Você está na página 1de 16

AUTOCONHECIMENTO

O ser humano se constrói permanentemente como


sujeito a partir de suas interações com conhecimentos,
valores, culturas, identidades, memórias, afetividades e
imaginários. Essa construção da identidade se traduz
em modos singulares de ver, pensar, sentir e agir no
mundo. Daí a importância de cada pessoa realizar,
continuamente, o exercício do autoconhecimento,
aprofundando os saberes sobre si mesma, a partir de
duas perguntas primordiais: “Quem sou eu?” (minha
identidade) e “O que quero ser?” (meu projeto de vida).

A construção da identidade está intimamente vinculada


à busca de sentido para a existência, à capacidade de
se ver no futuro e de estabelecer um projeto de vida.
Promover o desenvolvimento intencional do
autoconhecimento é fundamental para a construção da
autonomia de cada jovem. Autoconhecer-se é uma
busca contínua pela compreensão de si mesmo. É
aprender a se aceitar, a se valorizar. É desenvolver,
enfim, a capacidade de confiar em si, de se apoiar nas
próprias forças e de crescer em situações adversas
sendo resiliente, estabelecendo objetivos de vida
carregados de propósito.
AUTOCONHECIMENTO
A relação consigo mesmo

aceitação
Auto
Auto
Resiliência

confiança

AUTOCONHECIMENTO

Auto
proposição
COLABORAÇÃO
Ser capaz de aceitar que o outro tem direito de
existir e ser o que é, que nenhuma vida vale mais
que outra, permite o exercício de se colocar no lugar
do outro e entender as diferenças como uma riqueza.
Quando a educação tem o compromisso do
desenvolvimento sistemático da colaboração entre os
estudantes, incentivando a capacidade de ser
empático, solidário e de cultivar laços relacionais
positivos, expande também o autoconhecimento de
cada jovem e a formação para a autonomia
responsável, já que as construções identitárias são
feitas na relação do eu com o outro.

Compreender-se como parte de um coletivo (escola,


comunidade, cidade, grupo social) e como parte
interdependente de redes locais e virtuais, traz à
reflexão o status planetário no qual estamos todos
inseridos. No recorte escolar, a capacidade de
reconhecer a importância da interdependência para
aprender, ensinar e se corresponsabilizar pelo outro,
para trabalhar junto em equipes, exercitando a
competência de ser líder e liderado, faz parte do
propósito formativo integral dos jovens.
COLABORAÇÃO
A relação com o outro

Aceitação
do outro
s
Lid lider
em r alho

er
s

era ado
ede
Trab

re

COLABORAÇÃO
ab uipe

Emp
o
alh
T eq

ati
m

e
r

Perte
ncimento
COMUNICAÇÃO
Outra dimensão da construção da autonomia passa
pelas interações comunicativas. Aprender a expressar
pontos de vista, considerando opiniões divergentes,
construir argumentações bem fundamentadas, ser
entusiasmado para motivar pessoas a se engajarem
em projetos e ideias. A comunicação envolve saber
iniciar, desenvolver e finalizar conversas; saber ouvir
e falar em público de modo seguro e preparado; ter
a capacidade de usar a linguagem para falar,
escrever e ler textos verbais e não verbais
(linguagem corporal, simbólica, pictórica, musical
etc.), em diferentes práticas sociais, com diferentes
interlocutores e propósitos.
COMUNICAÇÃO
A relação com a linguagem

a Entu
o d em sia
Us uag s
g
m
lin

o
Argumenta

COMUNICAÇÃO
ressão
Exp oral
C rp
o

ção

Dese
nvoltura
PENSAMENTO CRÍTICO
Uma das características deste século é a enorme
quantidade de dados e informações disponíveis, aliada
à facilidade de acesso. É necessária uma atitude ativa
para seleção, interpretação, avaliação e aprendizagem.
A macrocompetência pensamento crítico envolve a
capacidade de conhecer os próprios processos
metacognitivos, para estabelecer caminhos de
pensamento intencionais, fundamentados e
direcionados a objetivos. Inclui o aprendizado da
capacidade de empreender uma investigação rigorosa
e metódica, imprimindo rigor à organização
do pensamento.

Envolve também a capacidade de estabelecer conexões


entre ideias e teorias, além de construir conhecimentos
a partir da interação com diferentes modos de pensar
e visões de mundo, num movimento de autonomia
intelectual que envolve a autoria.
PENSAMENTO CRÍTICO
A relação com o conhecimento
e o fazer científico

Investigação
Estabelecer
conexões

PENSAMENTO
Autoria

CRÍTICO

Metacognição
ABERTURA PARA O NOVO
A construção da autonomia também envolve as relações que
estabelecemos com o mundo. Em tempos pautados pela
conectividade permanente, pelo multiculturalismo e pela
globalização, o desenvolvimento da competência abertura para o
novo instaura um posicionamento curioso, uma atitude de
exploração por novos conhecimentos e experiências. Envolve
cultivar interesses e o desejo de aprender, bem como a
capacidade de crescer com as diferenças, rejeitando rótulos
e preconceitos.

