Você está na página 1de 7

RECURSOS PEDAGÓGICOS E TECNOLOGIA: A PRODUÇÃO DE VÍDEO NO

ESCOLAR COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Acadêmicas: Celina da Rosa Santos Neta


Sharon Soares Charqueiro

Introdução
A tecnologia na escola

O avanço tecnológico marcou uma grande etapa na transformação das estratégias


de ensino. A utilização de ferramentas como computadores, celulares e internet, facilitou
os meios de aquisição de conhecimentos, contato social e divulgação de informações
para as pessoas. O avanço tecnológico também tornou-se um fator de mudança de
comportamento em crianças na idade escolar (SOUZA, 2008).
Para Ribas (2013), a tecnologia deve ser identificada no meio escolar como uma
ferramenta pedagógica, que venha a agregar conteúdos que venham a facilitar a
aquisição de conhecimento, podendo ser entendido como uma inovação técnica na
qualidade da educação. Para que este instrumento funcione e seja usado com eficácia, é
necessário que ocorra uma série de modificações na estrutura escolar e na própria
concepção do ensinar e aprender.
A autora ainda considera que a escolha do professor, quanto a seus materiais
didáticos, vem a ser uma forma de mediação nas atividades realizadas por ele, utilizando
estes recursos como apoio para as aulas expositivas e promover uma maior interatividade
entre os discentes, tornando as atividades mais dinâmica e proveitosa.
A transformação do meio tecnológico tornou necessária uma atualização drástica
no meio educacional, tornando uma obrigação a busca das insituições para atualizar os
métodos de ensino e a escolha de conteúdos a serem transmitidos aos alunos, de forma
integrada a atualização digital (FAVA, 2012).
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (2000), caracterizam os
sistemas tecnológicos como um poder onipresente no mundo contemporâneo e na prática
diária dos indivíduos, modificando os processos de aprendizagem e os procedimentos
básicos do cotidiano. Esse avanço veio com a aproximação da televisão, do rádio e por
fim da informática e da fácil acessibilidade que esta proporcionou.
Silva, Prates e Ribeiro (2015), acreditam que é necessário realizar um diálogo entre
o relacionamento do processo de ensino-aprendizagem e as novas tecnologias
disponíveis para o meio de ensino. A construção de um novo método de ensino em sala
de aula, agregado a tecnologia, deve ser buscado pelo professor e este deve vir a se
tornar um mediador no processo de aquisição de conhecimentos por meio da utilização de
novas tecnologias, que construa o conhecimento junto ao aluno e o oriente de forma
produtiva quanto ao uso da tecnologia da informação.
A aquisição de recursos tecnológicos para o ambiente escolar não é uma garantia
que ensino através da informação será um sucesso. Para tanto, depende da forma como
o professor irá utilizar esta nova ferramenta. A formação de professores para desenvolver
conhecimento a cerca dessas tecnologias é fundamental para o processo de ensino e
aprendizagem desenvolvido de forma suficiente e eficaz para a prática pedagógica. É de
função das escolas buscar desenvolver esta competência junto a seus professores, para
garantir um sucesso na adaptação da escola às novas tecnologias (COSTA, 2015).
Para Moran (2000), a tecnologia pode vir a ser um recurso que poderá surpreender
e cativar os estudantes, que venha a construir desafios que possibilitem os alunos a
apontar novos conhecimentos e práticas, que a tecnologia venha a ser estimulante no
processo de ensino-aprendizagem e que amplie o campo de visão dos alunos e exercitem
sua curiosidade e criatividade.
Ressalta-se que a utilização exclusiva da internet, sem uma orientação ou
mediação, não se configura como um processo de ensino ou aprendizagem, ela deve vir
integrada a um contexto estrutural, que modifique as metodologias pedagógicas utilizadas
até então, deve haver comunicação ampla e uma participação do grupo que seja efetiva
(MORAN, 2001).
De acordo com Souza (2013), para uma educação de qualidade é necessário que
os alunos venham a correlacionar o material estudado com o meio em que vivem, sendo
assim, é preciso que a escola e os professores procurem construir estratégias que
possam integrar as mídias e as tecnologias para que o aluno possa estruturar as
informações em determinado contexto.

