Você está na página 1de 5

Anexo 26 - Cartões que ajudam.

1. Assertividade (Cena 1)

Na cena que segue o menino está


dizendo para a menina o que ele está
sentindo, mas ele não está sendo agressivo
e nem está deixando de dizer o que pensa
e sente. Este comportamento é chamado de
ASSERTIVIDADE. Estamos sendo assertivos
quando conseguimos expressar o que senti-
mos ou pensamos de uma maneira correta,
sem agressões. Quando não escondemos
nossos sentimentos ou pensamentos bons ou
ruins, mas os expressamos com cuidado.
Olhando a cena de assertividade a
seguir conte uma história na qual você
tenha sido assertivo (a). Lembre-se que você
pode ter falado algo que não tenha gostado
ou que tenha gostado, mas o fez sem
agressões e não escondeu seu pensamento
ou sentimento, sentiu-se a vontade para
falar.

2. Cooperação / Ajuda (Cena 2)

Na cena a seguir o menino e a


menina estão juntos recolhendo alguns ob-
jetos que se espalharam quando o pote caiu
no chão. Não é importante saber quem der-
rubou o pote, mas o importante é que os
dois estão juntos juntando o que foi espar-
ramado. O nome deste comportamento é
COOPERAR ou AJUDAR alguém quando ele
necessita.
Sermos cooperativos é estarmos
dispostos a ajudar alguém quando esta
pessoa precisa. Podemos ajudar tanto
pessoas que não conhecemos como pessoas
da nossa família. Olhando a cena de
cooperação a seguir conte uma história na
qual você tenha sido cooperativo. Pode ser
com alguém que você não conhecia ou
algum familiar.

Copyright © Sinopsys Editora e Sistemas Ltda:


Baralho dos Comportamentos: efeito bumerangue.
Renato Maiato Caminha e Marina Gusmão Caminha
Anexo 26 - Cartões que ajudam.

3. Empatia (Cena 3)

Na cena que segue o menino está


compartilhando com a menina o seu lanche,
um pedaço de pão. O menino foi capaz de
perceber que a menina estava com fome,
mas estava sem lanche. Este comportamento
que faz com que sejamos capazes de nos
colocarmos no lugar do outro e de perceber
o que o outro está sentindo é chamado de
EMPATIA. Sermos empáticos é percebermos o
que é importante para as outras pessoas
além de nós mesmos. Olhando a cena de
empatia a seguir conte uma história na qual
você tenha sido empático. Pode ser com
alguém que você não conhecia ou algum
familiar.

4. Amizade (Cena 4)

Na cena que segue o menino e a


menina se mostram bons amigos, eles estão
abraçados, esta é uma das várias formas de
demonstrar o nosso carinho por pessoas que
gostamos. Este comportamento no qual
demonstramos carinho, compreensão, von-
tade de estar junto e de compartilhar bons
momentos, disposição de dar atenção
quando um amigo precisa e vontade de
receber atenção quando precisamos é
chamado de AMIZADE. Sermos amigos é
percebermos o que é importante para as
pessoas que gostamos e também é receber
delas coisas que são importantes para nós
como carinho, atenção e respeito. Olhando a
cena de amizade a seguir conte uma
história na qual você tenha demonstrado
amizade ou recebido sinais de amizade de
alguém.

Copyright © Sinopsys Editora e Sistemas Ltda:


Baralho dos Comportamentos: efeito bumerangue.
Renato Maiato Caminha e Marina Gusmão Caminha
Anexo 26 - Cartões que ajudam.

5. Elogiar (Cena 5)
Na cena a seguir a menina está
expressando sentimentos e pensamentos
bons, especificamente algumas qualidades
de seu amigo. Temos essa atitude quando
percebemos alguma qualidade ou compor-
tamento assertivo nas pessoas. Por exemplo,
quando alguém tira uma nota boa na escola
essa pessoa merece elogio de seu professor,
dos seus pais e de seus amigos. Essa capaci-
dade de expressar pensamentos e sentimen-
tos bons para as pessoas quando elas mere-
cem por terem se esforçado ou por terem
alcançado seus objetivos chamamos de
ELOGIO.
O elogio é uma forma de incenti-
vo para quem o recebe e uma forma de
expressar uma opinião carinhosa sobre
alguém. Olhando a cena da menina elo-
giando seu amigo conte uma história na
qual você tenha elogiado alguém.

