Você está na página 1de 24

Respostas e comentários 1

Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Grade de correção

Avaliação das propostas de produção de texto do livro


e do Suplemento de revisão
Além da definição de critérios gerais a partir dos quais um texto pode ser avaliado,
é também de grande utilidade a criação de uma grade de correção.
Uma vez definidos os descritores que permitem avaliar o desempenho dos alunos
em cada um dos seis critérios abaixo sugeridos, a condição essencial para um bom
uso de uma grade de correção é a plena compreensão dos aspectos associados a
cada um dos critérios.
Uma grade de correção associa a descrição de algumas características gerais ob-
serváveis com relação a cada um dos critérios estabelecidos a um conjunto de pontos
ou a diferentes faixas de notas. Assim, cada vez que ler um texto e se perguntar como
o aluno se saiu ao desenvolver a tarefa proposta, o professor terá o apoio de alguns
parâmetros bem definidos, o que facilita a avaliação objetiva do texto.
Com base nos critérios sugeridos, estabelecemos parâmetros mais precisos que
correspondem à possibilidade de desempenho do aluno em cada um dos aspectos a
serem avaliados.
1. LEITURA E DESENVOLVIMENTO DA PROPOSTA
2. USO DA COLETÂNEA DE TEXTOS
3. DESENVOLVIMENTO DO GÊNERO DISCURSIVO PROPOSTO
4. ASPECTOS GRAMATICAIS
5. COESÃO
6. COERÊNCIA

Correspondência entre pontos e conceitos

Pontos Conceito

1 Muito fraco (muitos problemas com relação ao aspecto analisado)

2 Fraco (alguns problemas com relação ao aspecto analisado)

3 Correto (desempenho adequado com relação ao aspecto analisado)

4 Bom (desempenho acima da média com relação ao aspecto analisado)

5 Muito bom (excelente desempenho com relação ao aspecto analisado)

Não incluímos, nos descritores associados a cada critério, uma apresentação para
a nota zero. Ela só deve ser atribuída em casos extremos, quando houver uma inade-
quação total com relação ao aspecto analisado.
Do que foi dito, portanto, deve-se concluir que serão raros os casos de atribuição
dessa nota quando os aspectos avaliados forem aqueles identificados pelos critérios
4, 5 e 6.
Por outro lado, não é tão difícil imaginar uma situação real em que, solicitado a de-
senvolver seu texto em um gênero X, o aluno o faça em um gênero Y. Esse é um exemplo
claro da inadequação total com relação ao terceiro critério, o que levaria à nota zero.
Respostas e comentários 2
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

O mesmo pode ser dito com relação aos cri- Isso aconteceria, por exemplo, se tivéssemos uma
térios 1 e 2. Muitas vezes, por falta de atenção grade em que, para cada faixa, houvesse 10 pontos
ou por uma leitura malfeita, o aluno se afasta disponíveis.
completamente da proposta original. Pode ainda O dilema enfrentado pelo avaliador, nesse caso,
ocorrer que, em seu texto, ele não leve em con- após ter identificado corretamente a faixa em que
sideração nenhum dos textos verbais/não verbais um texto está localizado com relação a um critério
que acompanham a proposta. Se for esse o caso, específico, pode ser resumido pela seguinte per-
a nota zero deverá ser atribuída ao(s) critério(s) gunta: quantos pontos, dos 10 de que disponho,
correspondente(s). devo atribuir ao texto nesse critério?
Outro cuidado tomado por nós foi estabelecer Com a adoção de uma escala 0-5 para cada um
uma correlação entre as faixas de nota e os con-
dos critérios, esse problema não existe. Uma vez
ceitos de forma a assegurar que a um determinado
identificada corretamente a faixa correspondente
conceito descrito na grade corresponda apenas
ao desempenho de um texto, a pontuação a ser
uma determinada pontuação. Caso o professor
atribuída àquele critério já está definida.
decida criar uma grade diferente da sugerida aqui,
recomendamos que tome esse mesmo cuidado, O número total de pontos disponíveis nessa
para evitar que haja um desequilíbrio no refe- grade é 30. Se, para fins de cálculo de notas/mé-
rencial de avaliação, ou seja, para que a nota 1 dias escolares, for necessário utilizar uma escala
atribuída a um determinado critério não signifique 0-10 ou 0-100, o que o professor deverá fazer é
algo diferente da nota 1 atribuída a outro. converter, por meio de uma regra de três simples,
a pontuação atribuída em uma escala no total
O fato de termos definido somente cinco faixas
de nota/conceitos (além do zero, é claro) pode correspondente na outra. Por exemplo:
causar estranhamento. Não seria melhor dispor de Pontos totais na escala 0-30: 18
um intervalo maior, adotando, por exemplo, a esca-
la 0-10 ou 0-100, como é mais comum acontecer? Conversão para a escala 0-10
A opção por trabalhar com a escala 0-5 em 30 10 (número total de pontos nas duas escalas)
cada critério foi motivada por uma razão muito
específica: quanto maior o número de descritores, 18 x (número de pontos obtidos – pontos
maior será a dificuldade de diferenciá-los em uma equivalentes na nova escala)
grade de correção. 30x = 180
Se, por exemplo, para cada um dos critérios x = 180/30
propostos, atribuirmos dez pontos possíveis, isso
x=6
significa que teremos de descrever dez diferentes
manifestações do desenvolvimento dos aspectos Portanto, um texto que obteve 18 pontos na
avaliados neste critério. Teremos também de garantir escala 0-30, deverá receber nota 6 na escala 0-10.
que haja um equilíbrio entre essas descrições, ou Caso a escala utilizada fosse 0-100, o mesmo texto
seja, não é desejável que a descrição de um ponto obteria 60 pontos.
seja muito específica e a de outro, associado ao
mesmo critério, mais genérica e abrangente, porque
isso certamente afetaria a “distribuição” dos textos Definição dos descritores específicos
nas diferentes faixas de nota.
para cada critério de correção
Outro efeito indesejável associado ao uso de
variações mais largas na escala de pontos é o Nas tabelas abaixo, apresentamos um descri-
risco de subavaliar o desempenho do aluno com tor associado a cada um dos cinco pontos que o
relação aos aspectos observados. Por medo de texto pode receber com relação a cada um dos
atribuir mais pontos do que o texto efetivamente seis critérios de correção. Ao fazer sua avaliação,
merece em cada um dos critérios, o avaliador você deverá identificar, dentre as características
pode desenvolver uma cobrança ainda maior do elencadas nos descritores, qual apresenta a me-
que aquela prevista pela grade, “economizando” lhor descrição do texto com relação ao aspecto
os pontos de que dispõe para cada faixa de nota. analisado.
Respostas e comentários 3
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Leitura e desenvolvimento da proposta

Pontos Descrição

1 Ausência de um projeto de texto; ideias dispersas, desconexas.

Identificação de um projeto de texto cujo desenvolvimento apresenta problemas, truncamentos, desarticula-


2
ções localizadas.

3 Projeto de texto claro, ainda que ingênuo e próximo do senso comum.

4 Projeto de texto mais amadurecido: indícios de autoria.

5 Projeto de texto amadurecido: autoria plena.

Uso da coletânea de textos

Pontos Descrição

Mera paráfrase/colagem desarticulada de informações da coletânea e/ou leitura incorreta das informa-
1
ções fornecidas.

Uso parafrástico de informações da coletânea associadas ao projeto de texto e/ou algum problema localizado
2
de leitura das informações fornecidas.

3 Integração das informações da coletânea ao projeto de texto; leitura correta das informações fornecidas.

4 Seleção e uso analítico das informações da coletânea em função do projeto de texto ao qual são integradas.

Seleção e uso analítico das informações da coletânea em função do projeto de texto; integração de infor-
5
mações/perspectivas externas à coletânea.

Desenvolvimento do gênero discursivo proposto

Pontos Descrição

1 Texto apresenta indícios que permitem caracterizar precariamente o gênero discursivo associado à proposta.

Texto apresenta algumas marcas estruturais que permitem identificar o gênero discursivo associado à
2
proposta.

Texto desenvolve adequadamente os elementos característicos da estrutura do gênero discursivo associa-


3
do à proposta.

Indícios de que alguns dos elementos característicos da estrutura do gênero discursivo foram explorados
4
em benefício do projeto de texto.

5 Exploração intencional da estrutura do gênero discursivo para beneficiar a realização do projeto de texto.
Respostas e comentários 4
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Aspectos gramaticais

Pontos Descrição

Erros variados e em grande quantidade e/ou presença excessiva de marcas da oralidade em contextos
1
não autorizados.

2 Presença de alguns erros e/ou algumas marcas de oralidade em contextos não autorizados.

3 Presença de poucos erros (não significativos); não há marcas de oralidade em contextos não autorizados.

4 Ausência de erros. Exploração de estruturas típicas da escrita em benefício do texto.

Presença de estruturas sofisticadas (inversões sintáticas, paralelismos, uso de linguagem figurada, etc.) evi-
5
dencia o pleno domínio da modalidade escrita. O uso dessas estruturas beneficia de modo evidente o texto.

Coesão

Pontos Descrição

Muitos problemas de coesão sequencial e/ou referencial e/ou lexical. Desarticulação no interior do pará-
1
grafo e entre os parágrafos do texto.

2 Alguns problemas de coesão sequencial e/ou referencial e/ou lexical. Desarticulação localizada.

3 Ocorrência mínima de problemas coesivos. Correta articulação dos parágrafos.

4 Bom uso dos recursos coesivos em função da construção do sentido geral do texto.

5 Uso sofisticado dos recursos coesivos que beneficia de modo evidente a articulação textual.

Coerência

Pontos Descrição

1 Ideias desarticuladas e/ou presença de contradições graves que afetam o sentido geral do texto.

Momentos de desarticulação das ideias e/ou presença de contradições leves que afetam localmente o sentido
2
do texto.

3 Articulação correta das ideias. Ausência de contradições.

Indícios de articulação intencional das ideias para beneficiar o desenvolvimento do projeto de texto.
4
Ausência de contradições.

Articulação muito boa e intencional das ideias em função do desenvolvimento do projeto de texto. Au-
5
sência de contradições.

Uma vez definidos os descritores que permitem avaliar o desempenho dos alunos
em cada um dos seis critérios, a condição essencial para um bom uso de uma grade
de correção é a plena compreensão dos aspectos associados a cada um dos critérios.
Respostas e comentários 5
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Respostas e comentários

Tema 1 Procedimentos de leitura

Enem e vestibulares – p. 13.


