Você está na página 1de 3

Soteriologia - Questionário

I – Graça comum II – Eleição e reprovação


1) O que significa o termo “soteriologia”? A palavra soteriologia vem 1) O que são os decretos de Deus? A soberania de Deus envolve sua
do verbo grego sōzō, que significa “salvar”. A forma substantiva, sōtēr, autoridade e governo sobre todas as coisas que ele fez. Deus governa o
significa “salvador”. Soteriologia é o estudo a respeito da redenção da universo, e, quando ele emite um decreto de acordo com seu conselho e
humanidade. plano eterno, esse decreto se cumpre. Logo, os decretos de Deus são Seu
propósito eterno de acordo com o conselho da Sua própria vontade, pelo
que por Sua glória Ele predestinou tudo o que haveria de acontecer.
2) O que significa o verbo grego sōzō? Resgate de uma situação de 2) Qual o significado do termo “predestinação” na Bíblia?
calamidade. As palavras traduzidas como “predestinou”/ “predestinados” nas
Escrituras vêm da palavra grega “proorizo”, que carrega o significado de
“anteriormente determinado”, “predestinar”, “decidir de antemão”.
Então, predestinação é Deus determinando antes, o acontecimento de
certas coisas.
3) O que significa ser salvo? Salvo de que? Ser salvo da ira de Deus no 3) Qual a diferença entre “predestinação” e “eleição”? Predestinação
dia do juízo. Deus é, ao mesmo tempo, o Salvador e aquele de quem tem a ver com os decretos de Deus concernentes a qualquer coisa. Um
somos salvos. Ser salvo é ser redimido por Deus para a eternidade. tipo específico de predestinação é a eleição, que diz respeito a Deus
escolher certas pessoas em Cristo para serem adotadas na família de
Deus ou, em termos simples, serem salvas.
4) Qual a diferença entre justiça e graça de Deus no estudo da 4) Se Deus escolhe quem é salvo, isto não enfraquece nosso livre
soteriologia? Justiça é algo que merecemos ou ganhamos por nossas arbítrio para escolher e crer em Cristo? A Bíblia diz que devemos
obras. Graça é imerecida; ou seja, não é merecida nem conquistada. Em escolher: tudo o que temos a fazer é crer no Senhor Jesus Cristo e
vez disso, graça é dada espontaneamente por Deus. Justiça é conquistada seremos salvos (Jo 3:16; Rm 10:9-10). A Bíblia nunca descreve a Deus
por méritos. Graça = ausência de mérito = favor imerecido. rejeitando quem Nele crê ou mandando de volta alguém que O busque
(Dt 4:29). De algum jeito, no mistério de Deus, a predestinação trabalha
de mãos dadas com a pessoa sendo atraída por Deus (Jo 6:44) e crendo
na salvação (Rm 1:16). Deus predestina quem será salvo, e devemos
escolher a Cristo para sermos salvos. Os dois fatos são igualmente
verdadeiros. Rm 11:33 proclama: “ Ó profundidade das riquezas, tanto
da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus
juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!”
5) Como conquistamos a graça de Deus? Se pensamos que Deus nos 5) “O ponto de vista de presciência afirma que a eleição de Deus se
deve algo, estamos realmente pensando sobre justiça, porque a graça baseia em seu conhecimento prévio do que pessoas farão ou não
nunca é devida. Deus não está obrigado a dar graça a nenhuma criatura. farão.” Por que esse ponto de vista é falho? Nessa ideia, Deus escolhe
A definição clássica de graça é “favor imerecido”. Graça é sempre uma com base em seu conhecimento do fato que nós o escolheríamos. A
prerrogativa divina, nunca uma exigência. Bíblia diz que “Escolhemos a Deus porque Ele nos escolheu primeiro”
Além disso, a Escritura ensina que a predestinação é baseada
unicamente no beneplácito da vontade de Deus. Paulo diz em Efésios:
“E em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio
de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”
6) O que é graça comum? Graça comum é a misericórdia e a bondade 6) Se Deus escolhe um e não outro independentemente do que as
que Deus estende a toda humanidade. A Bíblia diz que, em sua pessoas fazem, ele não está sendo caprichoso e tirânico? Paulo diz
providência, Deus envia chuvas sobre justos e injustos (Mt 5.45). que a escolha vem do bom prazer da vontade de Deus; não há algo como
o mau prazer da vontade de Deus. O que Deus escolhe está baseado em
sua retidão e bondade íntimas. Deus não faz uma escolha má ou
qualquer coisa má; é por essa razão que Paulo louva a Deus por seu
plano de salvação.
7) Como a igreja reage à graça comum e à graça especial? Assim 7) Tente memorizar Efésios 1:3-6.
como a graça de Deus se estende a toda humanidade, agindo diretamente “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem
na qualidade de vida das pessoas, a igreja é chamada não somente ao abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em
ministério da graça especial, mas também ao ministério da graça comum. Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo,
Como cristãos, devemos nos preocupar com pobreza, fome e com o para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos
suprimento das necessidades básicas da vida, além da evangelização. predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo,
segundo o beneplácito da sua vontade, para louvor da glória de sua
graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado...”
8) O que é graça especial? A graça especial de Deus é aquela graça de 8) Relacione os termos “predestinação”, “eleição” e “graça” no texto
Deus cuja intenção é salvar o homem. Está revelada particularmente na de Efésios 1:3-6.
morte e ressurreição de Jesus Cristo. É também chamada graça redentora Quando Paulo introduz a ideia de predestinação e eleição nesta
ou sotérica. passagem, está falando de sermos abençoados. Paulo não via a
predestinação divina em uma luz negativa; pelo contrário, a
predestinação evocava nele um senso de exultação e gratidão. Com a
doutrina da predestinação, somos confrontados com as profundezas e as
riquezas da misericórdia e da graça do Deus todo-poderoso. Se
separarmos nosso pensamento quanto à predestinação, da graça de Deus,
nunca pararemos de lutar para compreender esta doutrina.
III – Chamada eficaz
1) Qual a principal diferença entre a escola calvinista e armeniana 7) O que é graça irresistível?
na soteriologia? Historicamente, a escola calvinista e agostiniana diz Refere-se à obra soberana de Deus de sobrepujar toda rebelião do nosso
que a eleição é puramente a atividade soberana de Deus, enquanto a coração e trazer-nos à fé em Cristo Jesus para que possamos ser salvos.
escola arminiana ou semipelagiana vê um empreendimento cooperativo Se nossa doutrina da depravação é verdadeira, não poderia existir
entre o homem e Deus. salvação sem a realidade da graça irresistível. Se estamos mortos em
nossos pecados, totalmente incapazes de nos submetermos a Deus, então
nunca creríamos em Cristo, a menos que Deus sobrepujasse a nossa
rebelião.
2) O que significam os termos “monergismo” e “sinergismo”? A 8) Fé e regeneração. Quais as diferenças de ordens entre a Teologia
palavra monergismo contém o prefixo mon, que significa “um”, e a reformada e a não reformada?
palavra ergon, que significa “obra”, portanto monergismo indica que A diferença básica entre a teologia reformada e a teologia não reformada
somente uma pessoa faz a obra. Sinergismo contém o prefixo sin, que é a ordem da salvação no que diz respeito à fé e à regeneração. Na
significa “com”, portanto sinergismo tem a ver com cooperação, com reformada, primeiro vem a regeneração, uma vez que mortos
duas ou mais pessoas trabalhando juntas. espiritualmente não podem ressuscitar sozinhos, depois a fé implantada
por Deus conforme Ef. 2:1-3 (“...e isto não vem de vós, é dom de
Deus...”).
3) A graça da regeneração é graça operativa ou graça cooperativa? 9) “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor
Em outras palavras, quando o Espírito Santo regenera um pecador, com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu
ele contribui somente com algum poder, para que o pecador vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos, e, juntamente
acrescente algo de sua própria energia ou poder, a fim de produzir o com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em
efeito desejado, ou a regeneração é uma obra unilateral de Deus? Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza
Em outras palavras, Deus muda sozinho o coração do pecador ou a da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus (Ef 2.4-7).”
mudança de coração depende da vontade do pecador para ser Qual a relação do texto acima com monergismo e sinergismo?
mudado? Em nossa carne, não podemos fazer nada; sozinhos nunca Em nossa carne, não podemos fazer nada; sozinhos nunca escolheríamos
escolheríamos as coisas de Deus. Embora estejamos numa condição de as coisas de Deus. Embora estejamos numa condição de morte espiritual,
morte espiritual, andando de acordo com o curso deste mundo e andando de acordo com o curso deste mun
obedecendo às paixões de nossa carne, Deus nos vivifica. Depois que
Deus nos vivifica, passamos a ter fé, mas o primeiro passo é algo que do e obedecendo às paixões de nossa carne, Deus nos vivifica. Depois
Deus faz sozinho. Ele não cochicha em nosso ouvido: “Você gostaria de que Deus nos vivifica, passamos a ter fé, mas o primeiro passo é algo
cooperar comigo?” Pelo contrário, Deus intervém, por meio de seu que Deus faz sozinho. Ele não cochicha em nosso ouvido: “Você
Espírito Santo, para mudar a disposição do coração de pessoas gostaria de cooperar comigo?” Pelo contrário, Deus intervém, por meio
espiritualmente mortas. Ler Efésios 2:1-10. de seu Espírito Santo, para mudar a disposição do coração de pessoas
“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é espiritualmente mortas.
dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos
feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de
antemão preparou para que andássemos nelas” (Ef 2.8-10).
4) Faça uma relação entre “a condição de mortos” de Efésios 2:1-3 10) Por que a ideia de sinergismo em soteriologia é falha?
com a ressurreição de Lázaro em João 11:43. Aqueles que dizem que temos o poder de recusar a graça de Deus estão
Nesta passagem, Paulo estava lembrando os crentes em Éfeso o seu enredados numa teologia desesperançosa, que não leva a sério o ponto
estado antes de Cristo. Eles eram mortos – espiritualmente mortos. de vista bíblico sobre a natureza radical da queda humana. Somos
Pessoas mortas não podem cooperar. No evangelho de João, lemos que incapazes de converter a nós mesmos ou até de cooperar com Deus nesta
Lázaro estava morto havia quatro dias, antes de Jesus ressuscitá-lo. O questão. Qualquer cooperação pressupõe que uma mudança já
único poder no universo que poderia retirar aquele cadáver do sepulcro aconteceu, pois, se a mudança não acontecer, ninguém cooperará.
era o poder de Deus. Cristo não convidou Lázaro a sair do sepulcro; não Aqueles que creem que o homem coopera na regeneração sustentam uma
esperou que Lázaro cooperasse. Ele disse: “Lázaro, vem para fora!”, e, forma de justiça de obras. Como poderia ser o contrário, se alguém pode
por meio do poder desse imperativo, aquilo que estava morto se tornou entrar no reino por fazer a resposta “certa”? Isto é uma negação do
vivo (Jo 11.43). Lázaro cooperou por andar para fora do sepulcro, mas evangelho. Não há nenhuma justiça humana na regeneração do homem.
não houve cooperação envolvida em sua transição da morte para a vida.
5) Fé e regeneração. Qual a ordem em que ocorre? 11) Explique a “corrente de ouro da salvação”.
Uma pessoa ser nascida de novo, ela precisa crer. Um pessoa tem de Baseia-se em Romanos 8:28-30. Leiamos: “...E aos que predestinou, a
escolher a Cristo antes de acontecer o novo nascimento. Se isso fosse esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e
verdade, não teríamos nenhuma esperança de salvação, porque a aos que justificou, a esses também glorificou.”Há uma corrente aqui,
pessoa espiritualmente morta, em inimizade com Deus, não pode uma sequência, que começa com presciência. Em seguida, vem
escolher a Cristo. Também não podemos mudar o coração dos outros predestinação, chamada, justificação e glorificação. O ensino é que todos
por meio da evangelização. Podemos apresentar o evangelho; podemos os que são chamados são justificados, e isso significa que todos os que
argumentar em favor do evangelho e tentar sermos convincentes. Mas são chamados recebem fé, o que, por sua vez, significa que o texto não
somente Deus pode mudar o coração. Visto que somente Deus tem o pode estar falando daquilo que os teólogos designam de “chamada
poder para mudar a natureza de uma alma humana, devemos dizer que externa do evangelho”, que é dirigida a todos. O texto fala da
a regeneração precede a fé. Isso é a essência da teologia reformada. O chamada interna, a chamada operativa, a obra do Espírito Santo que
Espírito Santo muda a disposição da alma antes de uma pessoa vir à fé. muda eficazmente o coração.
6) No texto: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não 12) Baseado no texto de Rm. 8:28-30, qual o propósito da chamada
vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se eficaz do Espírito Santo?
glorie...”. De onde vem a fé salvadora mencionada? A chamada eficaz do Espírito Santo faz acontecer em nosso coração o
Paulo escreve que somos salvos pela graça, por meio da fé, “e isto não que Deus propôs fazer desde a fundação do mundo. Todos os que foram
vem de vós”. Gramaticalmente, o antecedente de “isto” inclui a palavra predestinados são chamados eficazmente pelo Espírito Santo; e todos os
“fé”. Somos justificados pela fé, mas até a fé que temos não é algo que que são justificados são glorificados. Se aplicássemos as categorias
produzimos. Não vem de uma natureza caída. É o resultado da atividade arminianas a esta corrente de ouro, teríamos de dizer que alguns que
criadora de Deus, e isso é o que os teólogos reformados querem dizer foram conhecidos de antemão são predestinados; alguns que são
quando falam de regeneração monergística. Deus intervém no coração predestinados são chamados; alguns que são chamados são justificados;
dos eleitos e muda a disposição de sua alma. Ele cria a fé em corações e alguns que são justificados são glorificados. Nesse caso, todo o texto
que não têm fé. significaria nada.
IV – Justificação
1) Em Teologia, o que significa o termo “justificação”?
A doutrina da justificação diz respeito à situação mais grave de seres
humanos caídos – sua exposição à justiça de Deus. Se Deus tomasse a
sua régua de justiça e a usasse para avaliar a nossa vida, pereceríamos,
porque não somos justos. Somos devedores que não podem pagar sua
dívida.

