Você está na página 1de 9

REVISÃO

O consumo materno de ácido fólico durante a gestação e seus efeitos a longo


prazo no fígado da prole: uma revisão sistemática

Flavia Bittencourt Brasil 1


Luiz Henrique Amarante 2
Marcos Roberto de Oliveira 3

1,2 Departamento de Ciências Naturais. Universidade Federal Fluminense. Rua Recife. s.n. Jardim Bela Vista. Rio das Ostras, RJ, Brasil. CEP: 28.895-532.
E-mail: brasil.fb@gmail.com
3 Departamento de Química. Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá, MT, Brasil.

Resumo

Objetivos: descrever os efeitos da suplementação materna com ácido fólico (AF) exclusi-
vamente durante a gestação no fígado da prole em fases tardias da vida. A suplementação
com ácido fólico durante a gestação tem sido recomendada pela sociedade médica em todo o
mundo. O fígado tem papel central no metabolismo de substâncias e alguns estudos
mostraram que o consumo de altas doses de ácido fólico em outros períodos da vida causa
dano hepático.
Métodos: é uma revisão sistemática para a qual foram consultadas as seguintes bases de
dados: Pubmed, Lilacs e Scielo. A pesquisa foi realizada pelos descritores: “Folic acid”,
“Gestation”, “Rat”, “Offspring” and “Liver”. Artigos que avaliaram o consumo de AF
durante a gestação e lactação foram excluídos.
Resultados: a ingestão de AF evita desordens na expressão de receptores ativados por
proliferador de peroxissoma (PPARα) e receptores de glicocorticóides (RG), já sua ausência
não alterou a atividade enzimática do fígado da prole macho na idade adulta. AF durante a
gestação não alterou os níveis de ferro hepático nem a composição lipídica, mas teve efeito
antioxidante neste órgão.
Conclusões: a suplementação com ácido fólico nas doses recomendadas não causou
efeitos tóxicos e é muito provável que evite efeitos deletérios no fígado da prole em nível
epigenético.
Palavras-chave Ácido fólico, Gestação, Fígado, Prole, Rato

http://dx.doi.org/10.1590/1806-93042017000100002 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017 17
Brasil FB et al.

Introdução conhecimento dos efeitos da suplementação materna


com AF, exclusivamente durante a gestação, no
A suplentanção com ácido fólico (AF) durante a fígado da prole.
gestação é recomendada pelas sociedades médicas
do mundo todo. De acordo com a Organização Química e fisiologia do ácido fólico
Mundial da Saúde, mesmo em dietas adequadas, a
quantidade de AF não é suficiente para suprir as 1. Química
necessidades das gestantes, que são crescentes nesta A vitamina ácido fólico (pteroilmonoglutamato –
população. A deficiência de AF pode causar anemia, PteGlu) é formada pelo 2-amino-4-hidroxi-pteridina
especialmente em mulheres jovens.1 (pterina, que contém um anel pirazina) ligada à uma
Um consumo adequado de AF durrante a porção p-aminobenzoilglutamato através de um
gestação é imprescindível para o desenvolvimento grupo metileno. As reações do folato em células de
normal da prole e pode determinar seu status mamíferos envolvem a redução de seu anel de
metabólico e hormonal futuro. 2,3 O desequilíbrio pirazina para a forma ativa chamada tetrahidrofolato.
nutricional durante períodos críticos, como a Adicionalmente, a cadeia de glutamato do folato
gestação, pode predispor a doenças na idade adulta. pode ser alongada pela adição de resíduos de
O fígado e o metabolismo hepático são impor- glutamato. Finalmente, o folato pode adquirir
tantes alvos em estudos que utilizam modelos unidades de carbono nas posições N-5 e/ou N-10.9,10
animais para a elucidação de doenças. De fato, o folato é uma coenzima que participa de
Desequilíbrios na dieta materna influenciam a home- reações envolvendo a transferência de porções de um
ostase deste órgão na prole e desempenham papel átomo de carbono no metabolismo de nucleótidos e
central no metabolismo fetal.4 aminoácidos.10,11 Em tais reacões, o folato é encon-
A suplementação com altas doses de AF durante trado na forma de folilpoliglutamato e a cadeia de
a gestação pode estar relacionada com aumento do poliglutamato serve para canalizar os substratos para
peso corporal e prevalência da síndrome metabólica o local ativo da enzima. Além disso, tais reacções
na vida adulta da prole,5 além de exarcebar os efeitos evitam a fuga de produtos intermediários do
prejudiciais de dietas ricas em gordura, como into- complexo de proteínas. Os tecidos retém
lerância à glicose e resistência à insulina3 e alteração folilpoliglutamatos em vez de monoglutamatos, que
na expressão de receptores ativados por prolife- é uma forma de transporte em sistemas aquosos.9,12
radores de peroxissoma (PPAR) em alguns tecidos O folato não é produzido por células de
fetais.6 mamíferos, por isso, deve ser adquirido a partir da
O consumo de uma dieta com alto teor de AF em dieta. Microorganismos e plantas sintetizam o
outros períodos da vida, além do gestacional, pode derivado diidrofolato (DHF). Quando folatos
alterar o metabolismo lipídico e causar dano reduzidos sofrem oxidação, sua atividade vitamínica
hepático por degeneração dos hepatócitos. 7 é afetada. O ascorbato (um agente redutor) ou a
Marsillach et al. 8 demonstraram que ratos tratados ausência de oxigênio podem proteger os folatos da
com altas doses de AF, por oito a dez semanas, apre- oxidação e da inativação. Na verdade, o ascorbato
sentaram maior quantidade de colágeno, células encontrado no plasma e na urina ajuda a manter o
estreladas e apoptóticas no fígado, juntamente com folato na forma reduzida.9
alterações nos níveis séricos de albumina e bilirru-
bina. 2. Fisiologia
Os efeitos benéficos do consumo de AF por
mulheres grávidas estão bem documentados com 2.1. Transporte através das membranas
relação a alguns parâmetros, como o fechamento do A efetividade da captação do folato depende de
tubo neural da prole e melhor aprendizado. Em transportadores de membrana. Existem cinco
relação aos outros órgãos e sistemas, não há proteínas envolvidas no transporte do folato através
consenso na literatura sobre seus benefícios. Devido das membranas, sendo duas delas encontradas nos
ao papel central que o fígado desempenha no meta- lisossomos e nas mitocôndrias.13,14
bolismo das substâncias e na homeostase, este órgão O transportador do folato reduzido 1 (RFC1) é
torna-se valioso para o estudo dos efeitos de várias um trocador aniônico transmembrana codificado
dietas e para a compreensão da programação pelo gene RFC1 e sua atividade é maior em pH fisio-
metabólica. lógico. É um transportador facilitador e sua atividade
Neste sentido, o objetivo deste estudo é realizar é regulada positivamente por anions orgânicos
uma revisão sistemática que contribua para o intracelulares. RFC1 apresenta expressão em tecidos

