Você está na página 1de 107
Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Aula 08 –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Aula 08 Pontuação Curso: Português Professor: Bruno Spencer

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Aula 08 –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Aula 08 Pontuação

Olá, amigos!

Espero que estejam INDO BEM nos estudos!

Vamos dar seguimento ao nosso cronograma com o estudo das regras de pontuação.

É um assunto BASTANTE FREQUENTE em todas as provas objetivas de Português, e, importante para melhorarmos a qualidade da nossa escrita.

Então vamos lá, com foco e determinação.

Boa aula!!!

Sumário

1 Pontuação

 

3

2 Ponto Final

4

3 Vírgula

4

 

3.1 Uso proibido de vírgulas

6

4

Ponto e Vírgula

7

5

Dois Pontos

 

9

6

Travessão

10

7

Reticências

10

8 Ponto de Interrogação

11

9 Ponto

de

Exclamação

11

10 Parênteses

11

11 Aspas

12

12 Questões Comentadas

14

13 Lista de Exercícios

70

14 Gabarito e Referencial Bibliográfico

107

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 1 – Pontuação

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

1 Pontuação

Os sinais de pontuação servem para transcrevermos para o texto escrito um pouco do “espírito” ou da sua intenção, que na palavra falada, expressamos pela entonação.

Por meio destes sinais, podemos separar palavras, expressões e orações, esclarecer o sentido de termos utilizados no texto ou mesmo de expressar o ritmo das palavras, as pausas ou as entonações na palavra escrita.

Primeiramente, recordemos o que já falamos anteriormente na aula sobre períodos. Vamos fazer uma breve diferenciação entre alguns termos.

Frase

É um enunciado que transmite uma mensagem, podendo conter ou não verbos.

Ex. Todos saíram à noite. Uau!

Oração

É uma frase que possui verbo e que, normalmente, estrutura-se com sujeito e predicado, que
É uma frase que possui verbo e que, normalmente, estrutura-se com
sujeito e predicado, que são os termos essenciais da oração.

Ex. A vida (sujeito) é bela (predicado).

Período

“É uma frase constituida de uma ou mais orações.(D. P. Cegalla)

O período simples é constituido de uma oração, enquanto o período composto é formado por duas ou mais orações.

Ex. O gato correu atrás do rato. O gato, que era muito arisco, correu atrás do rato

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 2 – Ponto

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

2 Ponto Final

O ponto final é utilizado para indicar o fim de uma frase, a pausa

máxima em um texto. Uma segunda utilização do ponto final é para indicar abreviaturas.

Ex. V. Exa., Sr., Sra., R. (rua)

3 Vírgula

Este é, certamente, o sinal de pontuação mais cobrado em provas de concursos. Isso acontece pela vasta quantidade de peculiaridades que possui. Vamos expor o assunto da forma mais objetiva possível, para desatarmos esse nó e deixar tudo mais claro.

Vamos estudar os principais casos em que usamos vírgulas:

SEPARAR
SEPARAR

Palavras de mesma função sintática

ex. Compramos pão, leite, ovos e farinha.

SEPARAR
SEPARAR

Orações coordenadas assindéticas

ex. Fomos ao mercado, fizemos as compras e voltamos para casa.

SEPARAR
SEPARAR

Orações coordenadas sindéticas ex. Fomos ao mercado, mas ele estava fechado.

SEPARAR
SEPARAR

Vocativos

ex. João, vem aqui por favor.

SEPARAR SEPARAR Apostos ex. Elizabeth, rainha da Inglaterra, veio a nossa festa. Orações ou termos
SEPARAR SEPARAR Apostos ex. Elizabeth, rainha da Inglaterra, veio a nossa festa. Orações ou termos
SEPARAR SEPARAR
SEPARAR
SEPARAR

Apostos ex. Elizabeth, rainha da Inglaterra, veio a nossa festa.

Orações ou termos intercalados ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de experiência.

festa. Orações ou termos intercalados ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de
festa. Orações ou termos intercalados ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de
Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 SEPARAR Orações subordinadas

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

SEPARAR
SEPARAR

Orações subordinadas adjetivas EXPLICATIVAS ex. Pedro, que era o mais afoito, foi na frente.

SEPARAR
SEPARAR

Expressões retificadoras

ex. Fizemos vinte, ou melhor, dez questões.

SEPARAR
SEPARAR

Determinadas Conjunções pospostas ao

verbo ex. Ele queria, porém, seguir outro caminho.

A elipse de palavras INDICAR ex. Comprei pão, ela manteiga. (comprou) Orações Adverbiais e Adjuntos
A elipse de palavras
INDICAR
ex. Comprei pão, ela manteiga. (comprou)
Orações Adverbiais e
Adjuntos Adverbiais Deslocados
SEPARAR
ex. De manhã, fizemos muitas atividades
Fizemos, de manhã, muitas atividades.

Lembre-se que a posição “natural” do adjunto adverbial – AAV é no final da oração ou do período. Quando ele aparece, como nos exemplos acima, no início ou no meio, deve vir isolado por vírgula.

no início ou no meio, deve vir isolado por vírgula . Nas orações adverbiais deslocadas a

Nas orações adverbiais deslocadas a utilização de vírgulas (antes e depois) é obrigatória.

Já nos adjuntos adverbiais deslocados não formados por orações subordinadas, a obrigatoriedade recai sobre expressões longas (a partir de três palavras).

Esse é um tema delicado, pois não há unanimidade entre os gramáticos, portanto, o melhor a fazer é utilizar as vírgulas. No caso de julgar se um item está correto ou não, CUIDADO, use sempre o bom senso para perceber qual o entendimento da BANCA sobre o assunto.

para perceber qual o entendimento da BANCA sobre o assunto. CESPE/TJ /TRE-ES/Apoio Especializado/Taquigrafia/2011 Prof.

CESPE/TJ/TRE-ES/Apoio Especializado/Taquigrafia/2011

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 No Brasil, a

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

No Brasil, a tradição política no tocante à representação gira em torno de três ideias fundamentais. A primeira é a do mandato livre e independente, isto é, os representantes, ao serem eleitos, não têm nenhuma obrigação, necessariamente, para com as reivindicações e os interesses de seus eleitores. O representante deve exercer seu papel com base no exercício autônomo de sua atividade, na medida em que é ele quem tem a capacidade de discernimento

para deliberar sobre os verdadeiros interesses dos seus constituintes. A segunda ideia é a de que os representantes devem exprimir interesses gerais, e não interesses locais ou regionais. Os interesses nacionais seriam os únicos e legítimos a serem representados. A terceira ideia refere-se ao princípio de que

o sistema democrático representativo deve basear-se no governo da maioria. Praticamente todas as leis eleitorais que vigoraram no Brasil buscaram a

formação de maiorias compactas que pudessem governar.

Gilberto Bercovici. A origem do sistema eleitoral proporcional no Brasil. In:

Estudos Eleitorais, TSE, vol. 5, n.º 2, 2010, p. 53. Internet: <www.tse.gov.br> (com adaptações) .

Julgue o item que se segue, relativo às estruturas sintáticas e semânticas do texto.

No segundo período do texto, as vírgulas logo após as palavras "representantes"

e "eleitos" poderiam ser suprimidas, sem prejuízo para a correção gramatical

do texto, dado que, nessas ocorrências, trata-se de emprego facultativo desse sinal de pontuação.

Certo

Errado

Comentários:

A oração isolada por vírgulas tem função de adjunto adverbial de tempo, pois

é equivalente a quando são eleitos. Esse é um caso de vírgula obrigatória,

pois trata-se de uma oração adverbial deslocada da sua posição natural que

é no final do período.

Orações Adverbiais e Adjuntos Adverbiais Deslocados SEPARAR ex. De manhã, fizemos muitas atividades Fizemos, de
Orações Adverbiais e Adjuntos
Adverbiais Deslocados
SEPARAR
ex. De manhã, fizemos muitas atividades
Fizemos, de manhã, muitas atividades.
Gabarito: E

3.1 Uso proibido de vírgulas

Há alguns casos em que não podemos utilizar vírgulas, sob pena de infringirmos as normas gramaticais.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 NÃO SE PODE

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Sujeito e Predicado

Verbo e Complementos Verbais

NÃO SE

PODE

SEPARAR

NÃO SE PODE SEPARAR Exemplos:

Exemplos:

Nome e seus complementos

(AA ou CN)

4 Ponto e Vírgula

seus complementos (AA ou CN) 4 – Ponto e Vírgula Pode acontecer de haver algum termo

Pode acontecer de haver algum termo ou oração intercalada, adjunto adverbial ou oração explicativa entre o sujeito e o predicado ou entre o verbo e seu complemento.

Nesse caso, haverá vírgulas que isolam o termo ou a oração.

Miguel, que é um bom rapaz, atendeu ao meu pedido.

Entregamos, após longa jornada, a encomenda ao destinatário.

, após longa jornada, a encomenda ao destinatário . É muito empregado para separar itens em

É muito empregado para separar itens em uma enumeração.

Também é utilizado para separar orações coordenadas em períodos abundantes em vírgulas (organizar a frase).

Ex. São deveres do sócio:

Pagar as suas mensalidades em dia; Respeitar o direito dos demais sócios.

Pedro, filho de José, destacou-se como líder do movimento; João, filho de Maria, foi um dos que esteve junto a ele.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Repare no último
Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Repare no último

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Repare no último exemplo que o ponto e vírgula tem uma função específica de organizaro período, para que - em virtude da grande quantidade de vírgulas

o seu sentido fique claro para o leitor.

de vírgulas – o seu sentido fique claro para o leitor. CESPE/Agente/PF/2009 Nossos projetos de vida

CESPE/Agente/PF/2009

Nossos projetos de vida dependem muito do futuro do país no qual vivemos. E

o futuro de um país não é obra do acaso ou da fatalidade. Uma nação se

constrói. E constrói-se no meio de embates muito intensos e, às vezes, até violentos entre grupos com visões de futuro, concepções de desenvolvimento

e interesses distintos e conflitantes.

Para muitos, os carros de luxo que trafegam pelos bairros elegantes das capitais ou os telefones celulares não constituem indicadores de modernidade.

Modernidade seria assegurar a todos os habitantes do país um padrão de vida compatível com o pleno exercício dos direitos democráticos. Por isso, dão mais valor a um modelo de desenvolvimento que assegure a toda a população alimentação, moradia, escola, hospital, transporte coletivo, bibliotecas, parques públicos. Modernidade, para os que pensam assim, é sistema judiciário eficiente, com aplicação rápida e democrática da justiça; são instituições públicas sólidas e eficazes; é o controle nacional das decisões econômicas.

Plínio Arruda Sampaio. O Brasil em construção. In: Márcia Kupstas (Org.). Identidade nacional em debate. São Paulo: Moderna, 1997, p. 279 (com adaptações).

Considerando a argumentação do texto acima bem como as estruturas linguísticas nele utilizadas, julgue o item a seguir.

O emprego do sinal de ponto-e-vírgula, no último período sintático do texto,

apresenta a dupla função de deixar claras as relações sintático-semânticas marcadas por vírgulas dentro do período e deixar subentender "Modernidade" como o sujeito de "é sistema", "são instituições" e "é o controle".

Certo

Errado

Comentários:

O emprego de ponto-e-vírgula nesse período é essencial para a sua organização,

sem o qual o período ficaria completamente caótico, devido à presença de orações coordenadas e de outras vírgulas.

