Você está na página 1de 14

II G B: O GRUPO DO ZINCO

Basílio Alberto Assane


Vista Geral Do Grupo
Elemento Símbolo Z Estrutura Electrónica Estados de Oxidação
Zinco Zn 30 [Ar]3d104s2 (I) II
Cádmio Cd 48 [Kr]4d105s2 (I) II
Mercúrio Hg 80 [Xe]5d106s2 I II
Copernício Cp 112 [Rn]6d107s2 II
Os estados de oxidação apresentados em bold são os mais estáveis e os que
aparecem ente parêntesis são quase inexistentes
• Zn, Cd e Hg mostram estados de oxidação +1 e +2, mas em solução só são
encontrados iões simples hidratados M2+.
• O ião monovalente M+ não existe isolado, so formando molécula-iões [M-M]2+.
O Hg (I) forma iões [Hg-Hg]2+. Foram também isoladas espécies Zn22+ e Cd22+
em misturas fundidas como as de Cd/CdCl2 e Cd/CdCl2/AlCl3 e o composto
anómalo [Cd]2[AlCl4]2 já foi isolado. Porém, estas espécies disproporcionam-se
em Água, só existem em compostos insolúveis.
• A ligação Hg-Hg é mais forte e estável do que a Cd-Cd e esta mais forte e
estável do que a Zn-Zn.
• Para estes elementos, valência superior a 2 não foi encontrada, pois, isto
destruiria a simetria das orbitais d10 completas.
Potenciais de redução (em Volts, V):

+2 +1 0
2 -0,76
Zn Zn
+2 +1 0
2 -0,40
Cd Cd
+2 +1 0
2 +0,92 2 0,79
Hg Hg 2
Hg
+0,85
Propriedade Gerais dos Elementos
Eleme rA ri Ei (KJ/mol) P.F. P.E. ρ Abundância
nto (Å) (Å) Ei (I ) Ei (I ) Ei (I ) (oC) (oC) (g/cm3) ppm %
1 1 2 2 3 3

Zn 1,25 0,74 906 1733 3831 420 907 7,1 132 0,02
Cd 1,41 0,97 879 1631 3616 321 768 8,6 0,15 2.10-5
Hg 1,44 1,10 1007 1810 3302 -38 357 13,6 0,5 5.10-5
Cp 1,10 1 154,9 2 170,0 3 164,7

• Os dados relativos ao Cp são estimados!


• Estes metais não têm a estrutura compacta dos metais verdadeiros. As
distâncias entre os seus átomos são cerca de 15% maiores do que a ideal.
As suas estruturas são distorcidas. Por isso, têm pontos de fusão e de
ebulição relativamente baixos e as suas resistências à tracção são baixas.
Extracção e Aplicações dos Elementos
• O Zinco, cerca de 0,02% da crusta terrestre (132 ppm),
• Ocorre como esfarelite, (ZnFe)S (que geralmente ocorre com a
Galena, PbS), Bleda de Zinco, ZnS (a mais comum), Calamina ou
Smithsonite, ZnCO3, e Wurtzite ou Willenite, Zn2SiO4 (a menos
comum)
• O Ferro e o Cádmio estão sempre como impurezas de substituição,
também podem ser concentrados alguns elementos raros como o
Índio, o Gálio e o Germânio
• Os minérios são concentrados por sedimentação selectiva ou por
flutuação e ustulados dando ZnO que é reduzido com antracite ou
coque a 1400 K. Liberta-se vapor de Zn que é condensado para dar o
metal sólido.
• Também pode ser extraído electroliticamente, a partir de ZnO,
usando uma solução aquosa de H2SO4, Alumínio como cátodo e
Chumbo como ânodo.
• Zn sob forma mais pura obtém-se por purificação por zona fundida.
Extracção e Aplicações dos Elementos

• Da produção mundial de Zinco, cerca de 5 milhões de


ton/ano, cerca de um terço é usado na galvanização de Ferro.
Também forma outras ligas, como o latão.
• Uma liga recente, 80% de Zn e 20% de Al, torna-se super
plástica a 540 K e pode ser comprimida em formas complexas,
mas tem dureza e resistência, à temperatura ambiente,
comparáveis com as do aço –um material adequado para
carroçarias de automóveis. O ZnO é usado como pigmento
branco, é brilhante (absorve raios ultra-violetas e emite-os
como luz vizível, mesmo no escuro).
• Também se usa Zn nas pilhas secas de Leclanché.
Extracção e Aplicações dos Elementos
• O Cádmio, faz cerca de 2.10-5% da litosfera
• Obtém-se exclusivamente de minérios de Zinco. O mineral
Greenockita (CdS) está bastante disseminado mas não tem valor
comercial.
• O Cádmio, que pode existir no Zinco bruto numa percentagem até
0,5 pode ser separado por destilação. Pode também ser precipitado
de soluções Zn2+/Cd2+ por adição de Zinco em pó.
• Usa-se em galvanoplastia, nalguns metais para chumaceiras e ligas
fusíveis, e ainda, nas barras de controlo de reactores nucleares,
porque o 113Cd tem uma secção eficaz particularmente grande para
a captura de neutrões.
• O CdS é um pigmento amarelo importante e caro (usado em
pinturas anti-insectos).
• Usa-se também o Cd em pilhas alcalinas Cd/Ni, usadas em baterias
para locomotivas a diesel e outros equipamentos.
Extracção e Aplicações dos Elementos
• O Mercúrio é também raro faz cerca de 5.10-5% da litosfera.
• O seu minério importante é apenas o Cinábrio (Cinabar),
vermelho, romboédrico, HgS, encontrado principalmente na
Espanha.
• O minério é moído e concentrado por lavagem e flutuação
selectivas.
• Por ustulação ao ar a 900 K liberta-se o vapor,

HgS  O2  Hg ( v )  SO2 ( g )


900 K

que é condensado no líquido metálico.