1. “Desde o que chamamos de folclore, lenda, até as formas mais complexas e difíceis da pro-
dução escrita das grandes civilizações”.
Ao falar de formas mais complexas e difíceis de produção escrita, o autor parte do pressu-
posto de que o folclore e a lenda seriam formas mais simples.

2. Alternativa E.

3. Alternativa C.

4. Alternativa C.

5. Alternativa C.

6. Alternativa A.

7. Alternativa C.

8. Alternativa E.

9. Alternativa E.

10. Alternativa E.

11. Alternativa B.

12. Alternativa A.

13. Alternativa A.

14. Alternativa B.

15. Alternativa E.

16. Alternativa D.

Tema 2 Discurso: texto, contexto e interlocução

Enem e vestibulares – p. 27.


1. Alternativa B.

2. Alternativa B.

3. Alternativa D.

4. Alternativa A.

5. Para atender à solicitação, o comentário do aluno deve deixar claro que um enunciado desse
tipo pode ser produzido em um contexto informal de comunicação. Considerando a lingua-
gem utilizada e o tema do diálogo, pode-se inferir que os interlocutores são jovens.

Uma formulação desse tipo seria inadequada em uma situação formal de comunicação que
exigisse o uso da norma padrão da língua.

6. a) Se Tolstói tivesse uma máquina de café expresso, ele nunca teria escrito “Guerra e Paz”.

Ei! Por que você tá no Facebook?


b) As informações textuais indicam que a personagem é alguém que escreve semanalmente
em um jornal, conforme os seguintes trechos: “O pessoal da Folha vai botar em itálico”
e “precisa escrever o texto dessa semana”.
Respostas e comentários 6
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

As informações extratextuais permitem a inferência de que o autor do texto é um arti-


culista da Folha de S.Paulo: Gregório Duvivier é articulista da Folha de S.Paulo e escreve no
Caderno Ilustrada semanalmente.

7. a) O ato de escrever.

b) Ter o que dizer por meio de leituras prévias.

8. a) Que a personagem escritor não chegue ao pânico do fim de prazo.

b) Para Calvin, a inspiração é estar pressionado pelo fim do prazo e, para Clarice, o esforço
quase sobre-humano de aprendizagem, de persistência em escrever.

9. Alternativa E.

10. Alternativa A.

Tema 3 Gêneros da internet

Proposta de produção: Comentário – p. 35.

Ao realizar essa tarefa, o aluno deve ter em mente que seu comentário precisa ser inde-
pendente do texto de Juca Kfouri. Isso significa trazer as informações mais relevantes acerca
daquilo que ele comenta — no caso, uma nova campanha de combate do racismo no futebol —,
sem que o leitor tenha que reler o texto original do jornalista. O aluno precisa, também, julgar
a efetividade da campanha, apresentando argumentos que fundamentem seu ponto de vista.
O texto exige, portanto, certa profundidade na análise da campanha e seus efeitos imediatos.
Na internet, os autores dos comentários podem interagir entre si e não só conversar com o
autor do blog, mas a instrução pede que a interlocução se dê apenas com o dono do blog. Não é
uma regra do gênero, mas uma determinação da proposta. Isso precisa ficar claro para os alunos.
Quanto à linguagem, é fundamental que os alunos percebam que, ainda que nos comen-
tários de internet haja inadequações ortográficas, de léxico, palavras de baixo calão, etc.,
isso não significa que o gênero tenha como regra a não utilização da variedade urbana de
prestígio. É preciso chamar a atenção do aluno para o fato de que, em contextos de avalia-
ção, o uso da linguagem também é item analisado pelos examinadores, por isso só devem
aparecer gírias ou expressões coloquiais em contextos específicos em que tais elementos
linguísticos sejam imprescindíveis.

Enem e vestibulares – p. 36.


1. Alternativa A.

2. Alternativa B.

3. Alternativa A.

4. Alternativa E.

5. Alternativa C.

6. Alternativa B.

7. Alternativa A.

8. Alternativa D.

Tema 4 Carta pessoal e e-mail

Proposta de produção 1: Carta pessoal – p. 43.

A proposta de produção de carta pessoal especificava, para o aluno, quem é o autor da carta
— um menino neozelandês de 12 anos, que provavelmente ficará cego em pouco tempo — e
para quem ele a escreve — seu melhor amigo, de mesma idade, que não viajou para os EUA.
Essas informações pressupõem que os interlocutores sejam bastante próximos; nesse caso,
é esperado o uso de linguagem mais coloquial.
Na avaliação do texto, é importante verificar se o aluno selecionou alguns dos lugares
mencionados na reportagem e se pesquisou informações sobre eles. Caso contrário, corre-se
o risco de o relato dos passeios ficar muito superficial. Além disso, foi solicitado que, ao escrever
a carta, colocando-se no lugar do menino que viaja para construir um banco de memórias
visuais antes de ficar cego, o aluno trabalhasse também com os sentimentos despertados
nesse menino ao conhecer cada um desses lugares. É necessário considerar que, no caso
Respostas e comentários 7
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

dessa criança, provavelmente ela verá esses pontos turísticos pela primeira e última vez.
Portanto, os sentimentos e emoções vividos por Louis Corbett devem ser diferentes daqueles
despertados em turistas comuns, que têm a possibilidade de um dia retornarem a lugares
com os quais se identificaram. Essa possibilidade não existe para o menino, e isso deve ser
considerado pelo aluno ao desenvolver a proposta.
Proposta de produção 2: E-mail pessoal – p. 43.

Ao escrever o e-mail solicitado, o aluno deve considerar que, embora as interlocutoras não
se conheçam, elas têm algo importante em comum: ambas têm filhos que sofrem de uma
doença que lhes compromete a visão e ameaça deixá-los cegos futuramente. Nesse caso,
essa identificação entre as interlocutoras permite que a linguagem do texto seja mais infor-
mal. Além disso, ela também pressupõe que o conteúdo da mensagem seja mais emotivo.
Ao corrigir o texto, é necessário observar se o foco do e-mail é o agradecimento feito por
Catherine Corbett a Corinne Grousbeck por ter conseguido que seu filho assistisse à partida
de basquete do Boston Celtics. Espera-se que o aluno também trabalhe em seu texto com a
informação de que Corinne é diretora de uma escola para cegos. Esse fato pode ser explorado
na construção da imagem que Catherine faz de sua interlocutora.

Enem e vestibulares – p. 44.


1. Alternativa A.

2. O objetivo desta proposta é que, a partir da leitura da coletânea, em especial do texto 1, o


aluno produza uma carta pessoal dirigida pelo neto ao avô em que discuta a relação entre
jovens e adultos, considerando principalmente os pontos positivos ou negativos da cons-
tante busca pela juventude. É importante que se mantenha a interlocução entre neto e avô
e que seja usada uma linguagem condizente com o fato de que há um distanciamento entre
ambos. Os textos da coletânea apontam para possibilidades de solução ou agravamento
desses conflitos de geração. Assim, o texto 1, em que Scliar apresenta uma reflexão sobre o
envelhecimento, será complementado pelo texto 3, que aponta para os “gostos” infantis dos
adultos, pelo texto 4, que destaca, na atualidade, o olhar para o envelhecimento muito mais
voltado para suas desvantagens do que vantagens, além dos textos 2 e 5, que apresentam
perspectivas científicas sobre a questão.

3. Para cumprir essa proposta, o aluno deve partir dos textos da coletânea e refletir sobre
a força da amizade na vida humana. A tirinha de Mauricio de Sousa destaca os vínculos
de amizade construídos ainda na infância. O artigo da revista Superinteressante apresenta
resultados de uma pesquisa que aponta a amizade como fator fundamental para o bem-
-estar social e a saúde física. O Texto 3 discute a origem da palavra companheiro e mostra
que a amizade é um sentimento em que tudo deve ser compartilhado. A canção de Renato
Teixeira destaca a importância da amizade no que se refere à lealdade e cumplicidade. Por
fim, a imagem associada à citação de Aristóteles reforça que a amizade é capaz de superar
diferenças. Considerando a proximidade entre os interlocutores da carta, é importante que
o aluno mantenha um tom de afetividade ao longo do texto, reforçando a importância dos
laços de amizade construídos e mostrando o quanto ele conhece seu interlocutor.

Tema 5 Biografia

Proposta de produção: Perfil biográfico – p. 51.

Espera-se que o aluno, ao escrever o perfil biográfico da personagem escolhida, seja capaz
de selecionar, dentre as inúmeras informações que pesquisou, aquelas que se mostram
mais relevantes para apresentar ao leitor as principais características dessa personagem.
Por isso, não deve apenas expor fatos em sequência, sem que se perceba um trabalho prévio
de seleção e organização.
É importante observar que o trabalho com a linguagem é essencial para o gênero biografia.
Através da criação de imagens que representem situações vividas pela personagem biogra-
fada, o aluno deve mostrar preocupação em capturar a atenção do seu leitor, entendendo,
mais uma vez, que não basta apenas relatar uma sequência de acontecimentos; é necessário
pensar em como contá-la. Na correção do texto, verifique se o aluno criou estratégias para
capturar a atenção do seu leitor. Essas estratégias já devem aparecer no primeiro parágrafo,
que merece atenção maior no momento da correção.

Vestibulares – p. 52.
1. O objetivo desta proposta é que o aluno crie um escritor fictício e produza a sua biografia,
ressaltando aspectos significativos do trabalho literário desse autor. O texto deve mostrar de
Respostas e comentários 8
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

que modo sua obra reflete sobre as transformações da escrita e, consequentemente, do próprio
ser humano. Para essa reflexão, é possível basear-se nas imagens apresentadas na coletânea
e nos diferentes excertos que abordam essa questão adotando diferentes perspectivas.

2. Os textos apresentados oferecem diferentes possibilidades de elaboração da proposta, permi-


tindo que o aluno crie a personagem biografada e narre aquilo que julgue relevante a respeito
de sua trajetória de vida. É importante que a biografia contemple desde o nascimento até a
morte do biografado.

Tema 6 Conto

Proposta de produção: Conto – p. 63.

Essa proposta tem como objetivo levar o aluno a dar atenção a todos os elementos essenciais
que compõem o gênero conto. Assim, o trabalho com o tempo, o espaço e a construção da perso-
nagem principal são itens obrigatórios para o correto desenvolvimento do tema. Espera-se que o
aluno se lembre de que a proposta pede a criação de um narrador-protagonista, que terá a ideia de
escrever uma mensagem e colocá-la em uma garrafa. As circunstâncias e as razões que justificam
essa ação da personagem devem ser, necessariamente, explicitadas pelo aluno em seu conto.
É preciso também observar como se deu a caracterização do espaço e do tempo, já que
a proposta exigia a reconstrução do contexto do início do século XX. Pode-se sugerir uma
pesquisa prévia sobre o período, indicando contexto histórico, econômico e cultural da época.
Também é possível reconstruir elementos desse momento histórico em grupo, através de
uma discussão em sala de aula.

