Você está na página 1de 2

FERMATA

Considerações gerais

A escola antiga da teoria musical ensinava aos alunos que a técnica da fermata era a
suspensão do tempo com o acréscimo de mais 50% (cinqüenta por cento) do valor da figura. A
nova escola da música mantém parte dessa teoria - a suspensão do movimento - mas a
duração da fermata não pode ser mesurada. O valor da fermata está condicionado ao contexto
da obra musical. Para se definir devem ser levados em consideração alguns pontos, entre eles
o período histórico da partitura. No entanto há uma regra de duração da Fermata, que pode
ser levado em conta: o “bom senso”, critérios artísticos e a unidade da obra.

Tipos de Fermata

1. Fermata final
2. Fermata sem corte
3. Fermata com corte
4. Fermatas de transição e nas obras de BACH
5. Fermata seguida de pausa ou cesura
6. Fermatas sucessivas
7. Fermatas sucessivas em diversas vozes e em tempos diferentes
8. Fermatas de cadência

Etapas do estudo

Quero destacar que estes exercícios visam dar independência dos gestos entre os braços e
firmar a técnica do gestual. Como já informei na primeira parte deste livro, o fato de que as
mãos têm funções específicas e diferentes, isso não fecha em caráter definitivo, seria muito
simplório dizer que a mão direita tem a função obrigatória de marcar os compassos e a mão
esquerda faz o resto, na realidade as duas mãos podem se alternar nas duas funções, isso vai
depender da partitura, da formação profissional como regente e especialmente de como você
organizou o estudo da partitura.

Este estudo deve obrigatoriamente mudar a função das mãos a cada série de estudo. A minha
sugestão é começar o exercício com o lado que tem mais dificuldades. Vamos supor que você
seja canhoto, assim deve começar seus estudos para desenvolver o seu lado direito.

Configuração gestual da Fermata

O princípio da Fermata na teoria, é a suspensão do tempo da música, mas o movimento


ascendente do braço indica para os músicos o momento da finalização e da retomada. A
fermata não é a estagnação da música, ela continua viva, por isso, o gesto não fica estático, ele
acompanha a duração da fermata.
Quando a Fermata se encontra em várias vozes em tempos diferentes, as mãos precisam
indicar claramente essas Fermatas usando cada mão separadamente. O olhar é um grande
aliado, tanto para concretizar a fermata, quando para prosseguir após a Fermata.

As sugestões para o estudo são as seguintes:

Iniciar o exercício sempre devagar e na medida em que vai dominando os movimentos de


ambos os braços, vai-se aumentando a velocidade do gesto. Vale ressaltar aqui que quanto
mais rápido menor deverá ser o gesto.

1. Marque o compasso com mãos separadas, primeiro a mão direita e depois com a mão
esquerda, ou vice versa.
2. Marcar as dinâmicas com mãos separadas, primeiro com a mão direita e depois com a
mão esquerda, ou vice versa.
3. Marcar o compasso com a mão direita e as dinâmicas com a mão esquerda. Observe
que a mão que indica as dinâmicas deve indicar apenas as dinâmicas e não marcar
compasso e fazer dinâmica.
4. Marcar o compasso com a mão esquerda e as dinâmicas com a mão direita. Observe
que a mão que indica as dinâmicas deve indicar apenas as dinâmicas e não marcar
compasso e fazer dinâmica.

É bom observar que esta alternância poderá ocorrer durante a execução, assim este
exercício consolidará os movimentos em ambos os braços.