Vamos à sua análise:

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 “ Modernidade ,

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Modernidade, para os que pensam assim, é sistema judiciário eficiente, com aplicação rápida e democrática da justiça; são instituições públicas sólidas e eficazes; é o controle nacional das decisões econômicas.”

Temos, acima, três orações coordenadas formadas com o mesmo sujeito:

“modernidade”. São elas:

Modernidade é sistema judiciário eficiente, com aplicação rápida e democrática da justiça;

Modernidade são instituições públicas sólidas e eficazes;

Modernidade é o controle nacional das decisões econômicas.

Gabarito: C

5 Dois Pontos

São utilizados para:

Indicar uma enumeração (conforme usamos aqui);

Indicar uma citação;

Anunciar a fala de personagens em uma narração;

Antes de apostos enumerativos ou orações apositivas;

Indicar um resumo ou explicação.

Ex. É como reza o ditado: água mole pedra dura, tanto bate até que fura.

Disse o rapaz a sua mãe: - Mas eu já sou quase adulto!

Os quatro elementos são: terra, água, fogo e ar. Resumo da situação: todos ficaram sem ingressos para o jogo.

da situação: todos ficaram sem ingressos para o jogo. CESPE/AUFC/TCU/Apoio Técnico e Administrativo/TI/2010 A

CESPE/AUFC/TCU/Apoio Técnico e Administrativo/TI/2010

A organização da sociedade em movimentos sociais é inerente à sua estrutura de poder. O teatro teve, na Grécia antiga, o papel político de dotar a população de razão crítica por intermédio de uma expressão estética. Mas os movimentos sociais adquirem ao longo da história distintas expressões: estética, religiosa, econômica, ecológica etc. A partir do século um, o Império Romano teve suas bases solapadas por um movimento social de caráter religioso o Cristianismo, que se recusou a reconhecer a divindade de César e propalou a radical dignidade de todo ser humano. Desde a Revolução Francesa, a sociedade civil passou a se mobilizar mais frequentemente em movimentos sociais. Porém, é recente a noção de que a sociedade civil deve se organizar para pressionar o poder público, e não necessariamente almejar também a tomada de poder. Isso

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 ensejou o caráter

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

ensejou o caráter multifacetado dos movimentos de indígenas, negros, mulheres, migrantes, homossexuais etc. e o fato de constituírem instâncias políticas nem sempre partidárias. É o fenômeno recente do empoderamento da sociedade civil, que, quanto mais forte, mais logra transmutar a democracia meramente representativa em democracia efetivamente participativa.

Frei Beto. Valores que constroem a cidade. In: Correio Braziliense, 25/6/2010 (com adaptações).

A partir das estruturas linguísticas que organizam o texto acima, julgue o item subsecutivo. Por introduzir uma enumeração explicativa, o sinal de dois-pontos na linha 4 admite a substituição por vírgula sem prejudicar a coerência textual nem desrespeitar as regras gramaticais.

Certo

Errado

Comentários:

Diante de enumerações explicativas, devemos utilizar o sinal de dois-pontos.

Gabarito: E

6 Travessão

Podem substituir as vírgulas ou os parênteses para intercalar um termo ou uma oração.

Também é utilizado para indicar a fala de um personagem em uma narração (discurso direto).

Ex. Os visitantes que não eram poucos alegraram a festa. (oração

intercalada)

- Quanto custa? Perguntou o rapaz. - Dez cruzeiros. Respondeu logo o dono da venda.

7 Reticências

As reticências, mais conhecidas como “três pontos”, indicam que há algo mais a se falar na sequência.

Podem ser usadas em diversos contextos, seja para indicar interrupção da fala, hesitação ou mesmo supressão de um trecho de um texto.

Ex. No final das contas, ela diz que

(interrupção)

É que

eu realmente não estudei. (hesitação)

 

Construir

uma sociedade livre, justa e solidária

(supressão)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 8 – Ponto

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

8 Ponto de Interrogação

Usamos o ponto de interrogação para indicar uma frase interrogativa direta.

Ex. Quem é você? (pergunta direta) Diga-me quem é você. (pergunta indireta)

9 Ponto de Exclamação

Indica o final de uma frase exclamativa. Estas expressam surpresa, raiva, susto, felicidade, ordem e etc.

Ex. Corram! Ei! Saia logo daí! Que susto!

Observe que, quando uma oração é exclamativa, normalmente, utiliza-se do modo imperativo.

10 Parênteses

Podem isolar palavras, expressões, orações, a fim de introduzir alguma explicação no texto. Por meio dos parênteses, podemos introduzir as

chamadas orações intercaladas ou os termos intercalados.

Os parênteses também são usados para indicar uma referência autoral.

Ex. João saiu cedo (estava muito preocupado com o horário da prova).

“Estou indo embora, a mala já está lá fora

(Pablo)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 11 – Aspas

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

11 Aspas

Servem para indicar que as palavras que estão entre elas:

Foram originalmente ditas ou escritas por outra pessoa, podendo ser um texto, uma música, uma fala e etc;

Alguma expressão habitual de um determinado grupo;

Foram citadas com sentido específico ou conotativo, fora do sentido normal da palavra.

Ex. “Quando eu estou aqui, vivendo esse momento lindo

(Roberto

Carlos) Os comerciantes da região não gostam de clientes “pirangueiros”.

da região não gostam de clientes “pirangueiros”. CESPE/Agente/PF/2009 A visão do sujeito indivíduo -

CESPE/Agente/PF/2009

A visão do sujeito indivíduo - indivisível pressupõe um caráter singular, único, racional e pensante em cada um de nós. Mas não há como pensar que existimos previamente a nossas relações sociais: nós nos fazemos em teias e tensões relacionais que conformarão nossas capacidades, de acordo com a sociedade em que vivemos. A sociologia trabalha com a concepção dessa relação entre o que é "meu" e o que é "nosso". A pergunta que propõe é: como nos fazemos e nos refazemos em nossas relações com as instituições e nas relações que estabelecemos com os outros? Não há, assim, uma visão de homem como uma unidade fechada em si mesma, como Homo clausus. Estaríamos envolvidos, constantemente, em tramas complexas de internalização do "exterior" e, também, de rejeição ou negociação próprias e singulares do "exterior". As experiências que o homem vai adquirindo na relação com os outros são as que determinarão as suas aptidões, os seus gostos, as suas formas de agir.

Flávia Schilling. Perspectivas sociológicas. Educação & psicologia. In: Revista Educação, vol. 1, p. 47 (com adaptações).

Julgue o seguinte item, a respeito das estruturas linguísticas e do desenvolvimento argumentativo do texto acima.

O emprego das aspas nos termos em destaque ressalta, no contexto, o valor significativo não usual desses termos.

Certo

Errado

Comentários:

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Perfeito, as aspas

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Perfeito, as aspas servem para indicar que as palavras que estão entre elas:

foram originalmente ditas ou escritas por outra pessoa, podendo ser um texto, uma música, uma fala e etc;

alguma expressão habitual de um determinado grupo;

foram citadas com sentido específico ou conotativo, fora do sentido normal da palavra.

Gabarito: C

Vamos praticar um pouco pessoal!

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 12 – Questões

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

12 Questões Comentadas

1) FCC/TJ/TRE PR/Administrativa/2017

Atenção: Considere o texto abaixo para responder à questão.

Muitos duvidam da existência do amor. Muitos afirmam ser ele uma invenção da literatura. Outros, que se trata de uma projeção neurótica imaginária. Uma patologia da família das manias. Há quem suspeite de que seja uma doença da alma. Estão errados.

Quem conhece o amor sabe que ele habita entre nós. E sua presença nos faz sentir vivos. Por isso, o ressentimento é cego ao amor.

A falta de amor na vida produz um certo ceticismo em relação ao mundo. Ou

pior: o sentimento de inexistência.

Um dos pecados maiores da inteligência é chegar à conclusão de que o amor é uma ficção. Muitas vezes, pessoas supostamente inteligentes consideram o amor algo ingênuo e pueril.

A desconfiança se acha a mais completa das virtudes morais ou cognitivas. A

armadilha de quem desconfia sempre é que ele mesmo se sente inexistente

para o mundo porque este é sempre visto com desprezo.

Outra suposta arma contra o amor é a hipocrisia. A hipótese de a hipocrisia ser

a substância da moral pública parece que inviabiliza o amor por conta de sua

cegueira para com esta hipocrisia mesma. É verdade: o amor não vê a hipocrisia. Søren Kierkegaard (1813-1855) diz que há um "abismo escancarado"

entre eles.

O

amor é concreto como o dia a dia. Engana-se quem considera o amor abstrato

e

fantasioso. Kierkegaard nos lembra que o amor só se conhece pelos frutos.

Isso implica que não há propriamente uma percepção do amor que não seja prática. O gosto do amor é a confiança nas coisas que ele dá a quem o

experimenta.

(Adaptado de: PONDÉ, Luiz Felipe Disponível em: www.folha.uol.com.br)

A respeito da pontuação do texto, afirma-se corretamente:

a) A vírgula assinala a elipse do verbo em Outros, que se trata de uma projeção neurótica imaginária.

b) Uma vírgula pode ser acrescentada imediatamente após “que”, sem prejuízo da correção e da clareza, em Kierkegaard nos lembra que o amor só se conhece pelos frutos. (último parágrafo)

c) Em A falta de amor na vida produz um certo ceticismo em relação ao mundo, uma vírgula pode ser inserida imediatamente após “vida”.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 d) O sinal

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

d) O sinal de dois-pontos pode ser acrescentado imediatamente após “porque” no segmento porque este é sempre visto com desprezo.

e) Em Isso implica que não há propriamente uma percepção do amor que não seja prática, uma vírgula pode ser acrescentada imediatamente após “há”, sem que se faça nenhuma outra modificação na frase.

Comentários:

Alternativa A Correta Muitos afirmam ser ele uma invenção da literatura. Outros, (afirmam) que se trata de uma projeção neurótica imaginária.”

A vírgula indica a elipse do verbo AFIRMAR, citado no período anterior.

INDICAR

INDICAR A elipse de palavras ex. Comprei pão, ela manteiga. (comprou) Sujeito e Predicado Alternativa B
INDICAR A elipse de palavras ex. Comprei pão, ela manteiga. (comprou) Sujeito e Predicado Alternativa B

A elipse de palavras ex. Comprei pão, ela manteiga. (comprou)

Sujeito e Predicado

Alternativa B Incorreta – “Kierkegaard nos lembra que o amor só se conhece pelos frutos.”

Nesse caso, poderíamos utilizar um sinal de dois pontos, indicando uma citação, mas não uma vírgula.

Repare que o “QUE” introduz a oração subordinada que é objeto direto da oração principal.

Alternativa C Incorreta Isso iria separar o sujeito da oração (“A falta de amor na vida”) do predicado.

NÃO SE PODE SEPARAR Alternativa D – Incorreta
NÃO SE
PODE
SEPARAR
Alternativa D – Incorreta
. NÃO SE PODE SEPARAR Alternativa D – Incorreta Os dois pontos são utilizados para: Indicar
. NÃO SE PODE SEPARAR Alternativa D – Incorreta Os dois pontos são utilizados para: Indicar

Os dois pontos são utilizados para:

Indicar uma enumeração (conforme usamos aqui);

Indicar uma citação;

Anunciar a fala de personagens em uma narração;

Antes de apostos enumerativos ou orações apositivas;

Indicar um resumo ou explicação.

Ex. É como reza o ditado: água mole pedra dura, tanto bate até que

fura.

