Você está na página 1de 34

Redação

Marcelo Paiva

1
Aula 1

O ato de redigir

Não tenhas medo das palavras grandes, pois se referem a pequenas coisas.
Para o que é grande os nomes são pequenos:
assim a vida e a morte, a paz e a guerra, a noite, o dia, a fé, o amor e o lar.
Aprende a usar, com grandeza, as palavras pequenas.
Verás como é difícil fazê-lo, mas conseguirás dizer o que queres dizer.
Entretanto, quando não souberes o que queres dizer,
usa palavras grandes, que geralmente servem para enganar os pequenos.

Arthur Kudner (para seu filho)

A redação para concurso traz em si as bases de qualquer tipo de


composição. Como, no entanto, ela encontra-se a serviço de um objetivo próprio
e bastante específico, seu estilo apresenta características peculiares que a
distinguem da redação literária ou rotineira.
Enquanto a linguagem literária visa, predominantemente, a expressar e
comunicar emoções, sentimentos ou vivências psicológicas, o texto para um
concurso tem função primordial de desenvolver idéias, ora fundamentalmente
informativas, ora fortemente argumentativas.

Aula 2
Linguagem oral e linguagem escrita
Efetuar-se-á o processo da comunicação por meio da linguagem oral ou da
escrita basicamente. A expressão escrita difere, sensivelmente, da oral, muito
embora a língua seja a mesma. Não há dúvidas: ninguém fala como escreve ou
vice-versa.
Em contato direto com o falante, a língua falada é mais espontânea, mais
viva, mais concreta, menos preocupada com a gramática. Conta com vocabulário
mais limitado, embora em permanente renovação.
Já na linguagem escrita o contato com quem escreve e com quem lê é
indireto, daí seu caráter mais abstrato, mais refletido. Exige permanente esforço
de elaboração e está mais sujeita aos preceitos gramaticais. O vocabulário
caracteriza-se por ser mais conservador.
A língua falada está provida de recursos extralingüísticos, contextuais –
gestos, postura, expressões faciais – que, por vezes, esclarecem ou
complementam o sentido da comunicação. O interlocutor presente torna a língua
falada mais alusiva, ao passo que a escrita é mais precisa.

2
Aula 3

Níveis de Linguagem
A eficiência do ato de comunicação depende, entre outros requisitos, do
uso adequado do nível de linguagem.
Enquanto código ou sistema, a língua abre possibilidades de um sem-
número de usos que os falantes podem adotar segundo as exigências situacionais
da comunicação.
Às variações – sociais ou individuais – que se observam na utilização da
linguagem cabe o nome de variantes lingüísticas (dialetos).
Dá-se o nome de fala, níveis de linguagem ou registros às variações
quanto ao uso da linguagem pelo mesmo falante, impostas pela variedade de
situação.
Para nosso estudo presente, interessa-nos duas modalidades:

Linguagem culta (sermo urbanus ou sermo eruditus). Utilizam-na as


classes intelectuais da sociedade, mais na forma escrita e, menos, na oral. É de
uso nos meios diplomáticos e científicos, nos discursos e sermões, nos tratados
jurídicos e nas sessões do tribunal. O vocabulário é rico e são observadas as
normas gramaticais em sua plenitude.

Linguagem coloquial (sermo usualis). Utilizada pelas pessoas que, sem


embargo do conhecimento da língua, servem-se de um nível menos formal, mais
cotidiano. É a linguagem utilizada no rádio, na televisão, nos meios de
comunicação de massa tanto na forma oral quanto na escrita. Emprega-se o
vocabulário da língua comum e a obediência às disposições gramaticais é relativa,
permitindo-se construções próprias da linguagem oral.

Aula 4
Linguagem de redação
O texto deve primar por algumas qualidades básicas e necessárias para
sua finalidade.
Clareza. O concurso espera de você um texto rápido e claro. A mensagem
deve primeiramente indicar ao leitor o pensamento básico e os argumentos sobre
a idéia principal. Quem lê uma redação não pode se irritar e ficar procurando
reler várias vezes para compreender uma simples idéia.
A clareza na redação depende, antes de mais nada, da clareza do
pensamento inicial: não se podem transformar idéias confusas em mensagens
claras. Se não conhecemos o assunto abordado, conseguiremos, no máximo,
comunicar nossa incompetência.
Concisão. O tempo disponível que se tem para escrever não permite que
você perca tempo com coisas sem importância para o desenvolvimento de sua
idéia principal. Mesmo aos argumentos e informações importantes, deve-se
dedicar o tempo estritamente necessário.

3
Mensagens concisas contribuem para que o candidato tire o máximo
proveito do espaço no papel. As frases extravagantes nada acrescentam ao
conteúdo. Pior: prejudicam.
Em nome da concisão, é claro, não se devem sacrificar as idéias
importantes nem eliminar as considerações pertinentes. O ideal está no perfeito
equilíbrio entre os dados que se pediram e aqueles que se oferecem.
Coesão. Todas as partes da mensagem devem guardar relação entre si.
Para isso, não se deve avançar aos saltos e retroceder para completar idéias que
se deixaram incompletas em parágrafos anteriores. Cada oração deve vincular-se
com a seguinte.
Também entre os diversos parágrafos deve-se fazer presente a sensação
natural de continuidade e interligação das diversas idéias. Chega-se, assim, à
unidade e à coerência do texto.
A coesão faz com que o leitor entenda mais facilmente a mensagem,
fazendo-o sentir-se como que levado pela mão, ao longo dos diversos parágrafos,
até o final do texto.
A conexão entre os diversos parágrafos fica mais nítida mediante palavras
e expressões de transição, tais como “assim sendo”, “desse modo”, “apesar
disso”, etc.
Naturalidade. A linguagem da redação deve ser simples, espontânea,
natural. Nada daquela rebuscada afetação dos textos do século passado.
Linguagem natural é aquela cujos termos são compreendidos e
empregados pelas pessoas de cultura média no seu trato diário. É uma linguagem
igualmente distante da gíria vulgar e do rebuscamento cristalizado das fórmulas
vazias e inúteis “dos tempos de antanho”, que a maioria dos leitores nem sequer
mais entende.

Aula 5
Aprendendo a fazer parágrafos
Após a definição da idéia, o parágrafo é o ponto de partida para uma boa
redação. Não se faz um bom texto sem um bom parágrafo para sustentar as
idéias principais e secundárias.
Luiz Carlos Figueiredo afirma que construir parágrafos é organizar e
desenvolver idéias, umas ligadas às outras. Organizar e desenvolver idéias é
difícil; por isso, requer um método que facilite o trabalho do escritor.
Uma boa redação é dividida em idéias relacionadas entre si ajustadas a
uma idéia central que norteia todo o pensamento do texto. Em uma livraria,
encontramos um local todo dividido em áreas de interesse. Em um
supermercado, há diversas divisões. Em uma escola, há espaço reservado para a
diretoria, para os alunos, etc. Mesmo em nossa vida, temos horário para
trabalho, descanso, alimentação. Também um bom texto necessita ter idéias bem
divididas em parágrafos independentes entre si.
Até a Idade Média, os textos eram escritos sem pontuação ou parágrafos.
Imagine a confusão. A dificuldade na compreensão dos textos conduziu os
autores a organizarem parágrafos para melhor apresentar as idéias desejadas.

4
Aula 6
O Parágrafo
Os parágrafos são as paredes de palavras que mantêm toda a casa textual
erguida. Eles se relacionam dinâmica e progressivamente. O parágrafo seguinte
sempre estará aprimorando o anterior, cada qual com sua idéia central ao redor
da qual circulam tijolos secundários. Podemos defini-lo como um grupo de
períodos relacionados uns com os outros e governados por uma idéia central,
formando uma seqüência unida, coerente e consistente de idéias associadas entre
si. Um bom parágrafo deve possuir dois princípios:
– todas as idéias devem estar organizadas e concentradas ao redor de uma
idéia central para formar um raciocínio;
– cada parágrafo apresenta o raciocínio geral, com uma idéia principal e
introdutória; o segundo parágrafo relaciona-se com o primeiro, o terceiro
relaciona-se com o segundo, numa cadeia de raciocínios. O último fecha o ciclo e
constitui a conclusão. O entrelaçamento de um parágrafo com outros, ou a
ligação de um raciocínio com outro, dá coesão ao texto.

