Você está na página 1de 53

ELETROTERAPIA

NOS TRATAMENTOS ESTÉTICOS


CORRENTE ELÉTRICA

Intensidade
A

Voltagem V

Resistência Ω
CORRENTE ELÉTRICA

Potência W

Frequência Hz

>f > nº ciclos


< largura de > Estimulo
pulsos. elétrico
Diminuição da >profundid
resistência da ade da
pele corrente
TIPOS DE CORRENTES:
CONTÍNUA
➔ Fluxo de partículas é contínuo, ininterrupto e unidirecional.
CORRENTE ALTERNADA
➔ Fluxo de partículas bidirecional, ininterrupto e contínuo;
➔ Ocorre a Reversão de Polaridade
CORRENTE PULSADA

➔ Fluxo de partículas bidirecional ou unidirecional mas interrompido por


um período finito.
CLASSIFICAÇÃO DAS CORRENTES EM
RELAÇÃO À FREQUÊNCIA

Tens
Galvânica
Baixa 1 a 1000Hz Microcorrentes
Frequência

Interferencial (2000
Média 1000 Hz a a 4000 Hz
Frequência 10000 Hz Russa (2500 Hz)

Ondas Curtas
Alta acima de (27Mhz)
Frequência 30000 Hz Micro ondas
(2450Mhz)
EFEITOS FISIOLÓGICOS DA
CORRENTE ELÉTRICA
Impede a secreção da
Vasodilatadora noradrenalina-
vasodilatação passiva

Aumento da
Ionizante permeabilidade celular e
eletrólise

Contração
Excitomotora Muscular
CORRENTE RUSSA

Somente produzem fortalecimento, tônus e aumento de volume


muscular os impulsos enviados da seguinte forma:
Corrente Russa e Aussie:

Modulada: 1000 - 2000 -


2500Hz Corrente de
Média Frequência
Aussie – Australiana
Modulada a 4000Hz
• F até 10 Hz = aquecimento e
finalização do fortalecimento
• F de 30 a 40 Hz =
fibras vermelhas
• F acima de 60 Hz = fibras brancas
• Contração voluntária Fase de estimulação ou de
contração (0N-OFF)
Fase de repouso ou pausa

Vascularização capilar é
• Durante a contração interrompida que, se persistir, leva
a isquemia.

• Durante o repouso Retorno do fluxo e incremento do


metabolismo (O2 , proteínas e
enzimas)

• Fases de subida (progressão)


e de descida (regressão) Tornam menos incômoda a
estimulação
Modo de Contração

• Modo Síncrono: canais ligados ao mesmo tempo.

• Modo Sequencial: Drenagem Linfática, canais programados na


sequência (proximal para distal).

• Modo Contínuo: Analgesia. Sensação de leve formigamento.

• Recíproco: Canais alternados: 1 e 3 depois, 2 e 4.


Etapas de trabalho

• Sedentários:
On, Rise e Decay – 3s
Off – 9s

• Intermediários:
On, Rise e Decay – 3s
Off – 6s

• Treinados:
On, Rise e Decay – 3s
Off – 3s
Contraindicações

• Grávida • Epilepsia

• Cardiopatas • Varizes -Tromboflebites

• Marcapasso • Alterações de sensibilidade e


cognitivas
• Tumor – neoplasias
• Implantes metálicos
• Infecção
CORRENTE GALVÂNICA

• EFEITOS POLARES – produzidos nos eletrodos


(natureza destrutiva -eletrólise)

• EFEITOS INTERPOLARES – mobilização iônica com intensa hiperemia


Iontoforese
• Princípio ativo polarizado
• Micromolécula
• Uma via de penetração
• Corrente elétrica com efeito eletrolítico
• Não lipossomado
EFEITOS POLARES

PÓLO + VERMELHO PÓLO - PRETO

• Reação ácida (HCl) Ácido • Reação alcalina (OHNa)


clorídrico(4Cl+2H2O = 4ClH+O2) • Hidróxido de sódio – queimadura alcalina,
queimadura ácida – seca, dura, aderente à úmida, mole e não aderente à pele nem
pele. mucosas.
• Fluidifica os tecidos
• Desidrata os tecidos • Hidrata os tecidos
• Endurece os tecidos • Amolece os tecidos
• Provoca abaulamento tecidual
• Bactericida • cateletrotonus–incremento da
excitabilidade elétrica .
• Provoca depressão tecidual

• aneletrotonus–redução ou supressão
da excitabilidade elétrica.
Ionização

Associa-se a corrente
polarizada à
dermocosméticos que
tenham ativos com carga
iônica.
Pólos (=) repelem-se;
Pólos opostos atraem-se.
Mecanismos de passagem das
substâncias na pele
Duas vias de ação
• 1.Transcelular
• 2.Intercelular
SUBSTÂNCIAS IONIZÁVEIS

