Você está na página 1de 2

Jean Piaget – A Psicogênese do Desenvolvimento Cognitivo

 Piaget foi biólogo, zoólogo, filósofo, epistemólogo e psicólogo e dedicou a sua


vida a investigação do processo de desenvolvimento cognitivo do homem,
especialmente da criança. Com seus estudos, criou métodos que gerou grandes
avanços na psicologia.

 O psicólogo desenvolveu a teoria interacionista, onde o desenvolvimento


humano resulta de uma adaptação psicológica ao meio, de contínua interação, ou
seja, se vincula o desenvolvimento biológico com o desenvolvimento social, um
dependente do outro e sempre buscando o equilíbrio.

 Piaget explica que a evolução da inteligência é marcada por estágios e são


próprias a cada nível de desenvolvimento, sendo através do contato com o ambiente
que os conhecimentos vão ser adquiridos e construídos, por isso o termo
construtivismo.

 Para o construtivismo, quando se recebe um esquema novo, causa um


desequilíbrio no organismo até que haja uma acomodação e organização do
conhecimento, retornando ao equilíbrio.

 Três indispensáveis conceitos expostos por Piaget em sua teoria:


 Esquemas são estruturas que se usa para organizar as informações
adquiridas. A princípio os esquemas são simples, ou seja, uma criança ao nascer
apresenta poucos esquemas, mas à medida que ela se desenvolve acabam se
tornando mais distintos e numerosos. Portanto, um adulto apresenta esquemas mais
complexos.
 Assimilação é tentar solucionar uma situação utilizando estruturas cognitivas
prévias. Ou seja, quando uma criança tem novas experiências, ela tenta adaptar esses
novos estímulos as estruturas já construídas.
 Acomodação ocorre quando a estrutura mental altera perante a uma nova
informação, construindo um novo conceito.

 Piaget divide o desenvolvimento cognitivo em quatro estágios:


 Fase Sensório-Motora (0-2 anos)
Neste estágio, a partir de reflexos básicos, que mudam conforme a maturação e a
interação com o meio, o bebê começa a construir uma inteligência prática e esquemas
de ação. Ainda não estão envolvidos representações de pensamentos.

 Pré–Operacional (2-7 anos)


Fase marcada pelo desenvolvimento da linguagem, contribuindo para a interação
social, interiorização de palavras e o planejamento de ações. A criança nesse estágio
é egocêntrica e deixa se levar pelo pensamento intuitivo, sem relacionar os fatos.
Nessa fase ela é incapaz de ter reversibilidade, ou seja, reverter mentalmente um
processo já ocorrido.

 Fase Operatório-Concreta (7 a 12 anos)


Neste estágio a criança desenvolve noções de tempo, espaço e causalidade,
porém esse começo de pensamento lógico necessita do auxílio de objetos concretos e
depende deles para abstrair. Consegue desenvolver o pensamento reversível. O
pensamento não é mais egocêntrico, ou seja, constrói um conhecimento relacionando
com o ambiente em que vive.

 Fase Operatório–Formal (Adolescência)


As estruturas cognitivas alcançam um nível mais elevado. A abstração é total e a
criança é capaz de utilizar o raciocínio hipotético – dedutivo, ou seja, pensar
logicamente, formular hipóteses e buscar soluções sem depender da observação da
realidade.

É importante ressaltar que cada ser humano tem o seu tempo para alcançar o
pensamento hipotético – dedutivo, mas para chegar a esse nível é necessário passar
por todas as etapas anteriores e receber estímulos.