Você está na página 1de 4

0

UNIVERSIDADE DO VALE DO TAQUARI


CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

RESUMO DO ARTIGO
CIENTÍFICO “DIFICULDADES
DO MODAL FERROVIÁRIO NO
BRASIL”

Andrezza Trombetta
Sabrina De Paula

Lajeado, abril de 2018


2

Andrezza Trombetta
Sabrina De Paula

RESUMO DO ARTIGO CIENTÍFICO “DIFICULADES DO MODAL


FERROVIÁRIO NO BRASIL”

Relatório da disciplina de Estrutura Ferro-hidro-


aero-dutoviária, do Curso de Engenharia Civil, da
Universidade do Vale do Taquari, como parte da
nota 1.

Professora: Carolina Becker Porto Fransozi

Lajeado, abril de 2018.


3

DIFICULDADES DO MODAL FERROVIÁRIO NO BRASIL

O artigo cientifico escolhido, foi escrito pelos autores Pedro Galdino, Gabriel Henrique e
Lucas Gomes, ambos estudantes da Universidade Fatec Rubesn Lara, e publicamente publicado
pela ENSIGESP Encontro Científico de Gestão Portuária.

O estudo traz como objetivo principal enfatizar o uso do modal ferroviário no Brasil,
contando com informações necessárias para melhoria deste sistema, bem como, a atual situação
deste meio de transporte de cargas no país, a fim de colocá-lo em uma posição mundialmente
melhor em relação aos custos logísticos e tempo de entrega de cargas.

O Brasil, se coloca hoje atrás de países como Argentina, China, Rússia e Estados Unidos
na distribuição e dimensão da malha ferroviária, no pais a participação deste modal é de cerca
de 25%, dispondo de 28.168,00 km malha ferroviária e apenas um terço deste total é produtivo,
os outros dois são subutilizados, sendo que grande parte deste está em operação a mais de 60
anos. Um dos grandes motivos o quais desde 1991 a produção esteja praticamente parada é o
baixo investimento e procura por vagões e locomotivas.
O uso deste modal traz diversas vantagens, como por exemplo, menor custo de
transporte e gasto energético para cargas de longas distâncias, como é apenas em um sentido,
não há problemas de congestionamentos, diminui o uso do modal rodoviário e assim melhora o
transito e a segurança nas cidades e estradas rodoviárias, é indicado para o uso de cargas com
menor valor agregado.

Hoje o governo prepara e estuda novos desenhos de redes ferroviárias a fim de aumentar
a ligação entre áreas produtoras e portos, afim também de aumentar as competições deste
mercado e melhorar a economia.
4

No Brasil, a malha rodoviária é muito mais priorizada do que a malha ferroviária,


diferente de outros países que investem muito mais nas ferrovias para o transporte de cargas,
como mostra o artigo, além disso, pode-se ver que até países de menor área territorial
conseguem ter maior malha ferroviária. O único investimento neste modal vem do setor privado.
Neste artigo, foi visto que através das pesquisas que o custo e o tempo são as maiores
dificuldades para a maior utilização das ferrovias. Além de tudo, o Brasil não consegue
transportar uma carga do sul ao norte, pois, não existem ferrovias suficientes e as que existem
possuem bitolas diferentes.
O Brasil possui um território favorável para o transporte ferroviário, contudo os
investimentos e as ferrovias estão muito precárias. Pode-se perceber que este é um país voltado
totalmente às rodovias.

Você também pode gostar