Você está na página 1de 16

UNIVERSIDADE CEUMA - CAMPUS IMPERATRIZ-MA

UTILIZAÇÃO DE UMA CALDEIRA

ANDREY MAGNO LIMA DA SILVA

SANDRO MANUEL DA SILVA

TALITA GOMES DA SILVA

TEMISTOCLIS PEREIRA DE FEITOSA

WELVISON RODRIGO P. DA SILVA

IMPERATRIZ – MA

2019
ANDREY MAGNO LIMA DA SILVA. CPD: 92670

SANDRO MANUEL DA SILVA. CPD: 89683

TALITA GOMES DA SILVA. CPD: 92913

TEMISTOCLIS PEREIRA DE FEITOSA. CPD: 90264

WELVISON RODRIGO P. DA SILVA. CPD: 92519

UTILIZAÇÃO DE UMA CALDEIRA

Trabalho solicitado para obtenção de


nota para o segundo bimestre da disciplina de
Física II, da Universidade Ceuma - Campus
Imperatriz-Ma, lecionada pelo Prof. Me.
Domenico Andreatta.

IMPERATRIZ – MA

2019
Sumário
INTRODUÇÃO ...................................................................................................................................... 4
CALDEIRAS .......................................................................................................................................... 5
TRANFORMAÇÃO DE ÁGUA EM VAPOR ....................................................................................... 8
ÁGUA PARA GERAÇÃO DE VAPOR ............................................................................................ 8
QUALIDADE DA ÁGUA .................................................................................................................. 9
VAPOR EM MOVIMENTO, TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA TERMICA EM ENERGICA
CINÉTICA ............................................................................................................................................ 10
A UTILIZAÇÃO DA TURBINA PARA A GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ........................ 12
CONCLUSÃO ...................................................................................................................................... 15
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .................................................................................................. 16
INTRODUÇÃO

Este presente relatório tem por finalidade expor os conceitos, finalidades e todos os
processos físicos envolvendo caldeira ou Gerador de vapor que é um equipamento que se
destina a gerar vapor através de uma troca térmica entre o combustível e a água, sendo que
isto é feito por este equipamento construído com chapas e tubos cuja finalidade é fazer com
que água se aquece e passe do estado líquido para o gasoso, aproveitando o calor liberado
pelo combustível que faz com as partes metálicas da mesma se aqueçam e transfiram calor à
água produzindo o vapor.

A finalidade de se gerar o vapor veio da revolução industrial e os meios da época que


se tinha era de pouca utilização, mas o vapor no início serviu para a finalidade de mover
máquinas e turbinas para geração de energia e locomotivas, com advento da necessidade
industrial se fez necessário à necessidade de cozimentos e higienização e fabricação de
alimentos, se fez necessário à evolução das caldeiras. Com isto se utiliza o vapor em
lacticínios, fabricas de alimentos (extrato de tomate, doces), gelatinas, curtumes, frigoríficos,
indústrias de vulcanização, usinas de açúcar e álcool, tecelagem, fabricas de papel e celulose
entre outras.
CALDEIRAS

As caldeiras são sistemas projetados para aquecer ar ou água para produzir calor ou
energia. Eles podem ser incrivelmente simples ou bastante elaborados, mas os modelos
básicos são compostos de um recipiente fechado onde o calor é aplicado à água, que é então
circulada em todo o sistema sob a forma de água quente ou vapor. A água deve ser fervida
para criar vapor, dando o nome do dispositivo.

Muitos sistemas de aquecimento doméstico e aquecedores de água que usam caldeiras na


verdade não ferram a água, no entanto. Em vez disso, a água geralmente é aquecida a
temperaturas em algum lugar entre 140 ° e 200 ° F (42,14 ° a 93,3 ° C), embora algumas
pessoas baixem as configurações para economizar energia e dinheiro.

Muito parecido com um forno típico aquece o ar, as caldeiras aquecem a água ou outros
fluídos de aquecimento. O líquido aquecido, em seguida, passa através de tubos em vez de
canalização para um dispositivo de aquecimento particular, como um radiador, para
desembolsar calor.

Com sistemas de aquecimento radiante, às vezes designados por pisos aquecidos, os tubos
podem ser colocados no chão ou no teto. A água é aquecida e, em seguida, movido através
dos tubos, que distribuem o calor em todo o espaço em vez de no final de uma linha através
de alguma outra forma de dispositivo de aquecimento.

O ar usado por um forno é re-circulado, sendo aquecido e resfriado novamente e novamente.


O mesmo acontece com a água ou o fluido utilizado em uma caldeira, embora os métodos e
equipamentos utilizados para aquecer os materiais sejam diferentes.

