Você está na página 1de 31

[Digite texto]

QUESTÕES COMENTADAS
CÓDIGO DE ÉTICA
FARMACÊUTICO

Prof. Cá Cardoso
Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 01

(2015/COTEC – UNIMONTES- Pref. Fruta Leite/MG) - Assinale a alternativa


que identifica a resolução do Conselho Federal de Farmácia, a qual dispõe
sobre o Código de Ética Farmacêutica, o Código de Processo Ético e
estabelece as infrações e as regras de aplicação das sanções disciplinares.
A) 600, de 25 de julho de 2014.
B) 594, de 29 de novembro de 2013.
C) 599, de 24 de julho de 2014.
D) 596, de 21 de fevereiro de 2014.

COMENTÁRIOS: A resolução mais recente do Conselho Federal de Farmácia


acerca da regulamentação ética do profissional farmacêutico é a Resolução
596 de 2014, a qual revogou as Resoluções 417/04, nº 418/04 e nº 461/07.
Nesta resolução, em seus 3 anexos, são tratados os seguintes assuntos:
 Código de Ética Farmacêutico;
 Código de Processo Ético Farmacêutico;
 Infrações e regras de aplicações de sanções disciplinares.

Código de Ética
Resolução CFF 596/14
Farmacêutico

GABARITO: D

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 02

(2014 - Município de Feira Grande – Alagoa- COPEVE-UFAL) Segundo a


Resolução do CFF nº 596, de 21 de fevereiro de 2014, que Aprova o Código de
Ética Farmacêutico, o farmacêutico deve

A) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o


afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, quando não houver outro farmacêutico que,
legalmente, o substitua.
B) comunicar em até 48 horas após o afastamento ao Conselho Regional de
Farmácia, por escrito, o afastamento temporário das atividades profissionais
pelas quais detém responsabilidade técnica, independentemente da existência
de farmacêutico substituto. Quando afastamento for por motivo de férias,
congressos, cursos de aperfeiçoamento, atividades administrativas ou outras
previamente agendadas.
C) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o
afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, quando não houver outro farmacêutico que,
legalmente, o substitua, apenas no setor privado.
D) comunicar ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, em um prazo de
até 15 dias, o afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais
detém responsabilidade técnica, independentemente da existência de
farmacêutico substituto, caso esse afastamento se dê por motivo de doença,
acidente pessoal, óbito familiar ou por outro imprevisível.
E) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o
afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, independentemente da existência de farmacêutico
substituto.

COMENTÁRIOS: Temos aqui uma das principais modificações da Resolução


596/14, em relação à legislação anterior (RDC 417/04):

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

O prazo para comunicação ao CRF, quando o farmacêutico for se ausentar


temporariamente e não houver outro que o substitua:
 Para situações que podem ser agendadas (cursos, congressos,
atividades administrativas) passou de 1 dia antes (RDC 417/04) para 48
horas antes;
 Quanto à comunicação relativa a afastamento por situações
imprevistas (doença, acidente pessoal, etc), o prazo é de 5 dias após
o fato;

Vejamos a letra da lei:

Artigo 13:
 O farmacêutico deve comunicar PREVIAMENTE ao CRF, por escrito, o
afastamento temporário de suas atividades profissionais das quais
detém responsabilidade técnica,

quando NÃO houver outro farmacêutico que, legalmente, o substitua

§ 1º
 Na hipótese de afastamento por motivo de::

doença acidente pessoal

ou outro
óbito familiar imprevisível, a ser
avaliado pelo CRF

A comunicação formal e documentada deverá ocorrer em 5 (CINCO)


DIAS ÚTEIS após o fato

§ 2º

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

 Quando o afastamento ocorrer por motivo de:

férias congressos cursos de


aperfeiçoamento

atividades Outras atividades


administrativas previamente agendada

A comunicação ao Conselho Regional de Farmácia deverá


ocorrer com ANTECEDÊNCIA MÍNIMA de 48 HORAS

Situações que podem ser


Situações IMPREVISTAS
AGENDADAS
(doença, acidente, morte
(férias, congressos, cursos,
familiar)
atividades administrativas)

5 dias depois 48 horas antes

Vamos analisar cada uma das alternativas separadamente:

A) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o


afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, quando não houver outro farmacêutico que,
legalmente, o substitua.
CORRETA

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

B) comunicar em até 48 horas após o afastamento ao Conselho Regional de


Farmácia, por escrito, o afastamento temporário das atividades profissionais
pelas quais detém responsabilidade técnica, independentemente da
existência de farmacêutico substituto. Quando afastamento for por motivo
de férias, congressos, cursos de aperfeiçoamento, atividades administrativas
ou outras previamente agendadas.
ERRADA – A comunicação deve ser apenas na hipótese de inexistência de
farmacêutico técnico substituto. Os prazos são de 48 horas antes para
situações previstas (cursos, congressos, etc) e 5 dias após para imprevistas.

C) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o


afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, quando não houver outro farmacêutico que,
legalmente, o substitua, apenas no setor privado.
ERRADO – Não há delimitação para o setor privado. A comunicação deve
ocorrer tanto no setor privado quanto público.

D) comunicar ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, em um prazo de


até 15 dias, o afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais
detém responsabilidade técnica, independentemente da existência de
farmacêutico substituto, caso esse afastamento se dê por motivo de doença,
acidente pessoal, óbito familiar ou por outro imprevisível.
ERRADO – Prazo é de 5 dias para casos imprevistos (doença, acidente, óbito
familiar) e apenas nos casos de inexistência de farmacêutico substituto.