No livro A Redação pelo Parágrafo, publicado pela UnB, encontramos


alguns exemplos de parágrafos.

Ex. 1:

“Ao cuidar do gado, o peão monta e governa os cavalos sem


maltratá-los. O modo de tratar o cavalo parece rude, mas o vaqueiro jamais é
cruel. Ele sabe como o animal foi domado, conhece as qualidades e defeitos do
animal, sabe onde, quando e quanto exigir do cavalo. O vaqueiro aprendeu que
paciência e muitos exercícios são os principais meios para se obter sucesso na
lida com os cavalos, e que não se pode exigir mais do que é preciso.”

Ex. 2:

“A distribuição de renda no Brasil é injusta. Embora a renda per capita


brasileira seja estimada em US$ 2.000 anuais, a maioria do povo ganha menos,
enquanto uma minoria ganha dezenas ou centenas de vezes mais, conforme
informação do IBGE. A maioria dos trabalhadores ganha o salário mínimo, que
vale cerca de US$ 65 mensais; muitos nordestinos recebem a metade do salário
mínimo. Dividindo essa pequena quantia por uma família onde há crianças e
mulheres, a renda per capita fica ainda mais reduzida; contando-se o número de
desempregados, a renda diminui um pouco mais. Há pessoas que ganham cerca
de US$ 10.000 mensais; outras ganham muito mais, ainda. O contraste entre o
pouco que muitos ganham e o muito que poucos ganham prova a distribuição de
renda em nosso país é injusta.”

5
Aula 7
Procurando a idéia central
A prática de construir o parágrafo ao redor da idéia central é muito útil e facilita
o desenvolvimento das outras idéias. Lembre-se de que a primeira idéia causa um
impacto forte no leitor e, por isso mesmo, deve ser escolhida com cuidado.

Aula 8
Idéias secundárias
Além da idéia central, o parágrafo possui as idéias secundárias que
sustentam a primeira. Essas idéias são informações, detalhes ou explicações que
completam e argumentam o pensamento inicial. A falta de idéias secundárias
enfraquece ou quebra totalmente o poder da principal.

Aula 9
Dicas para escrever melhor
1. Defina bem a idéia e os argumentos antes de iniciar o texto.
2. Observe se existe uma boa relação entre as idéias definidas.
3. Faça um bom primeiro parágrafo, sendo bem claro sobre sua idéia.
4. Cada parágrafo deve abordar uma idéia principal apenas, relacionada a
idéia central.
5. O parágrafo não aborda repetidamente a idéia de um parágrafo anterior
com o mesmo enfoque.
6. Sempre faça um esboço.
7. Verifique se as idéias principais e secundárias estão relacionadas à idéia
principal da abordagem escolhida.
8. Não acumule muitas idéias em um mesmo parágrafo.
9. Não faça períodos ou parágrafos muito curtos ou longos.
10.Elimine palavras repetidas.
11.Cuidado com a letra (ela não precisa ser bonita, basta ser legível).
12.Cuidado com a margem.

6
Aula 10
A planilha de correção
No passado, as planilhas de correção para concursos valorizavam a capacidade do
candidato em apresentar idéias e argumentos inovadores. Boa redação geralmente
era aquela que explorava abordagens novas e criativas. Analisando as planilhas
atuais, percebe-se que o candidato deve se preocupar em apresentar alguns
aspectos em especial:
− jamais fugir do tema;
− ter uma abordagem clara, objetiva, coerente com a realidade;
− não procurar idéias mirabolantes ou inovadores em exagero;
− argumentos que podem facilmente ser comprovados por fatos;
− toda idéia deve apresentar argumento consistente e não apenas
exemplos e exemplos;
− as idéias devem ter conexões lógicas entre si;
− deve haver progressividade no pensamento;
− respeitar o que for pedido no comando da redação (dissertação,
narração e/ou descrição);
− fechar o assunto sem deixar interrogações para o leitor;
− cuidado para não escrever na folha definitiva o seu rascunho;
− não se identifique inadequadamente.

7
Modelo de planilha do Cespe

8
Como se pode perceber, existem basicamente duas avaliações: conteúdo e
forma.

Aula 11
Avaliação do conteúdo
Em relação ao conteúdo, o primeiro tópico analisado é a apresentação textual
(legibilidade e respeito às margens e indicação dos parágrafos). O candidato deve
estar atento para não perder pontos desnecessários aqui. Basta observação. O
segundo tópico diz respeito à estrutura textual. No caso da planilha citada como
exemplo, temos modelo de dissertação, que é a forma mais comum em concurso.
É de conhecimento geral que todo texto deve ter início-meio-fim. O maior
cuidado aqui está relacionado não só à estruturação mas, principalmente, ao
início do texto (introdução adequada ao tema e posicionamento). Este
posicionamento pede atenção. A idéia principal deve estar apresentada de forma
clara, objetiva e coerente com a realidade.
O terceiro tópico é o principal da redação como um todo. É aqui que o candidato
define sua redação. Por isso mesmo, detalharemos cada item da planilha.

Aula 12
Estabelecimento de conexões lógicas entre os argumentos: a primeira
falha a ser considerada é não ter argumento para a idéia principal. O texto tem
bom posicionamento, porém não apresenta conteúdo satisfatório para comprovar
a idéia. Outra falha é ter argumento relacionado ao tema, mas não ao
posicionamento definido pelo autor. A terceira falha é apresentar argumentos
relacionados à idéia principal, mas sem conexões entre si.
Objetividade da argumentação frente ao tema/posicionamento: o
desenvolvimento de uma idéia deve apresentar informações coerentes com a
realidade e estritamente relacionadas ao posicionamento do autor em relação ao
tema. O conteúdo deve apresentar fatos perceptíveis não só pelo autor. O
argumento deve ser objetivo no sentido de que um leitor com média capacidade
de compreensão pode comprovar claramente a idéia transmitida.
Estabelecimento de uma progressividade textual em relação à seqüência
lógica do pensamento: em sala de aula, é comum encontrar grande parte de
alunos que não entendem este item. Outros entendem, mas não conseguem
escrever com progressividade. Poucos têm a capacidade de entender e produzir
textos com progressividade. Certamente, você estará entre estes. Estabelecer
progressividade é apresentar uma idéia que cresce com o desenvolvimento do
texto. Ao afirmar, por exemplo, que o governo Lula compromete o crescimento
da economia com altas taxas de juros, é necessário progredir com a idéia. Não
basta argumentar os motivos para tal atitude. Após apresentar as razões do
governo para esse posicionamento, o autor poderia progredir com a idéia
relacionando-a, por exemplo, com o desemprego, com a falta de perspectiva do
povo, com a manutenção do modelo econômico do governo anterior, etc. Não se

9
pode progredir e sair do posicionamento inicial. A progressividade é uma
seqüência lógica do pensamento inicial que amplia a visão do leitor.

Aula 13
Avaliação da forma
A segunda parte da planilha avalia a gramática utilizada no texto. Todos os itens
estão relacionados à gramática e à capacidade vocabular do candidato.
Impossível imaginar que alguém possa ser aprovado em um concurso sem
domínio bem razoável das regras gramaticais e bom uso de palavras.

Aula 14

MODELO DE PLANILHA DA

GRADE DE CORREÇÃO DE PROVA DISSERTATIVA

Conteúdo da Resposta
Pontos que devem ser analisados pelo examinador

FTT – Fuga Total do Tema

FPT – Fuga Parcial do Tema

DTP – Desconhecimento Total da Problemática

DPP – Desconhecimento Parcial da Problemática

AF – Argumentação Fraca

AI – Argumentação Inexata

DI – Desenvolvimento Incompleto

TC – Texto Confuso

CO – Contradição

FOR – Forma

GRADE DE CORREÇÃO DE PROVA DISSERTATIVA

I – Aspectos Formais
F – Erros de forma em geral
O – Erro de ortografia

II – Aspectos Gramaticais
MO – Morfologia
EC – Sintaxe de emprego e colocação
RG – Sintaxe de regência
CO – Sintaxe de concordância

10
PO – Pontuação

III – Aspectos Textuais


SDC – Sintaxe de construção (coesão prejudicada)
COV – Clareza; concisão; unidade temática/estilo;
coerência; propriedade vocabular; paralelismo
semântico e sintático.
PAR – Paragrafação

Nota: (X) indica erro já corrigido no texto

Como se pode observar pela planilha da Esaf, toda a primeira grade de correção
de prova discursiva está relacionada aos possíveis erros cometidos pelo
candidato. No passado, o texto era examinado muito em função de suas
qualidades. O que se percebe, hoje, é a punição pelos erros. Sendo assim, mais
importante do que tentar inovar na Esaf é buscar um texto com posicionamento
claro, objetivo e coerente com a realidade aliado a uma boa argumentação. A
Esaf valoriza muito a relação idéia-conteúdo.
Na segunda parte da planilha, encontra-se principalmente a correção dos erros
gramaticais. Cuidado com o item III da segunda grade para correção: aspectos
textuais. Alguns candidatos têm dificuldade em entender corretamente o que se
está avaliando.

