Você está na página 1de 27

1.

OBJETIVO

Este documento identifica e avalia qualitativamente os agentes de risco existentes na SANVAL


COMÉRCIO E INDÚSTRIA LTDA., e é parte integrante do PPRA – Programa de Prevenção de
Riscos Ambientais – conforme o disposto na Norma Regulamentadora (NR) 9 da Portaria 3214/78
do Ministério do Trabalho.

2. METODOLOGIA

A metodologia utilizada foi baseada na proposta da American Industrial Hygiene Association -


AIHA, e seguiu os preceitos técnicos do item 9.3.3. da NR9.

3. RECONHECIMENTO DOS RISCOS

3.1. Caracterização Geral

SANVAL Comércio e Indústria Ltda.


Rua Nicolau Alayon, 441 – Interlagos
São Paulo – SP

Número de funcionários: 263


Grau de Risco (NR 4) : 03
Atividade: Fabricação de produtos farmacêuticos para uso humano

3.2. Caracterização por setores

3.2.1. Líquidos

Função NO de Atividades Principais


funcionários
Op. De máquinas 10 Preparação e operação de máquinas
Manipulador 02 Conferência das matérias primas, manipulação dos produtos,
operação e limpeza dos equipamentos

No local estão duas máquinas que são alimentadas com frascos para envase dos produtos
manipulados nos tachos de fabricação localizados nos mezaninos superior e inferior no local.

Há o fornecimento e uso de protetores auditivos tipo “concha” e de inserção, luvas de PVC,


máscaras semi faciais para manipulação dos produtos na fase de fabricação.

Ventilação artificial: ar condicionado no teto.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na ficha de avaliação em anexo.


3.2.2. Comprimidos

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De máquinas 08 Preparação e operação de máquinas
Manipulador 04 Recebimento e conferência das matérias primas,
manipulação dos produtos, limpeza de máquinas e
equipamentos
Encarregado 01 Supervisionar, controlar e coordenar o setor.

Neste setor estão localizadas as máquinas rotativas, misturador em V, amassadeira, compressoras e


estufas.

Há, na área de manipulação sistema de exaustão.

O reconhecimento e a avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em


anexo.

3.2.3. Drageamento

Função NO de Atividades principais


funcionários
Aux. drageamento 01 Auxiliar o supervisor nas tarefas do setor
Encarregado 01 Preparação das misturas, operação das
drageadeiras, coordenação do setor.

Neste setor estão localizadas duas drageadeiras e as mesmas possuem exaustão localizada.

Há o uso de protetores auriculares tipo concha, luvas em látex, semi mascara facial em silicone,
com cartuchos para vapores orgânicos e pré filtro tipo PFF 2 para aerodispersóides.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontra – se na Ficha de Avaliação em anexo

3.2.4. Cremes e Pomadas

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De máquinas 06 Preparação e operação de máquinas
Manipulador 01 Conferência e manipulação das matérias
primas, operação e limpeza de máquinas.
Supervisor de produção 01 Supervisão de todo o setor

No setor estão localizados a batedeira planetária, reator e bombem. O setor possui sistema de ar
condicionado localizado no teto.

Há o uso de protetor auricular tipo concha e de inserção, luvas em látex, respiradores semi faciais
em silicone com cartuchos para vapores orgânicos e pré filtros tipo PFF 2 para aerodispersóides.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.


3.2.5. Blistagem

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De máquinas 06 Preparação e operação das máquinas
Aux. de produção 08 Inspeção dos comprimidos
Supervisora 01 Supervisão geral do setor
Aux. supervisora 01 Auxiliar a supervisora

Neste local estão localizadas blistadeiras e paludos.

Há ventilação artificial vinda do teto

Há o uso de luvas em látex, protetor auricular de inserção e semi máscaras faciais descartáveis tipo
PFF 1.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.6. Embalagem I

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De máquinas 12 Preparação e operação das máquinas
Embaladora 35 Acondicionar os blister de comprimidos nos
cartuchos e estes em caixas
Op. Máquina JPJ 02 Operar máquina JPJ
Op. Recravadeira 01 Operar a máquina de recravação de frascos
Aux. produção 03 Aux. nas operações do setor
Inspetora 3 Inspecionar a qualidade dos cartuchos, blister e
caixas.
Encarregado 3 Coordenar os trabalhos do setor

Setor composto por encartuchadeiras, discos, recravadeiras.

Há o uso de óculos de segurança pelos funcionários que operam a recravadeira e de protetores


auriculares tipo inserção.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.