E) comunicar previamente ao Conselho Regional de Farmácia, por escrito, o


afastamento temporário das atividades profissionais pelas quais detém
responsabilidade técnica, independentemente da existência de farmacêutico
substituto.
ERRADO – Comunicado deve ser realizado apenas nos casos de inexistência
de farmacêutico substituto.

GABARITO: A

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 03

(2017- Policlínica Região de Guanambi – CEFET/BA) Sobre os direitos dos


farmacêuticos, de acordo com o art. 11 do Código de Ética Farmacêutica,
resolução nº 596, de 21 de fevereiro de 2014, analise as assertivas e
identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.
( ) O farmacêutico tem direito de selecionar os colaboradores para atuarem no
auxílio ao exercício das suas atividades.
( ) O farmacêutico tem direito de exigir dos profissionais da saúde o
cumprimento da legislação sanitária vigente, em especial quanto à legibilidade
da prescrição.
( ) O farmacêutico tem direito de recusar o recebimento de mercadorias ou
produtos sem rastreabilidade de sua origem, sem nota fiscal ou em desacordo
com a legislação vigente.
( ) O farmacêutico tem direito de interagir com o profissional prescritor, quando
necessário, para garantir a segurança e a eficácia da terapêutica, observado o
uso racional de medicamentos.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima de cima para baixo, é
A) F V F V
B) F F V V
C) V F V F
D) V F F V
E) V V F F

COMENTÁRIOS: O código de ética explicita os DIREITOS, DEVERES e


PROIBIÇÕES do farmacêutico. Vejamos quais são os direitos:

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

Direitos do Farmacêutico
- Exercer a sua profissão sem qualquer discriminação, seja por motivo de
religião, etnia, orientação sexual, raça, nacionalidade, idade, condição social,
opinião política, deficiência ou de qualquer outra natureza vedada por lei;
- Interagir com o profissional prescritor, quando necessário, para garantir a
segurança e a eficácia da terapêutica, observado o uso racional de
medicamentos;
- Exigir dos profissionais da saúde o cumprimento da legislação sanitária
vigente, em especial quanto à legibilidade da prescrição;
- Recusar-se a exercer a profissão em instituição pública ou privada sem
condições dignas de trabalho ou que possam prejudicar o usuário, com
direito a representação às autoridades sanitárias e profissionais;
- Opor-se a exercer a profissão ou suspender a sua atividade em instituição
pública ou privada sem remuneração ou condições dignas de trabalho,
ressalvadas as situações de urgência ou emergência, devendo comunicá-las
imediatamente às autoridades sanitárias e profissionais;
Negar-se a realizar atos farmacêuticos que sejam contrários aos ditames da
ciência, da ética e da técnica, comunicando o fato, quando for o caso, ao
usuário, a outros profissionais envolvidos e ao respectivo Conselho Regional
de Farmácia;
- Ser fiscalizado no âmbito profissional e sanitário, obrigatoriamente por
farmacêutico;
- Exercer sua profissão com autonomia, não sendo obrigado a prestar
serviços que contrariem os ditames da legislação vigente;
-Ser valorizado e respeitado no exercício da profissão, independentemente
da função que exerce ou cargo que ocupe;
- Ter acesso a todas as informações técnicas relacionadas ao seu local de
trabalho e ao pleno exercício da profissão;
- Decidir, justificadamente, sobre o aviamento ou não de qualquer prescrição,
bem como fornecer as informações solicitadas pelo usuário;
-Não ser limitado, por disposição estatutária ou regimental de
estabelecimento farmacêutico, tampouco de instituição pública ou privada, na
escolha dos meios cientificamente reconhecidos a serem utilizados no

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

exercício da sua profissão;

Perceba que, diante do exposto, são verdadeiras apenas as assertivas II e IV.


Você verá, mais à frente, que as assertivas I e III tratam-se de deveres.
Perceba que é extremamente importante lembrar o que é direito, o que é dever
e o que é proibição!

GABARITO: A

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 04

(2017- Policlínica Região de Guanambi – CEFET/BA)- Sobre os deveres dos


farmacêuticos, de acordo com o art. 12 do Código de Ética Farmacêutica,
resolução nº 596, de 21 de fevereiro de 2014, analise as assertivas e
identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.
( ) O farmacêutico tem o dever de decidir sobre o aviamento ou não de
qualquer prescrição, bem como fornecer as informações solicitadas pelo
usuário.
( ) O farmacêutico deve respeitar a autonomia dos demais profissionais da
equipe de saúde, portanto deve fornecer, dispensar e permitir que sejam
dispensados medicamento ou fármaco para uso diverso da indicação para a
qual foi licenciado, mediante apresentação de prescrição sem questionar.
( ) O farmacêutico deve respeitar o direito de decisão do usuário sobre seu
tratamento, sua própria saúde e bem-estar, excetuando-se aquele que,
mediante laudo médico ou determinação judicial, for considerado incapaz de
discernir sobre opções de tratamento ou decidir sobre sua própria saúde e
bem-estar.
( ) O farmacêutico, durante o tempo em que permanecer inscrito em um
Conselho Regional de Farmácia, independentemente de estar ou não no
exercício efetivo da profissão, deve dispor seus serviços profissionais às
autoridades constituídas, ainda que sem remuneração ou qualquer outra
vantagem pessoal, em caso de conflito social interno, catástrofe ou epidemia. A
alternativa que contém a sequência correta, de cima de cima para baixo, é
A) F V F V
B) F F V V
C) V F V F
D) V F F V
E) V V F F
COMENTÁRIOS: Vejamos agora os deveres explicitados no código de ética:

