Você está na página 1de 5

Divisão de Engenharia

CURSO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA


DISCIPLINA: ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO 2
PROGRAMA TEMÁTICO

OBJECTIVOS GERAIS:
1.-Desenvolver capacidades na resolução de problemas relativos ao cálculo de estruturas especiais de obras
de Betão Armado, a partir do conhecimento das suas características, seu campo de aplicação; do
conhecimento das diferentes Combinações de Ações a que são submetidas estas estruturas, assim como o
conhecimento do Método dos Estados Limites para calcular as Estruturas de Betão Armado, e as Teorias que
o fundamentam.
2.- Desenvolver capacidades relativas às funções do Engenheiro, durante as diferentes etapas do Projecto
de Estruturas de Betão Armado.
3.- Desenvolver uma Ética Profissional, a partir de uma estética de apresentação das peças escritas do
Projecto, e da aplicação das Técnicas de Representação nas peças desenhadas.

Objetivos Parciais Tema A. Teóricas A. Práticas


Desenvolver capacidades na resolução I.- Desenho e cálculo de cimentos.
de problemas relativos ao desenho e 1.1.- Generalidades. Fundações.
cálculo de sapatas para edifícios, a 1.1.1.-Fundações superficiais, e
partir dos dados obtidos acerca do fundações profundas.
comportamento do solo, e a 1.2.- Sapatas superficiais. Sapatas de
determinação das ações a considerar, fundação.
aplicando os critérios de projecto 1.2.1.-Tipos de sapatas. Sapata
estabelecidos, o método dos estados isolada, e sapata corrida.
limites, e as teorías apropriadas. Fazer 1.3.- Métodos de cálculo das sapatas
o esboço dos elementos indicando a superficiais.
distribuição das armaduras, de acordo 1.3.1.- Métodos clássicos. Tensão
com as normas do desenho técnico. Admissível.
1.4. - Determinação das ações.
1.5.-Criterios para projecto.
Dimensões mínimas.
1.5.1.- Dimensionamento de sapatas
quadradas, e retangulares.
1,6.- Comportamento estrutural.
1.6.1.-Classificacao quanto a rigidez.
1.6.2.-Sapatas rígidas, e sapatas
flexíveis.
1.6.3.-Distribuição das tensões no
solo.
1.7.- Dimensionamento de sapatas
isoladas com carga centrada.
1.7.1.-Sapatas com consolas iguais.
1.7.2.-Sapatas com consolas não
iguais nas duas direções.
1.8.- Momentos flectores em sapatas
isoladas com carga centrada.
1,9.- Cálculo de armaduras a flexão.
1.10. - Verificação ao esforço
transverso.
1.11.- Sapatas corridas para muros
de carga.

Desenvolver capacidades para a 2.-Elementos Auxiliares. Escadas.


resolução de problemas relativos ao 2.1.- Generalidades. Definições.
desenho e cálculo de escadas, a partir 2.1.1.-Elementos componentes da
de uma solução arquitetónica dada, escada.
seguindo as recomendações de 2.1.2.- Dimensões recomendadas.
desenho, e aplicando os métodos de Largura das escadas correntes.
cálculo apropriados, fundamentados 2.1.3.- Tipos de escadas.
na teoria dos estados limites. Fazer o 2.2.- Ações a considerar.
esboço do elemento indicando a 2.2.1.- Peso próprio e revestimento.
disposição das armaduras de acordo 2.2.2.- Peso do corre-maos.
com as normas do desenho técnico. 2.2.3.- Peso do murete ou parede.
2.2.4.-Acoes variáveis. (Ações de
uso).
2.3.- Escadas rectangulares.
2.3.1.-Escadas armadas
transversalmente.
2.3.2.- Escadas armadas
longitudinalmente.
2.3.3.- Escadas armadas em cruz.
2.4.- Escadas com lajes ortogonais
sem vigas inclinadas.
2.4.1.- Escadas em L.
2.4.2.- Escadas em U.
2.4.3.- Escadas em O.
Desenvolver capacidades para 3.-Estruturas de contenção de terras.
resolver problemas relativos ao Muros de suporte.
desenho e cálculo de muros de 3.1.- Generalidades. Tipologia.
suporte em betão armado, a partir 3.1.1.-Muro de suporte por
duma situação dada, aplicando os gravidade. Tipos.
métodos práticos para a determinação 3.1.2.- Muros de suporte em betão
do empurre do solo, e o armado ( Muros Flexíveis). Tipos.
predimensionamento do muro de
acordo com as recomendações 3.1.3.- Soluções estruturais
normativas, incluindo a comprobação alternativas.
da estabilidade exterior, e a 3.2.- Muros estruturais de perfil
comprobação da estabilidade interior, clássico sem contraforte.
aplicando os métodos de cálculo 3.3.- Ações a considerar.
apropriados fundamentados na teoria 3.3.1.-Empurre do solo.
dos estados limites. Fazer o esboço do 3.3.2.-Ação variável aplicada ao
elemento indicando a disposição das terreno.
armaduras de acordo com as normas 3.4.-Verificação da segurança.
de desenho técnico. 3.4.1.- Determinação das dimensões.
3.4.2.- Verificação da estabilidade do
conjunto.
3.4.2.1.- Verificação da segurança
contra o tombamento.
3.4.2.2.- Verificação da segurança
contra o deslizamento.
3.4.2.3.- Verificação da pressão do
solo de apoio.
3.5.- Cálculo dos Esforços
solicitantes.
3.5.1.- Parede.
3.5.2.- Sapata.
3.6.- Dimensionamento das
armaduras.

