Você está na página 1de 39

Análise do Comportamento

Prof.: José Ângelo Mouta Neto


Psicólogo – CRP-11/08690

Especialista em Neuropsicologia - Unichristus

Mestre em Ciências da Saúde - UFC

Disciplina: Comportamentalismo I
O que já sabemos?
Análise do Comportamento: tripé

BEHAVIORISMO
RADICAL

ANÁLISE DO
COMPORTAMENTO

ANÁLISE APLICADA ANÁLISE


DO EXPERIMENTAL DO
COMPORTAMENTO COMPORTAMENTO

Adaptado de Tourinho (1999)


“Behaviorismos...”

BEHAVIORISMO BEHAVIORISMO
RADICAL METODOLÓGICO
(B. F. Skinner) (J. B. Watson)
Antecedentes históricos no estudo do
comportamento
•O que é comportamento para o senso
comum?

•O que causa o comportamento?


 Concepções.
Antecedentes históricos no estudo do
comportamento
• Influências religiosas

• Antecedentes filosóficos:
 Descartes e a Dúvida Metódica
 No cogito: se penso, existo (enquanto
substância pensante)
Antecedentes históricos no estudo do
comportamento – dualismo cartesiano
• Apesar de terem naturezas diferentes, as
duas substâncias poderiam interagir em
uma união substancial, unidas, porém
delimitadas, apenas no homem.
• Localizou anatomicamente essas relações
no cérebro: glândula pineal.
• Problema: como poderia algo não-físico
como a mente cartesiana se relacionar
com algo físico como o corpo?
• Descartes não tratou diretamente
dessa questão, colocou o problema
mente-corpo para a posteridade.

(ALVES, 2009)
Naturezas distintas

ALMA
MENTE
PSIQUISMO
ESPÍRITO
FÍSICO
Concepções usuais de causa do
comportamento
Mente
Espíritos
Entidades COMPORTAMENTO
místicas CAUSA (ações motoras;
músculos e glândulas;
Força vital
observável)
Energia mental
Na Psicologia...

Mente
Crenças
Pensamentos CAUSA Comportamento

Emoções
Personalidade
Concepções usuais de causa do
comportamento
• Mentalismo: mente causa comportamento

• Lógica de explicação mecânica


Críticas ao mentalismo
• Mentalismo: prática de inventar ficções mentais
para tentar explicar o comportamento.
• PROBLEMAS DO MENTALISMO:
 Interface
 Mecanicismo
 Autonomia
 Interrompe a investigação ao dar uma suposta
causa para o comportamento
 Dirige a investigação para entidades inventadas e não
para a história relacional do sujeito com o mundo.
 Complica desnecessariamente a vida do
pesquisador
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• Nalógica skinneriana, não há uma escolha
pelo físico na dicotomia físico-mental: a
própria dicotomia é rejeitada, entendendo
que não faz sentido uma divisão dessa
natureza. (ABIB, 2001).
• Monismo (homem como um todo)
•O sujeito inteiro, e não suas partes,
interage com o mundo.
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• Comportamento é relação entre sujeito
(homem) e ambiente (mundo)
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

AMBIENTE
MUNDO
HOMEM
RELAÇÃO
SUJEITO
HOMEM
SUJEITO
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

“Os homens agem sobre o mundo e o


modificam e, por sua vez, são modificados
pelas consequências de sua ação”
(SKINNER, 1957, p.1)
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
SUJEITO

CONTEXTO : CONSEQUENCIAS
AÇÃO –

AÇÃO

AMBIENTE
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• Comportamento = relação entre
organismo* e ambiente**.

 *Organismo: respostas / ações


 **Ambiente: estímulos
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

 Respostas? Ações? De que tipo?


 Públicas ou privadas.

 Ambiente? Estímulos?
 Físicos e sociais.
 Públicos e privados
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• Não se deve restringir as noções de
“estímulo” e de “resposta”, mas ampliá-las
e ressignificá-las.
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

ANTECEDENTES : AÇÃO - CONSEQUÊNCIAS

Fazer birra
-Estar em uma loja
-chorar;
de brinquedos Ganhar brinquedo
-bater cabeça na
-Presença dos pais
parede;
-jogar-se no chão
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

ANTECEDENTES : AÇÃO - CONSEQUÊNCIAS

Situações de trabalho -Sons agradáveis


(casas de show, etc), Tocar violão
lazer etc
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