Disse o rapaz a sua mãe: - Mas eu já sou quase adulto! Os quatro elementos são: terra, água, fogo e ar. Resumo da situação: todos ficaram sem ingressos para o jogo.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Alternativa E –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Alternativa E Incorreta – A forma verbal “há” é o verbo da oração, essa vírgula iria separá-lo de seu complemento.

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Verbo e Complementos Verbais

Gabarito: A

2) FCC/Ana/DPE RS/Processual/2017

A questão baseia no texto apresentado abaixo

[O invejável tédio europeu]

Os filmes dos cineastas europeus Michelangelo Antonioni e Ingmar Bergman, que a gente via e discutia com tanta seriedade tantos anos atrás, também eram uma forma de escapismo. Tanto quanto o musical e a comédia, aquelas histórias de tédio e indagações existenciais nos distraíam das exigências menores do cotidiano. Fugíamos não para um mundo cor-de-rosa, mas para outro matiz de preto, bem mais fascinante do que o das nossas pequenas aflições. Nenhum dos personagens do italiano Antonioni ou do sueco Bergman, embora enfrentassem seu vazio interior e a frieza de um universo indiferente, parecia ter qualquer problema com o aluguel.

Claro, o deserto emocional em que viviam os personagens do Antonioni, por exemplo, era o deserto metafórico do capitalismo, uma civilização arrasada por si mesma. Mas estavam todos empregados e ganhavam bem. E como era fotogênico o seu suplício.

Com Bergman experimentamos o horror de existir, a terrível verdade de que somos uma espécie corrupta sem redenção possível e que a morte torna tudo sem sentido. Hoje suspeitamos de que se Bergman não vivesse na Suécia, com educação, saúde e bem-estar garantidos do ventre até o túmulo, ele não diria isso. É preciso estar livre das dificuldades da vida para poder concluir, com um mínimo de estilo, que a vida é impossível. Tínhamos uma secreta inveja desses europeus tão bem-sucedidos no seu desespero. Não tínhamos a mesma admiração por filmes em que as pessoas se preocupavam não com a ausência de Deus, mas com o pagamento no fim do mês.

Não há equivalência possível entre morrer de tédio e morrer de fome. Mas às vezes eu ainda me pego sonhando em sueco com uma sociedade pronta, sem qualquer destes desafios tropicais, em que a gente pudesse finalmente ser um personagem de Bergman, enojado apenas com tudo e nada mais.

(VERISSIMO, Luis Fernando. Banquete com os deuses. Rio de Janeiro:

Objetiva, 2003, p. 85-86)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Está plenamente adequada

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Está plenamente adequada a pontuação do seguinte período:

a) O autor do texto considera, em certo momento, que a beleza de certas cenas,

naqueles velhos filmes clássicos, tornava fotogênica a miséria moral dos

protagonistas.

b) Não é fácil, para os moradores do terceiro mundo admitir que, na velha

Europa, com aquele alto padrão de vida, existam os que sofrem tanto, de vazio interior.

c) Mais houvéssemos assistido mais teríamos gostado, daqueles velhos clássicos

do cinema europeu, sobretudo os de Bergman e Antonioni; nossos prediletos.

d) Chega a ser provocadora, a associação que o autor estabelece, entre morrer

de fome ou morrer de tédio, ao comparar, as razões de sofrimento dos

europeus, às dos povos mais pobres.

e) A vida na Suécia, à qual não faltam bons serviços sociais, e aceitável

distribuição de renda, teria inspirado, a cineastas como Bergman, cenas de

quase inexplicável sofrimento.

Comentários:

Alternativa A Correta O autor do texto considera, em certo momento, (as vírgulas isolam o adjunto adverbial deslocado) que a beleza de certas cenas, naqueles velhos filmes clássicos, (as vírgulas isolam o adjunto adverbial deslocado) tornava fotogênica a miséria moral dos protagonistas.

Orações Adverbiais e Adjuntos Adverbiais Deslocados SEPARAR ex. De manhã, fizemos muitas atividades Fizemos, de
Orações Adverbiais e Adjuntos
Adverbiais Deslocados
SEPARAR
ex. De manhã, fizemos muitas atividades
Fizemos, de manhã, muitas atividades.

Alternativa B Incorreta Não é fácil, (a vírgula separa o nome “fácil” de seu complemento) para os moradores do terceiro mundo admitir que, na velha Europa, (as vírgulas isolam o adjunto adverbial deslocado) com aquele alto padrão de vida, (as vírgulas isolam o adjunto adverbial deslocado) existam os que sofrem tanto, (a vírgula separa o verbo “sofrem” de seu complemento) de vazio interior.

NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Sujeito e Predicado

Verbo e Complementos Verbais

NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 NÃO SE PODE

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Nome e seus complementos

(AA ou CN)

Alternativa C Incorreta Mais houvéssemos assistido (faltou a vírgula na expressão que indica proporção) mais teríamos gostado, (a vírgula separa o verbo “teríamos gostado” de seu complemento) daqueles velhos clássicos do

cinema europeu, sobretudo

explicação, seria adequado o uso de parênteses, travessão ou mesmo de dois pontos) nossos prediletos.

Alternativa D Incorreta Chega a ser provocadora, (a vírgula separa o sujeito “a associação que o autor estabelece” do predicado) a associação que o autor estabelece, entre morrer de fome ou morrer de tédio, (as vírgulas isolam uma oração intercalada) ao comparar, (a vírgula separa o verbo “comparar” de seu complemento) as razões de sofrimento dos europeus, (a vírgula separa o verbo “comparar” de seu complemento) às dos povos mais pobres.

Note que o verbo “comparar” é TDI (tem dois complementos).

Alternativa E Incorreta A vida na Suécia, à qual não faltam bons serviços sociais, (quando se enumera apenas dois itens, não se usa vírgula, apenas a conjunção “E”) e aceitável distribuição de renda, (as vírgulas isolam uma oração intercalada) teria inspirado, (a vírgula separa o verbo “teria inspirado” de seu complemento) a cineastas como Bergman, (a vírgula separa o verbo “teria inspirado” de seu complemento) cenas de quase inexplicável sofrimento.

Gabarito: A

os de Bergman e Antonioni; (para indicar

3) FCC/Tec/DPE RS/Administrativa/2017

A questão baseia no texto apresentado abaixo

O gol plagiado

“Jogador quer direito autoral sobre seus gols.”

Esporte, 20 jan. 2000

“Prezados senhores: dirigindo-se a V.Sa., refiro-me à notícia segundo a qual jogadores de futebol do Reino Unido, como Michael Owen e Ryan Giggs, querem receber autorais pela exibição de seus gols na mídia. Não tenho o status desses senhores sou apenas um brasileiro que bate a sua bolinha nos fins de semana mas desejo fazer uma grave denúncia: um dos jogadores citados (oportunamente divulgarei o nome) simplesmente plagiou um gol feito por mim.

Provas? Basta comparar os tapes dos referidos gols. No meu caso, trata-se de um trabalho amador foi feito por meu filho, de dez anos mas mesmo assim

é bastante nítido. Vê-se que, como eu, o referido jogador estava num campo de

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 futebol. Nos dois

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

futebol. Nos dois casos, a partida estava sendo disputada por times de 11 jogadores cada um. Nos dois casos havia uma bola, havia goleiros. Nos dois casos havia um juiz. No meu caso, um juiz usando bermudões e chinelos mas juiz, de qualquer maneira.

Isto, quanto aos aspectos gerais. Vamos agora aos detalhes. No vídeo do jogador inglês, mostrado no mundo inteiro, vê-se que ele pega a bola na grande área, domina-a, livra-se de um adversário e chuta no canto esquerdo, marcando, é forçoso admitir, um belo tento, um gol que faz jus aos direitos autorais. No meu vídeo feito uma semana antes, é importante que se diga , vê-se que eu pego a bola na grande área, que a domino, que livro-me de um adversário e que chuto forte no canto esquerdo, marcando um belo tento.

Conclusão: o jogador inglês me plagiou. Quero, portanto, metade do que ele receber a título de direitos autorais. Se não for atendido em minha reivindicação levarei a questão a juízo. Estou seguro de que ganharei. Além do vídeo, conto com uma testemunha: o meu filho. Ele viu o jogo do começo ao fim e pode depor a meu favor. É pena não ter mais testemunhas, mas, infelizmente, ele foi o único espectador desse jogo. E irá comigo demandar justiça contra o plágio.”

(SCLIAR, Moacyr. O imaginário cotidiano. São Paulo, Global, 2013, p. 55)

Uma interpretação correta a respeito do emprego da pontuação está em:

vê-se que ele pega a bola na grande área, domina-a, livra-

se de um adversário e chuta no canto esquerdo ordenadas cronologicamente.

b) Os travessões em … trata-se de um trabalho amador foi feito por meu filho,

de dez anos mas mesmo assim é bastante nítido uma síntese da informação imediatamente anterior.

c) Os parênteses em

nome) simplesmente plagiou um gol feito por mim. (1° parágrafo) intercalam um exemplo do que foi afirmado anteriormente.

d) Os dois-pontos em Conclusão: o jogador inglês me plagiou. (4° parágrafo)

introduzem uma expressão que contraria o que foi afirmado anteriormente.

e) O sinal de interrogação em Provas? (2° parágrafo) sinaliza uma pergunta dirigida aos leitores do texto para a qual o autor não tem resposta.

Comentários:

Alternativa A Correta As vírgulas podem ser utilizadas para separar itens de uma enumeração. Nesse caso enumerou-se uma sequência de ações.

um dos jogadores citados (oportunamente divulgarei o

(2° parágrafo) apresentam

a) As vírgulas em

(3° parágrafo) separam ações

SEPARAR
SEPARAR

Palavras de mesma função sintática ex. Compramos pão, leite, ovos e farinha.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Alternativa B –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Alternativa B Incorreta Creio que essa alternativa pode ter confundido muitos candidatos, pois não me parece 100% errada. Na verdade, trata-se de uma explicação e não de uma síntese.

Alternativa C Incorreta Os parênteses estão isolando uma oração intercalada de caráter explicativo.

Alternativa D Incorreta Os dois pontos introduzem um resumo ou explicação.

Alternativa E Incorreta De fato, a interrogação só pode sinalizar uma pergunta, no entanto a interpretação do texto nos permite dizer que o autor tem sim a resposta da pergunta. Basta ler o período seguinte.

Gabarito: A

4) FCC/Tec/DPE RS/Apoio Especializado/Edificações/2017

A questão baseia no texto apresentado abaixo

Pesquisa divulgada recentemente afirma que 35 anos costuma ser a idade limite para quem quer ir a clubes sem se sentir velho demais. De acordo com a única empresa a comentar os resultados, Currys PC World, se você tem mais de 35 anos, ir a um clube pode ser algo realmente frustrante.

Os dados coletados, de acordo com nota publicada pela Mix Mag, mostram que,

a partir dos 35 anos, as pessoas começam a preferir ficar em casa ao invés de

sair. E, após esse ponto da vida, metade das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que preferem ficar em casa em frente à TV, seja lá qual for

o clima, ao invés de se preocupar com os gastos de uma noite fora, detalhe que

costuma ser uma das grandes desculpas para não ir a nenhum lugar.

A pesquisa também revelou que, dentro do universo de pessoas acima de 35

anos que participaram do projeto, 14% gostam de ficar em casa stalkeando* pessoas no Facebook enquanto outras 37% gostam de usar redes sociais. Também compuseram o estudo perguntas como quantas pessoas não curtem se arrumar para sair (22%), não curtem encontrar babás (12%) ou pegar/arrumar um táxi (21%). E ainda tem o dado de que 7 em cada 10 pessoas estão felizes por já terem encontrado sua alma gêmea e por isso não precisam mais sair.