Desenvolver capacidades relativas ao 4.- Canais e obras subterrâneas.


desenho e cálculo de canais e 4.1.- Generalidades. Definição.
condutas de água em betão armado, a 4.1.1.- Materiais utilizados.
partir duma dada solução. Incluindo a 4.1.2.-Recomendacoes construtivas.
determinação das ações, o analise 4.2.-Classificação.
estrutural, e o cálculo das armaduras, 4.2.1.-Canais não transitáveis.
aplicando os métodos de cálculo 4.2.2.- Canais semi-transitáveis.
apropriados fundamentados na teoria 4.2.3.-Canais não transitáveis.
dos estados limites. 4.3.- Estruturas tipos.
Fazer o esboço do elemento, 4.3.1.- Canais prefabricados.
indicando a disposição das armaduras 4.3.2.- Canais fundidos “in situ”.
de acordo com as normas de desenho 4.4.- ações permanentes a
técnico. considerar.
4.4.1.- Pressão vertical do solo.
4.4.2.-Pressão horizontal do solo.
4.4.3.-Pressão de água.
4.5.- Ações variáveis a considerar.
4.5.1.- Ações variáveis normativas.
4.5.1.- Pressão vertical devido a uma
ação variável aplicada no terreno.
4.5.2.- Pressão horizontal devida a
uma ação variável aplicada no
terreno.
4.6.- Desenho e cálculo de conduta
de betão armado.
5.- Depósitos retangulares.
Desenvolver capacidades relativas ao 5.1.- Generalidades. Definição.
desenho e cálculo de depósitos 5.1.1.-Classificação dos depósitos.
rectangulares em betão armado, a 5..1.2.- Forma dos depósitos.
partir duma dada solução. Incluindo a 5.1.3.- Classificação de acordo com a
determinação das ações, o analise capacidade.
estrutural, e o cálculo das armaduras, 5.1.4.- Bordo livre, revestimento
aplicando os métodos de cálculo interior, boca de visita, e escada de
apropriados fundamentados na teoria acesso.
dos estados limites. 5.2.-Pre-dimensionamento.
Fazer o esboço do elemento, 5.2.1.-Espessura de paredes.
indicando a disposição das armaduras Recomendações de projeto para
de acordo com as normas de desenho depósitos rectangulares.
técnico. 5.3.- Materiais a utilizar.
5.4.-Fisura máxima permitida.
5.5.- Exigências.
5.5.1.- Funcionais.
5.5.2.- De segurança.
5.6.- Depósitos rectangulares.
5.6.1.-Depósitos armados em faixas
horizontais.
5.6.2.-Depósitos armados em faixas
verticais.
5.6.3.- Depósitos armados em duas
direções.
5.7.-Depósitos elevados.
5.7.1.- Determinação das ações.
5.7.2.- Cálculo das paredes, ao
estado limite último de flexão
simples.
5.7.2.- Comprovação ao estado
limite último de esforço transverso.
5.7.3.-Comprovação ao estado limite
último de tração simples.
5.7.3.- Comprovação ao estado
limite de fendilhacao.
5.8.- Depósitos apoiados.
5.8.1.- Determinação das ações.
5.8.2.- Cálculo das paredes, ao
estado limite último de flexão
simples.
5.8.2.- Comprovação ao estado
limite último de esforço transverso.
5.8.3.-Comprovação ao estado limite
último de tração simples.
5.8.3.- Comprovação ao estado
limite de fendilhacao.
5.9.- Depósitos enterrados.
5.9.1.- Deposito cheio. Determinação
das ações.
5.9.2.- Deposito vacio. Determinação
das ações.
5.9.3. - Cálculo das paredes, ao
estado limite último de flexão
simples.
5.9.4. - Comprovação ao estado
limite último de esforço transverso.
5.9.5. -Comprovação ao estado
limite último de tração simples.
5.9.6.- Comprovação ao estado
limite de fendilhacao

Professor:

Eng. Miguel Ballester Izquierdo

Você também pode gostar