Você está na página 1de 1

TDAH Academy

sábado, 29 de junho de 2019

08:38

HISTÓRIA E CONCEITOS GERAIS

TEOFRASTO (371- 287)

 
 

O homem obtuso ( desatento), descreve o primeiro homem na história com TDAH.

Lentidão da mente nos discursos e nas ações

Descreve um montem sue por vezes confunde termos, que esquece outras coisas, que fica agitado em alguns momentos

TDAH : a inteligência normal com comportamento de retardo

Século XVIII

 
 

Atenção volúvel

 
 

§

Melchior welkard

 

Observou pessoas que Mostrava - se superficiais , que eram desatentas

 

Sir Alexander crichton

 

§

A

atenção é a mãe do conhecimento

§

Foi aluno do melchior

§

Descreve que a atenção pode oscilar mesmo em pessoas não doentes, relacionadas ao ambiente. Como privação de sono, alterações do ambiente ( menos estruturado)

§

Descreve que pessoas desatentas tenderiam a ser hiperativas

§

O tratamento da época séria ameaça e medo e pra outros bondade

Século XIX

 
 

DER STRUWWELPETER

 

§

o bagunçado “

 

História de não cortar cabelo, fazer as unhas e se arrumar

 

○

O cheira céu ( cabeça vazia )

se arrumar   ○ ○ O cheira céu ( cabeça vazia ) ○ O tônico balança

O tônico balança e cai ( hiperativo )

O Alfredo malvado ( conduta e impulsividade)

Século XX

 
 

SIR. FREDERIC STILL (1868- 1941)

 

§

Era um pediatria mutinconhecido pela clínica, porém publicou 3 palestras sobre “ condições psicológicas anormais em crianças “

 

A partir daí começou a questionar sobre o surgimento do TDAH

 

Não responsivo a tratamento ambiental

Ocorre em inteligência normal

Juízo crítico alterado

Doenca dimensional

Associado a organicidade

Pode persistir na vida adulta

Hipótese Neuropsicologica da desatenção

A

era da lesão cerebral

 
 

Tentavam justificar o TDAH por lesão Cerebral

Em 1930

 
 

Charles Bradley

 
 

§ Trabalhavam no reformatório e a partir daí começa a ver que o tratamento medicamentos seria

 

efetivo

 

§ Benzedrina era um Psicoestimulante que acalmavam as pessoas

 

Surgimento do metilfenidato

O

déficit de atenção oscilando de tempos em tempos

Surge na infância , melhora na adolescência, volta na adultidade

Etiologia do TDAH e implicações práticas

Conceitos iniciais

 

TDAH é um diagnóstico noológico

Definido, em parte, por sintomas de desatenção, hiperatividade , e impulsividade

Porém, diagnóstico sindrômico é diferente de diagnóstico nosológico

Nem toda desatenção, hiperatividade e impulsividade são originados de TDAH

Tem componente genético ?

Agregação de sintomas

 

Genética epidemiológica

 

Que advém de família ( coeficiente de herdabilidade )

E se traça a genética molecular

Qual a importância clínica ?

Avaliação da criança — > observação da família — >avaliação dos pais

Pais desorganizados piora crianças não tratadas

A herdabilidade do TDAH é alta ( 60%)

Estudo em adotivos

 

§

Crianças adotadas que crescem em ambiente com pais desorganizados aumentam a chance de serem diagnósticas como TDAH

 

Fatores de risco

 
 

§ Suscetibilidade genética

§ Fatores ambientes adversos

 

Família desorganizados, pais com TDAH não tratados, pais com sintomas de ansiedade e depressão

 

Fatores protetores

 

§

Estratégias de organização

§

Acompanhamento clínico correto

§

Resiliência

É

um transtorno do neurodesenvolvimento?

Transtornos de desenvolvimento de início na infância

TDAH que aparecem na vida adulta

 

§

Relacionado ao uso de substâncias

Resumo e pontos chaves

Transtorno de origem neurobiologia

Neurodesenvolvimental

Agregação familiar é significativa

Há coeficiente de herdabilidade elevado

Contexto de gestação e ambiente familiar também são importantes

Apresentação de surgimento no adulto é descrita

Questões sobre este ponto :

§ Diagnóstico sindromico?

§ Consequente a cormobidade ?

§ Qual o papel do ambiente?

TDAH NO ADULTO

• Modelos conceituais

do ambiente? TDAH NO ADULTO • Modelos conceituais ○ ○ • Tipos de psicopatologia ○ Explicativa

do ambiente? TDAH NO ADULTO • Modelos conceituais ○ ○ • Tipos de psicopatologia ○ Explicativa

• Tipos de psicopatologia

Explicativa

§

§

Comportamental

Neurocognitivo

Descritiva

§ § Comportamental Neurocognitivo ○ Descritiva § § Observacional Fenomenológica

§

§

Observacional

Fenomenológica

• DSM - 5

Ponto de corte de 5 sintomas entre os 9

• DSM - 5 ○ Ponto de corte de 5 sintomas entre os 9 ○ Atenção
• DSM - 5 ○ Ponto de corte de 5 sintomas entre os 9 ○ Atenção

Atenção

§

Potência/ tamanho

§

Mudança e movimento

§

Repetição

§

Contraste

§

Organização estrutural

Afeto / humor no TDAH

Pensamento

estrutural ○ Afeto / humor no TDAH ○ Pensamento • Primário , secundário ou comorbidades ?

