Você está na página 1de 47

REVISÃO TRT-15 –

ADIAMENTO DA PROVA
PROF. ANTONIO DAUD JR

@prof.antoniodaudjr

www.facebook.com/adaudjr
FIG. JUR. DO
EMPREGADOR
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Administrativa – 2018)
Lucas vendeu sua parte na sociedade Posto de Gasolina Boa Viagem Ltda. em 17/02/2017, data em
que foi feita a averbação da modificação do contrato. Tendo em vista a responsabilidade do sócio
retirante e esgotados os meios de execução da pessoa jurídica e dos sócios atuais, responde
(A) subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período em que figurou
como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a modificação do
contrato.
(B) solidariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período em que figurou
como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a modificação do
contrato
(C) subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período dos últimos dois
anos em que figurou como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a
modificação do contrato
(D) solidariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período dos últimos dois
anos em que figurou como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a
modificação do contrato
(E) subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período em que figurou
como sócio, somente em ações ajuizadas até cinco anos depois de averbada a modificação do
contrato Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
(FCC/TRT-PE – Técnico – Área Administrativa – 2018)
Sobre a situação do grupo econômico e a sucessão de empregadores, e suas implicações no
contrato individual de trabalho, conforme dispositivos contidos na Consolidação das Leis do
Trabalho:
(A) a mera identidade de sócios caracteriza o grupo econômico que gera a responsabilidade
comum de todas as empresas deste grupo, havendo apenas a vinculação ao valor do capital
social de cada empresa
(B) a empresa principal será responsável subsidiária em relação às subordinadas em caso de
formação de grupo econômico para os efeitos da relação de emprego
(C) caracterizada a sucessão empresarial ou de empregadores, as obrigações trabalhistas
contraídas à época em que os empregados trabalhavam para a empresa sucedida
continuarão por conta desta empresa, não se transferindo para a responsabilidade do
sucessor
(D) se uma ou mais empresas estiverem sob a direção, controle ou administração de outra, de
forma a integrarem um grupo econômico, serão responsáveis solidariamente pelas
obrigações decorrentes da relação de emprego.
(E) o sócio retirante responde subsidiariamente com os demais sócios quando ficar
comprovada fraude na alteração societária decorrente de modificação do contrato
CONTRATOS POR PRAZO
DETERMINADO NA CLT
Modalidades de Contrato de Trabalho

CLT, art. 442 - Contrato individual de trabalho é o acordo tácito ou expresso, correspondente à relação
de emprego.
CLT, art. 443 - O contrato individual de trabalho poderá ser acordado tácita ou expressamente,
verbalmente ou por escrito e (..).
✓ Externalização/Consentimento:
✓ CT expresso
✓ por escrito
✓ verbal
✓ CT tácito

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Trabalho ilícito x proibido

Envolve tipo legal penal


Trabalho ilícito »» Retira do trabalhador a proteção
trabalhista

Envolve atividade irregular, mas não se


Trabalho constitui em tipo legal penal
»»
proibido
Empregado recebe a proteção trabalhista

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Contrato por prazo determinado da CLT

CLT, art. 443, § 2º - O contrato por prazo determinado só será válido em se tratando:
a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do
prazo;
b) de atividades empresariais de caráter transitório;
c) de contrato de experiência.

✓ Prazos máximos? CLT, art. 445.


✓ Prorrogação? CLT, art. 451.
✓ Desrespeito ao prazo ou prorrogação?
✓ Outras situações previstas em lei:
✓ aprendizagem
✓ atleta profissional de futebol
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
ALTERAÇÃO
CONTRATUAL
Alteração do contrato de trabalho
Alterações contratuais trabalhistas

