Você está na página 1de 26

BELO HORIZONTE - HOTEL

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 01 / 26 | Item: -
A UMA NOVA REALIDADE

O PODER DA TRANSFORMAÇÃO
Na maioria dos casos, bons projetos realizados
para hotéis de grande porte transformam-se
em edifícios com maior arrojo arquitetônico e
que, devido ao uso e características, possuem
a capacidade de enriquecer o seu entorno em
termos humanos, urbanísticos e comerciais.
Ou seja, a vida pulsante e arquitetura dessas
edificações – seus volumes, fachadas e a forma
como se inserem na paisagem urbana – tendem a
influenciar positivamente as edificações vizinhas,
o comércio da rua onde se encontram, os fluxos e
investimentos do bairro e, por fim, a cidade.
Este é o roteiro bem sucedido de empreendimentos
hoteleiros em todo mundo que, ao dar início às
suas atividades, passam a agregar valor ao meio
onde se inserem.

Mas e quando um hotel de grande porte, promessa de


desenvolvimento econômico e turístico, permanece
por décadas como uma imponente construção
inacabada no coração de uma metrópole? Nesse caso,
o efeito pode ser completamente contrário. O fracasso
e o abandono explícito de um empreendimento
do gênero também têm poder de contaminar o seu
entorno.

O BEIRA-RIO
O projeto originário do edifício localizado na região central
de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais
(Brasil), foi realizado em 1984 e previa a construção de
um hotel que seria batizado de “Beira Rio”, em alusão ao
ribeirão Arrudas, que corta o município e passa pelo local.
O hotel de 27 andares e jamais inaugurado, tinha projeto
arrojado para a época e tornou-se famoso na cidade por
ser o único a possuir um heliponto. Poucos anos após o
início das obras, a construção foi paralisada por falta de
recursos dos investidores e assim permaneceu por mais de
duas décadas.

O que deveria ser o maior e mais luxuoso hotel da cidade,


tornou-se um marco negativo e símbolo da decadência da
região central de Belo Horizonte que, como ele, nas décadas
seguintes também tornou-se abandonada e desacreditada,
com imóveis desocupados e ruas pouco cuidadas, marcada
pela poluição visual, pela crescente violência urbana e por
atividades comerciais de menor importância, muitas delas
ilegais.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 02 / 26 | Item: A - The Brief / Question: A1
A POR QUE UM RETROFIT?
Em 2010 e com o objetivo de atender a um extenso
calendário de eventos (sendo o principal deles a
Copa do Mundo de Futebol de 2014), foi aprovada
no município de Belo Horizonte uma lei de incentivo
à construção de novos hotéis, visando aumentar
o potencial turístico da cidade. Para aproveitar os
benefícios dessa nova lei, que estabeleceu como
exigência a finalização da obra e início de funcionamento
do hotel até o primeiro semestre de 2014, o retrofit
do antigo e inacabado “Beira Rio” mostrou-se uma
opção extremamente interessante, principalmente
porque permitiria executar dentro do curto prazo
um empreendimento hoteleiro de grande porte. Mas
entre os principais fatores que levaram à decisão pelo
retrofit está a localização extremamente privilegiada do
empreendimento e, sobretudo, a possibilidade de se poder
aproveitar um potencial construtivo muito superior ao que
seria permitido no mesmo local caso o hotel iniciasse do
zero.

UM HOTEL TRÊS VEZES MAIOR


Desde que o edifício original foi construído, muitas foram
as mudanças de parâmetros urbanísticos das leis que
regem o setor de construção civil em Belo Horizonte e no
Brasil. Quando a antiga edificação foi projetada, em 1984, o
potencial construtivo alcançado foi de 11 vezes o tamanho do
terreno (na época, era adotada uma política de adensamento
da região central da cidade). Atualmente, dentro das leis
atuais, o mesmo projeto seria aprovado com, no máximo, 5
vezes o tamanho do terreno.
No projeto de retrofit apresentado, considerando a adequação
da situação existente aos padrões atuais de hotelaria (escadas
de incêndio, número mínimo de elevadores etcetera), conseguiu-
se aprovar um potencial construtivo final de 14,16 vezes o
tamanho do terreno. Ou seja, o retrofit possibilitou construir
um hotel quase três vezes maior do que seria permitido naquele
local se o empreendimento fosse edificado nos dias atuais.

