Você está na página 1de 128

Bíblia V

Grego

Dr. Júlio Paulo Tavares Zabatiero


Fevereiro/ 2017
Professor/Autor: Dr. Júlio Paulo Tavares Zabatiero
Coordenadoria de Ensino a Distância: Gedeon J. Lidório Jr
Coordenador de Graduação a Distância: Edrei Daniel Vieira
Projeto Gráfico e Capa: Mauro S. R. Teixeira
Revisão: Éder Wilton Gustavo Felix Calado
Impressão:

Todos os direitos em língua portuguesa reservados por:

Rua: Martinho Lutero, 277 - Gleba Palhano - Londrina - PR


SUMÁRIO

UNID. 01 – INTRODUÇÃO AO GREGO COINÊ....................................................05

UNID. 02 – ALFABETO E LEITURA DO NOVO TESTAMENTO........................13

UNID. 03 – ENUNCIAÇÃO: A LÓGICA DA COMUNICAÇÃO LINGUÍSTICA..19

UNID. 04 – ORAÇÃO: A FORMA GRAMATICAL DO ENUNCIADO..................25

UNID. 05 – USANDO O NOVO TESTAMENTO GREGO ANALÍTICO................31

UNID. 06 – USANDO O ANALÍTICO E TRADUZINDO O TEXTO....................39

UNID. 07 – AÇÃO, PESSOA E CARACTERIZAÇÃO................................................45

UNID. 08 – AÇÃO, PESSOA E CARACTERIZAÇÃO (2).........................................53

UNID. 09 – ESPAÇO (2)....................................................................................................61

UNID. 10 – ESPAÇO E PREPOSIÇÕES.........................................................................45

UNID. 11 – O SISTEMA VERBAL NA LÍNGUA.........................................................77

UNID. 12 – O SISTEMA VERBAL DO GREGO COINÊ...........................................83

UNID. 13 – O SISTEMA VERBAL DO GREGO COINÊ (Continuação)................91

UNID. 14 – O SISTEMA VERBAL DO GREGO COINÊ (Continuação)...............101

UNID. 15 – ANALIZANDO A DIMENSÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA AÇÃO..109

UNID. 16 – USANDO FERRAMENTAS.....................................................................121

03
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

04 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 01
introdução ao grego coinê

Introdução: uma língua comum

O grego coinê era uma forma do idioma grego falada


em quase todo o Império Romano como a segunda língua
dos povos conquistados. Nesse sentido, é semelhante ao
inglês atual que é usado em quase todo o mundo como
segunda língua. Como no caso do inglês, que tem sua
forma original no inglês britânico, o coinê é uma forma
derivada do grego ático ou clássico, que era falado na Grécia,
principalmente em Atenas. Como ele era aprendido como
segunda língua, há muita variação de qualidade gramatical,
semântica e estilística nos escritos que usavam o coinê,
inclusive em o Novo Testamento.
O grego foi a língua para a qual a Bíblia Hebraica foi
traduzida pelos judeus que habitavam na Diáspora. A mais
importante tradução, que continha também livros que não
estavam na Bíblia Hebraica, é a Septuaginta (LXX) – que
era usada pela maioria das igrejas cristãs nascentes (em que
a maioria dos membros não falava aramaico ou hebraico).
O grego da LXX é uma forma do grego coinê, mas muito
influenciada pelo modo de pensar
das línguas hebraica e aramaica
(a língua materna dos seus
tradutores). Assim, ao aprender
o grego do Novo Testamento,
você também terá condições de,
com algum esforço adicional, ler
a LXX (especialmente em relação
ao vocabulário que é maior do que
o do NT).

05
1. Como estudar o idioma grego
O nosso idioma ‘materno’ é aprendido no dia a dia, de modo
quase automático, de maneira que, quando chegamos à escola, já
dominamos o nosso idioma. Só precisamos aprender a chamada
norma culta, ou seja, a gramática padrão e o vocabulário e estilo mais
usados nos textos oficiais da ‘cultura’ brasileira.
No caso do aprendizado de uma segunda língua, a situação fica
mais complicada. Precisamos ‘voltar’ a ser crianças e estudar o idioma
conforme ele é usado, antes de poder estudar a gramática. Ao estudar as
línguas bíblicas, porém, encontramos outra dificuldade: não são mais
línguas ‘faladas’. Só estudamos para ler textos. Por isso, a organização
das disciplinas de línguas bíblicas segue um padrão que em linguística
se chama de estudo instrumental da língua.
Em nossa disciplina, portanto, seguiremos o seguinte esquema:
(a) começamos com os conhecimentos básicos para ler o texto
grego do Novo Testamento: alfabeto, acentuação, pontuação e outros
pequenos detalhes necessários para poder ler o texto. Você pode
pensar que são coisas muito básicas, mas se você não aprender bem a
ler o texto, não conseguirá interpretar o texto neotestamentário. Para
aprender estas coisas básicas, o que se espera de você é memorização.
Comparado com o idioma hebraico, o alfabeto grego é bem mais
fácil de aprender – ele é parecido com o alfabeto latino e na escola
aprendemos muitas letras gregas que são usadas como sinais ou
indicativos: por exemplo: p é um sinal da matemática (corresponde à
nossa letra p) S é outro sinal da matemática (corresponde ao nosso S
maiúsculo), y é o símbolo da Psicologia (corresponde ao nosso som
ps). Certamente você também já leu na Bíblia que Jesus é o nosso Alfa
a e Ômega w (a primeira e a última letras do alfabeto grego).
(b) Passamos para o estudo da lógica do funcionamento da língua,
mediante os conceitos linguístico da enunciação e do enunciado,
que irão orientar todo nosso estudo da disciplina. Estudaremos
principalmente como traduzir textos gregos para o português, com
enfoque especial sobre a sintaxe (a organização) da oração e do período.
Também daremos grande atenção ao estudo do verbo grego, ou seja,
da temporalidade da língua – focando em particular no aspecto verbal.

06 Bíblia V - Grego
Veremos, também, algum vocabulário básico para você memorizar, a fim
de não depender o tempo todo de dicionários de grego para ler o Novo
Testamento. Como a língua portuguesa possui muitas palavras derivadas
do grego, você verá que já conhece várias palavras gregas importantes em
o Novo Testamento. Na linguagem da gramática, o nosso foco recairá
sobre a sintaxe da oração e sobre a semântica do enunciado.
Não entraremos muito na morfologia ou outras partes da
gramática. Isto é baseado no nosso desejo de ensinar você os
conhecimentos necessários para usar as ferramentas baseadas na
língua original do Novo Testamento de forma funcional. Quer dizer
que você deveria ser capaz de usar um dicionário, procurar coisas
num livro de gramática, usar as ferramentas eletrônicas disponíveis
e ler e entender comentários que tratam aspectos do grego dos textos
bíblicos. Um recurso bibliográfico em especial será muito útil para você
começar e continuar a aprender o grego coinê: o Novo Testamento
Grego Analítico, que começará a ser usado logo nas próximas lições.
Se você desejar avançar além desses elementos básicos, sugerimos
o uso de gramáticas pedagógicas ou textos introdutórios auto-
didáticos. Veja a bibliografia para isso. Sugiro, como um bom manual
introdutório, a gramática de GUSSO, Antônio Renato. Gramática
Instrumental do Grego. São Paulo: Vida Nova, 2010.

2. Por que estudar grego?


• Primeiro, porque a Bíblia surgiu de uma cultura bem diferente
da nossa. E a língua é a cultura em forma de linguagem:
ideias, conceitos, imagens, narrativas, etc. Ter uma noção
básica da língua permite entrar de forma mais profunda
nos textos da cultura. E o grego coinê não é só o idioma
do Novo Testamento. É, também, o idioma da mais antiga
tradução da Bíblia Hebraica: a Septuaginta (LXX), assim,
estudando o grego coinê você também será capaz de estudar
o Antigo Testamento na tradução usada em várias igrejas do
Cristianismo primitivo – e.g.: a LXX era a tradução usada por
Paulo em suas cartas.

07
• Em segundo, apesar de haver uma universalidade nas
estruturas lógicas (profundas) da linguagem humana,
cada língua se manifesta de modo diferente das outras
línguas e isto exige conhecer alguns dos modos peculiares
principais da língua. Assim você poderá interpretar melhor
algumas idiossincrasias (peculiaridades) dos textos bíblicos.
Exemplos marcantes são o jeito de argumentar, a formação
de sequências narrativas ou a ênfase do sistema verbal grego
no aspecto da temporaliadde (você já viu, na disciplina de
Introdução Histórico-Literária ao Novo Testamento alguns
exemplos dessas peculiaridades, e verá mais nas disciplinas
de exegese e teologia bíblica).
• Enfim, em qualquer tradução se perde um pouco da força
do texto original. Esperamos que você comece a desenvolver
os conhecimentos necessários para poder avaliar, com o
uso das ferramentas técnicas, em que lugares é necessário
‘aperfeiçoar’ as traduções padrão.

3. O Alfabeto Grego
Como já mencionei, o alfabeto grego é bem mais fácil de estudar
do que o alfabeto hebraico. Ele é composto de vinte e quatro (24)
letras, que incluem consoantes e vogais. O número de vogais é sete (7),
duas a mais do que em nosso alfabeto, isso porque na escrita o grego
coinê distinguia o som breve e o som
longo de duas ‘letras’, como você verá
na tabela a seguir. Ademais, uma letra
do alfabeto grego possui duas formas:
uma usada no início e meio da palavra
e outra no final da palavra (a letra
sigma). O idioma grego é escrito e
lido da esquerda para a direita, como
o nosso próprio. Vejamos então, sem
mais delongas, o alfabeto grego!

08 Bíblia V - Grego
Nome Minúscula Maiúscula Transliteração Pronúncia
Alfa a A a a como em arroz
Beta b B b b como em boi
Gama g G g g como em gole
Delta d D d d como em dado
Epsilon e E e e (breve) como em ela
Zeta z Z z z como em zebra
Eta h H e e (longo) como em inglês
Theta q Q th ‘th’ como no inglês this
Iota i I i i como em idioma
Capa k K k c como em casa
Lambda l L l l como em lua
Mü m M m M como em mãe
Nü n N n n como em nada
Ksi x X ks cs como em axioma
Ómicron o O o o (breve) como em hora
Pi p P p p como em pato
Rô r R r r como em rato
Sigma s j S s s como em sair
Tau t T t t como em tesoura
Upsilon u U u u como em muro
Phi (Fi) f F f f como em fita
Xi (Qui) c C x q como em quero
Psi y Y ps ps como em psicologia
Ômega w W o o (fechado) como em ômega

ATENÇÃO: Há diferentes sistemas de transliteração. O que


adoto aqui é simplificado para o uso em computadores, não tem a
exatidão de outros sistemas usados em textos acadêmicos.
1. Atenção! A pronúncia das vogais épsilon e eta pode ser diferenciada
ao lermos o épsilon como um é (e aberto, acentuado de modo
agudo) e o eta como um ê (e fechado, com acento circunflexo), o
mesmo valendo para o ómicron (ó) e o ômega (ô).

09
2. O sigma é a única letra do alfabeto grego que possui duas
formas: s no início e meio da palavra e j no final das palavras
(atente para a parte da letra que fica abaixo da linha).
3. A letra x sempre se pronuncia cs. A letra c, embora transliterada
como x, sempre tem o som de q (ou k). A diferença para a letra
k é pequena e, para facilitar o aprendizado, vamos pronunciar
as duas letras da mesma forma.
4. Não se esqueça de assistir às primeiras vídeoaulas, pois nelas
você poderá aprender melhor a pronúncia do grego coinê.
Agora é só praticar: (a) escrever várias vezes e memorizar
o alfabeto; (b) falar em voz alta o alfabeto na sequência, a fim de
memorizar a ordem das letras. Não se esqueça de prestar atenção aos
DETALHES!!!!
(Por que aprender a ordem das letras? Para você poder encontrar
mais rapidamente as palavras gregas nos dicionários ou léxicos
impressos.)

Exercícios

1. Leia em voz alta a tabela do alfabeto pelo menos 20 vezes ou


até você memorizar as letras e sua ordem
2. Escreva o alfabeto do coinê em grego e translitere cada letra,
pelo menos 10 vezes (para ajudar na memorização)
3. Copie e translitere as palavras abaixo:
Pistij
Xarij
Qeoj
Eimi
Nun
Tapeinofrosunh
Katargew
Boulh
Zwh

10 Bíblia V - Grego
Vocabulário para Memorizar
Pistij Fé, fidelidade
Xarij Graça, dom
Qeoj Deus
Eimi Ser, estar, haver, acontecer
Nun Agora, já, neste instante
Tapeinofrosunh Humildade
Katargew Anular, destruir, tornar inoperante
Katargew Decisão, plano, propósito
Zwh Vida

Observação

As palavras gregas não estão acentuadas para facilitar sua leitura!


__________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

11
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

12 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 02
Alfabeto e leitura do Novo Testamento

Introdução

Muito bem! Espero que você tenha feito os exercícios


da Unidade anterior, a fim de ir memorizando o alfabeto
grego. Nesta Unidade estudaremos alguns detalhes de
acentuação e pontuação, bem como questões práticas
necessárias para você poder ler o texto do Novo Testamento
e usar os recursos bibliográficos básicos para o estudo e a
interpretação do texto neotestamentário. Não se esqueça
de acompanhar as vídeo-aulas que reforçarão o ensino
necessário para você aprender a ler o texto grego.

1. Alfabeto: continuação
Aspirações ou espíritos são sinais colocados em palavras
iniciadas por vogais ou ditongos e podem ser ásperas ou brandas.
Palavras iniciadas pela consoante “r” sempre tem aspiração áspera,
como em ~rema. A aspiração branda não se translitera, mas a áspera é
transliterada pela letra “h” e recebe a pronúncia equivalente ao “h” da
língua inglesa, ou uma espécie de “r” da língua portuguesa. Exemplo:
e;imi, - ’eími, não “heimi”. o]ti – não óti, mas “hoti”. ui]oj hyìos.
Acentos são sinais colocados sobre as vogais ou sobre a segunda
letra do ditongo para marcar a tonicidade da sílaba na palavra. O
acento pode ser: agudo (´), grave (`) ou circunflexo (~) – isso! O
circunflexo do grego é feito como o til do português. O acento agudo
pode ser usado em qualquer tipo de vogal ou ditongo, em qualquer
posição na palavra; o acento grave só se usa em palavras oxítonas que,
em condições normais em uma frase seriam acentuadas com acento

13
agudo e, quando forem seguidas com uma palavra acentuada; o acento
circunflexo só se usa em palavras oxítonas e proparoxítonas, sobre
vogais e ditongos longos.

ATENÇÃO: Na leitura o acento sempre indica a sílaba tônica!!

Trema: sinal utilizado sobre uma vogal para indicar que ela é
pronunciada, quando normalmente não seria. Indica que duas ou três
vogais juntas não formam um ditongo ou um tritongo, mas um hiato:
avi<dioj = ’a-í-di-os, não ’ai-di-os (eterno).
Iota subscrito: utilizado para indicar que, originalmente, a
palavra possuía a letra i (iota) escrita à direita de outra vogal. O
iota subscrito não afeta em nada a pronúncia da palavra, como em
a`gi,w| / a[|dhj.
Apóstrofo: utilizado para indicar a elisão de uma letra. Ex.: diV
a;llhj = dia. a;llhj (por outro).
Pontuação:
A vírgula (,) no grego pode equivaler à virgula (,) e, também, aos
dois pontos (:) no português, conforme o contexto.
O ponto alto (•) no grego pode equivaler no português a dois
pontos (:), ponto-e-vírgula (;) ou ponto de exclamação (!), conforme
o contexto exigir.
O ponto final (.) do grego equivale ao ponto final do português.
O ponto-e-vírgula (;) equivale ao ponto de interrogação (?) no
português.

2. Ditongos e Hiatos
Como no português, há os seguintes tipos de encontros vocálicos
no grego: os ditongos e os hiatos. O hiato indica que as vogais devem
ser lidas separadamente (veja acima sobre o “trema”). O ditongo indica
que as duas vogais devem ser lidas em conjunto, pertencentes à mesma
sílaba. No grego, os acentos e as aspirações sempre se colocam sobre
a segunda letra do ditongo, mas a sílaba tônica sempre recai sobre a
primeira letra do ditongo.

14 Bíblia V - Grego
Os ditongos são:

ει pronúncia ei εἰμί eu sou

εu pronúncia eu εὑρίσκω eu encontro

αι pronúncia ai αἷμα sangue

αu pronúncia au αὐτός ele próprio

οι pronúncia oi οἶκος casa

οu pronúncia u οὐ não

3. Lendo o Novo Testamento Grego


Muito bem! Você já está pronta(o) para começar a ler o Novo
Testamento Grego. Acompanhe a vídeo-aula para ouvir a pronúncia
e, se possível, aprenda a música feita para João 1:1-2. Para facilitar seu
aprendizado, farei a transliteração abaixo de cada palavra grega, que
dará aproximadamente a pronúncia:

15
Exercícios

Leia em voz alta o texto neotestamentário até você ter segurança


de que está pronunciando corretamente. Para facilitar sua tarefa você
pode também transliterar cada palavra:

16 Bíblia V - Grego
17
Vocabulário para Memorizar
νόμος Lei, princípio
ἀλήθεια Verdade, fidelidade
ὅτι Que, porque, por quê
φῶς Luz
πληρώμα Plenitude, completude
καὶ E, também, bem como (conjunção aditiva)
σὰρξ Carne
ὄνομα Nome
ἄνθρωπος, Homem, ser humano
σκοτία Trevas, escuridão

18 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 03
Enunciação: a lógica da comunicação linguística

João 1,1 Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν,


καὶ θεὸς ἦν ὁ λόγος

Olá! É bom estarmos de volta para estudar


grego juntos. Você já passou pelos assuntos iniciais do
aprendizado. Agora, precisaremos aperfeiçoar o domínio
desses assuntos e passar adiante. Nosso foco será aprender
a ‘ler’ (no sentido de interpretar) o texto grego do Novo
Testamento.
Na epígrafe (literalmente: o que está acima do escrito) temos
um versículo bíblico, que você reconhece com facilidade: é João 1,1.
Leia em voz alta o texto (para continuar treinando pronúncia) e preste
atenção ao que explicarei para você a seguir.

Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν, καὶ θεὸς ἦν


ὁ λόγος
No princípio (Ἐν ἀρχῇ) era [existia] (ἦν) a Palavra [o Verbo] (ὁ
λόγος) e (καὶ) a Palavra (ὁ λόγος) estava (ἦν) diante de Deus (πρὸς
τὸν θεόν) e (καὶ) a Palavra (ὁ λόγος) era (ἦν) Deus (θεὸς).

Toda vez que alguém ‘fala’ algo, o que essa pessoa faz é chamado,
na Linguística, de enunciação. É uma palavra que se refere ao ato
de enunciar (enunciar é sinônimo de ‘falar’, ‘comunicar’). Mas
enunciação não é só uma palavra, enunciação é um termo técnico. O
que significa, então, este termo técnico? Segundo o linguista francês
Émile Benveniste: “a enunciação é este colocar em funcionamento a
língua por um ato individual de utilização” (BENVENISTE, Emile.
Problemas de Lingüística Geral II. Campinas: Pontes, 1989, p. 82). Ou
seja, uma pessoa (‘um ato individual de utilização) – mediante um
processo imensamente veloz e relativamente ‘inconsciente’, escolhe as

19
palavras que irá utilizar para comunicar algo a alguém e as enuncia em
uma certa ordem (isso é o que Benveniste quer dizer com ‘colocar a
língua em funcionamento).
O ato da enunciação, portanto, tem como resultado o enunciado
(o conjunto de palavras usadas para comunicar). O enunciado é
a manifestação concreta de uma intencionalidade de comunicar
(queremos dizer algo para alguém), de um sentido comunicado
(falamos sobre alguma coisa), dentro das regras da língua usada
(fonética: temos de falar com os sons corretos; morfologia: usar a
forma correta; sintaxe: ordem das palavras, arranjo entre as palavras;
semântica: significado das palavras), dentro de um cenário discursivo
(se formos pregar, por exemplo, temos de seguir os elementos
discursivos esperados pela comunidade – ler um texto bíblico, orar
antes de pregar, demorar apenas o tempo adequado, explicar o texto
bíblico, evitar o uso de palavras, expressões ou exemplos inadequados
[e.g.: palavrões, piadas sujas], etc.). Então, como vimos na introdução
geral ao curso, estudar uma língua é estudar como se produz sentido,
mediante a comunicação nessa língua, seguindo as regras da língua
em seus respectivos ambientes discursivos.

Respire fundo! Reflita sobre o que já foi explicado.


Procure entender bem o significado do termo enunciação.
Ao final do estudo desta unidade haverá uma pequena prova
que confirmará se você entendeu, ou não, o significado
de enunciação. (Estou repetindo, de propósito, a palavra
enunciação. Para você não se esquecer dela. Uma das coisas
que você precisa aprender, e não poderá esquecer, é o
significado do termo técnico enunciação).

O primeiro resultado do ato da enunciação é o enunciado que


comunica os elementos fundamentais da língua (e do sentido): ação
(alguma coisa acontece, alguém faz algo), pessoa (quem fala, a quem
se fala, de quem se fala, quem age na fala, quem sofre uma ação na fala,
quem se relaciona na fala...), tempo (quando se fala, em que tempo

20 Bíblia V - Grego
acontece o que se fala, qual é o modo em que a ação falada ocorre na
fala...); espaço (onde se fala, o lugar de que se fala, como é o lugar de
que se fala ...) e caracterização: quando falamos sobre alguma coisa,
nós qualificamos ou caracterizamos essa ‘alguma coisa’- ou seja, nós
apresentamos alguma característica dessa ‘coisa’ a respeito de que
falamos. Podemos caracterizar os quatro elementos do enunciado que
já havíamos estudado. Por exemplo: ‘sem forma e vazia’ caracteriza o
espaço (a terra), ‘trevas’ também caracteriza um espaço (sobre a face
do abismo), “de Deus’ caracteriza uma pessoa. Sobre as caracterizações
da ação e do tempo conversaremos em outras unidades.
Veja bem: ação, pessoa, tempo, espaço e caracterização são a
matéria-prima (ou os elementos fundamentais) do enunciado. Em Jo
1:1 temos: no princípio (tempo), era (verbo de estado - caracteriza)
a palavra (pessoa), e a palavra (pessoa) estava (verbo de estado -
caracteriza) diante de (espaço) Deus (pessoa) e a palavra (pessoa)
era (verbo de estado - caracteriza) Deus (pessoa).
Leia, agora, Jo 1:2-5 e aponte as palavras que correspondem aos
elementos da enunciação (como eu fiz no exemplo acima):
Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas
2

por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. 4 Nele estava
a vida, e a vida era a luz dos homens; 5 a luz resplandece nas trevas, e
as trevas não prevaleceram contra ela.
Você se lembra: no enunciado temos os cinco elementos
fundamentais da comunicação linguística: ação, pessoa, tempo, espaço
e caracterização. Faça o mesmo exercício, mas agora com o texto grego
de João 1:2-5:
2
οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν.
3
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν. ὃ γέγονεν.
4
ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων·
5
καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν.

Ufa! Pare mais um pouco. Respire. Vamos finalizar esta ‘aula’.

21
O que você precisa ter aprendido?
(1) Que é enunciação, (2) que é enunciado, e (3) os cinco
elementos do enunciado: ação, pessoa, tempo, espaço, caracterização.
Os detalhes não precisam ser estudados com intensidade. Se você se
lembrar deles, ótimo. Se não, não tem problema.
Vamos, então, aos exercícios para fixar o aprendizado!

Exercícios de Fixação

1. Translitere o seguinte versículo:


6
Ἐγένετο ἄνθρωπος, ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ
Ἰωάννης·
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

2. Coloque, nos espaços apropriados, o nome do elemento


fundamental do enunciado:
Jo 1:14: Καὶ (e) ὁ (a) λόγος (palavra) ____________ σὰρξ (carne)
__________ ἐγένετο (se fez) _______________ καὶ (e) ἐσκήνωσεν
(habitou) __________ ἐν (entre) ἡμῖν (nós) ______________
καὶ (e) ἐθεασάμεθα (vimos) ___________ τὴν (a) δόξαν (glória)
_______________ αὐτοῦ (dela) δόξαν (glória) ______________ ὡς
(como) μονογενοῦς (unigênito) ______________ παρὰ (da parte do)
πατρός (pai) ______________ πλήρης (cheia de) χάριτος (graça) καὶ
(e) ἀληθείας (fidelidade) _________________.

