Você está na página 1de 9

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014

11

O PRINCÍPIO DAS GAVETAS DE DIRICHLET

THE PRINCIPLE OF DIRICHLET DRAWERS

Juliano Ferreira de Lima¹; Marco Antonio Travassos¹; Vanessa de


Freitas Travello¹; Antonio Carlos Tamarozzi².

¹Aluno do curso de Lic. em Matemática da UFMS e bolsista do Programa de Educação


Tutorial/SESU – Matemática – UFMS - Campus de Três Lagoas;
²Professor Associado do curso de Lic. em Matemática da UFMS e tutor do Programa
de Educação Tutorial/SESU – Matemática – UFMS - Campus de Três Lagoas;
¹juliano.ferreira.info2@gmail.com; ²act.ufms@gmail.com;

RESUMO - O Princípio das gavetas de Dirichlet também conhecido


como O Princípio da Casa dos Pombos, pode ser apresentado tanto
como um resultado matemático, quanto como um método de prova.
Como um resultado matemático, o Princípio das gavetas de Dirichlet é
bastante simples e intuitivo e parece, à primeira vista, ser de pouca
aplicabilidade. Mas, quando usado como um método de prova, ele se
torna uma ferramenta extremamente poderosa na resolução de
problemas, como veremos no decorrer desse trabalho. O Princípio das
Gavetas de Dirichlet recebeu este nome depois que o matemático
alemão Dirichlet usou frequentemente este princípio em seu trabalho,
no século XIX.
Palavras-chave: Casa dos pombos; Função; Análise de dados;
Contagem e Conjuntos.

ABSTRACT - The Principle of the drawers of Dirichlet's Principle also


known as the House of Pigeons, can be presented both as a
mathematical result, and as a method of proof. As a mathematical
result, the Dirichlet drawer principle is quite simple and intuitive and
seems at first sight to be of little applicability. But when used as a
method of proof, it becomes an extremely powerful tool in solving
problems, as we shall see in the course of this work. The Principle of
Drawers Dirichlet is named after the German mathematician Dirichlet
often used this principle in his work, in the nineteenth century.
Keywords: House of pigeons; Function; Data Analysis; Sets and
Counting.

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
12
1 INTRODUÇÃO 2 METODOLOGIA
No presente trabalho apresentamos o O trabalho é resultado de uma
princípio da casa dos pombos, também pesquisa teórica, desenvolvida através de
conhecido como princípio das gavetas ou discussões do tema com o orientador e
princípio de Dirichlet. Este princípio apresentações de seminários. Teve início
matemático baseia-se na afirmação simples como parte das atividades do programa de
de que, se temos que distribuir pombos em educação tutorial (PET) – Matemática, sobre
gaiolas, então ao menos uma das estudos de métodos de contagem, dentro da
gaiolas conterá, no mínimo, dois pombos. área de Introdução à Combinatória e
Matematicamente falando, isto é equivalente Aritmética. O trabalho incluiu as etapas de
a dizer que se o número de elementos de um leitura e resoluções de exercícios e a seleção
conjunto finito for maior do que o número de atividades propostas com aplicações
de elementos de um outro conjunto , então interessantes para propor a estudantes do
uma função de em não pode ser injetiva. ensino médio. Como medida para o
O princípio de Dirichlet pode ser aplicado em despertar do interesse no tema, priorizamos
muitos problemas formais, incluindo aqueles problemas com aplicações em situações
que envolvem um conjunto infinito. Ele é geométricas.
muito útil para resolver problemas que, pelo
menos à primeira vista, não são imediatos e 3 RESULTADOS
admite consequências surpreendentes, Suponha que um grupo de pombos
conforme mostram os exemplos que voe para dentro de casas para
apresentamos neste trabalho. A sua empoleirarem-se. Visto que há pombos e
aplicação exige identificar, na situação dada, casas, pelo menos uma dessas casas
quem faz o papel dos pombos e quem faz o deverão ter no mínimo dois pombos. O
papel das gaiolas. funcionamento deste processo pode ser
O princípio de Dirichlet admite atestado com o seguinte argumento. Se cada
generalizações que também possui grande casa tiver no máximo um pombo, então no
espectro aplicativo. As demonstrações e máximo pombos estarão acomodados
aplicações podem ser apresentadas de sobrando um pombo. Por esta razão este
maneira simples, acessível e cativante aos principio de contagem matemática, recebeu
estudantes e constituem o objetivo deste o nome de “Princípio da casa dos pombos”.
trabalho. Vamos visualizar aplicações que
evidenciam esta abordagem como um