SITUAÇÃO GENEROSA
O projeto do Golden Tulip Belo Horizonte parte de uma situação
existente extremamente generosa. A estrutura inacabada permitiu
projetar um hotel com quartos amplos, com metragens muito
superiores às que se encontram no mercado e incomuns nos dias
de hoje – fator de enorme importância em termos de conforto e
qualidade de hospedagem.
Além disso, o corpo do edifício existente já contava com a estrutura
do heliponto e com uma extensa área que possibilitou projetar o
enorme e completo centro de convenções, o que alavanca em muito
o já comprovado potencial de Belo Horizonte para o turismo de
negócios.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 03 / 26 | Item: A - The Brief / Question: A1
A O PROCESSO: DA IDÉIA AO PRODUTO FINAL

Os desafios do projeto eram múltiplos, incluindo todas as instâncias envolvidas na difícil tarefa de
“acordar” esse verdadeiro “gigante adormecido”: política, legal, executiva e popular. Afinal, após
quase três décadas, dar um novo destino àquela edifição não se resume a interromper o sono de
um enorme monolito congelado no tempo. O “descongelamento” do Hotel Beira Rio revelou-se um
processo complicado, pois se a edificação continuou praticamente a mesma nessas décadas, tudo à
sua volta mudou: as leis, os parâmetros urbanísticos, as tecnologias e, por fim, a opinião pública.
Mudanças essas que representam o maior desafio deste retrofit.

No âmbito legal, o processo de aprovação foi lento e desgastante. Representantes da prefeitura de


Belo Horizonte, projetistas e empreendedores demonstravam completo interesse em dar um novo
destino àquela edificação, verdadeira e incômoda mancha no cenário da cidade. No entanto, por se
tratar de uma obra inacabada há décadas, a requalificação exigiria rever inúmeras irregularidades
apresentadas já na època em que foi construído e amplificadas com as exigências dos novos
parâmetros das leis que regulamentam a contrução civil. Encontrar uma solução que agradasse a
todos os envolvidos fez deste um processo de regularização extenso e trabalhoso.

No âmbito executivo, o estabelecimento de um prazo para atender as necessidades de infraestrutura


hoteleira para a Copa do Mundo de 2014 apenas agravou esse quadro. O prazo para a fase de pré-
executivo tornou-se outro desafio a ser vencido, já que foi reduzido ao máximo. O uso de novas
tecnologias, como a adoção do BIM para o máximo detalhamento e adequamento das propostas,foi
essencial nesse processo. Tanto quanto a estratégia adotada, que teve como base a elaboração de
frentes de trabalho bem estratificadas e independentes, possibilitando grande autonomia e maior
fluidez na execução do projeto, cuja obra será finalizada dentro do prazo.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 04 / 26 | Item: A - The Brief / Question: A2
A
LOCALIZAÇÃO DA CIDADE
Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais e a terceira maior cidade
do Brasil. Localizada na região Sudeste, está estrategicamente posicionada
dentro do território brasileiro e também em relação às principais cidades
da América do Sul. Economicamente dinâmica, a metrópole ostenta o 4º
maior PIB entre os municípios brasileiros e atualmente é uma das capitais
do país que mais recebe eventos internacionais.

Com cinco milhões de habitantes na sua região metropolitana e 80% de


sua economia no setor terciário, a cidade tem por característica o turismo
MG
de negócios e eventos, isso porque a sua economia gira em torno de
setores como a biotecnologia, tecnologia da informação, medicina, moda
e gastronomia, entre outros. A metrópole é considerada um dos atuais
polos do turismo de negócios no Brasil.

Belo Horizonte destaca-se também no cenário brasileiro pela forte vocação


nas áreas de comércio e serviços, bem como no setor cultural: a cidade
mantém uma rica produção artística, incluindo gastronomia e artesanato
típicos, bem como festivais e grupos de teatro e dança reconhecidos
internacionalmente. Juntam-se a esse cenário outras importantes
modalidades de turismo, que se encarregam de completar o quadro de
atratividades da capital de Minas Gerais: turismo ecológico, de saúde,
rural, de aventura, religioso, entre outros.