18 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017
Efeitos tardios do ácido fólico no fígado da prole

fetais e adultos, células tumorais e células culti- ácido fólico é transportado a taxas mais elevadas
vadas. É caracterizado como saturável e apresenta como monoglutamatos de folato reduzidos, por meio
baixa afinidade para folatos reduzidos (com Kt de PCFT, que é ativo em pH ácido (cerca de 5,5).25
aproximado de 3µM).15 Nesse pH, RCF1 não seria eficaz no transporte de
O Transportador de Folato Acoplado a Protons folatos, como mencionado acima. Acredita-se que a
(PCFT) apresenta atividade aumentada em pH ácido liberação de folatos para a circulação portal ocorra
e diminuída em pH fisiológico. Sua afinidade para através dos transportadores MRP3 de baixa
folatos é maior do que a observada para o RFC1.16 afinidade e alta capacidade.13,25
PCFT é encontrado em quantidades elevadas no
intestino delgado, fígado, placenta e cérebro, entre 2.3. Captação pelos tecidos
outros tecidos.17 No plasma de mamíferos, pteroilmonoglutam-
A Proteína Associada à Resistência a Múltiplos atos (principalmente 5-metil-THF) são as principais
Fármacos (MRP) também atua como transportadora formas de folatos circulantes. 26 No entanto, as
de folato em diferentes tecidos. Contudo, a sua células de mamíferos não são capazes de absorver
afinidade para o folato é muito baixa (valores de Kt poliglutamatos de cadeia longa (três ou mais). 27 O
0,2-2 mM).18 fígado é capaz de absorver grande parte do folato
Mitocôndrias e lisossomos também possuem que entrou na circulação portal. As células hepáticas
transportadores de folato. O transportador mitocon- metabolizam o folato em derivados de poliglu-
drial é específico para os folatos reduzidos (o ácido tamato, retendo-o ou liberando-o no sangue ou na
fólico, por exemplo, não é transportado) e o papel bile.27,28 A forma de folato que predomina no plasma
dos transportadores lisossômicos não é completa- (5-metil-THF) sugere que esta também seja a forma
mente compreendido no metabolismo dos mais frequente no citosol das células de mamíferos.
folatos.14,19 No plasma, o folato pode ser encontrado associado a
O folato também pode ser transportado através proteínas, como por exemplo, a albumina e uma
das membranas por três receptores específicos forma solúvel de FR. Tais proteínas são caracteri-
(receptores de folato – FR α, β, γ), que são ligados à zadas por ligar folatos através de uma associação de
membrana plasmática por meio de uma âncora de baixa afinidade.29
glicosilfosfatidilinositol.9,20 O FR-α é encontrado na As concentrações de folatos são mais altas nas
membrana apical voltada para a circulação no plexo hemácias do que no plasma.30 Os folatos podem ser
coróide, túbulos proximais dos rins, ovários, células retidos nos glóbulos vermelhos devido à sua ligação
alveolares pulmonares e células epiteliais à hemoglobina. Nos hepatócitos, o transporte de
pigmentares da retina, entre outros. 21 O FR-β tem folato é dependente de ATP. Além disso, as
expressão na placenta, baço, timo e tecido fetal, membranas basolaterais das células hepáticas
enquanto que o FR-γ expressa-se em outros tipos de contêm PCFT em níveis elevados, além de um
células epiteliais.22 Todos os FR transportam folatos cotransportador eletroneural folato- H+, que liga
em taxas mais lentas que os transportadores trans- folatos reduzidos e oxidados. 28 Os tecidos
membrana. No entanto, a deleção de um gene equi- periféricos utilizam principalmente o RFC1 para
valente a FR-α no rato resultou em morte embrio- transportar folatos para o interior das células.29 Nos
nária.20,23 Esses transportadores também mediam a túbulos proximais dos rins, o folato é reabsorvido e
ligação de folatos a proteínas intracelulares respon- praticamente não é encontrado na urina em
sáveis pelo transporte de folatos no citosol.24 condições normais de ingestão.31
Nas células de mamíferos, os principais
2.2. Absorção intestinal derivados do folato são encontrados na forma de
Os poliglutamatos de folatos obtidos a partir da folilpoliglutamato.9 A concentração de derivados de
dieta são hidrolisados em forma de monoglutamato poliglutamatos é de cerca de 10 a 30 µM em células
no intestino e absorvidos pela mucosa intestinal. A hepáticas.32 No plasma de seres humanos, a concen-
enzima responsável pela hidrólise do folilpoliglu- tração de folato encontra-se entre 10 a 30 nM. 27
tamato é denominada γ-glutamil hidrolase (γ-GH ou Assim, o teor total de folato no corpo humano foi
glutamato carboxipeptidase II) e está presente na estimado em cerca de 10 a 100 mg (3-16 mg no
membrana em forma de escova. Após a hidrólise, o fígado). 9,26,27 A geração de derivados de poliglu-
folato atravessa a membrana basolateral das células tamato ocorre tanto no citosol como nas mitocôn-
da mucosa intestinal, que contêm PCFT e RCF1, drias e é necessária para a acumulação de folato nas
sendo liberado na circulação portal.9 células. 19,33 O monoglutamato de folato obtido a
Como o pH é ácido nas células da mucosa, o partir do plasma pode ser convertido em folilpoliglu-

