Você está na página 1de 3

Contexto Histórico:

Nas últimas décadas, a cultura brasileira vivenciou um período de acentuado desenvolvimento tecnológico e

industrial;entretanto,neste período ocorreram diversas crises no campo político e social.

Os anos 60 (época do governo democrático-populista de J.k) foram repletos de uma verdadeira euforia
política e econômica , com amplos reflexos culturais: Bossa nova, Cinema novo, Teatro de Arena, as Vanguardas e a televisão.

Na década de 80 desenvolveram-se as manifestações literárias a partir de duas linhas principais: a permanência de autores e a
ruptura com valores tradicionais.

Características:

Mistura de tendências estéticas (ecletismo) União da arte erudita e da arte popular

Prosa histórica, social e urbana Poesia intimista, visual e marginal

Temas cotidianos e regionalistas Engajamento social e literatura marginal

Experimentalismo formal Técnicas inovadoras (recursos gráficos, montagens, colagens, etc.).


Formas reduzidas (minicontos, minicrônicas, etc.) Intertextualidade e metalinguagem

O concretismo foi realizado e idealizado pelos irmãos Haroldo e Augusto de Campos e por Décio Pignatari.

um tipo de poesia vanguardista, de caráter experimental, basicamente visual. Provavelmente da década de 1950 até os nossos dias;
Liderado por Décio Pignatari e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos.

Características:

Geometrização e visualização da linguagem;

Uso de materiais gráficos e visuais e transmitir a realidade das grandes cidades, com seus anúncio propagandísticos, outdoors e néon.
Desdobramentos:

Neoconcretismo, no Rio de Janeiro; Poema-processo; Poesia-práxis

Poema- processo: Uma outra variante do concretismo foi uma radicalização ainda maior-- o poema- processo-, criação de
Wlademir Dias Pino e Álvares de Sá, utilizando sobretudo signos visuais e dispensando o uso da palavra.

Características: Linguagem não verbal Espírito revolucionário e inovador Poema experimental e visual Uso de símbolos visuais

Poesia práxis: Em 1962, Mário Charmie lidera em grupo dissidente, contra o radicalismo dos “mais concretos” e instaura apoesia – práxis.

Poesia dinâmica, transformada pela interferência ou manipulação do leitor, ou seja, por sua prática (práxis)
periodicidade e repetição das palavras, cujo sentido e dicção mudam, conforme sua posição no texto. Em sua obra Lavra-
lavra faz uma espécie de manifesto: “as palavras não são corpos inertes, imobilizados a partir de quem as profere e as usa...”

Características: Produção de múltiplas interpretações

Rejeição ao formalismo e academicismo concretista Maior valorização do conteúdo em detrimento da

Forma Poesia Visual e Social

Poesia social: a poética da resistência : Seu principal mentor é o maranhense Ferreira Gullar, que,em 1964, rompe com a poesia Concreta
e retoma o verso discursivo e temas de interesse social (guerra fria, corrida atômica, neocapitalismo, terceiro
mundismo), buscando maior comunicação com o leitor e servir como testemunha de uma época.
Poesia Marginal: Poesia de produção alternativa, divulgada à margem da editoração oficial, porém ocupando seu espaço na literatura
poesia das ruas, do corpo a corpo dos poetas nas filas dos cinemas, dos teatros e outras; nos bares, nas praças, nos
institutos culturais, nas escolas, nas editoras, e até na sala de aula de alguns professores liberais.

Os poetas alternativos levaram a poesia para as ruas, democratizaram a arte, declamaram bem alto... Cartões,
camisas, o papel, a brochura, o xérox, o espaço, vozes ecoando nas praças, nos palcos, nas telas dos cinemas, nos
pátios, nos bares, nas calçadas.

Principais autores: Antônio Carlos Ferreira de Brito, conhecido como Cacaso (1944-1987) “Chacal” é o pseudônimo de Ricardo de Carvalho

Duarte, que junto à Cacaso destacou-se como poeta marginal na geração mimeógrafo.

Paulo Leminski Filho (1944-1989)

Da poesia marginas aos nossos dias atuais: Um novo perfil de poeta começou a surgir, deixando de ser um produtor cultural solitário;

O número de poetas é imenso; Tendências variadas: desde as influências modernistas de 22 ao Concretismo, ainda vivo e atuante;

1970-1980 - Características: experimentalismo, recuperação da oralidade, preocupação ideológica, irreverência e formalismo;


1990 até o momento atual - Segundo o crítico Manuel da Costa Pinto há uma preocupação teórica e metalinguística,
o rigor construtivo e a precisão léxica.

Entre os poetas da atualidade que se destacam: Carlito Azevedo, Nelson Ascher, Age de Carvalho,
Arnaldo Antunes, Glauco Mattoso, Fernando Paixão, Frederico Barbosa, Antônio Risério, Fabrício Carpinejar

Interesses relacionados