6. Descobrir / Explorar (Cena 6)

Nessa cena o menino e a menina


estão tentando experienciar algo diferente,
um tipo de aventura. Eles estão indo a um
lugar desconhecido com o objetivo de ver o
que há de diferente por lá. Este comporta-
mento de vivermos coisas diferentes sem
que elas nos coloquem em perigo ou colo-
que em risco nosso bem estar nós chamamos
de EXPLORAR ou DESCOBRIR.
Permitirmos-nos explorar coisas
novas nos possibilita descobertas e
experiências surpreendentes. Às vezes
podem acontecer coisas muito boas e às
vezes nem tanto. Olhando a cena a seguir
na qual menino e menina estão explorando
um ambiente novo conte uma história na
qual você tenha vivido uma aventura como
essa.

Copyright © Sinopsys Editora e Sistemas Ltda:


Baralho dos Comportamentos: efeito bumerangue.
Renato Maiato Caminha e Marina Gusmão Caminha
Anexo 26 - Cartões que ajudam.

7. Aprender (Cena 7)

Na cena a seguir o menino e a


menina estão bastante interessados no con-
teúdo do livro que estão lendo juntos. A
leitura embora possa ser divertida requer
atenção para que possamos entender as
ideias que lá estão. Este comportamento de
ter atenção para entender algo novo nós
chamamos de APRENDER. Há várias manei-
ras de apreendermos algo. Pode ser ouvin-
do alguém falar, observando o comporta-
mento de alguém, lendo sozinho ou acom-
panhado. Algumas aprendizagens são mais
fáceis e outras mais difíceis e precisam de
tempo e dedicação. Olhando a cena de
aprendizagem a seguir conte uma história
na qual você tenha mostrado interesse em
aprender algo novo.

8. Autonomia (Cena 8)

Na cena a seguir o menino está se


despedindo da menina e está pronto para ir
à escola sozinho. Esse comportamento
demonstra que o menino consegue, mesmo
sem ter a presença de alguém, executar
tarefas, atividades, ir a lugares, falar com
pessoas e tomar decisões. Este comporta-
mento de não precisarmos, necessariamente
de alguém para fazermos algo chamamos
de AUTONOMIA. Ser autônomo significa
estarmos seguros para decidir o que é
melhor e o que é importante para nós em
vários momentos. Olhando a cena de au-
tonomia a seguir conte uma história na
qual você tenha demonstrado comporta-
mento semelhante.

Copyright © Sinopsys Editora e Sistemas Ltda:


Baralho dos Comportamentos: efeito bumerangue.
Renato Maiato Caminha e Marina Gusmão Caminha
Anexo 26 - Cartões que ajudam.

9. Persistência (Cena 9)

Nessa cena o menino está conse-


guindo andar de bicicleta. Era algo que ele
sempre quis e por isso, apesar de ter caído
algumas vezes, nunca desistiu. Andar de
bicicleta é uma atividade que requer treino,
paciência, vontade e um pouco de coragem
para vencer o medo de cair, é preciso
insistir, levantar para tentar de novo. Este
comportamento de não desistir, de tentar
novamente até conseguir aquilo que se
deseja chamamos de PERSISTÊNCIA. Ser per-
sistente significa estarmos dispostos a en-
frentar nossos limites e tentarmos nova-
mente até atingirmos nossos objetivos.
Olhando a cena a seguir conte uma história
na qual você tenha demonstrado comporta-
mento semelhante.

10. Respeito (Cena 10)

Na cena a seguir podemos perce-


ber que o menino e a menina torcem para
times diferentes, cada um está com a
camisa do seu time. Isso quer dizer que
embora eles tenham gostos diferentes,
pensem diferente em determinadas situ-
ações ou ainda, se vistam de maneira
diferente eles podem aceitar a escolha do
outro, mesmo que ela não seja necessaria-
mente, o que ambos preferem. Este compor-
tamento de aceitarmos as diferenças que o
outro demonstra nós chamamos de
RESPEITO. Ter respeito pelos outros signifi-
ca que conseguimos aceitar diferenças sem
sermos agressivos ou discriminarmos as
pessoas pelas suas preferências. Olhando a
cena a seguir conte uma história na qual
você tenha demonstrado respeito por
alguém com gosto diferente do seu.

Copyright © Sinopsys Editora e Sistemas Ltda:


Baralho dos Comportamentos: efeito bumerangue.
Renato Maiato Caminha e Marina Gusmão Caminha