Você está na página 1de 24

SUSTENTABILIDADE E PRODUTIVIDADE NA

CONSTRUÇÃO CIVIL

Gerenciamento dos resíduos da


construção civil
Professora Camila Natália Ramos de Almeida
almeidac@uni9.pro.br
Resíduos sólidos
O que são resíduos sólidos?

Resíduos nos estados sólido e semi-sólido,


que resultam de atividades de origem
industrial, doméstica, hospitalar, comercial,
agrícola, de serviços e de varrição. Fonte: Amigos de Mauá

Fonte: Nova Opersan

Fonte: Setor reciclagem

Fonte: Grupo de consultores em Citros

Fonte: Minería Urbana


Classificação dos resíduos sólidos: NBR 10.004 /2004
• Resíduos Classe I ou perigosos

• Resíduos Classe II ou não perigosos

• A – não inertes
• B – inertes

Resíduos Classe I ou perigosos

São constituídos por aqueles que, isoladamente ou por mistura,


em função de suas propriedades de toxicidade, inflamabilidade,
corrosividade, reatividade e patogenicidade em geral, podem
apresentar riscos à saúde pública (com aumento de mortalidade
ou de morbidade) ou efeitos adversos ao meio ambiente, se
manuseados ou dispostos sem os devidos cuidados.
Classificação dos resíduos sólidos: NBR 10.004 /2004

Resíduos Classe I ou perigosos

Exemplos de resíduos perigosos por propriedades tóxicas :

• Inflamabilidade ( ex. pólvora suja, frascos pressurizados de


inseticidas, etc.)

• Corrosividade (ex. resíduos de processos industriais contendo


ácidos e bases fortes)

• Reatividade (ex. res. indust. contendo substâncias altamente


reativas com água)

• Toxicidade ( ex. lodo de processos contendo altas


concentrações de metais pesados)
Classificação dos resíduos sólidos: NBR 10.004 /2004

Resíduos Classe II A – não inertes

São aqueles que não se enquadram em nenhuma das classes


anteriores. Estes resíduos podem ter propriedades como:
solubilidade em água, combustibilidade e biodegradabilidade.

Exemplos:

• Combustibilidade (ex. restos de madeira, papel,etc.)

• Biodegradabilidade (ex. restos de alimentos, etc.)

• Solubilidade em Água (ex. lodos de processos, contendo sais


solúveis em água)
Classificação dos resíduos sólidos: NBR 10.004 /2004

Resíduos Classe II B – inertes

São aqueles que não se enquadram em nenhuma das classes


anteriores. São aqueles que não tem nenhum de seus
constituintes solubilizados a concentrações superiores aos
padrões de potabilidade de água.

Exemplo: o máximo de alumínio aceito na água (potável) é de 0,2


mg/l. Desde forma, o resíduo que tenha alumínio na sua
composição não deve solubilizar para a água uma concentração
maior que esta, para ser classificado como II B inerte.

continua
Resíduos de construção civil
• Resolução CONAMA nº 307/02

• Resolução CONAMA nº 348/04

• Resolução CONAMA nº 431/11

• Resolução CONAMA nº 448/12

Resíduos de construção civil são os provenientes de construções, reformas,


reparos e demolições de obras de construção civil, e os resultantes da
preparação e da escavação de terrenos, tais como: tijolos, blocos cerâmicos,
concreto em geral, solos, rochas, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e
compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros,
plásticos, tubulações, fiação elétrica etc., comumente chamados de entulhos
de obras, caliça ou metralha.

Fonte: CONAMA 307/02


Classificação dos resíduos de construção civil
Segundo as resoluções CONAMA 307, 348,
431 e 448, os resíduos de construção são
classificados em:

• Classe A

• Classe B

• Classe C

• Classe D
Classificação dos resíduos de construção civil

• Classe A
São os resíduos reutilizáveis ou
recicláveis como agregados, tais
como:

a) de construção, demolição,
reformas e reparos de pavimentação
e de outras obras de infraestrutura,
inclusive solos provenientes de Fonte: Prefeitura de São Paulo, 2012.
terraplanagem;

b) de construção, demolição, reformas e reparos de edificações:


componentes cerâmicos (tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento
etc.), argamassa e concreto;

c) de processo de fabricação e/ou demolição de peças pré-moldadas em


concreto (blocos, tubos, meio-fios etc.) produzidas nos canteiros de obras;
Classificação dos resíduos de construção civil
• Classe B
São os resíduos recicláveis para outras destinações, tais como:
plásticos, papel, papelão, metais, vidros, madeiras e gesso;

• Classe C
São os resíduos para os quais não foram desenvolvidas
tecnologias ou aplicações economicamente viáveis que permitam
a sua reciclagem ou recuperação