Tudo isso permite classificar a cidade de Belo Horizonte como uma


das metrópoles brasileiras mais interessantes para a realização de
investimentos no ramo de hotelaria.
BRAZIL
ÍNDICE TURÍSTICO

LAZER E DESCANSO
NEGÓCIOS OU TRABALHO
CONGRESSOS E CONVENÇÕES
ESTUDOS
COMPRAS PESSOAIS
VISITAR AMIGOS E PARENTES
RELIGIÃO
SAÚDE

NÚMERO DE HOTÉIS

1 24 35 47

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 05 / 26 | Item: A - The Brief / Question: A3
B
LOCALIZAÇÃO

A localização é estratégica e de ótimo


acesso. O hotel está posicionado
entre avenidas marcadas por um
grande investimento público em
obras viárias e de infraestrutura.
A região conta também com um
amplo projeto de revitalização
urbana que promete tranformá-la
em um pólo de cultura e negócios.

Além disso, o empreendimento está


posicionado no eixo de acesso dos
principais bairros de Belo Horizonte,
encontrando-se a 35 minutos do
Aeroporto Internacional de Confins,
a 10 minutos do Aeroporto da
Pampulha e entre os dois principais
centros de convenções da cidade: o
Minascentro e o Expominas.

ACESSO E MOBILIDADE
• O entorno do hotel é servido
por pontos de taxi, duas estações
de metrô e vizinho das novas
estações de BRT (Bus Rapid
Transit), inauguradas em 2013;
• Acesso direto ao Expominas
utilizando o metrô (o centro de
convenções tem ligação direta
com uma estação de trens
metropolitanos);

Diagrama de Distâncias CULTURA E LAZER


1- Parque Municipal Renné
Giannetti - mais tradicional área de
lazer de Belo Horizonte;
PARQUES E PRAÇAS 2- Palácio das Artes - abriga o
mais elegante teatro da capital;
EQUIPAMENTOS CULTURAIS
3- Serraria Souza Pinto -
CENTROS DE CONVENÇÕES/COMÉRCIOS
importante espaço multiuso;
4- Circuito Cultural Praça da
PONTOS DE TAXI Liberdade – complexo monumental
que reúne oito museus e espaços
PONTOS DE ÔNIBUS culturais já em funcionamento,
consagrando-se como um dos mais
ESTAÇÕES DE METRÔ importantes circuitos culturais do
Brasil.
ESTAÇÕES DE BRT

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 06 / 26 | Item: B - Location / Question: B1, B2, B3
C O NOVO HOTEL
Em 2010 a FarKasVölGyi Arquitetura foi contratada
para desenvolver o projeto de um completo retrofit
do edifício para abrigar um hotel de categoria 5
estrelas. Envolvendo um investimento de R$ 200
milhões de reais, o hotel ganhou a bandeira Golden
Tulip (e funcionará também com a bandeira Royal
Tulip, para os andares “luxury”).
Com 32 andares, capacidade para 860 hóspedes e
previsão de inauguração para o primeiro semestre
de 2014, é atualmente o maior empreendimento
hoteleiro entre as metrópoles brasileiras,
oferecendo 405 apartamentos de luxo de 40m²,
quatro suítes presidenciais de 90m² e uma suíte
real de 230m².
A metragem incomum dos quartos e a localização
privilegiada já garantem ao Golden Tulip Belo
Horizonte uma posição de destaque no cenário
da hotelaria, mas é a presença de um heliponto
(que possui áreas VIP e de apoio) e a existência
de um centro de convenções com 4.500m² e
capacidade para mil pessoas (incluindo salas de
reuniões e de apoio), que irão transformá-lo na
maior referência para o turismo de negócios no
estado de Minas Gerais.
FICHA TÉCNICA
Projeto: FarKasVölGyi Arquitetura
Tipologia: Hotel/Apart
Cliente: Cesto Participações S/A
Construção: M.Roscoe Construtora
Conclusão da Obra: 2013
Área Construída: 36.566,10 m²
Área do Terreno: 2.172,18 m²

429 Quartos (860 hóspedes)

Standard: 330 «««« VIP: 72 «««««


Temática: 22 «««« Presidencial: 4 «««««
Royal: 1 «««««

Bar 94 Vagas de
Estacionamento

Restaurante Heliponto

Salas de Salas Vip


Convenções de Apoio

SPA Piscina

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 07 / 26 | Item: C - Appearance & Finish / Question: C1, C2, C3, C4
C
UM PATO FEIO QUE VIRA CISNE

