Você está na página 1de 19

Avaliação de métodos teóricos para estimativa de

comportamento de edificações flexíveis


sob a ação de vento turbulento

Fernando Guerra A.
Michèle S. Pfeil
Ronaldo C. Battista
EDIFICAÇÕES FLEXÍVEIS SOB A AÇÃO DINÂMICA DE VENTO TURBULENTO

Tratamento do problema pelas normas de projeto:


xmax x
G  1 g
método de FATOR DE RAJADA G proposto por Davenport (1961): x x

Domínio da  x
frequência

 g fator de pico
𝛾𝑒𝑢𝑙𝑒𝑟
𝑔= 2 ln(𝜈 𝑇) +
2 ln(𝜈 𝑇)
MOTIVAÇÃO

• Trabalhos anteriores (Cardoso Jr, 2011; Carvalho, 2015) identificaram resultados


inconsistentes da NBR6123/1988 em relação ao Eurocode 1-4 : resposta dinâmica de
edificações sob ação de vento turbulento

OBJETIVOS
• Avaliação do item 9 da norma NBR6123/1988 frente a resultados experimentais
• Propor melhorias no método do Modelo Discreto, item 9 da NBR6123/1988
ESCOPO

MÉTODO TEÓRICO-NUMÉRICO
• Solução modal no domínio da frequência
(NFREQ)

PROCEDIMENTOS NORMATIVOS
1- ESTUDO COMPARATIVO • NBR 6123/1988
• EUROCODE 1-4/2005

RESULTADOS EXPERIMENTAIS NO TÚNEL DE VENTO


• HFBB PROJECT
• OLIVEIRA (2009); tese de D.Sc.

2- PROPOSTA DE REVISÃO item 9 NBR6123


Sui ,uj  Su ,i  f  Su , j  f   u  r , f 
Solução modal no domínio da frequência (NFREQ)

modelo numérico forma modal


Sui ,uj  Su ,i  f  Su , j  f   u  r , f 

Uk + uk(t)
S Fˆ Fˆl nó k Fk j,k
k

Sp( f )
x
Solução modal – modo j
1
Sa, j ( f ) 
2
H ( f ) S p, j ( f )  a
m 2f r 
2 4
Solução modal no domínio da frequência - NFREQ


 a2, j   S a , j  f  df
0 Sa

NFREQ: integral completa do espectro área = A1


M. Davenport: parcelas ressonante e não ressonante

densidade espectral
espectro de
resposta

ˆ
X pico  g  a , j φ j
espectro da
área = A2 força

Fˆ j pico  K X
ˆ pico
fr
frequência (escala log)

Fˆ j pico  g  a, j  2j M φ j
Método do Modelo Discreto da NBR 6123

𝑭𝒎á𝒙 = 𝑭 + 𝑭 Vetor de forças que, quando aplicado estaticamente ao


modelo numérico, fornece xmax
𝑿𝒎á𝒙 = 𝑿 + 𝑿 𝑝𝑖𝑐𝑜
modelo numérico forma modal

• Correlação espacial das pressões de vento

ˆ
X pico  g  a , j φ j
nó k Fk pico j,k

Fˆ j pico  g  a , j  2j M φ j  FH M φ j
x

Integral numérica com aproximações  Ábacos para determinação do fator x


Método do Eurocódigo 1-4
Método do Fator de Rajada
Modelo analítico
𝑭𝒎á𝒙 = 𝑮 𝑭

𝑥𝑚á𝑥 𝜎𝑥 𝜎𝑢
(z/h)g
𝑮= = 1+𝑔 = 1+2𝑔 𝐵+𝑅
𝑥 𝑥 𝑈 nó k Fk pico j,k

G : calculado para deslocamento


aplicado ao vetor de forças área =xA1

densidade espectral
espectro de
resposta
𝑩
espectro da
área = A2 força

frequência (escala log) fr


Método Experimental HFBB - High Frequency Base Balance
(Tschanz e Davenport, 1983)

Ensaio em túnel de vento de um modelo reduzido rígido e muito leve acoplado em sua
base a uma balança de força ultrassensível que mede diretamente os esforços cortantes
e momentos fletores e torsor na base ao longo do tempo.

i Fi (t)
Torsor
(z/h)
Vento Mom Y
h
zi
Força X
Mom X
Força Y

M(t)

𝑝1 (𝑡) 𝐹𝑖 (𝑡) 𝜙𝑖
𝑀 (𝑡 ) = 𝐹𝑖 (𝑡) 𝑧𝑖 = =
ℎ ℎ
(Oliveira, 2009)
International High - Frequency Base Balance Benchmark Study
IAWE, Julho 2007
Prédio B Vento a ser simulado

𝐦𝐚𝐬𝐬𝐚 𝐞𝐬𝐩𝐞𝐜í𝐟𝐢𝐜𝐚 𝜌 = 160 kg / m3 Velocidade média

Modos de vibração não acoplados 𝑈3600𝑠 𝑧 = 180𝑚 = 20 , 30 𝑒 40 𝑚/𝑠


𝑓1 = 𝑓𝑌 = 0,20 𝐻𝑧 (flexão na dir. Y) 𝑝 = 0,25 ou 𝑧0 = 0,2 m (aproximadamente)
𝑓2 = 𝑓𝑋 = 0,23 𝐻𝑧 (flexão na dir. X)
𝑓3 = 𝑓𝜃 = 0,40 𝐻𝑧 (torção) Velocidade flutuante

Taxas de amortecimento modal Iu = 0,143 (±10%) no topo do prédio B


𝜁1 = 0,01 𝑒 𝜁2,5 = 0,025 Luz = 175 m (±20%).