Alterações
Alterações objetivas
subjetivas

Qualitativas Quantitativas Circunstanciais

Alteração
Alteração de Alteração de
da
sujeito do Alteração de Alteração local de
duração
contrato de função de salário prestação de
do
emprego serviços
trabalho
FCC/Sabesp – Advogado – 2018
Considere a seguinte situação hipotética: Durante dois anos seguidos, Felícia, bióloga,
realiza trabalho extraordinário consubstanciado em 1 hora extra diária de segunda-feira a
quarta-feira. A SABESP, sua empregadora, pretende imediatamente suprimir
parcialmente esse trabalho extraordinário.
De acordo com entendimento Sumulado do TST, Felícia
(A) não terá direito à indenização uma vez a supressão de horas extras é possível em
razão do princípio protetivo da saúde do trabalhador
(B) terá direito à indenização correspondente ao valor de um mês das horas suprimidas
parcialmente
(C) não terá direito à indenização uma vez que a supressão não foi total
(D) terá direito à indenização correspondente ao valor do seu salário acrescido de 50%
(E) terá direito à indenização correspondente ao valor de dois meses das horas
suprimidas parcialmente.
SUM-291 HORAS EXTRAS. HABITUALIDADE. SUPRESSÃO. INDENIZAÇÃO
A supressão total ou parcial, pelo empregador, de serviço suplementar prestado
com habitualidade, durante pelo menos 1 (um) ano, assegura ao empregado o
direito à indenização correspondente ao valor de 1 (um) mês das horas
suprimidas, total ou parcialmente, para cada ano ou fração igual ou superior a
seis meses de prestação de serviço acima da jornada normal. O cálculo observará
a média das horas suplementares nos últimos 12 (doze) meses anteriores à
mudança, multiplicada pelo valor da hora extra do dia da supressão.
SUSPENSÃO &
INTERRUPÇÃO
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
(FCC/TRT-PE – Técnico – Área Administrativa – 2018)
Interrupção e suspensão do contrato empregatício são institutos que tratam da sustação,
restrita ou ampliada, dos efeitos contratuais durante certo lapso temporal. Assim,
enquadram-se como modalidades de interrupção e suspensão, respectivamente:
(A) afastamento por doença até o 15º dia − aposentadoria por invalidez
(B) descanso semanal remunerado − depoimento como testemunha judicial ao tempo
que for necessário
(C) qualificação profissional para participação do empregado promovido pelo empregador
− férias anuais
(D) dias em que estiver realizando exame vestibular para ingresso no ensino superior −
licença paternidade
(E) encargo público não obrigatório − doação de sangue voluntária por um dia a cada 12
meses

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
EXTINÇÃO
CONTRATUAL
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Administrativa – 2018)
Maurício e a empresa LXG Tratores Ltda. chegaram a um acordo para rescindirem o contrato
de trabalho, em vigor há cinco anos. A empresa pagou a Maurício, a título de verbas
rescisórias, metade do aviso prévio indenizado e das férias proporcionais + 1/3; já o saldo
de salário, as férias vencidas + 1/3 e o 13º salário proporcional foram pagos integralmente,
com o saque de 50% dos depósitos do FGTS acrescidos da multa de 20%. Sobre as verbas
rescisórias,
(A) foram pagas de forma errada, uma vez que o 13º salário proporcional também é devido
pela metade e não integralmente.
(B) foram pagas corretamente, não tendo direito o obreiro a gozar do Programa do Seguro-
Desemprego.
(C) foram pagas corretamente, mas tendo direito o obreiro a gozar do Programa do Seguro-
Desemprego, devendo o empregador lhe entregar as respectivas guias.
(D) foram pagas de forma errada, uma vez que são devidas as férias proporcionais + 1/3 de
forma integral e o saque de 80% dos depósitos do FGTS.
(E) não existe esta modalidade de rescisão do contrato de trabalho na legislação vigente,
tendo em vista a impossibilidade de saque de apenas 50% dos depósitos. Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
AVISO PRÉVIO
FCC/Sabesp – Advogado – 2018
O aviso prévio
(A) é direito irrenunciável pelo empregado. O pedido de dispensa de cumprimento não
exime o empregador de pagar o respectivo valor, salvo comprovação de haver o
prestador de serviço obtido novo emprego.
(B) não é devido o aviso prévio na despedida indireta, havendo expressa disposição legal
neste sentido
(C) é devido na proporção de 50% na despedida indireta, havendo expressa disposição
legal neste sentido
(D) será de cinco dias quando o pagamento for efetuado por semana ou tempo inferior
(E) indenizado, não possui como integrante de sua base de cálculo horas extras habituais
JORNADA DE
TRABALHO
Principais alterações promovidas pela Reforma

✓ Extinção das horas in itinere (CLT, art. 58, §2º)

✓ Forma de estabelecer a compensação de jornada (CLT, art. 59, §§2º, 3º, 5º e 6º)

✓ Redução do intervalo intrajornada (CLT, art. 611-A, III)