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017 19
Brasil FB et al.

tamato pela enzima citosólica folilpoli-γ-glutamato camundongos e (2) somente estudos que mostravam
sintetase ou ser transportado para as mitocôndrias os efeitos do consumo materno de ácido fólico no
pelo transportador de folato encontrado nessas fígado da prole. Os critérios de exclusão foram os
organelas. 33 Em alguns tecidos, até 50% do folato seguintes: (1) estudos que avaliavam o efeito do
celular é transportado para as mitocôndrias. 33 As consumo durante a gestação associado a qualquer
mitocôndrias utilizam derivados de folato na síntese doença, (2) estudos que avaliavam o mesmo durante
e clivagem da glicina e na degradação da colina.33,34 a gestação e lactação ou apenas durante a lactação e
Um pool de folato também é detectado no núcleo e (3) artigos que relatavam o consumo de ácido fólico
serve para a síntese de timidilato.19,35 A homeostase pela própria prole, de forma direta.
do folato é mantida principalmente pela ação da Aplicando tais critérios, excluíram-se 5 artigos
enzimas folilpoli-γ-glutamato sintetase e γ-glutamil porque estavam repetidos em diferentes bancos de
hidrolase (γ-GH). 36 A primeira é necessária para a dados. 4 foram eliminados porque abordavam a
geração de derivados de poliglutamato levando à sua ingestão de ácido fólico em diferentes fases da vida
acumulação nas células (esta enzima é encontrada ou associada a outro modelo experimental e 1 que
tanto no citosol como nas mitocôndrias). 35 A analisou os efeitos sobre as mães e não na prole. 2
segunda hidrolisa a cadeia de poliglutamato para estudos foram excluídos porque estudavam o efeito
folatos e é encontrado no lisossomo.37 do ácido fólico na hipertensão gestacional e por seus
Outras enzimas utilizam derivados de folato no próprios descendentes. Finalmente, 3 trabalhos não
metabolismo de um carbono, como por exemplo, foram considerados pela impossibilidade de verificar
glicina N-metiltransferase, 10-formil-THF desidro- o efeito do ácido fólico em diferentes parâmetros ou
genase e serina hidroximetiltransferase. Tais enzimas tecidos. Portanto, foram selecionados 11 artigos para
são encontradas em quantidades elevadas em células este estudo, sendo todos trabalhos experimentais e
hepáticas e são chamadas proteínas intracelulares de por meio dos quais foram extraídos os resultados.
ligação a folato.38
A excreção do folato ocorre principalmente Resultados
através da bile (100 µg/dia). 27,39 No entanto, o
mesmo é reabsorvido no intestino delgado. Além Os artigos que compuseram este estudo relatam
disso, o folato é filtrado no glomérulo e reabsorvido vários efeitos da suplementação materna com ácido
no túbulo renal proximal. Nenhum folato é encon- fólico somente durante o período gestacional. Os
trado na urina, somente seus produtos de clivagem.40 mesmos estão organizados em categorias.