Por décadas o volumoso edifício abandonado no


centro da metrópole onerou a paisagem urbana,
tornando-se ícone da decadência no coração de
Belo Horizonte. Transformá-lo visualmente e dar a
ele uma nova condição de ícone – dessa vez da
revitalização e renascimento da região central –
tornou-se o ponto focal para a FarKasVölGyi
Arquitetura na concepção do projeto do Hotel
Golden Tulip Belo Horizonte.
Trata-se de um grande edifício que se transforma
em algo também grandioso: o mais importante hotel
da capital mineira que, devido a sua posição e volume,
possui também enorme visibilidade dentro do cenário
urbano.
Na nova proposta, reconfiguradas e apresentando
marcantes cortes diagonais, as fachadas surgem como
uma solução limpa e contemporânea que dota a
edificação de um equilíbrio harmônico anteriormente
inexistente. O design e os materiais utilizados
(principalmente vidro e aço) tornam-se elementos
importantes dentro de uma arquitetura capaz de
redimensionar o conceito daquele espaço, com poder de
contaminar positivamente todo o entorno do
empreendimento.

JOGO DE PROPORÇÕES
Para diferenciá-lo, não seria possível ampliá-lo para cima
ou para os lados, por limites ligados sobretudo à legislação
vigente. Na concepção do projeto de retrofit foi necessário
um aprofundado exercício de redistribuição de espaços para
readequá-lo à sua nova condição.
Esteticamente, o maior desafio estava relacionado com a
proporção, afinal, proporcionalmente o prédio não era
agradável. Seu corpo se dividia em três blocos: o longo
“pescoço” representado pelo heliponto, o “tronco” do edifício
e a base mais larga. Foi necessário um trabalho meticuloso de
identificação de um desenho que pudesse representar uma
nova proposta de volume, uma solução capaz de harmonizar
o jogo de volumes existentes.
Com a proporção já definida, a solução encontrada para as
fachadas baseou-se em um design com estilo limpo e
contemporâneo, capaz de redimensionar o conceito daquele
espaço e contaminar positivamente todo o entorno do
empreendimento.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 08 / 26 | Item: C - Appearance & Finish / Question: C2
C

Fachada Frontal Fachada Lateral Direita Fachada Lateral Esquerda

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 09 / 26 | Item: C - Appearance & Finish / Question: C2
C

DETALHAMENTO DA FIXAÇÃO DA PELE DE VIDRO

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 10 / 26 | Item: C - Appearance & Finish / Question: C2
D Material de Alumínio Composto (ACM)

Produzida pela ligação contínua de duas folhas de


alumínio ou de metal em ambos os lados de um núcleo
termoplástico extrudado. Este núcleo é resistente à
incêndios evitando a propagação das chamas.

Pele de Vidro

Para garantir a maior iluminação natural possível no


interior do edifício, o sistema de pele de vidro foi o
escolhido. Combinado ao vidro correto, o sistema será
o mais adequado a garantir o conforto e qualidade aos
usuários do edifício.

Vidro Laminado Branco

Para criar um ritmo nas fachadas onde os vidros azuis


eram muito frequentes, foi utilizado o vidro laminado
PVB, que consiste em duas lâminas de vidro separadas
por uma película opaca na cor branco, garantindo
menos insolação nos trechos onde é utilizado.

ACM Auto-Estruturante

Com um núcleo do tipo colméia que cria uma estrutura


rígida, também composto por material anti-chamas
este torna-se a solução mais adequada para a proposta
dos brises.

Pavimento de Assistência (Piso Tátil)

O pavimento de assistência é uma solução comum no


cenário urbano, as calçadas estão mudando para incluir
os pisos táteis de assistência a cegos. Ele se baseia
em “piso direcional” e “piso alerta” para indicar um
obstáculoou mudanças de direção.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 11 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D1
D Panorama - Entorno do Hotel

Palácio das Artes - Projeto: Oscar Niemeyer Vista da Serra do Curral Edifício JK - Projeto: Oscar Niemeyer

Parque Municipal Renné Giannetti Praça Raul Soares

Praça da Estação Mapa de Referências - Pontos de destaque do entorno Praça Sete de Setembro

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 12 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D2
D
SUÍTE VIP / SUÍTE PRESIDENCIAL

Suíte VIP: 72 Unidades


Materiais de Acabamento

Piso: Piso em PVC, simulando madeira.