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
13
método importante de contagem Corolário. Uma função de um
matemática, que ultrapassa este senso conjunto ou mais elementos para um
comum de pombos e casas. conjunto com elementos não é injetiva.
O Princípio da Casa dos Pombos foi Demonstração. Suponhamos que para
utilizado publicamente, pela primeira vez, cada elemento , no contradomínio de
pelo matemático alemão G. Lejeune temos uma caixa que contém todos os
Dirichlet em 1834 com o nome de elementos do domínio de , tal que
Schubfachprinzip ("princípio das gavetas"). . Como o domínio contém ou
Em sua homenagem, portanto, ficou mais elementos e o contradomínio contém
conhecido como Princípio das Gavetas de apenas elementos, o princípio da casa dos
Dirichlet. pombos nos diz que uma das caixas contém
Teorema 1. (O Princípio de Dirichlet) dois ou mais elementos do domínio. Isso
Seja um número inteiro positivo. Se significa que não pode ser uma função
ou mais objetos são colocados dentro de injetora.
caixas, então há uma caixa que terá dois ou Exemplo 1. Quantos alunos deve
mais objetos. haver em uma sala para podermos afirmar
Demonstração. Vamos demonstrar o que pelo menos dois estudantes tenham a
princípio da casa dos pombos usando uma mesma nota em uma determinada prova, se
demonstração por absurdo. Suponha que a nota é graduada em um número inteiro de
nenhuma das caixas contenha mais de um a ?
objeto. Então, a contagem de no máximo um Solução: De 0 a 10 existem
objeto em cada uma das caixas, fornece um números possíveis. O princípio de Dirichlet
total de no máximo objetos, o que é uma mostra que entre estudantes há pelo
contradição, porque há pelo menos menos dois com a mesma nota.
objetos. O princípio da casa dos pombos
O princípio da casa dos pombos pode afirma que deverá haver pelo menos dois
ser utilizado para demonstrar resultados objetos na mesma caixa quando existirem
puramente matemáticos, como o seguinte. mais objetos que caixas. Desta forma, o
Se o número de elementos de um conjunto princípio de Dirichlet, pode ser generalizado
finito é maior que o número de elementos da forma seguinte, onde, o símbolo ⌈ ⌉
de outro conjunto , então uma função de representa o maior inteiro menor ou igual a
em não pode ser injetiva, como .
observamos no corolário a seguir.

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
14
Teorema 2. (A Generalização do Solução: Utilizando o teorema de
Princípio de Dirichlet). Se objetos são Dirichlet vemos que: ⌈ ⌉ , assim
colocados em caixas, então há pelo menos podemos afirmar que pelo menos 42 pessoas
uma caixa com ⌈ ⌉ objetos. nasceram no mesmo mês.
Demonstração. Faremos uma Exemplo 3. Em uma gaveta há pares
demonstração por absurdo. de meias brancas e pares de meias pretas.
Suponha que nenhuma das caixas Quantas meias deverão ser retiradas ao
tenha mais que ⌈ ⌉ objetos. Então, o acaso para termos certeza de obter um par
número total de objetos é no máximo de meias da mesma cor?
Solução: Pensando nas meias como
(⌈ ⌉ ) (( ) )
pombos e nas duas cores como as duas casas,
em que a inequação ⌈ ⌉ foi vemos que com meias haverá duas meias
usada. Isto é um absurdo, pois há um total de com a mesma cor.
objetos. Portanto, existe ao menos uma Exemplo 4. João convidou 49 amigos
caixa com ⌈ ⌉ objetos. para sua festa de aniversário. Podemos
Existem inúmeros problemas que afirmar que em sua festa existiam pelo
avaliam o número mínimo de objetos, de tal menos:
forma que pelo menos desses objetos a) pessoas que fazem aniversario no
deverão estar uma distribuídos em caixas mesmo mês ?
quando esses objetos forem distribuídos b) pessoas que nasceram no mesmo
entre as caixas. Assim, percebemos ano?
trivialmente que se tivermos objetos, a c) pessoas que nasceram no mesmo
generalização do princípio da casa dos dia da semana?
pombos afirma que existem pelo menos d) pessoas que nasceram no mês de
objetos em uma das caixas, desde que janeiro?
⌈ ⌉ . Solução:
Apresentamos a seguir, uma a) Verdadeira.
sequencia de exemplos que utiliza o Principio O ano tem meses e podemos considerar
de Dirichlet nas duas formas, clássica e cada mês como uma casa. Assim, .
extendida. Pelo princípio da casa dos pombos, vemos:
Exemplo 2. Entre pessoas pelo
[ ]
menos quantas nasceram no mesmo mês?
b) Falsa.