Métodos
Efeitos do ácido fólico no fígado da prole em
Realizou-se uma revisão sistemática, em diferentes parâmetros moleculares
bancos de dados, a partir de novembro de 2015, com
o objetivo de conhecer os efeitos do consumo de Maloney et al. 41 estudaram o impacto do consumo
ácido fólico durante a gestação, especificamente de uma dieta deficiente em ácido fólico durante a
sobre o fígado da prole. Foram utilizados artigos fase inicial da gestação e demonstraram que a
científicos publicados nas seguintes bases de dados: mesma não alterou os níveis de RNAm para
Medline, por meio da plataforma Pubmed, Lilacs, e gliceraldeído-3-fosfato deidrogenase (GAPDH),
Scielo. receptor alfa ativado por proliferador de
Nessas bases, a pesquisa foi conduzida peroxissoma (PPARα), PPAR-gama e receptor de
utilizando-se as palavras-chave: "ácido fólico", glicocorticóide (RG) na prole macho aos seis meses
"gestação", "rato" e "fígado". Esses descritores de idade.
foram usados em conjunto e com o filtro “E” para De acordo com estes autores, parece que a
pesquisas avançadas. Foram obtidos 116 artigos, programação do metabolismo de lipídeos no fígado,
distribuídos da seguinte forma: 34 em Lilacs, 82 em pelo menos através das isoformas PPAR, ocorrem
Medline e nenhum em Scielo. A palavra-chave em fases tardias do desenvolvimento fetal e a
"prole" foi adicionada, a fim de direcionar artigos privação materna de ácido fólico no período inicial
que abordavam os efeitos sobre a prole. Nesta fase, da gestação não altera tais proteínas.
foram obtidos 26 artigos, 5 em Lilacs, 21 em Recentemente, alguns estudos também têm
Medline e nenhum na base Scielo. investigado se a suplementação com ácido fólico é
Foram aplicados os seguintes critérios de capaz de proteger contra efeitos prejudiciais
inclusão: (1) apenas estudos com ratos ou desencadeados por outras desordens nutricionais,

20 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017
Efeitos tardios do ácido fólico no fígado da prole

como desnutrição, por exemplo. Com esse objetivo, nestes animais aos seis meses de idade. Isto sugere
Lillycrop et al. 42 avaliaram se os efeitos de uma que a ausência de AF na dieta materna na fase inicial
dieta restrita em proteína podem ser melhorados pela da gestação não modifica este parâmetro na vida
suplementação da mesma com AF exclusivamente adulta.
durante a gestação no fígado da prole. Estes autores
descobriram que a suplementação preveniu a Efeitos do ácido fólico no fígado da prole em
hipometilação de RG e PPARα, e o aumento relação a quantidade de minerais e
associado na expressão destes receptores. composição lipídica
Não houve diferença entre a prole do grupo
controle e a prole de mães que receberam dieta Król et al. 45 demonstraram que a suplementação
restrita em proteína e suplementada com ácido fólico com AF durante a gestação não alterou os níveis
com relação a expressão dos mesmos. hepáticos de ferro na prole. Parece que o consumo
Parece que o consumo desta vitamina protege materno desta vitamina não foi capaz de alterar tal
contra os efeitos nocivos de uma dieta deficiente em condição na prole jovem.
proteína, evitando desordens em receptores Também a ingestão de AF não alterou a
específicos e alterações metabólicas. composição lipídica no fígado dos filhotes adultos.
Meher et al.43 analisaram a expressão de vários Burdge et al. 46 sugerem que o gênero pode
fatores de transcrição e níveis de metilação global no determinar diferenças na composição de ácidos
fígado da prole de mães alimentadas com dieta graxos de fosfolípídeos hepáticos, mas não a
deficiente em ácido fólico durante a gestação. Houve ingestão de ácido fólico.
uma redução no peso absoluto do fígado, que
acompanhou alterações em fatores de transcrição
hepáticos e maior metilação global de DNA. Efeitos protetores e antioxidantes do ácido
Estes mesmos autores comentam que o folato, fólico no fígado da prole
bem como a vitamin B12 regulam a geração de S-
adenosilmetionina (SAM), uma molécula que é Ojeda et al.47 demonstraram que o consumo de uma
universal na transferência de grupos metilo e crucial dieta suplementada com selênio (Se) e ácido fólico
para muitas reações, e que qualquer alteração nesta por mães expostas ao etanol durante a gestação é
molécula pode promover perturbações em capaz de restabelecer a concentração hepática de Se,
mecanismos essenciais, como por exemplo, na de forma semelhante aquela apresentada pelo grupo
proliferação celular. controle, além de deslocar Se para o fígado e
cérebro. Estes autores relataram que a exposição ao
Efeitos do ácido fólico no fígado da prole em etanol durante a gestação diminui os níveis destes
níveis proteicos/enzimáticos nutrientes e perturba o equilíbrio oxidativo.47
A ingestão crônica de etanol neste período causa
Maloney et al. 41 demonstraram que o nível de estresse oxidativo e desordens hepáticas, tanto na
proteínas classificadas em três grupos principais, mãe quanto na sua descendência, através do aumento
como proteínas associadas ao metabolismo da atividade específica de glutationa reductase (GR).
energético, relacionadas a defesas antioxidantes e ao Este dano pode ser prevenido pelo tratamento de
metabolismo de aminoácidos e peptídeos, foram gestantes com AF e selênio, que reduz a atividade da
alteradas no fígado da prole macho aos 6 e 12 meses GR e aumenta os níveis de glutationa.48,49
de idade cujas mães receberam dieta deficiente em
ácido fólico. Discussão
Estes descendentes também apresentaram
alteração nos níveis de GAPDH hepático aos seis De acordo com os resultados desta revisão, o ácido
meses de idade. Embora o GAPDH seja conhecido fólico pode proteger contra os efeitos nocivos da
principalmente por seu papel na glicólise, há restrição proteica materna durante a gestação.
evidências que sugerem que esta proteína esteja Quando gestantes submetidas a este tipo de restrição
envolvida no controle da proliferação celular, recebem doses maiores de ácido fólico, a
apoptose e transcrição.44 hipometilação de dinucleotídeos no promotor de
Por outro lado, estes autores 41 relataram que a PPARα é evitada. Tal hipometilação ocorre no fígado
atividade enzimática no fígado da prole macho de da prole daquelas mães que foram alimentadas com
mães alimentadas com esta mesma dieta durante os dieta restrita em proteína e baixas doses de ácido
primeiros cinco dias de gestação não foi alterada fólico. Este evento e o aumento resultante na

