Você está na página 1de 7

2012

ATIVIDADE IV

JOÃO GUALBERTO DA COSTA


RIBEIRO JÚNIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO
PIAUÍ

12/11/2012
JOÃO GUALBERTO DA COSTA RIBEIRO JÚNIOR

ATIVIDADE IV
O Iluminismo

Trabalho apresentado à cadeira de História da


Filosofia Moderna, do Curso de Filosofia, da
Universidade Federal do Piauí, como co-
requisito parcial avaliativo para obtenção de
nota, concernente à atividade IV.

Tutora: Prof.ª Talita Aralpe

Piracuruca

2012
HISTÓRIA DA FILOSOFIA MODERNA 2

QUESTÃO 01

Qual o sentido do projeto filosófico do liberalismo?

O projeto filosófico liberal apresentava essencialmente a necessidade de um novo


modelo teórico e social, que legitimasse o poder vigente na época e fornecesse suporte à
estrutura organizacional política.

Havia a necessidade premente de conciliar os direitos do indivíduo com as liberdades


advindas e adquiridas com a modernidade; a situação em que se encontrava o mundo
moderno necessitava de teóricos que estabelecessem um equilíbrio entre as várias idéias da
MÓDULO IV

sociedade moderna. Fazia-se premente a estipulação de um pensamento filosófico que


viesse ao encontro da nova ordem, de maneira a conciliar os interesses da vida comunitária
com o papel exercido pela sociedade na modernidade.
CURSO DE FILOSOFIA

QUESTÃO 02

Compare o liberalismo político com o subjetivismo epistemológico.

O liberalismo consiste em um modelo filosófico que defende ferozmente a liberdade


do indivíduo segundo aspectos como economia, política, religião, dentre outros.

O liberalismo político defendia a liberdade de expressão, de livre associação do


indivíduo contra as idéias institucionalizadas. O liberalismo político parte da premissa básica
de que os indivíduos possuem direitos essenciais e que são inerentes à própria natureza
humana, como o direito à vida, à felicidade e à liberdade.

O liberalismo teve como função primordial a imposição de limites ao poder estatal,


de maneira a atenuar a amplitude de seus poderes e funções. Certos princípios norteiam o
liberalismo político, como: os direitos dos cidadãos, o estabelecimento de governos que
respeitasse a liberdade de expressão da comunidade com igualdade de leis e direitos entre
todos os indivíduos.

No subjetivismo epistemológico, a atenção está voltada para aspectos inerentes ao

João Gualberto da Costa Ribeiro Júnior


Universidade Aberta do Piauí
Atividade IV
HISTÓRIA DA FILOSOFIA MODERNA 3

próprio indivíduo, mais precisamente, para o pensar, o agir, o raciocinar, etc. O subjetivismo
epistemológico permaneceu nos domínios do próprio ser, não causando transformações
significativas nos campos da ética e da política.

QUESTÃO 03

Qual a importância da noção de contrato social para as teorias políticas deste


período?
MÓDULO IV

O contrato social vem corroborar as idéias estabelecidas pelos iluministas. Nesta era,
havia uma premência de equilíbrio que se expandiu a todas as formas de pensamento
conhecido. Pregava-se a liberdade de expressão, igualdade, nobres ideais, liberdade
religiosa, dentre tantos outros.
CURSO DE FILOSOFIA

Na medida em que o contrato cosial representava uma espécie de “pacto” ou


“aliança” atingido pela unanimidade como fundamento básico e essencial. Esta noção
teórica pretendia restabelecer a ordem de equilíbrio natural perdida nas eras anteriores e
um tanto caotizada nos primórdios da modernidade, pelo período de transição.

O contrato versa sobre a renúncia do individual em prol do coletivo para, finalmente


retornar à concepção inicial de indivíduo, visto que este abdicaria o direito “natural” que lhe
é cabível e inerente em nome de um “todo social” representativo. Este todo representaria
em aspecto amplo, o próprio indivíduo.

Nestes termos, o contrato social torna-se mais um elemento criado pelos teóricos do
pensamento iluminista a fim de não apenas consolidar um pensamento, mas toda uma
época, o que de fato ocorreu.

QUESTÃO 04

Como se pode entender a relação entre natureza humana e vida social segundo
essas teorias políticas?

João Gualberto da Costa Ribeiro Júnior


Universidade Aberta do Piauí
Atividade IV
HISTÓRIA DA FILOSOFIA MODERNA 4

A natureza humana é tida aqui como a base dos direitos do indivíduo e suas
liberdades. No liberalismo observa-se a necessidade de conciliar estes direitos, os quais são
tratados como pertencentes e essenciais à natureza do homem, e a vida em sociedade, o
bem coletivo, para que assim possa haver equilíbrio no sistema de pensamento vigente.