Rodapés: Poliestireno h=10cm pintado na cor da parede.
Paredes: Papel de parede, simulando madeira.
Forro: Gesso liso com tabica.
Portas: Madeira ebanizada com veios.

Suíte Presidencial: 4 Unidades

LEGENDA Materiais de Acabamento

Piso: Piso em PVC, simulando madeira.


Suíte VIP Rodapés: Poliestireno h=10cm pintado na cor da parede.
Paredes: Papel de parede, simulando madeira.
Suíte Presidencial Forro: Fono absorvente - gesso microperfurado.
Portas: Madeira ebanizada com veios.

23° Pavimento

Suíte VIP Suíte Presidencial

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 13 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D4
D
SUÍTE ROYAL

Suíte Royal: 1 Unidade


Materiais de Acabamento

Piso: Limestone Saint Remy


Rodapés: Poliestireno h=25cm pintado na cor da parede.
Paredes: Papel de parede, simulando madeira.
Forro: Fono absorvente - gesso microperfurado.
Portas: Madeira ebanizada com veios.

LEGENDA

Suíte Royal

23° Pavimento

Estar Suíte Royal Suíte Royal

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 14 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D5
D

LEGENDA

Área Técnica

Estacionamento

Circulação

Circulação Vertical

Lojas

1º Pavimento

LEGENDA

Circulação

Circulação vertical

Áreas Técnicas

2º Pavimento

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 15 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D2, D3
D

LEGENDA

Área Técnica

Circulação

Circulação Vertical

Convenções / Auditórios

3º Pavimento

LEGENDA

Áreas Técnicas

Circulação

Circulação vertical

Convenções / Auditórios

4º Pavimento

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 16 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D3
D

LEGENDA

Área Técnica

Circulação

Circulação Vertical

Convenções / Auditórios

5º Pavimento

LEGENDA

Jardim

Áreas Técnicas

Circulação

Circulação vertical

Bar / Restaurante

6º Pavimento

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 17 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D3, D6
D

LEGENDA

Suíte Standard

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

7º a 20° Pavimento

LEGENDA

Suíte VIP

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

21°, 22° e 24° Pavimento

LEGENDA

Suíte Presidencial

Suíte Royal

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

23° Pavimento

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 18 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D4, D5
D

LEGENDA

SPA

Suíte Temática

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

25° Pavimento

LEGENDA

Academia

Suíte Temática

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

26° Pavimento

LEGENDA

Área de Lazer

Bar / Restaurante

Circulação

Circulação Vertical

Área Técnica

27° Pavimento

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 19 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D3, D6
D

LEGENDA LEGENDA
Circulação Vertical Área Técnica
Área Técnica Circulação Vertical

Pavimento Técnico Caixa D’água

LEGENDA

Circulação Vertical

Área Técnica

Casa de Máquinas Heliponto

LEGENDA

Sala VIP

Circulação Vertical

Área Técnica

Sala VIP / Barrilete

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 20 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: D3, D6
D