Solução Iontoforética Polaridade Indicação

Àcido hialurónico hexosamina 0,2% Negativo Flacidez cutânea


Aminoácidos Positivo Ação sobre os fibroblastos

Benzedamina CIH Positivo Antiinflamatório/ celulite

Citrato de potássio 2% Negativo Antiinflamatório


Cloreto de sódio Negativo Hidratação/peles envelhecidas

Endometacina C Negativo Celulite


Extrato de Hamamélis Positivo Adstringente/ anti-séptica

Extrato de hera Positivo Anti-edematoso/ celulite


Fosfatase alcalina Negativo Envelhecimento cutâneo e respiração
celular
Hialuronidase Positivo Anti-edematoso/ celulite
Óxido de Zinco Positivo Cicatrizante
Thiomucase Negativo Anti-celulítico/ despolimerizante

Selênio Positivo Antioxidante


Centela asiática Negativo Reorganizador do colágeno

Salicilato de Sódio 1 a 3 % Positivo Descongestionante e antiinflamatório

Cloreto de Sódio 2% Positivo fibrinolítico


DESENCRUSTE

Saponização ★ Ponteira gancho com algodão embebido na solução (a


base de carbonato de sódio). Placa de alumínio e
esponja vegetal posicionado abaixo da região do ombro.

Reação eletroquímica
junção de substância
alcalina com sebo

Eletrólise
CORRENTE MICROGALVÂNICA

• São correntes polares (monofásicas) constantes ou pulsadas cuja


intensidade está limitada à microamperagem.

• As correntes monofásicas, apresentam efeito galvânico, portanto


deve-se respeitar a polaridade da corrente.
MICROGALVANOPUNTURA

ELETROLIFTING

Apresenta dois eletrodos:


• um passivo tipo placa (positivo)
• um ativo do tipo fina agulha
sustentada por uma caneta
(negativo).
TÉCNICA DE APLICAÇÃO

➔ Antissepsia local com clorexidina a 0,2%;


➔ Rugas: aplicar a agulha em uma inclinação a 30º a nível epiderme;
➔ Intensidade : 70 a 100 µA;
➔ Aplicação: Eletrodos canetas acoplados a agulhas na direção das
estrias;
➔ Estrias: Técnica de Chevron.
Corrente de baixa intensidade (μA) corrente contínua, monofásica ou
Microcorrente.

• Aumento do nº de fibroblastos jovens.


• Neovascularização.
• Retorno da sensibilidade dolorosa após algumas sessões.
Rugas, sulcos e linhas de expressão
CONTRAINDICAÇÕES:

➔ Próteses metálicas;
➔ Marca-passo;
➔ Aparelhos auditivos;
➔ Pessoas com cardiopatias;
➔ Infecção ativa;
➔ Feridas e úlceras;
➔ Epilepsia;
➔ Alergia ao princípio ativo administrado;
➔ Alteração de sensibilidade na área de aplicação e problemas circulatórios.
CARACTERÍSTICAS

Baseado no princípio da eletromedicina (ARNDT et al 1982), as correntes de


baixa intensidade quando aplicadas a um corpo, aumentam a atividade
celular.
Carlucci 2004 - Estudo de revisão aponta um aumento considerável das
concentrações de ATP utilizando doses de 100 a 500 µA

Correntes de Baixa Microcorrentes e


Intensidade galvânica
MICROCORRENTES

Comumente chamada por Mens (Microcurrent eletrical neuro muscular


stimulation ou Bioestimulção).

Corrente contínua ou alternada, de baixa intensidade (micro-amperes).


MICROCORRENTES

Efeitos Fisiológicos Efeitos Terapêuticos


• Síntese de ATP (trifosfato de • Analgesia
adenosina) • Aceleração do processo de reparação
• Transporte ativo de aminoácidos tecidual
• Síntese de proteínas • Reparação de fraturas/aumento da
• Ação do Sistema Linfático osteogênese
• Anti-inflamatório
• Bactericida
• Edema/inchação
• Relaxamento muscular
MICROCORRENTES

Indicações:
• “Fadiga" muscular (eliminação de metabólitos celulares, relaxamento
muscular, restabelecimento da bioeletricidade tecidual);
• FEG (antiedematoso);
• Pós-peeling, Pós laser, Pós operatório - (cicatrizante, antinflamatório,
restabelecimento da bioeletricidade tecidual);
• Iontoforese (efeito polar);
• Úlceras de decúbito;
• Recuperação de queimaduras.
MICROCORRENTES
Indicações:
• Acne (anti-inflamatório, cicatrizante, bactericida e anti-edematoso);

• Involução cutânea (aumento do número de fibroblastos e


realinhamento das fibras colágenas, potencializa a circulação linfática
diminuindo edema);

• Estrias (rearranjo das fibras colágenas).


