Você está na página 1de 37

CÁLCULO APLICADO

1ª TURMA DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL EM


INSTALAÇÃO ELÉTRICA PREDIAL

PROFESSOR: RODOLFO RUBACK

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 1


Objetivo da Disciplina
Desenvolver e aprimorar os conhecimentos necessários para resolver os problemas do cotidiano
profissional que demandem raciocínio lógico e matemático.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 2


Ementa da Disciplina

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 3


O que é matemática?
 É a ciência que estuda as quantidades, as formas, as relações espaciais, e as relações entre quantidade
e espaço;

 Também pode ser definida como uma linguagem usada para expressar determinadas capacidades dos
seres humanos, como a de relacionar as coisas, medir e avaliar grandezas e formas;

O “vocabulário” dessa linguagem é formado por símbolos, como algarismos, letras, equações, figuras e
formas, e sua “gramática” é a determinada pelas regras da lógica;

A matemática começa quando o homem inventa os números para contar, vamos entender um pouco
dessa história!

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 4


Como surgiu o número?
Alguma vez você parou para pensar nisso? Certamente você já imaginou que um dia alguém teve uma
ideia genial e de repente inventou o número? Mas não foi bem assim.

A descoberta do número não aconteceu de repente, nem foi uma única pessoa a responsável por essa
ideia. O número surgiu da necessidade que as pessoas tinham de contar objetos e coisas.

Nos primeiros tempos da humanidade, para contar eram usados os dedos, pedras, os nós de uma corda,
marcas num osso...

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 5


Como surgiu o número?
Com o passar do tempo, este sistema foi se aperfeiçoando até dar origem ao número.

 O homem contava objetos com outros objetos

Há mais de 30.000 anos, o homem vivia em pequenos grupos, morando em grutas e cavernas para se
esconder dos animais selvagens e proteger-se da chuva e do frio.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 6


Qual sua história preferida?
Maria Eduarda, resolveu perguntar qual a história preferida dos seus colegas de classe. Com os dados
obtidos, ela organizou um gráfico a fim de melhor comunicar o resultado para os seus colegas. Veja o
gráfico que ela fez:

QUAL A SUA HISTÓRIA PREFERIDA?


14
Quantidade de votos

12
10
8
6
4
2
0
A Bela Cinderela Aladim e a Alice no País Branca de Neve Chapeuzinho
Adormecida Lâmpada das Maravilhas e os sete Anões Vermelho

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 7


Conversando sobre a pesquisa
QUAL A SUA HISTÓRIA PREFERIDA?
1. Qual a história mais votada? 14

Quantidade de votos
2. Qual a história menos votada? 12
3. Quantas pessoas participaram 10
8
da pesquisa? 6
4. Quantos votos a história 4
Chapeuzinho Vermelho recebeu 2
0
a mais que Alice no País das A Bela Cinderela Aladim e a Alice no País Branca de Chapeuzinho
Adormecida Lâmpada das Neve e os Vermelho
Maravilhas? Maravilhas sete Anões
5. Quantos votos a história
Cinderela teria que receber
para alcançar a mesma votação
de Chapeuzinho Vermelho?

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 8


A adição de números naturais
Uma das ideias da Adição é a de juntar quantidades.

A pesquisa de Maria Eduarda trouxe os seguintes resultados:

HISTÓRIA QUANTIDADE DE VOTOS


A Bela Adormecida 7

Cinderela 4

Aladim e a Lâmpada 6
Juntando os votos, temos:
7 + 4 + 6 + 5 + 9 + 12
Alice no País das Maravilhas 5

Branca de Neve e os sete Anões 9

Chapeuzinho Vermelho 12

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 9


A adição de números naturais
Como você faria esse cálculo mentalmente?
7 + 4 + 6 + 5 + 9 + 12

O algoritmo convencional da adição

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 10


A adição de números naturais

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 11


Adição

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 12


Propriedades da Adição
1. A ordem em que dois números são somados não altera o resultado da soma. Matematicamente:
a+b=b+a
Essa propriedade é chamada comutatividade.