• Classe D
São resíduos perigosos oriundos do processo de construção, tais
como tintas, solventes, óleos e outros ou aqueles contaminados
ou prejudiciais à saúde oriundos de demolições, reformas e
reparos de clínicas radiológicas, instalações industriais e outros,
bem como telhas e demais objetos e materiais que contenham
amianto ou outros produtos nocivos à saúde.
Gestão dos Resíduos de construção Civil em São Paulo

Lei Municipal Nº 14.803, de 26 de


junho de 2008
Os Pontos de Entrega (Ecopontos) receberão descargas de
resíduos de construção e resíduos volumosos, limitadas ao
volume de 1 m³ (um metro cúbico) por descarga, para triagem
obrigatória, posterior transbordo e destinação adequada dos
diversos componentes.
Gestão dos Resíduos de construção Civil em São Paulo

Lei Municipal Nº 14.803, de 26 de junho de 2008

As Áreas de Transbordo e Triagem de Resíduos de Construção Civil e


resíduos volumosos ATT, as Áreas de Reciclagem e os Aterros de
Resíduos da Construção Civil receberão, sem restrição de volume,
resíduos oriundos de geradores ou transportadores de resíduos da
construção civil e resíduos volumosos.

Áreas de reciclagem

Aterro de resíduos de
construção Ruima (Zona Norte)

Fonte: Prefeitura de São Paulo, 2012.


Gestão dos Resíduos de construção Civil em São Paulo

Lei Municipal Nº 14.803, de 26 de junho de 2008

Os geradores de grandes volumes de resíduos de construção, cujos


empreendimentos requeiram a expedição de alvará de aprovação e
execução de edificação nova, de reforma ou reconstrução, de
demolição, de muros de arrimos e de movimento de terra deverão
desenvolver e implementar Projetos de Gerenciamento de Resíduos da
Construção Civil, estabelecendo os procedimentos específicos da obra
para o manejo e destinação ambientalmente adequados dos resíduos.

Como deve ser elaborado o


Projetos de Gerenciamento
de Resíduos da Construção
Civil???
Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil
(PGRCC)

Fonte: Sinduscon, 2015.


Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

1.Identificação do empreendimento

Endereço:

Bairro:

Classificação Fiscal:

2.Identificação do responsável pela elaboração do projeto de


gerenciamento de resíduos da construção civil - PGRCC

Nome:
R.G.:
Profissão:
Registro no Conselho:
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

3.Caracterização do empreendimento

3.1 Área a construir: ______________m²

3.2 Haverá demolição de edificação existente?

□ Não

□ Sim 2.2.1 Estimar o volume de resíduos gerado na


demolição: ________m³

2.2.2 Estimar o peso dos resíduos de demolição gerados:


________kg
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

3.3 Haverá movimento de terra com necessidade de empréstimo


ou bota-fora?

□ Não

□ Sim 3.3.1 Bota-fora : Volume:________ m³

Peso:_______________kg

3.3.2 Empréstimo: Volume :________m³

Peso:_______________kg

Informar o local de empréstimo/jazida e documento que comprove


que o material não está contaminado
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

3.3 Haverá movimento de terra com necessidade de empréstimo


ou bota-fora?

□ Não

□ Sim 3.3.1 Bota-fora : Volume:________ m³

Peso:_______________kg

3.3.2 Empréstimo: Volume :________m³

Peso:_______________kg

Informar o local de empréstimo/jazida e documento que comprove


que o material não está contaminado
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

4. Apresentar croquis do canteiro de obras, indicando locais


previstos para a triagem e para o armazenamento temporário dos
resíduos segregados (os locais de armazenamento devem ser
cobertos e impermeabilizados)

Fonte: Sinduscon, 2015.


Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

Fonte: Sinduscon, 2015.


Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

5. Informar se será realizada reciclagem e/ou reutilização de


resíduos da construção civil na própria obra
□ Não
□ Sim

Exemplos: Britagem de blocos de concreto, cerâmicos e argamassas para


utilização como agregado para uso em pavimentos e concretos sem função
estrutural.

Fonte: Sinduscon, 2015.


Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

Quadro 5.1 Reutilização ou Reciclagem dos resíduos de


construção civil na obra
RECICLAGEM QUANTIDADE
TIPO DE RESÍDUO REUTILIZAÇÃO
PROCESSO APLICAÇÃO (m³)
Blocos de concreto,
Agregado
blocos
para uso em
cerâmicos,
pavimentos e
argamassas, outros Britagem 100
concretos
componentes -
Classe A

sem função
cerâmicos, concreto,
estrutural.
tijolos e
assemelhados.

Madeira Confecção de 15
formas e escoras. -
Classe B
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

6. Caracterização dos resíduos

Segue exemplo de quadro para apresentar a caracterização dos


resíduos de construção civil

Caso acha
excesso de
solo (não
será
utilizado no
aterro),
conforme
calculado
no item
4.2. Continuação
Estrutura do PGRCC – Semasa Santo André

6. Caracterização dos resíduos

Segue exemplo de quadro para apresentar a caracterização dos


resíduos de construção civil

Continuação