MICROCORRENTES

Contraindicações:

• Alergia ou irritação à corrente elétrica;


• Sobre útero grávido;
• Eixo cardíaco;
• Eixo de marca-passo;
• Região com toxina botulínica.
Transmissão da Microcorrente
MICROCORRENTES
Normalização: 1Hz / 500µA

• Processo Inflamatório

• Edema

• Pele desvitalizada

• Úlceras

• Queloides

• Pós operatório imediato

• Reparação tecidual

• Cicatrização
MICROCORRENTES

Nutrição Celular : 100Hz / 100µA

• Aumento da irrigação sanguínea

• Aumento de oxigenação

• Melhora da elasticidade da pele


MICROCORRENTES - DOSES

Bioestimulação / Sustentação: 1Hz/50A

• Estímulo aos fibroblastos, reorganização das fibras de


colágeno e fibras elásticas

• Lifting

• Melhora da elasticidade

• Fibras colágenas

• Reparação com tecido de granulação


Dosimetria: placas de silicone-carbono

• Em 1982, Cheng et al., correntes acima de 1000 μA,


inibem a síntese de proteínas.
• Entre 50 μA a 1000 μA, aumentavam a concentração de
ATP e estimulavam a incorporação de aminoácidos
dentro da célula.
• Entre 100 μA a 750 μA mantinha retido o ácido
aminoisobutírico.
Recursos estéticos aplicados ao tratamento das queimaduras: revisão da literatura”,
publicado no Manual Therapy, Posturology & Rehabilitation Journal em 2014.
ELETROLIPÓLISE
ELETROLIPOFORESE
Atuam no nível dos
adipócitos produzindo
Microcorrentes 1 a 50 Hz sua destruição -
eliminação

Corrente elétrica
de baixa
intensidade e
amplitude
ELETROLIPÓLISE

1980- França Acupunturista

Efeito Lipolítico

Corrente de baixa
frequência
MECANISMO DE AÇÃO

Troca metabólica a Alteração do meio


partir de um campo intersticial
elétrico

Neuro-hormonal
EFEITOS NO ORGANISMO

Efeito Térmico/ Corrente elétrica Vasodilatação- estimula o


ao circular no metabolismo celular local
Joule condutor queima de calorias

Despolarização da
célula tende a manter normal
membrana celular-
Efeito Eletrolítico movimentação iônica - o seu potencial elétrico, e
alteração da polaridade da desta forma consome energia
membrana celular.

atua sobre as estimulam a lípase intra


Efeito Neuro cotecolaminas estas adipocitária promovendo
hormonal atuam no AMP cíclico a lipólise
através da adenilciclase
INDICAÇÕES

• Lipodistrofia Ginóide
• Gordura Localizada;
• Flacidez Tissular;
• Hidratação e Nutrição Celular.
CONTRAINDICAÇÕES

• Cardíacos e portadores de
Marcapasso;
• Pinos ou placas metálicas na área a
ser tratada;
• Gestantes;
• Renais crônicos;
• Neoplasias;
• Epilepsia;
• Dermatites.
TÉCNICA DE APLICAÇÃO

Técnica
Subcutânea

não obedece
planos
musculares ou
circulatórios, a
distribuição do
tecido celulítico e
gorduroso

espaço de 4 a evitar que no ato da


5cm de penetração a agulha
distância fique fletida
TÉCNICA DE APLICAÇÃO

Cabos de Jacaré
(alternando os
polos + - )

Intensidade
sensação de conforme o limiar
“formigamento” da sensibilidade
uma sessão do paciente
semanal
TÉCNICA DE APLICAÇÃO

Técnica Epicutânea
Tiras de
borrachas

distância de 4 a
5cm Gel
iônico

cabos através das 3x na semana


garras tipo jacaré
PARÂMETROS
5 a 50 Hz
25 Hz
circulação

Aplicação Intensidade 5 Hz nervos


Subcutânea 1mA simpáticos

10 a 150 Hz
Frequência músculos
Aplicação estriados
Intensidade
Subcutânea
Epicutânea 4mA 10 a 50 Hz os
nervos
motores

90 a 110 os
nervos
sensitivos
REFERÊNCIAS

Agne. J.E. Eletrotermofototerapia. 1 ed. Santa Maria,RS. 2013.


Borges. F.S. Dermato-Funcional: Modalidades Terapêuticas nas
disfunções estéticas. 2.ed. São Paulo: Phorte, 2010.
Grepi. H.C. Microcorrentes. Quimo Fisioterapeuta. 2.ed. São Paulo: Ed.
Aguia Dourada, 2014.
Guirro. EC et al. Fisioterapia dermato-funcional: fundamentos,
recursos, patologias. 3.ed.rev.e ampliada. Barueri,SP: Ed. Manole.
2004.
Kitchen. S et al. Eletroterapia: prática baseada em evidências.
2.ed.rev. Baurueri, SP: Ed. Manole. 2003.