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

DEVERES DO FARMACÊUTICO
- Comunicar ao Conselho Regional de Farmácia e às demais autoridades
competentes os fatos que caracterizem infringência a este Código e às
normas que regulam o exercício das atividades farmacêuticas;
Dispor seus serviços profissionais às autoridades constituídas, ainda que sem
remuneração ou qualquer outra vantagem pessoal, em caso de:
 conflito social interno;
 catástrofe ou;
 epidemia.
Exercer a profissão farmacêutica respeitando os atos, as diretrizes, as
normas técnicas e a legislação vigentes;
Respeitar o direito de decisão do usuário sobre seu tratamento, sua
própria saúde e bem-estar, excetuando-se aquele que, mediante laudo médico
ou determinação judicial, for considerado incapaz de discernir sobre opções de
tratamento ou decidir sobre sua própria saúde e bem-estar;
Comunicar ao Conselho Regional de Farmácia e às demais autoridades
competentes a recusa em se submeter à prática de atividade contrária à
lei ou regulamento, bem como a desvinculação do cargo, função ou
emprego, motivadas pela necessidade de preservar os legítimos interesses
da profissão e da saúde;
Guardar sigilo de fatos e informações de que tenha conhecimento no
exercício da profissão, excetuando-se os casos amparados pela legislação
vigente, cujo dever legal exija comunicação, denúncia ou relato a quem de
direito;
Respeitar a vida, jamais cooperando com atos que intencionalmente atentem
contra ela ou que coloquem em risco a integridade do ser humano ou da
coletividade
Assumir, com responsabilidade social, ética, sanitária, ambiental e educativa,
sua função na determinação de padrões desejáveis em todo o âmbito
profissional;
Contribuir para a promoção, proteção e recuperação da saúde individual e
coletiva, sobretudo quando, nessa área, ocupar cargo ou desempenhar função

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

pública;
Garantir ao usuário o acesso à informação independente sobre as práticas
terapêuticas oficialmente reconhecidas no país, de modo a possibilitar a sua
livre escolha;
Selecionar e supervisionar, nos limites da lei, os colaboradores para atuarem
no auxílio ao exercício das suas atividades
Denunciar às autoridades competentes quaisquer formas de agressão ao
meio ambiente e riscos inerentes ao trabalho, que sejam prejudiciais à
saúde e à vida;
Comunicar ao Conselho Regional de Farmácia, em 5 (cinco) dias, o
encerramento de seu vínculo profissional de qualquer natureza,
independentemente de retenção de documentos pelo empregador
Recusar o recebimento de mercadorias ou produtos:
 sem rastreabilidade de sua origem;
 sem nota fiscal; ou
 em desacordo com a legislação vigente.
- Basear suas relações com os demais profissionais, farmacêuticos ou não, na
urbanidade, no respeito mútuo, na liberdade e na independência de cada
um
Respeitar as normas éticas nacionais vigentes, bem como proteger a
vulnerabilidade dos envolvidos, ao participar de pesquisas envolvendo seres
humanos ou animais

Diante do exposto, perceba que apenas as assertivas III e IV são verdadeiras.


A decisão sobre o aviamento ou não (Item I) trata-se de um direito e o
fornecimento ou dispensação de medicamento uso diverso da indicação para a
qual foi licenciado (Item II) trata-se de uma proibição.

GABARITO: B

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 05

(2017 – FUNRIO – SESAU/RO) Segundo o Capítulo III (Dos deveres) do


Código de Ética da Profissão Farmacêutica, são deveres do farmacêutico,
EXCETO:

a) dispor seus serviços profissionais às autoridades constituídas, ainda que


sem remuneração ou qualquer outra vantagem pessoal, em caso de conflito
social interno, catástrofe ou epidemia.
b) exercer a profissão farmacêutica respeitando os atos, as diretrizes, as
normas técnicas e a legislação vigentes.
c) respeitar o direito de decisão do usuário sobre seu tratamento, sua própria
saúde e bem-estar, excetuando-se aquele que, mediante laudo médico ou
determinação judicial, for considerado incapaz de discernir sobre opções de
tratamento ou decidir sobre sua própria saúde e bem-estar.
d) exercer a profissão em instituição pública ou privada sem condições dignas
de trabalho ou que possam prejudicar o usuário, com direito a representação
às autoridades sanitárias e profissionais.
e) comunicar ao Conselho Regional de Farmácia e às demais autoridades
competentes os fatos que caracterizem infringência a este Código e às normas
que regulam o exercício das atividades farmacêuticas.

COMENTÁRIOS: Perceba que a questão pede a alternativa errada (solicita a


exceção) quanto aos deveres do farmacêutico.
Observando a tabela da questão anterior, é possível evidenciar que as
alternativas A, B, C e E tratam-se de deveres.
Já a alternativa D trata-se de uma infração ética, passível de punição. É direito
do farmacêutico recusar-se a exercer a profissão sem condições dignas.

GABARITO: D

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 06

(2015 - CRF-TO –Imagem) Segundo o código de ética farmacêutica, é proibido


ao farmacêutico:
I -fornecer, dispensar ou permitir que sejam dispensados, sob qualquer forma,
substância, medicamento ou fármaco para uso diverso da indicação para a
qual foi licenciado, salvo quando baseado em evidência ou mediante
entendimento formal com o prescritor.
II -omitir-se ou acumpliciar-se com os que exercem ilegalmente a Farmácia ou
com profissionais ou instituições que pratiquem atos ilícitos relacionados à
atividade farmacêutica, em qualquer das suas áreas de abrangência.
III - deixar de obter de participante de pesquisa ou de seu representante legal
o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) para sua realização
envolvendo seres humanos, após as devidas explicações sobre a sua natureza
e as suas consequências. Podemos afirmar que:
a ( )Apenas as afirmativas I e III são corretas.
b ( )Apenas as afirmativas I e II são corretas.
c ( )As afirmativas I, II e III são corretas.
d ( )Apenas a afirmativa III é correta.