SDC – Sistema de Construção (coesão prejudicada): no curso, você encontrará o


tópico coesão e saberá que é a relação entre termos e idéias. Muitas vezes a
construção fica defeituosa, sem concatenação de idéias.

COV – Clareza; concisão; unidade temática/estilo; coerência; propriedade


vocabular; paralelismo semântico e sintático: análise de vários assuntos
diferentes, porém todos compreensíveis facilmente. Cuidado principalmente com
a unidade temática, que se relaciona diretamente com a clareza e a coerência.
Erro em um provavelmente indica erro nos três. Após se posicionar sobre o
assunto, procure argumentos lógicos sem fugir do tema e sem ampliar
exageradamente. Mantenha uma linha de pensamento. Lembre-se de que a Esaf
é uma banca tradicional.

Aula 15
Qualidades de um texto
“Em qualquer meio de comunicação existem três interpretações:
1. o que o autor ou orador quer dizer;
2. o que ele realmente disse;
3. o que a pessoa que recebe a mensagem acha que foi dito.
Deveríamos todos procurar assegurar que o primeiro e o último sejam idênticos.”

R. T. Chappell & W.L. Read

Dia do concurso, a folha em branco a sua frente, o tempo passando e o


desespero tomando conta do candidato. Essa é uma cena que você vai notar
ocorrer com inúmeras pessoas no dia do concurso, mas não com você. A sua
11
dedicação fará de você um candidato tranqüilo e confiante em suas idéias e no
seu texto final. Para que tal objetivo seja alcançado, vamos priorizar alguns
detalhes fundamentais.
Não existe redação em concurso feita em dez minutos. A idéia e o texto
devem seguir um processo de elaboração consistente e progressivo. Uma boa
redação pede planejamento, organização. Escrever um texto não significa apenas
preencher o papel com frases soltas. Escrever pressupõe uma série de operações
anteriores.
As qualidades de um texto podem ser agrupadas em cinco características:
unidade, coerência, conteúdo, concisão e coesão.

Aula 16
Unidade
Um bom texto expressa uma boa relação entre as idéias. Observe que uma
boa comunicação é aquela em que o receptor reconhece com facilidade o assunto
tratado e o posicionamento do emissor. Para tal, o primeiro passo para uma boa
redação é a unidade entre as idéias. Todas as idéias devem estar relacionadas a
um foco principal, a uma intenção do comunicador.

Definindo o primeiro período:

O primeiro período é fundamental para um bom parágrafo. Lembre-se de


que o primeiro passo para que o parágrafo tenha unidade é a formulação de uma
idéia inicial clara e objetiva. Se a primeira idéia não ficar clara, certamente as
demais ficarão comprometidas ou sem relação entre si ou com a idéia central.

Ex.:

Brasília é a capital do Brasil. A cidade é muita seca e alguns moradores


reclamam disso. A cidade foi construída por um presidente que muita gente sente
saudade dele. A cidade tem um lago e muitos parques, mesmo assim existe
pouca área de lazer. Os principais órgãos do poder público estão em Brasília.
Sendo assim, a cidade agrada a uns e não a outros.

Como você pôde observar, as idéias estão relacionadas a Brasília, porém


não apresentam uma idéia central, uma unidade. Encontram-se apenas
informações soltas e não dando suporte a um posicionamento maior.

A primeira idéia apresentada no parágrafo deve ser definida para


servir aos propósitos do parágrafo e do texto como um todo.

Observe o parágrafo abaixo:

O corpo humano divide-se em três partes: cabeça, tronco e


membros. A cabeça é a mais importante de todas, pois contém o cérebro e os
principais órgãos do sentido. O tronco aloja o coração, os pulmões, o estômago,

12
os intestinos, os rins, o fígado e o pâncreas. Finalmente, os membros, que
podem ser superiores (braços e mãos) e inferiores (pernas e pés).

Como você percebeu, a idéia central está relacionada às idéias dos demais
períodos. É um parágrafo com unidade em que os períodos se completam. Os
períodos devem se auxiliar e, mesmo apresentando idéias independentes, devem
manter uma relação bem próxima.

Aula 17
Exercício TEXTO 1:

Leia o texto.

Destruir a natureza é a forma mais fácil de o homem se aniquilar da face


da terra. Dizimando certas espécies de animais, por exemplo, interfere na cadeia
alimentar, causando desequilíbrios que produzirão a extinção de seres essenciais
à harmonia do planeta. Jogando diariamente toneladas de produtos químicos
poluentes, o ser humano causa a destruição do meio ambiente.

Qual a idéia principal?


_________________________________________________________________

Quais as idéias secundárias que dão suporte à idéia principal?


_________________________________________________________________

Aula 18

Coerência
A coerência é outra qualidade do parágrafo. Enquanto a unidade seleciona
as idéias, central e secundárias, escolhendo as mais importantes, a coerência
organiza a seqüência dessas idéias, de modo que o leitor perceba facilmente
“como” elas são importantes para o desenvolvimento do parágrafo. Mesmo que
todos os períodos do parágrafo estejam relacionados entre si, ou dêem suporte à
idéia central, se faltar a organização dessas idéias, o parágrafo será confuso, sem
coerência. Ser coerente é ser organizado.

Observe o texto abaixo:

O São Paulo venceu muito bem os últimos três jogos que disputou.
Semana passada, goleou o Flamengo por 5-1. Ontem, venceu mais uma vez: 4-0
no Vasco.

Ele citou no período inicial três jogos e só abordou dois. Faltou coerência.

13
Observe outro texto:

A cidade do Rio de Janeiro já foi sede de três representações significativas


do poder público: prefeitura municipal, governo estadual e governo federal. O
governo estadual (...). A prefeitura municipal (...). O governo federal (...).

Ele citou as três sedes em ordem crescente e abordou de forma


desorganizada. Leia o texto abaixo:
Brasília é a melhor cidade do Brasil. A qualidade de vida apresenta dados
que se destacam no cenário nacional: baixa criminalidade, alto poder aquisitivo e
boas opções de lazer. Também o clima propicia agradáveis dias durante o ano
inteiro. Infelizmente, muitas pessoas que moram aqui reclamam dos preços
cobrados nos aluguéis de apartamentos apertados.

O parágrafo aborda inicialmente uma visão positiva em relação à cidade e,


no final, explora uma idéia contrária à idéia principal.

Aula 19
Conteúdo
A terceira qualidade é o conteúdo. A idéia a ser defendida no início deve
ser realçada com exemplos ou argumentos ou relações que acrescentem algo
progressivamente. Muitas vezes, o autor apenas exemplifica com informações
redundantes e de conhecimento público que pouco ou nada servem para ampliar
a idéia e cativar o leitor. Observe o texto:

Aula 20
A corrupção é um mal presente em todos os poderes no Brasil. Os jornais
informam diariamente casos como a compra de remédios faturados acima do
preço normal para o Ministério da Saúde, ou como o desvio de verbas no governo
do Rio de Janeiro e mesmo no Poder Judiciário com o envolvimento entre
magistrados e traficantes.

O parágrafo não apresentou dado algum relevante após a idéia inicial.


Todos os exemplos, que poderiam ter sido citados brevemente, já estão implícitos
no período. O texto pode apresentar unidade e coerência, mas sem consistência
fica superficial. Observe o texto abaixo:

As origens da literatura brasileira prendem-se ao quinhentismo e ao


seiscentismo. O quinhentismo apresentou-se com duas tendências marcantes: a
influência do clássico e a necessidade da literatura de informações, que tanto
influenciaram a crônica atual. O seiscentismo, por sua vez, explorou nossas
características religiosas e pagãs, promovendo uma literatura de textos que
buscavam unir o aspecto acadêmico à linguagem das igrejas.
14
Qual a idéia principal?
_________________________________________________________________

Quais as idéias exemplificam e ampliam a principal?