• Primário , secundário ou comorbidades ?

Pensamento • Primário , secundário ou comorbidades ? • TDAH e depressão compartilham até 30% dos
Pensamento • Primário , secundário ou comorbidades ? • TDAH e depressão compartilham até 30% dos

• TDAH e depressão compartilham até 30% dos mesmos genes

• Tratamento

até 30% dos mesmos genes • Tratamento ○ ○ COMORBIDADES ○ ○ • A realidade genética
até 30% dos mesmos genes • Tratamento ○ ○ COMORBIDADES ○ ○ • A realidade genética

COMORBIDADES

dos mesmos genes • Tratamento ○ ○ COMORBIDADES ○ ○ • A realidade genética nem sempre
dos mesmos genes • Tratamento ○ ○ COMORBIDADES ○ ○ • A realidade genética nem sempre

A

realidade genética nem sempre de correlaciona com a realidade clínica

 

○

Transtornos de ansiedade

 
 

§

Definir termos com a família , muita das queixas de ansiedade na verdade são inquietação

§

Pode acentuar a inquietude e desatenção

§

A

inquietude e desatenção pode desencadear ou acentuar ansiedade

§

Maior oscilação ao lonado do tempo e em diferentes contextos ambientes do que esperado qUando

 

o

TDAH é isolado

 
 

§

Presença de sintomas específicos de medo/ansiedade em contextos não associados aos sintomas de TDAH são mais específicos

§

Transtornos de ansiedade não proscreve o uso de estimulantes

§

Tratamento combinado com terapia cognitiva comportamental

§

Associado com antidepressivos seletivos pode ser indicada se não houver melhora dos sintomas de

 

ansiedade

 
 

§

Alternativa : atomoxetina com alvo em TDAH e ansiedade

 

Transtorno de oposição e desafio é transtorno de conduta

 

§

Práticas parentais negativas, experiência as de punição podem aumentar a chance de desenvolvimento de tod e Tc

§

Sintomas de oposição e conduta podem ofuscar sintomas de TDAH

§

Dimensões : irritabilidade, teimosia, maldade

§

Traços de insensibilidade e afetividade restrita são indicadores de gravidade

§

Tratamento

 
 

□ Tratamento combinado com treinamento parental pra tod

□ Terapia multisistemica pra Tc grave

□ Estimulantes são indicados para TDAH associado a irritabilidade

□ Irritabilidade não modifica a resposta dos sintomas de TDAH aos estimulantes

□ Se sintomas intensos não responsivos, uso de antipsicóticos em baixas dose por período específicos

 

Depressão

 
 

§

Prejuízo no desempenho acadêmico é motivo frequente para busca de tratamento e nesse contexto

 

o

sintoma mais Nintendo pode ofuscar a comorbidades

 

§

Tristeza, anedótica episódica são sintomas depressivos específicos

§

Irritabilidade crônica associada ao TDAH deve ser diferenciado de irritabilidade episódica ou piora do padrão associado a depressão

§

Pensamentos negativos e baixa autoestima pode estar associado às experiências relacionadas ao

 

TDAH

 
 

§

Padrões alteradas de sono e apetite podem se associar ao TDAH

§

Tratamento

 
 

□ Depressão leve : TCC ou interpessoal

□ Depressão moderada a grave : ISRS

□ Estimulante associado quando humor estável

□ Evidências iniciais mostram redução do risco de visitas a emergência por depressão e associação negativa com risco a longo prazo de depressão

 

Transtorno afetivo bipolar

 
 

§

Em amostras de crianças

 

  ◊
 

§

A

distinção entre TDAH sem alterações de humor e THB episódico com humor eufórico é clara

§

Prejuízos na capacidade de autorregulação são encontrados no TDAH e eventualmente Instabilidade do humor de humor

§

Irritabilidade é frequentemente presente no TDAH, , assim como tod , mdd, tag

 

se TAB avaliar EPISODICIDADE

 

§

As dificuldade emergem quando há sintomas de desatenção , hiperatividade impuskvidade e grave

 

irritabilidade

 
 

§

Avaliar

 

□ Elação no humor

□ Fuga de ideia

□ Diminuição da necessidade do sono

□ tempestade afetiva ( grave instabilidade de humor)

□ grandiosidade ( confronto e desrespeito acentuado com professores ou pessoas de autoridade

□ Hipersexualidade baixar as calças dos colegas, tele sexo, mastigação excessiva ou inadequada

 

§

Associado a

 
 

□ Maior prejuízo social

□ Menor período livre de sintomas

□ Episódios de depressão mais frequentes

□ Maiores taxas de comorbidades com outros transtornos mentais, como Tag e uso de substâncias