3.2.7. Embalagem II

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De máquinas 03 Preparação e operação de máquinas
Aux. de embalagem 30 Auxilio nas operações de embalagem do setor
Supervisor 01 Supervisão e coordenação geral do setor
Líder de linha 01 Revisa o produto e coordena o trabalho dos auxiliares

O setor é composto por empacotadeira, esteira de embalagem, mesa de etiquetagem, máquina


injekt.

Possui, o local, ventilação artificial proveniente de sistema de ventilação mecânica.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.8. Cozinha

Função NO de Atividades principais


funcionários
Aux. de cozinha 04
Copeira 01
Líder 01
Nutricionista 01

Há o uso de botas de PVC cano longo, aventais de PVC, luvas em malha de aço para operações com
equipamentos cortantes, luvas em látex.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.9. Controle Microbiológico

Função NO de Atividades principais


funcionários
Inspetor de qualidade 01 Controlar genericamente as análises, dosagem e
contagem de microorganismos
Analistas 04 Realização de análises e testes locais
Analistas de laboratório 05 Idem acima

Neste setor são realizados testes em que uma pequena quantidade de ácido nítrico e cloreto de
mercúrio são utilizados em capelas. O controle microbiologico é realizado dentro de fluxos
laminares, sendo realizada a troca de filtros a cada três meses.

Há sistema de ventilação artificial

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.


3.2.10. Controle Químico

Função NO de Atividades principais


funcionários
Analista 04 Analise das matérias primas
Inspetores 04 Inspeção nas linhas de manipulação
Auxiliar 01 Lavagem e esterilização de vidrarias

O setor é dividido fisicamente em laboratório físico – químico e instrumental. Quando da utilização


de reagentes químicos, a atividade é executada dentro de capelas.

Há o uso de aventais de PVC, óculos de segurança, semi mascaras faciais, em silicone, com
cartuchos combinados para vapores orgânicos e gases ácidos, máscaras semi faciais descartáveis
para vapores orgânicos tipo PFF 2, luvas em látex e nitrílicas.

Há também no local a presença de chuveiro de emergência e lava olhos.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.11. Manutenção

Função NO de Atividades principais


funcionários
Almoxarife 01 Arrumação e coordenação do almoxarifado de manut.
Eletricista 01 Reparo e manutenção das instalações elétricas
Mecânico 10 Manutenção das máquinas e equipamentos
Mecânico de embalagem 01 Idem com máquinas especificas de embalagem.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.12. Estoque

Função NO de Atividades principais


funcionários
Auxiliar de estoque 03 Transporte dos produtos acabados
Supervisor de estoque 02 Controle das fases de produção e estoque

No local são armazenados os produtos acabados e semi acabados e que depois são transportados por
meio de transpaleteiras manuais até os caminhões.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.


3.2.13. Almoxarifado de Matérias Primas e Pesagem

Função NO de Atividades principais


funcionários
Op. De pesagem 02 Pesagem das matérias primas à serem processadas na
fabricação
Aux. de controle 01 Controlar a entrega e analise das matérias primas
Encarregado 01 Acompanhar e controlar o desenvolvimento geral dos
trabalhos do setor.

O setor se destina à armazenagem das diversas matérias primas utilizadas na área fabril, bem como
ao fracionamento das mesmas em lotes de fabricação.

O transporte é feito por transpaleteiras manuais e por monta cargas.

Na área da pesagem, fracionamento em lotes de fabricação, há exaustão localizada, próximo às


balanças.

São utilizados respiradores semi faciais descartáveis, tipo PFF 2 para aerodispersóides e luvas
cirúrgicas.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.14. Almoxarifado de Material de Embalagem

Função NO de Atividades principais


funcionários
Encarregado 01 Supervisão geral do setor
Ajudantes 03 Realiza o transporte de materiais de embalagem para
abastecimento da produção por meio de transpaleteiras
manuais.

O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.