_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Aula 21
Concisão
Ser conciso é ser breve, escrever apenas o necessário para transmitir a
informação desejada. Por isso, ao apresentar suas idéias, economize palavras e
construções redundantes. Bom texto é texto rápido. Uma redação é feita com
poucas vírgulas.
O autor deve se preocupar contra a prolixidade, que alonga e dificulta a
compreensão do assunto, com a repetição das mesmas idéias já apresentadas; e
a digressão, que foge do assunto principal para tratar de questões paralelas de
pouca importância. Veja alguns exemplos de trechos redundantes:

Uma das soluções possíveis para a importante questão da demarcação de


terras...

Melhor seria: Para demarcas as terras...

O jornalista, quando chegou a São Paulo, terra da garoa e maior cidade do


estado, vindo de sua pequenina cidade natal, Pindamonhangaba, que fica no Vale
do Paraíba e é conhecida como “princesinha do vale”, onde morava num sítio em
companhia de seus três irmãos e não conseguiram juntar recursos pois a vida no
campo é difícil, e, portanto, chegaram à capital do maior estado do Brasil sem
dinheiro para nada.

Melhor seria: Ao chegar a São Paulo, vindo do interior, o jornalista não


tinha dinheiro.

15
Aula 22
Coesão
A coesão e a coerência constituem dois fatores importantes da
textualidade. Coesão e coerência são fatores distintos. Um texto pode ser coeso e
não ser coerente e vice-versa. No exemplo:

Meu filho não estuda nesta Universidade.


Ele não sabe que a primeira Universidade do mundo românico foi a de
Bolonha.
Esta Universidade possui imensos viveiros de plantas.
A Universidade possui um laboratório de línguas.

Como você observou, o assunto “Universidade” está presente em todas as


idéias apresentadas, todavia não foi suficiente para conferir coerência ao texto.
Não existe um texto propriamente dito, pois, apesar de haver um elemento
coesivo relativamente forte, não há uma relação de sentido unindo tais idéias a
uma principal. O mesmo ocorre em:

Maria está na cozinha.


A cozinha tem as paredes com azulejos.

Os azulejos são brancos.


Também o leite é branco.
O leite é produzido pela vaca.
A vaca vive no campo.
Poucas casas no campo têm cozinha.

Observe agora um texto com coesão e coerência.

“Comemora-se este ano o sesquicentenário de Machado de Assis. As


comemorações devem ser discretas para que sejam dignas de nosso maior
escritor. Seria ofensa à memória do Mestre qualquer comemoração que destoasse
da sobriedade e do recato que ele imprimiu à sua vida.”

Elementos coesivos

Alguns elementos coesivos podem ser classificados assim:

Termo Anafórico: quando o item de referência retoma um signo já


expresso no texto. Ex.:

Maria é excelente amiga. Ela sempre me deu provas disso.

Termo Catafórico: quando o item de referência antecipa um signo ainda


não expresso no texto. Ex.:

Só desejo isto: que você não se esqueça de mim.

16
Sinônimo: é obtida pela reiteração de itens lexicais idênticos ou que
possuem o mesmo referente. Exs.:

Lucas é meu filho mais velho. Meu primogênito é muito inteligente.


Fernando Henrique Cardoso não tem dado muitas entrevistas. O ex-
presidente prefere o silêncio.

Hiperônimo: quando o primeiro elemento mantém com o segundo uma


relação todo-parte, classe-elemento. Ex.:

Gosto muito de cidades grandes. São Paulo é maravilhosa.


Na fazendo, tenho muitos animais. Tenho uma vaca grande.

Hipônimo: quando o primeiro elemento mantém com o segundo uma


relação parte-todo, elemento-classe. Ex.:

Pedro comprou uma moto. O veículo é branco com faixa azul.

A substituição de termos por um equivalente é de muita importância na


redação, pois evita a redundância de vocábulos.

Aula 23
Observe o texto abaixo.

Texto I

Política e Politicalha

A política afina o espírito humano, educa os povos no conhecimento de si


mesmos, desenvolve nos indivíduos a atividade, a coragem, a nobreza, a
previsão, a energia, apura, eleva o merecimento.
Não é esse jogo da intriga, da inveja e da incapacidade, a que entre nós se
deu a alcunha de politicagem. Esta palavra não traduz ainda todo o desprezo do
objeto significado. Não há dúvida que rima bem com ladroagem. Mas não tem o
mesmo vigor de expressão que os seus consoantes. Quem lhe dará com o
batismo adequado? Politiquice? Politicaria? Politicalha? Neste último, sim, o sufixo
pejorativo queima como um ferrete, e desperta ao ouvido uma consonância
elucidativa.
Política e politicalha não se confundem, não se parecem, não se relacionam
uma com a outra. Antes se negam, se excluem, se repulsam mutuamente. A
política é a arte de gerir o Estado, segundo princípios definidos, regras morais,
leis escritas, ou tradições respeitáveis. A politicalha é a indústria de explorar o
benefício de interesses pessoais.
Rui Barbosa

17
Indique a idéia central de cada parágrafo:

1. _______________________________________________________

2. _______________________________________________________

3. _______________________________________________________

Aula 24
Texto II

O governo estuda medidas para controlar a forte migração do campo para


a cidade, conforme dados do IBGE. Quanto mais o trabalhador rural se dirige à
cidade em busca de uma vida melhor, maiores são as necessidades essenciais à
vida urbana. Alguns aspectos são fundamentais para uma vida minimamente
digna: esgotos, saúde, habitação, educação, trabalho, entre outros. Também o
abandono do campo provoca um espaço nas fazendas que não é interessante
para o governo, pois o trabalho rural é responsável por mais da metade dos
empregos no Brasil.

Qual é a idéia principal?


_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
______________________.

Quais idéias secundárias ampliam o posicionamento inicial?


_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
______________________.

Aula 25
Texto III

A concepção do homem sobre si mesmo e sobre o mundo muda


constantemente. Primeiro, os homens pensavam que a Terra fosse plana e que
fosse o centro do universo; depois, que o homem era uma criação divina
especial; chegaram a pensar que a loucura estava relacionada à Lua. Os
cientistas e muitos outros têm contribuído muito para modificar nossas idéias
constantemente, mas ainda não temos um quadro claro de como as coisas
realmente são. O progresso da ciência e a aprendizagem contínua em diversas
áreas do conhecimento forçam-nos a sempre rever nossas posições a respeito de
tudo.

18
Qual a idéia principal?
________________________________________________________________.

Quais as idéias secundárias?


_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Aula 26
Defeitos do Texto
Agora, trataremos de erros que prejudicam a elaboração de um bom texto.

Prolixidade

É importante que se eliminem as expressões supérfluas e os pormenores


excessivos. Muitas vezes, o autor acredita que, escrevendo bastante e utilizando
frases de efeito, tornará o texto mais rico. Na verdade, isso só atrapalha. Elimine
as idéias sem importância, as repetições, os exemplos demasiados, os adjetivos
supérfluos.

Reescreva o período a seguir, eliminando as expressões e os pormenores


excessivos:

Nada mais justo de que os milhões de jovens brasileiros não-adultos, de


norte a sul e leste a oeste, poderem exercer seu legítimo direito de cidadania,
tendo direito ao voto para todos os cargos políticos, de vereador, de prefeito, de
deputado e, inclusive, de presidente, influindo dessa maneira nos destinos tão
obscuros da nossa querida e amada Nação, chamada Brasil, nome recebido
justamente por causa de um produto da natureza, também bonito.

_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

19
Aula 27
Frases feitas

Os lugares-comuns e os clichês só empobrecem os textos, não


acrescentando nada e revelando linguagem limitada.

Porque o futuro é de todos nós.


Devemos unir nossos esforços.
Fechar com chave de ouro.
A nível de.
Chegar a um denominador comum.
Deixar a desejar.
Estourar como uma bomba.
Fortuna incalculável.
Inserido no contexto.
Levantar a cabeça e partir para outra.
A esperança é a última que morre.
Os jovens são o futuro da nação.

Aula 28
Períodos longos e curtos
Períodos longos geralmente estão associados a idéias incertas e facilitam
erros gramaticais. Por outro lado, os curtos tendem a quebrar as relações entre
as idéias.