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017 21
Brasil FB et al.

expressão de PPARα foram evitados, reforçando os alteradas pela deficiência materna de AF. Estes
efeitos protetores do ácido fólico.50 A atividade do resultados reforçam que a ausência deste
PPAR é fundamental para a homeostase do componente na dieta materna ou qualquer desordem
metabolismo de lipídeos e carboidratos.51 na fase inicial da gestação são críticas e alteram a
Entretanto, dois outros dinucleotídeos programação de vários processos celulares que
específicos foram hipermetilados nos descendentes permanecem a longo prazo e estendem-se até a vida
de mães que receberam doses mais altas de ácido adulta. Devido a este fato, a disponibilidade de ácido
fólico, o que sugere que a ingestão materna fólico em fases inicias da embriogênese parece ser
aumentada desta vitamina pode causar efeitos sutis, importante.
mas que podem, por sua vez, alterar a função de Com relação aos minerais, a ingestão de AF no
algum gene específico.50 Estes resultados confirmam período gestacional não alterou os níveis hepáticos
que alterações na quantidade de nutrientes de ferro na prole. Isto é favorável, devido ao fato de
específicos da dieta materna durante a gravidez que a suplementação oral com ferro (60 mg/dia)
podem modificar o fenótipo metabólico da prole. isolado ou associado ao ácido fólico, é eficiente para
Processos de hiper ou hipometilação podem o tratamento de anemia ferropriva em mulheres
levar a alterações na transcrição gênica e grávidas 56 e pode reduzir as taxas de partos
consequentemente, alterar o metabolismo celular. prematuros.57
Como o receptor alfa ativado por proliferador de Os artigos examinados mostraram que o AF
peroxissoma (PPARα) é uma proteina receptora associado ao selênio pode reduzir o estresse
nuclear expressa no fígado e em outros tecidos que oxidativo e exercer efeito protetor. 47 AF previne a
desempenham papel fundamental na regulação da peroxidação proteica e neutraliza os danos
diferenciação celular, metabolismo de carboidratos, resultantes do consumo de etanol durante a
proteínas e lipídios, além da carcinogênese em gestação.48,49 Esta propriedade de defesa é dada pela
organismos superiores, 52 qualquer alteração que habilidade desta vitamina em aumentar os níveis de
envolva este receptor pode ser deletéria e determinar glutationa nos tecidos, uma vez que a glutationa é o
doenças a longo prazo por alterar o perfil coletor endógeno de radicais livres mais importante.
metabólico. O ácido fólico pode também reverter a apoptose e a
Qualquer alteração na expressão gênica é crítica lesão celular causada por agentes tóxicos.58
para a diferenciação celular e para a embriogênese.53 Utilizando ratos com diabetes induzida por
Modelos de metilação de DNA são amplamente estreptozotocina, Zal et al. 59 demonstraram que a
estabelecidos durante a vida intra-uterina, e qualquer administração sistêmica de AF associada a vitamina
mudança no ambiente fetal pode alterar este evento, E pode prevenir dano oxidativo e apoptose no útero
induzindo a alterações constantes na expressão destes animais. Estes autores sugeriram ainda que os
gênica que podem ser mantidas por toda a vida de efeitos farmacológicos desta associação estão
um indivíduo e constituir a origem de doenças. 42 relacionados com o aumento dos níveis de glutationa
Alguns estudos têm sugerido que a deficiência em e com a diminuição do malondialdeído,59 reforçando
folato altera estes modelos de metilação e inicia o efeito protetor do ácido fólico.
hipometilação no fígado e em outros tecidos.43
Gong et al.54 analisaram e expressão do fator de Considerações finais
crescimento semelhante a insulina II (Igf2) no fígado
dos descendentes macho. Igf2 atua como um Os estudos analisados neste trabalho mostraram que
mediador no fígado e cérebro para responder a a suplementação da dieta materna com ácido fólico
manipulações dietéticas no período pré-natal e durante a gestação traz benefícios em condições
alguns padrões de estresse como deficiência de adversas, como consumo de álcool e privação de
colina ou suplementação. 55 Estes autores proteina. Exerce também efeito protetor, evitando
descobriram que no grupo de mães alimentadas com alterações epigenéticas deletérias no fígado da prole,
dieta restrita em proteína e suplementada com ácido o que poderia desencadear muitas doenças na vida
fólico, a expressão de RNAm para Igf2 foi adulta. Além disso, esta vitamina melhorou as
semelhante a do grupo controle. Da mesma forma, a defesas celulares em mamíferos.
suplementação materna evitou a modificação Além de ser necessária durante a gravidez, a
epigenética no fígado dos filhotes. Estes achados suplementação com AF não causou efeitos tóxicos
sugerem que o AF pode reverter os efeitos do baixo em doses recomendadas. AF e seus análogos podem
consumo de proteína durante a gestação. também prevenir os danos causados por drogas
Várias proteínas, incluindo GAPDH podem ser potencialmente tóxicas como metotrexato, 5-

22 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017
Efeitos tardios do ácido fólico no fígado da prole

fluorouracil e outras drogas anti-folato utilizadas no tecidos.