COMENTÁRIOS: Vejamos agora as proibições explicitadas no código de ética

PROIBIÇÕES DO FARMACÊUTICO
Participar de qualquer tipo de experiência com fins bélicos, raciais ou
eugênicos, bem como de pesquisa não aprovada por Comitê de Ética em
Pesquisa/Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CEP/CONEP) ou
Comissão de Ética no Uso de Animais;
Exercer simultaneamente a Medicina;
Exercer atividade farmacêutica com fundamento em procedimento não
reconhecido pelo CFF;
Praticar ato profissional que cause dano material, físico, moral ou
psicológico, que possa ser caracterizado como imperícia, negligência ou

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

imprudência;
Deixar de prestar assistência técnica efetiva ao estabelecimento com o qual
mantém vínculo profissional, ou permitir a utilização do seu nome por
qualquer estabelecimento ou instituição onde não exerça pessoal e
efetivamente sua função;
Realizar ou participar de atos fraudulentos em qualquer área da profissão
farmacêutica;
Fornecer meio, instrumento, substância ou conhecimento para induzir à
prática, ou dela participar, de tortura, eutanásia, aborto ilegal, toxicomania
ou de quaisquer outras formas de procedimento degradante ou cruel em
relação ao ser humano e aos animais
Produzir, fornecer, dispensar ou permitir que sejam dispensados meio,
instrumento, substância, conhecimento, medicamento, fórmula magistral ou
especialidade farmacêutica, fracionada ou não, que não inclua a identificação
clara e precisa sobre a(s) substância(s) ativa(s) nela contida(s), bem como
suas respectivas quantidades, contrariando as normas legais e técnicas,
excetuando-se a dispensação hospitalar interna, em que poderá haver a
codificação do medicamento que for fracionado sem, contudo, omitir o seu
nome ou fórmula.
Obstar ou dificultar a ação fiscalizadora ou desacatar as autoridades
sanitárias ou profissionais, quando no exercício das suas funções;
Aceitar remuneração abaixo do estabelecido como o piso salarial oriundo
de acordo, convenção coletiva ou dissídio da categoria;
Declarar possuir títulos científicos ou especialização que não possa
comprovar, nos termos da lei;
Aceitar ser perito, auditor ou relator de qualquer processo ou procedimento,
quando houver interesse, envolvimento pessoal ou institucional;
Permitir interferência nos resultados apresentados como perito ou auditor
Exercer a profissão farmacêutica quando estiver sob a sanção disciplinar de
suspensão
Extrair, produzir, fabricar, transformar, beneficiar, preparar, distribuir,
transportar, manipular, purificar, fracionar, importar, exportar, embalar,
reembalar, manter em depósito, expor, comercializar, dispensar ou entregar ao

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

consumo medicamento, produto sujeito ao controle sanitário, ou


substância, em contrariedade à legislação vigente, ou permitir que tais
práticas sejam realizadas;
Exercer a profissão em estabelecimento não registrado, cadastrado e
licenciado nos órgãos de fiscalização sanitária, do exercício profissional, na
Junta Comercial e na Secretaria de Fazenda da localidade de seu
funcionamento;
Aceitar a interferência de leigos em seus trabalhos e em suas decisões de
natureza profissional
Delegar a outros profissionais atos ou atribuições exclusivos da profissão
farmacêutica;
Omitir-se ou acumpliciar-se com os que exercem ilegalmente a Farmácia
ou com profissionais ou instituições que pratiquem atos ilícitos relacionados à
atividade farmacêutica, em qualquer das suas áreas de abrangência;
Assinar trabalho realizado por outrem, alheio à sua execução, orientação,
supervisão ou fiscalização ou, ainda, assumir responsabilidade por ato
farmacêutico que não praticou ou do qual não participou;
Prevalecer-se de cargo de chefia ou empregador para desrespeitar a
dignidade de subordinados;
Pleitear, de forma desleal, para si ou para outrem, emprego, cargo ou função
exercidos por outro farmacêutico, bem como praticar atos de concorrência
desleal;
Fornecer, dispensar ou permitir que sejam dispensados, sob qualquer forma,
substância, medicamento ou fármaco para uso diverso da indicação para
a qual foi licenciado, salvo:
 quando baseado em evidência ou;
 mediante entendimento formal com o prescritor;
Exercer atividade no âmbito da profissão farmacêutica em interação com
outras profissões, concedendo vantagem ou não aos demais profissionais
habilitados para direcionamento de usuário, visando ao interesse econômico
e ferindo o direito deste de escolher livremente o serviço e o
profissional;
Receber remuneração por serviços que não tenha efetivamente prestado;