Observe o exemplo com período longo:

Mesmo fervidas diariamente, as lentes de contato gelatinosas ficam


impregnadas de sujeira, o que pode até causar conjuntivite, mas, desde o
começo do ano, os míopes da Califórnia podem resolver o problema jogando as
lentes no lixo, pois lá acabam de ser lançadas lentes descartáveis que custam
apenas 2,5 dólares cada, que só em julho estarão disponíveis no Brasil.

Veja como fica melhor:

Mesmo fervidas diariamente, as lentes de contato gelatinosas ficam


impregnadas de sujeira, o que pode causar conjuntivite. Desde o começo do ano,
porém, os míopes da Califórnia podem resolver o problema. Acabam de ser
lançadas lentes descartáveis que custam apenas 2,5 dólares cada. Em julho, elas
estarão disponíveis também no Brasil.

20
Agora, observe o exemplo com período muito curto:

Antônio saiu cedo. Foi comprar pão. Foi à padaria da esquina. Ela estava
fechada. Ele voltou para casa.

Veja como fica melhor:

Antônio saiu cedo para comprar pão na padaria da esquina, que,


entretanto, estava fechada; portanto, voltou para casa.

Exercício
Reescreva os parágrafos a seguir, dividindo ou ligando os períodos, de
modo a tornar os textos mais claros.

Cinco por cento dos menores internados da FEBEM de São Paulo, números
que foram projetados a partir de uma amostragem dos testes de AIDS feitos em
mais de cinco mil internos, segundo o presidente da entidade, podem estar
contaminados pelo vírus da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) – um
indício inédito de aidéticos, principalmente em função da faixa etária das vítimas,
uma vez que os resultados de mil testes já indicam que boa porcentagem dos
menores estão infectados, apesar de ainda não apresentarem os sintomas da
doença.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________.

Não tem sido fácil a vida do assalariado nesses últimos dez anos, pois toda
vez que o governo precisa arrecadar mais, a primeira vítima é sempre o
contribuinte pessoa física: basta aumentar o Imposto de Renda na fonte que no
mês seguinte o dinheiro cai no cofre do Tesouro, mas, de tanto sofrer nas garras
do leão, o assalariado despertou a sensibilidade do Congresso Nacional uma vez
que, na semana passada, o governo, pressionado pela Frente Parlamentar de
Defesa do Contribuinte, resolveu reduzir a carga tributária sobre os assalariados,
sob a ameaça de ver o pacote fiscal enviado no final do ano passado ser rejeitado
pelo Congresso.

_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

21
O comício foi organizado pelos partidos de esquerda. O comício ocorreu
ontem às seis da tarde. Ele tinha por objetivo reivindicar eleições diretas já. Foi
duramente reprimido pelas forças policiais. As forças policiais tinham sido
convocadas pela prefeitura da capital.

_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________.

Os jovens lêem pouco. As leituras são distantes de sua realidade. A escola


é responsável por essas leituras. As escolas possuem pouca verba para comprar
livros para os alunos. Os alunos assim ficam sem estímulo para a leitura. A
televisão contribui para restringir o hábito da leitura.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________.

Aula 29

Falta de paralelismo
Quando se coordenam elementos (substantivos, adjetivos, advérbios,
orações), é necessário que eles apresentem estrutura gramatical idêntica.
Observe:

Procuravam-se soluções para satisfazer os operários e que


agradassem aos empresários.

Corrigindo: Procuravam-se soluções para satisfazer os operários e agradar


aos empresários.

As cidades paulistas e as cidades do Paraná apresentam muitas afinidades.


Corrigindo: As cidades paulistas e as paranaenses apresentam muitas
afinidades.

Ocorrem distúrbios devido à revolta dos estudantes e porque não


atenderam suas reivindicações.

Corrigindo: Ocorrem distúrbios devido à revolta dos estudantes e ao não


atendimento de suas reivindicações.

22
Exercício
As frases a seguir apresentam erros por falta de paralelismo. Reescreva-as
corrigindo.

O relevo da América do Sul é muito semelhante ao norte-americano.


_________________________________________________________________

Atualmente observa-se uma retração no consumo entre a classe média e


as camadas mais favorecidas.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Segundo o FMI, os países devedores gastaram mais do que podiam, por


incompetência, porque eram irresponsáveis e por corrupção.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Aula 30

Queísmo
O uso reiterado do “que” pode constituir erro de estilo.

Exercício:

Reescreva as frases abaixo eliminando o “que”.

O jornalista que redigiu a reportagem que apareceu no jornal receberá o


prêmio que todos desejavam.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Você tem que ter uma letra que todos possam entender o que está escrito.
_________________________________________________________________

O diretor afirmou que o relatório que foi escrito denuncia que tudo foi feito
errado.
_________________________________________________________________

Os amigos que ouvem o programa que você produz dizem que as notícias
que você comenta são falsas.
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________

23
Aula 31
Organizando a Redação
PRIMEIRO PASSO: Levantar idéias.

Assim que você receber sua proposta de redação, naturalmente uma série
de idéias sobre o assunto vem a sua cabeça. Procure registrar os pensamentos no
papel. Fatos, informações, opiniões, tudo. Não se preocupe se a lista parece
desordenada. Imagine, por exemplo, que você recebeu como proposta de
redação o tema: poluição dos rios.
É óbvio que as idéias não vão aparecer do nada. Procure relacionar causa,
conseqüência, solução e tudo mais que possa ajudar.

SEGUNDO PASSO: organizar as idéias.

Temos um conjunto desorganizado de idéias sobre um tema, porém


percebemos que podemos agrupar alguns tópicos. Muitos aspectos pensados
inicialmente como brilhantes serão desprezados. O importante é você buscar um
posicionamento sobre o tema proposto sabendo que poderá argumentá-lo bem
com conteúdo e progressividade.

Aula 32
TERCEIRO PASSO: definir o seu posicionamento em relação ao tema.

O tema proposto precisa ser clara e profundamente posicionado. Você não


conseguirá abarcar todas as facetas do tema. É preciso escolher uma idéia
principal forte e atraente. Observe alguns possíveis posicionamentos sobre o
tema:

1. causas do aumento da poluição no Brasil;


2. a atuação do governo no combate à poluição;
3. poluição e educação.

QUARTO PASSO: encontrar as idéias que darão suporte à sua idéia


principal.

Uma boa idéia principal não significa sucesso na redação se não


encontrarmos argumentos consistentes para demonstrar nosso posicionamento.

QUINTO PASSO: iniciar o parágrafo introdutório.

24
Aula 33
Modelos de Redação
Os textos abaixo foram incluídos por apresentarem boa estruturação nos
parágrafos. Observe como os argumentos se relacionam adequadamente à idéia
principal apresentada no início de cada texto.

Cresce o fosso
Os dados divulgados sobre o índice do desenvolvimento humano (IDH)
mundial desestimulam qualquer comemoração. Segundo relatório das
Nações Unidas divulgado ontem em Bruxelas, os países cresceram menos
nos anos 90 que nos anos 80. Em 46 deles, a população está mais pobre
que em 1990. Em 25, a fome castiga mais pessoas que há uma década.
Em 20, todos os indicadores andaram pra trás.
Para o cálculo da qualidade de vida, consideram-se três aspectos. Um
deles é a expectativa de vida da população ao nascer. Outro, o acesso ao
conhecimento. Leva-se em conta, no caso, a taxa de alfabetização dos
habitantes com 15 anos ou mais e o percentual de matrículas nos ensinos
fundamental, médio e superior. Por fim, pesa a renda per capita.
Os números trazidos à luz causam espanto e frustração. O planeta
abriga 831 milhões de desnutridos. Nada menos que 1,1 bilhão de seres
humanos sobrevivem com menos de US$ 30 por mês. Em 2002, 11
milhões de crianças morreram antes de completar um ano. Quase 105
milhões de infantes não freqüentam a escola. Água potável não chega a
1,2 bilhão de pessoas. Saneamento básico constitui luxo desconhecido
para 2,7 bilhões de criaturas.
A decepção diante dos resultados não se deve à extensão das carências.
Deve-se, sobretudo, ao ritmo de sua redução. Na América Latina e Caribe,
por exemplo, 33 países não conseguirão cumprir a meta assumida com a
ONU em 2000: reduzir à metade o número de miseráveis que vivem com
menos de um dólar por dia, assegurar o acesso das crianças ao ensino
fundamental e diminuir em dois terços a taxa de mortes de menores de
cinco anos.
Na África, o quadro revela-se mais dramático. Lá, 13 países registraram
retrocesso no IDH na década de 90. É a primeira vez que tantos Estados
andaram pra trás. Na década de 80, só três deram marcha a ré na
caminhada pela conquista de melhor qualidade de vida. As perspectivas
para a região são sombrias. Caso o ritmo de mudança se mantenha, só em
2100 se cumprirão as metas de educação e mortalidade infantil.
O Brasil passou da 68a classificação em 1995 para 72a em 2002. A
queda, porém, não significa retrocesso nos indicadores sociais, mas a
inclusão de outros Estados com melhor desempenho na lista geral. Mas o
país melhorou pouco, muito pouco. Prova da lentidão reside no fato de o