3.2.15. Gases Liqüefeitos de Petróleo / Produtos Inflamáveis

O armazenamento é feito em área externa. O reconhecimento e avaliação qualitativa dos riscos


encontram-se na Ficha de Avaliação em anexo.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE LÍQUIDOS

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos
1) Uso de protetores 1) Realização de
RUÍDO EM Db(A) Op. De máquina Danos auditivos, auditivos tipo avaliações
10 estresse, fadiga concha e de quantitativas
Wada = 90 inserção periódicas dos
Copinho = 90 LT = 85 dB(A) Manipulador 2) Uso de luvas de níveis de ruído.
Disco I = 87 02 PVC e cirúrgicas 2) Implantação do
Disco II = 91 3) Sistema de PCA – Programa de
Disco III = 90 ventilação e Conservação
Tampa = 88 exaustão no setor Auditiva
Disco IV = 90
Tacho III = 85

RISCO DE Quebra de frascos de Op. De máquina Cortes nas mãos e São utilizados luvas e Implementar
ACIDENTES vidro na alimentação NÃO HÁ 10 projeção de partículas óculos de proteção treinamento periódico
dos discos das contra impactos com quanto ao uso dos epi’s
envasadoras proteção lateral. no setor
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE LÍQUIDOS (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

AGENTES QUÍMICOS 1) Durante Manipulador Irritação das vias 1) Uso de proteção Realização de
Benzoato de Benzila, manipulação e 02 respiratórias, dores de respiratória para avaliações quantitativas
Corantes, Propileno, adição manual nos cabeça e outros aerodispersóides e periódicas no local
Álcool etílico, etc.. tanques de vapores
fabricação 2) Uso de luvas

Atenção constante, 1) Alimentação das Op. De máquinas Doenças ósseo- 1) Realização de


monotonia, esteiras e discos 10 musculares relacionadas Laudo ergonômico
repetitividade de das máquinas do ao trabalho, estresse,
movimentos setor. fadiga, etc.
2) Controle
operacional das
máquinas
3)
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE COMPRIMIDOS / estufas

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

EM dB (A) Manipulador Danos auditivos, 1) uso de protetores 1) realização de


RUÍDO 08 estresse, fadiga, etc. auriculares manutenção
LT = 85 dB (A) 2) uso de máscaras preventiva no
Rotativa = 87 Op. Máquina sistema de exaustão
Aspirador de pó = 90 08 2) Avaliações
periódicas dos
Encarregado níveis de ruído
01 3) Implantar o PCA –
Programa de
Conservação
Auditiva
4) Realização de
treinamentos
quanto ao uso dos
protetores
auriculares aos
funcionários
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE COMPRIMIDOS / estufas (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

EM Db ( A ) Op. De máquina Danos auditivos, 1) Uso de protetores 1) Realização de


RUÍDO 08 estresse, fadiga, etc. auriculares medições
Rotativa box 6 = 86 LT = 85 dB ( A ) 2) Uso de luvas periódicas dos
Rotativa box 7 = 83 Manipulador níveis de ruído
Compressoras = 86 04 2) Implantação do
Estufas = 83 PCA – Programa de
Conservação
Auditiva.

Op. De máquinas
AGENTES QUÍMICOS Matérias primas 08 1) Uso de proteção 1) Fazer o
utilizadas na DIVERSOS respiratória levantamento de
POEIRAS manipulação dos Manipulador 2) Uso de luvas todos os produtos
produtos 04 3) Uso de macacão e químicos utilizados
Tyvek na área
4) confeccionando a
FDS – Ficha de
Dados de
Segurança de cada
um deles
2) Elaborar
treinamento com os
funcionários quanto
à toxicidade dos
produtos
manipulados
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE COMPRIMIDOS / estufas (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

Risco de Acidentes Ausência de proteção Op. De máquina Ferimentos, cortes e 1) instalação de


nas correias dos 08 outros proteções
motores, proteção nas adequadas em
partes giratórias das partes móveis de
compressoras. máquinas e
equipamentos
2) Elaborar
cronograma para
manutenção
preventiva das
máquinas.
3) Treinamento aos
operadores e
criação de
procedimentos para
limpeza e operação
dos maquinários.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE COMPRIMIDOS / estufas (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos
Lombalgias, dores
ESFORÇO FÍSICO Movimentação da Manipulador musculares, contusões, 1) Realização de
coluna e tronco na 04 etc. treinamento
colocação das bandejas específico para
nos carrinhos, transporte e
alimentação das manuseio correto
compressoras e de cargas.
misturador em V. 2) Estudar meio mais
adequado de
alimentação dos
equipamentos,
principalmente o
misturador em V.
3)

RISCO DE INCÊNDIO Manipulação de etanol e Lesões na córnea, 1) Uso de proteção Realização periódica de
álcool Isopropílico na LT = 1480 mg/m3 irritação das vias respiratória avaliação quantitativa
manipulação e ACGIH = 1880mg/m3 respiratórias, danos ao 2) Existe exaustão no de vapores orgânicos
compressão SNC, embriagues, local de presentes no ambiente
coma, etc. manipulação de trabalho.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE DRAGEAMENTO

