Você está na página 1de 44

Linguagem fotográfica

www.melies.com.br
Básico da linguagem visual

As formas visuais podem: harmonizar ou contrastar, atrair ou repelir, estabelecer


relação ou entrar em conflito.

Estabilidade X Contraste

Equilíbrio X Tensão
Existe uma diferença de PESO no alto-baixo / esquerda-direita.

Toda composição que cria peso, cria tensão, e onde há tensão, existe uma
atração do olhar e a possibilidade de trabalhar um tipo de equilíbrio.

Expectativas e fortes locais de atração visual naturais:


Canto inferior esquerdo e metade inferior.

Conforto visual
Quanto maior a proximidade dos elementos de uma composição, maior a
atração e a ideia de agrupamento entre eles.

É NATURAL BUSCARMOS CONJUNTOS A PARTIR DE UNIDADES.

No alfabetismo visual, os olhos atraem os semelhantes e repelem os opostos.


Portanto, completamos as conexões que faltam, mas relacionamos, com força,
as unidades que se assemelham.
Ponto

Linha

Forma

Direção
Ponto

É referência. Tem um forte poder de atração visual.

Elemento mais simples que existe.

Na Natureza é uma formação comum do que os retilíneos.

Alguns pontos juntos diregem o olhar porque eles se conectam.

Pontos sobrepostos e unidos criam meios-tons.


Linha

União de vários pontos que criam uma sensação de direção.

Ponto em movimento.

Esboço, início de uma ideia.

Pode ser imprecisa, nítida, grosseira, ondulada – A


linha reflete a intenção do artista, seus
sentimentos e emoções.
Forma

A linha descreve uma forma.

Infinitude, calidez, Enfado, honestidade, Ação, conflito, tensão


proteção retidão, esmero.
Direção

Todas as formas básicas expressam três direções visuais básicas:

QUADRADO – Horizontal e vertical.


Relação do homem com o meio-ambiente, necessidade de estabilidade.

TRIÂNGULO – Diagonal.
Provocadora, se opõe à ideia de estabilidade.

CÍRCULO – Curva.
Abrangência, repetição e calidez.
Linguagem Fotográfica

Planos - corte, enquadramento


Foco - foco diferencial, desfoque, profundidade de campo
Movimento, Ritmo
Forma - contorno, espaço
Ângulo - posição da máquina
Cor - gradação de cinzas, as cores
Textura - impressão visual
Iluminação - sombras, luzes
Perspectiva – linhas
Equilíbrio e composição - balanço, arranjo visual dos elementos.
Regra dos terços
Miguel Rio Branco (1846)
Componentes visuais básicos

Espaço
Linha
Forma
Cor
Movimento
Ritmo

Um componente visual comunica estados de ânimo, emoções, ideias e, o mais


importante, marca uma estrutura visual em uma imagem.
Definir os componentes visuais abre a porta para entender a ESTRUTURA DA
NARRATIVA VISUAL, que pode ser guia na hora de criar PERSONAGENS, LUGARES,
OBJETOS, CORES, FIGURINO, ENQUADRAMENTO, POSIÇÃO DE CÂMERA,
ILUMINAÇÃO, MONTAGEM, MOVIMENTOS DOS PERSONAGENS, etc.
Espaço

Refere-se ao espaço exterior ou a dar a alguém algum espaço.

Os espaços visuais são 3:

• Espaço Físico em frente à câmera;


• Espaço tal como aparece na tela;
• Forma e tamanho espacial da tela em si mesma.
Espaço

Perspectiva
Só mudar as escalas, já traz uma dinâmica de perspectiva para a cena.
Espaço

Difusão texturial
A difusão texturial trata da mudança de escala de elementos semelhantes que se repetem,
como uma multidão, por exemplo, e em como a mudança de escala provoca texturas de
tamanhos e definições diferentes na tela, dando uma sensação forte de profundidade.

Difusão aérea
É a difusão criada pelas partículas do ar. O importante é ter objetos ou pessoas em cena, que
estejam em contraste com essas partículas, ou seja, que não sejam atingidas por elas,
resultando em uma imagem com pouca definição aonde tem uma densidade maior dessas
partículas contra uma imagem com maior nitidez.
Espaço

Cor
Existe uma tendência de percepção que cores mais quentes pareçam estar mais próximas da
tela do que as frias.