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Judiciária – 2018)
Em relação ao trabalho noturno,
(A) o direito ao adicional noturno não é assegurado ao vigia sujeito ao trabalho noturno,
tendo em vista a regulamentação própria e a especificidade do serviço realizado que prevê
que este é inerente ao horário de trabalho
(B) não se aplica a hora reduzida de 52 minutos e 30 segundos ao trabalho noturno dos
empregados nas atividades de exploração, perfuração, produção e refinação do petróleo,
industrialização do xisto, indústria petroquímica e transporte de petróleo e seus derivados,
por meio de dutos, que é regulado por lei própria.
(C) o adicional noturno pago com habitualidade incorpora-se ao salário do empregado, não
podendo deixar de ser pago ainda que o empregado deixe de trabalhar no horário noturno,
tratando-se de direito adquirido
(D) as gorjetas, cobradas pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas
espontaneamente pelos clientes, integram a remuneração do empregado, servindo de base
de cálculo para o adicional noturno
(E) o empregado que trabalha em horários mistos, assim entendidos os que abrangem
períodos diurnos e noturnos, não faz jus ao adicional noturno Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
SUM-140 VIGIA
É assegurado ao vigia sujeito ao trabalho noturno o direito ao respectivo adicional.
SUM-112 TRABALHO NOTURNO. PETRÓLEO
O trabalho noturno dos empregados nas atividades de exploração, perfuração, produção e refinação do
petróleo, industrialização do xisto, indústria petroquímica e transporte de petróleo e seus derivados, por
meio de dutos, é regulado pela Lei nº 5.811, de 11.10.1972, não se lhe aplicando a hora reduzida de 52
minutos e 30 segundos prevista no art. 73, § 2º, da CLT.
SUM-265 ADICIONAL NOTURNO. ALTERAÇÃO DE TURNO DE TRABALHO. POSSIBILIDADE DE SUPRESSÃO
A transferência para o período diurno de trabalho implica a perda do direito ao adicional noturno.
SUM-354 GORJETAS. NATUREZA JURÍDICA. REPERCUSSÕES
As gorjetas, cobradas pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas espontaneamente pelos clientes,
integram a remuneração do empregado, não servindo de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio,
adicional noturno, horas extras e repouso semanal remunerado.
CLT, art. 73, § 4º Nos horários mistos, assim entendidos os que abrangem períodos diurnos e noturnos,
aplica-se às horas de trabalho noturno o disposto neste artigo e seus parágrafos.
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Administrativa – 2018)
Considere:
I. O trabalho em regime de tempo parcial é considerado aquele cuja duração não exceda a trinta horas
semanais, sem a possibilidade de horas suplementares semanais, ou aquele cuja duração não exceda a
vinte e seis horas semanais, com a possibilidade de acréscimo de até seis horas suplementares.
II. Quando o intervalo para repouso e alimentação não for concedido ou for concedido de forma parcial,
implicará o pagamento, de natureza indenizatória, apenas do período suprimido, com acréscimo de 50%
sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho.
III. As dispensas imotivadas individuais, plúrimas ou coletivas, equiparam-se para todos os fins, não
havendo necessidade de autorização prévia de entidade sindical ou de celebração de convenção coletiva
ou acordo coletivo de trabalho para sua efetivação.
Tendo em vista a Lei nº 13.467/2017, que trouxe alterações à Consolidação das Leis do Trabalho, em
relação às afirmativas acima é correto afirmar que a reforma trabalhista introduziu o que consta de:
(A) I, apenas.
(B) I e II, apenas.
(C) I e III, apenas.
(D) II e III, apenas.
(E) I, II e III.
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
SALÁRIO &
REMUNERAÇÃO
CLT, art. 457, § 1º Integram o salário a CLT, art. 457, § 2º As importâncias,
importância fixa estipulada, as ainda que habituais, pagas a título
gratificações legais (e de função) e as de ajuda de custo (limitadas a
comissões pagas pelo empregador. cinquenta por cento da remuneração
mensal), auxílio-alimentação, vedado
seu pagamento em dinheiro, diárias
para viagem, prêmios (2x/ano) não
integram a remuneração do
empregado, não se incorporam ao
contrato de trabalho e não
constituem base de incidência de
qualquer encargo trabalhista e
previdenciário.
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Judiciária – 2018)
José Henrique, vendedor de uma fábrica de geladeiras e outros eletrodomésticos do Paraná, foi
transferido em 01 de fevereiro de 2018 para trabalhar na mais nova filial da fábrica em Cabo de Santo
Agostinho, mudando-se com a família e passando a viver naquele Município. Além de seu salário fixo,
recebeu ao final do mês de fevereiro comissão pelas vendas realizadas, ajuda de custo no valor
correspondente a 40% da sua remuneração mensal e prêmio do dia do "representante de
eletrodomésticos" (paga todo ano no mês de fevereiro). Possui plano de saúde médico e odontológico e
um curso de inglês totalmente pagos pela empresa. O empregado foi reclamar com seu gerente o não
pagamento do adicional de transferência. Nesse caso, têm natureza salarial as comissões,
(A) a ajuda de custo e o prêmio do dia do “representante de eletrodomésticos”; o plano de saúde e o
curso de inglês caracterizam salário utilidade; o empregado tem direito ao adicional de transferência
(B) a ajuda de custo e o prêmio do dia do “representante de eletrodomésticos”; o plano de saúde e o
curso de inglês não caracterizam salário utilidade; o empregado tem direito ao adicional de transferência
(C) o que não ocorre com a ajuda de custo e com o prêmio; o plano de saúde e o curso de inglês não
caracterizam salário utilidade; o empregado não tem direito ao adicional de transferência
(D) e a ajuda de custo, o que não ocorre com o prêmio; o plano de saúde e o curso de inglês
caracterizam salário utilidade; o empregado não tem direito ao adicional de transferência
(E) e o prêmio, o que não ocorre com a ajuda de custo; o plano de saúde e o curso de inglês não
caracterizam salário utilidade; o empregado tem direito ao adicional de transferência.
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
INSALUBRIDADE E
PERICULOSIDADE
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
REPRESENTAÇÃO DOS
EMPREGADOS
Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
(FCC/TRT-PE – Oficial de Justiça – 2018)
Nas empresas com mais de duzentos empregados, é assegurada a eleição de uma comissão
para representá-los, com a finalidade de promover-lhes o entendimento direto com os
empregadores. Referida comissão será composta de um número mínimo e máximo de
membros, com mandato, respectivamente, de
(A) 7 e 9; 1 ano.
(B) 3 e 7; 1 ano.
(C) 3 e 5; 2 anos.
(D) 5 e 7; 1 ano.
(E) 3 e 7; 2 anos.