22 Bíblia V - Grego
Ei! Se você quiser reforçar ainda mais o seu aprendizado
deste assunto, pegue sua Bíblia – em português ou em grego
– e faça o mesmo exercício com outros versículos – de João
ou de qualquer outro livro do Novo Testamento.

Vocabulário para Memorizar


Οὐ Não

γὰρ Pois, porque, portanto

ἐπαισχύνομαι Envergonho-me

εὐαγγέλιον Evangelho, boa-nova, boa-notícia

δύναμις Potência, energia, poder, força

εἰς Para, em direção a

σωτηρία Salvação, libertação

παν Tudo, todo, todas as coisas

πιστεύω Sou fiel, confio, creio, acredito

23
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

24 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 04
Oração: a forma gramatical do enunciado
Olá! Benvinda e benvindo à continuação de nosso
estudo de grego.

Você se lembra dos temas da lição passada: enunciação


e enunciado, elementos fundamentais do enunciado?
Como exercício de fixação da memória e do aprendizado,
responda:

(1) Que é enunciação?


_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

(2) Que é enunciado?
_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

(3) Quais são os cinco elementos fundamentais do enunciado?


______________________

______________________

______________________

______________________

______________________

25
Nesta Unidade nosso foco recairá sobre a oração (ou sentença),
que é o nome gramatical do enunciado.

DETALHE:
(1) Nas ciências são criados vocabulários técnicos específicos.
Cada ciência tem o seu. E dentro de cada ciência, há vários vocabulários
elaborados pelos grandes autores ou autoras daquela ciência. Na
Linguística, por exemplo, os termos enunciação, enunciado, frase,
oração, etc. recebem diferentes sentidos conforme os autores e as
disciplinas específicas da grande ciência da linguagem. Por ora, você
não precisa se preocupar com os detalhes do vocabulário técnico da
Linguística, basta acompanhar as definições e entende-las. Com o
decorrer do tempo, você aprenderá a diferenciar o sentido dos termos
nos diferentes ramos da ciência.
(2) No idioma grego temos um fenômeno gramatical chamado
“caso”. Substantivos, artigo definido, adjetivos, pronomes, numerais
e particípios verbais são flexionados para indicar a função sintática
que exercem na oração. Na lição de hoje iniciaremos o estudo dos
casos com ênfase na sintaxe e não na morfologia. Por isso, também
introduziremos um recurso bibliográfico que ajudará você a superar
o limite de aprendizado criado por nossa escolha de ênfase sintática.
1. Comecemos com definições:
(a) Frase: “Ao combinar as palavras de uma língua, o falante tem
um propósito específico: estabelecer comunicação. À unidade mínima
de comunicação linguística dá-se o nome de frase”;
(b) Oração: “Oração é a frase ou parte de uma frase que se
organiza em torno de um verbo ou de uma locução verbal” (Logo, a
frase pode existir sem usar verbo);
(c) Período: “Período é a frase constituída de uma ou mais
orações”.
c.1. Um período pode ser construído mediante coordenação – ou
seja: orações completas em si mesmas, encadeadas mediante o uso de
conjunções coordenativas;

26 Bíblia V - Grego
c.2. Um período pode ser construído mediante subordinação
– ou seja: uma oração principal que é complementada por outras
orações que desempenham funções sintáticas da oração principal
(ou seja, funcionam como termos da oração principal). As orações
subordinadas podem ser substantivas (exercem funções nominais:
ou seja, equivalem ao sujeito, objeto (direito ou indireto), predicativo
do sujeito, aposto, da oração principal); adjetivas (exercem função de
qualificação de um termo da oração principal, e são classificadas como
explicativas e restritivas); e adverbiais (exercem função de adjunto
adverbial do verbo da oração principal).
[Todas as definições foram extraídas de: FARACO, Carlos E. &
MOURA, Francisco M. de. Gramática 10ª ed. São Paulo: Ática, 1997,
p. 306-308.]
(d) Termos da oração e Casos:
Termos essenciais: sujeito e predicado – “Sujeito é o termo que
denota o ser a respeito de quem ou de que se faz uma declaração”;
“Predicado é tudo aquilo que se declara a respeito do sujeito” (p. 312)
Termos integrantes: agente da passiva (“Agente da passiva é o
termo que indica o ser que pratica a ação, quando o verbo está na
voz passiva. Vem regido pela preposição por e, rarissimamente, pela
preposição de”), complementos nominais (“Complemento nominal
é o termo que, precedido de preposição, completa o sentido de um
substantivo, adjetivo ou advérbio”) e complementos verbais (objeto
direto e objeto indireto)
Termos acessórios: adjunto adverbial, adjunto nominal, aposto,
vocativo.
Como o idioma grego estabelece as relações sintáticas entre os
termos da oração?
(1) O uso dos verbos é semelhante ao do nosso próprio idioma,
assim como o uso dos adjuntos adverbiais;
(2) O sujeito, os complementos nominais (predicativo do sujeito)
e termos acessórios (adjunto adnominal, adjunto adverbial, aposto)
bem como os complementos verbais (objeto direto e indireto) são
indicados pelos casos. Como vimos acima, caso é a mudança na forma
de palavras para indicar a função sintática na oração.

27
Veja a tabela abaixo:

Note bem:
(1) São cinco os casos reconhecidos nas gramáticas de grego
coinê: nominativo, vocativo, acusativo, genitivo e dativo;
(2) Para indicar o caso, a palavra é flexionada, com mudança de
seu final. O caso nominativo é o caso básico e é a forma usada nos
dicionários para você descobrir os usos da palavra (com exceção dos
verbos, preposições, conjunções, interjeições e advérbios, é claro);
(3) Declinação é o nome dado ao conjunto de mudanças nas
palavras – equivale à palavra conjugação que se refere às mudanças
nos verbos;
(4) Assim como há diferentes formas de conjugação verbal,
há diferentes formas de declinação no idioma grego: as declinações
básicas são a primeira, segunda e terceira; mas há também formas
específicas dentro de cada uma dessas declinações. O exemplo acima é
dos substantivos masculinos da segunda declinação;
(5) Como já disse, não nos ocuparemos da morfologia dos casos
(ou seja, você não precisará decorar as diferentes declinações e suas
formas específicas), iremos focar no estudo sintático dos casos;
(6) Para que você possa usar o idioma grego no estudo do Novo
Testamento, há recursos informáticos e bibliográficos que analisam as
palavras e indicam os casos das palavras em o Novo Testamento.

28 Bíblia V - Grego
Ufa! Eu sei que tudo isto parece meio ‘chato’. Mas é importante
lembrar. O que vale para a oração na língua portuguesa podemos
aplicar à língua grega.

DETALHE
Agora você entendeu porque o vocabulário da Unidade
anterior incluía a análise morfológica dos substantivos e
adjetivos!!! Volte a Romanos 1:16-17 e note como os casos
indicam a função sintática das palavras nas orações.
Você não precisa ‘decorar’ de novo os termos
gramaticais, etc. Não iremos analisar sintaticamente
orações e períodos do texto hebraico. Entretanto, isto é
importante para você poder traduzir o texto grego para o
português: na tradução, devemos fazer a equivalência dos
termos da oração, tanto quanto do sentido de cada palavra.
Ademais, o sentido de uma palavra só pode ser entendido
dentro da oração e período em que a palavra é usada.

2. Os casos do grego coinê:


Leiamos de novo João 1:1-2

VEn avrch/| h=n o` lo,goj( (Adj. Adv. + Verbo + Sujeito)


No princípio era a palavra,

kai. o` lo,goj h=n pro.j to.n qeo,n( (conj+Suj+V+Adj. Adv)


e a palavra estava com o Deus,
kai. qeo.j h=n o` lo,goj Å (conj + Predicativo Sujeito + Verbo + Sujeito)
e Deus era a palavra.
ou-toj h=n evn avrch/| pro.j to.n qeo,n Å (Suj+V+ Adj. Adv. + Adj.Adv.)
Ela estava no princípio com o Deus.

29
As palavras em itálico estão flexionadas, indicando seus
respectivos casos:
avrch/| - Dativo singular (substantivo) com preposição:
adjunto adverbial
o` - Nominativo singular (artigo)
lo,goj - Nominativo singular (substantivo) – Sujeito da oração
to.n - Acusativo Singular (artigo)
qeo,n - Acusativo Singular (substantivo) – com preposição:
adj. adverbial

LEMBRE-SE: Por que estamos revisando estes


conceitos da sintaxe? Por que eles nos ajudam a fazer a
tradução do texto grego para o português. Ao traduzir, você
deve buscar a equivalência: (a) do sentido de cada palavra,
(b) dos termos da oração, e (c) da organização das orações
em períodos. Assim, você já vai sabendo que: traduzir
sempre já é interpretar o texto!

Nesta Unidade não faremos exercício, vamos direto ao


vocabulário.

Vocabulário para Memorizar

θεός Deus, divindade


Ἰουδαῖος Judeu
Ἕλλην Grego
δικαιοσύνη Justiça, retidão
πίστις Fidelidade, fé, confiança
δίκαιος Justo, reto, correto

30 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 05
Usando o Novo Testamento Grego Analítico
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de nosso
estudo do grego bíblico.
Você se lembra do tema central da lição passada:
oração – a forma gramatical do enunciado? Como exercício
de fixação da memória e do aprendizado, responda:
(1) Que é frase?
___________________________________________________
_______________________________________________________
___________________________
(2) Que é oração?
___________________________________________________
_______________________________________________________
___________________________
(3) Que é período?
___________________________________________________
_______________________________________________________
___________________________
(4) Que são os casos do grego coinê?
___________________________________________________
_______________________________________________________
___________________________
(5) Qual é a função dos casos no grego coinê?
___________________________________________________
_______________________________________________________
___________________________

31
Nesta Unidade nosso foco recairá sobre o uso do
Novo Testamento Grego Analítico

1. Comecemos com o básico:


O Novo Testamento Grego Analítico (doravante apenas Analítico)
é uma obra indispensável para o aprendizado do grego e, caso você não
se aprofunde o bastante para dominar completamente a língua, para
a interpretação do texto grego ao longo de sua vida e carreira. Acima
você vê uma parte da página do Analítico do Evangelho de João. Note
que ele é uma edição do Novo Testamento grego com as seguintes
características: (1) a primeira linha é o texto do Novo Testamento; (2)
a segunda linha fornece a forma de cada palavra conforme ela aparece
nos dicionários e léxicos; (3) a terceira linha oferece uma análise
morfológica de cada palavra.

DETALHE: Nos dicionários e léxicos de grego


coinê, os verbos aparecem na forma da primeira pessoa
do singular do presente do indicativo ativo, enquanto os
nomes aparecem na forma do nominativo singular.

No Ambiente Virtual de Aprendizagem você encontrará um


arquivo com fac-símile de uma página do Analítico (João 1:1-18) e a
tabela de códigos para poder usar no estudo desta disciplina.

32 Bíblia V - Grego
Vejamos o início de João 1:
A palavra que inicia o versículo 1 é analisada como ‘pd’ =
preposição, dativo (ou seja, é uma preposição usada com o caso dativo,
e não uma preposição no dativo, pois as preposições são palavras
não flexionadas, ou seja, são palavras invariáveis). A forma no texto
grego é VEn, a forma no dicionário é a mesma, mas com a primeira
letra em minúscula Ven. Assim, você sabe como procurar a palavra no
dicionário grego-português.
A segunda palavra é analisada como ‘n-df-s’ = substantivo,
dativo, feminino, singular. A forma no texto grego é avrch/| (note o
iota subscrito), a forma do léxico é avrch/ (sem o iota subscrito – é a
forma do caso nominativo – é sempre pela forma do nominativo que
os ‘nomes’ [substantivos, adjetivos, artigos, pronomes e numerais] são
apresentados no dicionário)
A terceira palavra é analisada como ‘viia--3s’ = verbo indicativo
imperfeito ativo terceira pessoa do singular. A forma do texto grego é
h=n, e a forma do léxico (dicionário) é εἰmi, (nos dicionários, a forma
do verbo usada é sempre a primeira pessoa do singular do presente do
indicativo ativo).
A quarta palavra é analisada como ‘dnms’ = artigo definido
nominativo masculino singular. A forma do texto grego é o` e a forma
do léxico é a mesma, já que o artigo está no nominativo singular (a
forma usada nos léxicos ou dicionários).
A quinta palavra é analisada como ‘n-nm-s’ = substantivo
(n=noun) nominativo masculino singular. A forma do texto grego é
lo,goj e a forma do léxico é a mesma (você já sabe o porquê!).
O que aprendemos com isto?
Temos uma oração completa: ‘VEn avrch’ é um adjunto adverbial;
‘h=n’ é o verbo (o núcleo do predicado) é ‘o` lo,goj’ é o sujeito da
oração. Lembra-se? O nominativo é, primariamente, o caso do sujeito;
o dativo é o caso dos complementos verbais (primariamente equivale ao
nosso objeto indireto, mas também é usado para adjuntos adverbiais e
até como equivalente de nosso objeto direto). Como a oração termina
com uma vírgula, sabemos que é parte de um período composto.

33
Vejamos, agora, a sentença seguinte: “kai. o` lo,goj h=n pro.j
to.n qeo,n(”. Usando o Analítico você já sabe que temos, na ordem,
uma conjunção coordenativa aditiva + artigo definido nominativo
masculino singular + substantivo nominativo masculino singular
+ verbo indicativo imperfeito ativo terceira pessoa do singular +
preposição com acusativo + artigo acusativo masculino singular +
substantivo acusativo masculino singular. A conjunção mostra que
temos uma oração coordenada aditiva (à oração inicial do versículo),
as palavras no nominativo indicam o sujeito (o` lo,goj), o verbo (h=n)
é o núcleo do predicado e a expressão iniciada por preposição mais
as palavras no acusativo (pro.j to.n qeo,n) modifica o verbo, ou seja, é
um adjunto adverbial de lugar. Esta oração também termina com uma
vírgula, indicando que o período continua.
A última oração do verso 1 é “καὶ θεὸς ἦν ὁ λόγος.” Não é
preciso nem olhar no Analítico, não é? Todas as palavras desta oração
são repetidas, já ocorreram no verso: conjunção coordenativa aditiva
+ nominativo substantivo masculino singular + verbo indicativo
imperfeito ativo terceira pessoa singular + nominativo artigo definido
masculino singular + nominativo substantivo masculino singular. Bem
– agora preste atenção a um detalhe importante! Temos duas palavras
no nominativo separadas pelo verbo. Qual delas indica o sujeito? A
regra básica é: a palavra que tem artigo definido! Então temos – uma
oração coordenada aditiva (indicada pela conjunção καὶ) formada
pelo predicativo do sujeito (θεὸς), mais o verbo (ἦν) que é o núcleo do
predicado, e, enfim, o sujeito (ὁ λόγος), logo depois do sujeito temos
o ponto final.

DETALHE: A ordem dos termos da oração, no grego coinê,


é semelhante à do português – sujeito + verbo + predicado.
Quando há mudanças nessa ordem, alguma ênfase especial
quer ser dada ao termo que é deslocado do seu lugar normal
para o início da oração. Neste caso, o fato do predicativo do
sujeito iniciar a oração indica que a ênfase do significado
desta oração está no atributo do logos – a sua divindade.

34 Bíblia V - Grego
No verso 2 temos: οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν. Olhando
o Analítico encontramos: adjetivo pronominal demonstrativo
nominativo masculino singular* + verbo indicativo imperfeito ativo
terceira pessoa singular – as demais palavras são todas repetidas, já
ocorreram no verso 1. Você é capaz de lembrar? Senão, pode usar o
Analítico e completar a listagem da análise morfológica. A análise
sintática mostra: o sujeito (οὗτος) – você sabe que é o sujeito pois
está no caso nominativo + o verbo, que é o núcleo do predicado (ἦν),
+ uma locução preposicional (ἐν ἀρχῇ) que funciona como adjunto
adverbial de tempo + outra locução preposicional (πρὸς τὸν θεόν)
que funciona como adjunto adverbial de lugar. A oração encerra com
o ponto final.

DETALHE: * “Adjetivo Pronominal Demonstrativo”


é a terminologia da gramática inglesa. Em português
classificamos como “pronome demonstrativo”.

O verso 3: πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο


οὐδὲ ἕν. ὃ γέγονεν . (Note que entre a última palavra grega e o ponto
final há um espaço – não é erro de digitação. Deixei o espaço para que
você preste atenção ao fato de que no NT grego não há pontuação
após a expressão ὃ γέγονεν – ao final da lição explico o motivo) O
Analítico nos mostra: πάντα adjetivo pronominal nominativo neutro
plural + δι᾽ preposição [note: (a) o uso do apóstrofo, que indica que
devemos ler a preposição junto com a palavra seguinte – a preposição
termina com ‘alfa’ e a palavra seguinte começa com ‘alfa’, por isso,
o apóstrofo, (b) na gramática portuguesa classificamos o ‘adjetivo
pronominal indefinido’ apenas como pronome indefinido] + αὐτοῦ
nome pronome genitivo masculino terceira pessoa singular [apenas
pronome pessoal] + ἐγένετο verbo indicativo aoristo médio depoente
terceira pessoa singular + καὶ conjunção coordenativa + χωρὶς
preposição com genitivo + αὐτοῦ nome pronome genitivo masculino
terceira pessoa singular [apenas pronome pessoal] + ἐγένετο verbo
indicativo aoristo médio depoente terceira pessoa singular + οὐδὲ
adjetivo adverbial [em português classificamos apenas como advérbio]

35
+ ἕν adjetivo pronominal cardinal nominativo neutro singular [em
português classificamos apenas como numeral cardinal] + ὃ adjetivo
pronominal relativo nominativo neutro singular [apenas pronome
relativo] + γέγονεν verbo indicativo perfeito ativo terceira pessoa
singular.
Que tal, agora, você indicar a função sintática das palavras nas
suas respectivas orações?
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο,
___________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
________________________________________
καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν.
___________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
________________________________________

Bem, conforme mencionei antes, vou explicar a situação da


expressão ὃ γέγονεν no final do verso 3.
Nós não temos os manuscritos originais (o nome técnico é
autógrafos) do Novo Testamento. As edições impressas do NT são uma
reconstrução do texto ‘original’ baseada em coleções de manuscritos
do texto grego de várias datas e lugares, além de traduções antigas e de
material proveniente de citações do NT nos escritos dos Pais da Igreja
(escritores antigos, do segundo ao quarto século, principalmente, que
moldaram a teologia cristã nos primeiros séculos da vida das Igrejas).
Os manuscritos mais antigos não tinham pontuação e praticamente
todos os Pais da Igreja que citaram este trecho de João entenderam
a expressão ὃ γέγονεν como parte do verso 4. Assim, os editores
do Novo Testamento não têm certeza se a expressão deve ficar com o
verso 3 ou com o verso 4. A responsabilidade é de quem estuda o texto.
Praticamente todas as traduções modernas e atuais do NT colocam a
expressão no verso 3.

36 Bíblia V - Grego
Vocabulário para Memorizar

ἀποκαλύπτω Desvelo, descubro, revelo

γράφω Escrevo, registro por escrito, componho

ζάω Vivo (eu vivo)

ὀργή Ira, raiva, desgosto

ἀσέβεια Impiedade, irreligiosidade

ἀδικία Injustiça

37
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

38 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
unidade 06
Usando o Analítico e traduzindo o texto
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de nosso
estudo do grego bíblico.
Você se lembra do tema central da lição passada: O
Analítico? Como exercício de fixação da memória e do
aprendizado, responda:
(1) Qual é a importância do Analítico para o aprendizado do
grego?
___________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
(2) O que encontramos na primeira linha do conjunto de três
linhas do Analítico?
___________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
(3) O que encontramos na segunda?
__________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
(4) E na terceira?
___________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

39
Vamos agora continuar a aprender a usar o Analítico e, para fazer
isto, começarei mostrando a vocês um cuidado especial que devemos
tomar no estudo exegético da Bíblia usando os conhecimentos do
idioma original do texto. Você certamente já ouviu ou já leu a expressão
‘tradução literal’. Na tradição pedagógica da Teologia tem sido
costumeiro iniciar a exegese de um texto com uma ‘tradução literal’
– ou seja, uma tradução de palavra por palavra na mesma ordem em
que as palavras estão no texto original. Bem, tecnicamente falando,
não existe ‘tradução literal’ assim definida. Por quê? (a) Toda tradução
exige que o texto original seja transcriado na língua a que está sendo
traduzido – ou seja: o tradutor ou a tradutora deve seguir as regras da
língua da tradução e não as regras da língua original em seu trabalho.
(b) Praticamente nenhuma palavra (em qualquer idioma) é usada
sempre da mesma maneira (com o mesmo significado), de modo que
não existe o significado da palavra fora da oração em que ela é usada.
Vejamos como seria uma ‘tradução literal’ de João 1,1.
(a) Em princípio era o verbo; (b) Em princípio estava a palavra;
(c) Em começo existia a palavra ... Qual dessas traduções seria correta?
Nenhuma delas! Note que mesmo uma tradução ‘quase’ literalista
como a de Almeida, modifica o texto grego: “No princípio era o verbo”
– não há artigo antecedendo a palavra ‘princípio’ no texto grego! Por
que? Não falamos, em português, ‘em princípio’ para nos referirmos ao
início de algo. ‘Em princípio’, em português, tem outro significado! Por
isso, todas as traduções acrescentam o artigo definido ao substantivo:

40 Bíblia V - Grego
em o princípio = no princípio. Ao invés de ‘princípio’ você também
poderia usar um sinônimo: ‘no começo’, ‘no início’.
Como escolher entre as opções “era”, “estava” ou “existia” para
traduzir o verbo grego? εἰmi é usado com diferentes significados
no idioma grego, os quais podem ser traduzido em português pelos
verbos ‘ser’, ‘estar’, ‘existir’, ‘haver’, ‘acontecer’; então você precisa
fazer uma escolha, conforme o sentido da oração: ‘No princípio era’
(opção da maioria das versões em português), mas também poderia
ser: ‘no princípio existia’ ou ‘no princípio havia’. O sujeito da oração
(o` lo,goj) é tradicionalmente traduzido como ‘o verbo’ – mas ‘verbo’
aqui não se refere ao ‘verbo’ enquanto classe gramatical, mas é a forma
aportuguesada do latim ‘verbum’ que significa ‘palavra’. Então, você
também poderia traduzir por ‘a palavra’ – é necessário, aqui também,
fazer uma escolha conforme o sentido da oração.
Por fim, você deve prestar atenção à ordem das palavras na
oração: se seguirmos a ordem do texto grego teremos, ou “no princípio
era o verbo (a palavra)”, ou “no princípio existia a palavra”. Essa ordem
das palavras segue a ordem comum das palavras no idioma hebraico!
“Hebraico”? Sim, João 1:1 está imitando Gn 1:1. Então, no hebraico, o
verbo sempre vem antes do sujeito. No português (e no grego), porém,
a ordem normal é o sujeito antes do verbo. No hebraico, bem como no
grego, o adjunto adverbial normalmente não antecede ao verbo – pode
ser usado assim por ênfase ou apenas por uma questão de estilo. Então,
você tem de fazer mais escolhas – manter a ordem do texto original
ou seguir a ordem da nossa língua. O princípio a ser usado é: “a não
ser que haja uma razão exegética, use a ordem da nossa língua” (ou
seja, se você não considerar que a ordem é usada por razões de ênfase
no significado, deve seguir a ordem da língua portuguesa). Então: “A
palavra existia no princípio” ou variações dessas palavras.
Vejamos, agora, a sentença seguinte: “kai. o` lo,goj h=n pro.j
to.n qeo,n(”. Usando o Analítico você já sabe que temos, na ordem,
uma conjunção coordenativa + artigo definido nominativo masculino
singular + substantivo nominativo masculino singular + verbo indicativo
imperfeito ativo terceira pessoa do singular + preposição com acusativo
+ artigo acusativo masculino singular + substantivo acusativo masculino
singular. Se seguirmos a regra da ‘tradução literal’ teríamos: “e a palavra

