Você está na página 1de 10

Trabalho de campo de sociologia

Curso: Gestão de Sistema de Informação

Tema: A influência da globalização nos processos de lideranças empresariais dentro do contexto


Moçambicano

Nome do estudante: Atália Madalena Inês Mondlane

Tutor: dr. Ana Guacha

1
Conteúdo

2. 1. Introdução ......................................................................................................................................... 3
3. 2. Objectivos ......................................................................................................................................... 4
4. 2.1. Geral ............................................................................................................................................... 4
5. 2.2. Específicos ...................................................................................................................................... 4
6. 3.Metodologia....................................................................................................................................... 4
7. 4. Fundamentação teórica .................................................................................................................... 5
8. 4.1. A influência da globalização nos processos de lideranças empresariais em Moçambique........... 6
9. 4.2. Lideranças empresariais e seus impactos ...................................................................................... 7
10. 5. Conclusão ...................................................................................................................................... 9

2
1. Introdução

A Influencia da globalização nos processos de lideranças empresariais dentro do contexto


moçambicano constitui o tema para abordagem neste presente trabalho. Nele serão apresentados
aspectos de como o poder é exercido dentro das empresas em moçambique.

No entanto o presente trabalho alem de trazer uma abordagem simples sobre a influência da
globalização nos processos de liderança, pretende descrever como é que ela se circunscreve.

Este trabalho ira obedecer a seguinte estrutura:

 Introdução;
 Objectivos;
 Fundamentação teórica;
 Conclusão e
 Bibliografia.

3
2. Objectivos

2.1. Geral
 Estudar a influencia da globalização nos processos de lideranças empresariais em
Moçambique,

2.2. Específicos
 Descrever os processos de liderança e seus impactos,
 Compreender até que ponto a globalização influencia nos processos de liderança,

3.Metodologia

Segundo BELLO (2009) a Metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exacta


de toda a acção desenvolvida no método do trabalho de pesquisa, indicando o tipo de pesquisa,
do instrumental utilizado do tempo previsto, da equipe de pesquisadores e da divisão do trabalho,
das formas de tabulação e tratamento dos dados, enfim, de tudo aquilo que se utilizou no trabalho
de pesquisa.

Para a realização deste trabalho seguiu-se as seguintes técnicas metodológicas: consulta a


referências bibliográficas e fontes orais.

4
4. Fundamentação teórica

A globalização tem sido um tema debatido sob diversas perspectivas e que tem causado inclusive
alguns confrontos de opiniões. Na verdade, a globalização é um assunto que é parte da vida de
cada indivíduo.

A conceituação da liderança está relacionada às teorias da liderança. Segundo Cavalcanti (2009),


há estudiosos que definem a liderança focando os traços, outros o estilo de influência. Ainda há
aqueles que associam a liderança às contingências.

Atualmente, a competitividade requer das organizações atenção em diversos aspectos, entre eles,
a renovação dos estilos de gestão, da forma de conduzir as pessoas no trabalho, enfatizando a
importância da prática da liderança. Passou a haver diferenciação entre o gerente e o líder. O
gerente está dando lugar ao líder, facilitador. Os gerentes fazem com que as pessoas realizem o
que lhe foi delegado e os líderes integram a equipe nos negócios, estimulam resultados.
Bennis (1996) avalia que enquanto o gerente administra, foca no trabalho com visão de
curto prazo, o líder inova, foca nas pessoas, no futuro, em uma relação de confiança. O líder
capacita, liberta, desafia. Assim, aumenta a demanda das empresas por gestores com perfil de
líder. (CAVALCANTI, 2009)

Para Weber (1947) o processo de liderança está associado ao carisma, ou seja, às características
psicológicas do líder e seus liderados. A liderança, para Weber, tem a dimensão carismática da
autoridade e é, como tal, um processo essencialmente psicosociológico.