Os fornos dependem de ventiladores, enquanto as caldeiras dependem de bombas. Eles devem


estar conectados ao sistema de encanamento em uma casa ou propriedade comercial para que
a água possa ser fornecida ao sistema de aquecimento. Os modelos mais recentes também
podem incluir um recurso de segurança que os desliga se o nível da água for muito baixo.

Algumas outras características incluem válvulas de controle de pressão para evitar que a
pressão se acumule demais, pois a água está sendo aquecida. Muitos também têm um tanque
maior que é usado para segurar a água à medida que se expande durante o aquecimento.
Embora esses aparelhos possam ser simples e eficazes, eles também devem ser usados com
segurança, e muitos projetos modernos estão equipados com muitos recursos de segurança.

As caldeiras também têm o benefício adicional de não exigir filtros de ar, portanto, limpar e
substituir filtros de ar não é necessário. Eles normalmente possuem recursos para manter a
água dentro do sistema retornando à fonte de água.

O sistema de caldeira é composto por:

1. Sistema de alimentação de água


2. Sistema de vapor
3. Sistema de combustível
O sistema de água de alimentação fornece água para a caldeira e regula-a automaticamente
para atender a demanda de vapor. A água fornecida à caldeira que é convertida em vapor é
chamada de água de alimentação.

As fontes de água de alimentação são:

1. Vapor condensado ou condensado retornado dos processos


2. A água de composição, que é a água em bruto que deve vir de fora os processos sala de
aquecimento e de plantas.
O sistema de vapor recolhe e controla o vapor produzido na caldeira. O vapor é direcionado
através de um sistema de tubulação ao ponto de uso. Em todo o sistema, a pressão do vapor é
regulada usando válvulas e verificada com manômetros de pressão de vapor.

O sistema de combustível inclui todo o equipamento utilizado para fornecer combustível para
gerar o calor necessário. Os equipamentos necessários no sistema de combustível dependem
do tipo de combustível utilizado no sistema.

Caldeira (geração de energia)

Uma caldeira ou um gerador de vapor é um dispositivo usado para criar vapor aplicando
energia térmica à água. Embora as definições sejam um pouco flexíveis, pode-se dizer que os
geradores de vapor mais antigos eram comumente chamados de caldeiras e trabalhavam em
baixa a média pressão (7-2,000 kPa ou 1-290 psi), mas, em pressões acima disto, é mais
comum falar de um gerador de vapor.
É utilizada uma caldeira ou um gerador de vapor onde seja necessária uma fonte de vapor.

A forma e o tamanho dependem da aplicação: máquinas a vapor móveis, como


locomotivas a vapor, motores portáteis e veículos rodoviários a vapor, geralmente utilizam
uma caldeira menor que faz parte integrante do veículo; as máquinas a vapor estacionárias, as
instalações industriais e as centrais elétricas geralmente terão uma instalação maior de
geração de vapor separada conectada ao ponto de uso por tubulação. Uma exceção notável é a
locomotiva sem fogo equipada com vapor, onde vapor gerado separadamente é transferido
para um receptor (tanque) na locomotiva.

As caldeiras

As caldeiras são a base básica de aquecimento e água quente doméstica em muitas instalações
comerciais, industriais, institucionais e educacionais. O termo “caldeira” pode ser enganador
porque, em muitas aplicações, a caldeira não produz água a temperaturas de ebulição de 212 F
(100 ° C)ou acima.

Existem dois tipos de eficiências com caldeiras a combustível: eficiência de combustão e


eficiência térmica. A eficiência da combustão é a porcentagem de energia potencial química
do combustível que é convertida durante o processo de combustão para produzir energia
térmica.

A eficiência térmica é simplesmente declarada como a porcentagem de energia de


combustível potencial que é convertida em energia térmica deixando a caldeira sob a forma de
água aquecida ou vapor. É a eficiência térmica que o engenheiro especificador de consultoria
deve se preocupar mais no processo de seleção de equipamentos.

As caldeiras, em termos gerais, se enquadram em duas categorias principais com cada


categoria principal com vários tipos com base no tipo e finalidade de cada projeto. As
principais categorias são água quente e vapor.
TRANFORMAÇÃO DE ÁGUA EM VAPOR

Para existir essa transformação, é preciso de ar para que possa ter fogo ‘calorimetria’,
só com o ar é possível a combustão. É preciso também, haver os traçadores de calor
chamados de superfície de aquecimento previamente calculados, para ter o desprendimento
das moléculas para fase vapor, assim a água entra na fase liquida, e sai na fase gasosa. A
temperatura desse gás deve alcançar 160°.

As caldeiras tipo (chaleira), como demostradas em laboratório: acontece pela queima


do combustível que produz calor e exista a troca térmica, fazendo com que o desprendimento
das moléculas dessa fase líquida da água, se desprenda e posteriormente se torne na fase
vapor.