Vestibulares – p. 64.
1. A tarefa narrativa espera que o aluno produza um conto cujo enredo tenha como conflito
o seguinte questionamento: “Reality show: uma forma de diversão para espectadores e
competidores ou de degradação de ambos”? O foco narrativo pode ser em 3a ou 1a pessoa,
desde que o narrador seja caracterizado como um participante de reality show, espectador
individual ou representante de alguma instituição social. Com base na escolha do narrador,
é possível utilizar diferentes excertos da coletânea para criar o texto, uma vez que os frag-
mentos selecionados apresentam uma definição desse tipo de programa, críticas às baixarias
apresentadas e análises a respeito da necessidade humana de imitação da vida, de tornar
público o privado ou de nossa compulsão pela fama.

2. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um conto cujo enredo aborde o método de
educação oriental utilizado pela mãe de um adolescente para prepará-lo para o vestibular.
Com base na leitura do texto 1 da coletânea, é possível construir a caracterização dessa
“mãe tigre”, apresentada como uma mulher autoritária que exige que seus filhos sejam os
melhores em tudo e os pune com castigos e chacotas quando fracassam. A escolha do foco
narrativo é livre, bem como o desfecho, que pode exprimir tanto o fracasso quanto o sucesso
do método educacional adotado por essa mãe.

Tema 7 Notícia

Proposta de produção: Notícia – p. 70.

No momento de corrigir os textos, é preciso garantir que os alunos souberam apresentar,


no primeiro parágrafo, as informações necessárias para constituir o lide da matéria. Além
disso, também se deve verificar se o texto foi redigido de modo claro e objetivo.
Com relação ao contexto de produção e de interlocução, deve-se analisar se os alunos le-
varam em conta o fato de que estão escrevendo para leitores de um site que divulga apenas
notícias boas, positivas, ou seja, um público mais amplo.
Outro aspecto afetado pelo contexto discursivo criado é a seleção de informações: além
dos dados essenciais necessários para a notícia, que outros fatos eles julgaram pertinentes
incluir no texto para capturar a atenção de seu público?

Vestibulares – p. 71.
1. Alternativa D.

2. O objetivo do gênero notícia é relatar um fato, portanto, para cumprir a tarefa proposta, o
aluno deverá informar o que aconteceu, quando aconteceu, quem são os envolvidos. Assim,
fazendo uso de linguagem clara e objetiva, é preciso explicitar quem é esse homem que
conversa com o garçom no botequim e o que aconteceu com ele.
Respostas e comentários 9
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

3. O gênero notícia caracteriza-se pelo relato de fatos e acontecimentos. Nesse caso, pede-se
que se relate algo relacionado ao meio ambiente. A partir dos textos da coletânea, é possível
obter informações sobre a crescente devastação da Amazônia, a morte de ambientalistas no
Pará, a destruição de florestas provocada por um extrativismo desenfreado, os problemas
ambientais ocasionados pela expansão industrial. Desse modo, o aluno deve selecionar um
aspecto relacionado à questão ambiental e informar o que aconteceu, quando, onde e quem
são os envolvidos. É preciso que a notícia seja escrita em linguagem clara e objetiva e respeite
a variedade padrão da língua portuguesa.

Tema 8 Crônica

Proposta de produção: Crônica – p. 76.

Espera-se que o aluno apresente uma opinião acerca do evento central narrado na notícia
sobre o resgate do caranguejo gigante. É importante que o texto não deixe de explorar o impasse
trazido pela notícia entre a preservação ambiental e a satisfação de uma necessidade humana
que é a fome dos moradores de rua. A crônica deve, portanto, refletir acerca da prioridade da
vida do animal e das pessoas envolvidas no episódio. O aluno deve lembrar-se, também, de
que seu texto deve ser autônomo em relação à notícia e, portanto, deve explicar o resgate do
animal, por quem foi feito e em que circunstâncias. O aluno não deve pressupor, portanto,
o conhecimento prévio do leitor sobre os fatos que gerarão a reflexão trabalhada na crônica.

Enem e vestibulares – p. 77.


1. O objetivo da proposta é que o aluno reflita sobre os significados do envelhecimento na
contemporaneidade. Dois fragmentos e duas imagens foram fornecidos como apoio para a
elaboração da proposta. O texto 1, de Rubem Alves, trata do momento em que alguém se dá
conta de que ficou velho e mostra que isso não é algo ruim, que é possível encontrar beleza
na velhice. Já o texto 2, de Guita Grin Debert, discute a tendência contemporânea de romper
com estereótipos associados à velhice, passando a tratar essa fase da vida como um momento
de novas conquistas e realizações de projetos outrora abandonados. Considerando que a
crônica é um gênero que explicita uma perspectiva subjetiva, é importante que o texto seja
centrado em reflexões sobre o envelhecimento.
2. A crônica a ser desenvolvida deve partir da situação vivida por um narrador em primeira pessoa
que é convidado para comer na casa de um(a) novo(a) amigo(a) e acaba descobrindo no mo-
mento em que a refeição é servida que o cardápio era voltado para pessoas que seguem uma
rígida dieta alimentar. Considerando que a crônica é um gênero que explicita uma perspectiva
subjetiva, é importante que o texto esteja centrado nas reflexões em torno da alimentação
saudável, discutindo se se trata de uma escolha individual ou de algo socialmente determinado.
3. A crônica a ser desenvolvida deve discutir as consequências do uso das tecnologias digitais
na sociedade atual a partir de um ponto de vista claramente pessoal. A coletânea apresenta
textos que tratam do uso dessas tecnologias e pode ajudar o aluno a refletir sobre os novos
conflitos e soluções trazidos pelos avanços tecnológicos. Questões como segurança, priva-
cidade, leitura digital ou uso de sensores biométricos para medir o desempenho físico são
tematizadas nos textos apresentados e podem servir para construir o estado de perplexidade
do narrador diante das transformações produzidas pelos recursos tecnológicos.
4. A crônica é um gênero que tem como objetivo promover reflexão tomando como ponto de
partida situações do cotidiano. Assim, os alunos devem refletir sobre a superação de uma crise
em um texto a ser publicado no jornal da cidade. Como apoio para a elaboração da proposta
temos uma imagem que reforça a importância da superação e a letra da canção “Volta por
cima”, de Paulo Vanzolini, que incentiva seu interlocutor a não desanimar, levantar, sacudir
a poeira e dar a volta por cima.
É importante lembrar que, como o contexto de circulação da crônica será um jornal, o texto
deve seguir a norma-padrão da língua portuguesa, embora possa usar uma linguagem mais
simples em razão das características do gênero solicitado.
5. A crônica a ser desenvolvida deve ter, como ponto de partida, a situação de um transeunte
que encontra uma mochila colocada entre as raízes de uma árvore, mas teme tocar no objeto.
Em seguida, outra pessoa se aproxima, pega a mochila e encontra vários pacotes com notas
de cem reais. Em um texto em 3a pessoa, o aluno deverá produzir uma crônica que, a partir
da reação dos envolvidos na situação, reflita sobre a inversão de valores e a banalização de
conceitos fundamentais na sociedade atual.
6. Alternativa A.

7. Alternativa E.

8. Alternativa C.
Respostas e comentários 10
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

9. a) A característica da crônica explorada pela pergunta é a transitoriedade do gênero, con-


sequência de ser um texto que explora fatos do cotidiano e, normalmente, é publicada
em jornais, pressupondo uma leitura rápida.
b) Essa palavra se refere à conclusão decorrente da afirmação anterior do escritor — “É
coisa efêmera”, instaurando uma dúvida acerca da elaboração de um livro de crônicas,
já que esse suporte tem uma longevidade que não condiz com o gênero.

Tema 9 Tira cômica

Proposta de produção: Tira cômica – p. 92.

É preciso reforçar que o elemento importante dessa tarefa não é a capacidade do aluno de
ser um bom quadrinista ou desenhista, mas, sim, sua habilidade de escrita, a fim de produzir
um texto que seja coerente com o primeiro quadrinho indicado e cujo final seja criativo e
tenha humor. O aluno pode adotar qualquer uma das modalidades de humor indicadas no
capítulo: a piada simples, o humor crítico ou o anticlímax. A linguagem e seu grau de for-
malidade dependerão do enredo da tirinha e seu contexto, podendo o aluno ficar livre para
usar uma variedade menos formal, caso ache necessário.

Vestibulares – p. 94.
1. Alternativa E.

2. Alternativa D.

3. Alternativa E.

4. Alternativa A.

Tema 10 Texto enciclopédico

Proposta de produção: Texto enciclopédico – p. 98.

A realização dessa tarefa pressupõe que o aluno faça, antes, uma pesquisa, a fim de co-
letar informações acerca dos inventos brasileiros sugeridos para a realização do verbete. É
importante reforçar para os alunos a estrutura do texto enciclopédico. Assim, o texto deve
começar por uma definição (feita de modo claro e objetivo, evitando tautologias), tratar da
finalidade/objetivo do termo/tópico apresentado e, na sequência, informar sobre sua evo-
lução. Por fim, também é necessário verificar se a linguagem utilizada está de acordo com
as características próprias desse gênero discursivo, no qual a imparcialidade, a clareza e a
objetividade são muito importantes.

Vestibulares – p. 99.
O objetivo da proposta é que o aluno produza um verbete capaz de explicar o que é computação
em nuvem, colocando-se como um leigo em informática que tem como público-alvo pessoas
que não são especialistas na área. Desse modo, o verbete não pode ser muito técnico e precisa
apresentar informações compatíveis com os textos da coletânea. A utilização de exemplificação
é uma estratégia que facilita a compreensão do interlocutor, podendo ser citados como exem-
plos da computação em nuvem serviços de compartilhamentos de arquivos e contas de e-mails.
Por fim, é preciso que o texto apresente uma vantagem e uma desvantagem da aplicação
da computação em nuvem. Para atender a essa solicitação, o aluno pode citar como vantagem
o fácil acesso aos dados armazenados e como desvantagem a possibilidade de quebra de
privacidade. Dadas as características do gênero, é importante lembrar que o texto não deve
apresentar opiniões pessoais sobre a questão e precisa ser escrito em linguagem formal.

Tema 11 Texto de divulgação científica

Proposta de produção: Texto de divulgação científica – p. 102.