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

Coordenar, supervisionar, assessorar ou exercer a fiscalização sanitária ou


profissional quando for sócio ou acionista de qualquer categoria, ou
interessado por qualquer forma, bem como prestar serviços a empresa ou
estabelecimento que forneça drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e
correlatos, laboratórios, distribuidoras ou indústrias, com ou sem vínculo
empregatício;
Submeter-se a fins meramente mercantilistas que venham a comprometer o
seu desempenho técnico, em prejuízo da sua atividade profissional;
Deixar de obter de participante de pesquisa ou de seu representante
legal o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) para sua
realização envolvendo seres humanos, após as devidas explicações sobre a
sua natureza e as suas consequências;
Utilizar-se de conhecimentos da profissão com a finalidade de cometer ou
favorecer atos ilícitos de qualquer espécie;
Fazer uso de documento, atestado, certidão ou declaração falsos ou
alterados;
Permitir que terceiros tenham acesso a senhas pessoais, sigilosas e
intransferíveis, utilizadas em sistemas informatizados e inerentes à sua
atividade profissional;
Exercer interação com outros estabelecimentos, farmacêuticos ou não, de
forma a viabilizar a realização de prática vedada em lei ou regulamento;
Assinar laudo ou qualquer outro documento farmacêutico em branco, de
forma a possibilitar, ainda que por negligência, o uso indevido do seu nome
ou atividade profissional;
Intitular-se responsável técnico por qualquer estabelecimento sem a
autorização prévia do Conselho Regional de Farmácia, comprovada mediante
a Certidão de Regularidade correspondente;
Divulgar informação sobre temas farmacêuticos de conteúdo inverídico,
sensacionalista, promocional ou que contrarie a legislação vigente;
Promover a utilização de substâncias ou a comercialização de produtos que
não tenham a indicação terapêutica analisada e aprovada, bem como que não
estejam descritos em literatura ou compêndio nacionais ou internacionais
reconhecidos pelo órgão sanitário federal;

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

Utilizar-se de qualquer meio ou forma para difamar, caluniar, injuriar ou


divulgar preconceitos e apologia a atos ilícitos ou vedados por lei
específica;
Exercer sem a qualificação necessária o magistério, bem como utilizar esta
prática para aproveitar-se de terceiros em benefício próprio ou para obter
quaisquer vantagens pessoais
Exercer a profissão e funções relacionadas à Farmácia, exclusivas ou não,
sem a necessária habilitação legal;
Aviar receitas com prescrições médicas ou de outras profissões, em
desacordo com a técnica farmacêutica e a legislação vigente;
Produzir, fabricar, fornecer, em desacordo com a legislação vigente,
radiofármacos e conjuntos de reativos ou reagentes, destinados às diferentes
análises complementares do diagnóstico clínico;
Alterar o processo de fabricação de produtos sujeitos a controle sanitário,
modificar os seus componentes básicos, nomes e demais elementos objeto do
registro, contrariando as disposições legais e regulamentares;
Fazer declarações injuriosas, caluniosas, difamatórias ou que depreciem o
farmacêutico, a profissão ou instituições e entidades farmacêuticas, sob
qualquer forma.

Perceba que todas as assertivas estão corretas.

GABARITO: C

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 07
(2014- Pref. Martinópole/CE- CONSULPLAM) - De acordo com a Resolução
596 de 21 de fevereiro de 2014, quando atuando no serviço público, é vedado
ao farmacêutico:
a) Utilizar-se do serviço, emprego ou cargo para executar trabalhos de
empresa pública de sua propriedade, como forma de obter vantagens pessoais.
b) Aumentar, irregularmente, quando em função de chefia ou coordenação, a
remuneração devida a outro profissional da saúde.
c) Ter acesso a todas as informações técnicas relacionadas ao seu local de
trabalho e ao pleno exercício da profissão.
d) Cobrar ou receber remuneração do usuário do serviço.

COMENTÁRIOS: Vejamos agora as proibições específicas do farmacêutico


que atua no serviço público, explicitadas no código de ética:

PROIBIÇÕES DO FARMACÊUTICO ATUANTE NO SERVIÇO PÚBLICO


Utilizar-se do serviço, emprego ou cargo para executar trabalhos de
empresa privada de sua propriedade ou de outrem, como forma de obter
vantagens pessoais;
Cobrar ou receber remuneração do usuário do serviço;
Reduzir, irregularmente, quando em função de chefia ou coordenação, a
remuneração devida a outro farmacêutico;

Vejamos os erros (em vermelho) e as correções (azul) de cada alternativa:


a) Utilizar-se do serviço, emprego ou cargo para executar trabalhos de
empresa pública (privada) de sua propriedade, como forma de obter
vantagens pessoais.
b) Aumentar (reduzir), irregularmente, quando em função de chefia ou
coordenação, a remuneração devida a outro profissional da saúde (reduzir);
c) O acesso a informação trata-se de um direito e não de uma proibição do
farmacêutico;
d) Alternativa CORRETA.
GABARITO: D

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 08

(2015 - CRF-TO –Imagem) O Código de Ética Farmacêutica contém as normas


que devem ser observadas pelos farmacêuticos e os demais inscritos nos
Conselhos Regionais de Farmácia no exercício do âmbito profissional
respectivo, inclusive nas atividades relativas ao ensino, à pesquisa e à
administração de serviços de saúde, bem como quaisquer outras atividades em
que se utilize o conhecimento advindo do estudo da Farmácia, em prol do zelo
pela saúde. Segundo o código de Ética Farmacêutica:
A) É permitido ao farmacêutico exercer a profissão em estabelecimento não
registrado, desde que a promoção, prevenção e recuperação da saúde sejam
seus objetivos.
B) É dever do farmacêutico comunicar ao CRF a recusa em se submeter à
prática de atividade contrária à lei ou regulamento, bem como a desvinculação
do cargo motivada pela necessidade de preservar os interesses da profissão.
C) Prescreve em 12 meses a constatação fiscal de ausência do farmacêutico
no estabelecimento para efeito de instauração de processo ético
D) O profissional condenado por sentença criminal transitada em julgado
poderá exercer as atividades da profissão provisoriamente na prisão.