LEGENDA

Área de Lazer

SPA

Suíte Standard

Suíte Temática

LEGENDA Suíte Royal

Bar / Restaurante Bar / Restaurante

Área Técnica Área Técnica

Lojas Convenções / Auditórios

Circulação Circulação

Circulação Vertical Circulação Vertical

Estacionamento Estacionamento

Corte AA Corte BB

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 21 / 26 | Item: D - Architecture, Landscape & Interior / Question: -
E SUSTENTABILIDADE ECONOMIA
DE ENERGIA
Em termos de sustentabilidade, a especificação
de soluções e novas tecnologias em retrofits CÁLCULO DE DEMOLIÇÃO TOTAL DO EDIFÍCIO
depende das condições encontradas na edificação, VOLUME DE ENTULHO CAMINHÕES NECESSÁRIOS - Automação de toda a iluminação e
como altura do pé-direito, quantidade de pilares ar condicionado das áreas comuns;
ou disponibilidade de espaço para equipamentos
de ar-condicionado que funcionem dentro dos - Utilização de lâmpadas eletrônicas
padrões atuais. Nesse ponto, o edifício que serviu e de LED para redução do consumo
de base para a implantação do hotel Golden Tulip energético;
Belo Horizonte, desde o início, apresentou-se como
um desafio. Ele foi projetado em 1984, quando 25.230,00 m³ 2.102 - Utilização de fachadas em pele de
questões relacionadas à sustentabilidade não eram vidro para otimizar o aproveitamento
consideradas na concepção do projeto. de iluminação natural nos quartos e
Por exemplo, visando a economia de energia, as áreas comuns, reduzindo gasto com
fachadas receberam vidro de alto desempenho e a iluminação artificial;
iluminação interna foi reformulada, com a adoção
de lâmpadas LED e um sistema de automação para - Ar condicionado com sistema de
controle de demanda. Além disso, foram especificados CÁLCULO DE DEMOLIÇÃO NO RETROFIT expansão indireta, com fan-coils e
materiais de menor impacto ambiental, como VOLUME DE ENTULHO CAMINHÕES NECESSÁRIOS chiller;
madeira de demolição, carpete reciclável, manta
de garrafas pet no revestimento acústico e móveis - Elevadores com acionamento
de madeira certificada. Nos andares superiores 1.486,00 m³ 123 conjugado, otimizando as viagens e
que abrigam as áreas de lazer e gastronomia, uma reduzindo consumo de energia.
grande parede verde foi adotada com o objetivo de
diminuir o efeito “ilha de calor”.
As escolhas que guiaram o desenvolvimento do
projeto deste retrofit foram tomadas levando em ECONOMIA
consideração quatro variantes: tempo de obra, DE ÁGUA
custo, qualidade do produto final e sustentabilidade.
Neste último quesito, buscou-se minimizar as -Utilização de torneiras com dispo-
demolições durante a adaptação do antigo edifício sitivos de fechamento automático;
à nova proposta, levando a uma reduzida produção
de resíduos sólidos e poluição sonora. Na aplicação - Sanitários com válvulas de descarga
da pele de vidro, por segurança o revestimento foi economizadoras;
retirado, mas evitou-se a raspagem da superfície
das fachadas, o que provocaria a dispersão de - Sistema de caixa coletora de águas
partículas na atmosfera e geração de novos resíduos. pluviais.
A solução para as imperfeições foi a adoção do
sistema “shadow box“.
A opção pelo retrofit possibilitou evitar um enorme
impacto ambiental. Caso o edifício fosse inteiramente SUSTENTABILIDADE
demolido, o número de caçambas para recolhimento GERAL
dos entulhos chegaria a cerca de 2000, demandando
a circulação de um enorme número de caminhões - Coleta seletiva de resíduos;
para o transporte desses resíduos, que na sua quase
totalidade, não são recicláveis. Em contrapartida, um - Prevenção de poluição do solo e do
número superior de caminhões seria necessário para ar proveniente da obra;
transportar o material a ser utilizado na construção
de um novo edifício, incluindo novos recursos que - Programa de educação ambiental na
seriam extraídos da natureza e cujo processo de obra.
fabricação levaria a outros impactos ambientais.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 22 / 26 | Item: E - Susteinability / Question: E1, E2, E3, E4
E
SISTEMAS DE PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOS

O Sistema de Prevenção e Combate a Incêndios foi um dos pontos mais críticos da readequação do projeto.
Após 30 anos, obviamente as normas, restrições e exigências evoluíram e, adequar todo o edifício não seria tarefa
fácil. No entanto, esta questão foi incontestavelmente tratada por todos os envolvidos com a devida seriedade,
presteza e atenção e muitos pontos que eram até mesmo de caráter facultativo (por se tratar de uma edificação
existente) foram incluídos e contemplados em projeto, para dar aos seus usuários a segurança que se espera de
um hotel deste padrão.

Forro Anti-Chamas Elevador de Emergência

Apesar das normas atuais ainda Pela altura do edifício e em caráter


não contemplarem restrições e/ou facultativo, nas leis atuais, o edifício
diretrizes quanto ao tipo de forro do poderia ser dotado de elevador de
empreendimento, todos os forros do emergência.
hotel são anti-propagação de chamas Neste caso, a complexidade era um
e também não tóxicos. pouco maior, pois este deve ser dotado
Sem falar é claro, que são termo- de antecâmara e obviamente carece
acústicos, garantindo o conforto e uma casa de máquinas separada dos
segurança dos hóspedes. demais elevadores. Este foi um ponto
muito discutido, e por fim, incluído.