A tarefa proposta tem o objetivo de levar os alunos a perceberem o quanto o perfil do


interlocutor afeta a estrutura de um texto.
Adaptar o texto da revista Pesquisa Fapesp para alunos de 7 a 9 anos significa não só intro-
duzir a definição de alguns conceitos (como design, por exemplo), mas também informações
contextuais sobre o reaproveitamento de materiais que teriam o lixo como destino. No mo-
mento de avaliar o resultado da proposta, portanto, é importante verificar se o texto resultante
das adaptações propostas seria adequado para leitores de 7 a 9 anos.
Respostas e comentários 11
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Para se adequar à situação de produção, é importante que o aluno perceba de que modo
o invento registrado na revista Pesquisa Fapesp pode colaborar não só na diminuição da pro-
dução de lixo, mas também na ascensão do material descartado a uma posição de algo útil,
criativo e durável, não descartável.

Enem e vestibulares – p. 103.


1. a) As fontes apresentadas pelo texto são as citações retiradas da entrevista com o autor da
tese discutida e a própria tese. Os exemplos de discurso reportado aparecem através do
uso de discurso direto, como em “os próprios artistas foram abrindo o ambiente para outras
pessoas e facilitando esta via de mão dupla. O ‘circo novo’ de hoje estabelece-se a partir desta
relação com o novo sujeito histórico”, afirma Rodrigo Mallet Duprat. Temos como exemplo de
discurso indireto: Rodrigo entende que atualmente a atividade é exercida por diferentes profis-
sionais como professores de teatro, artes ou educação física.
b) O profissional de circo hoje já não tem mais necessidade de ter uma vida itinerante, e é
proveniente de diferentes áreas do conhecimento, como ciências sociais, educação física,
dança. Suas atividades já não estão mais restritas ao que ocorre dentro de uma lona,
estendendo-se para academias esportivas, projetos sociais, oficinas culturais e até hospitais.
2. a) Podem ser apresentadas expressões como: “os objetos de sua afeição”, “espectógrafos
antipáticos”, “blocos de nossos amados corpos celestes”, “seus mais íntimos segredos”,
“muitas noites geladas”, “podem acariciar”, “fascinam” e “contemplamos”.
b) O uso da primeira pessoa do singular pode indicar a particularização das experiências
narradas pelo autor, já a primeira pessoa do singular expressa a inclusão do autor
em uma comunidade científica específica (geofísicos, que são estudiosos de planetas
e asteroides).
3. Alternativa C.

4. Alternativa C.

5. Alternativa E.

6. Alternativa C.

7. a) O uso de expressões como “ou seja”, “isto é” ao lado de conceitos ou termos técnicos,
uso de apostos, orações intercaladas, discurso indireto, sinônimos, entre outros. Dentre
os trechos que podem ser citados, temos: “Temporariamente, um pouco de estresse oxi-
dativo — processo combatido por algumas vitaminas e que danifica as células — ajuda
a evitar o diabetes tipo 2”;
“... exercícios físicos podem reduzir a sensibilidade à insulina, o hormônio que conduz
a glicose às células de todo o corpo”.
b) A pesquisa tomou dois grupos distintos de sujeitos. Através da comparação entre pessoas que
fizeram exercício físico e tomaram vitaminas e pessoas que fizeram exercícios e não tomaram
vitaminas, os pesquisadores concluíram que não se deve tomar vitaminas após a prática de
exercícios porque elas inibem o efeito do estresse oxidativo promovido pela prática física.

Tema 12 Reportagem

Proposta de produção: Reportagem – p. 110.


A estrutura da reportagem a ser analisada deve levar em consideração, além da objetividade
obrigatória nesse gênero discursivo, a existência das ilustrações solicitadas nas instruções.
Dada a natureza do tema da reportagem, admite-se certa informalidade da linguagem,
dado que o público leitor será constituído por familiares e alunos da própria escola.
Outro aspecto a ser observado é se o conjunto título/subtítulo é capaz de cumprir, com o
primeiro parágrafo do texto, a função de despertar o interesse do leitor para a reportagem.

Vestibulares – p. 112.
Alternativa A.

Tema 13 Entrevista

Proposta de produção: Entrevista – p. 117.

Os textos fornecidos trazem informações importantes acerca da atração turística a ser


tema da entrevista: o Vale da Lua. O trabalho dos alunos, então, será o de transposição dessas
Respostas e comentários 12
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

informações para um novo gênero, o da entrevista. Para isso, é preciso que seja respeitada
a estrutura fundamental das entrevistas, com uma boa introdução (apresentação do en-
trevistado e do tema da entrevista), perguntas diretas e objetivas (articuladas entre si), e
oferecimento ao leitor das informações essenciais para a compreensão do tema em questão.
Quanto ao entrevistado e seu perfil, o aluno deve perceber que, caso se trate de um jovem
aventureiro, o nível de interesse da atração pode mudar: o fácil acesso, por exemplo, pode
ser um ponto negativo para quem busca destinos mais arriscados e trilhas mais comple-
xas. Já se o entrevistado for alguém mais maduro, sem experiência com trilhas ou alguém
que viaja com a família, a facilidade de acesso ao ponto turístico pode ser visto como algo
positivo, compatível com o perfil desse viajante que não deseja enfrentar grandes desafios.
A linguagem pode ser mais informal ou mais formal a depender, também, do perfil do en-
trevistado e da sua relação com o entrevistador (alguém mais próximo ou de mesma idade,
por exemplo, tenderá a utilizar um registro mais informal da língua).
Por fim, deve-se determinar se o título e o subtítulo criados cumprem a sua função de
despertar o interesse dos leitores para o assunto da entrevista e de oferecer informações
básicas sobre o tema abordado.

Enem e vestibulares – p. 119.


1. Alternativa D.

2. Alternativa E.

3. Alternativa E.

4. Alternativa D.

5. Alternativa B.

6. Alternativa B.

7. Alternativa D.

Tema 14 Textos instrucionais

Proposta de produção: Texto instrucional – p. 125.

Será tarefa do aluno não só recolher as dicas sobre aquilo que deve ser feito para ga-
rantir uma boa alimentação, mas, também, aquilo que deve ser evitado, justificando as
instruções indicadas.
No momento de avaliar as instruções escritas pelos alunos, deve-se observar se eles foram
capazes de respeitar as características estruturais e de linguagem definidoras dos textos ins-
trucionais, elaborando instruções claras e objetivas, preferencialmente com o uso dos verbos
no modo imperativo. Uma introdução, no caso específico desta proposta, proporcionará ao
texto maior autonomia e um cumprimento mais adequado do seu contexto de produção.

Vestibulares – p. 128.
1. O objetivo da proposta é que o aluno dê instruções aos pais sobre como proceder em relação
à escolha profissional dos filhos. Considerando que os interlocutores do texto serão pais
leitores da revista Pais & Adolescentes, é preciso que o aluno faça uso de uma linguagem
compatível, respeitando a modalidade formal da língua portuguesa e fazendo uso de formas
imperativas dos verbos.

2. Considerando o contexto de produção do texto (jovem estudante morador(a) de república


dirigindo-se a leitores da Folhateen), o aluno deve fazer uso de linguagem informal, simples
e direta, apresentando instruções sobre como enfrentar o desafio de dividir uma casa com
outros estudantes. Com base na coletânea, é possível enumerar itens a respeito da impor-
tância da organização individual, bem como de reuniões coletivas que determinem a divisão
de tarefas administrativas e domésticas, além de regras de conduta social que garantam a
harmonia entre os membros da moradia.
3. Alternativa D.

4. Alternativa D.

5. Alternativa B.

6. Alternativa C.

7. Alternativa A.

8. Alternativa C.
Respostas e comentários 13
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Tema 15 Textos publicitários

Anúncio publicitário do Museu de Arte de São Paulo (Masp) – p. 133.

Masp/DM9DDB
11

14

18
16
15

17
12

13
10

5
2

6
1

9
3

8
4

Disponível em: <http://www.ccsp.com.br/site/pecas/40998/resultado-busca>. Acesso em: 25 ago. 2014.


Respostas e comentários 14
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

1 Não importam os caminhos que tomamos depois.


2 Os momentos que vivemos quando crianças nos acompanham para sempre.
3 Cresci em uma abastada família judia.
4 Políticos importantes e artistas consagrados estavam sempre entre nós.
5 Eu e minha irmã mais velha, Elisabeth, adorávamos tudo aquilo.
6 Nós duas vivíamos grudadas.
7 E assim ficamos, por horas e horas, quando Pierre Auguste Renoir veio fazer o nosso retrato.
8 Toda vez que eu esboçava desistir, Elisabeth apertava minha mão.
9 E eu segurava o choro.
10 Papai não gostou muito do resultado, não sei bem por quê. O quadro ficou anos esquecido
em uma de nossas casas.
11 Mas nunca saiu da minha cabeça.
12 Anos depois, tornei-me a esposa de um general britânico. A ilustre senhora Alice Ferrers
Townshend.
13 Mas nunca mais me senti completa sem minha irmã por perto.
14 Ela foi presa durante a Segunda Guerra Mundial.
15 Os nazistas não perdoaram sua origem judaica.
16 Elisabeth morreu a caminho de Auschwitz.
17 E, quando quero me sentir mais próxima dela, eu volto àquele momento.
18 Uma doce lembrança em rosa e azul.

Proposta de produção: Texto publicitário – p. 136.

O objetivo da proposta é desafiar os alunos a se colocarem no lugar de alguém que precisa


persuadir um público-alvo com um perfil bem definido. Além disso, não se trata de vender um
produto, mas sim uma ideia. Por isso, no momento de avaliar os anúncios produzidos, é preciso
observar se eles respeitam a estrutura do texto publicitário e se os argumentos e estratégias
persuasivas foram selecionados e definidos em função do perfil do público a que se destinam.
Seria interessante que os alunos escolhessem os melhores anúncios, por meio de uma votação,
e, depois, que os textos selecionados fossem realmente afixados nos espaços coletivos da esco-
la, para que a campanha humanitária em favor das instituições de cuidados com os idosos se
torne uma realidade. Só assim seria possível “medir” a eficácia persuasiva dos anúncios criados.

Enem e vestibulares – p. 138.


1. Alternativa C.

2. Alternativa E.

3. Alternativa E.

4. a) A imagem da folha da árvore apresenta nervuras semelhantes a um mapa logístico,


apresentando detalhes sobre rotas, cruzamentos e passagens.
b) O advérbio “aqui” se refere à expressão “mapeamento logístico” que, segundo a empresa,
seria o responsável por sua competitividade. Além disso, a imagem da folha poderia ser
uma referência à floresta amazônica como um todo.