O indivíduo aqui deve renunciar a certos direitos que lhe são próprios em favor da
comunidade em que está inserido, de modo a permitir a maior margem possível de
imparcialidade, bom senso, análise, crítica e juízo, a fim de não comprometer o bem estar
social através da arbitrariedade.

Havia uma generalização quanto às liberdades possuídas pelos indivíduos, embora


MÓDULO IV

estas fôssem limitadas por processos e teorias, construídas de modo a estruturar e legitimar
um sistema de pensamento, em que toda forma de excessos e abstrações alusivas eram
desestimuladas e refutadas, na mesma proporção em que se estimulava o equilíbrio, através
da criação de elementos como, por exemplo, o contrato social.
CURSO DE FILOSOFIA

QUESTÃO 05

O que significa “Iluminismo”? Qual o sentido e a importância desse movimento?

O iluminismo foi um movimento de caráter cultural, ocorrido no século XVIII e que


buscava através da razão produzir reformas na sociedade e nos campos referentes ao
conhecimento.

Os iluministas intencionavam reformular aspectos sociais utilizando-se do poder


estabelecido pelo uso de métodos racionais. Era formado em grande parte por intelectuais
que estimulavam a troca de saberes, o intercâmbio cultural em todas as formas de arte e
posicionava-se contra os abusos cometidos pelo poder do Estado e da Igreja.

O iluminismo fora um movimento demasiadamente importante à medida que


possibilitou inúmeras transformações, estimulando a sociedade a lutar contra os abusos
cometidos e impostos, bem como pelo justo equilíbrio pretendido pelos liberalistas.

O impacto exercido pelo iluminismo no mundo ocidental pode ser demonstrado pelas

João Gualberto da Costa Ribeiro Júnior


Universidade Aberta do Piauí
Atividade IV
HISTÓRIA DA FILOSOFIA MODERNA 5

mudanças de ordem política, social, econômica, religiosa, administrativa, dentre outras


áreas.

Os iluministas tiveram papel de fundamental importância na consolidação da


estrutura político-administrativa dos Estados europeus, bem como na redução dos abusos
que ocorriam dentro dos postos hierárquicos da Igreja. A sociedade civil foi positivamente
influenciada por estes ideais na proporção em que expandiam seus direitos.

O iluminismo deu origem a muitas outras correntes filosóficas sendo o liberalismo e o


socialismo, duas das principais. Também apresentou nítida relevância na Revolução
Francesa, na Revolução Dezembrista, Guerra dos Balcãs, assim como na confecção de cartas
MÓDULO IV

constitucionais pós-independência de alguns Estados europeus e norte-americanos.

As influências iluministas se fazem sentir até hoje na literatura, nas artes, na música,
e na produção do conhecimento científico.
CURSO DE FILOSOFIA

QUESTÃO 06

Para Rousseau, quais as causas da desigualdade social?

Rousseau vê na propriedade a causa das desigualdades sociais, em última análise.

Jean Jacques Rousseau parte do pressuposto do homem es estado de natureza para


chegar às desigualdades sociais. O homem, em estado natural é desprovido de
características sociais. Retrara um homem que caçava, pescava e às vezes se reunia com
outros homens, todavia sem nenhuma idéia de sociedade, de ambição ou maldade.

Através do princípio rousseauniano da perfectibilidade, isto é, a tendência natural do


homem é a evolução, foram sendo introduzidas modificações ao longo dos tempos onde os
indivíduos reuniram-se em sociedades, de início rudimentares e primitivas e,
posteriormente, civilizadas e organizadas.

Com o decorrer do tempo na sociedade, surgiu a noção de propriedade; aqui reside


para Rousseau o cerne das desigualdades. Os homens foram sendo categorizados em ricos e
pobres, governantes e governados, senhores e escravos, dentre tantas outras divisões. De

João Gualberto da Costa Ribeiro Júnior


Universidade Aberta do Piauí
Atividade IV
HISTÓRIA DA FILOSOFIA MODERNA 6

acordo com o filósofo, as desigualdades sociais se fazem perceber juntamente com a criação
das primeiras sociedades, desde as mais primitivas; com o aparecimento de estados
hierárquicos, de distinções, estereótipos e estigmas, as desigualdades emanaram do
acoplamento das diferenças estabelecidas nos meios sociais criados.

Para Rousseau, as desigualdades sociais confundem-se com o aparecimento do


próprio processo de civilização, onde o filósofo chegou a considerar a inexistência total e
prática, de um homem no estado natural.

-RmR*XDOEHUWRGD&RVWD
MÓDULO IV

5LEHLUR-~QLRU
&RQILUPRDDXWHQWLFLGDGH
DXWRUDOHWHVWHPXQKRD
ILGHOLGDGHHLQWHJULGDGH
GHVWHGRFXPHQWR
$FDGrPLFRGH)LORVRILD

CURSO DE FILOSOFIA

João Gualberto da Costa Ribeiro Júnior


Universidade Aberta do Piauí
Atividade IV

Você também pode gostar