Você está na página 1de 2

Religiões nos Censos Demográficos Brasileiros

Paulo Agostinho Nogueira Baptista – PPG em Ciências da Religião da PUC Minas, 2019. Linha de Pesquisa: “Religião, Política e Educação” – Grupo de Pesquisa: REDECLID
BAPTISTA, Paulo Agostinho N. Religiões nos Censos Demográficos Brasileiros. 2019. Disponível em:
<https://pt.scribd.com/document/422071260/Religioes-Nos-Censos-Demograficos-Brasileiros>. Acesso em: 16 ago. 2019. (1ª. versão em 2012).

CATÓLICA PROTESTANTE OUTRAS SEM Sem


CENSO POPULAÇÃO Espírita Islã Budismo
(romana) De Missão Pentecostais Não determinada RELIGIÕES RELIGIÃO declarar s/d
9.902.712
1872 9.930.478 Não apurou (N/A) (N/A)
99,7 %
14.179.615 143.743 3.300 7.257 300
1890 14.333.915 (N/A) (N/A) (N/A)
98,9 % 0,01% 0,02% 0,05%
15.572.671 177.727 15.023
1900 17.438.434 861.570 (religião ignorada) = 4,9% 123 (N/A)
(89,3%) 1,02% 0,08%
23.414.177
1910 #
(estimativa)
(N/A)
1920 30.635.605 (N/A) (N/A) (N/A)
37.400.00
1930 #
(estimativa)
39.177.880 1.074.857 794.274 189.304 101.974 463.400
1940 41.236.315 3.053 123.353
95% 2,6% 1,9% 0,46% 0,24% 1,1%
48.558.854 1.741.430 1.232.071 274.236 157.806 824.553
1950 51.944.397 3.454 152.572
93,5% 3,3% 2,3% 0,53% 0,3% 1,6%
70.992.343 65.329.520 2.824.775 1.648.949 353.607 34.519 977.561
1960 7.745 179.464
(70.191.370)  92% 4% 2,3% 0,5% 0,05% 1,4%
94.508.583 85.472.022 4.814.728 2.133.040 701.701 13.355 1.178.293
1970 (N/A) (N/A)
(93.134.846)  90,4% 5,1% 2,3 % 0,7% 0,014% 1,2%
7.885.846 = 6,5% 859.516
121.150.573 105.861.113 3.011.311 1.953.096 299.686 Orientais
1980 4.022.343 3.863.503 0,7% (N/A)
(119.011.052)  87,4 % 2,5 % 1,6 % 0,25% 257.006
3,3 % 3,2 % 678.714 *
13.189.284 = 9% 596.002 1.644.345 Orientais
146.917.459 121.812.760 4.271.509 6.946.244
1991 0,4% s/d + 1,1% (N/A) 368.578
(146.815.799)  82,9 % 4.388.311 8.179.666 621.307 2,9 % 4,7%
3,0% 5,6 % 0,4% Indeterm. 648.474 *
26.184.941 = 15,4% Orientais
383.953 0,22% 2.262.401
169.590.633 124.980.132 5.483.779 12.492.403 27.239 ? 376.690
2000 6.939.765 17.617.307 1.627.869 s/d + 357.648 1,3%
(169.872.856)  73,7 % 3,2 % 7,4% Budismo
4,1% 10,4 % 0,9% 0,21% Indet. 525.013 *
214.873
42.275.440 = 22,1 % 15.335.510 Orientais
Indeterm. 3.848.876
190.755.799 8,0 % 35.167 ? 415.267
2010 123.280.172 9.221.079 643.598 2%
(190.732.694)  7.686.827 25.370.484 9.218.129 Ateu Budismo
64,6 % 4,0% 13,3 % 4,8 % 4,8 % 0,33% 588.797 *
615.096 243.966
# Não houve censo * Afro-brasileira (Umbanda, Candomblé...).  População residente corrigida pelo IBGE.
Fonte: IBGE. Censo Demográfico. Biblioteca/Catálogo – 1872 a 2010. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo/>. Acesso em 15 ago. 2019.
POPULAÇÃO BRASILEIRA – 1.550 a 1869
ANO AUTOR DA PROJEÇÃO/ESTIMATIVA HABITANTES
1550 Contreiras Rodrigues (a) 15 000
1576 Contreiras Rodrigues (a) 17 100
Pandiá Calógeras (b) 57 000
1583
Compreende 25 000 brancos, 18 000 índios e 14 000 escravos negros
Contreiras Rodrigues (a) 100 000
1600
Compreende 30 000 brancos e 70 000 mestiços, negros e índios
Contreiras Rodrigues (a) 184 000
1660
Compreende 74 000 brancos e índios livres e 110 000 escravos
1690 Contreiras Rodrigues (média) (a) 242 000
1700 Celso Furtado (c) 300 000
Celso Furtado (c) 3 250 000
1800 Giorgio Mortara (f) 3 660 000
Memória Estatística do Império no Brasil (g,h) 2 424 463
1808 Giorgio Mortara (f) 4 051 000
1810 Humboldt (e,h) 4 000 000
Giorgio Mortara (f) 4 155 000
1815 Conselheiro Velloso de Oliveira (i,h) 2 860 525
Giorgio Mortara (f) 4 427 000
1823 Giorgio Mortara (f) 5 025 000 (30% de escravos negros)
Senador Cândido Baptista de Oliveira (e,h) 8 000 000
1850
Giorgio Mortara (f) 7 256 000
Senador Pompeu de Souza Brasil (e,h) 10 415 000 (1864 = 1.715.000 escravos)
1869
Giorgio Mortara (f) 9 686 000
1872 Censo demográfico (IBGE) 9.930.478

Fonte: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTTÍSTICA - IBGE. Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. p. 221.
LEGENDAS:
a) SIMONSEN, R. C. História Econômica do Brasil (1 500/1820) - (1978). Apresenta as estimativas atribuídas a Contreiras Rodrigues, Thomas Ewbank e Adriano Balbi, p. 271
b) CALÓGERAS, P. Formação histórica do Brasil. (1935), p. 33. Também citado por Simonsen (fonte a, p. 88) e Marcílio (fonte j, p. 119)
c) FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil. (1959), p. 93
e) SOUZA E SILVA, J. N. Investigações Sobre o Recenseamento da População Geral do Império e de Cada Província de per si, tentandos desde os tempos coloniais até hoje (1870)
f) GIORGIO, M. Sobre a utilização do Censo Demográfico para a Reconstrução das Estatísticas do Movimento da População do Brasil. (1941), p. 43
g) MEMÓRIA Estatística do Império do Brasil (1829). Obra oferecida ao Marquês de Caravelas, Revista Trimensal do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil. Tomo LVIII, Parte 1,
1895
h) VIANA, F. J. O. Resumo Histórico dos Inquéritos Censitários Realizados no Brasil. (1920)
i) OLIVEIRA, C. A. R. O. A Igreja do Brasil (1819), citado por Joaquim Norberto de Souza e Silva (fonte e, p. 162-163 que, com base nos mapas apresentados pelo Conselheiro Velloso,
em anexo, distribuiu a população dos sete Bispados, segundo as 20 Províncias do Império
j) DIRETORIA GERAL DE ESTATÍSTICA. Recenseamento do Brazil 1872-1920. Rio de Janeiro: (187?) - 1930
l) INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 1940-1991. Rio de Janeiro: 1950-1997
m) INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGAFIA E ESTATÍSTICA. Contagem da população 1996. Rio de Janeiro, 1997. v. 1. Resultados relativos a sexo da população e situação da
unidade domiciliar.