Você está na página 1de 2

SUPERCONDUTORES

1. Supercondutores e suas propriedades

A supercondutividade, que é uma característica dos materiais supercondutores, é definida de


modo que quando os mesmos são resfriados ao valor da sua temperatura crítica (temperatura
em que acima dela a substância só existe na forma de gás), tendem a conduzir corrente elétrica
sem resistência e perdas.

Um material supercondutor cessa sua supercondutividade quando um campo magnético


externo maior que o campo magnético crítico, é aplicado. Isso ocorre porque a energia livre da
fase supercondutora aumenta quadraticamente com o campo magnético, enquanto a energia
livre da fase normal é independente do campo magnético.

2. Resistência zero (ausência de dissipação de energia)

A resistência é medida segundo a Lei de Ohm, onde R=V.I, sendo R a resistência, V a tensão e I
a corrente elétrica (fluido de elétrons). Se a tensão for igual a zero, a resistência (quando uma
corrente é estabelecida em um condutor, um número elevado de elétrons livres passa a se
deslocar nele. Nesse movimento, os elétrons colidem entre si e também contra os átomos que
constituem o metal do condutor. Portanto os elétrons encontram uma certa dificuldade para se
deslocar) também será, porém isso não impede o fluxo da corrente elétrica.

3. Efeito Meissner (diamagnetismo)

O Efeito Meissner é definido pela característica de um supercondutor de não permitir que


campos magnéticos o adentrem. Dessa forma, a corrente elétrica que circula pelo material gera
um campo magnético dentro do supercondutor que está em equilíbrio com o campo magnético
externo que deveria ter penetrado. Entretanto, para que isso ocorra, é necessário que o campo
magnético externo seja menor em relação ao interno. Caso contrário, o campo magnético
externo adentra o supercondutor fazendo com que perca sua supercondutividade. A
representação desse fenômeno é realizada pela levitação magnética.

Comumente, esse efeito é confundido com um tipo de diamagnetismo perfeito, que consiste na
repulsão de materiais quando na presença de campos magnéticos fortes. Isso ocorre baseado
na Lei de Lenz, que define que um circuito submetido a um campo magnético externo, cria um
campo magnético oposto ao mesmo, assim ocorre a repulsão. Já no caso do Efeito Meissner, a
repulsão é espontânea.

4. Tipos de supercondutores (exemplos)

Segundo a teoria de Ginzburg-Landau, existem dois tipos de supercondutores:

a) Supercondutores de baixa temperatura: apresentam sua temperatura crítica abaixo de


77 K.
b) Supercondutores de alta temperatura: apresentam sua temperatura crítica acima de 77
K.

De acordo com a dependência do supercondutor em relação ao campo magnético externo,


podem classificá-los em:

a) Tipo I: Ocorre a perda da supercondutividade quando a força do campo magnético


ultrapassa um valor crítico Hc (Campo magnético crítico. Valor no qual o material volta
a seu estado normal) do material.
Ex: Hg, Al, Pb
b) Tipo II: Ocorre a perda a supercondutividade quando o campo magnético externo é
aumentado até um valor crítico Hc1, que leva o material a um estado em que uma
quantidade crescente de fluxo magnético penetra no material, mas sem apresentar
resistência, atingindo um valor crítico Hc2.
Ex: LaBaCuO, TIBaCuO