25
Brasil nunca ter saído do ranking dos países de desenvolvimento médio.
Continuamos bem atrás da Argentina, que ocupa o 34º lugar.
Conclusão: nos anos em que se radicalizou a globalização, o mundo se
tornou mais injusto. Os ricos — países, regiões, pessoas — ficaram mais
ricos. Os pobres, mais pobres. Sem aperfeiçoamentos do modelo, o fosso
se tornará intransponível.
Correio Braziliense, 16/7/2004

O maior negócio do país

O agronegócio está por trás do processo de desenvolvimento dos países


mais avançados do mundo. A maioria das pessoas que moram nas cidades
desconhece a dimensão desse segmento na economia do país. Há na
sociedade uma idéia equivocada de que ele serve apenas para produzir
comida. Na verdade, a riqueza de um país vem da agricultura e da
pecuária, já que nenhuma nação nasceu industrial. Todas começaram com
a agropecuária, desenvolveram os serviços e depois suas indústrias.
Poucos se dão conta, por exemplo, de que, se não houvesse o produtor
de cevada para fazer a cerveja, não haveria emprego para o motorista de
caminhão que a transporta nem para o operário de fábrica de latas,
garrafas, engradados, tampinhas e mesas de bar. Também não haveria
trabalho para o garçom nem para a costureira que faz o seu paletó. Muito
menos para o publicitário que faz o anúncio da cerveja. Na Páscoa, quando
vemos propaganda daqueles ovos deliciosos, é preciso saber que chocolate
não aparece enrolado no papel. Frango também não vem embalado.
Trabalhamos diariamente com papel. Quem planta a árvore que dá a
celulose? É o agricultor.
Quer dizer, o agronegócio gira a roda de toda a nossa economia. Os
automóveis rodam com pneus porque um produtor planta seringueiras, de
que se extrai látex para fabricar borracha. A calça jeans tem como
matéria-prima o algodão. Sapatos, bolsas, cintos e carteiras existem
graças à criação de bois, dos quais sai o couro. Também não haveria roupa
íntima nem gravatas sem o cultivo das amoreiras que alimentam as
lagartas do bicho-da-seda. Esse é o conceito que tenho procurado trazer
para dentro do governo brasileiro.
Precisamos exportar, aumentar nosso superávit comercial e dessa
forma fazer uma poupança em dólares. Temos criado condições de
desenvolvimento e de investimentos em outros setores fundamentais,
como indústria, comércio e serviços. Mas é a agricultura que tem uma
vantagem comparativa imediata. O crescimento da soja, por exemplo,
aumenta o horizonte para o biodiesel. Podemos produzir mais 3 milhões de
hectares de soja no Brasil só para fazer biodiesel. Se misturarmos 5% de
óleo de soja ao óleo diesel, poderemos reduzir as importações de petróleo
e gerar pelo menos 300.000 empregos diretos. Os japoneses já têm leis
que autorizam a mistura de até 3% de álcool à Gasolina. Se eles a
utilizarem em 15% dos carros, precisarão importar 12 bilhões de litros de

26
álcool, o que exigirá o plantio de outros 4 milhões de hectares de cana-de-
açúcar. Isso significaria mais de 1 milhão de empregos diretos e indiretos
no setor sucroalcooleiro.
Vejamos um exemplo concreto: no fim dos anos 70, a tonelada do suco
de laranja valia pouco mais de 600 dólares em razão de uma superoferta
mundial. Entre o Natal e o Ano-Novo, houve uma forte geada na Flórida.
Em quinze dias, o preço do suco subiu para 950 dólares. Aqui, os
produtores da paulista Bebedouro, a capital nacional da laranja, que até
então enfrentava uma profunda depressão, começaram a ganhar dinheiro.
A primeira coisa que fizeram foi aumentar o salário de seus empregados.
Depois, compraram tratores, arados, grades. Adquiriram também
liquidifïcadores, máquinas de costura, televisão, roupas para a família. Isso
gerou uma grande demanda no comércio. Casas foram reformadas, lojas
ganharam pintura nova. Gerou-se emprego para pedreiros, carpinteiros,
eletricistas. A prefeitura recolheu muito mais impostos, já que todos
passaram a trabalhar e produzir mais. Os agricultores pagaram o que
deviam e depois foram comprar terras nos Estados de Mato Grosso, Goiás,
Tocantins, Minas Gerais.
A agricultura pode produzir isso tudo, além de transferir riqueza para
outros setores da economia. Mas, para que esse processo ocorra de forma
consistente e sustentável, é necessário abrir novos mercados, reforma
agrária com modelos adequados de crescimento e conquistar fronteiras
agrícolas com total respeito ao meio ambiente e à biodiversidade. Esse é o
nosso desafio.
Especial Agronegócio, p. 22, abr./2004.

O lago é de todos

Uma discussão elementar em direito é a distinção entre o público e o


privado. O direito à propriedade, garantia prevista na Constituição, tem
como prerrogativa o respeito ao patrimônio individual. O espaço físico
privado é um bem inviolável, que só pode ser invadido se houver mandado
judicial. Por seu lado, o espaço público é um bem da sociedade, que não
pode ser desrespeitado por vontade de particulares.
A situação do lago Paranoá é a completa inversão desses preceitos
jurídicos. Protegida por lei federal que a transforma em Área de
Preservação Permanente, a orla tornou-se quintal dos brasilienses de
classe média e alta. Esse espaço comunitário, que deveria atender a toda
a população, foi privatizado para servir aos interesses particulares dos
ocupantes das pontas de picolé, os lotes mais valorizados da região mais
valorizada do Distrito Federal. Às margens, moradores montam pier,
aterram área pública e fecham a passagem da ciclovia.
A ocupação generalizada do lago mostra que o governo do Distrito Federal precisa
disciplinar o uso de um espaço que deveria ser público, mas está nas mãos de uma
parcela de moradores. Na verdade, as irregularidades às margens do Paranoá são
um reflexo da desordem urbana no Distrito Federal. O espaço público é

27
desrespeitado na proliferação dos condomínios; no avanço das lojas nas quadras
comerciais do Plano Piloto, na farra promovida por deputados distritais com a
destinação de áreas públicas nas cidades de menor renda.
Nas reportagens publicadas pelo Correio, os moradores demonstram disposição
para obedecer a uma normalização sobre o uso das margens do Paranoá. Um dos
argumentos mais comuns apresentados pelos ocupantes é a segurança: eles
reclamam de bêbados e arruaceiros que incomodam a vizinhança à noite. Ocorre
que um erro não pode ser remediado por outro. Segurança e tranqüilidade nas ruas
são atribuições do Estado — não cabe a cidadãos tomarem medidas particulares
para garantir o seu bem-estar.
O que de fato deve ocorrer é uma atuação mais efetiva dos órgãos públicos
responsáveis pelo uso desse espaço tão privilegiado do cotidiano brasiliense. A
Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos precisa urgentemente encontrar
soluções para disciplinar, aconselhar e punir moradores que desrespeitam as normas
de convivência pública.
Talvez seja por Brasília não ter praia que os moradores deixem de se dar conta da
gravidade de morar em uma cidade em que a área pública de lazer está na mão de
poucos particulares. Seria impensável uma orla ocupada no Rio de Janeiro, Salvador
ou Recife — ainda que haja casos de praias particulares nessas metrópoles. É o
predomínio do interesse particular sobre o direito público. No fim, todos perdem.