tratamento de várias doenças.60 Devido à relevância, nosso grupo tem focado em
Pelo fato do ácido fólico ser amplamente usado conhecer os efeitos da ausência total, bem como do
durante a gestação e até mesmo antes deste período, consumo materno de ácido fólico em dose normal e
mais estudos são necessários para esclarecer o excessiva durante a gestação na prole adulta através
impacto deste consumo no metabolismo dos de alterações morfológicas em estruturas
descendentes, não somente no fígado, mas em outros relacionadas ao metabolismo, como as já citadas,
órgãos cruciais como o rim. Estudos que uma vez que a nutrição materna inadequada pode
investiguem alterações morfológicas causadas por desencadear vários transtornos à saúde dos
esta vitamina, por exemplo, são escassos e podem descendentes.
ser valiosos para revelar seus efeitos em diversos

Referências

1. Hediger ML, Scholl, TO, Khoo CS, Fischer RL. Diet, ships. Annu Rev Nutr. 1985; 5: 115-41.
weight gain, and circulating micro-nutrients: Evidence for 12. Stokstad ELR. Historical perspective on key advances in
nutritional depletion following adolescent pregnancy. J the biochemistry and physiology of folates. In: Picciano
Adolesc Health. 1992; 13 (1): 46. MF, Stokstad ELR, Gregory JF, editor. Contemporary
2. Brasil FB, Faria TS, Costa WS, Sampaio FJB, Ramos CF. Issues in Clinical Nutrition. Folic Acid Metabolism in
The pups’ endometrium is affected by maternal malnutri- Health and Disease. New York: Wiley-Liss; 1990. p. 1–21.
tion during suckling. Maturitas. 2005; 51: 405-12. 13. Sirotnak FM, Tolner B. Carrier-mediated membrane trans-
3. Huang Y, He Y, Sun X, He Y, Li Y, Sun C. Maternal High port of folates in mammalian cells. Annu Rev Nutr. 1999;
Folic Acid Supplement Promotes Glucose Intolerance and 19: 91-122.
Insulin Resistance in Male Mouse Offspring Fed a High- 14. Titus SA, Moran RG. Retrovirally mediated complementa-
Fat Diet. Int J Mol Sci. 2014; 15(4): 6298-313. tion of the glyB phenotype. Cloning of a human gene
4. Maloney CA, Hay SM, Reid MD, Duncan G, Nicol F, encoding the carrier for entry of folates into mitochondria.
Sinclair KD, Rees WD. A methyl-deficient diet fed to rats J Biol Chem. 2000; 275 (47): 36811–817.
during the pre- and peri-conception periods of development 15. Zhao R, Gao F, Goldman ID. Reduced folate carrier trans-
modifies the hepatic proteome in the adultoffspring. Genes ports thiamine monophosphate: An alternative route for
Nutr. 2013; 8 (2): 181-90. thiamine delivery into mammalian cells. Am J Physiol Cell
5. Pannia E, Cho CE, Kubant R, Sánchez-Hernández D, Huot Physiol. 2002; 282 (6): C1512–517.
PS, Chatterjee D, Fleming A, Anderson GH. A high multi- 16. Zhao R, Matherly LH, Goldman ID. Membrane transporters
vitamin diet fed to Wistar rat dams during pregnancy and folate homeostasis: Intestinal absorption and transport
increases maternal weight gain later in life and alters home- into systemic compartments and tissues. Expert Rev Mol
ostatic, hedonic and peripheral regulatory systems of Med. 2009; 11:e4.
energy balance. Behav Brain Res. 2015; 278: 1-11.
17. Zhao R, Min SH, Qiu A, Sakaris A, Goldberg GL, Sandoval
6. Sie KK, Li J, Ly A, Sohn KJ, Croxford R, Kim YI. Effect of C, Malatack JJ, Rosenblatt DS, Goldman ID. The spectrum
maternal and postweaning folic acid supplementation on of mutations in the PCFT gene, coding for an intestinal
global and gene-specific DNA methylation in the liver of folate transporter, that are the basis for hereditary folate
the rat offspring. Mol Nutr Food Res. 2013; 57 (4): 677–85. malabsorption. Blood. 2007; 110 (4): 1147-52.
7. Christensen KE, Mikael LG, Leung K, Lévesque N, Deng 18. Assaraf YG. The role of multidrug resistance effl ux trans-
L, Wu Q, Malysheva OV, Best A, Caudill MA, DE Greene porters in antifolate resistance and folate homeostasis. Drug
N, Rozen R. High folic acid consumption leads to pseudo- Resist Update. 2006; 9 (4-5): 227-46.
MTHFR deficiency, altered lipid metabolism, and liver
19. Appling DR. Compartmentation of folate-mediated one-
injury in mice. Am J Clin Nutr. 2015; 101 (3): 646-58.
carbon metabolism in eukaryotes. FASEB J. 1991; 5 (12):
8. Marsillach J, Ferré N, Camps J, Riu F, Rull A, Joven J. 2645-651.
Moderately high folic acid supplementation exacerbates
20. Matherly LH, Goldman ID. Membrane transport of folates.
experimentally induced liver fibrosis in rats. Exp Biol Med
Vitam Horm. 2003; 66: 403–56.
(Maywood). 2008; 233 (1): 38-47.
21. Kamen BA, Smith AK. A review of folate receptor alpha
9. McGuire JJ, Coward JK. Pteroylpolyglutamates:
cycling and 5-methyltetrahydrofolate accumulation with an
Biosynthesis, degradation, and function. In: Blakley RL,
emphasis on cell models in vitro. Adv Drug Deliv Rev.
Benkovic SJ, editor. Folates and Pterins. Chemistry and
2004; 56 (8): 1085–97.
Biochemistry of Folates. New York: John Wiley & Sons;
1984. p. 135-90. 22. Weitman SD, Weinberg AG, Coney LR, Zurawski VR,
Jennings DS, Kamen BA. Cellular localization of the folate
10. Shane B. Folylpolyglutamate synthesis and role in the regu-
receptor: potential role in drug toxicity and folate home-
lation of one-carbon metabolism. Vitam Horm. 1989; 45:
ostasis. Cancer Res. 1992; 52 (23): 6708–711.
263-335.
23. Taparia S, Gelineau-van Waes J, Rosenquist TH, Finnell
11. Shane B, Stokstad EL. Vitamin B12-folate interrelation-