41
(o verbo) era (existia) na direção de (com) o Deus”.
Tente fazer a sua tradução. Para ajudar, as palavras que ainda não
foram usadas na primeira oração de Jo 1:1:
kai. é uma conjunção coordenativa (e, também, bem como,
juntamente, etc.);
pro.j é uma preposição que significa ‘diante de’, ‘perto de’, ‘com’,
‘em referência a’, ‘na direção de’, etc. (você deve escolher!!!!!);
to.n qeo,n ‘o Deus’ (note que no grego temos o artigo definido,
será que temos de usá-lo na tradução?)
Preste atenção aos casos das palavras, a fim de você saber qual é
o sujeito e qual é o predicativo do sujeito!
Minha preferência pessoal é “e a palavra estava na presença de
Deus” – note que a tradução já é interpretação. Entendo que a oração,
no grego, afirma que Jesus (a Palavra), que existia no princípio, existia
‘diante de’ Deus, ou seja, ‘na presença’ de Deus (ou ‘na companhia de
Deus’).
Qual é a sua tradução???
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
Agora, o verso 3: πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ
ἐγένετο οὐδὲ ἕν. ὃ γέγονεν ‘Literalmente’ teríamos: tudo (todas as
coisas) através (por, por meio) dele foi feito (veio a existir), e sem dele
(o pronome está no genitivo e não no nominativo!) foi feito (veio a
existir) nem um. O que foi feito (veio a existir). Antes de verificar uma
tradução adequada, note o seguinte: (a) Porque o pronome está no
genitivo depois do advérbio ‘sem’? Porque, seguindo a regra gramatical
do grego, ele deve combinar em caso com o seu antecedente (δι᾽
αὐτοῦ) – que também está no genitivo. Ora, o que o texto grego está
dizendo é ‘sem a ação [ou mediação] dele’ e não, ‘sem ele’ – por que,
então, as traduções em português costumam manter ‘sem ele’? (b)
Como traduzir o verbo γίνομαι? Veja parte do verbete no dicionário
de Gingrich publicado por Edições Vida Nova:

42 Bíblia V - Grego
γίνομαι passível de muitas traduções em diferentes contextos, das
quais as seguintes são típicas:—1. ser gerado ou produzido Mt. 21.19;
Jo 8.58; Rm 1.3; 1 Co 15.37; com ênfase sobre a fragilidade da vida
humana Gl 4.4. Erguer-se, ocorrer, acontecer, vir Mt 8.26; Mc 4.37; Lc
4.42; 23.19, 44; Jo 6.17; At 6.1; 11.19; 27.27; 1 Tm 6.4; Ap 8.5, 7.—2. ser
feito ou criado Mt 10.10; 11.20s; Lc 14.22; Jo 1.3; At 19.26; 1 Co 9.15:
Hb 11.3; ser estabelecido Mc 2.27.—3. acontecer, tomar lugar, dar-se
Mt 1.22; 18.31; Lc 1.38; 8.34; [...]
Veja: o próprio Dicionário diz que a palavra é passível de várias
traduções em diferentes contextos! Por que, então, os autores do
dicionário definiram que em João 1,3 ele deve ser traduzido por “foi
feito” e não, por exemplo, por “foi gerado”? ou por “veio a existir”? É
preciso, mesmo em uma tradução ‘literalista’, fazer opções!!
(c) Por que as edições críticas modernas do Novo Testamento
não seguem a pontuação dos versos 3-4 presente nas citações do texto
nos Pais da Igreja? Se a seguissem, o texto ficaria mais ou menos assim
(seguindo Almeida): “Todas as coisas foram feitas por ele e sem ele
nada teria sido feito. O que foi feito, nele, era a vida...”
“OK! Você diria. Mas o que a gente aprende com isso?”
(1) Traduzir é muito mais do que trocar as palavras de uma
língua pelas palavras de outra;
(2) Uma ‘tradução literal’ é uma péssima tradução – então essa
atividade deve ser abandonada – ela não ajuda a aprender!
(3) Se não conhecemos muito bem uma língua não nos devemos
nos atrever a traduzir textos dessa língua!
(4) Não há utilidade em comparar diferentes traduções do
mesmo texto para verificar ‘qual é a melhor’. Que critério usaríamos
para escolher a ‘melhor’? O que significa dizer ‘esta tradução é melhor
do que aquela’?
(5) De fato, a tradução do texto bíblico é um dos resultados finais
da exegese! Só depois de termos compreendido o texto é que podemos
traduzi-lo;
(6) Humildade, perseverança, estudo permanente. São atitudes
indispensáveis para estudar outro idioma, aprende-lo e utiliza-lo.

43
Vocabulário para Memorizar

ἀλήθεια Veracidade, Verdade, Confiabilidade, Fidelidade


φανερός Claro, Manifesto, Visível
φανερόω Eu manifesto, mostro, torno visível, faço aparecer
ἀόρατος Invisível, não-visível
κτίσις Criação, instituição
κόσμος Adorno, enfeite, mundo, mundo habitado,
humanidade

44 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 07
Ação, Pessoa e Caracterização

Exercite a pronúncia. João 1: 3-5


3
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ
ἕν. ὃ γέγονεν
4
ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων·
5
καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ
κατέλαβεν

Olá! Benvinda e benvindo à continuação de nosso


estudo de grego.
Nas duas últimas lições aprendemos a usar o NT
Grego Analítico. Vamos relembrar?
(1) O que você encontra nas três linhas do Analítico?
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________

(2) Quais são as funções de um Analítico?


_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________

(3) O que você aprendeu sobre tradução de textos?


_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________

45
Nesta Unidade voltamos ao tema da enunciação
e o nosso foco recairá sobre três elementos
fundamentais do enunciado: ação & pessoa &
caracterização.
Só para relembrar: um ‘texto’ é constituído de dois planos:
(1) O Plano de Expressão, que é a manifestação concreta de um
conteúdo no formato linguageiro: fala ou escrita. O Plano de Expressão
de um texto é analisado a partir do enunciado enunciado (não é erro
não! Os linguistas costumam fazer essa ênfase: o enunciado enunciado
– ou seja, o enunciado (conteúdo) enunciado (expressão)). A análise
do Plano de Expressão segue principalmente os padrões da morfologia
e da sintaxe do idioma;
(2) O Plano de conteúdo, que é o ‘conteúdo’ abstrato manifestado
pelo Plano de Expressão. São as ideias, valores, noções, conceitos,
etc. que queremos comunicar. O Plano de Conteúdo é analisado a
partir da enunciação enunciada. (A enunciação enunciada é o Plano
de Conteúdo cujo Plano de Expressão é o enunciado enunciado.) A
análise do Plano de conteúdo segue principalmente os padrões da
semântica, da estilística e da retórica (formas de argumentação).
Como já vimos anteriormente, os elementos fundamentais da
enunciação são cinco: ação, pessoa, tempo, espaço, caracterização.
Comecemos com uma definição linguística de ação:
Ação é a atividade de pessoas manifestada no texto mediante o
uso de verbos.
Através da definição você já aprende como identificar as ações:
procure, no texto, os verbos.
Bem. Isso você já sabia. Mas nunca é demais relembrar o que
já sabemos, não é verdade? Então, vamos nos lembrar de mais uma
coisinha. Existem alguns verbos que não descrevem ações. São os
chamados ‘verbos de ligação’ (por exemplo: ser, estar, haver, acontecer,
etc.) Do ponto de vista do Plano de Conteúdo os verbos de ligação
comumente servem para caracterizar os seus sujeitos.

46 Bíblia V - Grego
Vejamos, agora, a definição linguística de pessoa:
Pessoa, ou personagem, é quem age no texto.
Pessoa é uma construção do enunciador (autor), e não
a ‘pessoa real’ de quem se fala (no caso de textos históricos
e/ou biográficos). A pessoa construída pelo enunciador
pode ser: (a) uma representação mais próxima possível de
pessoas reais, ou (b) pode ser uma pessoa-tipo, construída
a partir de pessoas reais, mas não equivalente a uma em
particular (pode ser pura e simples ficção).
A pessoa linguística, ou textual, não precisa ser ‘real’, ‘humana’,
ou ‘divina’. Qualquer personagem do texto é a pessoa textual.
São vários os recursos possíveis para construir a
pessoa no texto: (1) indispensável são as ações que a pessoa
realiza, (2) em vários casos, as ações que a pessoa recebe ou
sofre, (3) os papéis socioculturais que a pessoa desempenha,
(4) as caracterizações que recebe, (5) os juízos que dela são
feitos, etc.
Através da definição você já aprende como identificar as pessoas:
procure, no texto, (a) o sujeito da ação verbal, (b) o destinatário da ação
verbal, (c) a caracterização que personifica (pessoa, tempo ou espaço), e (d)
orações subordinadas substantivas subjetivas e/ou predicativas do sujeito.
Caracterização: atribuição de qualidades, defeitos,
características gerais ou específicas a pessoas, espaços
e tempos. Adjetivos são a classe gramatical usada para
expressar características. Além de adjetivos, a caracterização
pode ser efetuada também por meio de recursos sintáticos
como: adjuntos e complementos nominais, orações
subordinadas subjetivas e orações subordinadas adjetivas.
Através da definição você já aprende como identificar as
caracterizações: procure, no texto, (a) adjetivos, (b) adjuntos e/ou
complementos nominais, (c) orações subordinadas subjetivas, e (d)
orações subordinadas adjetivas.

Vamos avançar?

47
O objetivo desta lição 07 é que você seja capaz de identificar, nos
textos bíblicos, as pessoas, as ações e as caracterizações (de pessoas,
tempos e espaços).
Como fazemos isto?
Veja: pessoa é quem age (ou sofre uma ação) no texto. Para
descobrir as pessoas do texto você deve, então, verificar quem age no
texto (ou quem recebe uma ação) no texto. Para descobrir quem age no
texto, você deve encontrar o sujeito de um verbo. Logo, para descobrir
as ações no texto, você deve identificar os verbos (de ação) no texto e,
então, encontrar os sujeitos do verbo.
(a) Jo 1,1. Leia em voz alta o texto (para continuar treinando
pronúncia) e preste atenção à explicação.
Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν, καὶ θεὸς ἦν ὁ λόγος.

Quem age neste versículo? Ninguém! Você já sabe que o verbo


’eimi é um verbo de ligação. Consequentemente, neste versículo temos
apenas a caracterização de pessoas. Então, vamos lá: quem são as
pessoas caracterizadas neste verso?
ὁ λόγος: esta pessoa é caracterizada três vezes
(a) Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος;
(b) ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν;
(c) θεὸς ἦν ὁ λόγος.
Vamos agora ao verso 2: οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν.
Quem age no texto? De novo, ninguém – mais um verso que
somente apresenta caracterização da pessoa. Quem é a pessoa
caracterizada?
οὗτος um pronome que se refere a ὁ λόγος do verso 1. Ou seja, a
mesma pessoa do verso 1. Então, a lista de caracterizações de ὁ λόγος
pode ser completada:
(4) ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν.

Uau! Você já está aprendendo a interpretar o texto! Se você


preferir uma palavra técnica da teologia, você já está aprendendo a
fazer exegese do texto. Um passo indispensável para entender qualquer

48 Bíblia V - Grego
texto é descobrir e compreender quem são as pessoas do texto. Em Jo
1,1-2 não temos ações, apenas a caracterização de uma pessoa. Vou
repetir, em português, essas caracterizações:
A Palavra (1) existia no princípio; (2) estava diante de Deus;
(3) era deus; e (4) estava no princípio diante de Deus. Bem, só
para aguçar a sua curiosidade e ajudar você a enxergar melhor a
importância deste exercício para compreender um texto, comentarei
mais detalhadamente.
O tema destes versículos é a identidade da Palavra: como só temos
caracterizações e as caracterizações qualificam a pessoa, podemos
afirmar que o tema é a identidade, ou seja, estes versos nos dizem
quem é a Palavra.
Este tema é apresentado na forma estilística da prosa poética –
sabemos disto, pois, estes versos formam um paralelismo:
a. Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος;

b. ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν;

c. θεὸς ἦν ὁ λόγος

a’ b’. ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν.


Note que temos um movimento progressivo (de a – c) e um
movimento repetitivo (a’ – b’). Este paralelismo, por sua vez, possui
também uma função argumentativa (retórica): visa provar que a
Palavra é Deus. O argumento principal é a existência da Palavra no
princípio, a tese é: a Palavra é Deus (θεὸς ἦν ὁ λόγος).

DETALHE: Caso você tenha se esquecido (e eu


espero que não), sabemos que a tradução de θεὸς ἦν ὁ λόγος
é ‘a Palavra era Deus’ porque a palavra logos é articulada,
enquanto a palavra theós não recebe artigo (é o predicativo
do sujeito).

49
Leia, agora, Jo 1,3-5:
3
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ
ἕν. ὃ γέγονεν 4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν
ἀνθρώπων· 5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία
αὐτὸ οὐ κατέλαβεν.
Repetindo. Como descobrimos as pessoas no texto? Descobrindo
quem age no texto, ou seja, descobrindo os sujeitos dos verbos (que
também podem indicar as caracterizações). E como descobrimos as
ações? Identificamos as ações através dos verbos de ação no texto.
Repare, agora, na primeira oração de Jo 1,3:
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο (todas as coisas, por ele, foram geradas).
Quem é a pessoa? αὐτοῦ (ele, pronome que se refere a ὁ λόγος). O
que ela fez? Gerou todas as coisas. Ah! Uma ‘pegadinha’ do João: ele
usou o verbo na voz passiva (você já sabe disso porque está usando o
Analítico, ou porque memorizou a forma verbal). Para saber qual é o
sujeito do verbo na voz passiva é só trocar a voz passiva pela ativa.
Temos:
A Palavra ὁ λόγος (pessoa)
Gerou ἐγένετο (ação)
Todas as coisas πάντα (resultado da ação).
Vamos à segunda oração do verso 3:
καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν (e sem ele nada foi gerado):
Pessoa: αὐτοῦ = ὁ λόγος;
Ação: ἐγένετο;
Resultado da ação: οὐδὲ ἕν.
E agora a terceira oração do verso 3:
ὃ γέγονεν (daquilo que foi gerado). Esta oração serve como
caracterização de οὐδὲ ἕν (nada). É uma oração adjetiva restritiva (sabemos
disso porque é iniciada com o pronome relativo e cumpre a função de
restringir o significado de ‘nada’ na oração anterior). Assim, a tradução
ficaria: nada do que foi gerado poderia ter sido gerado sem a Palavra.

50 Bíblia V - Grego
DETALHE: Você já deve ter notado que pessoa é um termo que se
refere ao sujeito do verbo. Lembra-se da ‘análise sintática’? Uma
oração é composta por sujeito e predicado. Então, identificar a
pessoa é quase a mesma coisa que identificar o sujeito da oração.
Porque não é a mesma coisa? Por que nem sempre as pessoas
são manifestadas no texto através dos sujeitos da ação verbal.

Vamos, então, aos exercícios para fixar o aprendizado!


Exercício de Fixação
Identifique as ações, pessoas e caracterizações nos versos abaixo
(não se esqueça de usar o Analítico!):
Jo 1,4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων·
Jo 1,5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν.

Jo 1,6 Ἐγένετο ἄνθρωπος, ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ


Ἰωάννης·

Jo 1,7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός, ἵνα
πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ.

Ei! Se você quiser reforçar ainda mais o seu aprendizado


deste assunto, pegue sua Bíblia – em português – e faça o
mesmo exercício com outros versículos – de Gênesis ou de
qualquer outro livro da Bíblia.

Vocabulário para Memorizar


σταυρός Cruz
μωρία Loucura, irracionalidade
σοφία Sabedoria, Prudência
σῴζω Eu salvo, curo, socorro
αἰτέω Eu peço, requeiro, suplico
ζητέω Eu busco, procuro

51
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

52 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 08
Ação, Pessoa e Caracterização (2)

Exercite a pronúncia. João 1: 6-8


6
Ἐγένετο ἄνθρωπος, ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα
αὐτῷ Ἰωάννης·
7
οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός,
ἵνα πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ.
8
οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς, ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ
φωτός.

Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de nosso


estudo de grego.
Na lição anterior aprendemos sobre três elementos da
enunciação. Vamos relembrar?
(1) Defina pessoa e como encontra-la no texto
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________
(2) Defina ação e como encontra-la no texto
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________
(3) Defina caracterização e como encontra-la no texto
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________

53
Nesta lição continuamos o estudo de três
elementos fundamentais do enunciado: ação &
pessoa & caracterização.
O objetivo desta lição 08 é que você aperfeiçoe sua capacidade de
identificar, nos textos bíblicos, as pessoas, as ações e as caracterizações
(de pessoas, tempos e espaços).
Para relembrar: Como fazemos isto?
Veja: pessoa é quem age (ou sofre uma ação) no texto. Para
descobrir as pessoas do texto você deve, então, verificar quem age
no texto (ou quem recebe uma ação) no texto. Para descobrir quem
age no texto, você deve encontrar o sujeito de um verbo. Logo, para
descobrir as ações no texto, você deve identificar os verbos (de ação)
no texto e, então, encontrar os sujeitos do verbo. Caracterizações são
qualidades atribuídas a pessoas, tempos ou espaços – para encontrar
as caracterizações de pessoas, procuramos adjetivos ou equivalentes
sintáticos de adjetivos no texto.
Vamos retomar os versos que serviram de exercício para a lição
anterior e acrescentar o verso 8 (que finaliza o conjunto de versos que
tratam de João).

Jo 1,4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων·

Jo 1,5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ


κατέλαβεν.

Jo 1,6 Ἐγένετο ἄνθρωπος, ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ


Ἰωάννης·

Jo 1,7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός,
ἵνα πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ.

Jo 1,8 οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς, ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός.

54 Bíblia V - Grego
Alisto as pessoas, na ordem em que aparecem nos versos:
αὐτῷ Ele (= A Palavra)
ἡ ζωὴ Vida (ATENÇÃO: pessoa no texto não precisa ser uma
pessoa ‘humana’, lembra-se da definição?)
ἀνθρώπων Seres humanos
φῶς Luz
ἡ σκοτία Trevas
αὐτὸ Ela (= Luz)
ἄνθρωπος Um homem
θεοῦ Deus
αὐτῷ Ele (= um homem)
οὗτος Ele (um homem)
πάντες Todas as pessoas
αὐτοῦ Ele (= um homem)
ἐκεῖνος ele (= um homem)
Agora, as caracterizações dessas pessoas:
Ele – nele estava a vida (ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν)
A vida – era a luz dos seres humanos (ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων)
Um homem – enviado da parte de Deus (ἀπεσταλμένος παρὰ
θεοῦ) + seu nome era João (ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης) + como testemunha
(εἰς μαρτυρίαν = aqui o texto grego usa o caso dativo que, aqui, exerce a
função de dativo essencial ou dativo de pessoa – serve para caracterizar
uma pessoa) + ele não era a luz (οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς) + testemunha
da luz (implícito na oração ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός)
Passamos às ações:
(τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει) a luz brilha nas trevas
(ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν) as trevas não prevalecem sobre ela
(a ação não precisa ser ‘positiva’, basta ser ação)
(Ἐγένετο) surgiu. NOTA: uma ação sem sujeito.
(ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός) testemunhar a respeito da luz
(ἵνα πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ) cressem (se tornassem fiéis)
por meio dele;

55
(ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός) testemunhar a respeito da luz
(repetição);
(ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ) – o verbo está na voz passiva, para
descobrir a sua pessoa, passamo-lo à voz ativa, e também encontramos
a ação: Deus tem enviado João. ATENÇÃO: a mesma oração, como
você percebeu, é simultaneamente uma característica de João e uma
ação de Deus que caracteriza João.

DETALHE: A análise das pessoas, ações e caracterizações


em um texto inicia com este reconhecimento das mesmas. Neste
primeiro momento, nós apenas reproduzimos o que está no
texto – ainda não estamos ‘interpretando’. Entretanto, devemos
prestar atenção aos elementos implícitos no texto – nestes versos,
por exemplo, vimos que uma mesma oração pode servir como
‘ação’ ou como ‘caracterização’.
Em outras palavras: cada texto tem sua peculiaridade e a
análise, embora deva seguir as definições linguísticas, não pode
deixar de ser guiada pelo texto. Como diziam os professores das
antigas: ‘toda regra tem sua exceção’.

Muito bem, agora podemos ampliar nossa leitura de Jo 1,6-8.


Vejamos uma questão estilística. Diferentemente de Jo 1,1-3 não temos
aqui prosa poética, apenas prosa narrativa, ou seja, um encadeamento
sequencial de ações e caracterizações:
Ἐγένετο ἄνθρωπος, ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης·
οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός, ἵνα πάντες
πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ, οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς· ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ
τοῦ φωτός. (Note que eu mudei a pontuação ao final do verso 7 – de um
‘ponto final’ para um ‘ponto e vírgula’. Lembre-se de que a pontuação não
existia nos textos originais, ela é colocada pelos editores do texto grego.)
Do ponto de vista retórico (da argumentação), o texto se esforça
em diferenciar João de Jesus (a Palavra), deixando claro, através
de repetições, que ele não era a luz, era apenas (e isso já é muito!)

56 Bíblia V - Grego
testemunha da luz! As repetições estão em negrito no texto, enquanto
a tese (ele não era a luz) está em itálico. Embora não fosse a luz, João
também fora enviado por Deus e também era um proclamador que
levaria as pessoas à fé-fidelidade.
Para boa entendedora: ao afirmar que João era testemunha da
luz, o texto do Evangelho apresenta João como precursor do Messias (a
luz), conforme encontrado em Malaquias 3,1 e em Isaías 40,3.
Devemos, agora, voltar aos versos 1-5 de João 1. Nos cinco
primeiros versos o Evangelho apresenta a Palavra (que é luz e que, mais
adiante saberemos que é Jesus, o Messias). Na lição anterior vimos que
a tese básica de 1,1-3 é a Palavra é Deus – estava no princípio com
Deus e criou o mundo. Agora o foco recai sobre a Palavra como luz-
vida: ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν, καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων· καὶ τὸ φῶς
ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει, καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν. Como criadora,
a Palavra é também a fonte da vida de todos os seres humanos, e essa
luz não é suplantada pelas trevas. Há aqui um jogo interessante: os
seres humanos vivem ‘nas trevas’ (no pecado), mas as trevas não tem
força suficiente para anular a vida (divina) que está neles – por mais
que as pessoas se afastem de Deus, sempre há uma forma de buscarem
a Deus, de serem provocadas a buscar a Deus, pelo simples fato de
que a luz de Deus está nelas (na linguagem de Gênesis: são ‘imagem e
semelhança de Deus’).
Antes de terminarmos esta lição, e dando um tempinho para
vocês ‘descansarem’ do grego, vamos conversar sobre exegese. Uma
das primeiras atividades da exegese é a delimitação do texto a ser
interpretado. Delimitar é estabelecer os limites, ou seja, o começo e o
fim de um texto. A delimitação pode ser baseada na lógica do texto, ou
na lógica da pregação. Veja: Jo 1,1-8 – do ponto de vista da lógica do
texto – é uma unidade. Do ponto de vista da lógica da pregação, são
duas unidades: um sermão sobre a Palavra e um sermão sobre João.
Depois da delimitação, a exegese requer a segmentação da
perícope. Que é perícope? É o texto delimitado! Depois de indicar o
início e o fim da perícope é necessário analisar em quantos segmentos
(partes) a perícope se divide. Para a segmentação é necessário seguir
a lógica do texto, não é possível seguir a lógica da pregação. Em Jo
1,1-8 temos dois segmentos: 1-5 (a Palavra) e 6-8 (João). O segmento

57
1-5 pode ser analisado como composto por dois sub-segmentos 1-3
(divindade da palavra) e 4-5 (a palavra como luz dos seres humanos).
Já 6-8 não possui sub-segmentos, forma uma unidade estrutural.
Depois da segmentação, vem a estruturação, ou seja, a análise
de como os segmentos são estruturados em um todo. Acima (e na
lição anterior) vimos que a estruturação de Jo 1,1-3 é na forma de
prosa poética com paralelismo, e que a de Jo 1,6-8 é de simples prosa
narrativa, mediante a sequência de ações e caracterizações.
Se você pensa em sermões, por exemplo, poderia ter os seguintes:
Tema: A divindade de Jesus
Divisões: Jesus é Deus porque existe eternamente
Jesus é Deus porque criou o mundo
Jesus é Deus porque ele é a vida dos seres humanos
Tema: João, a testemunha
Divisões: João foi enviado por Deus como testemunha
João não é a luz, mas testemunha sobre a luz
João foi instrumento de Deus para a fé no Messias
Tema: O testemunho
Divisões: Para testemunhar é preciso ser enviado por Deus
Para testemunhar é preciso conhecer a Palavra-Deus
O testemunho tem como objetivo a fé na Palavra-Deus
Que tal você imaginar outros sermões baseados nestes versos
iniciais de João?
A delimitação, segmentação e estruturação são parte da análise
do texto enquanto Plano de Expressão. A análise de pessoas, ações
e caracterizações é parte da análise do texto enquanto Plano de
Conteúdo.

Vamos, então, aos exercícios para fixar o aprendizado!