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
CLT, art. 510-B. A comissão de representantes dos empregados terá as seguintes
atribuições:
I - representar os empregados perante a administração da empresa;
II - aprimorar o relacionamento entre a empresa e seus empregados com base nos
princípios da boa-fé e do respeito mútuo;
III - promover o diálogo e o entendimento no ambiente de trabalho com o fim de prevenir
conflitos;
IV - buscar soluções para os conflitos decorrentes da relação de trabalho, de forma rápida
e eficaz, visando à efetiva aplicação das normas legais e contratuais;
V - assegurar tratamento justo e imparcial aos empregados, impedindo qualquer forma de
discriminação por motivo de sexo, idade, religião, opinião política ou atuação sindical;
VI - encaminhar reivindicações específicas dos empregados de seu âmbito de
representação;
VII - acompanhar o cumprimento das leis trabalhistas, previdenciárias e das convenções
coletivas e acordos coletivos de trabalho.
(FCC/TRT-PE – Analista – Área Administrativa – 2018)
Nestor foi eleito representante dos empregados na comissão para representá-los junto à sua
empresa, que conta com mais de duzentos empregados. Neste caso,
(A) o mandato de Nestor implica em suspensão do contrato de trabalho, para que possa
desempenhar a contento seus afazeres na comissão
(B) Nestor não poderá sofrer despedida arbitrária, desde o registro da candidatura até um
ano após o fim do mandato.
(C) o mandato de Nestor implica em interrupção do contrato de trabalho, para que possa
desempenhar a contento seus afazeres na comissão
(D) faz parte das atribuições de Nestor, entre outras, representar os empregados perante a
administração da empresa, o Ministério Público do Trabalho e perante o INSS
(E) Nestor não poderá ser candidato novamente no período subsequente àquele em que
houver exercido a função de representante dos empregados na comissão

Direito do Trabalho
Prof. Antonio Daud
OBRIGADO
@prof.antoniodaudjr

www.facebook.com/adaudjr