Matt Walburn, representante da Currys PC World, comentou que “o estudo reconhece o fato de que chega um momento no qual apreciamos o conforto das nossas casas mais do que uma vida social agitada”. E continua, “atualmente é quase impossível ficar entediado em casa com muitas coisas para fazer e as tecnologias mais avançadas, como TV 4K, ampliando a experiência de uma forma tão específica que quase sempre se sobrepõe ao seu equivalente fora de casa”.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 De qualquer forma,

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

De qualquer forma, ir a uma danceteria ou qualquer lugar para curtir não é algo que pode ser delimitado por uma determinada idade, pois o estado de espírito pode ajudar a sair ou não, mas, certamente, a idade mais avançada deve estimular a preferência das pessoas a ficar em casa.

(Adaptado de: https://omelete.uol.com.br)

*stalkear: perseguir, vigiar.

Matt Walburn, representante da Currys PC World, comentou que “o estudo reconhece o fato de que chega um momento no qual apreciamos o conforto das nossas casas mais do que uma vida social agitada”. (4° parágrafo)

A expressão entre vírgulas no trecho acima indica

a) resumo.

b) enumeração.

c) distribuição.

d) explicação.

e) correção.

Comentários:

O termo “representante da Currys PC World” é um aposto explicativo, assim

concluímos que ele indica uma explicação.

Aproveitemos para revisar os tipos de aposto.

Explicativo

• Recife, capital de Pernambuco, é uma bela cidade.
• Recife, capital de Pernambuco, é uma
bela cidade.

Resumitivo ou

Recapitulativo

• Rio de Janeiro, Recife e Curitiba, todas são belas cidades. • Só me arrependo
• Rio de Janeiro, Recife e Curitiba, todas
são belas cidades.
• Só me arrependo de uma coisa, aquela
que não fiz.

Especificativo

• Meu irmão Fernando é muito inteligente.
• Meu irmão Fernando é muito inteligente.
• O melhor da vida são duas coisas: Enumerativo sonhar e realizar. • Distributivo Tinham
O melhor da vida são duas coisas:
Enumerativo
sonhar e realizar.
Distributivo
Tinham grandes qualidades, ele o
respeito e ela o carinho.

Gabarito: D

5) FCC/Tec/DPE RS/Apoio Especializado/Edificações/2017

A questão baseia no texto apresentado abaixo

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Minimundo é o

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Minimundo é o nome do parque temático que é uma das atrações turísticas de Gramado, principal destino de viagens pela Serra Gaúcha, em Rio Grande do Sul.

Lá o visitante pode ver miniaturas de castelos, barcos, ferrovias, estradas, igrejas, cascatas, moinhos, casarios, carros e outros inúmeros detalhes, tudo numa escala 24 vezes menor. Poderia até se pensar que é um parque mais apropriado para crianças, mas logo se percebe que encanta mais os adultos pela perfeição e cenários realísticos do pequeno mundo aí representado.

Esse cenário auxilia, pois, a identificação de réplicas de lugares conhecidos da Europa e do Brasil. São cerca de 140 construções, por enquanto, que retratam tanto lugares atuais, como o Aeroporto de Bariloche da Argentina, como antigos prédios da Alemanha, país de origem do seu fundador.

A história do Minimundo começa com a vontade de um pai e um avô de agradar

a duas crianças com um pequeno mundo de miniaturas no jardim diante do seu

hotel. Uma espécie de mundo de fantasia com uma casinha de bonecas, castelos

e ferrovias.

Com o crescimento das crianças, o jardim evoluiu para um parque com novas miniaturas que virou atração para os hóspedes do hotel, e daí até se tornar no que é, um dos roteiros de turistas e de excursões em visita a Gramado.

Todo esse sonho começou com a imigração, em 1952, da família alemã de Otto Höpnner para o Brasil, fugindo à situação difícil da Alemanha pós-guerra. Fixou- se em Gramado e lá construiu o Hotel Ritta Höpnner, nome da sua esposa brasileira, em 1958. Já o parque Minimundo foi inaugurado em 1983.

Boa parte das réplicas em miniaturas representam construções da Alemanha. Nele residem cerca de 2.500 “habitantes”, distribuídos entre os mais variados ambientes, que podem aumentar com a evolução das construções da

minicidade. O parque ainda conta com infraestrutura: um café que serve lanches

e tortas alemãs, uma loja de souvenir e um espaço infantil.

(Adaptado de: https://cronicasmacaenses.com)

O parque ainda conta com infraestrutura: um café que serve lanches e tortas alemãs, uma loja de souvenir e um espaço infantil.

(último parágrafo)

Os dois-pontos no segmento acima introduzem concomitantemente as ideias de

a) enumeração e exemplificação.

b) explicação e resumo.

c) explicação e distribuição.

d) distribuição e exemplificação.

e) especificação e resumo.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Comentários: Alternativa A

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Comentários:

Alternativa A Correta No segmento acima, os dois pontos introduzem uma enumeração e exemplificação dos itens que compõem a infraestrutura do parque.

Alternativa B, C, D e E Incorretas Veja abaixo, no resumo sobre APOSTOS, as ideias de explicação, resumo e distribuição e note que não se aplicam ao trecho trazido no enunciado.

Explicativo

• Recife, capital de Pernambuco, é uma bela cidade.
• Recife, capital de Pernambuco, é uma
bela cidade.

Resumitivo ou

Recapitulativo

• Rio de Janeiro, Recife e Curitiba, todas são belas cidades. • Só me arrependo
• Rio de Janeiro, Recife e Curitiba, todas
são belas cidades.
• Só me arrependo de uma coisa, aquela
que não fiz.

Especificativo

• Meu irmão Fernando é muito inteligente.
• Meu irmão Fernando é muito inteligente.

Enumerativo

• O melhor da vida são duas coisas: sonhar e realizar.
• O melhor da vida são duas coisas:
sonhar e realizar.

Distributivo

• Tinham grandes qualidades, ele o respeito e ela o carinho.
• Tinham grandes qualidades, ele o
respeito e ela o carinho.

Gabarito: A

6) FCC/AJ/TRE SP/Administrativa/"Sem Especialidade"/2017

Atenção: Para responder à questão, considere o texto abaixo.

Sandberg, que mudou totalmente o conceito espectador/obra de arte com o seu trabalho de duas décadas no Museu Stedelijk, de Amsterdã, iniciou sua palestra elogiando a arquitetura do nosso MAM-RJ que, segundo ele, segue a sua teoria de que o público deve ver a obra de arte de frente e não de lado, como acontece até agora com o museu convencional de quatro paredes.

O ideal, disse ele, é que as paredes do museu sejam de vidro e que as obras estejam à mostra em painéis no centro do recinto. O museu não é uma estrutura sagrada e quem o frequenta deve permanecer em contato com a natureza do lado de fora:

“A finalidade do museu de arte contemporânea é nos ajudar a ter consciência da nossa própria época, manter um espelho na frente do espectador no qual ele possa se reconhecer. Este critério nos leva também a mostrar a arte de todos os tempos dentro do ambiente atual. Isso significa que devemos abolir o mármore, o veludo, as colunas gregas, que são interpretações do século XIX. Apenas a maior flexibilidade e simplicidade. A luz de cima é natural ao ar livre, mas artificial ao interior. As telas são pintadas com luz lateral e devem ser

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 mostradas com luz

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

mostradas com luz lateral. A luz de cima nos permite encerrar o visitante entre quatro paredes. Certos museólogos querem as quatro paredes para infligir o maior número possível de pinturas aos pobres visitantes.

É

de capital importância que o visitante possa caminhar em direção a um quadro

e

não ao lado dele. Quando os quadros são apresentados nas quatro paredes,

o

visitante tem de caminhar ao seu lado. Isso produz um efeito completamente

diferente, especialmente se não queremos que ele apenas olhe para o trabalho, mas o veja. Isso é ainda mais verdadeiro em relação aos grandes museus de arte contemporânea. Eles são grandes porque o artista moderno quer nos envolver com o seu trabalho e deseja que entremos em sua obra. Ao organizar

o nosso museu, devemos ter consciência da mudança de mentalidade da nova

geração. Abolir todas as marcas do establishment: uniformes, cerimoniais, formalismo. Quando eu era jovem, as pessoas entravam nos museus nas pontas dos pés, não ousavam falar ou rir alto, apenas cochichavam.

Realmente não sabemos se os museus, especialmente os de arte contemporânea, devem existir eternamente. Foram criados numa época em que

a sociedade não estava bastante interessada nos trabalhos de artistas vivos. O

ideal seria que a arte se integrasse outra vez na vida diária, saísse para as ruas,

entrasse nas casas e se tornasse uma necessidade. Esta deveria ser a principal finalidade do museu: tornar-se supérfluo”.

(Adaptado de: BITTENCOURT, Francisco. “Os Museus na Encruzilhada” [1974], em Arte-Dinamite, Rio de Janeiro, Editora Tamanduá, 2016, p. 73-75)

O museu não é uma estrutura sagrada e quem o frequenta deve permanecer

em contato com a natureza do lado de fora

Quanto à pontuação do período acima, pode-se

I. acrescentar uma vírgula imediatamente antes da conjunção “e”, uma vez que separaria orações com sujeitos diferentes.

II. substituir a conjunção “e” por dois-pontos, pois o que se segue pode ser entendido como uma explicação da primeira parte da frase.

III. isolar com vírgulas a expressão “em contato”, uma vez que se trata de locução adverbial, sem alteração do sentido original.

Está correto o que consta em

a) II, apenas.

b) I, II e III.

c) II e III, apenas.

d) I e III, apenas.

e) I e II, apenas.

Comentários:

(1º parágrafo)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Afirmativa I –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Afirmativa I Correta Separam-se por vírgula as orações coordenadas ligadas pelo conectivo “e” quando possuírem sujeitos distintos.

Afirmativa II Correta Essa é uma das funções do sinal de dois pontos:

introduzir uma explicação.

Os dois pontos são utilizados para:

Indicar uma enumeração (conforme usamos aqui);

Indicar uma citação; Anunciar a fala de personagens em uma narração;

Antes de apostos enumerativos ou orações apositivas;

Indicar um resumo ou EXPLICAÇÃO.

Ex. É como reza o ditado: água mole pedra dura, tanto bate até que fura. Disse o rapaz a sua mãe: - Mas eu já sou quase adulto!

Os quatro elementos são: terra, água, fogo e ar.

Resumo da situação: todos ficaram sem ingressos para o jogo.

Afirmativa III Incorreta O adjunto adverbial não é “em contato”, mas “em contato com a natureza do lado de fora”. O termo “contato” é complementado por “com a natureza do lado de fora”, por isso não podem ser separados por vírgula.

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Nome e seus complementos

(AA ou CN)

Gabarito: E

7) FCC/TJ/TRT 24/Administrativa/"Sem Especialidade"/2017

Aspectos Culturais de Mato Grosso do Sul

A cultura de Mato Grosso do Sul é o conjunto de manifestações artístico-

culturais desenvolvidas pela população sul-mato-grossense muito influenciada pela cultura paraguaia. Essa cultura estadual retrata, também, uma mistura de várias outras contribuições das muitas migrações ocorridas em seu território.