2) Como ocorre a justificação?


A justificação só pode ocorrer quando Deus, que é ele mesmo justo, se
torna o justificador por decretar que alguém é justo aos olhos dele.

3) Segundo Martinho Lutero e João Calvino, como ocorre a


justificação?
sola fide ou a justificação somente pela fé.

4) Qual a origem do termo SIMUL IUSTIS ET PECCATOR e o que


significa?
O debate no século XVI se focalizou em se Deus espera que pessoas se
tornem justas antes de declará-las justas, ou se ele as declara justas aos
seus olhos enquanto ainda são pecadores. Lutero propôs uma fórmula
que tem sobrevivido desde o tempo do debate. Ele disse que somos
simul iustus et peccator, que significa “ao mesmo tempo justo e
pecador”. Lutero estava dizendo que uma pessoa justificada é
simultaneamente justa e pecadora. Somos justos por virtude da obra de
Cristo, mas ainda não fomos aperfeiçoados, por isso, ainda pecamos.

5) O que significa o termo “justificação analítica” segundo a igreja


católica?
Deus não declarará uma pessoa justa enquanto essa pessoa não for, de
fato, justa.

6) Segundo o pensamento protestante, como Deus declara alguém


justo?
Os protestantes respondem dizendo que uma pessoa é justa aos olhos de
Deus por virtude da obra real de Jesus Cristo, conforme SIMUL IUSTIS
ET PECCATOR.

7) O que é a causa instrumental da justificação?


Dizemos que a justificação é somente pela fé, e a palavra pela nesta
sentença era parte da controvérsia do século XVI. Pela se refere ao meio
pelo qual algo chega a acontecer. A discussão sobre quais as causas de
como essa fé para justificação é construída (cooperativa ou não, só da
parte de Deus), isto é a causa instrumental da justificação.

8) Segundo a Igreja Católica Romana (ICR), quais são as causas


instrumentais da justificação e como isso acontece?
Segundo a ICR, são duas as causas: o batismo e a penitência. A justiça
de Cristo é derramada na alma daquele que recebe o batismo. Esse
derramamento é chamado de infusão. A justificação ocorre na
cooperação das pessoas (justiça humana) com a graça infundida por
Deus.

9) Segundo a ICR, a justificação pode ser perdida? O que é


penitência, e como isso acontece?
Enquanto as pessoas se guardarem de cometer pecados mortais,
permanecem num estado de justificadas. O pecado mortal é tão mau que
destrói a graça justificadora que a alma possui. Um pecador pode ser
restaurado ao estado de justificação por meio do sacramento de
penitência. Pessoas vão à confissão, que é parte do sacramento de
penitência.

10) Segundo a ICR, o que é obra de mérito congruente?


Quando uma pessoa confessa seus pecados, ela recebe absolvição,
depois da qual tem de realizar obras de satisfação que ganham o que
Roma chama de “mérito congruente”. Obras de mérito congruente são
integrais ao sacramento de penitência, porque estas obras de satisfação
tornam apropriado, ou congruente, que Deus restaure o pecador ao
estado de graça.