58 Bíblia V - Grego
Exercício de Fixação
Identifique as ações, pessoas e caracterizações nos versos abaixo
(não se esqueça de usar o Analítico!):

9
Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν, ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον, ἐρχόμενον εἰς
τὸν κόσμον.

10
ἐν τῷ κόσμῳ ἦν, καὶ ὁ κόσμος δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο, καὶ ὁ κόσμος
αὐτὸν οὐκ ἔγνω.

11
εἰς τὰ ἴδια ἦλθεν, καὶ οἱ ἴδιοι αὐτὸν οὐ παρέλαβον.

12
ὅσοι δὲ ἔλαβον αὐτόν, ἔδωκεν αὐτοῖς ἐξουσίαν τέκνα θεοῦ
γενέσθαι, τοῖς πιστεύουσιν εἰς τὸ ὄνομα αὐτοῦ,

13
οἳ οὐκ ἐξ αἱμάτων οὐδὲ ἐκ θελήματος σαρκὸς οὐδὲ ἐκ θελήματος
ἀνδρὸς ἀλλ᾽ ἐκ θεοῦ ἐγεννήθησαν.

Ei! Se você quiser reforçar ainda mais o seu aprendizado deste


assunto, pegue sua Bíblia – em português – e faça o mesmo
exercício com outros versículos – de João ou de qualquer outro
livro da Bíblia.

Vocabulário para Memorizar


κηρύσσω Eu proclamo, eu prego, anuncio
σταυρόω Eu crucifico
βλέπω Sabedoria, Prudência
ἐκλέγομαι Eu escolho, elejo, tenho preferência por
καταργέω Eu anulo, destruo, elimino
καυχάομαι Eu me orgulho, me vanglorio, me glorio

59
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

60 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 09
Espaço
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de nosso
estudo de grego.
Vamos começar revisando o que já estudamos.
Em primeiro lugar, você aprendeu (está aprendendo)
a ler o texto grego impresso da Bíblia. Espero que você
esteja lendo diariamente alguns versículos pelo menos,
para fixar o aprendizado da leitura e pronúncia. Em duas
lições conversamos sobre como usar o Analítico, a fim de
que você consiga trabalhar mais adequadamente com o
idioma nesta fase inicial de aprendizado.
Depois, começamos a aprender o funcionamento da
língua grega (e de qualquer língua) através de um conceito
da Linguística atual: o conceito de enunciação. A enunciação
produz enunciados. O enunciado possui cinco elementos
fundamentais: ação, pessoa, tempo, espaço, caracterização.
Nas duas unidades anteriores começamos a estudar
a ação, a pessoa e a caracterização. Aproveitamos para
conversar um pouco sobre detalhes da exegese. Para revisar
o que você aprendeu, responda às perguntas abaixo:
(1) Que é perícope?
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________
(2) Quais são as três atividades exegéticas inicias de
trabalho com uma perícope?
_________________________________________
______________________________________________
______________________________________________

61
Antes de iniciarmos o estudo do tema desta lição, uma nota sobre
conceitos linguísticos. Já estudamos os conceitos de enunciação e de
enunciado. Já sabemos quais são os cinco elementos fundamentais
do enunciado. Agora, é importante destacar um aspecto de que ainda
não falamos: os elementos fundamentais do enunciado são os traços
(as pistas ou indícios) da enunciação no enunciado – por isso é que
dissemos que o estudo desses elementos pertence à análise do Plano
de Conteúdo. Ora, a enunciação é algo extremamente fugaz, nós a
realizamos, mas ela é um ato que desaparece no próprio instante em
que é realizado. Entretanto, como ela deixa seus traços no enunciado,
podemos estuda-la e entender o que foi enunciado. Também, por isso,
embora falemos em enunciação, o estudo da enunciação sempre é o
estudo da enunciação-enunciada, pois sem os traços deixados pela
enunciação nos enunciados é impossível entender um ato humano de
comunicação de sentido.
Agora vamos ao tema de hoje!

Nesta Unidade nosso foco será dirigido ao


espaço, outro elemento fundamental do
enunciado.
O objetivo desta Unidade 09 é que você seja capaz de definir
espaço e identifica-lo nos textos bíblicos
Talvez você esteja se perguntando: “será mesmo importante estudar
o espaço no aprendizado do grego e da interpretação de textos bíblicos?” É
importante, sim – de fato, muito importante. Vou dar algumas razões: (a)
você já sabe que o espaço é um dos elementos fundamentais do enunciado,
esta já é uma boa razão para estuda-lo; (b) nós vivemos em espaços
(lugares, territórios, etc.) e, desde pequenos, aprendemos a nos localizar
no espaço (e no tempo) e nossas vidas são delimitadas pelos espaços em
que habitamos; (c) o espaço não é apenas uma realidade geográfica, mas
também cultural – viver em uma cidade litorânea é diferente de viver em
uma cidade nas montanhas; viver em uma metrópole como São Paulo é
bem diferente do que viver em uma pequena vila de interior, etc.; (d) o
espaço, realidade geográfica e cultural, nos ajuda a produzir sentido, a dar
sentido à vida e às ações humanas (e divinas).

62 Bíblia V - Grego
Então, vamos lá. Antes, porém, que tal revisar?
Jo 1,11: εἰς τὰ ἴδια ἦλθεν, καὶ οἱ ἴδιοι αὐτὸν οὐ παρέλαβον
Quem age neste versículo?_____________________________;
________________ (responda usando as palavras gregas)
“Ele” faz o quê? ________________ (responda usando apenas o
verbo grego);
οἱ ἴδιοι fazem o que? ___________________ (responda usando
a oração em grego)
Você respondeu corretamente. A primeira pessoa está implícita
no verbo (ele ἦλθεν) e é explicitada como o sujeito que recebe a ação
de οἱ ἴδιοι (αὐτὸν). Ele εἰς τὰ ἴδια ἦλθεν (veio para os seus), mas οἱ ἴδιοι
não o receberam (αὐτὸν οὐ παρέλαβον).
Que é o espaço, do ponto de vista do enunciado?
Quem age, sempre age em algum lugar. Nos textos, os
espaços são locais significativos que delimitam e organizam
a ação, sejam espaços reais ou imaginários. Como no caso das
pessoas, os espaços podem ser típicos ou não, reais ou não. Os
espaços se organizam ao redor de oposições do tipo aqui-lá,
dentro-fora, perto-longe, esquerda-direita, etc., em função
de um ponto a partir de que ele se organiza. A importância
e os significados do espaço variam de acordo com o texto e
merecem análise cuidadosa.
Voltemos a Jo 1,1. Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν
καὶ θεὸς ἦν ὁ λόγος. Temos uma indicação de espaço: ὁ λόγος ἦν πρὸς
τὸν θεόν (‘a palavra estava diante de Deus). Este é um ‘espaço’ fora do
mundo criado, nós diríamos que nem é um lugar propriamente dito.
Do ponto de vista textual, porém, é, sim, uma indicação de espaço.
Você pode perguntar “onde estava a palavra?” e encontrar a resposta:
“diante de Deus”. Temos, então, um espaço definido pela relação
pessoal – diríamos: o espaço da comunhão entre a Palavra e Deus.
No verso 2 temos uma repetição da localização espacial da Palavra:
οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν. E no verso 4 encontramos mais
um espaço ‘personalizado’: ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν (nele estava a vida). Estes
versos iniciais de João nos dão um belo exemplo de como o espaço nos
textos não se restringe às localizações geográficas.

63
Como identificar os espaços? Basta usar o que sabemos sobre
espaços e lugares: todas as palavras que indicam um lugar (podem
ser substantivos, adjetivos, pronomes, advérbios e locuções adverbiais,
orações subordinadas e mais raramente, verbos podem ser usados para
indicar espaços) são os termos que indicam espaço no texto. De fato,
identificamos os espaços de um texto quando respondemos à pergunta
“onde?” (Lembre-se, as perguntas para o início da análise do conteúdo
na exegese de um texto são “quem faz o que, a quem, onde e quando,
sendo caracterizado como?”)
Então, assim como fizemos com as pessoas, ações e caracterizações,
a interpretação do espaço no texto inicia com a listagem dos espaços.
Depois, estudamos a organização dos espaços no texto e, enfim,
tentamos entender como essa organização produz sentido.
Muito bem. Agora vejamos como os espaços ajudam a produzir
sentido no texto, usando Jo 1,1-5. Além dos espaços já mencionados,
no verso 5 nós encontramos a frase καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει
(e a luz brilha nas trevas). Onde brilha a luz? ἐν τῇ σκοτίᾳ (nas trevas).
Assim, os espaços em Jo 1,1-5 são:
ἦν πρὸς τὸν θεόν (duas vezes, nos versos 1 e 2)
ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν (verso 4)
ἐν τῇ σκοτίᾳ (verso 5)
Depois de alistar, analisamos a organização desses espaços. Vejo
dois arranjos nestes versos: nos versos 1 e 2 os espaços são referentes
à relação entre a Palavra e Deus, ou seja, são os espaços ocupados pela
Palavra; no verso 4 o espaço é a própria Palavra – ou seja, além de
sujeito (pessoa), a Palavra também é o espaço da vida e esse espaço
personificado está em oposição a outro espaço ‘nas trevas’, que ‘não
prevalecem contra ela’. Esses dois arranjos, por sua vez, são organizados
ainda de outro modo: nos versos 1-2 o espaço é anterior à criação; nos
versos 4-5 o espaço está no mundo criado (note que o verso 3 nos
informa que a Palavra criou tudo o que existe).
Percebida a organização dos espaços no texto, passamos à análise
do significado oferecido pela espacialidade do texto.
Todos os espaços aqui são personificados: nos versos 1-2 o espaço

64 Bíblia V - Grego
indica a comunhão entre a Palavra e Deus, não só indicando que a
Palavra é Deus, mas também mostrando que a vida de Deus antes da
criação é uma vida relacional. Nos versos 4-5 os espaços indicam que,
no mundo criado, a vida não é uma realidade autônoma – a vida está na
Palavra e é só por isso que ela suplanta as trevas – ela brilha nas trevas
– que não a podem derrotar. Já vimos que isto tem a ver com a relação
entre os seres humanos e Deus, tema que irá voltar em outros segmentos
do Prólogo do Evangelho de João. Aprendemos que a vida, nos seres
humanos, é uma realidade conflitiva – sempre se opõe à morte e mesmo
quando ocorre a morte, esta é incapaz de derrotar a vida.
Esta análise confirma o que já havíamos aprendido no estudo
das pessoas e suas ações e caracterizações no texto de João 1 e nos faz
perceber um aspecto importante da identidade da Palavra: além de ser
divina, a Palavra é relacional e conflitiva no mundo criado.

DETALHE: Nestes versos os espaços foram textualizados


na forma de locuções adverbiais locais, marcadas pela presença
de preposições ‘espaciais’ πρὸς (diante de) e ἐν (em).

Relembrando, o objetivo desta Unidade é identificar os espaços


do texto e notar sua organização e a contribuição da espacialidade
para o sentido do texto. Foi o que fiz com Jo 1,1-5.
Agora é a sua vez de, junto comigo, fazer o mesmo com Jo 1,6-
9 (o segmento do prólogo que tematiza João): Ἐγένετο ἄνθρωπος,
ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ, ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης· 7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν
ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός, ἵνα πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ. 8 οὐκ
ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς, ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός. 9 Ἦν τὸ φῶς τὸ
ἀληθινόν, ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον, ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον.
(a) Leia em voz alta o texto (para continuar treinando pronúncia)
(b) Preste atenção ao texto e sua tradução e faça o que eu for lhe
pedindo:
v. 6. Surgiu uma pessoa (Ἐγένετο ἄνθρωπος), enviada da parte
de Deus (ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ), seu nome era João (ὄνομα αὐτῷ
Ἰωάννης);

65
Identifique os espaços. Para ajudar você, vou indicar quantos são
e dar outras dicas:
(1) _________________ (está implícito no primeiro verbo do verso)
(2)_________________ (não é um lugar, mas um movimento)
(3)_________________ (é, simultaneamente, um lugar e uma
pessoa)

v. 7. Ele veio como testemunha (οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν), a fim


de que testemunhasse acerca da luz (ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός),
a fim de que todas as pessoas pudessem crer através dele (ἵνα πάντες
πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ).
Identifique os espaços. Para ajudar você, vou indicar quantos são
e dar outras dicas:
(1) _________________ (é um movimento)

v. 8. Ele não era a luz (οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς), porém, a fim de


que testemunhasse acerca da luz (ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός).
Identifique os espaços. Para ajudar você, vou indicar quantos são
e dar outras dicas:
(1) _________________ (é um movimento e está implícito –
você deve prestar atenção ao que está faltando no texto entre as duas
orações que o compõem e que se refere a um espaço presente antes
deste verso)

v. 9. Ele era a luz verdadeira (Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν), a luz que


ilumina todas as pessoas (ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον), e estava vindo ao
mundo (ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον).
Identifique os espaços. Para ajudar você, vou indicar quantos são
e dar outras dicas:
(1) _________________ (é um movimento)
(2)__________________(e uma locução adverbial de lugar,
marcada por uma preposição espacial).
Uau! Estes versos do texto deram trabalho! Vamos conferir juntos:

66 Bíblia V - Grego
v. 6. Surgiu uma pessoa (Ἐγένετο ἄνθρωπος), enviada da parte
de Deus (ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ), seu nome era João (ὄνομα αὐτῷ
Ἰωάννης);
(1) no mundo (João surgiu em algum lugar, indeterminado, de
modo que podemos entender que é ‘no mundo’)
(2) enviada
(3) da parte de Deus (simultaneamente, um lugar indicado pela
preposição local παρὰ e uma pessoa que age - Deus). Aqui temos algo
interessantíssimo: a preposição usada indica um lugar ‘ao lado de’,
‘próximo a’. O motivo mais provável para seu uso é a lógica hebraica
do envio: a pessoa enviada representa a pessoa que a enviou, é uma
espécie de substituta de quem a enviou.

v. 7. Ele veio como testemunha (οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν), a fim


de que testemunhasse acerca da luz (ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός),
a fim de que todas as pessoas pudessem crer através dele (ἵνα πάντες
πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ).
(1) veio (está implícito que veio ‘ao mundo’ e está explícita a
identidade do que veio: veio como testemunha).

v. 8. Ele não era a luz (οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς), porém, a fim de


que testemunhasse acerca da luz (ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός).
(1) veio (após a indicação de que João não era a luz – ou seja, não
era a Palavra – a segunda oração do verso deixa implícito que João veio
a fim de dar testemunho da luz=Palavra).

v. 9. Ele era a luz verdadeira (Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν), a luz que


ilumina todas as pessoas (ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον), e estava vindo ao
mundo (ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον).
(1) estava vindo (ἐρχόμενον é uma forma de particípio presente e
indica um estado – nós estudaremos sobre temporalidade em outras lições)
(2) ao mundo (agora você percebeu porque usei ‘mundo’ para
indicar o espaço implícito nos versos anteriores. O que está implícito
em um texto deve ser recuperado a partir do próprio texto, não
podemos simplesmente ‘adivinhar’!).

67
Ufa! Quanta coisa nova! Nesta unidade vimos bastantes
informações sobre como identificar e interpretar espaços, que podem
ser apresentados no texto de formas muito variadas, inclusive através
de verbos e de implícitos. Mas o que você precisa aprender e não se
esquecer de jeito nenhum?
APENAS: como identificar espaços no texto hebraico. Revisando:
1. Para identificar espaços, localizamos os termos, no texto, que
indicam lugar/espaço (podem ser substantivos, adjetivos, advérbios,
locuções adverbiais, orações e até mesmo, raramente, verbos);
2. Os espaços não estão presentes de modo aleatório no texto,
eles estão organizados;
3. O modo como o texto organiza os espaços nos mostra como
interpretar a espacialidade do texto.

Como você já fez exercícios, acima, vamos direto ao vocabulário!


Mas, que tal você, ‘sem medo’, tentar analisar a organização dos
espaços em Jo 1,6-9 e interpretar o seu significado?

ATENÇÃO: Se você quiser reforçar ainda mais o seu


aprendizado deste assunto, pegue o Analítico e faça o mesmo
exercício de identificação de espaços com outros versículos – de
João ou de qualquer outro livro do Novo Testamento.

Vocabulário para Memorizar


οὗτος Este, ele
ὄνομα Nome
ἐκεῖνος Aquele, ele
φωτίζw Eu ilumino, esclareço, clareio
φῶς Luz
ἀληθινός Verdadeiro, confiável

68 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 10
Espaço e Preposições
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura)
1 Co 1,18-24:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ ἐστιν. 19
γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν καὶ τὴν σύνεσιν
τῶν συνετῶν ἀθετήσω. 20 ποῦ σοφός; ποῦ γραμματεύς; ποῦ
συζητητὴς τοῦ αἰῶνος τούτου; οὐχὶ ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν
τοῦ κόσμου1; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ
κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ τῆς μωρίας
τοῦ κηρύγματος σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22 ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι
σημεῖα αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ
κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον, Ἰουδαίοις μὲν σκάνδαλον,
ἔθνεσιν2 δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς δὲ τοῖς κλητοῖς, Ἰουδαίοις τε καὶ
Ἕλλησιν, Χριστὸν θεοῦ δύναμιν καὶ θεοῦ σοφίαν·

Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de


nosso estudo de grego.
Na Unidade anterior começamos a estudar a espacialidade, ou o
espaço. Veja o que você aprendeu:

1. Espaço é:_________________________________
______________________________________________
2. Que pergunta devemos responder para identificar
os espaços no texto?
______________________________________________
_____________________________________________
3. Para analisar a espacialidade de um texto
precisamos, depois de alistar os espaços, devemos estudar
a sua __________________________________________

69
Nesta Unidade nosso foco continuará dirigido
ao espaço e daremos um enfoque particular às
preposições da língua grega
O objetivo desta Unidade 10 é que você aperfeiçoe sua capacidade
de analisar a espacialidade no texto grego, especialmente mediante a
compreensão adequada das preposições do idioma grego.
Para iniciar, vamos retomar João 1,6-9 e verificar a organização
e o sentido da espacialidade nesse segmento da perícope inicial do
Evangelho joanino.
v. 6. Surgiu uma pessoa (Ἐγένετο ἄνθρωπος), enviada da parte
de Deus (ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ), seu nome era João (ὄνομα αὐτῷ
Ἰωάννης);
(1) no mundo
(2) enviada
(3) da parte de Deus

v. 7. Ele veio como testemunha (οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν), a fim


de que testemunhasse acerca da luz (ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός),
a fim de que todas as pessoas pudessem crer através dele (ἵνα πάντες
πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ).
(1) veio
v. 8. Ele não era a luz (οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς), porém, a fim de
que testemunhasse acerca da luz (ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός).
(1) veio
v. 9. Ele era a luz verdadeira (Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν), a luz que
ilumina todas as pessoas (ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον), e estava vindo ao
mundo (ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον).
(1) estava vindo
(2) ao mundo.

70 Bíblia V - Grego
A organização espacial aqui gira ao redor do movimento –
originado ‘da parte de Deus’ (e do lugar onde Deus habita) com
destinação ao mundo (especialmente o mundo enquanto espaço de
habitação dos seres humanos). João é enviado ‘da parte de Deus’ (mas
não veio do lugar onde Deus habita), ele é um ser humano que ‘surgiu’
no mundo – ou seja, sua chegada não foi notada. Ele foi enviado como
testemunha para anunciar a palavra sobre a Palavra-Vida-Luz. A luz –
que vem do lugar onde Deus habita, pois ela é o próprio Deus-Palavra –
é apresentada na condição de estar se aproximando do mundo, sem ter,
ainda, chegado plenamente (somente a partir do verso 11 é que a Palavra-
Luz chega ao mundo). Além do movimento, a espacialidade estabelece
um contraste de origem entre João (um ser humano deste mundo) e
a Luz verdadeira (não originada neste mundo). Semelhantemente há
um contraste entre este mundo (trevas) e o mundo divino (luz). Deus,
porém, não deixa este mundo à sua sorte, mas envia testemunha e vem
(na pessoa da Luz-Palavra) ao mundo para que a vida prevaleça sobre
a morte. A organização da espacialidade destaca que, embora tanto
João como a Luz tenham uma missão da parte de Deus, João é apenas
testemunha, ele não é Deus; a Luz-Palavra, porém, é Deus – e a vontade
de Deus é que o mundo tenha vida!
Muito bem! Podemos agora estudar as preposições da língua grega!
Preposição é uma classe de palavras que serve para ligar ou
expressar a relação entre substantivos e outras palavras na oração.
No coinê, também auxilia o substantivo a expressar seu caso (função
sintática) – quando ligada a ‘nomes’ as preposições tem seu sentido
definido em função do caso com o qual são usadas. As preposições
também são usadas como prefixos verbais para (1) especificar o
sentido de um verbo; e (2) intensificar o sentido de um verbo. Como
em português, as preposições são invariáveis, mas podem perder
sua vogal final quando antecedem uma palavra iniciada com vogal
(exceção: peri, e pro,). Algumas preposições tem sua consoante final
modificada em contato com a consoante inicial da palavra seguinte à
mesma em um texto.
Semelhantemente à língua portuguesa, vários verbos em grego
são formados com preposições, de modo que o sentido da raiz verbal

71
é modificado e especializado. Veja alguns exemplos:
• evkba,llw - jogar fora, expulsar (sem a preposição é simples-
mente ‘jogar’)
• avpoba,llw - jogar para baixo, despir, perder
• evndei,knumi – mostrar (sem a preposição, o sentido básico é
‘apontar’)
• evpiginw,skw - reconhecer, conhecer plenamente (sem a prep-
osição é ‘conhecer’)
• eivse,rcomai – entrar (literalmente ‘ir para dentro de’, sem a
preposição a raiz verbal significa ‘ir’ ou ‘vir’)
• proginw,skw - conhecer antes, de antemão (só ‘conhecer’ sem a
preposição)
• paralamba,nw – receber da parte de, aceitar de alguém (sem a
preposição, somente ‘receber’ ou ‘aceitar’)
OK! Mas quais são as preposições, afinal de contas? Primeiro
você terá uma lista com as preposições e sua tradução em ordem
alfabética, depois, um diagrama que irá facilitar seu estudo:

Com acusativo Com genitivo Com dativo

Para cima, ‘outra vez’,


‘de novo’
Contra, em lugar de, em
avnti troca de
De, a partir de, desde, da
avpo parte de

dia, Por causa de Através de, por meio de


De, a partir de, de
evk dentro de

72 Bíblia V - Grego
Para, em direção, para
eivj dentro de, até

Em, dentro
evn
de, entre,
no meio de
evpi, Sobre, na presença de,
Sobre, contra Sobre, em, a
em
kata,
Conforme, segundo Abaixo de, por baixo de

meta, Após, depois de Junto, com

Ao lado de, do lado de,


para, Do lado de, da parte de Ao lado de
a, para o lado de, contra

peri, Ao redor de, em volta Acerca de, sobre, em


de referência a

pro, Antes, antes de

pro,j Em direção a, para, Perto de,


Para
diante de junto de

su,n com

No lugar de, a favor de,


u`pe,r Acima, sobre, além de
em prol de

u`po, Debaixo de, sob, abaixo


Por meio de, por
de

cwri,j sem

No diagrama abaixo você encontrara as preposições em uma


disposição espacial, que visa facilitar a sua memorização e compreensão.

73
Vamos aproveitar o tempo de que ainda dispomos e dar uma
olhada nos advérbios do grego coinê.
Advérbio é uma classe de palavras que se junta ao verbo (só os
de intensidade é que podem também se juntar a adjetivos e advérbios),
acrescentando-lhe circunstâncias de tempo, de modo, de intensidade,
de lugar, etc. Como em português, os advérbios no grego são invariáveis
e a maioria é derivada de adjetivos. Eles e podem ser usados sós ou em
locuções adverbiais.
Vejamos alguns advérbios:
• kalw/j - bem
• avxi,wj - dignamente
• euvqu,j - imediatamente, logo
• e;xw - fora, do lado de fora
• evggu,j - perto, próximo de
• polu,j - muito
• pollw/| ma/llon – muito mais

74 Bíblia V - Grego
Exercício de Fixação (João 1,1-9)
Sublinhe todas as preposições e advérbios no texto abaixo.
1
Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν, καὶ
θεὸς ἦν ὁ λόγος 2 οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν 3 πάντα δι᾽
αὐτοῦ ἐγένετο καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν ὃ γέγονεν
4
ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων· 5 καὶ
τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν
6
Ἐγένετο ἄνθρωπος ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ ὄνομα
αὐτῷ Ἰωάννης· 7 οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ
περὶ τοῦ φωτός ἵνα πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ 8 οὐκ ἦν
ἐκεῖνος τὸ φῶς ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός 9 Ἦν
τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον ἐρχόμενον
εἰς τὸν κόσμον.