Essa disposição para novas experiências – estéticas, culturais,


intelectuais, relacionais – se alia à paixão por conhecer e
descobrir o mundo e por criar, além da paixão pelo
conhecimento em si. Essa capacidade de ver o conhecimento
como um canal de interação com o mundo alimenta o
autodidatismo, o alargamento de fronteiras para além de zonas
de conforto daquilo que é sabido.

Uma atitude de abertura ao novo estimula a capacidade de


identificar e propor inovações, de enfrentar as situações de
ambiguidade, os riscos e as incertezas com maior domínio de si.
As tomadas de decisão e a capacidade de resolver problemas
também se beneficiam de uma atitude curiosa, aberta e flexível.
ABERTURA PARA O NOVO
A relação com novas experiências e com
situações de incertezas e mudanças

Valorização
da diferença
Flexibilidade

Apreciação

ABERTURA
estética

PARA O NOVO

Curiosidade
RESOLUÇÃO
DE PROBLEMAS
A competência de resolver problemas parte do
desenvolvimento de uma atitude de iniciativa frente a
situações cujas respostas ou soluções não são evidentes ou
de simples construção. Nos contextos do século 21, saber
resolver problemas exige modos de pensar complexos, que
vão além do convencional, articulando criticidade, inovação,
criatividade, abertura e colaboração com outras pessoas.
Essa macrocompetência envolve a capacidade de identificar,
explorar e configurar um problema a partir de diferentes
pontos de vista, a fim de construir uma representação
compartilhada. Também abarca a capacidade de acessar,
extrair e organizar conhecimentos dispersos, incorporando
informações de múltiplas fontes de conhecimento,
perspectivas e experiências, agregando ideias e diferentes
olhares de colegas para compor a solução. A dimensão da
prática é parte constituinte da capacidade de resolver
problemas, planejando e realizando ações organizadas para
serem validadas pelo crivo da experiência, da realidade.
Além disso, resolver problemas envolve a capacidade de
analisar os resultados obtidos e de gerenciar processos.
RESOLUÇÃO
DE PROBLEMAS
A relação com situações complexas
e a tomada de decisão

Compreender
e analisar
Pesquisar
e aplicar

RESOLUÇÃO DE
Avaliar e
ciar

PROBLEMAS
geren

lógico
Raciocíncio
RESPONSABILIDADE
Além das relações consigo mesmo e com os outros,
estabelecemos relações produtivas em diversas esferas:
escola, trabalho, projetos pessoais e familiares etc. O
desenvolvimento da responsabilidade – que envolve a
persistência para atingir objetivos, mesmo quando os
resultados não se apresentam como imediatos – é
essencial para aprender a planejar, a gerir o próprio
tempo e esforços, a manter o foco e a atenção durante a
realização de tarefas, resistindo às distrações.

Vale destacar que essa dimensão compromissada e


disciplinada da responsabilidade não significa servilidade
às regras ou ordens, mas sim uma postura de
engajamento com os aspectos da vida que exigem
constância e obstinação para se concretizarem.

Com relação às atividades escolares, formar estudantes


responsáveis envolve erigir pontes entre o projeto de
vida que estão construindo e os aprendizados
necessários para alcançá-lo. Afinal, o aprendizado não
acontece no vazio. Ele se torna significativo pelo sentido
que lhe atribuímos.
RESPONSABILIDADE
A relação com compromissos,
projetos e tarefas

minação
Deter

RESPONSABILIDADE
dade

Auto
bili

ges
sa


on

o
sp
Re
CRIATIVIDADE
A criatividade é considerada uma das
macrocompetências mais importantes para produzir
neste século. Ela envolve a competência de resolver
problemas de novas maneiras, de inventar novas
tecnologias e de criar novas aplicações para as
tecnologias existentes. Por isso, é importante ter em
mente que criar nem sempre significa “partir do zero”,
mas conseguir inovar a partir do que já existe.

O desenvolvimento dessa competência compreende


entender que ser criativo ou inovador envolve um
processo cíclico e longo, de pequenos sucessos e
frequentes fracassos: a busca de originalidade, levando
em conta os limites da realidade. Ao contrário do que o
senso comum acredita, a criatividade não é uma
característica inata, ou um dom. Ela é uma
competência que pode ser desenvolvida por estímulos
a modos de pensar imaginativos e a experimentações
que rompam com pensamentos e maneiras de fazer
usuais e cristalizadas.
CRIATIVIDADE
A relação com a criação

Insight
erimentação

Imaginação

CRIATIVIDADE
Exp

Inovação