem para exercer
a atividade profissional (aluguel, materiais, telefone, internet, água, congresso, hospedagem,
salário do funcionário e encargos, salario contador, assistência técnica ao aparelhos e
equipamentos, revisão programada da cadeira) se houve mais receita que despesa, tem-se
imposto a pagar. Se a despesa for maior que a receita não se tem despesa a pagar. Quem faz o
livro caixa no início da profissão normalmente é o contador (1 hora e 4 minutos)

Como consultório particular, o CD deve ter o CPF, CONTADOR, ANVISA (órgão de fiscalização
sanitária). Além de ter o ambiente, materiais, funcionários.

PESSOA JURIDICA – é a pessoa que monta uma empresa (uma clínica odontológica). Toda
empresa tem obrigatoriamente sócios. Além disso, tem-se também o CAPITAL SOCIAL. Como
sociedade odontológica, não se pode fazer atendimento, se não houver consultório. O capital
social é referente ao investimento que se faça (no caso para abertura de uma clínica com quatro
consultórios) – se para abrir, foi investido 200 mil, então este valor deve ser dividido entre cada
socio da empresa. No contrato social deve estar especificado quais as atividades odontológicas
que se vai fazer (para cada especialidade, deve ter um especialista no grupo) – se não houver
especialista, deve-se informar que é clínica geral, não colocando a especialidade (caso contrário,
estará fazendo o anuncio da especialidade que não se tem, o que é uma infração ética). Para se
ter um CNPJ, é necessário que se seja uma sociedade. Porém pode-se ter CNPJ como pessoa
única (CNPJ individual, o que é limitado, pois dependendo do faturamento mensal que se
pretende ter, o CNPJ não irá funcionar). Aqui também precisa-se ter um CONTADOR, ANVISA,
funcionários, deve-se emitir nota fiscal (que não pode ser pelo sistema ISSqn, este é pago na
porcentagem de acordo com a categoria que se está incluído). Como pessoa jurídica pode-se
optar pelo regime simples nacional, lucro presumido, lucro real. No simples e nacional, a receita
é colocada no programa, despesa com os funcionários e a partir daí se determina a renda anual,
que a partir desta renda, é determinado o imposto. O lucro presumido, 32% é despesa (caso se
fature 100 mil, 32% é descontado dos 100 mil e 78 mil é imposto)  a vantagem do lucro
presumido é para quem tem baixa despesa e alta renda. Lucro real (somente as grandes
empresas trabalham com o lucro real, as microempresas não, pois as grandes empresas têm o
número de sócios ilimitados). Só é interessante ser pessoa jurídica se for mais de uma pessoa
(dentistas especialistas). Se eu for pessoa física, não se consegue ter um convênio. As empresas
de convenio só fazem com pessoa jurídicas, pois é mais caro para empresa trabalhar com pessoa
física.

Alíquota do ISS é 5%. Quem paga menos

A pessoa jurídica tem um faturamento anual. De acordo com a somatória dos últimos 12 meses
se tem o valor.

Para pessoa jurídica no SIMPLES NACIONAL (só é vantagem optar por esse quando se tem muitos
funcionários)

Lucro presumido – o governo diz que 32% da sua receita é despesa. Ou seja 68 mil é onde será
aplicado todos os encargos. Todo encargo é aplicado sobre o valor líquido

Para pessoa física o ISS é 5% do valor da nota. A forma do ISS simplificado, opta-se por pagar o
ISS de 12 vezes. Todo profissional autônomo são obrigados ater o carne e pagar o ISS, ou
recolher 5% de cada nota fiscal.

Toda emissão de nota (tem que pagar imposto sobre essa nota fiscal)

PESSOA JURÍDICA INDIVIDUAL

Quando o cd trabalha como autônomo (pessoa física),oara que ele possa emitir notas fiscais,
ele deve ter o alvará e o iss, que o imposto sobre serviço. Caso ele não tenha nenhum desse
dois, a cada nota fiscal que ele emite ele vai ter que tirar 5% do valor na nota fiscal. E o cd so
vai poder fazer o livro caixa se ele tiver inscrição no inss, se não tiver não vai poder azer livro
caixa.