Você está na página 1de 2

Bignoniaceae Cataceae Commelinaceae

Begoniaceae Begoniaceae Begoniaceae Opuntia ficus-indica Callisia repens


Begonia boverii B. hydrocotylifolia Begonia rex Jacaranda mimosifolia

CATÁLOGO ILUSTRADO
Commelinaceae
Tradescantia zebrina
Crassulaceae
Crassula arborescens
Crassulaceae
Crassula sp.
Crassulaceae
Kalanchoe diagremontiana Euphorbiaceae
Euphorbia tirucalli
Euphorbiaceae
E. pulcherrima DE PLANTAS DO ISCED-
HUAMBO - 53 ESPÉCIES
A escola é grande responsável pela formação de pessoas …
Além do conhecimento curricular tem o dever de formar uma sociedade com valores e respeito com-
prometida com o próximo e com o ambiente.
Euphorbiaceae Euphorbiaceae Euphorbiaceae Euphorbiaceae
E. abyssinica Hydrangeaceae Lameaceae
E. cotinifolia Flamboianzinho Codiaeum variegatum Acalipha wilkesiana Hydrangea macrophylla Solenostemon scutellarioides
Coração-magoado O uso de espaços com reserva da diversidade vegetal com finalidades educativas não é recente, desde
os tempos remotos existiu uma ligação estreita entre estes espaços e o ensino-aprendizagem da botâ-
nica, apesar de ainda ser uma prática pouco comum no nosso contexto.

Destacamos o filósofo grego Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C.) o mérito de ser o primeiro a usar
um espaço com reserva da biodiversidade visando o ensino de ciências. O primeiro “jardim botâni-
co” do ocidente e a respeito do qual temos informações fidedignas foi fundado por ele. Era ligado à
escola de Aristóteles, o Liceu. Esse jardim foi legado por Aristóteles a seu discípulo Teofrasto, consi-
derado o fundador da botânica e, sem dúvida, o maior botânico da antiguidade.
Lameaaceae Lameaceae Marantaceae Marantaceae
Mentha spicata Calathea zebrina Ctenanthe oppenhei- Myrtaceae Oxaladaceae Verbenaceae
Rosmainus officinalis Psidium guajava Oxalis triangularis Lantana camara
miana
Alecrin A dar crédito a versões bíblicas foi no jardim do Éden onde se registou a mais antiga classificação
O conhecimento sobre a diversidade vegetal cresce rapidamente. botânica (espécie, árvore frutífera, ervas), apresentada no livro de Géneses, sendo Adão o maior
Esta é uma época empolgante para estudar esta área biológica. Encorajamos os estudantes a serem contagiados por esta empolgação e a apreciarem taxinomista da antiguidade.
a beleza e importância das plantas, as quais constituem um dos grandes ramos da Árvore da Vida, que ´´ preenche com seus ramos quebra- Filho, 1984
dos e mortos a crosta da terra e cobre sua superfície com suas sempre ativas e belas ramificações´´
(Charles Darwin, A Origem das Espécies, 1859, cap. IV, p.163)
Investir em conhecimento para as futuras gerações é um investimento certo
para o progresso. A nível do ISCED-Huambo além das plantas que visam a ornamentação da instituição, existe tam-
A degradação das florestas e da biodiversidade continuam inexorável como
Pedro Capitango/2015
bém uma colecção de plantas resultantes das actividades práticas da disciplina de Plantas Superio-
também uma ampla maioria da população (quase a totalidade) continua a não
E-mail—capitango.isced.hbo@hotmail.com res, que podem ser usadas na contextualização dos conteúdos de botânica.
saber que sem florestas e sem biodiversidade a nossa espécie não sobreviverá.
Os verbos “investigar” e “ensinar” são indissociáveis. Telemóvel: 923 879 649
Jorge Paiva (2015) Este catálogo é parte do futuro livro sobre estas espécies.
Apresentação Gimnospermas (2)
O conjunto de fotos apresentado aqui é parte da colecção de plantas do ISCED-Huambo. Optamos por disponibilizar as fotos por
intermédio deste catalogo para atender a dificuldade dos estudantes do curso de Licenciatura em Ensino de Biologia em identificar
estas espécies e a todos apreciadores do mundo vegetal, envolvidos com o conhecimento e manutenção da biodiversidade. Araucariaceae Cupressaceae Pinaceae
Araucaria columnaris Cupressus lusitânica Pinus sp.
É apresentada aqui 53 espécies e respectivas famílias botânica, distribuídas nos quatro grandes grupos de planta, nomeadamente: Arvor de natal Cedro