Você pode, usando ou não o Analítico, fazer o mesmo


com outros textos do Novo Testamento.

Vocabulário para Memorizar


“Cadê as palavras para memorizar?”
Estão no corpo da lição. Sua tarefa de memorização é
evidente: decore as preposições! Use a tabela, pois ela facilita
a compreensão das preposições mediante a comparação
entre as mesmas.
Se você estiver mesmo disposta(o) a aprender bem
o grego, pode também memorizar os advérbios alistados
acima.

75
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

76 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 11
O Sistema Verbal na Língua
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura)
1 Co 1,18-24:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ ἐστιν.
19
γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν καὶ τὴν
σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω. 20 ποῦ σοφός; ποῦ γραμματεύς;
ποῦ συζητητὴς τοῦ αἰῶνος τούτου; οὐχὶ ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν
σοφίαν τοῦ κόσμου; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ
ἔγνω ὁ κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς
διὰ τῆς μωρίας τοῦ κηρύγματος σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22
ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι σημεῖα αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν
ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον,
Ἰουδαίοις μὲν σκάνδαλον, ἔθνεσιν δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς δὲ τοῖς
κλητοῖς, Ἰουδαίοις τε καὶ Ἕλλησιν, Χριστὸν θεοῦ δύναμιν
καὶ θεοῦ σοφίαν·
Olá! Bem-vinda e bem-vindo! Mais uma ‘aula’ de
grego coinê
Vamos começar revisando o que já estudamos.
Em primeiro lugar, você aprendeu (está aprendendo) a ler o texto
grego impresso do Novo Testamento. Espero que você esteja lendo
diariamente alguns versículos para fixar o aprendizado da leitura e
pronúncia. Aprendemos a usar o Analítico, que facilita a vida de quem
está aprendendo o grego neotestamentário.
Passamos a aprender a lógica da língua grega (e de qualquer
língua) através de conceitos da Linguística e da Semiótica: enunciação
enunciado, plano de expressão, plano de conteúdo, actorialidade (a
construção das pessoas no texto) e espacialidade.
Nas duas Unidades anteriores estudamos o espaço. O que é, como
descobrir no texto e sua importância para o sentido. Mas você sabe
que, para aprender mesmo, mesmo, você precisa continuar praticando.

77
Nesta e nas próximas Unidades nosso foco
mudará para a temporalidade na comunicação
linguística. Começaremos com uma descrição
da lógica do sistema verbal – que se aplica a
qualquer idioma.
O objetivo desta Unidade 11 é que você seja capaz de descrever
e explicar os cinco elementos fundamentais do verbo.

1. Definindo o Verbo
Verbo é a classe de palavras que descreve: ação, estado, intenção,
desejo, etc., de sujeitos, ou ocorrências e acontecimentos “naturais” e/
ou “históricos”. O verbo é a unidade-eixo da estrutura da oração e é
constituído por cinco elementos fundamentais:
voz (ativa, passiva, reflexiva)
tempo (concomitância, anterioridade, posterioridade),
aspecto (pontual, durativo, perfectivo ou gnômico),
modo (indicativo, subjuntivo, imperativo, infinitivo, particípio),
pessoa (primeira, segunda e terceira pessoas)

2. Verbo e Tempo Linguístico


“Mostra Benveniste que uma coisa é situar um acontecimento
no tempo crônico e outra é inseri-lo no tempo da língua. Para ele, o
tempo linguístico é irredutível seja ao tempo crônico, seja ao tempo
físico. Dessa forma, o linguista francês considera que há um tempo
específico da língua (1974, p. 73)” (FIORIN, José Luiz. As Astúcias
da Enunciação. São Paulo: Ática, 2008, p. 142. 5ª. reimpressão da 2ª.
edição). Ou seja, o tempo linguístico é um tempo cultural, semiótico.
Em outras palavras, não se trata de descrever o tempo real como ele
é, mas de descrever o modo como o autor ou autora do texto viu e
interpretou a ação.

78 Bíblia V - Grego
3. Modo Verbal
O modo descreve a atitude do enunciador em relação ao
enunciado ou ao enunciatário. Os modos são indicados na língua
pelas conjugações verbais. Os modos fundamentais são:
Indicativo é o modo da certeza, da segurança do enunciador em
relação ao enunciado. Exemplo: Ele corre;
Subjuntivo é o modo da probabilidade, da incerteza, ou do desejo
do enunciador em relação ao enunciado. Exemplo: Que ele corra;
Imperativo é o modo da petição do enunciador em relação ao
enunciatário (ordem, proibição, exortação, conselho, súplica). Em
gramáticas de grego e hebraico às vezes são mencionados os modos
coortativo e jussivo, que realizam funções similares às do imperativo.
Exemplo: Corre!;
Optativo, modo verbal praticamente em desuso, incorporado pelo
subjuntivo, é o modo do desejo do enunciador, ou da possibilidade de
realização do enunciado (não há forma em português, usamos o subjuntivo);
O infinitivo, o gerúndio e o particípio não são propriamente
modos, e possuem características tanto verbais como nominais. No
grego temos formas do infinitivo e do particípio para cada tempo
verbal (diferentemente do português, em que há somente um infinitivo
e um particípio para cada verbo) e não temos nem o infinitivo pessoal,
nem o gerúndio.
Infinitivo:  indica a ação propriamente dita, sem situá-la no
tempo, aproximando-se da função substantiva. Exemplo: Correr;
Particípio: indica o resultado da ação, indicando uma ação já
realizada, finalizada. Além disso, pode acumular as características
de verbo, substantivo e adjetivo. Ademais, através do  particípio,
são formados tempos verbais compostos que exprimem o aspecto
terminativo da ação. Exemplo: Corrido.
Gerúndio: indica a duratividade da ação. Pode também acumular
as características de verbo, substantivo e adjetivo. Ademais, através
do gerúndio, são formados tempos verbais compostos que exprimem
o aspecto processual da ação. Exemplo: Correndo.

79
4. Vozes do Verbo
Na língua, as seguintes vozes do verbo expressam a relação
do sujeito com o verbo na oração. As vozes também são indicadas
formalmente:
Ativa: o sujeito realiza a ação verbal – o verbo é usado em suas
conjugações normais;
Passiva: o sujeito sofre a ação verbal, executada pelo agente da
passiva. A forma da voz passiva é verbo auxiliar + verbo principal no
particípio: foi feito; está terminado; foi assassinado, etc.;
Média (ou reflexiva): o sujeito realiza a ação em referência a
si mesmo (sofrendo os efeitos da ação, agindo em seu benefício ou
interesse, destacando a sua agência). Normalmente se indica a voz
média através do uso do pronome reflexivo: eu me casei; ele se feriu;
ela se embelezou; ele se vestiu, etc.;
5. Pessoas Verbais
As pessoas são indicadas pela conjugação verbal:
primeira (eu - nós) = enunciador;
segunda (tu – vós // você - vocês) = enunciatário (o destinatário
da comunicação);
terceira (ele/ela - eles/elas) = alguém de quem se fala no texto.
6. Temporalidade
Como o tempo verbal é semiótico, e não físico, ele é definido
pelo momento da enunciação = agora, ao qual se contrapõe um então
(antes ou depois). Assim, temos as três categorias da temporalidade:
concomitância (o tempo do enunciado corresponde ao momento
da enunciação), anterioridade (o tempo do enunciado é anterior ao
momento da enunciação) e posterioridade (o tempo do enunciado é
posterior ao momento da enunciação).
Em vários idiomas, a temporalidade é indicada pelas
conjugações verbais, como no português, por exemplo: Presente indica
concomitância. Pretérito Perfeito; Pretérito Imperfeito e Pretérito-
mais-que-perfeito indicam anterioridade; Futuro do Presente e Futuro
do Pretérito indicam posterioridade. No grego, porém, há tempo verbal
que não define temporalidade cronológica propriamente dita!

80 Bíblia V - Grego
7. Aspectualidade
O aspecto indica o modo como a ação é descrita pela enunciação
conforme as relações entre os momentos de referência (o tempo no
enunciado) e da enunciação. São quatro os tipos de aspectos da ação verbal:
(a) pontual (ação vista como realizada), indicado por um ponto
. Exemplo: ele correu;
(b) durativo (ação vista em realização), indicado por uma linha
reta -------- Exemplo: ele corria;
(c) gnômico (ação vista abstratamente, desvinculada do tempo),
sem indicação gráfica. Exemplo: correr é bom. &
(d) perfectivo (combinação dos aspectos pontual e durativo),
indicado por um ponto e uma reta .----------. Exemplo: ele tem corrido.
Além da indicação do modo como o enunciador vê a ação,
outra especificação do aspecto verbal pode ocorrer, conectando
aspectualidade (modo do agir) e temporalidade (duração da ação):
(a) Se a ênfase recai sobre o momento inicial da ação verbal,
temos o aspecto ingressivo;
(b) Se a ênfase recai sobre a ação enquanto ocorre, temos o
aspecto processual;
(c) Se a ênfase recai sobre a conclusão da ação, temos o aspecto
terminativo.
O aspecto é a característica verbal mais difícil de ser entendida
e analisada. Embora ela possa ser indicada por conjugações, na maior
parte dos casos, somente a sentença em que o verbo é usado nos mostra
qual é o aspecto da ação.
No hebraico, os aspectos pontual e durativo são indicados
pelos tempos verbais (conjugação): completo (pontual) e incompleto
(durativo). Os demais aspectos e as especificações do aspecto, porém,
só podem ser compreendidas na sentença em que o verbo é usado.

81
Conclusão
Nesta Unidade trabalhamos apenas conceitos linguísticos
e gramaticais. É importante, porém, que você domine bem estes
conceitos, para poder entender o verbo na língua hebraica (de fato,
em qualquer língua!).
Um exercício. Aliste todos os verbos do texto a seguir e indique
os seus cinco elementos. Darei alguns exemplos. Como você ainda não
memorizou os verbos gregos, use o Analítico! Somente em relação ao
aspecto é que você terá de decidir por sua própria conta, usando as
definições dadas no corpo da lição.
1
Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος, καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν, καὶ
θεὸς ἦν ὁ λόγος 2 οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν 3 πάντα δι᾽
αὐτοῦ ἐγένετο καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο οὐδὲ ἕν ὃ γέγονεν 4 ἐν
αὐτῷ ζωὴ ἦν καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ φῶς τῶν ἀνθρώπων· 5 καὶ τὸ φῶς
ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν 6 Ἐγένετο
ἄνθρωπος ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης· 7
οὗτος ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός ἵνα
πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ 8 οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς ἀλλ᾽
ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός 9 Ἦν τὸ φῶς τὸ ἀληθινόν ὃ
φωτίζει πάντα ἄνθρωπον ἐρχόμενον εἰς τὸν κόσμον.
ἦν (era): Terceira pessoa singular, voz ativa, modo indicativo,
tempo imperfeito (anterioridade), aspecto: durativo (Obs.: indique
apenas o aspecto sem especificação). Atenção, como este verbo se
repete, não escreverei cada vez que o mesmo aparece...
ἐγένετο (foram geradas)? Terceira pessoa singular, passiva,
indicativo, aoristo, aspecto pontual.
γέγονεν (tem sido feito)? Terceira pessoa do singular, indicativo,
perfeito ativo, aspecto perfectivo.
Bom Trabalho!!
ATENÇÃO: Hoje não teremos vocabulário para memorizar.
Aproveite o tempo para compreender bem e memorizar as definições
relativas ao sistema verbal, especialmente a aspectualidade.

82 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 12
O Sistema Verbal do Grego Coinê
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura)
1 Co 1,18-24:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν
ἀπολλυμένοις μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν
δύναμις θεοῦ ἐστιν. 19 γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν
τῶν σοφῶν καὶ τὴν σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω.
20
ποῦ σοφός; ποῦ γραμματεύς; ποῦ συζητητὴς τοῦ
αἰῶνος τούτου; οὐχὶ ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν τοῦ
κόσμου; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ
κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ
τῆς μωρίας τοῦ κηρύγματος σῶσαι τοὺς πιστεύοντας·
22
ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι σημεῖα αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες
σοφίαν ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ κηρύσσομεν Χριστὸν
ἐσταυρωμένον, Ἰουδαίοις μὲν σκάνδαλον, ἔθνεσιν
δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς δὲ τοῖς κλητοῖς, Ἰουδαίοις τε καὶ
Ἕλλησιν, Χριστὸν θεοῦ δύναμιν καὶ θεοῦ σοφίαν·
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de nosso estudo
de grego.
Vimos na Unidade anterior os cinco elementos do verbo. Agora,
veremos como esses cinco elementos são manifestados no sistema
verbal do idioma grego.
Nesta Unidade nosso foco continuará na temporalidade da
comunicação linguística. Agora faremos uma descrição do sistema
verbal do grego bíblico e conversaremos sobre como traduzir os
verbos.
O objetivo desta Unidade 12 é descrever cada um dos elementos
fundamentais do verbo a fim de usá-los na tradução de verbos gregos
para o português.

83
1. O Sistema Verbal do Grego Coinê
Em nossa língua, o sistema verbal é estruturado em conjugações
baseadas no tempo (Presente, Pretérito, Futuro) e no modo (Indicativo,
Subjuntivo, Infinitivo, Particípio e Gerúndio).
No grego bíblico o sistema verbal também é organizado através
de conjugações baseadas no tempo e no modo (com uma exceção em
relação ao tempo cronológico). O coinê possui seis tempos verbais:

Presente: indica concomitância

Futuro: indica posterioridade

Aoristo: indica omnitemporalidade (ou aspecto gnômico);

Imperfeito: indica anterioridade (geralmente inacabada)

Perfeito: combina anterioridade e concomitância

Mais-Que-Perfeito: indica anterioridade em relação ao Momento


de Referência (tempo anterior a um tempo anterior ao Momento da
Enunciação)
Para traduzir os verbos do grego para o português, devemos
buscar a equivalência dos cinco aspectos do verbo: pessoa, voz,
modo, temporalidade e aspectualidade. Não devemos nos esquecer
que também devemos buscar a equivalência de sentido da palavra. A
equivalência de tempo é relativamente simples:

(a) Presente Grego = Presente Português

(b) Futuro Grego = Futuro do Presente Português

(c) Mais-que-Perfeito Grego = Pretérito Mais Que Perfeito


Português

84 Bíblia V - Grego
Os tempos que causam alguma dificuldade, por causa da
aspectualidade, são:
(d) Aoristo Grego. A opção mais comum é traduzi-lo pelo
Pretérito Perfeito em português, mas você sempre deve estar atenta(o)
para outra possibilidade, dependendo do aspecto do verbo no texto
(e.g., às vezes é possível até traduzir o aoristo pelo presente em
português!)
(e) Perfeito Grego – normalmente deve ser traduzido por uma
Locução Verbal Perfectiva em português (geralmente iniciada por:
Tem sido; Tem estado; etc.).
No sistema verbal grego não temos gerúndio, apenas o particípio.
Para traduzir o particípio sempre devemos levar em conta a oração em
que o verbo é usado, pois as três opções de tradução são:
(a) particípio em português (caso a aspectualidade seja pontual)

(b) gerúndio em português (caso a aspectualidade seja durativa)

(c) substantivo ou adjetivo (caso o particípio grego seja usado


como nome e não como verbo propriamente dito).
Como o particípio é o modo pessoal do verbo, ele não é conjugado
como um verbo, mas como um nome. Ou seja, o particípio de cada
tempo verbal do grego é conjugado nos casos (nominativo, acusativo,
genitivo, dativo ou vocativo), nos gêneros (masculino, feminino ou
neutro), e no número (singular ou plural).

DETALHE: não estudaremos a morfologia do verbo – ou


seja, não pedirei a você que memorize as diferentes tabelas de
conjugações dos verbos regulares e irregulares. Para saber quais
são as conjugações você pode usar o Analítico!

85
2. A tradução dos verbos para o português
Voltemos a João 1,1-9 para verificar como devemos traduzir os
verbos do grego para o português. Se você fez o exercício pedido na
última lição, terá mais facilidade em acompanhar este conteúdo.
Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος καὶ ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν,
1

καὶ θεὸς ἦν ὁ λόγος 2 οὗτος ἦν ἐν ἀρχῇ πρὸς τὸν θεόν


3
πάντα δι᾽ αὐτοῦ ἐγένετο καὶ χωρὶς αὐτοῦ ἐγένετο
οὐδὲ ἕν ὃ γέγονεν 4 ἐν αὐτῷ ζωὴ ἦν καὶ ἡ ζωὴ ἦν τὸ
φῶς τῶν ἀνθρώπων· 5 καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει
καὶ ἡ σκοτία αὐτὸ οὐ κατέλαβεν 6 Ἐγένετο ἄνθρωπος
ἀπεσταλμένος παρὰ θεοῦ ὄνομα αὐτῷ Ἰωάννης· 7 οὗτος
ἦλθεν εἰς μαρτυρίαν ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός ἵνα
πάντες πιστεύσωσιν δι᾽ αὐτοῦ 8 οὐκ ἦν ἐκεῖνος τὸ φῶς
ἀλλ᾽ ἵνα μαρτυρήσῃ περὶ τοῦ φωτός 9 Ἦν τὸ φῶς τὸ
ἀληθινόν ὃ φωτίζει πάντα ἄνθρωπον ἐρχόμενον εἰς τὸν
κόσμον.
Vamos lá:
1. (ἦν) usado três vezes. O imperfeito do grego é traduzido pelo
pretérito imperfeito em português, e mantemos a terceira pessoa do
singular, a voz ativa, o modo indicativo e o aspecto durativo: No princípio
existia a palavra, e a palavra vivia diante de Deus e a palavra era Deus.
2. (ἦν) novamente se repete, e agora traduzimos por: ela estava
no princípio diante de Deus.
NOTE: a variação entre (existir, viver, ser, estar) é derivada
da necessidade de que a tradução dê o melhor sentido possível na
língua para a qual estamos traduzindo – sempre levando em conta
os significados que a palavra da língua original pode ter (você deve
consultar dicionários e léxicos teológicos para saber quais são esses
significados possíveis).
3. (ἐγένετο) é usado duas vezes - terceira pessoa do singular do
aoristo indicativo passivo, aspecto omnitemporal. Tudo foi gerado por
ele e sem ele nada foi gerado;

86 Bíblia V - Grego
(γέγονεν) terceira pessoa do singular do perfeito indicativo
ativo, aspecto perfectivo? do que tem sido gerado.

NOTE: O verbo grego γίνομαι normalmente significa


‘nascer’, ‘gerar’, mas também pode ser usado, em poucos
contextos, com o sentido de ‘produzir’, ou ‘fazer’. Você deve
escolher a melhor forma de traduzi-lo para o português
levando em conta a teologia do Evangelho de João. Em outras
palavras: você não é obrigado a seguir as opções das traduções
já existentes!

O versículo 3 no texto grego possui uma forma gramatical não


muito comum. A tradução dele todo para o português deve procurar
torna-lo compreensível, usando as formas sintáticas adequada em
nossa língua: Tudo foi gerado por ele e, sem ele, nada do que tem sido
gerado poderia ter sido gerado. Mediante a interpretação do sentido
do verso em grego, com a oração subordinada adjetiva restritiva (ὃ
γέγονεν), optei por usar uma forma condicional (poderia ter sido
gerado) para dar o sentido mais adequado do aoristo do grego. Que
regra linguística utilizei? Quando verbos são usados em relação mútua,
a definição do sentido de cada um depende dessa relação. Penso que
a forma que escolhi é mais fiel ao sentido do grego do que a simples
tradução: nada do que tem sido gerado foi gerado (uma forma que faz
uma equivalência meramente temporal entre o aoristo e o perfeito).
4. (ἦν) usado duas vezes, já é nosso conhecido! Nele estava a vida
e a vida era a luz dos seres humanos.
5. (φαίνει) terceira pessoa singular presente indicativo ativo,
aspecto durativo. E a luz brilha nas trevas
(κατέλαβεν) terceira pessoa singular aoristo indicativo ativo,
aspecto omnitemporal: e as trevas não prevalecem (ou prevaleceram)
sobre ela.

87
NOTE: interpretei o aspecto do verbo grego como
omnitemporal e não como pontual, ou seja, não entendi a oração
como se ela estivesse se referindo a um momento específico no
tempo em que as trevas poderiam ter prevalecido contra a luz.
O verso faz uma afirmação atemporal: a luz sempre prevalece
sobre as trevas.

6. (Ἐγένετο) Terceira pessoa singular aoristo indicative médio,


aspecto pontual. Surgiu um homem (ou uma pessoa). Poderíamos usar
algum sinônimo do verbo em português: apareceu, entrou na história...
(ἀπεσταλμένος) particípio perfeito passivo, nominativo singular
masculino, aspecto perfectivo: tendo sido enviado da parte de Deus.
O verso todo: Surgiu um homem, tendo sido enviado por Deus,
cujo nome era João. Veja que em português a forma ‘tendo sido enviado’
é incomum. Utilizei-a para apontar com maior clareza o aspecto
perfectivo-processual (João foi enviado por Deus e sua identidade é
a de ter sido enviado por Deus). Uma outra tradução possível seria,
simplesmente: Surgiu um homem, enviado por Deus, cujo nome era
João. Neste caso, destacamos apenas a processualidade (o estado ou
identidade de João).
7. (ἦλθεν) terceira pessoa singular, aoristo indicativo ativo,
aspecto omnitemporal (enfatiza o estado, a condição de João). Ele veio
como testemunha.
(μαρτυρήσῃ) terceira pessoa singular, aoristo subjuntivo ativo,
aspecto omnitemporal (enfatiza o estado, a condição de João). A fim de que
testemunhasse acerca da luz (mantive o modo subjuntivo em português).
(πιστεύσωσιν) terceira pessoa plural, aoristo subjuntivo ativo,
aspecto omnitemporal (enfatiza o caráter atemporal do objetivo da
vinda de João). A fim de que todos pudessem crer por intermédio
dele. (Como o subjuntivo é também o modo da incerteza, ou da
possibilidade, destaquei esta significação do mesmo.)
O verso todo: Ele veio como testemunha, a fim de que
testemunhasse acerca da luz e a fim de que todos pudessem crer por
meio dele (ou de seu testemunho).

88 Bíblia V - Grego
8. (ἦν); (μαρτυρήσῃ)
Os dois verbos já são nossos conhecidos. Vamos direto à tradução
do verso inteiro: Ele não era a luz, mas veio a fim de que testemunhasse
acerca da luz. (Lembre-se de que inseri o verbo ‘veio’ que está implícito
no grego. Sem o verbo a tradução ficaria algo confusa: Ele não era a
luz, mas a fim de que testemunhasse acerca da luz.)
9. (Ἦν) já é nosso conhecido (a letra inicial está em maiúscula
...), aspecto durativo: ele era a luz verdadeira (ou confiável)
(φωτίζει) terceira pessoa singular, presente indicativo ativo,
aspecto durativo-processual. Que ilumina a todos os seres humanos.
(ἐρχόμενον) particípio presente médio ou passivo, nominativo
singular masculino, aspecto durativo-ingressivo. Está vindo ao mundo.
O verso todo: “Ele era a luz verdadeira que ilumina a todos os seres
humanos e está vindo ao mundo”. Poderíamos, também, usar outro
arranjo dos tempos verbais: “Ele é a luz verdadeira que ilumina a todos
os seres humanos e está chegando ao mundo”. A troca de ‘era’ por ‘é’ visa
evitar a interpretação de que a Palavra ‘era’ a luz mais não é mais. A troca
de ‘vindo’ por ’chegando’ é predominantemente estilística mas parece
dar um sentido mais forte do caráter ingressivo do movimento da luz.
Muito bem! Faça uma pausa e descanse um pouquinho. Vimos
bastante material e muitos detalhes.
Nós continuaremos a estudar o verbo grego nas próximas lições,
por isso, não se preocupe em entender todos os detalhes agora. O que
você precisa aprender bem e não se esquecer é:
1. Para entender o uso dos verbos na língua grega você deve
seguir a lógica da enunciação – a temporalidade é tanto cronológica
quanto aspectual;
2. Para traduzir os verbos do grego para o português você precisar
manter a equivalência do sentido da palavra e a equivalência dos cinco
elementos fundamentais do verbo;
3. Tendo em vista que os sistemas verbais de uma língua diferem
dos de outra, essa equivalência não é ‘literal’, mas de sentido – você
precisa entender o texto na língua original a fim de poder traduzi-lo
para a outra língua;

89
4. Quando se trata da equivalência de sentido, existem palavras
que podem ser usadas em diversos sentidos – de modo que você
precisa entender bem o sentido dessas palavras no contexto da oração,
livro e época em que ela foi escrita, a fim de encontrar os equivalentes
na língua da tradução;
5. Traduzir não é uma ciência exata, fazemos aproximações e
estabelecemos hipóteses. Portanto, as diferenças entre traduções de
um mesmo texto não precisam ser vistas como ‘erros’, podem ser
apenas marca de opções distintas, mas igualmente adequadas.