Formas modais
z/h
International High - Frequency Base Balance Benchmark Study
Resultados (IAWE, 2012)
𝑈3600𝑠 𝑧 = 180𝑚 = 20 𝑚/𝑠 e 𝜁1 = 0,01
Momento fletor médio na base Mx Momento fletor máximo na base 𝑀𝑥 , 𝜁=1%.

𝑴 𝑴𝒎á𝒙 = 𝑴 + 𝑴𝑝𝑖𝑐𝑜
Aplicação dos métodos teórico e normativos ao prédio B
𝑭 Forças nodais médias
para vento incidindo na direção X
NBR : Ca =1,26; Cat IV p=0,25
EC1: Ca=1,22; lei logarit. z0=0,2m

𝑭𝑝𝑖𝑐𝑜 Forças nodais equivalentes


Análise Modal à resposta flutuante de pico
Análise Modal para vento incidindo na direção X
NFREQ: Su Harris; Iu=0,143
Método do NBR : Su Harris; Cat. IV Iu=0,188
Fator de Rajada G EC1: Su ESDU; Iu=0,147
𝑴 𝑴𝑝𝑖𝑐𝑜 𝑴𝒎á𝒙 = 𝑴 + 𝑴𝑝𝑖𝑐𝑜

𝑼
Cat. IV Iu=0,188
Cat. III Iu=0,148
Conclusões

• Método do Modelo Discreto da NBR 6123 produz resultados muito inferiores aos
experimentais
• Procedimentos do EC 1 e solução teórica NFREQ produzem resultados bem
correlacionados com os experimentais
• Proposta de revisão do MMD da NBR6123 : geração de novos ábacos para
determinação do fator dinâmico xpormeio da solução NFREQ ; sem alteração no
formato de uso do método
Método do Modelo Discreto revisado
Novos ábacos para determinação do fator dinâmico
7

Cat IV ; ζ=0,01
25m
L1/h=0
𝑭𝒎á𝒙 = 𝑭 + 𝑭
6 25m
L1/h=0,5

5
25m
L1/h=1
𝐹𝑗,𝑖 = 𝑚𝑖 𝜙𝑗,𝑖 𝐹𝐻
100m
L1/h=0
4 𝑝
𝑛 𝑧𝑖
𝑖=1 𝜙𝑗,𝑖 Ca 𝑖 A𝑖
100m
ξ L1/h=0,2 𝑧𝑟𝑒𝑓
3 𝐹𝐻 = 𝑞𝑟𝑒𝑓 𝑛 2 𝜉
𝑖=1 𝑚𝑖 𝜙𝑗,𝑖
100m
L1/h=0,6

2 300m
L1/h=0

300m
1 L1/h=0,1

300m
L1/h=0,2
0
0,00 0,02 0,04 0,06 0,08 0,10 0,12 0,14
Vp / fj L
Método do Modelo Discreto revisado
Tabelas para determinação do fator dinâmico
Método do Modelo Discreto revisado
Método do Modelo Discreto revisado
Referências Bibliográficas
ABNT, NBR 6123:1988. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1988. NBR-6123 Forças devidas ao vento em
edificações. Rio de Janeiro, 1988.
BLESSMANN, J., Introdução ao estudo das ações dinâmicas do vento. 2.ed. Porto Alegre, Brasil,1998.
CARDOSO Jr, S., Edificações flexíveis sob ação dinâmica de vento turbulento. Dissertação M.Sc., COPPE/UFRJ, Rio de
Janeiro, Brasil, 2011.
CARVALHO, C., Resposta dinâmica de edificações sob ação de vento turbulento. Dissertação M.Sc., COPPE/UFRJ, Rio de
Janeiro, Brasil, 2015.
DAVENPORT, A.G. The application of statistical concepts to the wind loading of structures. Proc. Institution of Civil
Engineers, v19, Paper 6480, p.449-472, 1961.
DYRBYE, C., HANSEN, SO, Wind Loads on Structures, John Wiley & Sons, England, 1997.
EUROCODE 1. Actions on structures – Part 1-4: General actions – Wind actions. The European Standard EN 1991-1-4:2005 ,
2005
GUERRA, F.A. Avaliação de Métodos Teóricos para Estimativa de Comportamento de Edifícios Altos Sob a Ação de Vento
Turbulento. Dissertação M.Sc., COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, Brasil, 2016.
INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR WIND ENGINEERING (IAWE), International HFBB Comparison Project - Building B
Summary results. http://www.iawe.org/. Acesso em: 15 2 2015,2012.
PFEIL, M.S.; CARDOSO, D.; CONCEIÇÃO, R.; BATTISTA, RC Edificações flexíveis sob a ação dinâmica de vento turbulento.
XXXV Jornadas Sul Americanas de Engenharia Estrutural. Rio de Janeiro, 2012.
SIMIU, E. ; SCANLAN, R., Wind Effects on Structures. , 3rd Ed. John Wiley & Sons, 1996.
TSCHANZ, T. AND DAVENPORT, A.G., The base balance technique for the determination of dynamic wind loads. Journal of
Wind Engineering and Industrial Aerodynamics, 13 (1983) 429-439. Elsevier Science Publishers B.V., Amsterdam, 1983.

Você também pode gostar