Você está na página 1de 3

ESTADO DA ARTE DA PESQUISA EM POLÍTICAS PÚBLICAS

Celina Souza

Introdução
O ressurgimento da importância da área do conhecimento denominada políticas
públicas deve-se em função de vários fatores. Em primeiro lugar das políticas restritivas
de gastos, que passaram a ser adotadas em grande parte dos países Latino Americanos;
em segundo a substituição do modelo Keynesiano por políticas com ênfase no ajuste
fiscal, buscando o equilíbrio orçamentário entre receita e despesas; e o terceiro fator
possui maior relação com os países em desenvolvimento, que ainda não conseguiram
desenvolver políticas capazes de promover um desenvolvimento econômico e promover
a inclusão social.
Como e por que surgiu as políticas públicas?
Nos EUA a área das políticas públicas nasce com o intuito de estudar a ação dos
governos, já na Europa ela surge como desdobramento das teorias que buscavam explicar
o papel do estado.
Os pais fundadores das políticas publicas
Os principais fundadores da área tinham como objetivo principal trazer para o
mundo acadêmico as produções empíricas do governo e estabelecer um diálogo entre
cientistas governo e grupos de interesse. São eles:
 Laswell (1936) - busca conciliar o conhecimento científico com a produção
empírica dos governos e também estabelecer o diálogo entre cientistas sociais,
grupos de interesse e governo.
 Simon (1957) - paraele a racionalidade das tomadas de decisão públicas é limitada
por diversos problemas (informação incompleta, tempo para a tomada de decisão,
interesses particulares etc). Mas, poderia ser maximizada pela criação de
estruturas (conjunto de regras e incentivos) que enquadre e molde o
comportamento dos atores na direção dos resultados visados.
 Lindblom (1959) - questionou a ênfase no racionalismo e argumenta a
necessidade incorporar outros elementos a formulação/análise de políticas
públicas além das questões de racionalidade, como por exemplo o papel das
eleições, relações de poder etc.
 Easton (1965) – define as políticas publicas como um sistema ou uma teia, que
recebe influência de diversos setores e as decisões se inter-relacionam.
O que são políticas públicas
Feito estas considerações, cabe-nos dizer que as políticas públicas possuem
diversas definições, sendo a de Laswell a mais conhecida, que em síntese seria buscar
respostas para quem ganha, o que ganha, por quê e que diferença faz.
Grande parte das definições de políticas públicas enfatizam o papel da mesma na
solução de problemas, os críticos argumentam que estas definições não são abrangentes
uma vez que ao terem como foco o papel do governo, essas “deixam de lado o seu aspecto
conflituoso e os limites que cercam as decisões dos governos. Deixam também de fora
possibilidades de cooperação entre os governos e outras instituições e grupos sociais. ”.
Cabe ressaltasse que as diferentes definições de políticas públicas tendem a assumir uma
visão holística, entendendo que o todo é mais importante.
Além disso, por ser um campo multidisciplinar (inicialmente tida com uma
subárea das ciências políticas, hoje é integradas por diversas áreas do conhecimento,
como a sociologia, economia etc.), a política pública pode ser entendida como o campo
do conhecimento que intenta "colocar o governo em ação" e (ou) analisar essa ação além
de propor mudanças e entender por que e como estas ações tomam um certo caminho. Em
síntese, o desenvolvimento de políticas públicas se dá por meio da tradução que os
governos fazem de suas ações que produziram efeitos (desejados) no mundo real.
Políticas sociais
As políticas sociais possuem sua origem na Europa. Suas primeiras pesquisas
discutiam o Estado de Bem-Estar social. Ao contrato da pesquisa em política públicas, as
pesquisas em política social não estão preocupadas no processo de desenvolvimento da
política, ela tem como finalidade entender as consequências do desenvolvimento de uma
política.
O papel dos governos
O Estado possui uma autonomia relativa. É sabido que existem diversos fatores,
como organizações sociais, interesses privados, entre outros, que podem limitar a ação do
Estado. Contudo, alguns teóricos argumentam que apesar de tornarem a governabilidade
mais complexa, eles não conseguem, de fato, inibir a ação do governo.
Modelos de formulação e analise de políticas públicas
Alguns modelos explicativos foram desenvolvidos com o intuito de obter uma melhor
compreensão das ações do governo, sendo os principais: o tipo da política pública,
incrementalismo, o ciclo da política pública, o modelo garbage can, coalizão de defesa,
arenas sociais, equilíbrio interrompido, a influência do novo gerencialismo público e
fiscal.
De todos estes modelos podemos extrair e sintetizas os pontos principais da política
pública:
 Distinção entre o que o governo pretende fazer e o que, de fato, faz.
 Envolvimento de vários níveis governamentais e sociais e não necessariamente
se restringe a participantes formais, já que os informais são também importantes.
 É abrangente, não se limita a leis e regras.
 É uma ação intencional, com objetivos a serem alcançados.
 Embora tenha impactos no curto prazo, é uma política de longo prazo.
 Envolve processos subsequentes após sua decisão e proposição, ou seja, ela
implica também em implementação, execução e avaliação.
O papel das instituições na decisão e formulação de políticas públicas
O neo-institucionalismo, que enfatiza a importância crucial das instituições para
a decisão, formulação e implementação de políticas públicas tem sido um grande
influenciador no debate das políticas públicas. Suas contribuições são importantes não
apenas por enfatizar a relação entre agent e principal, mas por mostrar que a luta por
poder se encontra no certa da formulação de políticas. Essa luta é mediada por grupos
políticos, econômicos e interesses outros, e por meio deste embate e que decidirá qual
será o curso da política pública.
Ao adotar as teorias neo-institucionalistas para a análise de políticas públicas é
preciso ter em mente como e quando as mesmas devem ser utilizadas. Os procedimentos
metodológicos desta teoria são marcados pela simplicidade e pela parcimônia o que nem
sempre é aplicável em políticas públicas.

Você também pode gostar