COMENTÁRIOS: Vamos analisar cada uma das alternativas:


A) ERRADA- Exercer a profissão em estabelecimento não registrado é
proibido ao farmacêutico, não existindo nenhuma condição que torne o ato
permitido.
B) CORRETA
C) ERRADA- A constatação fiscal de ausência do farmacêutico prescreve em
24 meses, para efeito de instauração de processo ético.

Lembre-se que para abertura de processo por ausência devem existir no


mínimo 3 comprovações fiscais no prazo de 24 meses. O prazo de 24 meses
começa a contar a partir da 3 comprovação.

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

3 comprovações
AUSÊNCIA fiscais
em 24 meses

D) ERRADA- O profissional condenado por sentença criminal ficará suspenso


da atividade, enquanto durar a execução da pena.

GABARITO: B

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 09

(2015- FUNCAB – CRF-RO) - De acordo com o Código de Processo Ético,


constante da Resolução nº 596/2014 do CFF, é correto afirmar:

A) O processo ético poderá ser suspenso ou encerrado sempre que houver


pedido de desligamento ou cancelamento de inscrição profissional por parte do
faltoso.
B) Cada Comissão de Ética, instituída pelos Conselhos Regionais de Farmácia,
serão compostas por, no mínimo, cinco farmacêuticos nomeados pelo
presidente do CRF.
C) No decurso da apuração ética, poderá o profissional solicitar transferência
para outro CRF, sem interrupção do processo ético no CRF em que se apura a
falta cometida.
D) Poderão integrar as Comissões de Ética, membros da diretoria, conselheiros
e empregados dos CRF's
E) Os integrantes das Comissões de Ética serão remunerados de forma justa
pelo seu trabalho, sendo os custos dessa remuneração arcados pelos CRF's.

COMENTÁRIOS: Antes de comentarmos as alternativas, lembre-se que


competência disciplinar é do conselho regional em que o farmacêutico estiver
inscrito e o processo é sigiloso.
Vejamos cada uma das alternativas:

A) ERRADA- O processo não é encerrado, mesmo com pedido de


desligamento ou cancelamento da inscrição. Ou seja, ainda que o farmacêutico
solicite desligamento ou cancele sua inscrição profissional, o processo
prosseguirá.

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

 Por se tratar de direito intertemporal, o processo ético NÃO será suspenso


nem encerrado na hipótese de:

pedido de cancelamento de
desligamento inscrição profissional

E deverá seguir seu regular procedimento.

B) ERRADA- Os membros da comissão de ética de fato são nomeados pelo


presidente do CRF, entretanto cada Comissão de Ética será composta por
apenas 3 farmacêuticos.

Composição da Comissão
3 Farmacêuticos
de Ética

o nomeados pelo Presidente do CRF

 homologados pelo Plenário

 Com mandato igual ao da Diretoria.

C) CORRETA- Temos aqui o gabarito da questão. O farmacêutico, no decorrer


de uma apuração ética pode solicitar transferência para outro CRF. Porém, o
processo continuará tramitando no CRF de origem.

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

D) ERRADA- Temos aqui as categorias proibidas (vedadas) de participação


nas comissões de ética:

Diretoria Conselheiros Empregados

Vejamos a letra da lei (§ 3º do Artigo 3º da Resolução CFF 596/14):


É VEDADA :

à Diretoria

Aos conselheiros Do CRF a participação na Comissão de Ética.

Aos empregados

E) ERRADA- É proibido o pagamento de qualquer tipo de gratificação aos


membros das Comissões de Ética. Os CRF’s são responsáveis unicamente
por arcar com os custos para realização do trabalho da comissão.

GABARITO: C

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

QUESTÃO 10

(2017 – UFCG/EBSERH – AOCP ) Conforme o Código de Ética Farmacêutica,


o profissional, ao exercer a profissão farmacêutica sem condições dignas de
trabalho e justa remuneração por seu desempenho, estará sujeito a uma
infração ética e disciplinar
(A) leve.
(B) grave.
(C) moderada.
(D) gravíssima.
(E) mediana.

COMENTÁRIOS: Antes de responder à questão, faremos um pequeno resumo


acerca das infrações éticas.
O código de ética classifica as infrações em leves, medianas e graves. Para
cada tipo de infração, há uma pena determinada. Vejamos quais são:

Median
Leves Graves
1ª vez:
as multa no valor de 1ª vez:
advertência sem 1 (um) a 3 (três) suspensão por 3
publicidade salários mínimos meses
regionais, que
serão elevados ao
2ª vez: dobro, ou
advertência por aplicada a pena 2ª vez:
inscrito, sem de suspensão, no suspensão de 6
publicidade, com caso de meses
o emprego da reincidência
palavra “censura”
3ª vez e demais: 3º vez:
multa no valor de suspensão de 12
1 (um) salário meses
mínimo a 3 (três)
salários mínimos
regionais, que
serão elevados ao
dobro no caso de
reincidência

Vejamos agora quais infrações compõem cada classe.