DETALHE: Não estudaremos as conjugações dos verbos


gregos. Caso você queira aprender a forma de cada conjugação,
tanto dos verbos regulares como dos irregulares, pode consultar
as gramáticas padrão na Bibliografia da disciplina.

Vocabulário para Memorizar


Ao invés de aprender novas palavras, você pode memorizar
todos os verbos usados em João 1,1-9. Lembre-se: a forma do verbo
que aparece no dicionário é sempre a da primeira pessoa singular do
presente indicativo ativo. Enquanto você não memoriza a maior parte
dos verbos do idioma grego, você poderá encontrar essa forma na
segunda linha do Analítico. É essa forma que você deve memorizar.

90 Bíblia V - Grego
Bíblia V - Grego
Unidade 13
O Sistema Verbal do Grego Coinê (continuação)
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura) 1 Co 1,18-31:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ ἐστιν.
19
γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν καὶ
τὴν σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω. 20 ποῦ σοφός; ποῦ
γραμματεύς; ποῦ συζητητὴς τοῦ αἰῶνος τούτου; οὐχὶ
ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν τοῦ κόσμου; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν
τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν
θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ τῆς μωρίας τοῦ κηρύγματος
σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22 ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι σημεῖα
αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ
κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον, Ἰουδαίοις μὲν
σκάνδαλον, ἔθνεσιν δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς δὲ τοῖς κλητοῖς,
Ἰουδαίοις τε καὶ Ἕλλησιν, Χριστὸν θεοῦ δύναμιν καὶ
θεοῦ σοφίαν· 25 ὅτι τὸ μωρὸν τοῦ θεοῦ σοφώτερον τῶν
ἀνθρώπων ἐστὶν καὶ τὸ ἀσθενὲς τοῦ θεοῦ ἰσχυρότερον τῶν
ἀνθρώπων 26 Βλέπετε γὰρ τὴν κλῆσιν ὑμῶν ἀδελφοί,
ὅτι οὐ πολλοὶ σοφοὶ κατὰ σάρκα οὐ πολλοὶ δυνατοί, οὐ
πολλοὶ εὐγενεῖς· 27 ἀλλὰ τὰ μωρὰ τοῦ κόσμου ἐξελέξατο
ὁ θεός, ἵνα καταισχύνῃ τοὺς σοφούς καὶ τὰ ἀσθενῆ τοῦ
κόσμου ἐξελέξατο ὁ θεός ἵνα καταισχύνῃ τὰ ἰσχυρά 28
καὶ τὰ ἀγενῆ τοῦ κόσμου καὶ τὰ ἐξουθενημένα ἐξελέξατο
ὁ θεός τὰ μὴ ὄντα ἵνα τὰ ὄντα καταργήσῃ 29 ὅπως μὴ
καυχήσηται πᾶσα σὰρξ ἐνώπιον τοῦ θεοῦ 30 ἐξ αὐτοῦ δὲ
ὑμεῖς ἐστε ἐν Χριστῷ Ἰησοῦ ὃς ἐγενήθη σοφία ἡμῖν ἀπὸ
θεοῦ δικαιοσύνη τε καὶ ἁγιασμὸς καὶ ἀπολύτρωσις 31 ἵνα
καθὼς γέγραπται Ὁ καυχώμενος ἐν κυρίῳ καυχάσθω.

91
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de
nosso estudo de grego.
Vimos na Unidade anterior como funciona o sistema verbal
grego e como traduzir verbos para o português.
Nesta Unidade nosso foco continuará na temporalidade
da comunicação linguística. Continuaremos a conversar sobre
tradução e ampliaremos a discussão sobre a aspectualidade verbal.

O objetivo desta Unidade 13 é aperfeiçoar nosso conhecimento


do sistema verbal grego e como traduzir verbos para o português.

O texto bíblico que servirá de base para nosso estudo é o de 1


Coríntios 1,18-31. Preste atenção ao texto grego (coluna da esquerda)
e sua tradução na coluna da direita (incluí a análise morfológica dos
verbos gregos para facilitar seu estudo, assim você não tem de ficar
consultando o Analítico o tempo todo).
Qual é a sua parte nesta lição? Preste atenção ao modo como
os verbos foram traduzidos: estude como fiz a equivalência dos cinco
elementos do verbo (pessoa, modo, voz, tempo e aspecto) e veja se
você faria algo diferente. Ao final da tabela acrescentei algumas notas
explicativas tratando de questões mais difíceis.
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ ἐστιν.
19 γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν καὶ τὴν
σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω.
18
Ora, a mensagem da cruz é (pres ind ativo 3 p s
εἰμί) loucura para os que perecem (part. pres med ou pass
dat msc pl ἀπόλλυμι), mas para nós, os que somos salvos
(part pres. pass. dat m pl σῴζω), é (pres ind ativo 3 p s
εἰμί) potência de Deus, 19 pois tem sido escrito (perf ind
pass. 3 p s γράφω): destruirei (fut ind. At. 1 p s ἀπόλλυμι) a
sabedoria dos sábios e anularei (fut. Ind. At. 1 p s ἀθετέω)
a inteligência dos inteligentes.

92 Bíblia V - Grego
20
ποῦ σοφός; ποῦ γραμματεύς; ποῦ συζητητὴς τοῦ
αἰῶνος τούτου; οὐχὶ ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν τοῦ
κόσμου; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ
κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ
τῆς μωρίας τοῦ κηρύγματος σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22
ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι σημεῖα αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν
ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον,
Ἰουδαίοις μὲν σκάνδαλον, ἔθνεσιν δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς
δὲ τοῖς κλητοῖς, Ἰουδαίοις τε καὶ Ἕλλησιν, Χριστὸν
θεοῦ δύναμιν καὶ θεοῦ σοφίαν· 25 ὅτι τὸ μωρὸν τοῦ θεοῦ
σοφώτερον τῶν ἀνθρώπων ἐστὶν καὶ τὸ ἀσθενὲς τοῦ θεοῦ
ἰσχυρότερον τῶν ἀνθρώπων.
20
Onde o sábio? Onde o escriba? Onde o debatedor
deste tempo presente? Deus não tornou louca (aor ind at
3 p s μωραίνω) a sabedoria do mundo? 21Ora, visto que,
na sabedoria de Deus, o mundo não conheceu (aor ind
at 3 p s γινώσκω) a Deus pela sabedoria, Deus achou por
bem (aor ind at 3 p s εὐδοκέω) salvar (aor inf at σῴζω) os
fiéis (part pres at ac msc pl πιστεύω) através da pregação
(que é loucura) 22 uma vez que os judeus pedem (pres ind
at 3 p pl αἰτέω) sinais e os gregos buscam (pres ind at 3 p
pl ζητέω) sabedoria. 23 Nós, porém, anunciamos (pres ind
at 1 p pl κηρύσσω) o Messias, crucificado (part perf pass
acus msc sg σταυρόω), escândalo para os judeus e loucura
para as nações. 24 Todavia, para os chamados, judeus ou
gregos, Messias, força de Deus e sabedoria de Deus; 25 pois
a loucura de Deus é (pres ind at 3 p s εἰμί) mais sábia do que
a sabedoria dos homens, e a fraqueza de Deus mais forte do
que a força humana.
26
Βλέπετε γὰρ τὴν κλῆσιν ὑμῶν, ἀδελφοί, ὅτι
οὐ πολλοὶ σοφοὶ κατὰ σάρκα, οὐ πολλοὶ δυνατοί, οὐ
πολλοὶ εὐγενεῖς· 27 ἀλλὰ τὰ μωρὰ τοῦ κόσμου ἐξελέξατο
ὁ θεός, ἵνα καταισχύνῃ τοὺς σοφούς, καὶ τὰ ἀσθενῆ τοῦ
κόσμου ἐξελέξατο ὁ θεός, ἵνα καταισχύνῃ τὰ ἰσχυρά, 28
καὶ τὰ ἀγενῆ τοῦ κόσμου καὶ τὰ ἐξουθενημένα ἐξελέξατο

93
ὁ θεός, τὰ μὴ ὄντα, ἵνα τὰ ὄντα καταργήσῃ, 29
ὅπως μὴ
καυχήσηται πᾶσα σὰρξ ἐνώπιον τοῦ θεοῦ.
26
Considerem (imper pres at 2 p pl βλέπω), pois,
irmãos, a vossa vocação – pois não [há] muitos entre
vós [que sejam] sábios segundo a carne, nem fortes,
nem nobres. 27 Deus, porém, escolheu (aor ind md 3 p s
ἐκλέγομαι) os loucos do mundo para que envergonhasse
(pres subj at 3 p s καταισχύνω) os sábios, e Deus escolheu
(aor ind md 3 p s ἐκλέγομαι) os fracos do mundo a fim
de que envergonhasse (pres subj at 3 p s καταισχύνω) os
fortes 28 e Deus escolheu (aor ind md 3 p s ἐκλέγομαι) os
plebeus do mundo, e os desprezados (part perf pass ac nt
pl ἐξουθενέω) – todos os que não têm valor (part pres at ac
nt pl εἰμί) – a fim de que tornasse nulos (aor subj. at 3 p s
καταργέω) todos os que têm (part pres at ac nt pl εἰμί), 29
de modo que nenhuma carne se glorie (aor subj md 3 p s
καυχάομαι) diante de Deus.*
* Os verbos entre colchetes não constam do texto grego, foram
acrescentados para dar sentido em nossa língua, que não costuma usar
tantas frases nominais.
ἐξ αὐτοῦ δὲ ὑμεῖς ἐστε ἐν Χριστῷ Ἰησοῦ, ὃς ἐγενήθη
30

σοφία ἡμῖν ἀπὸ θεοῦ, δικαιοσύνη τε καὶ ἁγιασμὸς καὶ


ἀπολύτρωσις, 31 ἵνα καθὼς γέγραπται, Ὁ καυχώμενος ἐν
κυρίῳ καυχάσθω.
30
Vós, porém, sois (pres ind at 2 p pl εἰμί) dele, no
Messias Jesus, o qual se tornou (aor ind pass 3 p s γίνομαι)
para nós, da parte de Deus, sabedoria e justiça e santificação
e libertação. 31 A fim de que, conforme tem sido escrito
(perf ind pass. 3 p s γράφω): aquele que se gloria (part pres
md nom msc sg καυχάομαι), glorie-se (imper pres md 3 p s
καυχάομαι) no Senhor.

94 Bíblia V - Grego
Vamos refletir juntos sobre alguns detalhes importantes:
18 Ora, a mensagem da cruz é (pres ind ativo 3 p s
εἰμί) loucura para os que perecem (part. pres med ou pass
dat msc pl ἀπόλλυμι), mas para nós, os que somos salvos
(part pres. pass. dat m pl σῴζω), é (pres ind ativo 3 p s
εἰμί) potência de Deus, 19 pois tem sido escrito (perf ind
pass. 3 p s γράφω): destruirei (fut ind. At. 1 p s ἀπόλλυμι) a
sabedoria dos sábios e anularei (fut. Ind. At. 1 p s ἀθετέω)
a inteligência dos inteligentes.
a. Traduzi logos por ‘mensagem’ e não por ‘palavra’ da cruz, pois
esse é o sentido indicado pela própria perícope, que destaca a palavra
enunciada, ou seja, comunicada – então, o seu conteúdo ou mensagem.
b. Os verbos no particípio dativo tem a função sintática de oração
subordinada substantiva completiva nominal – eles indicam ‘para quem’
a mensagem da cruz é loucura, ou para quem ela é potência de Deus.
c. Optei pela palavra ‘potência’, ao invés do tradicional uso de
‘poder’, a fim de indicar o caráter eficaz e não político do termo nesta
perícope.
23
Nós, porém, anunciamos (pres ind at 1 p pl
κηρύσσω) o Messias, crucificado (part perf pass acus msc
sg σταυρόω), escândalo para os judeus e loucura para as
nações.
O particípio perfeito do verbo poderia ser traduzido por ‘tendo
sido crucificado’, que destacaria com mais ênfase o aspecto perfectivo.
A tradução ‘crucificado’ não é incorreta, mas dá mais ênfase à ‘condição’
do Messias como crucificado, mas não dá tanta ênfase ao processo
temporal da crucificação.
d. “tem sido escrito” – é uma das formas possíveis, em português,
de indicar o aspecto perfectivo. Não tem uma sonoridade interessante,
mas é uma tradução mais adequada.
27
Deus, porém, escolheu (aor ind md 3 p s ἐκλέγομαι)
os loucos do mundo para que envergonhasse (pres subj at 3
p s καταισχύνω) os sábios, e Deus escolheu (aor ind md 3 p

95
s ἐκλέγομαι) os fracos do mundo a fim de que envergonhasse
(pres subj at 3 p s καταισχύνω) os fortes 28 e Deus escolheu
(aor ind md 3 p s ἐκλέγομαι) os plebeus do mundo, e os
desprezados (part perf pass ac nt pl ἐξουθενέω) – todos os
que não têm valor (part pres at ac nt pl εἰμί) – a fim de que
tornasse nulos (aor subj. at 3 p s καταργέω) todos os que têm
(part pres at ac nt pl εἰμί), 29 de modo que nenhuma carne se
glorie (aor subj md 3 p s καυχάομαι) diante de Deus.
a. No verso 28 traduzi de modo idêntico a aspectualidade dos
dois verbos no particípio – embora o primeiro (ἐξουθενέω) esteja
no tempo perfeito do grego e o segundo (εἰμί) no tempo presente.
Qual o motivo? É que neste caso os dois particípios são usados como
‘adjetivos’, ou seja, como caracterizações das pessoas. O primeiro
particípio poderia ser traduzido como ‘e os que têm sido desprezados’,
que daria maior ênfase às ações na história que tornaram desprezadas
certo tipo de pessoas.
b. Ainda no verso 28 traduzi o verbo εἰμί (que aparece duas vezes)
por: ‘os que não têm valor’ e ‘os que têm’. Por quê? Primeiro, para
indicar melhor o sentido do texto grego em português. A tradução
‘os que não são’ e ‘os que são’ é muito abstrata. Paulo está falando a
respeito do status social das pessoas: ‘os que não são’ eram as pessoas
que, no mundo greco-romano’ ficavam na base inferior da hierarquia
social – logo, ‘sem-valor’ e vice-versa. Segundo, porque no segundo
uso do verbo não é necessário manter a palavra ‘valor’, a leitora ou o
leitor podem muito bem entender que está sendo feito um contraste
com a expressão anterior ‘os que não tem valor’.
A fim de que, conforme tem sido escrito (perf ind
31

pass. 3 p s γράφω): aquele que se gloria (part pres md


nom msc sg καυχάομαι), glorie-se (imper pres md 3 p s
καυχάομαι) no Senhor.
a. ‘Aquele que se gloria’ é uma tradução adequada, mas poderia
ter escolhido em seu lugar um adjetivo equivalente, pois o particípio
aqui é mais nominal do que verbal. O problema é achar a palavra
adequada em português. Por exemplo: ‘o orgulhoso deve orgulhar-se

96 Bíblia V - Grego
no Senhor’. Embora seja uma tradução possível, a palavra ‘orgulhoso’
em português tem uma conotação mais pejorativa.
b. Traduzi o imperativo de καυχάομαι por um subjuntivo em
português (glorie-se), pois em alguns contextos o modo imperativo
não tem necessariamente força de comando, mas de possibilidade
(equivalente ao subjuntivo). Outra opção, igualmente legítima, que
destacaria mais a dimensão da obrigatoriedade, seria traduzir por
‘deve gloriar-se’.
Destaques:
1. O aspecto perfectivo é o mais difícil de exprimir em português
pois não temos um tempo verbal que, sozinho, expresse esse aspecto.
Então, sempre temos de levar em consideração a aspectualidade no
texto grego para escolher a melhor equivalência em português. O mais
comum seria usar locuções verbais (tem sido escrito, tem corrido, tem
feito, etc.), porém, dependendo do contexto da oração ou perícope,
podemos usar particípios ou nomes (adjetivos ou substantivos) em
português. Como escolher? Se você considerar que o texto grego dá
mais ênfase à ação verbal (especificações aspectuais ingressiva ou
processual), use a locução, pois ela nos faz olhar mais para a ação
verbal. Se você considerar que o texto grego dá mais ênfase ao resultado
da ação verbal (o estado final da ação – especificação terminativa do
aspecto), então use um substantivo ou adjetivo, ou mesmo o particípio
ou gerúndio em português.
2. O tempo aoristo é bastante exigente na questão aspectual.
Como já mencionei antes, a primeira opção para sua tradução é usar
o pretérito perfeito em português, na medida em que o aoristo grego
é o tempo mais usado para as narrações – daí a equivalência com
o pretérito perfeito em nossa língua. Neste caso, o aspecto da ação
verbal é pontual (e pode ser especificado como ingressivo, processual
ou terminativo). Todavia, o aoristo grego também pode ser usado para
indicar o aspecto gnômico ou omnitemporal (ênfase no sentido do
verbo enquanto tal). Se for usado com esse aspecto, então a tradução
para o português deve levar em consideração o contexto do seu uso
na oração ou parágrafo em nossa língua. Exemplos: Podemos usar

97
o pretérito perfeito, como neste ditado: “Correu, caiu” – o pretérito
perfeito indica a certeza: se você correr, certamente cairá – ou seja, o
ditado tem valor omnitemporal. Podemos usar o presente do indicativo,
e.g.: Jesus é bom, pois o presente do indicativo em português pode
cumprir essa função de indicar o aspecto gnômico (indica o estado ou
a natureza de algo ou alguém).
3. No grego há conjugações da voz média ou reflexiva, o que não
existe em português. Para indicar essa voz nós usamos o pronome pessoal
do caso oblíquo: eu me casei; ele se machucou; ela se gloriava; etc. Em
algumas situações, a voz média equivale à voz passiva (e vice-versa),
então você deve, como sempre, prestar atenção ao contexto da oração ou
perícope para entender bem e traduzir adequadamente o verbo.

Exercício de Fixação do Aprendizado


Traduza os verbos de Colossenses 1,15-20

ὅς ἐστιν (presente indicativo ativo 3 p. sg. do verbo εἰμί) εἰκὼν


τοῦ θεοῦ τοῦ ἀοράτου,
Ele ___________ imagem do Deus invisível

πρωτότοκος πάσης κτίσεως,


primogênito de toda criação

ὅτι ἐν αὐτῷ ἐκτίσθη (aor ind passivo 3 p sg do verbo κτίζω: criar,


fazer) τὰ πάντα
Por que nele __________________ todas as coisas

ἐν τοῖς οὐρανοῖς καὶ ἐπὶ τῆς γῆς,


nos céus e sobre a terra
τὰ ὁρατὰ καὶ τὰ ἀόρατα,
As visíveis e as invisíveis
εἴτε θρόνοι εἴτε κυριότητες
Quer tronos, quer senhores
εἴτε ἀρχαὶ εἴτε ἐξουσίαι,
Quer príncipes, quer autoridades

98 Bíblia V - Grego
τὰ πάντα δι᾽ αὐτοῦ καὶ εἰς αὐτὸν ἔκτισται (perf ind pass 3 p sg do
verbo κτίζω: criar, fazer)·
Todas as coisas ___________________ por ele e para ele

καὶ αὐτός ἐστιν (pres ind at 3 sg do verbo εἰμί) πρὸ πάντων


E ele _______________ antes de todas as coisas

καὶ τὰ πάντα ἐν αὐτῷ συνέστηκεν (perf ind at 3 p sg do verbo


συνίστημι, subsistir, existir, sustentar).
E nele todas as coisas ___________________

ὅς ἐστιν (você já memorizou esta forma, não é?) ἀρχή, πρωτότοκος


ἐκ τῶν νεκρῶν,
Ele _______ primeiro, primogênito dentre os mortos

καὶ αὐτός ἐστιν (você já conhece bem este verbo) ἡ κεφαλὴ τοῦ
σώματος, τῆς ἐκκλησίας,
E ele ____________ a cabeça do corpo, da assembleia, (o sentido
contextual da palavra grega, mas pode igualmente ser traduzida por
igreja)

ἵνα γένηται (aor subj med 3 p sg do verbo ser, tornar-se, existir,


gerar) ἐν πᾶσιν αὐτὸς πρωτεύων (part pres ativo nom sg masc do
verbo πρωτεύω, ser o primeiro, estar em primeiro lugar),
a fim de _________________, em tudo, ele mesmo,
_______________

ὅτι ἐν αὐτῷ εὐδόκησεν (aor ind at 3 p sg do verbo εὐδοκέω,


‘achar bem’, ‘decidir’, considerar bom) πᾶν τὸ πλήρωμα κατοικῆσαι
(aor infinitivo at do verbo κατοικέω, `morar`, `habitar`, `residir`)
* Por que, nele, ________________ toda a plenitude
_______________

καὶ δι᾽ αὐτοῦ ἀποκαταλλάξαι (aor inf at do verbo ἀποκαταλλάσσω,


reconciliar, restaurar a amizade) τὰ πάντα εἰς αὐτόν,

99
e, através dele,__________________ consigo mesma todas as
coisas,

εἰρηνοποιήσας (part aor at nom sg msc do verbo εἰρηνοποιέω,


`fazer paz`, `pacificar`, `estabelecer a paz`) διὰ τοῦ αἵματος τοῦ
σταυροῦ αὐτοῦ,
_________________________ por meio do sangue da sua cruz,

[δι᾽ αὐτοῦ] εἴτε τὰ ἐπὶ τῆς γῆς


[através dele], tanto as sobre a terra,
εἴτε τὰ ἐν τοῖς οὐρανοῖς.
quanto as nos céus.

* Atenção: Note que a expressão πᾶν τὸ πλήρωμα está


no acusativo, o que indica objeto direto do verbo.

Vocabulário para Memorizar


Procure memorizar todos os novos verbos usados
em Colossenses 1,15-20. Lembre-se: a forma do verbo
que aparece no dicionário é sempre a da primeira pessoa
singular do presente indicativo ativo.

100 Bíblia V - Grego


Bíblia V - Grego
Unidade 14
O Sistema Verbal do Grego Coinê (continuação)
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura)
1 Co 1,18-31:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ
ἐστιν. 19 γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν
καὶ τὴν σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω. 20 ποῦ σοφός;
ποῦ γραμματεύς; ποῦ συζητητὴς τοῦ αἰῶνος τούτου;
οὐχὶ ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν τοῦ κόσμου; 21 ἐπειδὴ
γὰρ ἐν τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ κόσμος διὰ τῆς
σοφίας τὸν θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ τῆς μωρίας
τοῦ κηρύγματος σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22 ἐπειδὴ καὶ
Ἰουδαῖοι σημεῖα αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν ζητοῦσιν,
23
ἡμεῖς δὲ κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον,
Ἰουδαίοις μὲν σκάνδαλον, ἔθνεσιν δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς
δὲ τοῖς κλητοῖς, Ἰουδαίοις τε καὶ Ἕλλησιν, Χριστὸν
θεοῦ δύναμιν καὶ θεοῦ σοφίαν· 25ὅτι τὸ μωρὸν τοῦ θεοῦ
σοφώτερον τῶν ἀνθρώπων ἐστὶν καὶ τὸ ἀσθενὲς τοῦ
θεοῦ ἰσχυρότερον τῶν ἀνθρώπων 26 Βλέπετε γὰρ τὴν
κλῆσιν ὑμῶν ἀδελφοί, ὅτι οὐ πολλοὶ σοφοὶ κατὰ σάρκα
οὐ πολλοὶ δυνατοί, οὐ πολλοὶ εὐγενεῖς· 27 ἀλλὰ τὰ μωρὰ
τοῦ κόσμου ἐξελέξατο ὁ θεός, ἵνα καταισχύνῃ τοὺς
σοφούς καὶ τὰ ἀσθενῆ τοῦ κόσμου ἐξελέξατο ὁ θεός
ἵνα καταισχύνῃ τὰ ἰσχυρά 28 καὶ τὰ ἀγενῆ τοῦ κόσμου
καὶ τὰ ἐξουθενημένα ἐξελέξατο ὁ θεός τὰ μὴ ὄντα ἵνα
τὰ ὄντα καταργήσῃ 29 ὅπως μὴ καυχήσηται πᾶσα σὰρξ
ἐνώπιον τοῦ θεοῦ 30 ἐξ αὐτοῦ δὲ ὑμεῖς ἐστε ἐν Χριστῷ
Ἰησοῦ ὃς ἐγενήθη σοφία ἡμῖν ἀπὸ θεοῦ δικαιοσύνη τε
καὶ ἁγιασμὸς καὶ ἀπολύτρωσις 31 ἵνα καθὼς γέγραπται Ὁ
καυχώμενος ἐν κυρίῳ καυχάσθω.