Ao conceito de poder estão associados vários recursos, sejam eles económicos, organizacionais
ou psicológicos, e é na utilização e acesso a esses recursos, onde os líderes buscam a capacidade
para realizar seus objectivos. Esta realização, é por vezes mediada por terceiros, que poderão
oferecer, maior ou menor resistência e maior ou menor colaboração. Portanto, o conceito de
liderança surge dentro deste contexto. Burns (1978) definiu a liderança como um processo
recíproco de mobilização, por pessoas com certos motivos e valores, mobilização de recursos
económicos, políticos, e outros, num contexto de competição e conflito, com a finalidade de
atingir determinados objectivos, independente ou mutuamente, tanto pelos líderes como pelos

5
liderados. A liderança implica sempre relações interpessoais, na medida em que a qualidade
como influência verbal e traços como a cooperação e a sociabilidade, serão, certamente,
prioritários. A liderança requer, também, predisposição para influenciar e, portanto, traços como
a ascendência e a dominância. Motivos tais como o do poder estarão associados à capacidade de
liderança

4.1. A influência da globalização nos processos de lideranças empresariais em


Moçambique
No tocante às influências que a globalização exerce sobre os processos de lideranças
empresariais em moçambique, considera-se que algumas sejam positivas e outras negativas. Com
relação a situação em questão deve-se analisar algumas dessas influências. Sabe-se que
o processo de globalização vem ocorrendo de forma mais agressiva a partir de meados dos anos
90. Este processo influencia as diversas áreas de uma sociedade, como educação,
saúde/comportamento, meio ambiente, economia entre outras.

A globalização apresenta-se pautada em alguns pontos positivos, tais como: otimização da


comunicação (principalmente devido ao avanço tecnológico dos meios de comunicação), a
melhoria dos transportes e, sobretudo dos transportes marítimos (a modernização dos transportes
marítimos fomenta as transações comerciais como importação e exportação), facilidade de
acesso a informação e conhecimento de culturas diversas (as tecnologias de informação e
comunicação são difusoras de informação em alta velocidade, sendo possível ter acesso a
informações instantâneas de fatos ocorridos do outro lado do mundo), surgimento de blocos
econômicos (estes representam a união de países com interesse de fortalecer, principalmente as
relações comerciais) entre outros. Estes fatores positivos são perceptíveis tanto em todas as áreas
de uma sociedade.

Quanto a influência que a globalização exerce sobre as lideranças de empresas


moçambicanas, alguns fatores importantes a reflexão, são os fatores negativos. Neste
sentido, observa-se que os povos ficam cada vez mais interdependentes, porém os
países desenvolvidos são os mais beneficiados ficando cada vez mais ricos, enquanto os países
em desenvolvimento ficam cada vez mais pobres. Sendo moçambique um país subdesenvolvido
fica o mesmo subordinado indiretamente a esta relação de poder. Isto ocorre devido a super

6
exploração de mão-de-obra barata que os países desenvolvidos exercem sobre os países em
desenvolvimento. Vale destacar que neste contexto outro fator negativo de relevância é a grande
valorização de costumes e culturas de países desenvolvidos sobre países em desenvolvimento.
Um fator muito discutido, do ponto de vista dos impactos negativos da globalização no
mundo empresarial diz respeito aos impactos ambientais, visto que o
desenvolvimento tecnológico das empresa está quase sempre consumindo e/ou degradando
muitos recursos naturais no processo tecnológico.

Portanto, é importante discutir-se sobre as influências que a globalização exerce sobre as


lideranças empresariais, para que as medidas necessárias sejam concretizadas através de políticas
públicas de relações comerciais, julgando pela relevância que o tema representa para à
população.

4.2. Lideranças empresariais e seus impactos


Segundo Rattner (1998) evidencia que as organizações sofrem o processo inexorável da
globalização e da competitividade acirrada, ao abandonar seus processos tradicionais e
insuficientes, para garantir a sobrevivência empresarial, o que a obriga buscar a eficiência nos
seus demais processos. Desde a fundamentação da administração em suas escolas clássicas, o ser
humano foi objeto de estudos em suas relações trabalhistas nas mais diversas abordagens. De
igual forma, as organizações são orientadas para a maximização de seus lucros com pouca
atenção aos colaboradores e seu bem-estar. Comportamentos dominantes entre os trabalhadores
exemplificam os relacionamentos funcionais que são emocionalmente neutros, limita a extensão
social dos relacionamentos e, por conseguinte, contribuem para a pressão entre o balanceamento
de vida pessoal e profissional (MAXIMIANO, 2000; DONALDSON, apud CLEGG et. al, 1999;
RODRIGUEZ e GOMEZ, 2008).