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RISCO QUÍMICO Manipulação e LT Aux. Drageamento Lesões na córnea, 1) utilização de 1) efetuar medições
Vapores de etanol e drageamento Port. 3214/78 01 dermatites, depreciação proteção periódicas a fim de
acetona, poeiras em 1480 mg/m3 do SNC, irritações no respiratória se estabelecer os
suspensão ACGIH Encarregado trato respiratório, coma, 2) Exaustão níveis de
1880 mg/m3 01 etc 3) Luvas cirúrgicas e contaminantes
nitrílicas. presentes no
ambiente.
2) Elaboração e
implantação do
PPR – Programa de
Proteção
Respiratória.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE DRAGEAMENTO (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

EM Db ( A ) Op. Máquina Os níveis de pressão


RUÍDO 06 Estresse, fadiga, etc. sonora encontrados no
Reator = 73 LT = 85 dB ( A ) ambiente de trabalho
Planetária = 74 Manipulador encontram-se abaixo do
Meteor = 76 01 LT.
Bombenm I = 73
Bomben II = 74 Supervisor Realizar manutenção
Revisão bisnaga = 74 01 preventiva
periodicamente.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE CREMES E POMADAS

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RUÍDO EM Db (A) Op. Máquina Os níveis de pressão


06 Estresse, fadiga, etc. sonora apurados no
Reator = 73 LT = 85 dB ( A ) setor se encontram
Planetária = 74 Manipulador abaixo do LT.
Meteor = 76 O1
Bombem I = 7 Manter manutenção
Bombem II = 74 Supervisor preventiva das
Revisão bisnagas = 74 01 máquinas e
equipamentos do setor.

AGENTES QUÍMICOS Durante a manipulação Manipulador 1) Uso de respiradores 1) Instalar exaustão


01 Diversos semi faciais em localizada.
POEIRAS silicone com 2) Tornar obrigatório
VAPORES Op. Máquina cartucho químico o uso de óculos de
06 conjugado com segurança tipo
filtros mecânicos. ampla visão.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE BLISTAGEM

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RUÍDO EM dB ( A ) Op. Máquinas Danos auditivos, 1) Uso de protetores 1) Realização de


LT = 85 dB (A) 06 estresse, fadiga, etc. auditivos tipo avaliações
Paludo = 79 Auxiliar concha e inserção quantitativas
Blistadeira = 83 08 2) Realização de periódicas.
Supervisor exames 2) Implantação do
01 audiométricos PCA – Programa de
Aux. supervisão periódicos. Conservação da
01 Audição.

Atenção constante, Controle das máquinas Op. Máquinas Estresse, fadiga, 1) Há atualmente 1) Execução de laudo
monotonia, repetição de e colocação das bulas 06 doenças ósseo revezamento nos ergonômico.
movimentos nas embalagens. Auxiliar musculares relacionadas postos de trabalho 2) Implantar pausas de
08 ao trabalho (DORT. 10 minutos para
Supervisor realização de
01 exercícios de
Aux. supervisor alongamento duas
01 vezes ao dia.

RISCOS Funcionários trabalham Op. Máquinas Lombalgias, dores 1) Há atualmente 1) Providenciar


ERGONÔMICOS em pé nas blistadeiras e 06 musculares, problemas revezamento nos bancadas e cadeiras
inspecionam Auxiliares na coluna postos de trabalho. ergonomicamente
comprimidos curvadas 08 corretas.
2) Efetuar paradas
para exercícios de
alongamento.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE BLISTAGEM(continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RISCOS QUÍMICOS Blistadeira ACGIH = 10mg/m3 Op. Máquina Problemas no trato 1) Uso de respirador 1) Implantação do
06 respiratório semi facial PPR – Programa de
Poeiras de materiais descartável tipo Proteção
particulados PFF 2 respiratória.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE EMBALAGEM

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RUÍDO EM Db ( A ) Op. Máquinas Danos auditivos, 1) Uso de protetores 1) Realizar medições


12 estresse, fadiga, etc. auditivos tipo quantitativas
Tvmotec = 79 Op. Máquina JPJ concha e inserção periódicas.
Disco I = 82 LT = 85 dB ( A ) 02 pelos funcionários 2) Estabelecer plano
Recravadeira = 85 Embaladoras do setor de manutenção
Encartuchadeira = 92 35 2) Realização de preventiva e
Becape I = 81 Aux. embalagem exames preditiva nas
Becape II = 83 30 audiométricos máquinas do setor
JPJ = 86 Recravadeira periódicos 3) Implantar o PCA –
Bercape = 87 01 Programa de
Omar = 72 Inspetor Conservação da
O3 Audição.

