Você está na página 1de 2

Unioeste-Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Curso de Ciências Econômicas


Exercícios Economia Brasileira (João Goulart)

1) (ENEM) A moderna democracia brasileira foi construída entre saltos e sobressaltos. Em


1954, a crise culminou no suicídio do presidente Vargas. No ano seguinte, outra crise quase
impediu a posse do presidente eleito, Juscelino Kubitschek. Em 1961, o Brasil quase chegou
à guerra civil depois da inesperada renúncia do presidente Jânio Quadros. Três anos mais
tarde, um golpe militar depôs o presidente João Goulart, e o país viveu durante vinte anos em
regime autoritário. A partir dessas informações, relativas à história republicana brasileira,
assinale a opção correta.
a) Ao término do governo João Goulart, Juscelino Kubitschek foi eleito presidente da
República.
b) A renúncia de Jânio Quadros representou a primeira grande crise do regime republicano
brasileiro.
c) Após duas décadas de governos militares, Getúlio Vargas foi eleito presidente em eleições
diretas.
d) A trágica morte de Vargas determinou o fim da carreira política de João Goulart.
e) No período republicano citado, sucessivamente, um presidente morreu, um teve sua posse
contestada, um renunciou e outro foi deposto.

Letra E
Comentário: A primeira alternativa já se encontra errada no momento em que coloca Jango
como presidente antes de Juscelino, quando na verdade o primeiro foi vice-presidente no
governo do segundo. Jânio Quadros nem de longe representou a primeira grave crise
republicana e Vargas não foi eleito após a ditadura militar, o que inviabiliza as alternativas B
e C. A morte de Vargas não fez com que a carreira de Jango acabasse, e, sim, que sofresse um
impulso. A alternativa correta é a letra E, que relata cronologicamente os acontecimentos de
cada um dos presidentes citados.

2) (Santa Casa-SP) Após a renúncia de Jânio Quadros, em 25 de agosto de 1961, os ministros


militares julgaram inconveniente à segurança nacional o regresso do presidente João Goulart
(então no estrangeiro) ao Brasil, a fim de tomar posse. Temendo a deflagração de uma guerra
civil ou golpe militar, o Congresso contornou a crise aprovando um Ato Adicional à
Constituição de 1946, para limitar os poderes do novo presidente. Por esse Ato Adicional:

a. Foi instaurado o sistema parlamentarista de governo.


b. O vice-presidente não seria mais considerado presidente do Congresso Nacional.
c. Admitia-se a pena de morte para os casos de subversão.
d. Instalava-se a Revolução de 1964.
e. Estabeleceu-se o Ato Institucional nº 5, e o Congresso entrou em recesso.

Letra A. Para garantir a posse de João Goulart, o Congresso adotou o parlamentarismo,


diminuindo os poderes do presidente.

3) Após o parlamentarismo ter sido derrubado no plebiscito de 1963 e os plenos poderes


presidenciais terem sido restabelecidos para João Goulart, foi montado um quadro
administrativo com nomes como Celso Furtado e San Tiago Dantas. A partir disso, foi criado
o plano trienal, que tinha como objetivo:

a) promover a emissão de papel-moeda para combater a inflação.


b) promover o combate à inflação e o crescimento econômico.
c) combater a influência estrangeira, principalmente americana, na economia brasileira.
d) promover a integração econômica do Brasil com a China.
e) promover reformas no Exército a fim de anular os elementos que defendiam uma
intervenção no governo.

Letra B
O plano trienal foi adotado pelo governo de João Goulart após o plebiscito de 1963 ter
restituído a integridade de seus poderes políticos. Esse plano pretendia combater a escalada
da inflação e promover o crescimento da economia brasileira, que mostrava sinais de
enfraquecimento; entretanto, ele falhou, pois não havia colaboração dos grupos da sociedade
que criticavam as suas propostas. O sinal do fracasso foi dado pelos índices econômicos de
1963, pois a inflação alcançou 25% até maio, e o PIB cresceu apenas 1,5% em 1963,
diferentemente dos 5,2% do ano anterior.