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017 23
Brasil FB et al.

RH. Importance of folate-homocysteine homeostasis during 37. Whitehead VM, Kalman TI, Vuchich MJ. Inhibition of
early embryonic development. Clin Chem Lab Med. 2007; gamma-glutamyl hydrolases in human cells by 2-mercap-
45 (12): 1717-27. tomethylglutaric acid. Biochem Biophys Res Commun.
24. Elnakat H, Ratnam M. Role of folate receptor genes in 1987; 144 (1): 292-7.
reproduction and related cancers. Front Biosci. 2006; 11: 38. Anguera MC, Field MS, Perry C, Ghandour H, Chiang EP,
506-19. Selhub J, Shane B, Stover PJ. Regulation of folate-medi-
25. Qiu A, Jansen M, Sakaris A, Min SH, Chattopadhyay S, ated one-carbon metabolism by 10-formyltetrahydrofolate
Tsai E, Sandoval C, Zhao R, Akabas MH, Goldman ID. dehydrogenase. J Biol Chem. 2006; 281 (27): 18335-42.
Identification of an intestinal folate transporter and the 39. Suh JR, Herbig AK, Stover PJ. New perspectives on folate
molecular basis for hereditary folate malabsorption. Cell. catabolism. Annu Rev Nutr. 2001; 21: 255–82.
2006; 127 (5): 917-28. 40. Williams WM, Huang KC. Renal tubular transport of folic
26. Clifford AJ, Heid MK, Muller HG, Bills ND. Tissue distrib- acid and methotrexate in the monkey. Am J Physiol. 1982;
ution and prediction of total body folate of rats. J Nutr. 242 (5): 484-90.
1990; 120 (12): 1633-9. 41. Maloney CA, Hay SM, Reid MD, Duncan G, Nicol F,
27. Whitehead VM. Pharmacokinetics and physiological dispo- Sinclair, KD, Rees WD. A methyl-deficient diet fed to rats
sition of folate and its derivatives. In: Blakley RL, during the pre- and peri-conception periods of development
Whitehead VM, editor. Folates and Pterins. Chemistry and modifies the hepatic proteome in the adult offspring. Genes
Biochemistry of Folates. New York: John Wiley & Sons; Nutr. 2013; 8 (2): 181-90.
1986. p. 177–205. 42. Lillycrop KA, Phillips ES, Jackson AA, Hanson MA,
28. Horne DW, Reed KA, Hoefs J, Said HM. 5- Burdge GC. Dietary protein restriction of pregnant rats
Methyltetrahydrofolic acid transport in basolateral induces and folic acid supplementation prevents epigenetic
membrane vesicles from human liver. Am J Clin Nutr. modification of hepatic gene expression in the offspring. J
1993; 58 (1): 80-4. Nutr. 2005; 135 (6): 1382-6.
29. Ratnam M, Freisheim JH. Proteins involved in the transport 43. Meher A, Joshi A, Joshi S. Differential regulation of hepatic
of folates and antifolates by normal and neoplastic cells. In: transcription factors in the Wistar rat offspring born to dams
Picciano MF, Stokstad ELR, Gregory JF, editor. fed folic acid, vitamin B12 deficient diets and supple-
Contemporary Issues in Clinical Nutrition. Folic Acid mented with omega-3 fatty acids. PLoS One. 2014; 9 (2):
Metabolism in Health and Disease. New York: Wiley-Liss; e90209.
1990. p. 91–120. 44. Nicholls C, Li H, Liu JP. GAPDH: a common enzyme with
30. Lin Y, Dueker SR, Follett JR, Fadel JG, Arjomand A, uncommon functions. Clin Exp Pharmacol Physiol. 2012;
Schneider PD, Miller JW, Green R, Buchholz BA, Vogel JS, 39(8): 674-9.
Phair RD, Clifford AJ. Quantitation of in vivo folate metab- 45. Król E, Krejpcio Z, Chmurzynska A. Folic acid and protein
olism. Am J Clin Nutr 2004; 80 (3): 680-91. content in maternal diet and postnatal high-fat feeding
31. Selhub J, Emmanouel D, Stavropoulos T, Arnold R. Renal affect the tissue levels of iron, zinc, and copper in the rat.
folate absorption and the kidney folate binding protein. I. Biol Trace Elem Res. 2011; 144 (1-3): 885-93.
Urinary clearance studies. Am J Physiol. 1987; 252(4): 46. Burdge GC, Slater-Jefferies JL, Grant RA, Chung WS,
750–56. West AL, Lillycrop KA, Hanson MA, Calder PC. Sex, but
32. Cassady IA, Budge MM, Healy MJ, Nixon PF. An inverse not maternal protein or folic acid intake, determines the
relationship of rat liver folate polyglutamate chain length to fatty acid composition of hepatic phospholipids, but not of
nutritional folate sufficiency. Biochim Biophys Acta. 1980; triacylglycerol, in adult rats. Prostaglandins Leukot Essent
633 (2): 258-68. Fatty Acids. 2008; 78 (1): 73-9.
33. Lin BF, Huang RF, Shane B. Regulation of folate and one 47. Ojeda ML, Jotty K, Nogales F, Murillo ML, Carreras O.
carbon metabolism in mammalian cells. III. Role of mito- Selenium or selenium plus folic acid intake improves the
chondrial folylpolyglutamate synthetase. J Biol Chem. detrimental effects of ethanol on pups' selenium balance.
1993; 268: 21674-9. Food Chem Toxicol. 2010; 48 (12): 3486-91.
34. Lowe KE, Osborne CB, Lin BF, Kim JS, Hsu JC, Shane B. 48. Ojeda ML, Nogales F, Jotty K, Barrero MJ, Murillo ML,
Regulation of folate and one carbon metabolism in Carreras O. Dietary selenium plus folic acid as an antioxi-
mammalian cells. II. Effect of folylpolyglutamate dant therapy for ethanol-exposed pups. Birth Defects Res B
synthetase substrate specificity and level on folate metabo- Dev Reprod Toxicol. 2009; 86 (6): 490-5.
lism and folylpolyglutamate specifi city of metabolic cycles 49. Cano MJ, Ayala A, Murillo ML, Carreras O. Protective
of one carbon metabolism. J Biol Chem. 1993; 268: 21665- effect of folic acid against oxidative stress produced in 21-
73. day postpartum rats by maternal-ethanol chronic consump-
35. Chen L, Qi H, Korenberg J, Garrow TA, Choi YJ, Shane B. tion during pregnancy and lactation period. Free Radic Res.
Purification and properties of human cytosolic folylpoly-γ- 2001; 34 (1): 1-8.
glutamate synthetase and organization, localization, and 50. Lillycrop KA, Phillips ES, Torrens C, Hanson MA, Jackson
differential splicing of its gene. J Biol Chem. 1996; 271 AA, Burdge GC. Feeding pregnant rats a protein-restricted
(22): 13077-87. diet persistently alters the methylation of specific cytosines
36. Moran RG, Colman PD. Measurement of folylpolygluta- in the hepatic PPAR alpha promoter of the offspring. Br J
mate synthetase in mammalian tissues. Anal Biochem. Nutr. 2008; 100 (2): 278-82.
1984; 140 (2): 326-42.