2. Em uma soma de três números: a + b + c, somar a + b e depois c tem o mesmo resultado que somar b
+ c e depois a. Matematicamente:
(a + b) + c = a + (b + c)
Essa propriedade é chamada de associatividade.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 13


Propriedades da Adição
3. Existe um número, chamado de elemento neutro (zero), que não influencia o resultado da soma.
Assim:

a + 0 = 0 +a = a

4. Para todo número x existe um número – x em que a soma entre eles é igual a 0

x + (– x) = 0

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 14


Adição
 Calcule:

a) 3 + 5 + 17 + 25 = 50
b) 2 + 19 + 8 + 11 = 40
c) 10 + 117 + 190 = 317
d) 49 + 11 + 40 + 900 = 1000
e) 78 + 20 + 2 + 780 + 120 + 313 = 1313

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 15


Adição - Problema

R: 437+295 = R$732

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 16


A subtração de números naturais

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 17


As ideias da Subtração

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 18


As ideias da Subtração – Comparar
Quantidades

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 19


Subtração

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 20


Propriedades da Subtração
1. A subtração não permite comutatividade, pois 4-5 não é a mesma coisa que 5-4;

2. A subtração não aceita a propriedade associativa, pois:

(10-4)-2 ≠ 10-(4-2);

3. A subtração pode ser considerada como a operação inversa da adição. Considerando:

7 + 2 = 9, equivale a, 7 = 9 – 2;

7 + 2 = 9, equivale a, 2 = 9 – 7;

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 21


Propriedades da Subtração
1) Efetue as seguintes subtrações:
a) 10 – 7 = 3
b) 17 – 5 = 12
c) 25 – 8 = 17
d) 67 – 51 = 16
e) 189 – 88 = 101
f) 600 – 238 = 362

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 22


Exercícios
2) Calcule as diferenças:
a) 702 – 639 = 63
b) 1138 – 909 = 229
c) 6789 – 5671 = 1118
d) 4000 – 2194 = 1806
e)325 – 502 = - 177

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 23


Problemas - Subtração

R = 102 – 72 = R$ 30

R: 102 – 22 = R$ 80

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 24


Problemas - Subtração

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 25


Problemas – Adição + Subtração

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 26


Problemas – Adição + Subtração

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 27


Problemas – Adição + Subtração

R: A lesma sobe 1m por dia, logo levará 6 dias para alcançar o topo.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 28


Multiplicação
Multiplicar significa expressar o aumento de quantidades, realizamos a multiplicação com a finalidade
de reduzir a operação da adição, sendo assim, a multiplicação é uma ferramenta matemática que
possibilita a redução de cálculos numéricos da adição. Veja como isso pode acontecer:
2+2+2+2=8
2x4=8

 Observe que na adição o número dois foi repetido quatro vezes, já na multiplicação, o termo numérico
dois foi multiplicando por quatro, que é a quantidade de repetições que o número dois teve na soma. É
possível notar que a resposta obtida é a mesma, tanto na operação de adição quanto na multiplicação.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 29


Multiplicação
 Os termos numéricos que compõem uma multiplicação possuem nome. O primeiro e o segundo termo
numérico da multiplicação são chamados de fator, já o resultado da multiplicação recebe o nome
de produto.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 30


Multiplicação

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 31


Multiplicação
1) Efetue as multiplicações abaixo:

a) 23 x 15 =
b) 10 x 34 =
c) 55 x 12 =
d) 1.234 x 45 =
e) 234 x 345 =

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 32


Divisão
 Realizar a divisão de números naturais é o mesmo que repartir em partes iguais os números. Na
operação de divisão, o dividendo é como se chama o número a ser dividido, enquanto que o divisor é o
número que divide o cálculo e quociente é o resultado da operação.

De tal modo que numa divisão temos: 15:3 = 5, uma vez que 3 x 5 = 15. Assim, 15 é o dividendo, 3 é o
divisor e 5 é o quociente, esse que representa o número o qual se deve multiplicar pelo divisor para se
chegar ao dividendo. E lembre-se: a divisão é a operação contrária da multiplicação. Seu símbolo é
representado por “÷”, “:” ou “/” .

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 33


Divisão
A operação da divisão também é aplicada para se obter a quantidade de determinados grupos, exemplo:
Se tem 40 folhas de papel e se quer separá-las em 10 pilhas de folhas cada. Qual será o número de pilhas
a serem formadas?

Operação: 40:10 = 4, uma vez que 4×10 = 40. Ou seja, Quatro será o número de pilhas a serem formadas
com 10 folhas de papel cada. (40 = 10+10+10+10).

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 34


Divisão – O Resto
 O resto é sempre um valor que sobra em cálculos matemáticos cujo resultado não é exato. Na divisão é
muito comum isso ocorrer.

 Nessas situações, o resto será sempre menor que o divisor.

 Mas lembre-se: não há divisão por zero.

 Veja o exemplo a seguir:

45:21 = 2, cujo resto da divisão é o numeral 3.

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 35


Divisão

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 36


Exercícios
1. Efetue as divisões abaixo:

Cálculo Aplicado: Rodolfo Ruback (SENAI/FIEMG – CIDT Juiz de Fora) 37