 

§

Tratamento

 
 

Estabilização de humor é prioridade

Estimulante pode ser associado posteriormente

 

Autismo

 
 

  □

Frequentemente a natureza da desatenção é qualitativamente distinta entre os dois transtornos

Hiperfoco em objeto/tópico de interesse e distraibiidkidade interna soa mais comuns em pacientes com TEA

Dificuldade de permanecer na taref e distraibilidade por estímulos externos são mais comuns em pacientes com TDAH

Acoes que sugerem ser impulsas podem corroer em função de não entendimento do contexto social e da adequação do comportamento

□
 

Transtornos de aprendizagem

 
 

§ Comorbidades frequentemente não identificado

§ Associa- se com piora dos sintomas de TDAH no contexto escolar

§ Maior dificuldade em uma área específica do aprendizado sugere sua presença

§ Transtorno de leitura é comorbidades frequente

 

□ Predomínio decodificação : déficits de habilidades pre alfabetização , consciência fonológico, identificação de letras , nomeação rápida

□ Predomínio compreensão : geralmente identificada em anos posteriores a alfabetização, dependendo das demandas.

 

Tiques

 

§ Estimulantes não são proscritos e podem piorar o padrão de tique

§ Tiques : terapia de reversão de hábito

§ Associação com clonidina e guanfacina e antipsicóticos

 

Transtornos por uso de substância

 

§ Sintomas de TDAH na infância,

§ Sintomas autuais não são explicadas pelo uso de substâncias

§ Sintomas atuais não soa explicados por uso de outros transtornos ( ansiedade e depressão )

 

  □

Considerações finais

 
)   □ • Considerações finais   Tratamento estratégias e desafios • tratamento começa

Tratamento estratégias e desafios

• tratamento começa com um processo diagnóstico bem feito

• processo diagnósticos deve ser detalhado , cuidadosos emaranhar múltiplos informantes

• controle dos sintomas levam a melhora do funcionamento global da qualidade de vida

• Tripé de tratamento : psicoeducação, psicoterapia e farmacologia

• Tratamento farmacológico

O

O

O

Baseado em Guidelines : NICE e CADDRA

SEMPRE considerar rico benéfico

Grande impacto no TDAH - sempre considerar o risco de não tratar

Identificar áreas de Comprometimento no início e ao longo do tratamento

AVALIAR sistematicamente outras causas potenciais de comprometimento (privação de sono, ma nutrícia, falta de rotinas , comorbidades e outros sintomas )

As doses da medicação devem ser revistas ao longo do tempo

Objetivo : mais cedo possível, atingível, por tempo suficiente

Basear no snap para acompanhar : pedir pra cada um dos pais preencherem, e uma pro colégio e comparar

No começo do tratamento utilizar escalda de efeitos colaterais dos psicoestimulantes

escalda de efeitos colaterais dos psicoestimulantes □ Áudio 1 Explicação sobre a figura § Tratamento de
escalda de efeitos colaterais dos psicoestimulantes □ Áudio 1 Explicação sobre a figura § Tratamento de

Áudio 1

Explicação sobre a figura

§

Tratamento de primeira linha são os psicoestimulantes de longa ação

§

Sempre vale a pena mudar as classes de psicoestimulantes e avaliar resposta

§

Crianças maiores de 5 anos

Começar com metilfenidado e se não responder trocar pra Venvanse

§

Adultos

□ Trocar venvanse em adultos que n tiveram respostas em 6 semanas

□ Metilfenidato

®

que n tiveram respostas em 6 semanas □ Metilfenidato ® □ Lisdexanfetamina ® Pro fármaco para

□ Lisdexanfetamina

® Pro fármaco para tratamento de TDAH

® Lançado no Brasil em 2011

□ Segunda linha

® Atomoxetina , guanfacina XR

Como age?

§

linha ® Atomoxetina , guanfacina XR ○ Como age? § ○ Efeitos colaterais § ○ É

Efeitos colaterais

§

guanfacina XR ○ Como age? § ○ Efeitos colaterais § ○ É a suspensão nos finais

É a suspensão nos finais de semana e férias ?

§ Se tiver prejuízo das habilidades sociais, manter continuamente

§ Se prejuízo for apenas atencional e não prejudicar interação, tem menor risco de usar somente em determinados períodos

Uso recreativo dos psicoestimulantes

§ Avaliar se os pais não estão usando os comprimidos dos filhos

Contraindicação

§

Tratamento de imao ate 14d

§

Doenca cardiovascular sintomatica

§

Glaucoma

§

Arteriosclerose

§

Hipersensibilidade ou alergias aos produtos

§

Psicose ou mania aguda

§

Hipertensão mswdada ou grave

Risco de interações

§ ISRS - aumenta risco de síndrome serotoninergica

§ TCAs - AMP e MFD pode interagir com TCAs

§ Antipsicóticos podem reduzir efeito das AMP

§ Anticonvulsivante e MFD pode aumentar nível de fenitoina e fenobarbital

§ Warfarin - MFD pode aumentar concentrações séricas