Tema 16 Carta aberta e carta de leitor

Proposta de produção: Carta aberta – p. 143.

A tarefa do aluno, ao redigir a carta aberta proposta, é defender a ampliação no número


de áreas verdes de sua cidade. Considerando que o interlocutor definido é o Secretário do
Meio Ambiente, a primeira providência necessária é descobrir se há algum projeto na pre-
feitura relacionado ao tema proposto (como o exemplificado no texto III) e qual a posição
do Secretário a respeito da questão ambiental.
No momento de avaliar os textos, o professor deve considerar também o contexto de
circulação definido na proposta: como se estabeleceu que a carta aberta será publicada no
principal jornal da cidade, é preciso atentar para o grau de formalidade da linguagem a ser
utilizada no texto. O fato de a carta ser dirigida ao Secretário do Meio Ambiente é outro fator
que exige cuidado no uso da linguagem. Deve-se observar, ainda, se a interlocução explícita
foi mantida ao longo do texto e se o aluno ofereceu informações suficientes para se identificar
junto ao Secretário e para informar qual o objetivo da carta a ele dirigida.
Respostas e comentários 15
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Enem e vestibulares – p. 145.


1. O objetivo da proposta é que o aluno produza, em nome de um grupo de alunos, uma carta-
-convite dirigida à comunidade escolar (pais, professores, alunos, gestores e funcionários)
convencendo-a a participar de uma reunião para propor soluções concretas para o enfren-
tamento da violência no ambiente escolar. Os argumentos para justificar o convite devem
tomar como ponto de partida vários episódios de violência na escola e ressaltar a importância
do envolvimento de toda a comunidade na resolução desse problema. É preciso que o texto
seja assinado e indique a data e o local de realização do evento.
Para a elaboração da proposta deve-se considerar o texto-fonte “Conversar para resolver
conflitos”, que destaca a importância da mediação de conflitos para a construção de uma
cultura de paz e cita o Projeto Estudar em Paz, realizado em um colégio de Brasília, que investe
na formação de alunos mediadores para a diminuição da violência na escola.

2. Alternativa C.

3. Alternativa E.

4. Alternativa A.

5. O aluno deve produzir uma carta aberta assumindo a perspectiva de um membro de uma
associação de bairro de uma grande cidade e manifestar preocupação em relação aos pro-
blemas de trânsito enfrentados pelos moradores. O texto será veiculado nas redes sociais
e seus interlocutores serão as autoridades municipais encarregadas da implementação de
ações para o enfrentamento dos problemas de mobilidade urbana. Assim, deverá ser utili-
zada a modalidade-padrão da língua portuguesa e deverão ser apresentados argumentos
que sustentem a reivindicação apresentada.

6. O objetivo da proposta é que o aluno escreva uma carta aberta a ser publicada em um jornal
de circulação local, tomando posição em relação à proibição do uso de máscaras ou outros
recursos para cobrir o rosto durante manifestações. Portanto, para atender ao que lhe é so-
licitado, é preciso que mantenha a interlocução ao longo do texto e apresente argumentos
que sustentem seu ponto de vista favorável ou contrário à proibição.

7. O tema proposto pede que o aluno produza uma carta a ser enviada ao autor da matéria “Cães
vão tomar uma gelada com cerveja pet”, publicada no jornal Folha de S.Paulo, criticando o fato
de não haver referência às consequências trazidas pelo consumo de álcool por adolescentes.
Os argumentos para fundamentar tal crítica devem basear-se nos dados apresentados no texto
“Vergonha Nacional”. Por tratar-se de uma carta do leitor, é necessário que o texto mantenha
uma relação de interlocução com a matéria lida e explore a argumentação, mostrando que
o consumo de cerveja por cães pode servir de estímulo para que os adolescentes também
queiram consumir bebidas alcoólicas.

Tema 17 Resenha

Proposta de produção: Resenha – p. 153.

No momento de avaliar o resultado desta proposta, é necessário verificar se os alunos


conseguiram articular a apresentação da obra a ser resenhada com a explicitação do jul-
gamento que fizeram dela. Além disso, devem ser analisados os argumentos apresentados
para sustentar a avaliação da obra: eles contribuem para convencer os leitores da validade
da opinião do autor do texto? É interessante, também, observar se os alunos conseguiram
relacionar o tema do evento sobre lixo e o conteúdo do curta-metragem analisado.

Vestibulares – p. 154.
1. A substituição de livros por breves resumos, a sua transformação em curtos “relatos radio-
fônicos” ou em citações de “dez linhas em um dicionário”, a incapacidade das universidades
em formar professores e a ausência de produção artística (“caixas de música que, em vez
de tocar música, apenas contam piadas”) justificam a afirmação de que, naquele cenário, “A
palavra ‘intelectual’ se converteu em um xingamento”. Todos esses fatos são consequência
da redução das formas de conhecimento e de comunicação.

2. O objetivo de uma resenha é apresentar características essenciais de uma obra com comen-
tários e avaliações críticas sobre sua qualidade. Desse modo, o aluno deve escolher uma
das duas obras sugeridas e produzir um texto que analise a obra selecionada. O contexto de
circulação será um site/blog.
Respostas e comentários 16
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Tema 18 Artigo de opinião

Proposta de produção: Artigo de opinião – p. 158.

No momento de avaliar a produção dos alunos, é importante garantir que foram capazes
de organizar seus artigos de opinião deixando clara a posição defendida. Além disso, também
se deve avaliar se os argumentos apresentados são suficientes para defender tal posição.

Com relação aos textos de apoio oferecidos na proposta, deve-se observar que tratam,
especificamente, da questão da obesidade nos Estados Unidos, país com alto índice de pes-
soas acima do peso e que tem intensificado sua luta contra o sobrepeso de seus cidadãos. É
importante verificar se os alunos conseguem identificar o sentido básico desses textos e se
relacionam esse sentido a diferentes visões do tema em questão: há uma clara relação entre
diversos tipos de câncer e a obesidade; os americanos têm tentado, por força de lei, fazer
com que seus habitantes consumam menos alimentos ­— no caso, refrigerantes — com alto
teor de açúcar e, portanto, promotores da obesidade; a própria indústria de refrigerantes
está tentando encontrar medidas para diminuir o impacto de seus produtos no aumento
de peso dos norte-americanos.

Enem e vestibulares – p. 161.


1. “Juventude conectada — evolução ou problema social?” é a questão proposta para reflexão a
partir da análise dos resultados de uma pesquisa realizada pela Fundação Telefônica Vivo, em
parceria com o Ibope Inteligência, o Instituto Paulo Montenegro e a Escola do Futuro da USP,
bem como de depoimentos de jovens ouvidos pela pesquisa e de especialistas no assunto.
Para a elaboração de seu artigo de opinião, é importante que o aluno selecione argumentos
relacionados à análise dos ganhos e prejuízos decorrentes das novas possibilidades geradas
pelas múltiplas e instantâneas conexões.

2. a) O axioma criado por Roberto Campos, “a ignorância não tem limite inferior”, permite
“construir mundos maravilhosos” por não se pautar em um raciocínio baseado na reali-
dade. O axioma foi criado pelo autor após a fala de um deputado que proferia um discurso
cheio de sandices e marcado por muita gesticulação, aparentando “inventar o mundo”.
Assim, é possível perceber a relação entre a ignorância e a capacidade de construção de
um mundo distante do real.
b) O trecho que trata da “oratória de alta visibilidade” é: “com os dois braços agitados ten-
tando encontrar uma ideia”.

3. Alternativa D.

4. Alternativa C.

5. Alternativa D.

6. Alternativa B.

7. A proposta solicita que a partir da leitura de um depoimento de Graham Hill o aluno mani-
feste seu ponto de vista a respeito do tema “Vida mínima na era do consumismo”. Em seu
depoimento, Hill questiona a ideia de que o ser humano quer sempre mais coisas o tempo
todo; segundo ele, essa lógica já não faz mais sentido em uma sociedade em que podemos
ter muito mais do que precisamos. Desse modo, é preciso que o artigo discuta se concorda
com esse posicionamento ou se, em uma sociedade consumista como a nossa, as pessoas
continuam buscando sempre mais.

8. O objetivo da proposta é que o aluno discuta o que seria mais viável para a humanidade: o
progresso ou a preservação ambiental, a partir das informações extraídas de três textos de
apoio e de seu conhecimento prévio sobre o assunto. Os textos fornecidos tratam dos lucros
gerados pela extração ilegal de madeira, defendem o uso de madeira sustentável como estra-
tégia para combater o desmatamento e questionam o significado do termo desenvolvimento
sustentável. De acordo com o texto 3, não há a possibilidade de se alcançar o desenvolvimento
sustentável em uma sociedade marcada pelo crescimento populacional e consumo, o que
deveria ser buscado é o “desenvolvimento de sociedades sustentáveis”.

9. O objetivo desta proposta é que o aluno tome uma posição sobre a ética que deve nortear um
sistema competitivo de trabalho, para que não sejam feridos os valores essenciais à condição
humana. Desse modo, ele precisa produzir um artigo de opinião a ser publicado em um gran-
de jornal de circulação nacional, defendendo seu ponto de vista com base em argumentos
que se relacionem ao tem geral da prova, “A inversão de valores e a banalização de conceitos
fundamentais na sociedade atual”, e às reflexões apresentadas na coletânea. O texto 1 trata
Respostas e comentários 17
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

da inversão de valores que marca a sociedade, na qual a solidariedade e a cordialidade são


criticadas e as ações injustas e desonestas são aplaudidas; o texto 2 trata da corrupção que
permeia o país e defende a punição dos corruptos; o texto 3 afirma que o sonho de liberdade
que move o ser humano é uma utopia; o texto 4, por fim, discute os valores de preservação
da vida, defendendo que o respeito, a alegria, a colaboração devem pautar as ações humanas.

10. Baixar conteúdos na internet: permitir ou proibir? Esta é a questão proposta para reflexão
a partir da leitura de dois textos que tratam de diferentes questões relacionadas à internet
e à pirataria. Para a produção do artigo de opinião, é importante que além de selecionar ar-
gumentos que sustentem seu ponto de vista, o aluno considere seu contexto de circulação:
uma revista especializada de circulação nacional. Esse contexto define, também, o perfil de
interlocutores ao qual o texto deverá ser dirigido, sendo necessário, portanto, que os argu-
mentos apresentados sejam definidos a partir desse perfil.

11. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um artigo de opinião em que discuta o uso
das redes sociais. Para auxiliar o desenvolvimento do texto são apresentados três excertos:
o primeiro destaca a importância de se pensar duas vezes antes de publicar algo; o segun-
do fala sobre a democratização da informação produzida pelo uso dessas redes; o terceiro
afirma que todos têm direito de publicar o que quiserem desde que não agridam os outros.
Ao longo do texto o aluno precisa deixar clara sua posição e apresentar argumentos que
a sustentem; além disso, deve considerar que seu interlocutor é o leitor de um jornal de
circulação regional, fazendo uso de linguagem adequada a esse público-alvo e conduzindo
sua análise a partir desse perfil de leitor.

12. No momento de desenvolver seu texto, o aluno deverá escolher no esquema apresentado
quais os dois desafios do século XXI devem ser vencidos para que tenhamos a educação
de que precisamos. Assim, ele poderá abordar a questão a partir dos seguintes aspectos:
avanços científicos e tecnológicos, novas profissões e novas formas de trabalho, tolerância,
ética e diversidade, preservação da vida na terra e novas formas de aprendizagem baseadas
nas novas tecnologias da informação e da comunicação.

Tema 19 Editorial

Proposta de produção: Editorial – p. 171.

A tarefa do aluno, ao redigir o editorial, é definir uma posição, fundamentada em análise


prévia, sobre a questão da proibição da publicidade direcionada ao público infantil. Os textos
oferecidos como ponto de partida para a reflexão sobre a questão proposta trazem pontos de
vista bem claros a respeito dessa questão. O texto 1 trata do assunto do ponto de vista dos
artistas — a autora é filha de Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica —, e afirma,
entre outras coisas, que é a partir da circulação dos produtos licenciados que os produtores
de cultura infantil acabam sendo mais conhecidos junto ao seu público. O texto 2 defende
a proibição da publicidade direcionada às crianças, sugerindo que essas peças publicitárias
são antiéticas e imorais, uma vez que intensificam “problemas sociais como o consumismo
infantil, a formação de valores materialistas, o aumento da obesidade infantojuvenil, a vio-
lência”, além de promoverem, em alguns casos, a “erotização precoce”.
No momento de avaliar os textos, o professor deve considerar, portanto, se o aluno foi
capaz de definir uma posição clara com relação à questão proposta e se traz exemplos e
argumentos que sustentem essa posição. Deve, ainda, verificar se a defesa do ponto de vista
escolhido é encaminhada de modo compatível com a estrutura de um editorial.
Por fim, merece atenção o contexto de circulação definido na proposta: o editorial deverá
ser publicado no jornal da escola, direcionado a toda a comunidade escolar. A partir desse
contexto específico, é preciso atentar para o grau de formalidade da linguagem a ser utili-
zada no texto. É importante observar, ainda, se o título escolhido colabora para enfatizar o
conteúdo opinativo do editorial.

Enem e vestibulares – p. 173.


1. Alternativa D.

2. Alternativa E.

3. Alternativa A.

4. A proposta apresenta dois textos que tratam da aprendizagem de línguas estrangeiras no


Brasil. O texto 1 informa sobre o interesse de países como Argentina, Peru e Chile em reali-
zar intercâmbios no Brasil, uma vez que, diante do crescimento das relações comerciais, o
espanhol tem se tornado uma língua procurada no país. O texto 2 apresenta um programa
Respostas e comentários 18
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

de ensino de inglês promovido pelo Governo do Espírito Santo. A partir dessas informações,
o aluno deve escrever um editorial em que seja discutida a importância de se implementar
como política pública um programa diferenciado de ensino de línguas estrangeiras.

Tema 20 Cartum e charge

Proposta de produção: Artigo de opinião a partir de cartuns e charges – p. 179.

Julgamos que solicitar a produção de uma charge ou de um cartum pelos alunos poderia
ser uma proposta pouco produtiva no contexto de sala de aula. Poucos são os alunos que,
de fato, teriam condições de desenvolver a parte gráfica desse gênero discursivo. Sem uma
ilustração de qualidade, o efeito de humor e a própria elaboração da charge ou do cartum
poderiam ficar prejudicados. Por essa razão, pensamos em um contexto alternativo que
trouxesse para os alunos o desafio de ler e interpretar um conjunto de charges e cartuns,
ao mesmo tempo que oferecesse a oportunidade de produzirem um texto de natureza ar-
gumentativa, com a finalidade de aprofundar a análise das relações de sentido, o efeito de
humor e a abordagem de questões sociais através dos desenhos.
A análise dos trabalhos deve levar em consideração os seguintes aspectos: no artigo
escrito pelo aluno existe uma contextualização suficiente para que leitores não informados
sobre o acontecimento que deu origem às charges e aos cartuns possam entendê-los?
O artigo oferece uma análise aprofundada dos elementos constitutivos dos desenhos
escolhidos?

Enem e vestibulares – p. 180.


1. Alternativa B.

2. Alternativa E.

3. Alternativa C.

4. Alternativa E.

5. V F V V F

6. a) Os termos “miséria” e “pobreza” estão relacionados ao poder aquisitivo da camada mais
carente da população brasileira, através da estimativa da média per capita dos salários
de uma família, quando comparada com o salário mínimo mensal. Enquanto o primeiro
designa a classe com rendimento médio domiciliar de até um quarto de salário mínimo
mensal, o segundo determina o grupo com rendimento de até meio salário.
b) As péssimas condições do ambiente em que vivem os dois personagens sugerem que as
diferenças entre o pobre e o miserável são tão insignificantes que sequer são percebidas
no cotidiano das pessoas.

7. Alternativa C.

8. Alternativa E.

Tema 21 Texto dissertativo-argumentativo

Proposta completa de redação do vestibular da PUC-Campinas de 2014 – p. 185.


Leia o editorial, procurando apreender o tema nele desenvolvido. Em seguida, elabore uma
dissertação, na qual você exporá, de modo claro e coerente, suas ideias acerca desse tema.

Sobram razões para o poder público combater o hábito de jogar lixo nas ruas. Não só porque
uma cidade suja torna-se um lugar desagradável para moradores e visitantes, mas também porque
os dejetos entopem bueiros, agravam os efeitos das enchentes e favorecem a proliferação de ratos
e insetos, que são vetores de doenças.
Nem todos estão de acordo, todavia, quanto aos melhores meios para alcançar esse fim.
De um ponto de vista pragmático, a melhor maneira de patrocinar uma mudança comportamental
é transformar em infração administrativa, passível de multa, o costume que se quer inibir. O bolso,
como diz o senso comum, é o órgão mais sensível do cidadão.
Pela velocidade com que tende a produzir efeitos, essa estratégia é a favorita dos políticos. Foi
o caminho escolhido pela Prefeitura do Rio de Janeiro, que acaba de lançar sua campanha de
Respostas e comentários 19
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

limpeza. A partir de agora, jogar lixo nas ruas cariocas pode render multas de até R$ 3.000,00.
O problema é que os resultados, muitas vezes, são efêmeros. Embora haja exceções — como a
Lei da Cidade Limpa, implantada em São Paulo, ou a obrigatoriedade do cinto de segurança —,
o mais comum é que o comportamento virtuoso ande em estreita correlação com a fiscalização.
Como não dá para manter por longos períodos um exército de fiscais comprometidos com uma
única causa, muitos advogam pela busca de genuína mudança de mentalidade. Nesse caso, para
que o novo comportamento perdure, seria preciso convencer o cidadão de que a meta estabelecida
é racional e serve a seus interesses.
Na ausência de punição, o indivíduo sem dúvida agiria por princípios éticos. Evidente, porém,
que essa mudança de mentalidade é algo muito mais fácil de desejar do que de promover.
O ideal é que as pessoas sigam normas por reconhecer-lhes a justeza, mas é inegável que, na
prática, muitos refutam esse tipo de raciocínio. Para estes a única opção é a multa — mas o valor
mínimo no caso carioca, de R$ 157,00, é excessivo. E, mesmo para os demais, a sanção adminis-
trativa pode funcionar como um marco zero da transformação comportamental.
Ações educativas têm papel relevante a cumprir e, num país conhecido pelo desprezo sistemático
a normas legais, manter a fiscalização é primordial.
Sem isso, o programa Lixo Zero poderá não passar de simples operação de marketing.

Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/125186-lixo-no-bolso.shtml>.


Acesso em: 27 fev. 2015.

Proposta de produção: Dissertação – p. 186.

O objetivo desta proposta é levar os alunos a produzir uma reflexão a partir de algumas
informações previamente estabelecidas, tendo como finalidade a análise de uma questão
também predefinida. Essa é a estrutura mais frequente dos temas dissertativos do Enem
e da maioria dos exames de seleção de universidades públicas brasileiras. Não se trata de
opinar sobre o tema sem qualquer parâmetro de reflexão: as informações que o acompa-
nham precisam ser consideradas no momento de elaboração da análise. A avaliação das
dissertações, portanto, deve levar em consideração o grau de adequação com que o aluno
aborda a questão proposta, considerando as informações que a acompanham. É importante
não só que ele seja capaz de definir um ponto de vista relativo à questão ambiental e sua
relação com o desenvolvimento econômico, mas que escolha os argumentos necessários para
sustentá-lo em um texto articulado. O texto da entrevista da revista Época é o ponto central
na elaboração de uma argumentação em que se deve ter os parâmetros corretos para que
a preservação aconteça naturalmente, sem que seja um entrave ao desenvolvimento eco-
nômico. O texto reflete acerca desse ponto, demonstrando que a economia e a preservação
não devem ser vistas como inconciliáveis, uma vez que é isso que promove a degradação do
ambiente em nome do lucro. Segundo o texto, não deve haver apenas a “proteção”, deve-se
aprender a produzir com a floresta, de modo a tornar o desmatamento menos interessante.
A charge de Rico ilustra uma situação perturbadora: ao mostrar o mundo para uma criança,
o que se vê é um planeta em frangalhos, destruído. A imagem é um alerta para as condições
ambientais do planeta que, se não for protegido urgentemente, tende a ser tornar um local
inóspito para as próximas gerações. O trecho do livro Economia nua e crua destaca o impasse
dos países mais pobres entre sua sobrevivência e a preservação ambiental, elemento que
deve ser considerado na discussão da redação.