• Produção mundial: cerca de 8 milhões ton/ano.
• É utilizado em lâmpadas de vapor de Mercúrio e em muitos
equipamentos científicos, como termómetros, barómetros;
como detonador em bombas de difusão e em “relais”
eléctricos.
Extracção e Aplicações dos Elementos
• O Fenilacetato de mercúrio e outros compostos
organometálicos usam-se na agricultura como
insecticidas e fungicidas em culturas de leguminosas.
• O HgO usa-se em tintas anti-sujidade (que podem ser
lavadas sem descorar).
• Também, o Hg é usado ma medicina, por exemplo, na
medicina dentária.
• O HgCl2 é usado para produzir os derivados
organometálicos do Mercúrio
Extracção e Aplicações dos Elementos

• O Copernício, inicialmente chamado de Unúnbio, Unúmbio (do latim um,


um, dois) é sintético, de símbolo Cn, número atômico 112, com massa
atómica [285] u. pertence ao grupo 12 (IIG B) da Tabela Periódica.
• É superpesado, radioativo, através da emissão alfa com meia-vida de
somente alguns milissegundos.
• Alguns pesquisadores lhe atribuíram o nome de “Eka-Mercúrio" devido a
algumas semelhanças com este elemento. É, provavelmente, metálico,
líquido, de aspecto prateado.
• Pela sua posição na Tabela Periódica, provavelmente forma compostos
análogos aos do Hg, com estados de oxidação +1 e +2. Seu ponto de fusão
seria mais baixo que o do Mercúrio.
• Entretanto, ainda não se conhecem compostos do Copernício, pois foi
obtido em quantidades extremamente pequenas (cerca de 6 átomos), e
seu tempo de desintegração é de apenas alguns nanossegundos, tempo
curto demais para seus compostos serem isolados antes do elemento
decair. Aliás, os possíveis compostos do Copernício seriam decompostos
pelos efeitos da própria radiação do elemento (auto-radiólise).
O Copernício

• Foi obtido em 09/02/1996 no "Gesellschaft für Schwerionenforschung" (GSI)


em Darmstadt, Alemanha, pela de Peter Armbruster e Sigurd Hofmann. Ele foi
sintetizado fundindo um átomo de Zinco-70 com um átomo de Chumbo-208,
acelerando núcleos de Zinco sobre um alvo de Chumbo num acelerador de
iões pesados (UNILAC). A IUPAC confirmou a descoberta em 11/07/2009.
• Foi conhecido como "Unúnbio“, pela IUPAC, até Julho de 2009, quando foi
batizado como Copernicium, em homenagem a Nicolau Copérnico. Nome
aprovado oficialmente pela IUPAC em 20/02/2010.
• Cinco isótopos são conhecidos:
• O Cn-277 com meia-vida de 0,28 milissegundos, decaindo para Ds-273 com
emissão alfa.
• O Cn-282 com meia-vida de 0,8 milissegundos, decaindo por fissão
espontânea.
• Cn-283 com meia-vida de 4 segundos, decaindo para Ds-279 com emissão alfa.
• Cn-284 com meia-vida de 97 milissegundos, decaindo por fissão espontânea.
• Cn-285 com meia-vida de 29 segundos, dando para Ds-281 com emissão alfa.
Propriedades Químicas
• O Zn e o Cd formam iões, em solução, mais facilmente que o Cu e
a Ag, porque as suas entalpias de vaporização são pequenas.
Dissolvem-se facilmente em ácidos não oxidantes e reagem
directamente com o O2, S, P e halogénios, sob aquecimento. O Zn,
até, dissolve-se em soluções alcalinas concentradas, formando o
ião Zincato, [Zn(OH)4]2-.
• O Hg assemelha-se ao Cu e Ag nas suas reacções com ácidos,
sendo dissolvido apenas em ácidos oxidantes. Reage lentamente
com O2 a 620 K, mas, o HgO formado decompõe-se a 670 K.
Contudo, o metal reage facilmente com o S e os halogénios.
• Estes metais formam ligas, muitas das quais com importância
tecnológica. As soluções de outros metais em Hg chamam-se
amálgamas; nalguns casos formam-se compostos estequiométricos
autênticos, como NaHg2.
• A química do Zinco é semelhante à dos metais activos. A química
do Cádmio e do Mercúrio pode ser resumida nos seguintes
esquemas:
Reacções Do Cádmio:

H2S
CdCl2 ( aq ) CdS
Pigmento

HCl(aq)
H2SO4(aq) Volatilização e
CdSO4  23 H 2O Cd combustão CdC
HNO3(aq)

Cd ( NO3 ) 2  4 H 2O
Reacções do Mercúrio:
Hg 2 ( NO3 ) 2 ( aq )  2H 2O
Hg ( NO3 ) 2 ( aq )  H 2O
HNO3(dil)
NaCl(aq) a quente
HNO3(conc) HgS
Cl2 a quente H2S(aq) (Preto)
Hg 2Cl2
Limitado Cl2
Aquecimento O2
Hg em excesso HgCl2
620 K
NaOH(aq)
670 K
H2SO4(dil) HgO
HgO (Amarelo)
(Vermelho) H2SO4(dil)
HgSO4