ÁGUA PARA GERAÇÃO DE VAPOR

A operação segura e eficiente de uma caldeira é extremamente dependente da


qualidade da água disponível para alimentação da mesma. De nada adianta a instalação de
um equipamento ultramoderno, com todos os acessórios periféricos disponíveis e
automatizado totalmente se não é levada em consideração a qualidade da água e o tratamento
químico aplicado. Como sabemos, a água tem uma tendência a dissolver uma série de
substâncias, tais como sais, óxidos, hidróxidos, diversos materiais e inclusive gases, motivo
pelo qual nunca é encontrada pura na natureza. Além das espécies dissolvidas, pode
apresentar material em suspensão, tais como argila, material orgânico, óleos, etc. A presença
de todas estas impurezas muitas vezes causa problemas no uso da água para geração de
vapor, podendo formar incrustações e ou acelerar os processos corrosivos.
QUALIDADE DA ÁGUA

Cientes de todos os detalhes mencionados, consideramos ideal para geração de vapor


uma água com as seguintes características:

• Menor quantidade possível de sais e óxidos dissolvidos

• Ausência de oxigênio e outros gases dissolvidos

• Isenta de materiais em suspensão

• Ausência de materiais orgânicos

• Temperatura elevada

• pH adequado (faixa alcalina)

A alimentação de água com boa qualidade elimina, antecipadamente, grande parte dos
problemas que normalmente ocorrem em geradores de vapor. Posteriormente, fica a cargo
do tratamento químico interno a manutenção da qualidade da água no interior da caldeira. É
errônea a associação da qualidade da água para consumo humano (potabilidade) com a água
para geração de vapor. O padrão para potabilidade da água é baseado, principalmente, na
presença de microrganismos. Assim, uma água boa para beber não implica, necessariamente,
em uma água boa para gerar vapor. É comum ouvirmos a frase: “Fulano de tal tem um poço
e a água é ótima, nem precisa tratar.... pode então usar na caldeira!”; procedimentos como
esse podem ser catastróficos. Por outro lado, a água ideal para geração de vapor, ou seja, que
não contém nenhuma substância dissolvida é, por isso mesmo, inadequada para bebermos.
VAPOR EM MOVIMENTO, TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA
TERMICA EM ENERGICA CINÉTICA

Máquina a vapor é o nome dado a um motor que tem como princípio de


funcionamento a transformação de energia térmica em energia cinética, utilizando a expansão
do vapor de água, que pode ser visto nas locomotivas a vapor e no princípio da caldeira.

A força do vapor é a base para o funcionamento das máquinas a vapor. Com a queima
do carvão, o calor produzido era utilizado para ferver a água contida em uma caldeira. O
vapor produzido entrava em um cilindro, parecido com o do automóvel, produzindo
movimento que, por sua vez, era transmitido a uma roda que tinha a função de mover a
locomotiva por exemplo.

Uma máquina a vapor não cria energia, mas sim usa o vapor para transformar a
energia quente que é liberada pela queima de combustível. Toda máquina a vapor possui uma
fornalha para que seja realizada a queima de carvão, óleo, madeira ou mesmo outro
combustível para produzir energia calorífica.

Além disso, a máquina a vapor dispõe de uma caldeira. Assim, o calor proveniente da
queima de combustível leva a água a transformar-se em vapor no interior dessa caldeira. Com
o processo, o vapor expande-se, e ocupa um espaço muitas vezes maior que o ocupado pela
água. A energia da expansão produzida pode ser aproveitada de duas formas: A primeira,
deslocando um êmbolo num movimento de vaivém ou, acionando uma turbina.
Assim sendo, na caldeira, o calor faz com que a água entre em ebulição. Assim,
quando a válvula A está aberta e a válvula B permanece fechada, o vapor acaba entrando sob
pressão e empurrando o êmbolo para cima. Deste modo, a roda R e a biela B acabam sendo
deslocadas. O êmbolo, ao atingir o topo do cilindro, a válvula A acaba fechando para cortar o
fornecimento de vapor, e a válvula B abre-se, fazendo com que o vapor saia do cilindro e
entre no condensador.