RISCO DE Quebra de frascos Op. Máquinas Cortes nas mãos e 1) Uso de óculos de 1) Implantar o uso de
ACIDENTES 09 projeção de partículas segurança contra luvas.
Embaladoras impactos com 2) Realizar análise das
35 proteção lateral. máquinas a fim de

Monotonia, atenção Colocação de blister e Embaladoras Estresse, fadiga, DORT, 1) há revezamento dos 1) Implantar ginástica
constante, movimentos cartuchos 35 funcionários nos para alongamento
repetitivos postos de trabalho pelo menos 2 vezes
ao dia.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE BLISTAGEM (continuação)

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RISCO 1) Funcionários Lombalgias, dores 1) Troca do mobiliário


ERGONÔMICO trabalhas com Aux. embalagem musculares, problemas Não há hoje existente por
mobiliário 30 de coluna, etc. outros
inadequado nos ergonomicamente
postos de trabalho. corretos.
2) Falta de espaço 2) Instituir pausas pelo
físico. menos 2 vezes ao
3) Ambiente com dia para prática de
deficiência de alongamento.
ventilação 3) Treinar os
4) Trabalho em pé. funcionários na
5) maneira correta de
se sentar e
movimentar cargas.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE COZINHA

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RUÏDO Coifa do fogão LT = 85 dB(A) Aux. Cozinha Manutenção preventiva


industrial = 78 dB (A) 04 nos motores do sistema
Copeira de exaustão.
01

Umidade Área de lavagem Aux. cozinha Dermatites, problemas 1) Uso de botas de PVC 1) Instalação de gradis
04 de pele, etc e de aventais no piso a fim de ter
um contato menos
com a água.

Risco de Acidentes Facas, manuseio de Aux. cozinha Cortes e queimaduras Uso de luvas e aventais 1) Treinamento
panelas e bandejas 04 periódico no
quentes. Copeira tocante à medidas
01 de segurança
relacionados à
atividades em
cozinhas
industriais.
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE CONTROLE MICROBIOLÓGICO

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

AGENTES 1) análises Analistas Processo realizado sob Manter procedimento


BIOLÓGICOS microbiológicas 05 fluxo laminas com troca hoje existente
2) doseamento de trimestral de filtros
Microorganismos antibióticos
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE MANUTENÇÃO

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

Ruído EM Db ( A ) Almoxarife Danos auditivos, 1) uso de protetores 1) Implantar PCA


LT = 85 dB ( A ) 01 estresse, fadiga auriculares
Serra = 100 Eletricista 2) Realização de
Policorte = 90 01 exames
Compressor = 81 Mecânico audiométricos
10 periódicos
Mec. Embalagem
01

AGENTES QUÍMICOS Durante manutenção Mecânico Dermatites, problemas Uso de cremes 1) Evitar contato
Graxas, óleos dos maquinários e 10 respiratórios e do SNC Uso de luvas prolongado com a
lubrificantes, querosene equipamentos Mec. Embalagem pele
01 2) Realizar palestras
quanto aos riscos
direcionados aos
mecânicos

1) Providenciar
RISCO DE Serra, ferramentas Mecânico Cortes, amputações, proteção adequada
ACIDENTES defeituosas, 10 fraturas, etc para a serra
Mec. Embalagem 2) Efetuar a troca das
01 ferramentas com
defeito
3) Proceder arrumação
e limpeza no setor
FICHA DE AVALIAÇÃO
SETOR DE ESTOQUE / ALMOXARIFADO / PESAGEM

Agente de Risco Fonte geradora/ Limites de Função / NO de Riscos de danos à Medidas de Recomendações
Meios de Tolerância funcionários saúde controle existentes
propagação expostos

RISCO Transporte de materiais Aux. estoque Lombalgias, problemas 1) Orientar aos


ERGONÔMICO Posturas incorretas 03 diversos na coluna, funcionários a
Supervisor acidentes maneira correta do
02 manuseio de
cargas.
2) Instalar proteção
para as mãos nas
transpaleteiras
manuais.