O vídeo como recurso pedagógico

A partir da década de 80, a utilização do vídeo era exclusiva de emissoras de


televisão. Após esse período e a evolução técnica dos equipamentos específicos para
gravação, tornou-se mais comum e popular a utilização de vídeos sem finalidade
televisiva (LIMA, 2001).
Para Lima (2001), o fácil acesso de vídeo chegou as escolas como recurso didático
depois da implementação da TV Escola, que veio a ser um recurso didático do canal
televisivo do Ministerio da Educação, que tinha por finalidade capacitar professores por
meio de programas distribuídos em baixas temáticas de ensino. Vários programas foram
utilizados como recurso pedagógico pelos professores.
Moran (2001), afirma que o professor pode desenvolver seu próprio material para
trabalho em vídeo, utilizando em conjunto com livros e apostilas. A utilização de
equipamentos de audiovisual viria a enriquecer o processo de ensino e selecionar o que é
mais significativo para apresentar aos alunos.
É preciso que os professores e os alunos desenvolvam competências como a
análise crítica e imparcial de pesquisadores capazes de compreender os recursos
disponíveis para a produção de informações e comunicação, realizando uma leitura crítica
sobre as consequências sociais e ideológicas construidas pelos meios de comunicação
em massa (POCHO, 2003).
Pode-se utilizar o vídeo como uma ferramenta de educação que despertará a
curiosidade e simular a realidade, através da reprodução de distintos programas,
documentários e atividades que despertem o senso crítico do coletivo. Essa tecnologia
não deve ser vista apenas como algo para passar o tempo, mas sim como um
instrumento de abertura do mundo para a sala de aula, que irá apresentar diferentes
realidades e pontos de vista ao educando (MORAN, 2001).
Dentre as inúmeras utilizades expressivas do vídeo, podemos ressaltar que um dos
desafios de uma nova construção de estrutura do meio escolar é implantá-lo na
metodologia tradicional, que procura destacar exclusivamente transferir seus
conhecimentos, porém, este deve ser visto como multifuncional, podendo abranger as
mais diversas áreas do ensino, não se limitando apenas ao ensino tradicional (FERRÉS,
1996).
Betetto (2011), afirma que:

O uso do vídeo em sala de aula podecontribuir para que o professor possa


explorar, durante suas aulas, uma diversidade de conteúdos de forma que esses
possam ser contextualizados de diferentes maneiras. O professor pode tornar sua
aula mais criativa despertando em seus alunos a sensibilidade, emoção e a
criatividade resultando em condições favoráveis para a aprendizagem.

Moran (2000), acrescenta que após o uso da ferramenta do vídeo em sala de aula,
é importante que o professor saiba conduzir as atividades após esse uso, com finalidade
de proporcionar um debate sobre o que de importante pode ser observado através do
vídeo. Para este fim, o autor sugere que atividades dinâmicas poderão despertar o
interesse dos alunos e auxiliará na exposição de suas ideias e percepções.
Considerações Finais
Referências Bibliográficas

BETETO, Joelma Ribeiro. O uso do vídeo como recurso pedagógico: conceitos,


questões e possibilidades no contexto escolar. 2011. 71 f. Trabalho de Conclusão de
Curso (Graduação em Pedagogia) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina.
2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio.


Brasília: MEC/SEF, 2000.

COSTA, S. M.. A influência dos recursos tecnológicos no processo de ensino


aprendizagem. 2014. 43f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em
Fundamentos da Educação: Práticas Pedagógicas Interdisciplinares)- Universidade
Estadual da Paraíba, Sousa, 2014.

FAVA, Rui. O ensino na sociedade digital. Disponível em:


<http://semesp.org.br/portal/index.php>.

FERRÉZ, Joan. Vídeo e educação. In.:______. O uso didático do vídeo – modalidades.


Porto Alegre: Arte Libâneo s Médicas, 1996.

LIMA, Artemilson Alves de. O uso do vídeo como um instrumento didático e


educativo: um estudo de caso do CEFET-RN. Florianópolis, 140f. Dissertação
(Mestrado em Engenharia de produção) - Programa de Pós- Graduação em
Engenharia de Produção. UFSC, 2001.

MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 6. ed.


Campinas: Papirus, 2000.

MORAN, J. M. Novos desafios na educação - A internet na educação presencial


e virtual. Pelotas: Editora da UFPel, 2001.

POCHO, C. L.; AGUIAR, M. M.; SAMPAIO, M. N.; LEITE, L. S. (coord.). Tecnologia


Educacional: Descubra suas possibilidades na sala de aula. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.
Silva, Prates e Ribeiro (2015), As Novas Tecnologias e aprendizagem: desafios
enfrentados pelo professor na sala de aula, Revista Em Debate (UFSC), Florianópolis,
volume 16, p. 107-123, 2016. ISSNe 1980-3532

Souza, M. G. O uso da internet como ferramenta pedagógica para os professores do


ensino fundamental. Monografia (graduação) – Universidade Aberta do Brasil,
Universidade Estadual do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Curso de Licenciatura
Plena em Informática, Tauá, 2013.