Linha do horizonte
Objetos/personagens mais próximos da linha do horizonte tendem a ser percebidos como
mais distantes do olhar do espectador, mesmo que eles tenham o mesmo tamanho de outro
elemento que esteja mais longe da LH.

Profundidade de campo
Recurso muito utilizado na fotografia, contrastar um plano do outro com desfoque traz uma
sensação maior de tridimensionalidade para a imagem.
Espaço

Composição na tela
As diversas
possibilidades de
explorar a composição
e “espaço” da tela.
Linha e Forma

Uma linha é um efeito perceptivo. Unicamente existe em nossa mente. Uma linha surge
quando a combinação de outro componentes visuais nos permite ve-la, pois nenhuma
das linhas que vemos é real. Toda forma aparenta estar construída em base de linhas.
Tom

O Tom faz referência ao brilho dos objetos em relação a escala de cinzas. Nao se refere
ao tom de uma cena (sarcástica, triste, etc.) ou ao tom do som (agudo, grave). O tom é
um fator muito importante na fotografia de cor e preto e branco.
Linhas

Além das direções sugeridas nas imagens anteriores, que criam linhas imaginárias no
quadro, podemos tratar das linhas em intersecções de objetos, móveis, esquinas, móveis,
cortinas... E quanto mais contraste, maior a percepção da linha.

Certos atributos emocionais são associados aos tipos de linha que são explorados na
tela. Como:

- A linha reta se associa a: objetivo, agressivo, honesto, industrial, contundente,


ordenado, forte, artificial, adulto ou rígido.

- A linha curva: indireto, passivo, próprio da natureza, infantil, romântico, suave,


orgânico, tranquilo e flexível.
Forma

Os três tipos básicos de forma são: círculo, quadrado e triângulo equilátero. (Bidi ou
tridi).
Uma forma só pode ser considerada básica se os seus lados ocultos puderem ser
imaginados corretamente, além de serem formas de muito fácil reconhecimento.
Forma

O círculo é a mais “amigável” de todas as formas, é fluído, não tem emcima, embaixo e
nem lado.

O quadrado é possui uma ideia de estabilidade e firmeza visual.

O triângulo é dinâmico porque contém linha diagonal, se assemelha a uma flecha,


sinaliza uma direção concreta.
Movimento

É o primeiro componente visual a atrair a


atenção. O movimento manifesta através dos
objetos, da própria câmera e nos olhos do
espectador quando observa a cena.

O Movimento pode dar uma noção de


profundidade à cena, quando, por exemplo um
personagem se move no primeiro plano e outro
no plano de fundo. Se a posição de ambos
provocar uma perspetiva, a ideia de
profundidade é dada pela composição e quem
está o PP parecerá se movimentar mais rápido
do que quem está no PF, mesmo que ambos se
movam na mesma velocidade.
Movimento de personagem
e movimento de câmera,
como o travelling, criam a
ilusão de profundidade na
Sensação de aceleração
tela. E a mesma sensação de
velocidade citada no slide
anterior se aplica ao
movimento da câmera.

Sensação de
desaceleração
Ritmo

Estamos mais familiarizados com o ritmo que ouvimos, mas também existe um ritmo
visual, que pode ser encontrado em objetos imóveis, em objetos em movimento e na
montagem.
Cada um destes componentes visuais pode ser analisado pelos termos de:
• Contraste: Diferença
• Afinidade: Similaridade

Quanto maior o Contraste em um componente visual, maior a


intensidade e o dinamismo visual.
Sendo o oposto para a Afinidade.

• Intensidade visual provoca mais intensidade emocional na reação do público e até


mesmo física / muscular.
Alexander Rodchenko (1891 – 1956)
Thomaz Farkas (1924 - 2011)
Referências

http://revistazum.com.br
http://www.mocp.org
http://www.saudek.com/
http://www.faunagaleria.com.br/artists/arnaldo_pappalardo.html
http://www.miguelriobranco.com.br

Dica de simpósio online atual: http://www.encontrofotoweb.com.br