O artesanato, uma das mais ricas expressões culturais de um povo, no Mato

Grosso do Sul, evidencia crenças, hábitos, tradições e demais referências culturais do Estado. É produzido com matérias primas da própria região e manifesta a criatividade e a identidade do povo sul-mato-grossense por meio de trabalhos em madeira, cerâmica, fibras, osso, chifre, sementes, etc.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 As peças em

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional e, além da fauna e da flora, podem retratar tipos humanos e costumes da região.

(Adaptado de: CANTU, Gilberto. Disponível em:

http://profgilbertocantu.blogspot.com.br/2013/08/aspectos-culturais-de-

mato-grosso-dosul. html)

As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas em cores da paisagem regional e, além da fauna e da flora, podem retratar tipos humanos e costumes da região.

Após o deslocamento da expressão destacada, sem alterar o sentido da frase original, o uso da vírgula fica correto em:

a) As peças em geral além da fauna e da flora, trazem à tona temas referentes

ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem

regional e podem retratar tipos humanos e costumes da região.

b) As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às

populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional e podem além da fauna e da flora, retratar tipos humanos e costumes da região.

c) As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às

populações indígenas, além da fauna e da flora são feitas nas cores da paisagem regional e podem retratar tipos humanos e costumes da região.

d) Além da fauna e da flora as peças em geral trazem à tona temas referentes

ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional e, podem retratar tipos humanos e costumes da região.

e) As peças em geral

populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional e podem

retratar tipos humanos e costumes da região, além da fauna e da flora.

Comentários:

Alternativa A Incorreta As peças em geral além da fauna e da flora, trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional e podem retratar tipos humanos e costumes da região.

trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às

A expressão intercalada deve vir isolada por vírgulas (duas antes e depois).

SEPARAR
SEPARAR

Orações ou termos intercalados

ex. Cabelos brancos, como dizem os mais

velhos, é sinal de experiência.

Alternativa B Incorreta As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 regional e podem

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

regional e podem além da fauna e da flora, retratar tipos humanos e costumes da região.

A expressão intercalada deve vir isolada por vírgulas (duas antes e depois).

Alternativa C Incorreta As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, além da fauna e da flora são feitas nas cores da paisagem regional e podem retratar tipos humanos e costumes da região.

A expressão intercalada deve vir isolada por vírgulas (duas antes e depois).

Alternativa D Incorreta Além da fauna e da flora as peças em geral trazem

à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas

cores da paisagem regional e, podem retratar tipos humanos e costumes da

região.

Quando a expressão intercalada (nesse caso,

“deslocada”) inicia a frase, deve vir isolada por uma vírgula no final.

Alternativa E Correta As peças em geral trazem à tona temas referentes ao Pantanal e às populações indígenas, são feitas nas cores da paisagem regional

e podem retratar tipos humanos e costumes da região, além da fauna e da flora.

A expressão intercalada no final da frase vem isolada por uma vírgula.

Gabarito: E

8) FCC/ TRF 3ª REGIÃO /Analista Judiciário Engenharia Civil/2014

Menino do mato

Eu queria usar palavras de ave para escrever. Onde a gente morava era um lugar imensamente e sem [nomeação.

Ali a gente brincava de brincar com palavras tipo assim:

Hoje eu vi uma formiga ajoelhada na pedra! A Mãe que ouvira a brincadeira

falou: Já vem você com suas visões! Porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis e nem menino tinha no olhar um silêncio de chão e na sua voz uma candura de Fontes. O Pai achava que a gente queria desver o mundo para encontrar nas palavras novas coisas de ver assim: eu via a manhã pousada sobre as margens do rio do mesmo modo que uma garça aberta na solidão de uma pedra. Eram novidades que os meninos criavam com as suas palavras.

Assim

Bernardo emendou nova criação: Eu hoje vi um sapo com olhar de árvore. Então era preciso desver o mundo para sair daquele lugar imensamente e sem lado.

A gente queria encontrar imagens de aves abençoadas pela inocência. O que a

gente aprendia naquele lugar era só ignorâncias para a gente bem entender a

voz das águas e dos caracóis. A gente gostava das palavras quando elas

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 perturbavam o sentido

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

perturbavam o sentido normal das ideias. Porque a gente também sabia que só os absurdos enriquecem a poesia.

(BARROS, Manoel de, Menino do Mato, em Poesia Completa,São Paulo, Leya, 2013, p. 4178.)

Em uma redação em prosa, para um segmento do poema, a pontuação se mantém correta em:

a) A Mãe, que tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já vem você com suas visões!”

Porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por

aqui: “Isso é traquinagem da sua imaginação”.

b) A Mãe que tinha ouvido a brincadeira, falou: Já vem você com suas visões!

Porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por

aqui: Isso é traquinagem da sua imaginação.

c) A Mãe, que tinha ouvido a brincadeira falou: “Já vem você com suas visões!,

porque formigas, nem têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por

aqui. Isso é traquinagem da sua imaginação”.

d) A Mãe que tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já vem, você com suas visões!”;

porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis e nem há pedras de sacristias por aqui. Isso é traquinagem da sua imaginação.

e) A Mãe que, tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já vem você com suas visões!”

Porque formigas, nem têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por aqui. “Isso, é traquinagem da sua imaginação”.

Comentários:

Alternativa A Correta – “A Mãe, que tinha ouvido a brincadeira (oração subordinada adjetiva explicativa), falou: “Já vem você com suas visões!” (as aspas indicam que a frase foi copiada do texto) Porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por aqui: “Isso é traquinagem da sua imaginação”. “

Oração subordinada Explicativa ENTRE vírgulas ADJETIVA Restritiva SEM vírgulas
Oração subordinada
Explicativa
ENTRE vírgulas
ADJETIVA
Restritiva
SEM vírgulas

Alternativa B Incorreta Deve haver uma vírgula após “mãe”, pois a oração que se segue tem caráter explicativo e não restritivo.

Alternativa C Incorreta Deve haver uma vírgula antes da forma verbal “falou” para isolar a oração explicativa.

Alternativa D Incorreta – Deve haver uma vírgula após “mãe”, pois a oração que se segue tem caráter explicativo e não restritivo.

Alternativa E Incorreta – A vírgula colocada, após o vocábulo “que”, separa o sujeito, “que”, do predicado.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 NÃO SE PODE

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Sujeito e Predicado

Gabarito: A

9) FCC/TRF 4ª REGIÃO/Analista Judiciário Área Judiciária/2014

Vaidade do humanismo

A vaidade, desde sua etimologia latina vanitas, aponta para o vazio, para o sentimento que habita o vão. Mas é possível tratar dela com mais condescendência do que os moralistas rigorosos que costumam condená-la inapelavelmente. Pode-se compreendê-la como uma contingência humana que talvez seja preciso antes reconhecer com naturalidade do que descartar como um vício abominável. Como se sabe, a vaidade está em todos nós em graus e com naturezas diferentes, e há uma vaidade que devemos aceitar: aquela que corresponde não a um mérito abstrato da pessoa, a um dom da natureza que nos tornasse filhos prediletos do céu, mas a algum trabalho que efetivamente tenhamos realizado, a uma razão objetiva que enraíza a vaidade no mesmo chão que foi marcado pelo nosso melhor esforço, pelo nosso trabalho de humanistas.

Na condição de humanistas, temos interesse pelo estudo das formações sociais, dos direitos constituídos e do papel dos indivíduos, pela liberdade do pensamento filosófico que se pensa a si mesmo para pensar o mundo, pela arte literária que projeta e dá forma em linguagem simbólica aos desejos mais íntimos; por todas as formas, enfim, de conhecimento que ainda tomam o homem como medida das coisas. Talvez nosso principal desafio, neste tempo de vertiginoso avanço tecnológico, esteja em fazer da tecnologia uma aliada preciosa em nossa busca do conhecimento real, da beleza consistente e de um mundo mais justo todas estas dimensões de maior peso do que qualquer virtualidade. O grande professor e intelectual palestino Edward Said, num livro cujo título já é inspiração para uma plataforma de trabalho Humanismo e crítica democrática afirma a certa altura: “como humanistas, é da linguagem que partimos”; “o ato de ler é o ato de colocar-se na posição do autor, para quem escrever é uma série de decisões e escolhas expressas em palavras”. Nesse sentido, toda leitura é o compartilhamento do sujeito leitor com o sujeito escritor compartilhamento justificado não necessariamente por adesão a um ponto de vista, mas pelo interesse no reconhecimento e na avaliação do ponto de vista do outro. Que seja este um nosso compromisso fundamental. Que seja esta a nossa vaidade de humanistas.

(Derval Mendes Sapucaia, inédito)

Quanto à pontuação, a frase inteiramente correta é:

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 a) Para Edward

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

a) Para Edward Said, a linguagem, é o terreno de onde partem os humanistas

uma vez que, é nela, que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar, as escolhas produzidas pelo escritor.

b) Para Edward Said, a linguagem é o terreno de onde partem os humanistas

uma vez que é nela, que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio, de o leitor divisar e compartilhar, as escolhas produzidas pelo escritor.

c) Para Edward Said, a linguagem, é o terreno de onde partem os humanistas,

uma vez que é nela que se estabelecem, não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar as escolhas produzidas

pelo escritor

d) Para Edward Said a linguagem é o terreno, de onde partem os humanistas,

uma vez que é nela que se estabelecem não apenas as relações de sentido mas, também, o desafio de o leitor divisar, e compartilhar as escolhas produzidas

pelo escritor.

e) Para Edward Said, a linguagem é o terreno de onde partem os humanistas,

uma vez que é nela que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar as escolhas produzidas pelo

escritor.

Comentários:

Vamos sinalizar com vermelho as vírgulas em excesso e em azul as vírgulas omitidas.

Alternativa A Incorreta – A vírgula após “linguagem” separa o sujeito do predicado. A vírgula após “humanistas” separa as orações coordenadas. A vírgula após “compartilhar” separa o verbo de seu complemento. Além do que já foi comentado, a expressão “é nela” não deve ser seguida de vírgula para não se separar o verbo de seu complemento.

Para Edward Said, a linguagem, é o terreno de onde partem os humanistas, uma vez que, é nela, que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar, as escolhas produzidas pelo escritor.

NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Sujeito e Predicado

Verbo e Complementos Verbais

NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
NÃO SE PODE SEPARAR NÃO SE PODE SEPARAR Sujeito e Predicado Verbo e Complementos Verbais
Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Alternativa B –

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Alternativa B Incorreta – A palavra “desafio” não deve ser separada de seu complemento.

Para Edward Said, a linguagem é o terreno de onde partem os humanistas, uma vez que, é nela, que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio, de o leitor divisar e compartilhar, as escolhas produzidas pelo escritor.

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Nome e seus complementos

(AA ou CN)

Alternativa C Incorreta – A expressão “não apenas as relações de sentidodeve vir isolada por vírgulas, sendo tratada como um termo intercalado.

SEPARAR
SEPARAR

Orações ou termos intercalados ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de experiência.

Para Edward Said, a linguagem, é o terreno de onde partem os humanistas, uma vez que, é nela que se estabelecem, não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar as escolhas produzidas pelo escritor.

Alternativa D Incorreta – A vírgula após “terreno” transforma uma oração restritiva em explicativa. Faltou a vírgula antes de “mas”, a fim de separar as orações coordenadas. A vírgula após “divisar” está em excesso, pois a conjunção “e” no sentido de adição não se acompanha de vírgula.