Com esta percepção, as empresas passam a direcionar maior atenção para aquilo que se
convencionou chamar de gestão de pessoas ou da administração do capital humano, uma vez que
este amplia a percepção humana dentro das organizações e serve para exemplificar aquilo que
Ribeiro (2006) evidencia como uma das áreas que mais sofreram mudanças nos últimos tempos e
conceitua este fenômeno pelo crescimento das políticas de excelência empresariais: Com a
globalização dos negócios, o desenvolvimento tecnológico, o forte impacto da mudança e o

7
intenso movimento por qualidade e produtividade, surgiu uma eloqüente constatação na maioria
das organizações: o grande diferencial, a principal vantagem competitiva das empresas decorre
das pessoas que mantêm e conservam o status – que geram e fortalecem a inovação e o que
deverá vir a ser. (RIBEIRO, 2006, p.4)

Para Hollander (1964) a influência exercida ressalta que o processo de liderança possui duplo
caminho: a influência que se exerce e os resultados alcançados por aqueles que são liderados, o
que se configura num modelo de atendimento de objetivos mútuos.

O Líder que procura o equilíbrio entre os resultados e trabalho, tenta satisfazer a todos.

Ao se pensar entre processos e pessoas, percebe-se a multiplicidade das ações que são
necessárias ao administrador. Não existe mais apenas uma verdade, cada variável torna-se fator
diferencial na elaboração de políticas para os recursos humanos e o administrador moderno,
baseado em ferramentas e práticas, consegue estabelecer estratégias especificas a cada
necessidade.

Ainda segundo Çakar e Ertürk (2010), para que a empresa atinja seus objetivos, o primeiro passo
é o desenvolvimento do comportamento e da cultura organizacional para que esta possua
efetividade em seus negócios. A distância entre a organização e seus colaboradores, o
coletivismo, a assertividade e evitar incertezas são os pontos necessários para que os objetivos e
inovações aconteçam dentro da empresa.

8
5. Conclusão
Concluímos que a Globalização transformou a realidade das empresas, uma vez que esta trouxe
modernidade e comodidade para todos que se utiliza de seus benefícios, ou seja, a empresa que
não acompanhar o ritmo da Globalização corre o risco de sucumbir, pois os seus clientes estão a
cada dia mais exigentes em termos de qualidade dos produtos, atendimento, serviços, etc.
Portanto, o grande desafio das organizações já atuantes e de pessoas que estão pensando em
iniciar seu empreendimento agora, será desenvolver a capacidade de criar uma empresa
verdadeiramente competitiva. Os produtos ou serviços que a empresa vai oferecer a clientela,
terão de ser produzidos dentro dos padrões de qualidade do mercado mundial. Os preços dos
produtos a serem cobrados a clientes e os serviços

9
6. Referências bibliográficas

BENNIS, W. G. Desenvolvimento Organizacional: sua natureza, origens e perspectivas. São


Paulo: Edgar Bleicher, 1999. 94

BENNIS, W. e NANUS, B. Líderes: estratégias para assumir a verdadeira liderança. São


Paulo: Harbra, 1988.

CAVALCANTI, V. L. S.; CARPILOVSKI, M.; LUND, M. Liderança e Motivação. Rio de


Janeiro: FGV. 2006.

ÇAKAR, N. D.; ERTÜRK, A. Comparing Innovation Capability of Small and Medium-Sized


Enterprises: Examining the Effect of Organizational Culture and Empowerment. Journal of
Small Business Management, v. 48, n. 3, Jul, 2010.

RATTNER, H. Pequena Empresa – O comportamento empresarial na acumulação e na luta


pela sobrevivência. Vol. 1 São Paulo: Brasiliense, 1985.

RATTNER, H. Liderança para uma Sociedade Sustentável. São Paulo: Nobel, 1998.

RIBEIRO, A. L. Gestão de Pessoas. São Paulo: Editora Saraiva, 2006.

RATTNER, H. Liderança para uma Sociedade Sustentável. São Paulo: Nobel, 1998.

WEBER, G. B. Desenvolvendo Líderes de Amanhã. In: HESSELBEIN, F.; GOLDSMITH, M.;


BECKHARD, R. O líder do futuro. São Paulo: Futura, 1996.

10