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

Infrações Leves Infrações Medianas Infrações Graves


deixar de comunicar ao Conselho
violar o sigilo de fatos e informações de
Regional de Farmácia e às demais
que tenha tomado conhecimento no
autoridades competentes os fatos
exercício da profissão, excetuando-se os
que caracterizem infringência a exercer simultaneamente a Medicina
amparados pela legislação vigente, cujo
este Código e às normas que
dever legal exija comunicação, denúncia
regulam o exercício das atividades
ou relato a quem de direito;
farmacêuticas;
produzir, fornecer, dispensar ou permitir
que sejam dispensados meio, instrumento,
desrespeitar o direito de decisão substância, conhecimento, medicamento,
do usuário sobre seu tratamento, fórmula magistral ou especialidade participar de qualquer tipo de experiência
sua própria saúde e bem-estar, farmacêutica, fracionada ou não, que não com fins bélicos, raciais ou eugênicos,
excetuando-se aquele que, mediante inclua a identificação clara e precisa sobre bem como de pesquisa não aprovada
laudo médico ou determinação a(s) substância(s) ativa(s) nela contida(s), por Comitê de Ética em Pesquisa/
judicial, for considerado incapaz de bem como suas respectivas quantidades, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa
discernir sobre opções de tratamento contrariando as normas legais e técnicas, (CEP/CONEP) ou Comissão de Ética no
ou decidir sobre sua própria saúde e excetuando-se a dispensação hospitalar Uso de Animais;
bem-estar; interna, em que poderá haver a codificação
do medicamento que for fracionado sem,
contudo, omitir o seu nome ou fórmula;
extrair, produzir, fabricar, transformar,
beneficiar, preparar, distribuir, transportar,
manipular, purificar, fracionar, importar,
exercer a profissão farmacêutica
exportar, embalar, reembalar, manter em
sem condições dignas de trabalho exercer atividade farmacêutica com
depósito, expor, comercializar, dispensar
e justa remuneração por seu fundamento em procedimento não
ou entregar ao consumo medicamento,
desempenho; reconhecido pelo CFF;
produto sujeito ao controle sanitário, ou
substância, em contrariedade à
legislação vigente, ou permitir que tais
práticas sejam realizadas;
afastar-se temporariamente das fornecer meio, instrumento, substância ou
atividades profissionais por motivo realizar exames e perícias técnico-legais, e conhecimento para induzir à prática, ou
de doença, férias, congressos, emitir laudos técnicos em relação às dela participar, de tortura, eutanásia,
cursos de aperfeiçoamento ou outras atividades profissionais, em desacordo à aborto ilegal, toxicomania ou de
atividades inerentes ao exercício legislação vigente; quaisquer outras formas de procedimento
profissional, quando não houver degradante ou cruel em relação ao ser

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

outro farmacêutico que legalmente o humano e aos animais;


substitua, sem comunicar ao
Conselho Regional de Farmácia;
desrespeitar a vida, jamais cooperando
obstar ou dificultar a ação fiscalizadora
aceitar a interferência de leigos em com atos que intencionalmente atentem
ou desacatar as autoridades sanitárias ou
seus trabalhos e em suas decisões contra ela ou que coloquem em risco a
profissionais, quando no exercício das suas
de natureza profissional; integridade do ser humano ou da
funções;
coletividade;
deixar de informar, por escrito, ao
Conselho Regional de Farmácia
sobre todos os seus vínculos, com
dados completos da empresa (razão
social, nome(s) do(s) sócio(s), CNPJ,
produzir, fabricar, fornecer, em
endereço, horários de
omitir das autoridades competentes desacordo com a legislação vigente,
funcionamento, de responsabilidade
quaisquer formas de agressão ao meio radiofármacos e conjuntos de reativos
técnica - RT), bem como deixar de
ambiente e riscos inerentes ao trabalho, ou reagentes, destinados às diferentes
manter atualizados os seus
que sejam prejudiciais à saúde e à vida; análises complementares do diagnóstico
endereços residencial e eletrônico,
clínico;
os horários de responsabilidade
técnica ou de substituição, bem
como qualquer outra atividade
profissional que exerça, com seus
respectivos horários e atribuições;
omitir-se ou acumpliciar-se com os
aceitar remuneração abaixo do que exercem ilegalmente a Farmácia
prevalecer-se de cargo de chefia
estabelecido como o piso salarial ou com os profissionais ou instituições
ou empregador para desrespeitar a
oriundo de acordo, convenção coletiva ou que pratiquem atos ilícitos relacionados à
dignidade de subordinados;
dissídio da categoria; atividade farmacêutica, em qualquer das
suas áreas de abrangência;
fornecer, dispensar ou permitir que sejam
submeter-se a fins meramente dispensados, sob qualquer forma,
mercantilistas que venham a delegar a outros profissionais atos ou substância, medicamento ou fármaco
comprometer o seu desempenho atribuições exclusivos da profissão para uso diverso da indicação para a
técnico, em prejuízo da sua atividade farmacêutica; qual foi licenciado, salvo quando
profissional; baseado em evidência ou mediante
entendimento formal com o prescritor;
deixar de obter de participante de alterar o processo de fabricação de
pesquisa ou de seu representante produtos sujeitos a controle sanitário,
exercer a profissão e funções relacionadas
legal o Termo de Consentimento modificar os seus componentes básicos,
à Farmácia, exclusivas ou não, sem a
nomes e demais elementos objeto do
Livre e Esclarecido (TCLE) para sua necessária habilitação legal;
registro, contrariando as disposições
realização envolvendo seres legais e regulamentares;