Para Edward Said a linguagem é o terreno, de onde partem os humanistas, uma vez que é nela que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas, também, o desafio de o leitor divisar, e compartilhar as escolhas produzidas pelo escritor.

SEPARAR
SEPARAR

Orações coordenadas sindéticas

ex. Fomos ao mercado, mas ele estava fechado.

Oração subordinada Explicativa ENTRE vírgulas ADJETIVA Restritiva SEM vírgulas
Oração subordinada
Explicativa
ENTRE vírgulas
ADJETIVA
Restritiva
SEM vírgulas

Alternativa E Correta

Para Edward Said, a linguagem é o terreno de onde partem os humanistas, uma vez que é nela que se estabelecem não apenas as relações de sentido, mas também o desafio de o leitor divisar e compartilhar as escolhas produzidas pelo escritor.

Gabarito: E

10) FCC/AJ/TRT 2/Administrativa/2014 Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

10)

FCC/AJ/TRT 2/Administrativa/2014

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Atenção: A questão refere-se ao texto seguinte.

Sobre a publicação de livros

Muito se tem discutido, recentemente, sobre direitos e restrições na publicação de livros. Veja-se o que dizia o filósofo Voltaire, em 1777:

“Não vos parece, senhores, que em se tratando de livros, só se deve recorrer aos tribunais e soberanos do Estado quando o Estado estiver sendo comprometido nesses livros? Quem quiser falar com todos os seus compatriotas só poderá fazê-lo por meio de livros: que os imprima, então, mas que responda por sua obra. Se ela for ruim, será desprezada; se for provocadora, terá sua réplica; se for criminosa, o autor será punido; se for boa, será aproveitada, mais cedo ou mais tarde.”

(Voltaire, O preço da justiça. Trad. Ivone Castilho Benedetti. São Paulo:

Martins Fontes, 2001. p. 56)

Quanto à colocação das vírgulas, a frase inteiramente correta é:

a) Num de seus textos a que deu o título de “Do justo e do injusto”, Voltaire

aborda com a propriedade de sempre, a questão da natureza mesma do sentimento da justiça que, segundo ele, foi-nos concedido por Deus que também nos deu um cérebro para contrabalançar os impulsos do coração.

b) Num de seus textos, a que deu o título de “Do justo e do injusto”, Voltaire

aborda, com a propriedade de sempre, a questão da natureza mesma do sentimento da justiça, que, segundo ele, foi-nos concedido por Deus, que também nos deu um cérebro para contrabalançar os impulsos do coração.

c) Num de seus textos, a que deu o título de “Do justo e do injusto” Voltaire

aborda, com a propriedade de sempre a questão da natureza mesma do sentimento da justiça, que segundo ele foi-nos concedido por Deus que, também, nos deu um cérebro para contrabalançar os impulsos do coração.

d) Num de seus textos a que deu o título de “Do justo e do injusto”, Voltaire

aborda com a propriedade de sempre, a questão da natureza mesma do sentimento da justiça, que segundo ele foi-nos concedido por Deus, que também nos deu um cérebro, para contrabalançar, os impulsos do coração.

e) Num de seus textos, a que deu o título de “Do justo e do injusto”, Voltaire

aborda, com a propriedade de sempre, a questão da natureza mesma, do sentimento da justiça, que segundo ele foi-nos concedido por Deus que, também nos deu um cérebro, para contrabalançar os impulsos do coração.

Comentários:

É necessária uma vírgula após “textos” para isolar o AAV deslocado.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Orações Adverbiais e

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Orações Adverbiais e Adjuntos Adverbiais Deslocados SEPARAR ex. De manhã, fizemos muitas atividades Fizemos, de
Orações Adverbiais e Adjuntos
Adverbiais Deslocados
SEPARAR
ex. De manhã, fizemos muitas atividades
Fizemos, de manhã, muitas atividades.

É necessária uma vírgula após “injusto” para separar a oração adjetiva explicativa a que deu o título de “Do justo e do injusto”.

O termo intercalado “com a propriedade de sempre” deve vir isolado por vírgulas.

É necessária uma vírgula após “justiça” para separar a oração subordinada adjetiva explicativa introduzida pelo pronome “que”.

O termo “segundo ele” também é intercalado, devendo vir isolado por vírgulas.

É necessária uma vírgula após Deuspara separar a oração subordinada adjetiva explicativa introduzida pelo pronome “que”.

Gabarito: B

11)

FCC/AJ/TRT-12/2013

Atenção: Para responder a questão, considere o texto abaixo.

Num passado não muito remoto, cada um era definido por sua proveniência,

e as perguntas iniciais diziam: quem foram seus pais e antepassados? Onde você nasceu? Quais são as dívidas que você herdou?

Prefiro os dias de hoje, em que são nossas próprias fa- çanhas que nos definem. É uma escolha que deveria nos deixar mais livres, mas acontece que

a praticamos de um jeito estranho: junto com os laços que nos prendiam às

nossas origens e ao passado, nossa vida concreta também é silenciada na descrição de nossa identidade. E nos transformamos em sujeitos abstratos, resumidos por nossa função na produção e na circulação de mercadorias e serviços. Consequência: o desemprego nos ameaça com uma perda radical de identidade. E não adianta observar que, afinal, nos sobra o resto, ou seja, toda a complexidade de nosso ser. Não adianta porque, em regra, já renunciamos há tempos a sermos representados por nossa vida concreta. Enfim, espera-se que a economia crie empregos. Mas os poetas e os saltimbancos também têm uma tarefa crucial: são eles que podem, aos poucos,

convencer a gente de que é nossa vida concreta que nos define, não nossa função produtiva.

(Adaptado de:Contardo Caligaris, Folha de S.Paulo, 17/10/2009. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/publifolha/ ult10037u398900.shtml.)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Atente para o

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Atente para o que se afirma abaixo a respeito da pontuação empregada no texto. I. É uma escolha que deveria nos deixar mais livres. ( 2º parágrafo ) Uma vírgula pode ser inserida imediatamente após que , sem prejuízo para a correção.

II. No segmento cada um era definido por sua proveniência, e as perguntas

iniciais diziam

(1º parágrafo) a vírgula pode ser suprimida, sem prejuízo para

a correção.

e antepassados?

Onde você nasceu? Quais são as dívidas que você herdou? ( início do texto ) Os pontos de interrogação podem ser suprimidos, sem prejuízo para a correção e o sentido, pois as perguntas feitas nas frases acima são retóricas.

Está correto o que se afirma APENAS em

a) III.

b) I e II.

c) II e III.

d) I e III.

e) II.

Comentários:

Item I Incorreta – A oração introduzida pelo “que” tem sentido nitidamente restritivo, não cabendo a retirada da vírgula, pois, nesse caso, a oração tornar- se-ia explicativa, o que é incompatível com o seu sentido.

III.

Quem

foram

seus

pais

Oração subordinada Explicativa ENTRE vírgulas ADJETIVA Restritiva SEM vírgulas
Oração subordinada
Explicativa
ENTRE vírgulas
ADJETIVA
Restritiva
SEM vírgulas

Item II Correta É facultativa a vírgula que separa as orações coordenadas unidas pela conjunção aditiva, “e”.

Item III Incorreta Os pontos de interrogação poderiam ser retirados, caso fosse utilizada a forma interrogativa indireta.

Gabarito: E

12)

FCC/TJ/TRE RO/Administrativa/2013

Atenção: Considere o texto abaixo para responder à questão.

"Temos de agir agora para evitar o pior", comentou o agrônomo Eduardo Assad, pesquisador da Embrapa, ao apresentar as conclusões de um dos capítulos do primeiro relatório do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas − PBMC. Os pesquisadores esperam que as informações sirvam para nortear a elaboração e a implantação de políticas públicas e o planejamento das empresas.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Os desafios apontados

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Os desafios apontados no relatório são muitos. Ele indica que as consequências da elevação da temperatura média global serão dramáticas no Brasil. De acordo com os modelos computacionais de simulação do clima, a agricultura será o setor mais afetado, por causa das alterações nos regimes de chuva. "Mesmo que a quantidade de chuva fique inalterada, a disponibilidade de umidade do solo deve diminuir, em consequência da elevação da temperatura média anual, que intensifica a evapotranspiração", diz outro especialista. Segundo ele, esse fenômeno deve prejudicar os cultivos agrícolas em regiões onde a escassez de água é constante, como o semi-árido nordestino.

Uma provável consequência da redução da produtividade agrícola e da área de terras aptas à agricultura é a queda na renda das populações, intensificando a pobreza e a migração da área rural para as cidades que, por sua vez, deve agravar os problemas de infraestrutura (habitação, escola, saúde, transporte e saneamento).

Os efeitos na agricultura já podem ser dimensionados. "De 1990 a 2010, a intensidade da precipitação dobrou na região do cerrado", diz Assad, "e o padrão tecnológico atual da agricultura ainda não se adaptou a esses novos padrões". Agora, segundo ele, torna-se imperioso investir intensivamente em sistemas agrícolas consorciados, e não somente na produção agrícola solteira, de modo a aumentar a fixação biológica de nitrogênio, reduzir o uso de fertilizantes e aumentar a rotação de culturas. "Temos de aumentar a produtividade agrícola no Centro-Oeste, Sudeste e Sul, para evitar a destruição da Amazônia. A reorganização do espaço rural brasileiro agora é urgente."

Cheias e secas mais frequentes e intensas devem causar uma redução na produção agrícola também por outra razão. Pesquisadores da Embrapa concluíram que algumas doenças − principalmente as causadas por fungos − e pragas podem se agravar em muitas culturas analisadas, em decorrência da elevação dos níveis de CO2 do ar, da temperatura e da radiação ultravioleta, acenando com a possibilidade de aumento de preços e redução da variedade de cereais, hortaliças e frutas.

Cheias e secas devem também alterar a vazão dos rios e prejudicar o abastecimento dos reservatórios das hidrelétricas, acelerar a acidificação da água do mar e reduzir a biodiversidade dos ambientes aquáticos brasileiros. A perda de biodiversidade dos ambientes naturais deve se agravar; alguns já perderam uma área expressiva − o cerrado, 47%, e a caatinga, 44% − a ponto de os especialistas questionarem se a recuperação do equilíbrio biológico característico desses ambientes seria mesmo possível.

(Adaptado de: FIORAVANTI, Carlos. Revista FAPESP, agosto de 2013, p. 23 e

24)

Os segmentos isolados por travessões, no 5º e no 6º parágrafos,

a) referem-se a dados coletados em estudos atuais que indicam solução de possíveis problemas para a agricultura brasileira.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 b) indicam, respectivamente,

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

b) indicam, respectivamente, especificação e enumeração de fatores determinantes da situação apontada em cada um.

c) apresentam informações de sentido explicativo, em relação ao que consta

imediatamente antes de cada um deles.

d) introduzem, como exemplos, um dado resultante de pesquisas anteriores e

a fala de um especialista, respectivamente.

e) reproduzem comentários de caráter pessoal, como juízos de valor a respeito

de algumas conclusões apresentadas no texto.

Comentários:

O trecho “principalmente as causadas por fungos” é isolado por travessões por ser um termo explicativo intercalado, podendo também vir isolado por vírgulas ou parênteses. O termo refere-se ao nome “doença”

SEPARAR
SEPARAR

Orações ou termos intercalados

ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de experiência.

O trecho “o cerrado, 47%, e a caatinga, 44%” é isolado por travessões por ser um termo explicativo intercalado, podendo também vir isolado por vírgulas ou parênteses. O termo refere-se ao nome “área expressiva.

