Você está na página 1de 1

PÁGINA

6 PARADA TEMPORÁRIA
6.0

6 Parada temporária
A bomba deve ser drenada e lavada caso esteja operando com um meio bombeado
que tenha as seguintes características:
– tende a congelar à temperatura do ambiente, como por exemplo, se a bomba for
instalada ao ar livre, onde as condições são propícias à geadas;
– tende a sedimentar e solidificar;
– tende a ressecar e/ou colar na vedação do eixo.

6.1 Estator
Em caso de uma parada prolongada, o rotor pode deformar permanentemente o
estator nas superfícies de contato (compression-set).
Isso acarretará em um aumento no torque de partida requerido para ligar o
equipamento novamente.
Recomenda-se rotacionar o rotor 1/4 de volta com a bomba desenergizada
semanalmente, e caso não seja possível, deve-se desmontar o estator (consultar
capítulo 9), embalar para proteger da luz, do ar e armazenar em local fresco e seco.

6.2 Rotor
Rotores em aço não inoxidável:
Revestir a superfície do rotor com anti-corrosivo.
Rotores CERÂMICOS:
Desmontar (consultar capítulo 10) e armazenar com segurança.
Outros rotores:
Não requerem aplicação de anti-corrosivo.

Após a remoção do estator, apoiar o rotor sobre calços de madeira e cobrir para
proteger de possíveis danos mecânicos.

Limpar o rotor, removendo o anti-corrosivo antes de efetuar a remontagem do


estator. Isto evita qualquer incompatibilidade do material do estator e do meio
bombeado com o anti-corrosivo.

6.3 Bombas em stand-by


Bombas em stand-by, que servem de reserva para a bomba principal, devem ser
colocadas em operação semanalmente.
Caso contrário, a bomba poderá travar na partida, após uma parada prolongada
(causa: compression-set, ou seja, deformação permanente do estator nas superfícies
de contato com o rotor).

Data elaboração: 22.02.16 Revisão: 3 Nr. do texto


BR
Distribuído para: 06000-1/1

Você também pode gostar