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

humanos, após as devidas


explicações sobre a sua natureza e
as suas consequências;

deixar de prestar assistência técnica


permitir que terceiros tenham efetiva ao estabelecimento com o qual
praticar ato profissional que cause dano
acesso a senhas pessoais, sigilosas mantém vínculo profissional, ou permitir a
material, físico, moral ou psicológico, que
e intransferíveis, utilizadas em utilização do seu nome por qualquer
possa ser caracterizado como imperícia,
sistemas informatizados e inerentes estabelecimento ou instituição onde não
negligência ou imprudência;
à sua atividade profissional; exerça pessoal e efetivamente sua
função;
exercer sem a qualificação não comunicar em 5 (cinco) dias ao
necessária o magistério, bem como Conselho Regional de Farmácia o utilizar-se de conhecimentos da profissão
utilizar esta prática para aproveitar- encerramento de seu vínculo profissional com a finalidade de cometer ou
se de terceiros em benefício próprio de qualquer natureza, independentemente favorecer atos ilícitos de qualquer
ou para obter quaisquer vantagens de retenção de documentos pelo espécie;
pessoais; empregador;
utilizar-se, sem referência ao autor
declarar possuir títulos científicos ou fazer uso de documento, atestado,
ou sem a sua autorização
especialização que não possa comprovar, certidão ou declaração falsos ou
expressa, de dados ou
nos termos da lei; alterados;
informações, publicados ou não.
assinar laudo ou qualquer outro
documento farmacêutico em branco, de
deixar-se explorar por terceiros, com
forma a possibilitar, ainda que por
finalidade política ou religiosa;
negligência, o uso indevido do seu nome
ou atividade profissional;
exercer a profissão em estabelecimento
não registrado, cadastrado e licenciado
realizar ou participar de atos
nos órgãos de fiscalização sanitária, do
fraudulentos em qualquer área da
exercício profissional, na Junta Comercial e
profissão farmacêutica;
na Secretaria de Fazenda da localidade de
seu funcionamento;
assinar trabalho realizado por outrem,
utilizar-se de qualquer meio ou forma
alheio à sua execução, orientação,
para difamar, caluniar, injuriar ou
supervisão ou fiscalização ou, ainda,
divulgar preconceitos e apologia a
assumir a responsabilidade por ato
atos ilícitos ou vedados por lei
farmacêutico que não praticou ou do qual
específica;
não participou;
publicar, em seu nome, trabalho científico receber ou receptar mercadorias ou
do qual não tenha participado, ou atribuir- produtos sem rastreabilidade de sua
se autoria exclusiva, quando houver origem, sem nota fiscal ou em desacordo

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

participação de subordinados ou outros com a legislação vigente;


profissionais, farmacêuticos ou não;
fazer declarações injuriosas,
aviar receitas com prescrições médicas ou
caluniosas, difamatórias ou que
de outras profissões, em desacordo com a
depreciem o farmacêutico, a profissão ou
técnica farmacêutica e a legislação
instituições e entidades farmacêuticas,
vigentes;
sob qualquer forma.
coordenar, supervisionar, assessorar ou
exercer a fiscalização sanitária ou
profissional quando for sócio ou
acionista de qualquer categoria, ou
interessado por qualquer forma, bem como
prestar serviços à empresa ou
estabelecimento que forneça drogas,
medicamentos, insumos farmacêuticos e
correlatos, laboratórios, distribuidoras ou
indústrias, com ou sem vínculo
empregatício;
promover publicidade enganosa ou
abusiva da boa fé do usuário, bem como
em relação a produtos farmacêuticos e à
divulgação de assuntos científicos não
fundamentados na promoção, proteção e
recuperação da saúde;
- inobservar as normas (resoluções e
deliberações) e as determinações
(acórdãos e decisões) dos Conselhos
Federal e Regionais de Farmácia;
- permitir interferência nos resultados
apresentados como perito ou auditor;
aceitar ser perito, auditor ou relator de
qualquer processo ou procedimento,
quando houver interesse, envolvimento
pessoal ou institucional;
pleitear, de forma desleal, para si ou
para outrem, emprego, cargo ou função
exercidos por outro farmacêutico, bem
como praticar atos de concorrência desleal;
exercer atividade no âmbito da profissão
farmacêutica em interação com outras

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

profissões, concedendo vantagem ou não


aos demais profissionais habilitados para
direcionamento de usuário, visando ao
interesse econômico e ferindo o direito
deste de escolher livremente o serviço e o
profissional;
receber remuneração por serviços que
não tenha efetivamente prestado;
exercer interação com outros
estabelecimentos, farmacêuticos ou não,
de forma a viabilizar a realização de
prática vedada em lei ou regulamento;
intitular-se responsável técnico por
qualquer estabelecimento sem a
autorização prévia do Conselho
Regional de Farmácia, comprovada
mediante a Certidão de Regularidade
correspondente,
divulgar informação sobre temas
farmacêuticos de conteúdo inverídico,
sensacionalista, promocional ou que
contrarie a legislação vigente;
promover a utilização de substâncias ou a
comercialização de produtos que não
tenham a indicação terapêutica
analisada e aprovada, bem como que não
estejam descritos em literatura ou
compêndio nacionais ou internacionais
reconhecidos pelo órgão sanitário federal;
quando atuando no serviço público,
utilizar-se do serviço, emprego ou cargo
para executar trabalhos de empresa
privada de sua propriedade ou de
outrem, como forma de obter vantagens
pessoais, cobrar ou receber
remuneração do usuário do serviço,
reduzir, irregularmente, quando em
função de chefia ou coordenação, a
remuneração devida a outro farmacêutico;
- anunciar produtos farmacêuticos ou

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com


Questões Comentadas- Legislação Farmacêutica

processos por quaisquer meios capazes de


induzir ao uso indevido e indiscriminado
de medicamentos ou de outros produtos
farmacêuticos

GABARITO: A

Finalizamos aqui mais esse material de apoio.


Espero que esse conteúdo possa ajudá-lo(a) a chegar um pouco mais
perto de sua aprovação.
Bons estudos!
Prof. Cá Cardoso
profcacardoso@gmail.com

Prof. Cá Cardoso || profcacardoso@gmail.com