Gabarito: C

13)

CESPE/Ana/FUNPRESP/Administrativa/2016

O meu antigo companheiro de pensão Amadeu Amaral Júnior, um homem louro

e fornido, tinha costumes singulares que espantavam os outros hóspedes.

Amadeu Amaral Júnior vestia-se com sobriedade: usava uma cueca preta e calçava medonhos tamancos barulhentos. Alimentava-se mal, espichava-se na

cama, roncava o dia inteiro e passava as noites acordado, passeando, agitando

o soalho, o que provocava a indignação dos outros pensionistas. Quando se

cansava, sentava-se a uma grande mesa ao fundo da sala e escrevia o resto da noite. Leu um tratado de psicologia e trocou-o em miúdo, isto é, reduziu-o a artigos, uns quarenta ou cinquenta, que projetou meter nas revistas e nos jornais e com o produto vestir-se, habitar uma casa diferente daquela e pagar ao barbeiro.

Mudamo-nos, separamo-nos, perdemo-nos de vista. Creio que os artigos de

psicologia não foram publicados, pois há tempo li este anúncio num semanário:

“Intelectual desempregado. Amadeu Amaral Júnior, em estado de desemprego, aceita esmolas, donativos, roupa velha, pão dormido. Também aceita trabalho”.

O anúncio não produziu nenhum efeito.

Muita gente se espanta com o procedimento desse amigo. Não sei por quê. Eu, por mim, acho que Amadeu Amaral Júnior andou muito bem. Todos os

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 jornalistas necessitados deviam

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

jornalistas necessitados deviam seguir o exemplo dele. O anúncio, pois não. E, em duros casos, a propaganda oral, numa esquina, aos gritos. Exatamente como quem vende pomada para calos.

Graciliano Ramos. Um amigo em talas. In: Linhas tortas. Rio de Janeiro:

Record, 1983, p. 125 (com adaptações).

Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto Um amigo em talas, julgue o item que se segue.

As vírgulas em “Amadeu Amaral Júnior, em estado de desemprego, aceita esmolas, donativos, roupa velha, pão dormido” foram todas empregadas para separar itens de uma enumeração.

Certo

Errado

Comentários:

As vírgulas do trecho “esmolas, donativos, roupa velha, pão dormido” foram empregadas para separar termos de mesma função sintática, pois todos são objeto direto da forma verbal “aceita”.

Já as duas primeiras vírgulas isolam o termo intercalado explicativo “em estado de desemprego”.

SEPARAR
SEPARAR

Palavras de mesma função sintática ex. Compramos pão, leite, ovos e farinha.

SEPARAR
SEPARAR

Orações ou termos intercalados

ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos, é sinal de experiência.

Gabarito: Errado

14)

CESPE/Ana/FUNPRESP/Administrativa/2016

O homem que só tinha certezas quase nunca usava ponto de interrogação. Em seu vocabulário, não constavam as expressões: talvez, quiçá, quem sabe, porventura.

Parece que foi de nascença. Ele já teria vindo ao mundo assim, com todas as certezas junto, pulou a fase dos porquês e nunca soube o que era curiosidade na vida. Cresceu achando natural viver derramando afirmações pela boca.

A notícia espalhou-se rapidamente. Não demorou muito para se tornar capa de todas as revistas e personagem assíduo dos programas de TV. Para cada pergunta havia uma só resposta certa e era essa que ele dava, invariavelmente,

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 exterminando aos pouquinhos

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

exterminando aos pouquinhos todas as dúvidas que existiam, até que só restou uma dúvida no mundo: será que ele não vai errar nunca? Mas ele nunca errava,

e já nem havia mais o que errar, uma vez que não havia mais dúvidas.

Um dia aconteceu um imprevisto, e o homem que só tinha certezas, quem diria, acordou apaixonado. Para se assegurar de que aquela era a mulher certa para

ele, formulou cento e vinte perguntas, as quais ela respondeu sem vacilar. Os dois se amaram noites adentro, foram a Barcelona, tiraram fotos juntos,

compraram álbuns, porta-retratos

desconhecida, o homem que só tinha certezas foi perdendo todas elas, uma por

uma. No início ainda tentou disfarçar. Mas as dúvidas multiplicavam-se como praga, espalhavam-se pelo mundo, e agora, meu Deus? Deus existe? Existe sim. Ou será que não? Ele não estava bem certo.

Desde então, por alguma razão

Adriana Falcão. O homem que só tinha certezas. In: O doido da garrafa. São Paulo: Planeta do Brasil, 2003, p. 75 (com adaptações).

Julgue o item seguinte, referente aos aspectos linguísticos e às ideias do texto O homem que só tinha certezas.

O sentido original do texto seria alterado caso a oração “que só tinha certezas” fosse isolada por vírgulas.

Certo

Errado

Comentários:

A expressão não separada por vírgula tem valor restritivo em relação ao termo

“homem”, ao passo que, se a mesma expressão viesse separada por vírgula, teria apenas um valor explicativo em relação ao mesmo termo, o que certamente muda o sentido do texto.

Oração subordinada ADJETIVA Explicativa Restritiva ENTRE vírgulas SEM vírgulas
Oração subordinada
ADJETIVA
Explicativa
Restritiva
ENTRE vírgulas
SEM vírgulas

Gabarito: Certo

15)

CESPE/TJ/TRE

Computadores/2016

PE/Apoio

Especializado/Operação

de

Texto para a questão

O dever dos partidos políticos de prestar contas à justiça eleitoral está previsto na Constituição Federal de 1988 (CF). A obrigatoriedade de prestação de contas anualmente é imposta aos partidos políticos e encontra-se disciplinada na Lei n.º 9.096/1995, também(d) conhecida como Lei dos Partidos Políticos, que trata das finanças e da contabilidade dos partidos políticos.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Até a publicação

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Até a publicação da Lei n.º 12.034/2009, as prestações de contas partidárias eram consideradas um procedimento administrativo de controle, que assumia caráter jurisdicional apenas na fase recursal. Após a alteração legislativa de 2009, o processo de prestação de contas dos órgãos partidários passou a assumir natureza jurisdicional desde a sua fase inicial, nos termos da Lei n.º

9.096/1995.

Antes da edição da Res.TSE n.º 23.432/2014, a Res.TSE n.º 21.841/2004 disciplinava os processos de prestação de contas dos partidos políticos(e) e a tomada de contas especial, sendo esta última um procedimento administrativo de controle, de caráter excepcional, instaurado contra os partidos políticos que, tendo recebido(a) recursos oriundos do Fundo Partidário, não apresentassem suas contas ou não comprovassem a aplicação regular dos recursos após trânsito em julgado da decisão(b) que julgasse as contas irregulares ou as considerasse não prestadas.

Haja vista as disposições contidas na Res.TSE n.º 21.841/2004, no processo de prestação de contas partidárias, apreciava-se a regularidade da captação e dos gastos dos recursos(c) sem a aferição de eventual responsabilidade do ordenador de despesas incumbido de controlar a gestão das finanças. Esse procedimento era relegado ao processo de tomada de contas especial, em atenção à previsão contida em artigo da Lei dos Partidos Políticos, o qual, entre outros aspectos, determina a caracterização da responsabilidade civil e criminal dos dirigentes do partido e dos comitês, inclusive do tesoureiro, por quaisquer irregularidades.

Daiane Mello Piccoli. Aspectos polêmicos das novas regras sobre prestação de contas partidárias: aplicabilidade da Resolução n.º 23.432/2014 do Tribunal Superior Eleitoral. Internet: <www.tse.jus.br> (com adaptações).

A correção gramatical e o sentido original do texto Aspectos polêmicos das

novas regras

a) “recebido”.

b) “decisão”.

c) “recursos”.

d) “também”.

e) “políticos”.

Comentários:

Alternativa A Incorreta – Ao inserir uma vírgula após “recebido”, estaríamos separando a locução verbal de seu complemento, o que é proibido.

seriam mantidos caso fosse inserida vírgula imediatamente após

tendo recebido (VERBO TRANSITIVO DIRETO) recursos (OBJETO DIRETO)

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 NÃO SE PODE

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

NÃO SE PODE SEPARAR
NÃO SE
PODE
SEPARAR

Verbo e Complementos Verbais

Alternativa B Incorreta – Ao inserirmos uma vírgula após “decisão”, estaríamos alterando o sentido do período, por transformar uma oração adjetiva restritiva em adjetiva explicativa.

Alternativa C Correta Uma vez que o adjunto adverbial está no final do período a vírgula é facultativa.

Caso ele estivesse no meio ou no início, a vírgula seria obrigatória por trata- se de um AAV longo.

Alternativa D Incorreta – Ao inserirmos uma vírgula após “também” estaríamos dividindo o termo intercalado explicativo “também conhecida como Lei dos Partidos Políticos”, formando assim dois termos intercalados e alterando o sentido do período.

Alternativa E Incorreta – Não cabe a vírgula após “políticos”, pois os termos “os processos de prestação de contas dos partidos políticos” e “a tomada de contas especial” já estão separados pela conjunção E”.

Caso houvesse mais um termo na enumeração, seria necessária a utilização de uma vírgula. Quando há apenas dois termos em uma enumeração usamos o conectivo “E”.

Gabarito: C

16)

CESPE/Tec/INSS/2016

Texto

Naquele novo apartamento da rua Visconde de Pirajá pela primeira vez teria um escritório para trabalhar. Não era um cômodo muito grande, mas dava para armar ali a minha tenda de reflexões e leitura: uma escrivaninha, um sofá e os livros. Na parede da esquerda ficaria a grande e sonhada estante onde caberiam todos os meus livros. Tratei de encomendá-la a seu Joaquim, um marceneiro que tinha oficina na rua Garcia D’Ávila com Barão da Torre.

O apartamento não ficava tão perto da oficina. Era quase em frente ao prédio onde morava Mário Pedrosa, entre a Farme de Amoedo e a antiga Montenegro, hoje Vinicius de Moraes. Estava ali havia uma semana e nem decorara ainda o número do prédio. Tanto que, quando seu Joaquim, ao preencher a nota de encomenda, perguntou-me onde seria entregue a estante, tive um momento de hesitação. Mas foi só um momento. Pensei rápido: “Se o prédio do Mário é 228, o meu, que fica quase em frente, deve ser 227”. Mas lembrei-me de que, ao ir ali pela primeira vez, observara que, apesar de ficar em frente ao do Mário, havia uma diferença na numeração.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 ― Visconde de

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

― Visconde de Pirajá, 127 ― respondi, e seu Joaquim desenhou o endereço na nota.

― Tudo bem, seu Ferreira. Dentro de um mês estará lá sua estante.

― Um mês, seu Joaquim! Tudo isso? Veja se reduz esse prazo.

― A estante é grande, dá muito trabalho

Ferreira Gullar. A estante. In: A estranha vida banal. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989 (com adaptações).

Digamos, três semanas.

Julgue o seguinte item, a respeito de aspectos linguísticos do texto.

No período “Tanto que, quando (

todas as vírgulas deve-se à mesma regra de pontuação.

Certo

Errado

Comentários:

Então pessoal, o período está um pouco truncado, no entanto vamos tentar entendê-lo.

Em vermelho temos uma oração adverbial temporal intercalada, por isso vem isolada por vírgulas.

Repare que intercalada na oração em vermelho, há outra oração adverbial temporal grafada em verde.

Portanto, as vírgulas, todas, devem-se à mesma regra de pontuação.

