Você está na página 1de 8

Para a coleta de amostra de urina cronometrada de 24 horas, o paciente deve ser orientado a

começar e terminar o período de coleta com a bexiga vazia, uma vez que a quantidade de uma
substância eliminada na urina será calculada a partir do volume urinário produzido durante
esse tempo determinado. São instruções para esse tipo de coleta, EXCETO:

(A) Primeiro dia: às 7 horas da manhã, o paciente deve urinar procurando esvaziar ao máximo
sua bexiga; despreze todo o volume dessa amostra e inicie a coleta de todo o volume de todas
as urinas das próximas 24 horas.

(B) Segundo dia. Ao término do período, ou seja, na mesma hora do hora do dia anterior em
que começou a coleta, o paciente deve urinar e acrescente todo o volume urinado à urina
coletada anteriormente.

(C) Durante o período de coleta, o paciente deve manter suas atividades e dieta normal.

(D) Durante o período de coleta, a urina deve ser deixada a temperatura ambiente em frasco
de boca larga e todo o volume deve ser coletado sem perda do mesmo. Para esse tipo de
amostra, não se usa conservante, pois degenera os componentes celulares presentes na urina.

(E) Se o paciente usar medicamentos, deve mantê-los e informar ao laboratório sobre a


utilização dos mesmos.
As amostras de urina são fáceis de serem coletadas. Essa facilidade normalmente gera um
certo descuido do paciente. Das sentenças seguintes, assinale a opção INCORRETA quanto aos
cuidados à coleta, à conservação e ao transporte desse tipo de amostra.

(A) Após coleta a urina, deve ser processada em até duas horas. Após esse período, ela deve
ser refrigerada ou adicionado conservante adequado.

(B) A conservação mais adequada é a refrigeração (2 a 8 °C). A refrigeração diminui o


crescimento bacteriano, porém pode aumentar precipitação de cristais.

(C) Se refrigerada, antes da análise, a urina deve atingir temperatura ambiente para não gerar
interferências.

(D) A urina nunca deve ser congelada, pois isso provoca destruição de elementos celulares.

(E) Urina coletada em período de 24 horas deve sempre ser armazenada em recipiente com
conservante químico. A refrigeração não é adequada, pois promove degradação proteica.
Uma amostra de urina (primeira da manhã) de um paciente chegou ao laboratório 5 horas
depois da coleta. A coleta da amostra foi realizada sem conservantes ou refrigeração e em um
tubo transparente. Esta forma de coleta pode gerar qual tipo de alteração no resultado do
exame?

A) Aumento da glicose.

B) Aumento do urobilinogênio.

C) Diminuição da bilirrubina.

D) Diminuição do nitrito.

E) Diminuição do pH.

Graças ao advento das tiras reagentes, o exame físico-químico da urina mudou muito nos
últimos anos. Essas tiras permitem de modo simples e rápido a obtenção de resultados através
da imersão completa da fita em amostra homogeneizada, com posterior leitura comparativa
da mudança de cor, em uma escala de cores no rótulo da embalagem.

Dados os itens,

I. Na falta de uma tabela comparativa de cores, recomenda-se usar a de outro fabricante, pois
as cores são padronizadas.

II. O excesso de urina na tira, depois da retirada da amostra, pode misturar os reagentes das
almofadas vizinhas.

III. Permitir que a tira permaneça na urina por um período prolongado causa remoção de parte
dos reagentes das almofadas.

verifica-se que está(ão) correto(s)

A) I, II e III.

B) II e III, apenas.

C) I e III, apenas.

D) II, apenas.

E) I, apenas.
Considere os seguintes achados em um exame físico e químico de uma amostra de urina
recém-coletada:

I. Urina turva de cor avermelhada e bilirrubina ausente.

II. Urina de cor amarelo âmbar e glicose ausente.

III. Urina de cor amarela clara com traços de proteína.

O(s) achado(s) considerado(s) anormal(ais) está(ão) presente(s) apenas em

A) II e III.

B) I e III.

C) I e II.

D) III.

E) I.
A gravidade específica da urina ou densidade é um indicador muito útil para avaliar a
capacidade de concentração renal. Quando a densidade urinária mede entre 1002 e 1003 é
indicativo de que o paciente apresenta:

A) Glomerulonefrite aguda.

B) Resposta exacerbada ao ADH.

C) Diabetes Insipidus.

D) Diabetes Mellitus.
A análise morfológica das hemácias no sedimento urinário indica se a origem da hematúria é
glomerular ou não-glomerular. A hematúria não-glomerular caracteriza-se por:

A) Hemácia urinária isomórficas, com tamanho uniforme e morfologia semelhante às


encontradas na circulação sanguínea.

B) Hemácias dismórficas, com alterações em forma, cor, volume e conteúdo de hemoglobina,


com heterogeneidade citoplasmática e forma bicôncava ou esférica.

C) Hemácia urinária isomórficas, com tamanho variado e morfologia diferente das encontradas
na circulação sanguínea.

D) Hemácias crenadas com alterações em forma, cor, volume e conteúdo de hemoglobina.


Os cilindros são os únicos elementos encontrados no sedimento urinário que são exclusivos
dos rins. Sobre os cilindros, marque verdadeiro (V) ou falso (F) nas afirmações a seguir.

( ) A taxa de excreção pode aumentar em situações de estresse e exercício.

( ) São encontrados somente em urinas patológicas.

( ) Não são detectados pelo método da tira reagente.

( ) A largura do cilindro está relacionada com o tamanho do túbulo no qual se formou.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

A) V, F, V, V.

B) F, F, V, V.

C) V, F, F, V.

D) V, F, V, F.

E) F, F, V, F.
Na análise do sedimento urinário podem ser observados cristais que são formados a partir da
precipitação de solutos da urina, incluindo compostos orgânicos, sais inorgânicos e
medicamentos. A precipitação do cristais envolve mudanças no pH, concentração do soluto e
temperatura que afetam a solubilidade dos diferentes solutos. Assim sendo, em urinas

A) ácidas, podem-se encontrar cristais urato e carbonato de cálcio.

B) alcalinas, podem-se encontrar cristais de uratos amorfos e fosfato de cálcio.

C) alcalinas, podem-se encontrar cristais de fosfato triplo amoníaco magnesiano e biurato .

D) ácidas, podem-se encontrar cristais de biuratos e fosfatos amorfos.

Você também pode gostar