Vestibulares – p. 189.
1. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um texto dissertativo-argumentativo a
respeito das “pequenas corrupções” que ocorrem no dia a dia do brasileiro. Para isso, ele deve
basear-se em um texto do jornalista Ygor Salles, no qual ele discute uma campanha promo-
vida pela Controladoria Geral da União contra práticas antiéticas e ilegais, como comprar
produtos piratas, falsificar carteirinha de estudante ou tentar subornar guardas de trânsito
para evitar multas. O jornalista manifesta espanto quanto ao grande número de compar-
tilhamentos que essa campanha teve e questiona “Mas por qual motivo a campanha é tão
compartilhada?”. O texto produzido pelo aluno deve responder a essa pergunta, refletindo
sobre o que teria motivado essa grande repercussão e posicionando-se sobre a afirmação
de Ygor Salles de que a maioria dos brasileiros quer levar vantagem em tudo.

2. Para atender ao tema proposto, o aluno deve produzir um texto dissertativo-argumentativo


em que se posicione sobre a afirmação de que “é preciso levar em conta a leitura de li-
teratura para avaliar a formação e os valores de uma pessoa”. Para embasar a discussão,
foi apresentado um texto de Contardo Calligaris em que ele defende o julgamento de um
indivíduo a partir de sua relação com a literatura. Além disso, ao longo da prova foram
apresentados mais dois textos relacionados à questão. O texto 1, de Antonio Candido, afirma
Respostas e comentários 20
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

que todas as pessoas devem ter direito à literatura e que ela é manifestação universal de
todos os homens e em todos os tempos. O texto 2, um fragmento de O Primo Basílio, narra o
momento em que Luísa vai encontrar-se com Basílio e apresenta um paralelo entre aquilo
que a personagem imaginara para seu encontro romântico e a realidade totalmente distante
do que ela havia fantasiado. Com base nos textos apresentados, o aluno pode refletir sobre
o papel da literatura, discutindo seu caráter reflexivo e imaginativo, além do conhecimento
cultural por ela proporcionado.

3. O objetivo desta proposta é que o aluno discuta em um texto dissertativo-argumentativo a


relação entre o legado da escravidão e o preconceito contra negros no Brasil. Para isso, foram
apresentados quatro textos que abordam o tema. O texto 1 trata da situação dos ex-escravos
após a assinatura da Lei Áurea, mostrando a ausência de políticas públicas que amparassem
essa parcela da população. O texto 2 trata de uma pesquisa sobre a participação dos negros
no mercado de trabalho. O texto 3 discute a ideia de que não haveria preconceito racial no
Brasil. O texto 4 também aborda a negação do preconceito racial e defende que, ao negar a
existência do problema, a sociedade brasileira acaba deixando de enfrentá-lo. Desse modo,
é preciso que o texto produzido estabeleça uma relação entre a discriminação racial e o
período de escravidão que marcou o país, deixando claro de que modo se dá essa relação.

4. Para embasar a discussão sobre a situação da língua portuguesa na atualidade foram apre-
sentados três textos: o texto 1 discorre sobre o crescimento do português no mundo e atribui
tal crescimento a fatores econômicos, demográficos, culturais e turísticos; o texto 2 é um
mapa que localiza os países que adotam o português como língua oficial; o texto 3 questio-
na a ideia de se falar em uma “pátria lusófona” diante da diversidade que marca os países
falantes de português tanto do ponto de vista econômico quanto histórico, ressaltando que,
enquanto em Portugal a língua portuguesa é valorizada, nos países africanos ela é rejeitada.
Com base nesses textos, o aluno deve refletir acerca da língua portuguesa na atualidade,
apresentado argumentos que sustentem seu posicionamento.

5. Para atender ao tema proposto, o aluno deve relacionar a ideia defendida por Albert Einstein
de que “os problemas que criamos não podem ser resolvidos com o mesmo pensamento que
os criou” ao que é discutido no texto II a respeito de uma sociedade global sustentável. Assim,
considerando o recorte temático solicitado, o aluno precisa refletir sobre como o ser humano
deve modificar suas atitudes em relação ao outro e ao meio ambiente e construir uma sociedade
capaz de lidar com problemas que transcendem fronteiras e se relacionam à própria manutenção
da existência humana, como: escassez de água, catástrofes econômicas, propagação de doenças
incontroláveis, destruição do meio ambiente, entre outros.

6. Apresentando como textos motivadores os poemas “Vou-me embora pra Pasárgada”, de


Manuel Bandeira, e “Mar português”, de Fernando Pessoa, o tema dissertativo pede que os
alunos posicionem-se sobre o projeto Mars One, que pretende levar pessoas para colonizar
Marte em 2023. No texto Viagem a Marte sem volta, podem ser encontradas informações a
respeito do funcionamento do projeto e de seus riscos de modo que os alunos possam dis-
cutir as motivações que uma pessoa pode ter para participar de tal expedição e apresentem
seu posicionamento sobre a ideia do projeto.

7. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um texto dissertativo posicionando-se sobre
a “tolerância da sociedade brasileira à violência sexual contra as mulheres”. Para embasar a
análise são apresentados três textos: o texto 1 trata do aumento dos casos de estupro no país;
o texto 2 discute resultados de pesquisas que revelam que nossa sociedade é machista em
relação ao comportamento e à sexualidade da mulher; o texto 3 mostra que a sensualidade
feminina é explorada exaustivamente pela publicidade, o que poderia ser uma das causas da
violência sexual contra mulheres. Com base nessas informações, o aluno deve assumir um
posicionamento sobre o tema abordado discutindo quais seriam as causas dessa tolerância
do brasileiro em relação à violência sexual.

8. Com base na leitura do texto “Cyberanonimato”, de Eugênio Bucci, o aluno deve produzir
um texto dissertativo-argumentativo em que se posicione a respeito das ideias apresen-
tadas pelo autor. Desse modo, é preciso refletir sobre a questão do anonimato e assumir
uma posição em relação ao assunto. Para aqueles que julguem esse anonimato uma
“estratégia legítima”, é possível citar, com base em Bucci, situações em que manter-se
anônimo foi fundamental para a sobrevivência do autor de determinada obra. Já para
quem discorda da ideia de manter-se anônimo, seria possível mencionar casos de calúnia
e difamação em que o criminoso não pode ser identificado e, portanto, punido.

9. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um texto dissertativo em que discuta o
poder de manipulação das mídias, apresentando dois textos motivadores: um fragmento
de Nelson Rodrigues e um trecho a respeito de como a mídia é sensacionalista e distorce os
fatos. O aluno deve refletir, portanto, sobre como a mídia pode ser manipulada para atender
a interesses diversos.
Respostas e comentários 21
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

10. O objetivo desta proposta é que o aluno produza uma dissertação em que reflita sobre a
relação entre o aumento do poder aquisitivo e a mobilidade urbana. São apresentados quatro
textos de apoio: o texto 1 é uma charge que trata dos congestionamentos que dificultam
a mobilidade urbana; o texto 2 apresenta informações sobre o crescimento do poder de
consumo das camadas populares do Nordeste e o aumento da aquisição de motocicletas;
o texto 3 destaca que o trânsito é um dos maiores desafios das grandes cidades; o texto 4
faz uma comparação entre o carro e um “cárcere em pleno logradouro público”. Assim, o
aluno deve estabelecer uma relação entre o aumento do poder aquisitivo dos brasileiros e o
crescimento do número de veículos que circulam pelas cidades e as consequências trazidas
por esse aumento, discutindo políticas públicas capazes de melhorar o trânsito no país.

11. O objetivo desta proposta é que o aluno discuta a exigência de desempenho feita aos indiví-
duos na sociedade atual. Para embasar a discussão são apresentados quatro textos. O texto 1
apresenta um cartum que sugere que o sucesso depende apenas da determinação do indivíduo
em atingir seus objetivos. O texto 2 trata da redução de postos de trabalho e do consequente
medo do desemprego, provocando aumento na carga de trabalho para se manter o emprego a
qualquer custo. O texto 3 discute a pressão vivida por estudantes que almejam uma vaga em
universidades nos Estados Unidos, levando alunos do ensino médio a ingerirem estimulantes
para melhorar o desempenho nas provas. O texto 4 apresenta o posicionamento de Paul Lafargue
sobre o sistema de trabalho capitalista, que cada vez mais esgota física e psicologicamente o ser
humano. O desenvolvimento do texto dissertativo pode apresentar as causas e consequências
dessa exigência de desempenho, permitindo que o aluno tome uma posição a respeito.

12. Tomando como motivador o texto de Carolina Araújo em que ela discute os diversos sen-
tidos da palavra “clássico” para se referir a uma obra literária, o aluno deve produzir uma
dissertação em que reflita sobre qual seria o “seu clássico”. É preciso que o aluno indique
que obra é essa e apresente argumentos que justifiquem sua escolha.

13. O objetivo desta proposta é que o aluno escreva um texto dissertativo sobre o valor da palavra.
A partir da coletânea de textos, é possível refletir sobre o modo como a palavra foi tratada
na literatura, considerando a busca pela palavra na poesia de Carlos Drummond de Andrade
e o valor dado a ela no fragmento de Clarice Lispector.

14. O tema proposto pede que o aluno reflita sobre a personificação das coisas e a coisificação
das pessoas nos dias de hoje. Para isso, o poema de Carlos Drummond de Andrade aponta
como essa coisificação ocorre, mostrando como o mundo capitalista, que incentiva o ser hu-
mano ao consumo desenfreado, transforma o ser humano em coisa. Complementando essa
ideia, temos uma citação de Karl Max e duas tirinhas que ilustram o que afirma o pensador.
Desse modo, para atender ao tema, é preciso que o aluno trace um percurso analítico que
mostre como ocorre essa transformação.

15. O objetivo desta proposta é que o aluno produza uma dissertação em que reflita sobre a
loucura como forma poética de visão, de vivência e de contestação do mundo. Os textos
apresentados na coletânea abordam diferentes aspectos dessa questão, porém não podem
ser reproduzidos integralmente, devem ser apenas citados em forma de discurso indireto
ou paráfrase. No texto 1, Rosa Montero apresenta um relato pessoal como exemplo da ima-
ginação na construção da narrativa, associando o trabalho do artista à possibilidade de criar
mundos possíveis e impossíveis. No texto 2, a letra da canção “Balada do louco” defende a
felicidade do louco, valorizando o caráter transgressor da loucura. O texto 3 reproduz um
fragmento de uma entrevista com Hilda Hilst em que ela contesta a ideia de que a loucura
reflete a sensibilidade e percepção extraordinárias.

Tema 22 O projeto de texto

Proposta completa da redação do Enem 2012 – p. 205.


A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos cons-
truídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em norma-
-padrão da língua portuguesa sobre o tema O MOVIMENTO IMIGRATÓRIO PARA O BRASIL
NO SÉCULO XXI, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos.
Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa
de seu ponto de vista.