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
15
O numero 49 não é suficientemente grande lado . Mostremos que pelo menos um dos
para podermos assegurar a afirmação, diante segmentos que eles determinam tem
do número de anos que os convidados comprimento menor ou igual a √ .
podem ter nascido. Solução: Neste caso, está claro que os
c) Verdadeira. objetos são os pontos.
A semana tem dias (domingo, segunda,
terça, ..., sábado), assim, a afirmação é
verdadeira pois

[ ]

d) Falsa.
Pelo item (a) podemos garantir que pelo
menos um mês em que pelo menos
pessoas nasceram, mas o princípio da casa
dos pombos, não assegura qual é o mês.
Figura 1. Ilustração do enunciado.
Exemplo 5. Qual o menor número de
alunos necessário em uma sala de aula para
O ponto chave da resolução está na
podermos afirmar que pelo menos quatro
identificação das gavetas. Devemos subdividir
receberão a mesma nota, se são possíveis
o quadrado dado em partes de modo tal
cinco notas: .
que a distância entre dois pontos situados em
Solução: O número mínimo de
uma destas partes nunca seja maior que √ .
estudantes necessários para garantir que
(Figura2).
pelo menos quatro alunos tirem a mesma
nota é o menor número inteiro tal que
⌈ ⌉ . Através da generalização do
princípio da casa dos pombos vemos que o
menor número inteiro é . Notemos
que se tivermos apenas estudantes, é
possível que haja três que receberão cada
nota, e não quatro. Assim, é o número
procurado.
Exemplo 6. Escolhem-se pontos ao
acaso sobre a superfície de um quadrado de
Figura 2. Resolvendo o enunciado.

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
16
Solução: Por definição, num plano
Basta dividi-lo nos quatro quadrados existem infinitos pontos que estão contidos
determinados pelas retas que unem os nele e estes, supostamente podem ser
pontos médios dos lados opostos. divididos em azul e vermelho.
Imaginemos neste plano um triângulo
equilátero de lado igual a 10 cm, conforme a
figura seguinte

Figura 3. Explorando o enunciado.

Utilizando o Teorema de Pitágoras no


Triângulo ABC, vemos que √ , logo, os Figura 4. Triângulo equilátero.
dois pontos que estão dentro da mesma
gaveta não podem ter comprimento maior Como são duas cores (casas) e três
que √ . pontos (pombos). Pelo princípio da casa dos
Assim, cada uma destas quatro pombos teremos dois pontos da mesma cor.
gavetas, a distância máxima entre dois Exemplo 8. Consideremos um
pontos é igual à sua diagonal, que mede . quadrado com os lados medindo . Na
Portanto, dados pontos, pelo menos superfície quadrangular por ele determinada,
estarão em uma mesma “gaveta” e, assim, marquemos aleatoriamente pontos.
determinam um segmento de comprimento Mostre que pelo menos um dos segmentos
menor ou igual a√ . determinados por esses pontos tem
Exemplo 7. Todos os pontos de um comprimento menor que ou igual a √ u.c.
plano são pintados de azul ou vermelho. (u.c. significa unidade de comprimento).
Provemos que é possível encontrar dois Solução: Consideremos um quadrado
pontos da mesma cor que distam de lado igual a , em seguida, vamos
exatamente 10 cm.
Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
17
dividi-lo em quadrados menores lado igual existirão, pelo menos, dois pontos cujo
à . segmento por eles determinado mede no
máximo √ .
Exemplo 9. Escolhem-se nove pontos
no interior de um quadrado de lado .
Mostrar que é possível escolher três pontos
de tal forma que a área do triângulo que

formam é menor ou igual a

Solução: Sabemos que os nove pontos


estão contidos no quadrado de lado .
Figura 5. Quadrado de lado . Consideremos um quadrado e
e pontos médios do quadrado
Ao considerarmos os quadradinhos como mostra a figura a seguir.
como casas e os pontos como pombos, a
quantidade de casas será que é menor que
a quantidade de pombos , assim, pelo
Princípio da Casas dos Pombos, pelo menos,
um quadrado possuirá pontos.
Consideremos o triângulo retângulo
.

Figura 7. Quadrado de lado .

Notemos que temos pontos (nove


pombos) e quadrados menores (quadro
casas), assim, pelo princípio da casa dos
pombos, em um quadrado terá pelo menos
pontos.
Suponhamos que os três pontos
Figura 6. Quadrado de lado .
estejam no quadrado , logo, a maior

Utilizando o Teorema de Pitágoras no distância entre eles pode ser apenas ,

Triângulo ABC, vemos que √ , logo, ou seja, apenas no caso dos pontos serem
exatamente os vértices do quadrado.
Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
18
Consideremos o triângulo formado há apenas inteiros positivos ímpares
por . menores que , podemos afirmar, a partir
do princípio da casa dos pombos, que dois
dos inteiros deverão ser
iguais. Então, há números inteiros e , tal
que . Considere como o valor
comum de e . Assim, e

. Concluímos que se , então


divide ; enquanto e , então
divide .