Escadas de Incêndio Rede de Chuveiros Automáticos

O antigo prédio abandonado era Um sistema teoricamente simples,


dotado apenas de uma (1) escada de porém eficiente. A dificuldade aqui
incêndio. Nos parâmetros atuais, pela Elevador de Emergência não estava só em conseguir passar
altura do edifício, este deveria ser a tubulação em meio à grotesca
Hidrante
dotado de duas (2) escadas. A norma estrutura. Estava também, no reser-
de incêndio dizia que, para edificações Diagrama - Sitemas de Combate à Incêndios vatório de água superior.
Extintor de Incêndio
existentes, não seria necessária a Para que este fosse capacitado a
adequação. Mas uma segunda escada Sistema de supressão de fogo (Sprinkler) Escadas de Incêndio atender esta demanda, foi necessário
foi prontamente alocada para garantir aumentá-lo, o que despendeu um
a eficácia da evacuação da edificação. Rota de fuga Saída de Emergência meticuloso estudo e reforço estrutural.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 23 / 26 | Item: E - Innovation / Question: E2
E TECNOLOGIA BIM

A tecnologia BIM (Building Information


Modeling) – que permite trabalhar com
modelos tridimensionais parametrizados
nos quais os edifícios, antes mesmo de
serem construídos, já são reais em todas
as suas complexidades e exigências – foi
essencial na realização do projeto do Hotel
Golden Tulip Belo Horizonte.
Para a complexidade de um retrofit do
gênero e que tem como exigência prazos
curtos na sua realização, projetar em
BIM significou obter ganhos decisivos em
agilidade, mas também em produtividade,
com controle de qualidade apurado.
De forma geral, a utilização da plataforma
BIM permite um controle de custos e uma
programação na qual se torna possível otimizar
o processo de construção antes mesmo que
ele tenha início, sendo possível identificar e
resolver um enorme número de interfe-rências
ainda na fase de desenvolvimento.

LEITURA DINÂMICA
No caso específico do Golden Tulip Belo Horizonte,
o BIM foi essencial, tanto na execução do projeto
quanto na execução da obra dentro do curto ELEMENTOS A DEMOLIR ESTRUTURAS A ACRESCENTAR MODELO BIM DA EDIFICAÇÃO
prazo estabelecido.
Primeiramente, a partir do desenvolvimento de
um edifício virtual parametrizado do antigo Hotel
Beira Rio, foi possível compreender a fundo a
estrutura completa da edificação que seria usada
como base para o retrofit e visualizar, com precisão,
quais as intervenções imediatas de áreas a serem
demolidas. Isso foi primordial no ganho de tempo
de execução, pois permitiu dar início ao trabalhos
na obra, enquanto se definiam as próximas soluções
de projeto, como o que seria mantido e contruído
dentro do edifício.
A documentação em BIM também foi fundamental
no canteiro de obras. A representação em 3D, com
simplificada visualização, permitiu executar a obra em
menor tempo, reduzindo ao máximo a possibilidade
de erros. Sem o BIM, mesmo com farta documentação
e pranchas detalhadas, a complexidade deste retrofit
significaria uma imensa dificuldade de leitura na fase
construtiva.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 24 / 26 | Item: E - Innovation / Question: E4
F

Revista Encontro - 12/02/2012 Revista Encontro - 23/05/2013

Web Site UAI (www.uai.com.br) - 20/08/2012 Propaganda Televisionada - 02/12/2011

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 25 / 26 | Item: F - Marketing / Question: F1
J
Em uma palavra, este é um projeto AUDACIOSO. É o retrofit mais complexo já desenvolvido na América do
Sul e maior investimento privado realizado para atender as demandas da Copa do Mundo de 2014.
É ainda o empreendimento hoteleiro mais importante atualmente em construção entre as metrópoles brasileiras,
e tudo isso considerando a recuperação de um antigo edifício localizado em uma região extremamente
decadente da cidade de Belo Horizonte. Foi necessário audácia dos empreendedores e arquitetos ao buscar
uma proposta com a força necessária para mudar radicalmente a realidade urbana de uma inteira região,
desenvolvendo um projeto que transforma um marco do abandono em um supreendente marco de renovação.

INTERNATIONAL HOTEL AWARDS - CATEGORIA REFORMA/RETROFIT HOTEL


Projeto: Hotel Golden Tulip Belo Horizonte | Escritório: Farkasvölgyi Arquitetura | Ano: 2013
Localização: Belo Horizonte | País: Brasil | Prancha: 26 / 26 | Item: J - Overview / Question: J1

Você também pode gostar