Ao desembarcar no Brasil, os imigrantes trouxeram muito mais do que o anseio de refazer suas
vidas trabalhando nas lavouras de café e no início da indústria paulista. Nos séculos XIX e XX, os
representantes de mais de 70 nacionalidades e etnias chegaram com o sonho de “fazer a América”
Respostas e comentários 22
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

e acabaram por contribuir expressivamente para a história do país e para a cultura brasileira. Deles,
o Brasil herdou sobrenomes, sotaques, costumes, comidas e vestimentas.
A história da migração humana não deve ser encarada como uma questão relacionada exclusi-
vamente ao passado; há a necessidade de tratar sobre deslocamentos mais recentes.

Disponível em: <www.museudaimigracao.org.br>. Acesso em: 19 jul. 2012. (Adaptado).

Acre sofre com invasão de imigrantes do Haiti


Nos últimos três dias de 2011, uma leva de 500 haitianos entrou ilegalmente no Brasil pelo Acre,
elevando para 1.400 a quantidade de imigrantes daquele país no município de Brasileia (AC).
Segundo o secretário-adjunto de Justiça e Direitos Humanos do Acre, José Henrique Corinto, os
haitianos ocuparam a praça da cidade. A Defesa Civil do estado enviou galões de água potável e
alimentos, mas ainda não providenciou abrigo.
A imigração ocorre porque o Haiti ainda não se recuperou dos estragos causados pelo terremoto
de janeiro de 2010. O primeiro grande grupo de haitianos chegou a Brasileia no dia 14 de janeiro de
2011. Desde então, a entrada ilegal continua, mas eles não são expulsos: obtêm visto humanitário
e conseguem tirar carteira de trabalho e CPF para morar e trabalhar no Brasil.
Segundo Corinto, ao contrário do que se imagina, não são haitianos miseráveis que buscam
o Brasil para viver, mas pessoas da classe média do Haiti e profissionais qualificados, como en-
genheiros, professores, advogados, pedreiros, mestres de obras e carpinteiros. Porém, a maioria
chega sem dinheiro.
Os brasileiros sempre criticaram a forma como os países europeus tratavam os imigrantes. Agora,
chegou a nossa vez — afirma Corinto.
Reprodução/Ministério da Justiça

Disponível em: <http://www.dpf.gov.br>. Acesso em: 19 jul. 2012. (Adaptado).

Trilha da Costura
Os imigrantes bolivianos, pelo último censo, são mais de 3 milhões fora da Bolívia, com
população de aproximadamente 9,119 milhões de pessoas. A Bolívia em termos de IDH ocupa
a posição de 114o de acordo com os parâmetros estabelecidos pela ONU. O país está no cen-
tro da América do Sul e é o mais pobre, sendo 70% da população considerada miserável. Os
principais países para onde os bolivianos imigrantes dirigem-se são: Argentina, Brasil, Espanha
e Estados Unidos.
Respostas e comentários 23
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

Assim sendo, este é o quadro social em que se encontra a maioria da população da Bolívia, estes
dados já demonstram que as motivações do fluxo de imigração não são políticas, mas econômicas.
Como a maioria da população tem baixa qualificação, os trabalhos artesanais, culturais, de campo
e de costura são os de mais fácil acesso.

OLIVEIRA, R. T. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br>.


Acesso em: 19 jul. 2012. (Adaptado).

A redação no Enem 2013 — Guia do participante.


INEP, Ministério da Educação.

Proposta de produção: Dissertação – p. 207.

A intenção desta proposta é permitir que os alunos enfrentem uma situação semelhante
à que encontrarão ao realizar a redação do Enem. Isso significa que, além de produzirem um
texto dissertativo-argumentativo no qual defendam um ponto de vista claro sobre a questão
tematizada, também devem ser capazes de apresentar uma proposta de solução para o pro-
blema do sistema carcerário brasileiro e sua relação com os problemas de segurança pública
vividos pelo país. No momento de avaliar a produção dos alunos, sugere-se que o professor
procure verificar de que modo os textos da coletânea foram utilizados. O texto 1 argumenta
que é preciso repensar o modo como são tratados esses indivíduos reclusos, uma vez que
eles voltam à sociedade após cumprirem suas penas. Há, aqui, algumas possibilidades de
propostas de intervenção que podem ser exploradas pelos alunos, como a melhoria das
condições dos presos, medidas de ressocialização dentro das cadeias, dentre outros aspec-
tos. O mapa do texto 2 mostra o número de presos por região do país e o déficit de vagas em
cada estado. A superlotação só favoreceria a transformação de presos que realizaram crimes
leves em criminosos revoltados e inaptos para a vida em sociedade. O caso de São Paulo é o
que mais chama a atenção no mapa com o maior déficit de vagas em presídios. O texto 3 é
a charge de Nani que traz a informação de que no Brasil o índice de reincidência no crime
é de 70%, enquanto na Europa é de 10%. Vale novamente a reflexão a respeito de políticas
que pensem na reintegração do ex-detento à sociedade.

VESTIBULARES – p. 209
1. O objetivo da proposta é fazer com que o aluno discuta o seguinte tema: “Camarotização”
da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia. Para o desenvolvimento
da dissertação são apresentados quatro textos de apoio que abordam uma tendência da
sociedade contemporânea que, cada vez mais, mantém “segregados os diferentes estratos
sociais”. O texto 1 apresenta a visão do professor Michael Sandel, que defende a importância
da democracia em uma época marcada pela desigualdade. O texto 2 traz um comentário do
mesmo professor, no qual ele afirma que a tendência à segregação é maior no Brasil que nos
Estados Unidos, já que os serviços públicos aqui são vistos como algo voltado para aqueles
que não podem pagar por algo melhor. O texto 3 texto alerta sobre a possível expansão do
processo de “camarotização” para muitos outros setores. O texto 4 é um relato de um pro-
fessor universitário segundo o qual, na década de 1960, a escola pública se destacava pela
qualidade e pelo convívio de diferentes classes sociais. Para atender a proposta, é preciso que
o texto do aluno reflita sobre as causas desse fenômeno, discuta a relação entre a camaro-
tização, segregação de classes sociais e democracia e apresente argumentos que sustentem
seu ponto de vista.

2. Para refletir sobre as consequências e perspectivas do triunfo do capitalismo são apresentados


seis textos que apresentam diferentes perspectivas sobre a questão. Assim, para desenvolver
seu projeto de texto dissertativo, o aluno deve refletir sobre os textos lidos e propor uma
tese a ser desenvolvida sobre a questão. Diversas perspectivas podem ser adotadas, dentre
as quais uma visão histórica do advento do capitalismo pode ser uma saída para o desen-
volvimento do tema.

3. A primeira tarefa do aluno para a elaboração dessa proposta é identificar o tema abordado
pelos três textos: a fome. O texto 1 apresenta uma citação da filósofa Marilena Chaui na qual
ela discute o senso moral que se exprime na indignação provocada por notícias acerca de
pessoas que morrem de fome, o que é mais forte ainda diante da visão do desperdício por
parte daqueles que vivem na abundância. O texto 2 apresenta dados sobre o desperdício de
alimentos. O texto 3 informa que houve redução no número total de pessoas em situação de
insegurança alimentar. Em seu projeto de texto, o aluno pode elencar as causas do problema
da fome e propor ações individuais e coletivas que podem ajudar a resolver esse problema.

4. O objetivo desta proposta é que o aluno tome uma posição sobre a corrupção no Brasil,
produzindo um texto dissertativo em que analise se a corrupção é um reflexo da sociedade
brasileira. Os textos da coletânea apontam diferentes aspectos sobre o tema: o texto 1 informa
Respostas e comentários 24
Produção
SuPLEMENTO DE REVISÃO
de texto
Interlocução e gêneros

que 32% dos congressistas “já foram condenados na Justiça e/ou nos Tribunais de Contas
pelos mais diversos crimes”; o texto 2 mostra o dilema do brasileiro diante da corrupção
diária, que o leva a questionar se deve manter seus princípios éticos ou também ceder à “lei
do vale-tudo”; o texto 3 defende que o brasileiro não tolera a corrupção dos políticos, mas
que aceita os “pequenos desvios” do cotidiano.

Tema 23 Gêneros textuais nos vestibulares

Vestibulares – p. 220.
1. Alternativa B.

2. Espera-se que o aluno produza um texto em primeira pessoa cujo narrador seja o partici-
pante de um grupo que tenha vivido uma situação inesperada durante um passeio noturno
em um cemitério. É importante que o texto tenha como foco o que ocorreu naquela noite,
bem como quais foram as consequências, explorando a criatividade para a elaboração do
fato relatado.

3. Alternativa A.

4. O objetivo desta proposta é que o aluno produza um texto relatando como determinados perfis
femininos desafiam o comportamento masculino na atualidade. Para o desenvolvimento da
proposta são apresentados imagens, citações literárias e dados do Censo de 2010. A partir
desses textos motivadores, o aluno pode abordar a entrada das mulheres no mercado de
trabalho, as relações conjugais, o papel da mulher na sociedade, as tensões entre família e
trabalho, entre outros.

5. Para atender à solicitação de resumir o texto publicado na revista Superinteressante, o aluno


deverá identificar as informações essenciais oferecidas pelo jornalista e apresentá-las de
modo articulado. O resumo deve explicitar o ponto de vista da matéria e os argumentos que
o sustentam. É importante que deixe claro que o texto em questão afirma que o pessimismo
pode ser uma forma de antever o pior, além de ressaltar que o excesso de otimismo pode
gerar angústias, já que nem sempre a realidade corresponde ao que se espera.

6. O primeiro passo para o desenvolvimento desse tema é considerar seu contexto de


circulação: um manifesto a ser lido durante uma reunião entre pais, professores e a
direção da escola, tratando do monitoramento feito pela escola do uso das redes sociais
por seus alunos. Assim, é preciso que o aluno deixe claro que está falando em nome de
seus colegas e use argumentos que possam persuadir toda a comunidade escolar diante
daquilo que defende.

7. O objetivo desta proposta é que o aluno escreva uma página de um diário de ficção em
que um homem reflete sobre o fato de estar relacionando tarefas associadas ao universo
feminino. Para isso, o aluno deve basear-se em uma tirinha de Calvin e em diferentes textos
que refletem sobre a convivência de homens e mulheres na sociedade contemporânea. O
narrador do diário deve questionar o fato de ter que realizar tarefas consideradas femininas,
tecendo reflexões sobre essa questão no mundo contemporâneo.

Tema 24 Gêneros discursivos no Enem

Enem – p. 231.
1. Alternativa C.

2. Alternativa D.

3. Alternativa B

4. Alternativa B.