101
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de
nosso estudo de grego.
Estamos estudando como funciona o sistema verbal grego e
como traduzir verbos para o português. Você já deve ter percebido
que o mais difícil é entender a aspectualidade do verbo, pois as demais
características do verbo não são muito diferentes do verbo na nossa
própria língua.
Nesta Unidade nosso foco continuará na temporalidade
da comunicação linguística. Continuaremos a conversar sobre
tradução e ampliaremos a discussão sobre a aspectualidade verbal.
O objetivo desta Unidade 14 é aperfeiçoar nosso conhecimento
do sistema verbal grego e como traduzir verbos para o português.

1. Começaremos com a revisão do exercício da


lição passada:
ὅς ἐστιν (presente indicativo ativo 3 p. sg. do verbo εἰμί) εἰκὼν
τοῦ θεοῦ τοῦ ἀοράτου,
Ele é imagem do Deus invisível
πρωτότοκος πάσης κτίσεως,
primogênito de toda criação
ὅτι ἐν αὐτῷ ἐκτίσθη (aor ind passivo 3 p sg do verbo κτίζω: criar,
fazer) τὰ πάντα
Por que nele foram criadas todas as coisas
ἐν τοῖς οὐρανοῖς καὶ ἐπὶ τῆς γῆς,
nos céus e sobre a terra
τὰ ὁρατὰ καὶ τὰ ἀόρατα,
As visíveis e as invisíveis
εἴτε θρόνοι εἴτε κυριότητες
Quer tronos, quer senhores
εἴτε ἀρχαὶ εἴτε ἐξουσίαι,
Quer príncipes, quer autoridades
τὰ πάντα δι᾽ αὐτοῦ καὶ εἰς αὐτὸν ἔκτισται (perf ind pass 3 p sg do
verbo κτίζω: criar, fazer)·

102 Bíblia V - Grego


Todas as coisas foram criadas por ele e para ele
καὶ αὐτός ἐστιν (pres ind at 3 sg do verbo εἰμί) πρὸ πάντων
E ele existe antes de todas as coisas
καὶ τὰ πάντα ἐν αὐτῷ συνέστηκεν (perf ind at 3 p sg do verbo
συνίστημι, subsistir, existir, sustentar).
E nele todas as coisas subsistem.
ὅς ἐστιν (você já memorizou esta forma, não é?) ἀρχή, πρωτότοκος
ἐκ τῶν νεκρῶν,
Ele é primeiro, primogênito dentre os mortos
καὶ αὐτός ἐστιν (você já conhece bem este verbo) ἡ κεφαλὴ τοῦ
σώματος, τῆς ἐκκλησίας,
E ele é a cabeça do corpo, da assembleia, (o sentido contextual da
palavra grega, mas pode igualmente ser traduzida por igreja)
ἵνα γένηται (aor subj med 3 p sg do verbo ser, tornar-se, existir,
gerar) ἐν πᾶσιν αὐτὸς πρωτεύων (part pres ativo nom sg masc do
verbo πρωτεύω, ser o primeiro, estar em primeiro lugar),
a fim de se tornar em tudo, ele mesmo, primeiro
ὅτι ἐν αὐτῷ εὐδόκησεν (aor ind at 3 p sg do verbo εὐδοκέω,
‘achar bem’, ‘decidir’, considerar bom) πᾶν τὸ πλήρωμα κατοικῆσαι
(aor infinitivo at do verbo κατοικέω, `morar`, `habitar`, `residir`)
* Por que, nele, achou por bem toda a plenitude residir
καὶ δι᾽ αὐτοῦ ἀποκαταλλάξαι (aor inf at do verbo ἀποκαταλλάσσω,
reconciliar, restaurar a amizade) τὰ πάντα εἰς αὐτόν,
e, através dele, reconciliar consigo mesma todas as coisas,
εἰρηνοποιήσας (part aor at nom sg msc do verbo εἰρηνοποιέω,
`fazer paz`, `pacificar`, `estabelecer a paz`) διὰ τοῦ αἵματος τοῦ
σταυροῦ αὐτοῦ,
estabelecendo a paz por meio do sangue da sua cruz,
[δι᾽ αὐτοῦ] εἴτε τὰ ἐπὶ τῆς γῆς
[através dele], tanto as sobre a terra,
εἴτε τὰ ἐν τοῖς οὐρανοῖς.
quanto as nos céus.
Veja como fica o texto todo, mantendo a ordem sintática do texto grego:

103
Ele é imagem do Deus invisível, primogênito de toda criação.
Por que nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra,
as visíveis e as invisíveis; quer tronos, quer senhores, quer príncipes,
quer autoridades. Todas as coisas foram criadas por ele e para ele, e ele
existe antes de todas as coisas e nele todas as coisas subsistem.
Ele é primeiro, primogênito dentre os mortos, e ele é a cabeça do
corpo, da assembleia, a fim de se tornar em tudo, ele mesmo, primeiro.
Por que, nele, achou por bem toda a plenitude fazer residir e, através
dele, reconciliar consigo mesma todas as coisas, estabelecendo a paz
por meio do sangue da sua cruz, [através dele], tanto as sobre a terra,
quanto as nos céus.
Compare esta tradução com a da Almeida Revista e Atualizada:
15
Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a
criação; 16 pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a
terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer
principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele.
17
Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. 18 Ele é a cabeça do
corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos,
para em todas as coisas ter a primazia, 19 porque aprouve a Deus
que, nele, residisse toda a plenitude 20 e que, havendo feito a paz pelo
sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas
as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.
Veja, agora, a tradução que eu fiz adaptada à sintaxe da língua
portuguesa:
Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda criação.
Por que nele foram criadas todas as coisas, tanto as que estão nos
céus como as que estão sobre a terra, as visíveis e as invisíveis,
quer tronos, quer senhores; quer príncipes, quer autoridades.
Todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele já existia
antes de todas as coisas e nele todas as coisas subsistem.
Ele é o primeiro, o primogênito dentre os mortos. Ele é a cabeça
do corpo, da comunidade eclesial, a fim de se tornar em tudo, ele
mesmo, o primeiro. Por que Deus achou por bem fazer residir nele toda
a plenitude e, através dele, reconciliar consigo mesmo, através dele,
todas as coisas, tanto as que estão sobre a terra, quanto as que estão nos
céus; bem como estabelecer a paz por meio do sangue da sua cruz.
Que tal fazer a sua própria revisão estilística?

104 Bíblia V - Grego


2. Passamos ao estudo dos verbos, agora com um
novo texto bíblico
O texto é Gálatas 2,15-21. Na coluna da esquerda o texto grego e a
análise morfológica dos verbos, com, a forma do dicionário (primeira
pessoa do singular do presente do indicativo ativo) em um tamanho
menor. Na coluna da direita, a tradução apresentada à luz da estrutura
do texto. A tradução dos verbos está em itálico. Preste atenção e
verifique como traduzi cada verbo. Ao final da tabela, algumas notas
sobre as opções mais difíceis:

Ἡμεῖς φύσει Ἰουδαῖοι καὶ οὐκ ἐξ ἐθνῶν ἁμαρτωλοί· εἰδότες


(part. Perf. Ativo nom. msc. Pl de οἶδα) [δὲ] ὅτι οὐ δικαιοῦται
(pres. Ind. Pass. 3 p s de δικαιόω) ἄνθρωπος ἐξ ἔργων νόμου
ἐὰν μὴ διὰ πίστεως Ἰησοῦ Χριστοῦ,
καὶ ἡμεῖς εἰς Χριστὸν Ἰησοῦν ἐπιστεύσαμεν (aor. Ind.at. 1 p
pl de πιστεύω), ἵνα δικαιωθῶμεν (aor. Subj.. pass. 1 p pl de
δικαιόω) ἐκ πίστεως Χριστοῦ
καὶ οὐκ ἐξ ἔργων νόμου, ὅτι ἐξ ἔργων νόμου οὐ δικαιωθήσεται
(fut. Ind. Pass. 3 p s de δικαιόω) πᾶσα σάρξ.

(a) Nós, mesmo sendo judeus de nascimento, não pecadores


dentre os gentios, temos, há tempos, o conhecimento de que nenhum
ser humano é justificado com base nas obras da lei,

(b) mas mediante a fidelidade do Messias Jesus;


(b’) por isso temos crido no Messias, a fim de sermos justificados
com base na fidelidade do Messias
(a’) e não com base nas obras da lei, posto que com base nas
obras da lei ninguém será justificado.

105
εἰ δὲ ζητοῦντες (part. Pres. At. Nom. m p de ζητέω) δικαιωθῆναι
(inf. Aor. Pass. de δικαιόω) ἐν Χριστῷ εὑρέθημεν (aor. Ind. Pass. 1
p pl εὑρίσκω) καὶ αὐτοὶ ἁμαρτωλοί, ἆρα Χριστὸς ἁμαρτίας διάκονος;
μὴ γένοιτο. εἰ γὰρ ἃ κατέλυσα (aor. Ind. At. 1 p s de καταλύω) ταῦτα
πάλιν οἰκοδομῶ (pres. Ind. At. 1 p s de οἰκοδομέω), παραβάτην
ἐμαυτὸν συνιστάνω (pres. Ind. At. 1 p s de συνίστημι).

ἐγὼ γὰρ διὰ νόμου νόμῳ ἀπέθανον (aor. Ind. At. 1 p s de


ἀποθνῄσκω), ἵνα θεῷ ζήσω (aor. Subj. At 1 p s ζάω). Χριστῷ
συνεσταύρωμαι (perf. Ind. Pass. 1 p s de συσταυρόω)· ζῶ (pres
ind. At. 1 p s) δὲ οὐκέτι ἐγώ, ζῇ (pres. Ind. At. 3 p s ζάω) δὲ ἐν ἐμοὶ
Χριστός· ὃ δὲ νῦν ζῶ (pres ind. At. 1 p s de ζάω) ἐν σαρκί, ἐν πίστει
ζῶ (pres ind. At. 1 p s de ζάω) τῇ τοῦ υἱοῦ τοῦ θεοῦ τοῦ ἀγαπήσαντός
(part. Aor. at. gen. masc. s de ἀγαπάω) με καὶ παραδόντος (part.
Aor. at. gen. masc. s de παραδίδωμι) ἑαυτὸν ὑπὲρ ἐμοῦ.

οὐκ ἀθετῶ (pres. Ind. At. 1 p s de ἀθετέω) τὴν χάριν τοῦ θεοῦ·
εἰ γὰρ διὰ νόμου δικαιοσύνη, ἄρα Χριστὸς δωρεὰν ἀπέθανεν
(aor. Ind. At. 3 p s de ἀποθνῄσκω).

Notas:
(a) εἰδότες (part. Perf. Ativo nom. msc. pl) = temos, há tempos, o
conhecimento. Aqui, fiz uma tradução que procurou destacar ao máximo
a aspectualidade do verbo grego, indicando que o conhecimento de
que Paulo fala é antigo e continua em vigor. A tradução mais comum
‘sabemos’ não expressa o aspecto perfectivo!
(b) ἐπιστεύσαμεν (aor. Ind.at. 1 p pl) = temos crido. Aqui, usei uma
tradução que indica o aspecto pontual-ingressivo do verbo no aoristo. A
opção mais comum ‘cremos’, não expressa a aspectualidade do aoristo.
(c) δικαιωθῶμεν (aor. Subj.. pass. 1 p pl) = a fim de sermos justificados.
Aqui, apesar do grego estar no aoristo, a tradução segue a equivalência do
subjuntivo, de modo que em português as alternativas seriam esta ou ‘a fim
de que sejamos justificados’.

106 Bíblia V - Grego


(d) δικαιωθῆναι (inf. Aor. Pass.) = ser justificados. Segui, aqui, a
equivalência do infinitivo – em português só temos uma forma de infinitivo.
(e) κατέλυσα (aor. Ind. At. 1 p s) = continuo destruindo. Aqui, entendi
o aspecto do aoristo como pontual-processual. Paulo está sendo acusado de,
em seu ministério, ‘continuar destruindo’ a tradição judaica.
(f) ἀγαπήσαντός (part. Aor. at. gen. masc. s) = que me amou. O verbo
está no particípio, mas entendi que seria melhor traduzir como uma forma
verbal plena e não como forma nominal. Daí, segui a equivalência do aoristo
como pretérito perfeito (aspecto pontual terminativo).
(g) παραδόντος (part. Aor. at. gen. masc. s) = entregou. A mesma razão
da letra (f). Nos dois casos, o texto está se referindo à morte de Jesus na cruz.
Preste atenção, agora, à estruturação do texto:
(a) Nós, mesmo sendo judeus por natureza, não pecadores
dentre os gentios, temos o conhecimento de que nenhum ser humano
é justificado com base nas obras da lei,
(b) mas mediante a fidelidade do Messias Jesus;
(b’) por isso cremos no Messias, a fim de sermos justificados com
base na fidelidade do Messias
(a’) e não com base nas obras da lei, posto que com base nas
obras da lei ninguém poderá ser justificado.
(a) Ora, se nós que buscamos ser justificados no Messias somos
considerados pecadores, então o Messias também é servo do pecado?
(b) De modo nenhum! Pois se construo aquilo que eu mesmo
destruí, então sou constituído transgressor. Pois eu, mediante a lei,
morri para a lei, a fim de viver para Deus.
(b’) Tendo sido crucificado com o Messias, já não vivo mais eu
mesmo, mas o Messias vive em mim, e a vida que agora vivo na carne,
vivo-a na fidelidade do Filho de Deus que me amou e se entregou a si
mesmo em meu favor.
(a’) Não invalido a graça de Deus, pois se a fonte da justiça for a
lei, então o Messias terá morrido em vão.
A perícope (parágrafo) de Gl 2,15-21 é estruturada em dois
segmentos (partes) que são, cada um deles, estruturados na forma de
paralelismo quiástico (na forma de X). Você deve estar se perguntando
por que traduzi várias vezes o verbo justificar com a expressão ‘com

107
base na fidelidade de’ e não ‘pela fé’. Entendo, junto com vários exegetas
e teólogos, que o que Paulo está dizendo é: a fidelidade de Jesus, que
viveu até a morte na cruz, é a base da nossa justificação (justificados
por graça). O contraste é entre a teologia paulina da graça de Deus na
fidelidade de Jesus, e a teologia farisaica da graça de Deus baseada na
Lei. Porque Jesus foi fiel, nós podemos ouvir o Evangelho e, ouvindo o
Evangelho, somos chamados a crer nele – assim, ninguém mais pode
ser salvo mediante a Lei – o que os judeus ‘sempre’ souberam (assim
acreditava o apóstolo).
DETALHES:
1. Para interpretar bem um texto bíblico, precisamos analisar a sua
estrutura, pois a estrutura do texto não só indica estilo, mas também o
tipo de argumentação que o texto apresenta em sua própria cultura.
2. A aspectualidade verbal é a característica mais difícil do
verbo, mas também a mais importante para a interpretação de textos.
Portanto, estude o máximo que você puder a aspectualidade do verbo
– que vale para qualquer idioma. Uma obra que oferece um estudo
aprofundado da aspectualidade verbal é: FIORIN, José L. As Astúcias
da Enunciação. As categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo:
Contexto, 1996. Aliás, vale a pena estudar o livro todo, pois ele discute
também com profundidade a pessoa e o espaço da enunciação. (É um
dos meus livros ‘de cabeceira’ sobre teoria linguística e semiótica.)
Exercício de Fixação
Aliste cada verbo de Cl 1,15-20 e explique o aspecto de cada
um desses tempos. Você deve indicar tanto a aspectualidade ampla
(pontual, durativo, gnômico ou perfectivo), quanto a derivada
(ingressivo, processual, terminativo). Você já tem exemplos de como
fazer esse exercício nas notas explicativas!
Se você quiser, pode fazer o mesmo com 1Co 1,18-31.

Vocabulário para Memorizar


Procure memorizar todos os novos verbos usados em Gl 2,15-21.
Lembre-se: a forma do verbo que aparece no dicionário é sempre a da
primeira pessoa singular do presente indicativo ativo.

108 Bíblia V - Grego


Bíblia V - Grego
Unidade 15
Analisando a dimensão espaço-temporal da ação
(Leia em voz alta para treinar a pronúncia e a leitura)
1 Co 1,18-31:
18
Ὁ λόγος γὰρ ὁ τοῦ σταυροῦ τοῖς μὲν ἀπολλυμένοις
μωρία ἐστίν, τοῖς δὲ σῳζομένοις ἡμῖν δύναμις θεοῦ ἐστιν.
19
γέγραπται γάρ, Ἀπολῶ τὴν σοφίαν τῶν σοφῶν καὶ
τὴν σύνεσιν τῶν συνετῶν ἀθετήσω. 20 ποῦ σοφός; ποῦ
γραμματεύς; ποῦ συζητητὴς τοῦ αἰῶνος τούτου; οὐχὶ
ἐμώρανεν ὁ θεὸς τὴν σοφίαν τοῦ κόσμου; 21 ἐπειδὴ γὰρ ἐν
τῇ σοφίᾳ τοῦ θεοῦ οὐκ ἔγνω ὁ κόσμος διὰ τῆς σοφίας τὸν
θεόν, εὐδόκησεν ὁ θεὸς διὰ τῆς μωρίας τοῦ κηρύγματος
σῶσαι τοὺς πιστεύοντας· 22 ἐπειδὴ καὶ Ἰουδαῖοι σημεῖα
αἰτοῦσιν καὶ Ἕλληνες σοφίαν ζητοῦσιν, 23 ἡμεῖς δὲ
κηρύσσομεν Χριστὸν ἐσταυρωμένον, Ἰουδαίοις μὲν
σκάνδαλον, ἔθνεσιν δὲ μωρίαν, 24 αὐτοῖς δὲ τοῖς κλητοῖς,
Ἰουδαίοις τε καὶ Ἕλλησιν, Χριστὸν θεοῦ δύναμιν καὶ
θεοῦ σοφίαν· 25 ὅτι τὸ μωρὸν τοῦ θεοῦ σοφώτερον τῶν
ἀνθρώπων ἐστὶν καὶ τὸ ἀσθενὲς τοῦ θεοῦ ἰσχυρότερον τῶν
ἀνθρώπων 26 Βλέπετε γὰρ τὴν κλῆσιν ὑμῶν ἀδελφοί,
ὅτι οὐ πολλοὶ σοφοὶ κατὰ σάρκα οὐ πολλοὶ δυνατοί, οὐ
πολλοὶ εὐγενεῖς· 27 ἀλλὰ τὰ μωρὰ τοῦ κόσμου ἐξελέξατο
ὁ θεός, ἵνα καταισχύνῃ τοὺς σοφούς καὶ τὰ ἀσθενῆ τοῦ
κόσμου ἐξελέξατο ὁ θεός ἵνα καταισχύνῃ τὰ ἰσχυρά 28
καὶ τὰ ἀγενῆ τοῦ κόσμου καὶ τὰ ἐξουθενημένα ἐξελέξατο
ὁ θεός τὰ μὴ ὄντα ἵνα τὰ ὄντα καταργήσῃ 29 ὅπως μὴ
καυχήσηται πᾶσα σὰρξ ἐνώπιον τοῦ θεοῦ 30 ἐξ αὐτοῦ δὲ
ὑμεῖς ἐστε ἐν Χριστῷ Ἰησοῦ ὃς ἐγενήθη σοφία ἡμῖν ἀπὸ
θεοῦ δικαιοσύνη τε καὶ ἁγιασμὸς καὶ ἀπολύτρωσις 31 ἵνα
καθὼς γέγραπται Ὁ καυχώμενος ἐν κυρίῳ καυχάσθω.

109
Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de
nosso estudo de grego
Estamos perto de encerrar nosso estudo de grego. Como você
viu, tocamos apenas em alguns aspectos básicos da língua grega, a
fim de termos conhecimentos para fazer a exegese do texto bíblico.
Para aprender mesmo a língua grega você, se quiser, precisará
continuar estudando por conta própria – usando gramáticas, léxicos,
dicionários teológicos, etc. Mais adiante poderá, caso queira, fazer
uma pós-graduação em Novo Testamento e estudar grego mais
aprofundadamente. Agora, vamos ver como podemos usar o que
aprendemos sobre o verbo na interpretação de um texto bíblico.

Nesta Unidade nosso foco será a análise da


dimensão espaço-temporal da ação
O objetivo desta Unidade 14 é começar a aprender a usar a noção
semiótica de temporalidade para interpretar textos bíblicos.
Mostrarei a vocês dois exemplos de como analisar pessoas, tempo
e espaço em um texto bíblico, uma das atividades fundamentais da
interpretação de textos. Estes exemplos estão em continuidade com o
trabalho que fizemos no estudo das pessoas, ações, caracterizações e espaço.
Exemplo 1: Marcos 2,13-17
Καὶ ἐξῆλθεν πάλιν παρὰ τὴν θάλασσαν· καὶ πᾶς ὁ ὄχλος ἤρχετο
πρὸς αὐτόν, καὶ ἐδίδασκεν αὐτούς. 14 καὶ παράγων εἶδεν Λευὶν τὸν
τοῦ Ἁλφαίου καθήμενον ἐπὶ τὸ τελώνιον, καὶ λέγει αὐτῷ, Ἀκολούθει
μοι. καὶ ἀναστὰς ἠκολούθησεν αὐτῷ. 15 Καὶ γίνεται κατακεῖσθαι
αὐτὸν ἐν τῇ οἰκίᾳ αὐτοῦ, καὶ πολλοὶ τελῶναι καὶ ἁμαρτωλοὶ
συνανέκειντο τῷ Ἰησοῦ καὶ τοῖς μαθηταῖς αὐτοῦ· ἦσαν γὰρ πολλοὶ
καὶ ἠκολούθουν αὐτῷ. 16 καὶ οἱ γραμματεῖς τῶν Φαρισαίων ἰδόντες
ὅτι ἐσθίει μετὰ τῶν ἁμαρτωλῶν καὶ τελωνῶν ἔλεγον τοῖς μαθηταῖς
αὐτοῦ, Ὅτι μετὰ τῶν τελωνῶν καὶ ἁμαρτωλῶν ἐσθίει; 17 καὶ
ἀκούσας ὁ Ἰησοῦς λέγει αὐτοῖς [ὅτι] Οὐ χρείαν ἔχουσιν οἱ ἰσχύοντες
ἰατροῦ ἀλλ᾽ οἱ κακῶς ἔχοντες· οὐκ ἦλθον καλέσαι δικαίους ἀλλὰ
ἁμαρτωλούς.

110 Bíblia V - Grego


E ele foi novamente para a beira do mar e toda a multidão ia a
seu encontro e ele a ensinava. Enquanto caminhava, viu Levi, o filho
de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e falou com ele: “Segue-
me”. Ele levantou-se e o seguiu. Mais tarde, Jesus estava jantando
na casa dele e muitos publicanos e judeus pecadores jantavam
com Jesus e seus discípulos, pois eram muitos dentre eles os que o
seguiam. Então os escribas dos fariseus, vendo que comia com judeus
pecadores e publicanos, diziam aos seus discípulos: “Por que ele come
com publicanos e judeus pecadores?” Ora, ouvindo Jesus a pergunta,
responde a eles: “as pessoas fortes não têm necessidade de médico, e
sim as doentes, eu não vim chamar justos, mas pecadores”.