RISCO QUÍMICO Pesagem de matérias Op. De pesagem Diversos 1) Uso de respiradores 1) Implantação do
primas 02 semi faciais em PPR
Poeiras e outros silicone, providos 2) Higienização dos
materiais particulados de cartuchos respiradores.
químicos e pré 3) Medições
filtro mecânico quantitativas
2) Uso de luvas periódicas do
cirúrgicas e material em
nitrílicas suspensão.

RISCO DE Movimentação de sacas Aux. controle Lombalgias e Transporte feito por Treinamento sobre
ACIDENTES e barricas 01 problemas de coluna transpaleteiras manuais manuseio de cargas
e monta cargas
CRONOGRAMA - PRIORIDADES 2001 / 2002

AÇÕES A S O N D J F M A M J J grau
Avaliação periódica das concentrações de poeiras e Médio
vapores no setor de comprimidos e drageamento
X X
Elaboração e implantação do PCA X X X Médio

X X X Médio
Elaboração e implantação do PPR
À definir Alto
Cronograma de manutenções preventivas

Treinamento Proteção respiratória X X X x Médio


Treinamento Proteção auditiva X X X Médio
Treinamento sobre transporte e movimentação de Médio
cargas
X X X X
Implantação programa 5S X X X X Médio
Laudo ergonômico setor de embalagem X X X Médio
Realização de acompanhamentos médicos ref. Alto
PCMSO
X X
Adequação dos mobiliários dos diversos setores X X X X X X Médio
Avaliação quantitativa dos agentes químicos X X X X X X X Alta

Monitoramento das medidas corretivas X X X X X X


4. METODOLOGIA DAS AVALIAÇÕES

4.1. Ruído

As avaliações dos níveis de pressão sonora foram realizadas por medidor de nível de pressão sonora
e dosímetro de ruído calibrado antes e depois das avaliações.

As medidas foram tomadas o mais próximo possível da zona auditiva dos trabalhadores e foram
seguidas as recomendações dos anexos 1 e 2 da NR 15 da Portaria 3214/78, com o intuito de avaliar
os níveis de pressão sonora contínuo, intermitente e de impacto, respectivamente, os valores
encontrados foram comparados com os limites de tolerância dessa mesma Portaria.

4.2. Riscos Químicos

As avaliações da exposição à riscos químicos foram realizadas apenas qualitativamente, devendo a


avaliação quantitativa, ser realizada com métodos de coleta e análise do National Institute for
Occupational Safety and Health (NIOSH) ou outros métodos de igual valor, específicos para cada
tipo de substância química. Deverão ser seguidas as recomendações dos Anexos 11, 12 e 13 da NR
15 – Portaria 3214.

Os valores deverão ser comparados com os Limites de Tolerância da NR 15, ACGIH, NIOSH e
outros.

4.3. Riscos Ergonômicos

A avaliação dos riscos ergonômicos seguiram a NR 17 da Portaria 3214/78.

4.4. Riscos de Acidentes

A avaliação da exposição à riscos de acidentes seguiram o disposto nas NR’s 10, 11, 12, 13, 14, 16,
20, 26, dentre outras.

5. FATORES OBSERVADOS

a) Características dos processos de trabalho


b) EPI’s utilizados (CA/CRF, tipo e modelo do equipamento)
c) EPC’s existentes
d) Início, intervalo e término da jornada de trabalho
e) Tempo de exposição dos funcionários aos riscos
f) Avaliação qualitativa dos agentes químicos encontrados
g) Avaliação quantitativa dos níveis de pressão sonora encontrados.
6. MONITORAMENTO DAS MEDIDAS CORRETIVAS

O monitoramento da exposição dos funcionários e das medidas corretivas e de controle adotadas


serão realizadas conforme o cronograma acima.

A cada nova avaliação dos postos de trabalho será avaliada a eficácia das medidas anteriormente
adotadas, para que em caso de pouca ou nenhuma eficácia, sejam tomadas novas medidas.

Toda vez que novas máquinas, equipamentos ou métodos de trabalho forem acrescentados ao
ambiente de trabalho, deverá obrigatoriamente ser realizada nova avaliação do setor.

7. OBSERVAÇÕES FINAIS

As medidas aqui propostas deverão obrigatoriamente estarem vinculadas ao PCMSO a fim de que,
ao se descobrir o nexo causal de possíveis problemas ocupacionais, as medidas de proteção aos
funcionários sejam imediatamente revistas.

São Paulo, 30 de Julho de 2.001

Luiz Antonio Trevisan


Técnico de Segurança do Trabalho
Mtb 51/00680 - 2