Através da água corrente o condensador é mantido arrefecido. Assim que o vapor


deixa o cilindro a pressão diminuiu no seu interior e a pressão atmosférica empurra o êmbolo
para baixo. O êmbolo, ao atingir o fundo do cilindro, a válvula B se fecha a válvula A abre. A
partir de então, o vapor entra no cilindro e o processo começa novamente.
A UTILIZAÇÃO DA TURBINA PARA A GERAÇÃO DE ENERGIA
ELÉTRICA

Turbina é um motor rotativo que converte em energia mecânica a energia de uma


corrente de água, vapor d’água ou gás. O elemento básico da turbina é a roda ou rotor, que conta
com paletas, hélices, lâminas ou cubos colocados ao redor de sua circunferência, de forma que
o fluido em movimento produza uma força tangencial que impulsiona a roda, fazendo-a girar.
Essa energia mecânica é transferida através de um eixo para movimentar uma máquina, um
compressor, um gerador elétrico ou uma hélice. As turbinas se classificam como hidráulicas ou
de água, a vapor ou de combustão. Atualmente, a maior parte da energia elétrica mundial é
produzida com o uso de geradores movidos por turbinas. Os moinhos de vento que produzem
energia elétrica são chamados turbinas de vento.

O funcionamento da turbina a vapor baseia-se no seguinte princípio termodinâmico:


quando o vapor se expande, diminui sua temperatura e reduz sua energia interna. Essa redução
da energia interna se transforma em energia mecânica pela aceleração das partículas de vapor,
o que possibilita dispor diretamente de uma grande quantidade de energia.

A turbina de combustão também é chamada de turbina a gás. Produzido no motor como


resultado da combustão de determinadas matérias, o gás é lançado em forma de jatos contra as
paletas da turbina e o impulso desses jatos faz girar o eixo.

Fluído de trabalho do ciclo térmico: vapor/condensado (H2O na fase gasosa/líquida); •


Caldeira (boiler, furnace): queima de combustível na caldeira aquece o fluído de trabalho que
circula em serpentinas (trocadoras de calor) que atravessam o interior da caldeira. O fluído de
trabalho em alta pressão ao ser aquecido muda de fase, transformando-se em vapor de elevada
temperatura e pressão; • Turbina (turbine): O vapor em alta temperatura e pressão é injetado na
turbina propriamente dita. Trata-se de uma câmara hermética cujo interior é formado por
diversos conjuntos de lâminas (blades, buckets) de tamanhos e perfis variados, rigidamente
acopladas ao rotor ou ao estator da turbina. O vapor se expande no interior da turbina,
transferindo energia para o rotor seja por impulso ou por reação. Ao se e xpandir, a temperatura
e a pressão do fluído de trabalho são reduzidas até que o resultante seja expelido para o
condensador. A quantidade de vapor que é injetada na turbina está relacionada à
velocidade/potência do rotor, que é acoplado ao eixo de uma máquina síncrona atuando como
gerador. • Condensador (condenser): o fluído de trabalho ao sair da turbina deve ser condensado
(transformação de fase gasosa para líquida) para que seja mais facilmente bombeado de volta
para a caldeira.

• Bomba (pump): o condensado deve ser bombeado da saída do condensador onde


encontra-se em baixa pressão para a caldeira, onde encontra-se sob
(ITIZO JURANDIR, maquinas térmicas: turbinas à vapor)
CONCLUSÃO

A utilização de caldeiras na indústria é ainda muito grande, logo, torna-se necessário conhecer
seus principais componentes e realizar manutenções periódicas, visto que se trata de um
equipamento de alta periculosidade.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

POZZEBOM, Rafaela; Como funciona a energia a vapor? OFICINA DA NET. 17, ago.
2015. Disponível em: https://www.oficinadanet.com.br/post/14633-como-funciona-a-energia-
a-vapor > Acesso em: 16 jun. 2019.
SILVA, Domiciano; O calor também é energia. MUNDO EDUCAÇÃO. Disponível em:
https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/o-calor-tambem-energia.htm> Acesso em: 16
jun. 2019.
RIBEIRO, Rafael; Caldeiras Vídeo 02 noções básica. YOUTUBE, CANAL DOUTOR
CALDEIRAS. 27, jan. 2017. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=vOT2wd0XtaY >Acesso em: 16 jun. 2019.
TROVATI, Joubert; Tratamento de águas para geração de vapor: Caldeiras. SNATURAL
MEIO AMBIENTE. Disponível em: http://www.snatural.com.br/PDF_arquivos/Torre-
Caldeira-Tratamento-Agua-Caldeira.pdf > Acesso em 16 jun. 2019.
ABREU, Augusto; Caldeira. PORTAL SÃO FRANCISCO. Disponível em:
<https://www.portalsaofrancisco.com.br/quimica/caldeira>. Acesso em: 16 jun. 2019.
DOTTA, Daniel; Turbinas térmicas a vapor. DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE
ENERGIA ELETRICA – UNICAMP. Abril, 2016. Disponível em:
http://www.dsee.fee.unicamp.br/~dotta/it003/Aula6.pdf > Acesso em: 09 jun. 2019.