Você está na página 1de 2

Pitágoras

Pitágoras nasceu no século VI. a.C, na cidade de Samos. Grande parte do


conhecimento obtido ao longo de sua vida, se deu pelas grandes viagens feitas ao Egito e
Babilônia. Voltou para sua cidade natal em um momento conturbado, visto que estava sendo
governada pelo Polícrates, este intolerante e autoritário.
No sul da Itália, em Crotona, na Magna da Grécia, em parceria com Milo, o homem
mais rico da região, fundaram a irmandade pitagórica. Tinham estrutura e moldes peculiares,
semelhante as religiões. Através da irmandade, surgiu a filosofia pitagórica.
A filosofia pitagórica explicava que tudo era número, ou seja, o número não era
apenas símbolos que marcavam quantidades para uso prático, sendo mais profundo do que
isso, era um modo de vida. Dessa maneira, afirmavam que era possível entender as leis da
natureza e até prevê-las, já que podiam ser equacionadas. O exemplo usual, foi a descoberta
da relação entre música e a matemática.
Então, o teorema de Pitágoras foi invenção dele? Não, o teorema pitagórico já era
conhecido no mundo antigo, usado por chineses, babilônios e outras culturas anos atrás, mas
não tinham a certeza se era válido para todo triângulo retângulo. Carrega o nome dele devido
a demonstração desenvolvida, mostrando que essa relação é válida. Mas não há uma
conclusão entre os historiadores qual foi a demonstração utilizada por ele, visto que não
deixou nenhum documento escrito. A grande maioria afirma que a demonstração utilizada
foi a geométrica, baseada em áreas, não sendo aquela que encontramos nos elementos de
Euclides (ROQUE, 2012; ARAUJO et al., 2018).
Com relação sobre o conhecimento já está presente nas civilizações, há provas
concretas que os babilônios já conheciam, que datam 2000 a 1600 a. C. A primeira está
situada na universidade de Columbia, chamada Plintom 322, contendo 15 linhas e 3 colunas,
que continham medidas dos três lados de um triângulo retângulo. A segunda prova, chamada
tableta YBC 7289, a qual podemos ver de maneira explicita a aplicação do teorema e uma
estimativa acurada da raiz quadrada de 2 (ARAUJO et al., 2018).
Na cultura oriental, também há provas. Os chineses já conheciam o teorema,
possuindo diversos textos em uma abordagem prática que comprovem isso, o qual podemos
ver abaixo.
Acredita-se que os egípcios usaram o Teorema de Pitágoras para criar ângulos retos
e perfeitos nas construções das pirâmides. O mecanismo utilizado foi conforme a figura
abaixo.
A corda era amarrada em 12 lugares com o mesmo espaçamento, de modo que
criassem o perfeito triângulo retângulo 3-4-5. Essa relação como muitos historiadores
afirmam, foi utilizada na pirâmide de Giza (ARAUJO et al., 2018).