Sugestões de temas

1. O Poder Judiciário e o Poder Financeiro do conflito no Iraque.


2. O direito internacional após o conflito no Iraque.
3. A ONU e a Justiça no direito internacional.
4. O Poder Judiciário e a corrupção no Brasil.
5. O Poder Judiciário julga o Poder Judiciário.
6. A importância do Poder Judiciário no caso Pedrinho.
7. O governo Lula.
8. Modernização e agilização da Justiça Brasileira.
9. Praticar a justiça com equilíbrio é dever de todo cidadão.
10. Justiça: uma preocupação constante.
11. Liberdade: conquista individual e coletiva.
12. Sem trabalho, não existe dignidade.
13. Velhice: entre a sabedoria e a solidão.
14. Por que o Brasil continua a ser o país do futuro?
15. A importância da justiça para a cidadania.
16. A vida não é um enigma a ser decifrado, mas um mistério a ser
vivido.
17. O trabalho e o desemprego na sociedade atual.
18. A segurança coletiva inicia-se em atitudes individuais.
19. A proibição do fumo em lugares públicos fechados.
20. A liberdade de uma pessoa termina onde começa a liberdade de
outra.

28
TEMAS DE CONCURSOS RECENTES

TEMA 1
Ética, cidadania e possibilidades de futuro

Valores são criações humanas; não podem ser considerados entidades abstratas e
universais, válidas em qualquer tempo e lugar. Os valores morais são o fundamento da
ética. E a ética pode ser compreendida como uma estética em si, isto é, como a atividade
de construir nossos próprios valores, pondo-nos nós mesmos como valor fundamental.
A afirmação da individualidade, da singularidade de cada pessoa, que deve ser
respeitada em suas opções e ações, não significa que cada um deva viver isolado dos
demais. A singularidade e a criatividade podem e devem ser preservadas em meio à
coletividade. Compreender a ética como uma estética da existência não deve ser visto
como uma atitude solitária, particular, mas, sim, como um empreendimento coletivo.
Depende de nossas escolhas e de nossas ações o que faremos de nossas vidas e do
mundo em que vivemos. Se pusermos o ser humano como valor fundamental, a ciência e
a tecnologia podem nos permitir ações antes impossíveis. Com as redes de
computadores, podemos hoje nos comunicar com qualquer parte do mundo de forma
praticamente instantânea. Se tivermos terminais de computadores de fácil acesso a
todos, teremos uma infinidade de informações disponíveis para todos, o que certamente
revolucionará as possibilidades de educação.
A democracia hoje está restrita a uma representatividade pelo voto: não há como
garantir a participação direta de todos. As redes de computadores, por outro lado,
permitem uma ação direta de toda a população, uma efetiva participação na tomada de
decisões e também na sua implementação. A responsabilidade da decisão deixa de ser de
umas poucas pessoas para ser, de fato, responsabilidade de todos. Isso parece ficção
científica? Pois os meios tecnológicos para a sua realização já existem; falta o empenho
de todos para que se efetive.
Só podemos ser indivíduos singulares, senhores de nós mesmos, em uma sociedade
aberta, em que a cidadania exista de fato como participação de todos, assim como só
pode haver efetiva cidadania se os indivíduos forem livres, singulares e participativos na
comunidade. O futuro está aberto. Se resolvermos tomar as rédeas de nossas vidas
particulares e da vida pública em geral, se assumirmos com consciência e
responsabilidade tanto nossas escolhas éticas quanto nossos atos políticos, estaremos nos
constituindo como verdadeiros cidadãos.
Silvio Gallo (org.). Ética e cidadania: Caminhos da filosofia. Campinas: Papirus, 2000, p. 108-10 (com
adaptações).

Considerando que as idéias apresentadas acima têm caráter unicamente motivador,


redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do seguinte tema:

É urgente que o ser humano seja considerado o principal valor da sociedade.

29
TEMA 2
A crise de valores no mundo contemporâneo

Nos tempos modernos, experimentamos uma inversão de valores morais, que são o
fundamento da ética. O desenvolvimento da ciência e da tecnologia foi tão grande, rápido
e intenso que assumiu dimensões inimagináveis. Diante desse espantoso e vertiginoso
desenvolvimento, o homem foi empalidecendo, perdendo sua posição central.
O trabalho alienado, que transforma o trabalhador em mais uma mercadoria, fez que
o homem perdesse sua capacidade de ser o sujeito das situações. Manipulado no universo
do trabalho, manipulado no mundo do consumo, o homem pode estar perdendo sua
humanidade.
Na sociedade capitalista, o dinheiro é que ocupa o centro das atenções. Uma pessoa
vale pelo dinheiro que possui ou que pode produzir. O psicanalista Erich Frömm
caracterizou nossa sociedade como aquela que dá muito mais importância ao ter do que
ao ser. Isso mostra que, nos dias de hoje, as pessoas já não têm o ser humano como
valor fundamental, mas, sim, o dinheiro, o lucro.
Podemos compreender, assim, alguns fatores aparentemente incompreensíveis:
acidentes que acontecem em edificações e matam dezenas de pessoas, porque houve
algum tipo de economia na construção ou interesse na destruição; pessoas que morrem
em hospitais, porque a verba repassada pelo governo já não atende à ganância dos donos
das casas de saúde; investimento de fortunas em projetos mirabolantes, ao passo que
parcela enorme da população passa fome, vive nas ruas sem casa, escola, sistema de
saúde, sem o mínimo necessário para uma sobrevivência com dignidade.
Quando nos voltamos para o âmbito da ciência, a realidade não é diferente. Com o
crescimento da velocidade da produção de conhecimentos científicos, ela acaba por
atropelar o ser humano. Se, no princípio, a ciência desenvolvia-se para buscar respostas
para os problemas de sobrevivência do homem em um mundo adverso, com o tempo, ela
passa a se desenvolver por si mesma, porque o próprio conhecimento se torna um valor a
ser perseguido.
No processo histórico do desenvolvimento científico e tecnológico, muita coisa foi
produzida visando à melhoria da qualidade de vida das pessoas, mas muita coisa foi
produzida segundo outros interesses. A bomba atômica é um lamentável exemplo: longe
de melhorar a vida, acaba com a vida de milhares de seres humanos. Isso só foi possível
porque, no centro dos valores, já não estava a promoção da vida humana, mas o lucro e
o desenvolvimento do conhecimento que, por sua vez, pode ser uma ótima forma de
gerar dinheiro.
Silvio Gallo (org.). Ética e cidadania: Caminhos da filosofia. Campinas: Papirus, 2000, p. 106-7 (com
adaptações).

Considerando as idéias apresentadas no texto acima, redija um texto dissertativo,


desenvolvendo o seguinte tema:

A contribuição dos avanços científicos para a melhoria da qualidade de vida


das pessoas.

Ao estruturar o seu texto, contemple, necessariamente, os seguintes tópicos:


• na introdução, focalize o tema, relacionando-o apenas ao contexto brasileiro;
• no desenvolvimento, insira a descrição de uma situação real ou fictícia, relacionada
ao enfoque dado ao tema, de forma a exemplificá-lo;
• na conclusão, posicione-se criticamente a respeito da situação descrita, vinculando
tal posicionamento às idéias do penúltimo parágrafo do texto “A crise de valores no
mundo contemporâneo”.

30
TEMA 3
A pesquisa Retrato da Leitura no Brasil evidenciou o quanto a maioria dos brasileiros
está distante da leitura. Barreiras das mais diversas fazem que cerca de dois terços da
população alfabetizada maior de quatorze anos não tenha acesso ao livro.
Considerando o texto acima, que tem caráter unicamente motivador, redija um texto
dissertativo, posicionando-se acerca do tema a seguir:

Política de leitura no Brasil.

Em sua dissertação, devem ser abordados, necessariamente, os seguintes aspectos:


• criação e manutenção de bibliotecas e democratização do acesso a elas;
• qualificação do professor como figura essencial à formação de leitores.

TEMA 4
Tendo em vista a discussão referente ao ensino superior e as múltiplas questões que o
assunto suscita, redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do tema a seguir:

A expansão do ensino superior brasileiro prioritariamente no âmbito da


iniciativa privada.

Em sua dissertação, devem ser contemplados, necessariamente, os seguintes


aspectos:
• resolução do problema crucial do financiamento desse nível de ensino em
instituições particulares;
• formas de avaliação, pelo poder público, da qualidade do ensino ministrado nos
estabelecimentos de ensino particular.