Notas da tradução:
(1) Levi: poucos autores preferem ver aqui o termo ‘levita’ ao
invés do nome próprio Levi, mas se baseiam em um eventual texto
original jamais descoberto. Como, porém, um levita teria se tornado
publicano é algo que enseja muita especulação. Como veremos mais
adiante, outra razão para questionar o nome, aqui, é a confusão entre
este nome e os de Mateus e Tiago.
(2) A expressão ‘judeus pecadores’ visa fornecer uma
especificidade mais adequada ao termo ‘hamartoloi’ usado na
perícope, três vezes no sentido dado ao termo pelos fariseus e uma
vez em sentido genérico construído na fala de Jesus – por isso, nesta
quarta vez em que a palavra ocorre não uso a palavra ‘judeus’ para
especificar o sentido.
(3) Fortes, ao invés de ‘sãos’ como é costumeiro nas versões
atuais. O termo grego usado por Marcos é diferente do usado por
Lucas (hygiainontes), que significa, sim, ‘sãos’. O verbo usado por
Marcos isxyontes significa ‘forte’, ‘poderoso’, e é da mesma raiz do
adjetivo usado em Mc 3:27 para se referir a Satanás. Como veremos
na análise da dimensão teológica da ação, este particípio verbal é
um desencadeador de isotopias, pois vincula o dito de Jesus (que usa
linguagem médica) ao âmbito político e ao religioso.

111
Alistando pessoas, tempo e espaço
Pessoas:
Ele (Jesus): ‘foi novamente para a beira do mar’, ‘toda a multidão
ia a seu encontro’, ‘a ensinava’, ‘enquanto caminhava viu Levi’, ‘falou
com ele: Segue-me’, ‘mais tarde estava jantando na casa dele’ ‘muitos
publicanos e judeus pecadores jantaram com Jesus e seus discípulos’,
‘pois eram muitos dentre eles os que o seguiam’, (fariseus falam sobre
ele) ‘por que ele come com publicanos e judeus pecadores’, ‘ouvindo
Jesus respondeu a eles: “as pessoas ... pecadores’
Multidão: ‘ia a seu encontro’ e ‘ele a ensinava’
Levi: o filho de Alfeu, sentado na coletoria, ‘jesus falou com ele ...’
‘levantou-se e o seguiu’, ‘mais tarde Jesus estava jantando na casa dele’
Publicanos e judeus pecadores: ‘muitos jantaram com Jesus e
seus discípulos’ ‘eram muitos dentre eles os que o seguiam’ (Então
os escribas dos fariseus vendo que comia com judeus pecadores e
publicanos ...)
Discípulos de Jesus: ‘jantavam com Jesus e seus discípulos’, ‘os
escribas dos fariseus ... disseram aos seus discípulos’
Escribas dos fariseus: vendo que comia com judeus pecadores
e publicanos, disseram aos seus discípulos: “Por que ele come com
publicanos e judeus pecadores?” Ora, ouvindo Jesus a pergunta,
respondeu a eles: “as pessoas fortes não têm necessidade de médico, e
sim as doentes, eu não vim chamar justos, mas pecadores”.
Relações pessoais: Jesus é o centro da perícope, em relação a ele:
(a) multidão e ‘muitos dentre publicanos e judeus pecadores’ ia a
seu encontro, o seguiam
(b) Levi é chamado por Jesus e passa a segui-lo. Oferece-lhe um
jantar em sua casa e leva ao jantar seus amigos (publicanos e judeus
pecadores)
(c) Os discípulos de Jesus não agem, aparecem como personagens
‘passivos’: estavam com Jesus no jantar, ouviram a pergunta dos fariseus
(d) os escribas dos fariseus perseguem Jesus e o questionam a
seus discípulos (não diretamente a ele)
(e) Jesus: ensinava a multidão, chamava discípulos, jantava com

112 Bíblia V - Grego


pessoas impuras, argumentava com os escribas dos fariseus, ensinava
quem ele era – sua missão.
Temos, em síntese: atração e repulsa em relação a Jesus. No campo
da atração, temos seguidores distantes (multidão), próximos (discípulos
e Levi), mais ou menos próximos (publicanos e judeus pecadores). No
campo da repulsa estão os escribas dos fariseus (a religião oficial).
A perícope convida seus leitores e leitoras a se identificar com Jesus,
estabelecendo um efeito intenso de subjetividade.
Espaço:
Beira do Mar (toda a multidão ia a seu encontro)
Enquanto caminhava, viu ... sentado na coletoria de impostos
Ele (Levi) se levantou e o seguiu
Muitos dentre eles (publicanos e judeus pecadores) o seguiam
Casa dele
Eu não vim
Relações espaciais: (1) Jesus viajava e caminhava ensinando e
chamando discípulos; (2) Jesus deixa as pessoas se aproximarem e se
aproxima delas, vai e é seguido, come com pessoas impuras na casa de
um seguidor; (3) afirma sua missão como movimento “Eu não vim ...”;
(4) há um movimento do regional (mar) para o local (coletoria, casa)
e para o universal (‘vim para ...’), do espaço público para o privado
e novamente para o público; (5) no âmbito individual, temos Levi
sentado – levantando-se – seguindo Jesus.
Em síntese: Jesus caminha por locais impuros (até que ponto o
‘mar’ evoca impureza ou inimizade contra Deus é algo a ser definido
mais adiante) e é seguido por pessoas impuras, quebra as regras de
pureza ao ter comunhão de mesa com pessoas impuras e afirma que
sua missão é exatamente em prol dessas pessoas impuras. Há um
contraste entre o espaço público e o privado, mas nesses dois espaços
Jesus é o mesmo e permanece realizando sua missão. A cena, como
um todo, aponta para a universalidade do chamado de Jesus, que não
aceita as fronteiras definidas pelos sistemas classificatórios humanos.

113
Tempo:
Foi (pretérito perfeito) novamente
Ia ... ele a ensinava (pretérito imperfeito)
Viu (Levi), falou ... levantou-se ... o seguiu (pretérito perfeito)
Segue-me (imperativo)
Mais tarde
Estava jantando (locução pretérito imperfeito mais gerúndio)
Jantavam com Jesus ... eram ... seguiam (pretérito imperfeito)
Vendo que comia (gerúndio mais pretérito imperfeito) ... diziam
(pretérito perfeito) ... come (presente)
Ouvindo (gerúndio) ... responde (presente do indicativo)
Fortes não tem (presente indicativo)
Vim (pretérito perfeito) chamar (infinitivo)
Relações:
(1) Ações no pretérito perfeito e aspecto pontual terminativo são
as que estabelecem o cenário: Foi para o mar ... viu e chamou Levi –
com a intercalação de um imperativo que é obedecido imediatamente.
Além destas, somente Levi é sujeito de verbos com aspecto pontual
‘terminativo’: levantou-se e o seguiu, o que indica a radicalidade de
sua resposta ao chamado de Jesus. Representa o que chamamos de
conversão – uma radical mudança no projeto de vida da pessoa: Levi
deixa de ser ‘pecador’ e passa a ser ‘seguidor de Jesus’.
(2) Toda a ação é descrita em aspecto durativo – com pretéritos
imperfeitos e presentes (poucos gerúndios), indicando o caráter
dinâmico da narrativa, a atividade constante de Jesus
(3) Um último verbo no pretérito perfeito (aoristo no grego)
se refere à missão de Jesus: “vim” – também no aspecto pontual
terminativo.
Síntese: O dinamismo da ação de Jesus é ressaltado pela frequência
de verbos no aspecto durativo (mesmo onde caberiam aoristos ou
pretéritos perfeitos). Os verbos em aspecto pontual estabelecem o
cenário para a ação de Jesus e marcam a sua identidade como enviado
de Deus (vim). Há uma demarcação de temporalidade da atividade

114 Bíblia V - Grego


e outra do descanso (jantar), mas mesmo no ‘descanso’ a narrativa é
profusa nos aspectos durativos.
Como uma síntese geral encontramos: a identidade de Jesus é
definida pelo dinamismo de suas ações e seu comprometimento com
as pessoas impuras que, ou O seguem, ou buscam aprender com Ele.
O chamado de Levi (um publicano) ressalta como evidência climática
desse compromisso de Jesus com as pessoas marginalizadas pela
religião oficial de sua época. Ao assumir a ‘comunhão de mesa’ com
‘publicanos e judeus pecadores’ Jesus enfatiza seu compromisso e o
amor de Deus pelos rejeitados da religião oficial. Sua missão provoca
a reação negativa do Judaísmo Oficial, mas Jesus não se intimida e se
mostra como hábil debatedor.
Exemplo 2: 1 Coríntios 1,18-31
(a) 18 Ora, a mensagem da cruz é loucura para os que perecem,
mas para nós, os que somos salvos, é potência de Deus, 19 pois está
escrito: destruirei a sabedoria dos sábios e anularei a inteligência dos
inteligentes.
(b) 20 Onde está o sábio? Onde o escriba? Onde o debatedor
deste tempo presente? Deus não tornou louca a sabedoria do mundo?
21
Ora, visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não
conheceu a Deus pela sabedoria, Deus achou por bem salvar
os fiéis através da pregação (que é loucura) 22 uma vez que os
judeus pedem sinais e os gregos buscam sabedoria;
23
nós, porém, anunciamos o Messias crucificado, que é
escândalo para os judeus e loucura para as nações. 24 Todavia,
para os chamados, judeus ou gregos, Messias, força de Deus
e sabedoria de Deus;
25
pois a loucura de Deus é mais sábia do que a sabedoria dos
homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que a força
humana.
(b’) 26 Considerai, pois, irmãos, o vosso chamado – pois não há
muitos entre vós que sejam sábios segundo a carne, nem que sejam
fortes, nem que sejam nobres.

115
27
Deus, porém, escolheu as coisas loucas do mundo para
envergonhar os sábios, e Deus escolheu as coisas fracas do
mundo a fim de envergonhar os fortes 28 e Deus escolheu os
plebeus do mundo, e os desprezados – todos os que não têm
valor – a fim de tornar nulos todos os que têm,
29
para que nenhuma carne se glorie diante de Deus.

(a’) 30 Vós, porém, sois dele, no Messias Jesus, o qual se tornou


para nós, da parte de Deus, sabedoria e justiça e santificação e
libertação. 31 A fim de que, conforme está escrito: aquele que se gloria,
glorie-se no Senhor.
Ao invés de alistar na sequência as palavras que indicam pessoas
(e caracterização), tempo e espaço, vou indicar esses elementos através
do seguinte recurso: negrito para indicar pessoas e caracterizações;
itálico para indicar o tempo e sublinhado para indicar espaço (palavras
que tem mais de uma sinalização pertencem a duas categorias). Farei a
síntese de cada um desses elementos imediatamente.
Em relação às pessoas, as relações são construídas a partir de
contrastes:
(a) os que perecem X os que são salvos (18). O par de opostos, por
sua vez, é diferentemente caracterizado na perícope: os que perecem: sábios,
inteligentes, debatedores, escribas, ‘do mundo’, mundo, judeus, gregos,
nações, homens, sábios, fortes, nobres, os que têm valor. Os que são salvos:
fiéis, nós, chamados (judeus ou gregos), irmãos, coisas loucas, coisas fracas,
plebeus, desprezados, os que não tem valor, nós, vós; ‘sois dele’.
(b) Deus X mundo ou humanos (20, 25, 27, 28), em que o mundo
corresponde aos ‘que perecem’.
(c) nós X judeus e gregos (23, 25). Nós: Paulo e seus colegas de
missão; judeus e gregos – não judeus ou gregos enquanto etnias, mas
judeus ou gregos enquanto portadores de discursos específicos (neste
caso, discursos classificatórios).
Estes contrastes tem a ver com os diferentes modos de classificar o
valor das pessoas – por um lado, a classificação feita por judeus e gregos
(com base na identidade étnico-religiosas por judeus; com base na
identidade étnico-racional por gregos), por outro, a classificação feita

116 Bíblia V - Grego


por Deus, que inverte e subverte as classificações humanas. Trataremos,
então, desta questão no tópico sobre a dimensão sociocultural da ação.
Os contrastes, por sua vez, ressaltam as relações entre Deus, Paulo e
seus colegas de missão e os ‘fieis’/‘chamados’, incluindo as comunidades
messiânicas paulinas de Corinto. Nestas relações, ressalta a identidade
e a função do Messias como aquele que concretiza a fidelidade e o
chamado de Deus para libertar a humanidade (especialmente nos
versos finais da perícope). Esta temática será discutida na análise da
dimensão teológica da ação e da dimensão sociocultural da ação.
Espacialmente, temos um contraste entre os que estão no
mundo e os que estão no Messias ou no Senhor, que corresponde ao
contraste classificatório já mencionado. Por outro lado, todos os seres
humanos estão diante do Senhor – expressão espacial que também
indica a questão classificatória. (Repare que a dimensão espacial não é
trabalhada com intensidade nesta perícope.)
Do ponto de vista da temporalidade, porém, temos interessantes
jogos de relações:
(a) Há uma série de verbos (de ligação) no presente indicativo
(aspecto durativo processual), apontando para a condição da
‘mensagem da cruz’ e das ‘pessoas’ em suas diferentes classificações
(de valor no mundo, ou de valor diante de Deus ou no Messias);
(b) no início da perícope temos verbos no futuro do indicativo
(aspecto durativo) que, por serem uma citação, se referem ao futuro
em relação ao texto bíblico citado, mas ao presente dos leitores e leitoras
de Paulo em Corinto. Como Deus cumpriu o anunciado por Isaías?
Através da encarnação do Messias, sua vida, morte e ressurreição em
prol da humanidade e de toda a criação;
(c) O principal jogo de relações temporais se dá entre o presente
da condição humana neste mundo, especialmente ligada à atividade
classificatória e explicativa da vida (racionalidade) e a ação de Deus
para transformar a realidade classificatória, que é apresentada por
verbos no pretérito perfeito (aspecto pontual terminativo) ligados a
verbos no infinitivo (indicando os efeitos da ação de Deus, efeitos,
estes, porém, que não são automáticos, mas demandam resposta
humana – essa é uma das forças do uso do infinitivo). Em relação aos

117
sistemas classificatórios ‘racionais’ deste mundo, os efeitos da ação de
Deus são os de torna-los inoperantes na vida messiânica;
(d) O jogo das relações temporais da ação explicitado na letra (c)
acima se liga ao conjunto de verbos no presente do indicativo, que se
referem aos ‘fiéis’ (dentro e fora da comunidade paulina em Corinto),
ou seja, apresentam a identidade dos que ‘são dele’;
(e) Finalmente, temos um subjuntivo com força de imperativo no
último verso da perícope, que define o critério da honra aos olhos de
Deus – a honra não é definida pelo lugar da pessoa na estrutura social
do Império Romano (ou na estrutura sócio-religiosa do Judaísmo),
mas pelo lugar da pessoa diante de Deus: no Messias ou fora dele.
Vemos, assim, que o jogo das relações temporais está intimamente
ligado ao tema da honra e seus sistemas classificatórios, que demarcava
a vida na sociedade romana. É importante notar que a leitura mais
comum desta perícope, em registro ‘emocional’ ou ‘pessoal’ (a
glória como orgulho particular), não acerta em cheio o ‘alvo’ desta
perícope que trata do sentimento coletivo da honra (glória, jactância
ou orgulho). A questão psicossocial da identidade da pessoa é, aqui,
derivada da dimensão sociocultural.

Conclusão

Chegamos à penúltima lição de nosso estudo de grego. “Que


pena, já está acabando.” Na próxima lição apresentarei mais alguns
recursos bibliográficos para você continuar aprendendo e estudando o
idioma do Novo Testamento.
Por ora, fixe bem seu conhecimento da lógica da enunciação
e exercite a análise da dimensão espaço-temporal da ação em textos
bíblicos (sempre que possível, use o texto original, quando não,
use a tradução que você preferir). Lembre-se: grego e hebraico são
aprendizados preparatórios para a exegese. Caso você queira saber

118 Bíblia V - Grego


mesmo o grego ou o hebraico bíblicos, precisará continuar estudando
fora do Bacharelado.
Obrigado por participar conosco do estudo da Teologia. Paz
e Bênção!

Exercício de Fixação
Aliste cada verbo de Cl 1,15-20; Mc 2,13-17 e 1Co 1,18-31 e
explique o aspecto de cada um desses tempos. Você deve indicar tanto
a aspectualidade ampla (pontual, durativo, gnômico ou perfectivo),
quanto a derivada (ingressivo, processual, terminativo). Você já tem
exemplos de como fazer esse exercício nas notas explicativas!

119
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

120 Bíblia V - Grego


Bíblia V - Grego
Unidade 16
Usando ferramentas

Olá! Bem-vinda e bem-vindo à continuação de


nosso estudo de grego.

Esta é nossa última unidade. Eu sei, você já está com


saudades do curso. Eu também. Mas precisamos terminar
este passo na nossa capacitação para estudar a Bíblia com
mais profundidade e qualidade.

Nesta Unidade nosso foco é o uso de ferramentas


auxiliares para você usar o texto grego em sua exegese
e preparação de sermões, estudos, etc.

O objetivo desta Unidade 16 é que você seja capaz de


usar o texto grego como complemento do texto traduzido,
em sua exegese, mediante o aproveitamento de ferramentas
bibliográficas e tecnológicas.

Então, você deve estar se perguntando coisas do


tipo, “como eu sei qual é esta palavra?”, “como descobrir a
conjugação deste verbo?”, etc. Bem, com o conhecimento
que você desenvolveu nesta disciplina, já está preparado
para usar ferramentas que o auxiliem a aproveitar o texto
grego em seu estudo da Bíblia em português. De fato, você
já vem usando o Analítico (assim não falarei mais dele...)

121
1. Novo Testamento Interlinear Grego-Português
É uma ferramenta bem prática, porque você encontra o texto grego
da Bíblia e, abaixo de cada palavra grega, sua tradução para o português.
Em uma coluna lateral, você terá a
tradução do texto como um todo.
Qual é o limite do Interlinear?
Nem sempre a tradução de
cada palavra grega é a melhor,
especialmente no caso dos verbos. O
problema é que você ainda não tem o
conhecimento suficiente para avaliar
cada caso. Assim, o Interlinear é um
bom começo. É bom usá-lo para você
ter uma visão geral de cada versículo,
o que facilita você trabalhar mais
aprofundadamente com uma ou
outra palavra que você considerar
necessário.

Outro tipo de Interlinear é o seguinte:


O uso do texto majoritário não é muito bom, porque você terá
um texto grego pouco aceito academicamente.

122 Bíblia V - Grego


2. Dicionário Grego-Português
Nos dicionários você encontrará as definições das palavras e seus
usos mais comuns. Vejamos exemplos:
2.1. Léxico da Vida Nova
Há outros dicionários ou léxicos
em português. Você pode escolher o que
preferir, ou usar mais de um ao mesmo
tempo:
O Léxico baseado em domínios
semânticos é bom para você aprender as
relações paradigmáticas entre as palavras
da língua grega bíblica – ou seja, palavras
que pertencem ao mesmo campo de
significados:

A seguir, uma página do Léxico


publicado pela CPAD, que é mais um comentário semântico do que
propriamente um léxico:

123
Outra ferramenta útil é:

3. Dicionários Teológicos
Os Dicionários Teológicos são ferramentas muito importantes. Eles
oferecem mais informação do que os dicionários léxicos e tentam construir
uma visão geral das possibilidades de sentido teológico das palavras
na Bíblia, ao longo da história do texto. O limite desses dicionários é a
diferença de qualidade entre os verbetes, dependendo da capacidade do
autor ou autora dos mesmos. O principal é o Novo Dicionário Internacional
de Teologia do Novo Testamento, Edições Vida Nova.

4. Chave Linguística
A Chave Linguística é semelhante ao Analítico, mas não tem
todas as palavras gregas, e oferece algumas explicações semânticas.
São ferramentas úteis também. A primeira mostrada é a de Edições
Vida Nova:

124 Bíblia V - Grego


A segunda, é da Editora Hagnos:
5. BibleWorks – um software para estudo bíblico
Esta é uma ferramenta muito,
muito útil. Ela oferece praticamente
tudo de que você precisa para ler,
analisar e traduzir o texto bíblico
(Antigo e Novo Testamentos). O
problema? Bem: (1) é relativamente
caro (cerca de US$400,00) e (2) não
tem ainda tradução para o português.
Fora isso, é uma ferramenta fantástica.
Vejamos os seus recursos
básicos.

A coluna central oferece os


textos nas línguas originais e em diversas traduções:

Genesis 22:1 It happened some time later that God put Abraham
NJB

to the test. ‘Abraham, Abraham!’ he called. ‘Here I am,’ he replied.

LXT
Genesis 22:1 καὶ ἐγένετο μετὰ τὰ ῥήματα ταῦτα ὁ θεὸς ἐπείραζεν
τὸν Αβρααμ καὶ εἶπεν πρὸς αὐτόν Αβρααμ Αβρααμ ὁ δὲ εἶπεν ἰδοὺ ἐγώ

WTT
Genesis 22:1 ‫םָה ָרְבַא־תֶא הָּס ִנ םיִהֹלֱאָה ְו הֶּלֵאָה םי ִרָבְּדַה רַחַא יִהְי ַו‬
‫י ִנֵּנִה רֶמאּי ַֹו םָה ָרְבַא ויָלֵא רֶמאּי ַֹו‬

Genesis 22:1 E ACONTECEU depois destas coisas, que


ACF

provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.

Genesis 22:1 Depois dessas coisas, pôs Deus Abraão à prova


ARA

e lhe disse: Abraão! Este lhe respondeu: Eis-me aqui!

125
Genesis 22:1 E aconteceu depois destas coisas, que provou
BRP

Deus a Abraäo, e disse-lhe: Abraäo! E ele disse: Eis-me aqui.


Na coluna da esquerda você terá um dicionário grego-inglês e a
análise do verbo usado no texto:
‫ הסנ‬verb piel perfect 3rd person masculine singular

Hol5570 ‫נסה‬
‫נסה‬: [cj. nif.: pf. 1 ‫יתי‬
ִ ‫ נִ ִּס‬,‫נִ ָּסה‬S 1739a•b: be trained, accustomed
(« piel 1 d). †]

piel: pf. ‫יתי‬ ִ ‫ נִ ִּס‬,‫ נִ ְּס ָתה‬,‫ נִ ָּסה‬sf. ‫ נִ ּסּונִ י‬,‫ נִ ִּסיתֹו‬,‫ ;נִ ָּסהּו‬impf. ,‫ֲאנַ ֶּסה‬
‫ ְּתנַ ּסּון‬,‫וַ יְ נַ ּסּו‬, sf. ‫ וַ יְ נַ ֵּסם‬,‫ ֲאנַ ְּס ָכה‬,‫;אנַ ֶּסּנּו‬
ֲ impv. ‫ נַ ֵּסנִ י‬,‫ ;נַ ס‬inf. ,‫ נַ ּסֹתֹו‬,‫נַ ּסֹות‬
‫ ;נַ ּס ָֹתם‬pt. 1 — :‫מנַ ֶּסה‬. ְ (put s.one to the) test: a) subj. & obj.
persons 1K 101; b) subj. men, obj. God Ex 172; c) subj. God, obj.
men Gn 221; d) give experience to, exercise, train s.one Ex 2020,
try out s.thg 1S 1739 (2 ×; cf. cj. nif.); — 2. try: a) w. l® & inf. Dt 434,
w. inf. 2856; b) w. b®, give a trial w. Ju 639; c) w. acc. Ec 723. (pg 239)

Além disto, você poderá fazer vários tipos de busca de palavras,


concordância bíblica, sem contar os livros que podem ser anexados
ao programa (alguns são gratuitos, mas os mais especializados devem
ser pagos).

6. Logos Bible Software


Um programa ao mesmo nível do BibleWorks. Oferece recursos
semelhantes e tem os mesmos limites: custo e indisponibilidade de
dicionários em língua portuguesa.

7. The Word – outro software


É parecido com o Bibleworks, mas é gratuito – só que não tem
todas as ferramentas do Bibleworks e também está em inglês.

126 Bíblia V - Grego


8. Gramáticas de Grego
Na Bibliografia do Programa desta disciplina indicamos as
gramáticas mais úteis em língua portuguesa. Você pode escolher
qualquer uma delas para consulta.

Conclusão

Bem. Chegamos ao fim de nossa disciplina sobre o grego


bíblico. Nossa abordagem, como informamos no início, foi do tipo
instrumental. Ou seja, não estudamos a gramática da língua em todos
os seus detalhes. Vimos o funcionamento lógico da língua e estudamos
como traduzir textos, especialmente verbos.
O aprendizado de um idioma demanda tempo e disciplina.
Se você gostou e percebeu o valor do estudo do grego para seu
estudo bíblico, continue. Leia Gramáticas, Dicionários, Dicionários
Teológicos, procure memorizar os fenômenos morfológicos e,
principalmente, leia e estude diretamente o texto grego. Aproveite os
recursos bibliográficos e de informática.
Obrigado por ter estudado conosco, na FTSA, esta disciplina.
Paz e Bênção!

127
Anotações
__________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

128 Bíblia V - Grego