24 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017
Efeitos tardios do ácido fólico no fígado da prole

51. Djouadi F, Weinheimer CJ, Saffitz JE, Pitchford C, Bastin, 57. Bánhidy F, Acs N, Puhó EH, Czeizel AE. Iron deficiency
J, Gonzalez FJ, Kelly DP. A gender-related defect in lipid anemia: Pregnancy outcomes with or without iron supple-
metabolism and glucose homeostasis in peroxisome prolif- mentation. Nutrition. 2011; 27 (1): 65-72.
erator-activated receptor alpha-deficient mice. J Clin 58. Abilés J, Moreno-Torres R, Moratalla G, Castaño J, Pérez
Invest. 1998; 102 (6): 1083-91. Abúd R, Mudarra A, Machado MJ, Planells E, Pérez de La
52. Berger J, Moller DE. The mechanisms of action of PPARs. Cruz A. Efectos de la suplementación con glutamina sobre
Annu Rev Med. 2002; 53: 409–35. el sistema antioxidantey la peroxidación lipídica en
53. Razin A, Shemer R. DNA methylation in early develop- pacientes críticos con nutrición parenteral. Nutr Hosp.
ment. Hum Mol Genet. 1995; 4 (1): 1751-5. 2008; 23 (4): 332-9.

54. Gong L1, Pan YX, Chen H. Gestational low protein diet in 59. Zal F, Mahdian Z, Zare R, Soghra B, Mostafavi-Pour Z.
the rat mediates Igf2 gene expression in male offspring via Combination of vitamin E and folic acid ameliorate oxida-
altered hepatic DNA methylation. Epigenetics. 2010; 5 (7): tive stress and apoptosis in diabetic rat uterus. Int J Vitam
619-26. Nutr Res. 2014; 84 (1-2): 55-64.

55. Napoli I, Blusztajn JK, Mellott TJ. Prenatal choline supple- 60. Grem JL. Systemic treatment options in advanced
mentation in rats increases the expression of IGF2 and its colorectal cancer: perspectives on combination 5-fluo-
receptor IGF2R and enhances IGF2- induced acetylcholine rouracil plus leucovorin. Semin Oncol. 1997; 24 (5 Suppl.
release in hippocampus and frontal cortex. Brain Res. 2008; 18): S18-8-S18-8.
1237: 124-35.
56. Meier PR, Nickerson HJ, Olson KA, Berg RL, Meyer JA.
Prevention of Iron Deficiency Anemia in Adolescent and
Adult Pregnancies. Clin Med Res. 2003; 1 (1): 29-36.

______________
Recebido em 11 de Agosto de 2016
Vesão final apresentada em 9 de Fevereiro de 2017
Aprovado em 17 de Fevereiro de 2017

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 17 (1): 17-25 jan-mar., 2017 25