“Tanto que, quando seu Joaquim, ao preencher a nota de encomenda (oração subordinada adverbial de tempo reduzida de infinitivo), perguntou-me onde seria entregue a estante (oração subordinada adverbial de tempo), tive um momento de hesitação (oração principal).”

momento de hesitação”, o emprego de

)

Gabarito: Certo

17)

CESPE/Tec/INSS/2016

Bibliotecas sempre deram muito o que falar. Grandes monarquias jamais deixaram de possuir as suas, e cuidavam delas estrategicamente. Afinal, dotes de princesas foram negociados tendo livros como objetos de barganha; tratados diplomáticos versaram sobre essas coleções. Os monarcas portugueses, após o terremoto que dizimou Lisboa, se orgulhavam de, a despeito dos destroços, terem erguido uma grande biblioteca: a Real Livraria. D. José chamava-a de joia maior do tesouro real. D. João VI, mesmo na correria da partida para o Brasil, não se esqueceu dos livros. Em três diferentes levas, a Real Biblioteca aportou nos trópicos, e foi até mesmo tema de disputa.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Internet:

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Internet: <http://observatoriodaimprensa.com.br> (com adaptações).

Acerca de aspectos linguísticos e dos sentidos do texto acima, julgue o item que se segue.

O sinal de dois-pontos empregado imediatamente após “biblioteca” introduz um termo de natureza explicativa.

Certo

Errado

Comentários:

Isso, o termo “a Real Livraria” explica o termo “uma grande biblioteca”.

DOIS PONTOS são utilizados para:

Indicar uma enumeração (conforme usamos aqui);

Indicar uma citação; Anunciar a fala de personagens em uma narração;

Antes de apostos enumerativos ou orações apositivas;

Indicar um resumo ou explicação.

Ex. É como reza o ditado: água mole pedra dura, tanto bate até que fura. Disse o rapaz a sua mãe: - Mas eu já sou quase adulto! Os quatro elementos são: terra, água, fogo e ar. Resumo da situação: todos ficaram sem ingressos para o jogo.

Gabarito: Certo

18)

CESPE/AFCE/TCE

Externo/Administração/2016

SC/Controle

Texto CB2A2BBB

O fenômeno da corrupção, em virtude de sua complexidade e de seu potencial danoso à sociedade, exige, além de uma atuação repressiva, também uma ação preventiva do Estado. Portanto, é preciso estimular a integridade no serviço público, para que seus agentes sempre atuem, de fato, em prol do interesse público.

Entende-se que a integridade pública representa o estado ou condição de um órgão ou entidade pública que está “completa, inteira, perfeita, sã”, no sentido de uma atuação que seja imaculada ou sem desvios, conforme as normas e valores públicos.

De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a integridade é mais do que a ausência de corrupção, pois envolve

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 aspectos positivos que,

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

aspectos positivos que, em última análise, influenciam os resultados da administração, e não apenas seus processos. Além disso, a OCDE compreende um sistema de integridade como um conjunto de arranjos institucionais, de gerenciamento, de controle e de regulamentações que visem à promoção da integridade e da transparência e à redução do risco de atitudes que violem os princípios éticos.

Nesse sentido, a gestão de integridade refere-se às atividades empreendidas para estimular e reforçar a integridade e também para prevenir a corrupção e outros desvios dentro de determinada organização.

Internet: <www.cgu.gov.br> (com adaptações).

Ainda com relação a aspectos linguísticos do texto CB2A2BBB, julgue o item subsequente.

O trecho “e também” poderia ser corretamente isolado por vírgulas, recurso que lhe conferiria ênfase.

Certo

Errado

Comentários:

A pontuação proposta pela banca não é possível.

Poderíamos utilizar apenas uma vírgula antes da conjunção aditiva “E” ou duas vírgulas isolando o termo “também”.

SEPARAR
SEPARAR

Orações coordenadas sindéticas

ex. Fomos ao mercado, mas ele estava fechado.

Gabarito: Errado

19)

CESPE/Aud CE/TCE PA/Procuradoria/2016

Texto CB5A1AAA

Tratando-se do dever de prestar contas anuais, cabe, inicialmente, verificar como tal obrigação está preceituada no ordenamento jurídico. A Constituição Federal prevê que cabe ao presidente prestar contas anualmente ao Poder Legislativo. Por simetria, tal obrigação estende-se ao governador do estado e aos prefeitos municipais.

O dever anual de prestar contas é da pessoa física. Assim sendo, no nível municipal, esse dever é do prefeito, que, nesse caso, age em nome próprio, e não em nome do município. Tal obrigação se dá em virtude de força da lei. O povo, que outorgou mandato ao prefeito para gerir seus recursos, exige do prefeito por meio de norma editada pelos seus representantes a prestação

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 de contas. Sendo

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

de contas. Sendo tal prestação obrigação personalíssima, não se pode admitir que seja executada por meio de pessoa interposta. Isso quer dizer que o tribunal de contas deve recusar, por exemplo, a prestação de contas apresentada por uma prefeitura referente à obrigação de um ex-prefeito.

Quer dizer também que o ex-prefeito continua sujeito a todas as sanções previstas para aqueles que não prestam contas.

Por essa razão, é necessário que haja a separação das contas que devem, inclusive, ser processadas em autos distintos quando ocorrer de o cargo de prefeito ser ocupado por mais de uma pessoa durante o exercício financeiro. Nesse caso, cada um será responsável pelo período em que ocupou o cargo.

Ailana Sá Sereno Furtado. O dever de prestar contas dos prefeitos. Internet: < https://jus.com.br> (com adaptações).

Julgue o item que se segue, a respeito das ideias e dos aspectos linguísticos do texto CB5A1AAA.

A supressão da vírgula empregada logo após a expressão “Assim sendo” prejudicaria a correção do texto.

Certo

Errado

Comentários:

A vírgula ali empregada decorre de dois motivos: o conectivo de valor conclusivo “assim sendo” e do adjunto adverbial deslocado “no nível municipal”, que vem corretamente isolado por vírgulas.

Atente que, como o AAV é curto, portanto, poderia vir não isolado, no entanto, a vírgula que o antecede é obrigatória em função da locução conjuntiva já citada.

Orações coordenadas sindéticas SEPARAR ex. Fomos ao mercado, mas ele estava fechado. Orações Adverbiais e
Orações coordenadas sindéticas
SEPARAR
ex. Fomos ao mercado, mas ele estava fechado.
Orações Adverbiais e
Adjuntos Adverbiais Deslocados
SEPARAR
ex. De manhã, fizemos muitas atividades
Fizemos, de manhã, muitas atividades.

Gabarito: Certo

20)

CESPE/Esp GT/TELEBRAS/Advogado/2015

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 A reestruturação do

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil veio acompanhada da

privatização do Sistema TELEBRAS operado pela Telecomunicações Brasileiras S.A. (TELEBRAS) , monopólio estatal verticalmente integrado e organizado em diversas subsidiárias, que prestava serviços por meio de uma rede de telecomunicações interligada, em todo o território nacional.

A ideia básica do novo modelo era a de adequar o setor de telecomunicações ao

novo contexto de globalização econômica, de evolução tecnológica setorial, de novas exigências de diversificação e modernização das redes e dos serviços, além de permitir a universalização da prestação de serviços básicos, tendo em vista a elevada demanda reprimida no país.

A privatização, ao contrário do que ocorreu em diversos países em

desenvolvimento e mesmo em outros setores de infraestrutura do Brasil, foi

precedida da montagem de detalhado modelo institucional, dentro do qual se destaca a criação de uma agência reguladora independente e autônoma, a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Além disso, a reestruturação

do setor de telecomunicações brasileiro foi precedida de reformas setoriais em

vários outros países, o que trouxe a possibilidade de aprendizado com as experiências anteriores.

José Claudio Linhares Pires. A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil. Internet: <www.bndespar.com.br> (com adaptações).

No

que se refere às estruturas linguísticas e às ideias do texto A reestruturação

do

setor de telecomunicações no Brasil, julgue o item seguinte.

A correção gramatical e os sentidos originais do texto seriam preservados se,

no primeiro parágrafo, todas as vírgulas fossem eliminadas e a forma verbal

“prestava” fosse substituída por prestavam.

Certo

Errado

Comentários:

“A reestruturação do setor de telecomunicações no Brasil veio acompanhada da privatização do Sistema TELEBRAS operado pela Telecomunicações Brasileiras S.A. (TELEBRAS) , (1) monopólio estatal verticalmente integrado e organizado em diversas subsidiárias, (2) que prestava serviços por meio de uma rede de telecomunicações interligada, (3) em todo o território nacional.”

Atente que as duas primeiras vírgulas (1 e 2) utilizadas no período isolam um termo intercalado (explica o termo “TELEBRAS”), enquanto as duas últimas (2 e 3) isolam uma oração explicativa, por isso são essenciais ao período.

SEPARAR
SEPARAR

Orações ou termos intercalados

ex. Cabelos brancos, como dizem os mais velhos,

é sinal de experiência.

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 SEPARAR Orações subordinadas

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

SEPARAR
SEPARAR

Orações subordinadas adjetivas EXPLICATIVAS

ex. Pedro, que era o mais afoito, foi na frente.

Por sua vez há a problemática da concordância.

Repare que a forma verbal “prestava” concorda com o seu sujeito - monopólio estatal verticalmente integrado e organizado em diversas subsidiárias”.

Uma vez alterado o tempo verbal, estaríamos atribuindo ao verbo um outro sujeito, qual seja, “subsidiárias”. Assim, alterando o sentido da frase.

Gabarito: Errado

21)

CESPE/TA/ANATEL/Administrativo/2014

As cidades foram criadas para a segurança de seus habitantes. Foram elas que propiciaram, segundo autores clássicos e contemporâneos, o desenvolvimento da cidadania, da racionalidade econômica, de um sistema de leis válidas para todos e de novas formas de associação entre indivíduos, fora dos laços de parentesco e de servidão. Desde o clássico de Weber (1958) até as obras mais recentes de Godbout (1997) e Jacobs (1993), a liberdade é apresentada como uma conquista urbana.

Essas novas formas de liberdade foram saudadas porque dissolviam laços de domínio dos poderes familiares e feudais que impediam o aparecimento de um poder público voltado para o povo (Habermas, 1994). Mas, simultaneamente, por atraírem pessoas vindas de diferentes lugares, com diferentes culturas, religiões, compromissos políticos e identificações, que apenas se esbarrariam nos novos espaços, as cidades teriam, então, comprometido o estabelecimento de relações duradouras entre seus habitantes.

Alba Zaluar. A abordagem ecológica e os paradoxos da cidade. Revista de Antropologia, São Paulo: USP, 2010, v. 53, n.º 2, p. 613 (com adaptações).

Em relação aos sentidos e a aspectos linguísticos do texto acima, julgue o item que se segue.

Estaria mantida a correção gramatical do texto caso o trecho “Desde o clássico de Weber (1958) até as obras mais recentes de Godbout (1997) e Jacobs (1993)” fosse deslocado para o final da oração, feitos os devidos ajustes de maiúsculas e minúsculas e suprimida a vírgula após “(1993)”.

Certo

Errado

Comentários:

O trecho “Desde o clássico de Weber (1958) até as obras mais recentes de

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08 Godbout (1997) e

Curso: Português Teoria e Questões Comentadas Prof. Bruno Spencer - Aula 08

Godbout (1997) e Jacobs (1993)” é um adjunto adverbial – AAV, por isso sua posição natural é no final da oração, on