briófita (01), pteridófita (01), gimnospermas (03), angiospermas (48). Que podem ser estudadas do ponto de vista
alimentar (produtos de origem vegetal constituem os principais alimentos que ingerimos, fonte de energia que nos mantem vivos),
medicinal (mais de 80% dos medicamentos são extraídos de plantas e cerca de 90% são de origem biológica), energético
(lenha, petróleo, ceras, resinas, etc.), ecológico (as plantas além de produzirem biomassa, são despoluidoras por retirarem o gás Angiospermas Monocotiledóneas (11)
carbónico (CO2) da atmosfera e são fábricas naturais de oxigénio (O 2), tão necessário para a nossa respiração), vestuário
(praticamente tudo que vestimos é de origem vegetal ou animal), ornamental (as plantas conferem beleza as nossas casas, a
qualquer jardim ou parque, por isso, fazem sempre parte de qualquer projecto de paisagismo), etc.
As famílias encontram-se organizadas por ordem alfabética dentro de cada grupo, as angiospermas encontra-se classificadas de
acordo o sistema APG (http://www.mobot.org/MOBOT/Research/APweb/welcome.html).
Lembrando, as principais Questões Globais do Século XXI são as Alterações Climáticas e a Perda da Biodiversidade. Fruto disto, as
Nações Unidas declararam 2005-2014 a década para a sustentabilidade; 2010 foi o “Ano Internacional da Biodiversidade” e o ano Asparagaceae Asphodelaceae
Agavaceae Amaryllidaceae Arecaceae
seguinte (2011), o “Ano Internacional da Floresta” e estamos a viver a Década da biodiversidade (2011 a 2020) (Tavares, 2015). Agavaceae
Chlorophytum comosum
Agavaceae
Agave americana Durante repens Curculigo capitulata Dypsis lutescens Sansevieria trifasciata
Espada de São Jorge
Aloe maculate
Sisal Pindo-de-Ouro Capim Palmeira Areca-bambu Aloe vera
Gravatinha
Esperamos que este trabalho incentive o interesse pelos estudos das plantas das diferentes regiões do nosso pais, de forma a valori-
zamos cada vez mais a nossa flora e preservamos os poucos habitats naturais restantes.

Este catálogo está aberto a comentários e sugestões de seus usuários, na certeza de que os vossos contributos ajudará a todos.

Vamos conhecer a nossa flora


Conhecer as plantas não é só uma simples curiosidade, acima de tudo é uma oportunidade que nos leva Cannaceae
Asphodelaceae Asphodelaceae Pontederiaceae
a descobrir o mundo…e garantir a nossa sobrevivência... Aloe arborescens Aloe barbadensis
Canna indica
Cana Eichhornia crassipes
Aloe vera Aguapé
Como diz Jorge Paiva, “...dos três Patrimónios (Material, Cultural e Biológico) o único essencial para a
nossa sobrevivência é o Património Biológico (Biodiversidade), sendo, porém, aquele a que temos dado Angiospermas Dicotiledóneas (37)
menos atenção e o que mais tardiamente tem merecido cuidados de preservação. Enfim, sem o Patrimó-
nio Biológico (Biodiversidade) não comíamos, não nos vestíamos, não tínhamos medicamentos, luz eléc-
trica, energia, etc.

Só podemos conservar o que amamos... Só podemos amar o que conhecemos…


Couplan & Styner (2006)
A seguir vamos apresentar as espécies e respectivas famílias botânicas encontradas em cada grupo.
Entre parênteses aparecem o número total de espécies.
Amaranthaceae Amaranthaceae Apocynaceae Araceae Araceae Araceae
Beta vulgaris esculenta Iresine herbstii Catharantus roseus Caladium bicolor Syngonium angustatum Dieffenbachia amoena
Beterraba Coração de Maria Vinca

Briófitas (1) Pteridófitas (1)

Davalliaceae
Musgo Nephrolepis exaltada

Araceae Araceae Araceae Araliaceae Arecaceae


Araceae Dieffenbacchia seguine aglaonema commutatum
Dieffenbacchia seguine Caladium bicolor Monstera deliciosa Schefflera arboricola
mmmmm