TEMA 5
Quando o cidadão descobre que ele é o princípio do que existe e pode existir com sua
participação, começa a surgir a democracia. Cidadania e democracia andam de mãos
dadas e não existem separadas. Cidadania não é individualismo, mas afirmação de cada
um em sua relação de solidariedade com os outros. Cidadania e democracia estão
baseadas em princípios éticos e têm o infinito como limite. Não existe limite para a
solidariedade, a liberdade, a igualdade, a participação e a diversidade. A democracia é
uma obra inesgotável.
Herbert de Souza. Democracia e cidadania. In: Carla Rodrigues (Org.) Democracia: cinco princípios e um
fim. São Paulo: Moderna, 1996, p. 66 (com adaptações).

Não tem como você estereotipar alguém como negro só por causa da cor. No fundo,
todo brasileiro é meio negro.
Flávio Martins, 19 anos, aluno de Letras, UnB. Correio Braziliense, 10/6/2003.

A rigor, mesmo as vozes contrárias à política de cotas admitem que a situação é injusta e
precisa ser revertida, mas não à custa do direito dos outros ou do princípio da igualdade e da
isonomia dos brasileiros, independentemente de credo político, religioso ou raça.
Revista do Livro Universitário, março/abril 2003
(com adaptações).

31
Considerando que as idéias apresentadas nos textos acima têm caráter unicamente
motivador, redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do seguinte tema:

Identidade étnica e construção da cidadania.

TEMA 6
A resposta à criminalidade entre os adultos é dada pelo direito penal, que privilegia a
aplicação de penas privativas de liberdade (detenção e prisão). Essa sistemática tem por
resultado a superlotação carcerária, um saldo exorbitante de mandados de prisão não-
cumpridos e um índice de reincidência criminal de 65%. Isso leva a crer que o
encarceramento é medida ineficaz, extremamente dispendiosa e pouco inteligente no
combate à criminalidade.
Caso essa sistemática seja estendida aos adolescentes, em provável decorrência da
redução da idade penal, haverá a ampliação do contingente de pessoas sujeitas ao
sistema carcerário, provocando o conseqüente agravamento da carência de vagas e a
superlotação nas prisões. Essa situação poderá incentivar ainda mais o avanço da
criminalidade, pelo descrédito a que a Justiça está exposta.
Quando devidamente implementado, o sistema educativo proposto pelo Estatuto da
Criança e do Adolescente, ao contrário do sistema prisional, dá ensejo à efetiva
recuperação dos jovens infratores, inclusive daqueles responsáveis por infrações
gravíssimas — homicídio e latrocínio —, o que pode resultar em um índice de reincidência
inferior a 10%. Isso porque se propõe a oferecer, durante o prazo em que o adolescente
estiver internado, educação escolar e profissionalização, inseridas em um projeto de
atendimento pedagógico e psicológico adequado à sua condição de pessoa em
desenvolvimento e voltado à sua reinserção social.
Cleide de Oliveira Lemos. Reduzir a idade penal é a solução? In: UnB Revista, dez./2003-mar./2004,
p. 18-9 (com adaptações).

Considerando o tema do texto acima, redija um texto dissertativo posicionando-se


acerca da seguinte questão:

A redução da idade penal é a solução para desvios de conduta de


adolescentes infratores?

TEMA 7
A nova Lei nº 9.790/1999 traz uma novidade importante: pela primeira vez, o Estado
reconhece a existência de uma esfera pública em emersão, a qual é pública não pela sua
origem, mas pela sua finalidade, ou seja, é pública embora não seja estatal.
Considerando o texto acima, que tem caráter unicamente motivador, redija um
discurso parlamentar, posicionando-se acerca do seguinte tema:

Figuras jurídicas introduzidas pela reforma administrativa: organizações


sociais.

Em seu discurso, devem ser contemplados, necessariamente, os seguintes aspectos:


• agilidade e encargos no processo de qualificação das organizações sociais;
• abrangência institucional e reconhecimento de organizações da área social;
• aumento da burocracia no que se refere ao acesso das organizações sociais a fundo
público.

32
TEMA 8
A Lei n° 8.112/1990 instituiu, em proveito dos familiares ou dependentes do servidor
público, os benefícios previdenciários da pensão, do auxílio-funeral e do auxílio-reclusão.
Considerando o texto acima, que tem caráter unicamente motivador, redija um
discurso parlamentar, posicionando-se acerca do seguinte tema:

Benefícios previdenciários aos dependentes do servidor público.

Em seu discurso, devem ser contemplados, necessariamente, os seguintes aspectos:


• natureza dos benefícios instituídos;
• beneficiários contemplados pela Lei nº 8.112/1990;
• despesas do erário geradas pelos benefícios.

TEMA 9
O Prêmio Qualidade do Governo Federal (PQGF) é um projeto do Programa de
Qualidade e Participação na Administração Pública. Seu principal objetivo é estimular
organizações públicas a implementarem programas de melhoria do desempenho
institucional, atuando como mecanismo de reconhecimento formal e público dos
resultados das instituições comprometidas com a qualidade da sua gestão e,
conseqüentemente, com os seus usuários. O PQGF é um sistema de premiação alinhado
aos critérios e procedimentos da Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade, e seu
papel é orientar organizações públicas que almejam ser reconhecidas pela excelência em
sua gestão e participar do Prêmio Nacional da Qualidade.
Prêmio Qualidade do Govemo Federal (com adaptações).

Considerando as idéias apresentadas no texto acima, que têm caráter unicamente


motivador, redija um texto dissertativo posicionando-se acerca do tema seguinte:

Gerenciamento da qualidade total: modelo implementado pelo governo


federal para a gestão das organizações públicas.

Em sua dissertação, devem ser contemplados, necessariamente, os seguintes


aspectos:
• critérios de avaliação do gerenciamento da qualidade de uma organização;
• características do gerenciamento da qualidade total;
• ferramentas utilizadas no gerenciamento da qualidade total.

TEMA 10
As transformações ocorridas na função de recursos humanos ao longo do tempo
convidam os gestores a combinar exterioridade e objetividade — visando à maximização dos
benefícios econômicos advindos do alinhamento entre o potencial dos empregados e os
objetivos empresariais — com as sutilezas e sensibilidades subjetivas, para que sejam
capazes de lidar com os aspectos relacionais e intrínsecos à natureza humana no âmbito do
trabalho e da atividade organizacional. Considerar as questões subjetivas significa que toda
pessoa tem seu espaço interior, percebido como completamente seu; que esse espaço
relaciona-se com a exterioridade; que ele é historicamente construído; que ele é decisivo nas
escolhas das pessoas durante a vida e acaba por provocar mudanças no entorno.
Eduardo Davel e Sylvia Vergara. Gestão com pessoas,
subjetividade e objetividade nas organizações.
São Paulo: Atlas, 2001 (com adaptações).

33
Considerando as idéias acima apresentadas, que têm caráter unicamente motivador,
redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do seguinte tema:

Gestão com pessoas, subjetividade e objetividade nas organizações.

Em sua dissertação, devem ser contemplados, necessariamente, os seguintes


aspectos:
• novas tendências em avaliação de desempenho quanto à objetividade da
administração de recursos humanos;
• habilidades a serem desenvolvidas pelos gestores, tendo em vista questões
subjetivas das organizações, como a interioridade, o prazer, o conhecimento e o poder.

TEMA 11
Os técnicos do DIEESE somam o desemprego aberto (de quem procura emprego e não
executou nenhum tipo de atividade remunerada na semana anterior à entrevista), o
desemprego oculto pelo trabalho precário (de quem fez algum trabalho temporário na
semana anterior à pesquisa e procurou emprego) e o desemprego oculto pelo desalento
(de quem desistiu temporariamente de procurar trabalho) para chegar a uma taxa de
desemprego total, que em maio de 2003 foi de 20,6%.
Economia. In: O Globo, 13/7/2003, p. 36 (com adaptações).

Foi justamente a contradição entre o crescimento econômico e a distribuição de


riqueza que levou a Organização das Nações Unidas a adotar o conceito de
desenvolvimento humano em 1990. Antes, o método de avaliar o progresso de um país
exclusivamente pelo crescimento de seu PIB per capita ocultava distorções cruciais, como
a má distribuição de riqueza interna.
IstoÉ, 16/7/2003 (com adaptações).

Considerando que as idéias apresentadas nos fragmentos dos textos acima têm
caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do
seguinte tema:

País desenvolvido: equilíbrio entre trabalho e distribuição e renda.

34