CONTEXTO : AÇÃO – CONSEQUÊNCIAS

Fazer terapia: -Ser acolhido pelo


-comparecer à sessão; terapeuta (audiência
Situações aversivas -contar segredos de não-punitiva);
da vida sua vida; -Conseguir solucionar
-fazer coisas que conflitos da vida;
-Sentir-se melhor.
normalmente não se
faria fora da sessão.
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• “É particularmente importante que uma ciência do
comportamento enfrente o problema da
privacidade... Uma ciência adequada deve
considerar os eventos que ocorrem sob a pele de um
organismo, não como mediadores fisiológicos do
comportamento, mas como parte do comportamento
em si. Pode lidar com estes eventos sem assumir
que eles têm qualquer natureza especial ou que
devem ser conhecidos de uma maneira especial. A
pele não é tão importante como um limite. Eventos
privados e públicos têm o mesmo tipo de dimensões
físicas” (SKINNER, 1969).
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• Ações do organismo
 públicas / manifestas
 privadas (encobertas)
•A diferença é o acesso, o grau de
observação, e não a natureza.
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

ANTECEDENTES : AÇÃO - CONSEQUÊNCIAS

Amar:
-Carinho
Estar na presença da -Afeto
pessoa amada -Atenção social
-Apoio
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
• AMBIENTE é tudo que circunda o homem?
• Para a AC: visão conceitual, não geográfica
• Mais do que o mero cenário onde as ações
ocorrem
• Ambiente deve manter relação com o
responder
Comportamento: perspectiva
behaviorista radical
UNIVERSO

AMBIENTE

Adaptado de Tourinho (1997)


Comportamento: perspectiva
behaviorista radical

ANTECEDENTES : AÇÃO - CONSEQUÊNCIAS

-Carinho
Estar na presença da -Afeto
pessoa amada Amar -Atenção social
-Apoio

- O ambiente é aquilo que mantém relação com o responder.


- Não necessariamente contato presencial, mas aquilo que se relaciona com o responder.
Críticas ao mentalismo
• Erros de categoria: Gilbert Ryle (1900-
1976)
 Termos usados para nomear eventos mentais
devem ser entendidos como nomes de
categorias conceituais de comportamento,
não como causa (Hipótese Paramecânica).
 “Personalidade”, “inteligência” – um
conceito, e não uma entidade.
Perspectiva Tradicional...

Fazer contas
Jogar xadrez

INTELIGÊNCIA CAUSA Resolver problemas


lógicos
...
Perspectiva de Ryle...
INTELIGÊNCIA: NOME DE UMA
CATEGORIA

Fazer contas
Jogar xadrez
Resolver
problemas lógicos
...
Para Ryle
AMOR:
Pensar
constantemente na
pessoa amada;
Comprar
presentes;
Sentir-se inclinado
em manter-se
próximo à pessoa.
Erros de Categoria

Pensar
constantemente na
pessoa amada;
AMOR CAUSA Comprar presentes;
Sentir-se inclinado
em manter-se
próximo à pessoa.
Erros de Categoria

FRUTA
FRUTAS

CAUSA?
Uva
Maça
Banana
banana
Por fim...
• “O comportamento é um objeto de estudo
difícil, não porque é inacessível, mas
porque é extremamente complexo. Uma vez
que é um processo, e não uma coisa, não
pode facilmente ser imobilizado para
observação. É mutável, fluido e
evanescente e por essa razão coloca
enormes exigências sobre a engenhosidade
e energia do cientista” (SKINNER, 1953)
Referências
• ALVES, D. Z. A Natureza Comportamental da Mente: Behaviorismo Radical e Filosofia
da Mente. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia e Ciências,
Universidade Estadual Paulista, 2009.

• CARVALHO NETO, M. B. de. Análise do Comportamento: behaviorismo radical, análise


experimental do comportamento e análise aplicada do comportamento. Interação em
Psicologia, Curitiba, v. 6, n. 1, p. 13-18, 2002. Disponível em:
<http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/psicologia/article/view/3188/2551>. Acesso em: 20 jun.
2013.

• SKINNER, B. F. Comportamento Verbal. 1953.

• ______, B. F. Sobre o Behaviorismo. 10. ed. Tradução de Maria da Penha Villalobos. São
Paulo: Cultrix, 1974/2006.

• TOURINHO, E. Z. Estudos Conceituais na Análise do Comportamento. Temas em


Psicologia, v. 7, n. 3, p. 213-222, 1999. Disponível em:
<http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v7n3/v7n3a03.pdf>. Acesso em: 14 mai. 2013.
Contatos: angelo.mouta@hotmail.com