Figura 8. Triângulo isósceles de lado


. 4 DISCUSSÃO
Alguns resultados e afirmações na

No triângulo temos: matemática tornam-se atraentes porque


exploram relações entre conjuntos finitos e
são expressos em uma linguagem coloquial.
Parte desta atratividade vem justamente do
fato de que podem ser formulados
De onde segue a afirmação.
simplificadamente, e, não obstante, muitas
Exemplo 10. Mostremos que entre
vezes, a partir deles, diversos problemas são
quaisquer números inteiros positivos
resolvidos, sem recorrer a fórmulas ou a
não excedentes a deverá haver um
técnicas complicadas.
número inteiro que divide um dos outros
O Principio de Dirichlet apresentado
inteiros.
neste trabalho, descreve esta situação. Com
Solução: Podemos escrever cada um
uma formulação simplificada e de grande
dos números inteiros
facilidade de assimilação, o referido tem
como um produto de uma potência de por
condições de resolver problemas de impacto,
um inteiro ímpar. Em outras palavras, temos
dentro e fora da Matemática.
para , em que
é um número inteiro não negativo 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
(possivelmente nulo) e é ímpar. Os inteiros O trabalho é resultado de uma
são todos números inteiros pesquisa teórica, desenvolvida através de
positivos ímpares menores que . Visto que discussões do tema com o orientador e

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078
Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 20 a 23 de outubro, 2014
19
apresentações de seminários como parte das REFERÊNCIAS
atividades do Programa de Educação Tutorial LIMA, Elon Lages. Número e Funções Reais /
Elon Lages Lima. Rio de Janeiro: SBM, 2013.
(PET) – Matemática (UFMS/CPTL), no estudo
297p. (Coleção PROFMAT, 07).
de Introdução à Combinatória e Aritmética. O
LIMA, Elon Lages. A Matemática do Ensino
trabalho incluiu uma etapa de leitura e
Médio / Elon Lages Lima. Rio de Janeiro:
resoluções de exercícios, desenvolvimento SBM, 1999. (Coleção do Professor de
Matemática).
das atividades propostas e a investigação dos
resultados obtidos. O estudo e as atividades MARTINEZ, Fabio Brochero; et al. Teoria dos
números: um passeio com primos e outros
desenvolvidas foram avaliados através da
números familiares pelo mundo inteiro /
apresentação de seminários de discussão. Fabio Brochero Martinez; et al. 2 ed. Rio de
Janeiro: IMPA, 2013, 481 P. (Projeto
Como resultado deste trabalho
Euclides).
apresentamos a proposta de inserir o
MORGADO, Augusto César de Oliveira;
Princípio da Casa dos Pombos no ensino CARVALHO, João Bosco Pitombeira;
básico, como recurso para despertar o CARVALHO, Paulo Cezar Pinto;
FERNANDEZ, Pedro. Análise
interesse do estudo pela Matemática. Com Combinatória e Probabilidade com as
efeito, trata-se de um assunto acessível, para soluções dos exercícios. Coleção do
Professor de Matemática. Nona edição. Rio
o qual podem ser elaboradas sequencias de de Janeiro: Sociedade Brasileira de
Matemática, 2006.
problemas interessantes e relevantes para o
cotidiano dos estudantes. De maneira MUNIZ NETO,Antonio Caminha. Tópicos de
Matemática Elementar: combinatória /
gradual pode atingir um grau sofisticado de
Caminha Muniz Neto. -1. ed. Rio de janeiro:
generalização do tema, de modo a SBM, 2012.
aperfeiçoar competências de investigação,
ROSEN, Kenneth H. Matemática discreta e
organização e comunicação da informação. suas aplicações / Kenneth H. Rosen;
[tradução João Giudice]. São Paulo: McGraw-
Hill, 2009.
AGRADECIMENTOS
SCHEINERMAN, Eduard R. Matemática
Os autores agradecem ao FNDE -
Discreta: uma introdução/ Thomson
Fundo Nacional de Desenvolvimento da Learning, 2006.
Educação, pelo suporte financeiro concedido
ao PET – Matemática (UFMS/CPTL), no
desenvolvimento das atividades de ensino,
pesquisa e extensão, que possibilitaram este
trabalho.

Colloquium Exactarum, vol. 6, n. Especial, Jul–Dez, 2014, p. 11-19. ISSN: 2178-8332. DOI: 10.5747/ce.2014.v6.nesp.000078